Fórum dos Leitores

.

O Estado de S.Paulo

23 Setembro 2017 | 03h07

CRIMINALIDADE

Guerra na Rocinha

Os tiroteios entre traficantes e destes com a polícia, que assolam a favela da Rocinha, demonstram o poderio bélico dos criminosos. Fuzis são armas de guerra de grande letalidade e alcance. Tramita no Congresso Nacional projeto de lei que classifica como crime hediondo o porte de tais armamentos. Mas, por incrível que pareça, há deputados federais e senadores da República contrários à medida. Além de usarem seus cargos para auferir vantagens, ainda vão de encontro aos anseios da maioria da população trabalhadora e honesta.

LUIZ FELIPE SCHITTINI

fschittini@gmail.com

Rio de Janeiro

A favela da Rocinha é o ícone da chaga social que se instalou no Estado do Rio de Janeiro. Extirpar essa doença é uma necessidade urgente para resolver o problema da baixa criminalidade. Digo baixa porque a alta criminalidade já está sendo combatida pela ação da Operação Lava Jato. Porém a questão dos criminosos ligados ao tráfico ainda está muito longe de ser resolvida.

MÁRIO NEGRÃO BORGONOVI

marionegrao.borgonovi@gmail.com

Rio de Janeiro

CORRUPÇÃO

O mais honesto

“Mexeram com um político que nunca roubou” – palavras de Lula da Silva em mais um discurso cheio de bravatas, impropérios e mentiras, por ocasião do lançamento do programa do PT “O Brasil que o povo quer”, visando às eleições de 2018. Acredito que Lula nunca tenha roubado, mas as delações premiadas mostram que facilitou, tinha ciência da roubalheira e recebeu propina direcionada a seu partido e a seu próprio enriquecimento ilícito. Lula tem o direito de se defender das inúmeras acusações e de falar o que quiser, mas a pecha de corrupto vai ficar tatuada na sua história para sempre.

J. A. MULLER

josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré

Estranha demora

Embora muito bem assessorado por sua entourage jurídica e por fiéis amigos e escudeiros, Lula demonstra absoluta falta de organização. Isso já foi comprovado pela não apresentação dos recibos de aluguéis da cobertura anexa à dele. Mas o que mais chama a atenção é a demora em apresentar o rol de bens do inventário de dona Marisa Letícia. Decorridos mais de 200 dias do óbito, e após a negativa do Judiciário para que o inventário corresse em segredo de Justiça, até agora, e após três sucessivos pedidos de adiamento, a relação dos bens não foi encaminhada. Para quem alega que muito pouco possui, a demora soa estranha.

CLAUDIO JUCHEM

cjuchem@gmail.com

São Paulo

SUCESSÃO PRESIDENCIAL

Futuro sombrio

A mais recente pesquisa CNT/MDA para Presidência da República tem um significado tão claro quanto infeliz: a maior parte da população ainda se deixa levar por discursos populistas e oportunistas, seja de que vertente for e independentemente do passado ou presente do candidato (condenações judiciais, declarações misóginas e homofóbicas, etc.). Além disso, embora não tenha sido foco da pesquisa, não é demais extrapolar que essa mesma população não deve ter o mínimo interesse em renovar o tão criticado quadro atual de congressistas. Sem querer ser pessimista, o futuro político do País é, no mínimo, duvidoso, para não dizer sombrio.

LUCIANO HARARY

lharary@hotmail.com

São Paulo

EDUCAÇÃO

Ranking das universidades

Ao tomar conhecimento de que nossas melhores universidades vêm caindo assustadoramente no ranking mundial, quando já tivemos a USP e a Unicamp orgulhosamente entre as cem primeiras, e agora nem sequer entre as melhores 200, por causa da grave crise que herdamos dos governos petistas, dou-me conta, tristemente, de que, no meu país, empresários bilionários preferem dar propinas a políticos degenerados para a obtenção de vantagens indevidas, com enorme prejuízo para o sofrido povo brasileiro, a doar recursos a universidades, financiando pesquisas e oferecendo toda sorte de recursos para incrementar o desenvolvimento científico e cultural no Brasil. Acredito que se investissem em educação, especialmente, com certeza o retorno para eles seria muito maior do que as vantagens obtidas pela via da corrupção. Isso só vem demonstrar quão atrasados ainda somos, impregnados daquela mentalidade tosca de que tudo deve ser retirado do Estado a qualquer custo, mas sem contrapartida, imaginando que pagar impostos, quando não sonegam, já é o suficiente. Triste é constatar que estamos longe, muito longe, daquele patriotismo que foi inspirado pela célebre frase de John F. Kennedy: “Não pergunte o que o país pode fazer por você, mas o que você pode fazer pelo país”. Quando será que esses empresários se tocarão de que, se foram bem-sucedidos, bafejados pela sorte e por seus esforços, mais responsabilidades passam a ter com o nosso país?

ELIANA FRANÇA LEME

efleme@gmail.com

São Paulo

CULTURA

Lei Rouanet

O Ministério da Cultura (MinC) precisa rever seus conceitos. A exposição Queermuseu não poderia ter sido aprovada dentro da Lei Rouanet, porque o objetivo desta é democratizar a arte – entenda-se: como atingir o maior número possível de pessoas. Mas aconteceu justamente o contrário e a mostra, provocadora e polêmica, acabou sendo encerrada antes da hora diante de incontáveis e veementes protestos. Enquanto isso, o MinC mantém em vigor a Instrução Normativa 1/2017, que em seu artigo 7.° restringe direitos consagrados pela Lei Rouanet e tolhe a capacidade criativa de empreendedores culturais na apresentação do primeiro projeto, exigindo experiência anterior na mesma área e fixando valor que mal dá para a edição de um livro de arte, por exemplo. E isso ilegalmente, pois uma lei só pode ser modificada por outra lei, nunca por uma instrução normativa, a qual também exige autorização para biografias, contrariando decisão do Supremo Tribunal Federal de 2015. É com isso e com as dificuldades para elaborar o projeto, incluindo o orçamento, que o MinC deveria preocupar-se.

CARLOS ABUMRAD

culturalclc@gmail.com

São Paulo

TRÂNSITO PAULISTANO

Velocidades médias

Que tal se, antes de monitorar as velocidades médias nas avenidas, a Companhia de Engenharia de Tráfego colocasse engenheiros e marronzinhos para aumentar as velocidades médias em horário de rush? Não dá para perder uma hora entre o Anhangabaú e a Avenida do Estado, menos de 2 km, todo fim de tarde!

EDUARDO BRITTO

britto@znnalinha.com.br

São Paulo

“Quando a inteligência da polícia e a do Exército vão entender-se e tomar providências à altura da gravidade da situação?”

ROBERT HALLER / SÃO PAULO, SOBRE A GUERRA NA ROCINHA

robelisa1@terra.com.br

“Concordo com Verissimo, ‘o neonazismo brasileiro não é nem original’. Aqui, neonazismo é apenas um xingamento que a esquerda usa contra os adversários por falta de argumentos”

GERALDO MAGELA DA SILVA XAVIER / BELO HORIZONTE, SOBRE A CRÔNICA ‘DECADENTES’ (21/9) 

gsilvaxavier@bol.com.br

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

A VIOLÊNCIA NO RIO DE JANEIRO

A situação de violência em que o Rio de Janeiro se encontra há anos está fora de controle. Se hoje algumas pessoas, inexplicavelmente, ainda se sentem tranquilas ao morar no Rio, é apenas uma questão de tempo para que as estatísticas cheguem a elas ou às pessoas próximas. Muitos ainda dizem que é a imprensa que distorce as notícias para vender jornal. Mas os números que as estatísticas mostram são frios e não se dobram por paixões. Em 2017, o Estado do Rio já teve 632 vítimas de balas perdidas, e em 2015 foram registrados no estado 30,6 homicídios para cada 100 mil habitantes. Para ter uma ideia desse absurdo, a ONU considera aceitável o índice de 10 homicídios para cada grupo de 100 mil habitantes. Em média, 16 pessoas são assassinadas no Estado. Várias guerras no mundo matam bem menos. Não é à toa que uma pesquisa aponta que 56% da população tem o desejo de deixar o Rio e sairia de lá se tivesse condições. A sociedade está entorpecida e não reage à altura sabe-se lá por quê. Todo ano o carnaval tem o poder de arrastar milhões de pessoas às ruas e para a cidade por quatro dias. Em 2007, uma criança morreu arrastada por bandidos e o protesto não conseguiu motivar nem mil pessoas. Era para pararem o Rio de Janeiro por vários dias pedindo providências. Era para os governantes tomarem medidas emergenciais de guerra. Já passou da hora de tratarem essa situação como emergencial. Até quando a população vai ficar parada, morrendo como moscas, sem aulas, presa em casa, sem fazer nada? 

Edson Quadros edsom36@gmail.com

Brasília

*

FALTA DE COORDENAÇÃO

A falta de entendimento entre as lideranças que tentam combater a violência urbana no Rio é emblemática destes tempos conturbados que vivemos e que se espraia Brasil afora. Urge, assim, que nossas autoridades se concentrem no esforço comum de exercitarem suas atividades específicas e, ao mesmo tempo, coordenadas entre si, para que todos os problemas brasileiros comecem a ser resolvidos, rumo a um sonhado país mais justo e harmônico para todos os que aqui vivem. 

José de A. Nobre de Almeida josedalmeida@globo.com

Rio de Janeiro

*

ATÉ QUANDO?

Como esperar que o País mude conservando esta estrutura bandida que aí está? Conservando as benesses das velhas raposas e suas autarquias? Conservando uma Constituição estuprada por juízes e políticos? Conservando a tradição da corrupção, contra a qual uma equipe luta há três anos e não consegue manter preso José Dirceu nem consegue prender Lula? Conservando uma multidão de políticos que ganham o que a população inteira, junta, não ganha? Conservando a proteção irrestrita da lei a assassinos de todas as espécies? Podemos continuar convivendo com o exército do tráfico, armado até os dentes, "tomando conta" do Rio de Janeiro? Até quando resistiremos a assistir à nossa gigantesca carga tributária ser desviada por ladrões do erário, enquanto o povo morre como moscas pela violência urbana e pela falta de saúde pública? Nada vai melhorar sem que atitudes drásticas e contrárias ao que vem acontecendo neste Brasil sejam tomadas! A história comprova: piorar sempre é possível quando não há limites para governos corrompidos. Sem um basta, tudo continuará piorando.

Anita M. S. Driemeier guggiana1948@gmail.com

Campo Grande

*

CONGRESSO IMPRODUTIVO

O tempo que o nosso literalmente improdutivo Congresso Nacional levou para debater - e quase nada aprovar - na pseudo-reforma política daria para ter concluído com sobras a inadiável reforma da Previdência. E seria um inestimável serviço prestado ao País. O fim de coligações, que com muita dificuldade aprovaram, só irá valer para o pleito de 2020. Isso se não mudarem até lá... E, para a eleição de 2018, uma minúscula clausula de barreira! Mas vamos de ficar de olho, porque na próxima semana pretendem aprovar bilhões de reais como fundo partidário, para o qual podem tirar recursos da saúde e educação. É caso de polícia...

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos 

*

DESAGRAVO COM QUEIJO E LINGUIÇA

O noticiado desagravo feito pelos deputados federais à apreensão de linguiças artesanais sem o selo do Serviço de Inspeção Federal (SIF), efetuada pela Vigilância Sanitária no Rock in Rio, no fim de semana, nos dá a medida da ignorância e da incompetência de nossos legisladores. Quem faz as leis não gosta de vê-las cumpridas e desconhece o mal que faz a arte brasileira. Na verdade, é tudo uma farra de moleques.

M. Mendes de Brito mdebritovoni@gmail.com

Bertioga

*

BEIJA-MÃO

Câmara dos Deputados vai analisar segunda denúncia contra Temer. Vai recomeçar o beija-mão.

Ou, melhor, o molha-mão!

Carlos Alberto Roxo roxo.sete@gmail.com

São Paulo

*

NUVEM NEGRA

O doleiro preso Lúcio Funaro finalmente esclareceu o episódio do pacote entregue no escritório do advogado José Yunes: era, sim, dinheiro, R$ 1 milhão, e o destinatário final era o chefe de Yunes, Michel Temer. Com esse esclarecimento, o presidente Temer está diretamente ligado a três fontes de propina: R$ 1 milhão entregue a mando da Odebrecht pelo doleiro Lúcio Funaro ao secretário Yunes; R$ 500 mil entregues a mando de Joesley Batista ao assessor do presidente Rodrigo da Rocha Loures, hoje em prisão domiciliar; e R$ 51 milhões apreendidos em poder de um dos mais próximos ministros de Temer, Geddel Vieira Lima, preso. Diante da gigantesca nuvem negra de suspeição que paira sobre a figura do ainda presidente, o melhor seria que ele renunciasse ao que resta de seu mandato tampão e se dedicasse em tempo integral à sua defesa. 

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

MILHÕES

A prova da incompetência da quadrilha do PMDB da Câmara é que Temer, Eliseu Padilha, Moreira Franco, Eduardo Cunha e Henrique Eduardo Alves, o quinteto da propina do "partido do poder, seja qual for o poderoso de plantão", só conseguiram afanar US$ 32 milhões, equivalentes a R$ 100 milhões, numa complexa operação financeira de 4% de propina sobre um contrato de US$ 800 milhões. O engenheiro Pedro Barusco, gerente na Petrobrás, amealhou sozinho US$ 98 milhões e não delatou ninguém, porque era ladrão solitário. Afanou R$ 300 milhões sem maiores complicações. Isso, sim, é roubar com competência! Para ele toda a cúpula do PMDB perde de 3 a 1.

Paulo Sérgio Arisi paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre

*

CONFISSÃO

Engraçado, ninguém está considerando os eventuais crimes cometidos por Michel Temer, mas a tragédia que seria a delação de Geddel Vieira Lima. Para mim, é pura confissão.

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

REINO BRASILIS

Definitivamente, há algo de podre no reino Brasilis, onde o chefe da Nação é acusado de ser o chefão do "quadrilhão" do PMDB. A que ponto chegamos!

J. S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

*

MEDROSOS

Geddel Vieira Lima está "se borrando" por estar enjaulado junto com seus "colegas criminosos". Por outro lado, o governo federal está também "se borrando" com uma possível delação premiada do ex-ministro. Se toda essa história vier à tona, Geddel levará vantagem, pois, com R$ 51 milhões em "cash", terá mais condições de "comprar" sua proteção na prisão. Já no Planalto essa hipótese está descartada!

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

O PAÍS QUER ERRAR DE NOVO

Este jornal diz estranhar a liderança de Lula nas pesquisas de intenção de voto para a Presidência da República em 2018. A resposta é muito simples: num país com um nível de cultura tão baixo, não poderia ser diferente. Fôssemos um país com um mínimo de cultura, além de não estar na pesquisa, ele nem sequer sairia candidato. 

Laert Pinto Barbosa  laert_barbosa@globo.com

São Paulo

*

PESQUISAS ELEITORAIS - QUEM LIGA?

São cômicas as pesquisas eleitorais que institutos têm apresentado e jornais têm publicado. Ganhou a última um candidato que está com vários processos em sua cabeça, já é réu e que muito poucos apostam que vá poder entrar na disputa e, ainda, vencer. Outros colocados são ainda insignificantes politicamente. A questão é que há vários candidatos com força política e que vão alterar o quadro eleitoral. O que nas pesquisas está ganhando é o que tem menor chance de poder candidatar-se ou vencer. Os pesquisados, aparentemente, dão uma resposta qualquer. Mas a aparência real é de que os institutos ganham de interessados para fazer essas pesquisas. 

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br

São Paulo

*

NADA MUDOU

Mesmo com o PT estando veiculando propaganda repassando responsabilidade ao presidente Temer por todas as agruras por que passa o País; mesmo com a tal carreata percorrendo o Nordeste, dizendo-se o "salvador da Pátria", nas últimas pesquisas Lula continua com os mesmos 30% de intenções de voto para 2018. Quer dizer que, mesmo com a delação do seu ex-ministro do coração, Antonio Palocci, que vem expondo o lado corrupto do ex-presidente, os "militontos" continuam os mesmos. Além dos tais "intelectuais verdes", que não enxergam além do próprio umbigo, e os ignorantes que acreditam no discurso populista. Triste ver que 30% do povo ainda dorme, mesmo com uma mídia alerta divulgando tudo o que ficou escondido durante 13 anos. Muito triste!

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

A CONTA DAS BRAVATAS

Há momentos em que sinto que avançamos tanto em tecnologia e em informações em tempo real que chega a causar náuseas que o eterno candidato Lula esteja andando pelo Nordeste contando mentiras e iludindo as pobres pessoas que ainda acreditam em suas bravatas. Quem não se lembra de Dilma e Lula prometendo que os cidadãos iriam comer cinco vezes ao dia, que outro candidato tiraria comida do prato desses mesmos crédulos, que não fazem um esforço para ver o quanto foram enganados nestes anos de governo do PT? Lula se vangloria de ter dado comida, emprego, casa e tantos benefícios ao povo, mas se esquece de dizer qual era a mágica para tantos milagres. Roubava a Petrobrás, o Banco do Brasil, a Caixa Econômica Federal, os fundos de pensões dos trabalhadores, o BNDES. E, como na vida nada é para sempre, a conta chegou. A mesma população que acreditou nas mentiras do mártir está hoje sem emprego, sem moradia, sem comida, sem saúde, sem segurança. E por culpa de quem? De Lula e sua trupe, que montaram um esquema de poder e jamais pensaram em cair. Uma coisa é preciso notar: Lula está prometendo tudo a todos, mas na hora de prestar contas à Justiça não se lembra de nada e põe a culpa na falecida esposa, como vem fazendo sistematicamente. É muita desfaçatez! Este senhor está desacreditado, é um retirante que rasgou sua biografia, mas como valorizá-la se nem ao menos gosta de ler? 

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

PELO FORO PRIVILEGIADO

Lula, que já é réu condenado em um dos vários processos em andamento na Lava Jato, deseja ser candidato a presidente em outubro do ano que vem. Certamente, ele é a favor do famigerado foro privilegiado, que protege corruptos do poder. Todo político tem a obrigação de trabalhar pelo País, pelo povo, pela diminuição da desigualdade social. Para isso eles são eleitos, mas, se ocorrem desvios de caráter envolvendo o poder, ou verbas públicas, devem também ser obrigados a responder nas barras da lei pelos atos falhos e errôneos diante de seus governos.

 

Célio Borba borba.celio@bol.com.br

Curitiba

*

OLHO NO OLHO

Lula, ao final do depoimento no processo que apura propinas da Odebrecht, há poucos dias, indagou o juiz Sérgio Moro se, durante o almoço em família no qual se reunirá com oito netos, poderá encará-los e afirmar que foi interrogado por um juiz imparcial. Moro, evidentemente, não embarcou na armadilha e se recusou a responder, declarando não ser atribuição sua formular tal avaliação. Ao contrário, no entanto, pelo que dele se conhece, o ex-presidente continuará a encarar o povo brasileiro, olho no olho, seus netos incluídos, e, mesmo condenado a nove anos e meio e réu em sete inquéritos, insistirá em que não há cidadão mais honesto do que ele neste país, que nunca mentiu, que jamais tratou de questões de dinheiro com empresários e que Palocci, um dia seu braço direito, fantasiou em juízo.

Paulo Roberto Gotaç prgotac@hotmail.com 

Rio de Janeiro

*

PERTURBAÇÃO

Desconfio de que Lula esteja caducando. Anda mentalmente perturbado com a Lava Jato. Não tem falado coisa com coisa.

Devanir Amâncio devaniramancio@hotmail.com

São Paulo

*

ELEMENTAR

Tive o desprazer de assistir ao depoimento de Lula ao juiz Sergio Moro há alguns dias. No meio de um monte de sandices, percebi que Lula não sabe ou finge não saber de algumas coisas elementares. Primeira: justiça e eleição são coisas diferentes, ou seja, a eleição de um criminoso não o absolve de seus crimes. Viu, Lula? O sr. foi eleito, não foi absolvido. Segunda: a inexistência de um documento comprovante da propriedade do triplex do Guarujá e do sítio de Atibaia em seu nome não significa que os imóveis não sejam seus. Lula pode não ser o proprietário de direito, mas ser o proprietário de fato. Daí a necessidade de um processo longo e cansativo para demonstrar quem é o verdadeiro "dono" dos imóveis. Se houvesse títulos de propriedade desses imóveis em seu nome, não haveria necessidade de qualquer processo no Judiciário. Não é, Lula? E desconfio de que o ex-presidente saiba disso muito bem.

Ronaldo Gabeira Ferreira rgabeira@terra.com.br

Rio de Janeiro

*

BANHO DE DINHEIRO

Além dos montantes embolsados e coisas maiores, os repasses periódicos de dinheiro de Palocci a Lula da Silva, com somas de R$ 30 mil a R$ 50 mil, provenientes da Odebrecht, o homem "mais honesto" do Brasil demonstra que adora tomar banhos de dinheiro e as vantagens advindas da corrupção. Este cara de pau deveria envergonhar-se do que fez e esquecer de tentar governar o Brasil novamente. O seu lugar é na cadeia, sentado e a ver o sol nascer quadrado, banhando a sua insignificância cultural e sua grandeza em desonestidade.

José C. de Carvalho Carneiro carneiro.jcc@uol.com.br

Rio Claro

*

DINHEIRO VIVO

Será que o ex-grande "cumpanheiro" Antonio Palocci tem como provar que entregou dinheiro vivo para o extraordinário ex-presidente Lula? Do contrário, prevalecerá a garganta profunda do delinquente-mor do Brasil.

José Roberto Iglesias rzeiglezias@gmail.com

São Paulo

*

TIRO CERTEIRO

O potente míssil disparado por Palocci não fará Lula sobrevoar o Japão. O alvo é mais próximo e muito mais agudo: o Complexo Penitenciário da Papuda.

Luís Lago luis_lago1990@outlook.com

São Paulo

*

POLÍTICA PARTIDÁRIA

Para a senadora Gleisi Hoffmann, o ex-ministro Antonio Palocci "quebrou o decoro". Para o cidadão, os lulopetistas quebraram o País. 

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

A EXPULSÃO DE PALOCCI

Já que o PT vai fazer uma reunião para decidir a expulsão de Antonio Palocci, deveria aproveitar para expulsar também Lula, pois é réu em muitos processos e certamente passará uma boa parte de seus dias em companhia de José Dirceu, que está sendo condenado a 40 anos de prisão por todos os crimes que cometeu. E nem estamos falando, ainda, dos assassinatos dos prefeitos de Santo André e de Campinas, que nenhum procurador teve a coragem de investigar.

Aldo Bertolucci aldobertolucci@gmail.com

São Paulo

*

E RENAN?

Dilma já foi; Cunha está preso; Lula, condenado; outros tantos políticos, com tornozeleiras, disfrutando de todo o conforto nas mansões adquiridas com dinheiro surrupiado dos cofres públicos. E Renan Calheiros, com mais de uma dezena de processos na Justiça, livre, leve e solto? Brasil, o país da injustiça!

José Carlos Alves jcalves@jcalves.net

São Paulo

*

GREVE NOS CORREIOS

Este papo de que ninguém mais escreve cartas, de que as pessoas perderam o hábito do uso da carta, é puro papo furado, já estão pensando em desvalorizar a privatização dos correios. Não se escrevem mais cartas, muito bem, mas paga-se tudo, ou quase tudo, por meio de boletos que são enviados pelos Correios. Não entendi aonde o ministro Moreira Franco estava querendo chegar quando tentou  desvalorizar os Correios. Será que ele participará da intermediação da venda da empresa? Acho bom ficar de olho nele.

Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@uol.com.br

São Paulo

*

NOVO MUNDO

Quem depende dos serviços dos Correios sabe o quanto custa caro um Sedex ou mesmo um PAC. Se um determinado produto que custa R$ 500 for despachado para a Bahia, com o seu envio ele passará dos R$ 600 reais, com certeza. Encarece e trava a venda online (site, chat, WhatsApp, etc.). Produtos caros demais para novos tempos, novas vendas. Que seja privatizada essa empresa e que se abra mais espaço para que empresas como a Amazon possam contribuir e atuar no mercado de postagem. E que o preço caia neste novo mundo. Um mundo rápido, moderno e digital.

Leandro Ferreira leandroferreoradasolva@gmail.com

Guarulhos

*

ESTADO INEFICIENTE

Muito boa a entrevista com o ministro da Cultura, Sergio Sá Leitão, na coluna da jornalista Sonia Racy no "Caderno 2" de 20/9 ("'Modelo 100% estatal na cultura está falido'"). Além de coerente, o ministro faz colocações necessárias. O modelo estatal está falido não só na área cultural, como também em todas as empresas que hoje são controladas pelo Estado. Sabemos que todas as estatais têm uma estrutura inchada, funciona como cabide de emprego, provocando ineficiência e perdas milionárias aos cofres públicos. É muito importante que se repita que a falta de dinheiro para investimentos "tem que ver com o fato de que o governo anterior nos legou o maior déficit público da história".

Cleo Aidar cleoaidar@hotmail.com

São Paulo

*

HORÁRIO DE VERÃO

Com a chegada da primavera aparece no horizonte a ameaça da tortura que se aproxima: o horário de verão. Não é crível que após tantos anos de implantação dessa prática inócua e com resultados pífios o governo insista em continuar a judiar dos idosos e cidadãos em geral, já que ocorrem distúrbios físicos na alteração de seus relógios biológicos. Trata-se de uma sensação parecida com uma viagem a algum país estrangeiro com diferença de vários fusos horários. Sente-se sono em horário de trabalho e energia em momento de repouso. É um inferno! Com tantos impostos e tantas despesas que o cidadão é obrigado a pagar, não acredito que ele vá reclamar com mais um pequeno custo para obter o conforto de poder ter seu tempo em consonância com a luz solar e com o movimento de translação do planeta em que vive.

 

Mário Negrão Borgonovi marionegrao.borgonovi@gmail.com

Rio de Janeiro 

*

ATRASO

Mais uma vez entre todos os países o mundo o Brasil vai dar uma demonstração de atraso. Certamente, a partir do próximo mês vamos atrasar a hora no nosso horário. Prejuízo para 2/3 da população brasileira, que vai perder 1 hora do clima mais ameno - pela manhã, principalmente para os lavradores, e ficar mais tempo sufocado pelo horário de temperatura mais elevado no fim da tarde. Conversa de economia de energia é papo furado.

José Luiz Tedesco tedescoporto@hotmail.com

Presidente Epitácio 

*

PAÍS TROPICAL

Como sempre macaquinhos de imitação, na nossa República das Bananas, optam pelo horário de verão copiando os países menos ensolarados. Já temos um sol "de rachar o bico", e ainda querem nos matar com este tal de horário de verão! Bem fazem os baianos, que não caem nessa lorota. São autênticos e sabedores de que o Brasil é um país tropical e não necessita desta aberração de horário de verão.

Martha De Gennaro marthadg@uol.com.br

São Paulo

*

ABERRAÇÕES LEGAIS

Esta instituição do horário de verão equivale em sua estultice à recente obrigação de trafegar com os faróis acesos nas rodovias. Não há qualquer utilidade em ser ofuscado de dia pelos faróis acesos de veículos em sentido contrário, destacando-se o exemplo extremo da inutilidade numa rodovia com duas pistas separadas por um canteiro central. Por outro lado, num aglomerado de luzes, perdem-se os faróis acesos das motocicletas que, de difícil percepção e muito ágeis, cortando pela direita e pela esquerda, precisam se fazer notar pelos faróis acesos. 

Ottfried Kelbert okelbert@outlook.com

Capão Bonito

*

QUESTÃO DE SAÚDE 

O presidente Michel Temer tem nas mãos a decisão de acabar com o ultrapassado e ineficiente horário de verão, que comprovadamente não cumpre com sua finalidade de economizar energia elétrica. Todos os brasileiros sentem os transtornos biológicos, rotineiros e físicos com a mudança de horário, principalmente a diminuição da produtividade no trabalho e do rendimento dos alunos nas escolas. Diversas pesquisas comprovam que a maioria da população desaprova o horário de verão, enquanto estudos demonstram que essa medida é ineficiente para economizar energia elétrica, porquanto o uso de ar-condicionado tornou-se o grande vilão do consumo. Cabe ressaltar que atualmente as casas usam lâmpadas led e painéis solares para o aquecimento da água, invalidando a justificativa de que a maior duração do dia serviria para economizar energia elétrica. Acredito que o governo e a população desconheçam o estudo demonstrando que a alteração abrupta no relógio biológico dos cidadãos afetados pela medida eleva em até 8,5% a incidência de infartos, segundo estudo do professor Weily Toro Machado, da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat), publicado em 2015. Ciente dessa consequência mortal, creio que até mesmo o defensor mais fervoroso desse famigerado horário de verão mudará de ideia.

Daniel Marques danielmarquesvgp@gmail.com

Virginópolis (MG)

*

MEDIDA INÓCUA

Tomara que o governo acabe, mesmo, com o horário de verão. Não serve para nada e é uma violência contra as pessoas, que têm seu relógio biológico afetado por uma medida inócua, de conteúdo duvidoso. Assim como o "mimimi" da Amazônia, os contrários ao governo Temer vão se manifestar contra essa boa ideia só para aparecer na mídia. 

Reinner C. de Oliveira reinnercarlos1970@gmail.com

Araçatuba

*

HORA ROUBADA

Quando avanço o ponteiro do relógio em uma hora, sinto que me estão roubando essa hora. E as consequências dessa hora roubada se apresentam ao longo dos meses... Estou cansado de ser roubado!   

 

Eduardo Britto britto@znnalinha.com.br

São Paulo

*

O REFERENDO DA CATALUNHA

Após a transição democrática ocorrida em meados da década de 1970, o pluralismo interno da sociedade espanhola foi respeitado com a aprovação do Estatuto das Autonomias, que agrupa as 50 províncias em 17 regiões autônomas. As deficiências do sistema e os episódios de recentralização, pelo governo central, causam insatisfação na sociedade catalã. O diálogo e a negociação não ocorrem por causa das posições extremadas: manutenção do "status quo" versus a independência da região. Nenhum dos lados discute novos horizontes de autogoverno, definir e melhorar as competência da "Generalitat" (governo da Catalunha), ampliar financiamentos e investimentos estruturais, criar o estatuto da língua catalã nas universidades e outras instituições do Estado, dar maior visibilidade à cultura e implantar uma reforma constitucional com a introdução do federalismo, que é melhor do que a ruptura com a Espanha.

Luiz Roberto Da Costa Jr. lrcostajr@uol.com.br

Campinas

*

A CHINA CAPITALISTA

No passado, quando a China era comunista, havia a justificativa (ideológica) para o seu apoio à Coreia do Norte. Como a China é, atualmente, capitalista, a sua justificativa (também, ideológica) seria a de apoiar a Coreia do Sul. Mas a China continua apoiando a Coreia do Norte. Qual é a explicação? A explicação é que a Coreia do Norte continue fazendo o que a China não pode mais fazer, pois, se a China o fizer, será retirada do capitalismo global.

Ney José Pereira neyjosepereira@yahoo.com.br

São Paulo

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.