Fórum dos Leitores

.

O Estado de S.Paulo

02 Dezembro 2017 | 03h08

CLASSE MÉDIA

Lá e cá

“...É porque eu odeio a classe média! A classe média é o atraso de vida, a classe média é a estupidez; é o que tem de reacionário, conservador, ignorante, petulante, arrogante, terrorista... É uma coisa fora do comum a classe média” – palavras textuais proferidas em 2013 pela filósofa e professora da USP Marilena Chaui, petista de quatro costados. A pregação da lente foi dirigida a um público que a recebeu com gritinhos de aprovação típicos dos dirigidos a estrelas do mundo pop e que tinha como espectador privilegiado o hoje heptarréu Lula da Silva, que de perto a aplaudiu, sorridente, concordando com aquela boçalidade. Veio-me à lembrança esse episódio grotesco ao ler o editorial A classe média no mundo e aqui (29/11, A3), no qual o Estado expõe o crescimento “sem precedentes” desse segmento, em particular nos países emergentes, como a China e a Índia. Até 2024 estima-se em 4 bilhões o número de pessoas no mundo a desfrutar essa “estupidez arrogante” e se prevê que em 2030 o mercado global da classe média atinja a bagatela de US$ 64 trilhões (!), materializando-se assim um salto nunca antes visto na História deste planeta (valeu, Lula!) no quesito qualidade de vida. Aduziria que está ocorrendo, paralelamente, uma redução (também sem precedentes) das pessoas que estão situadas abaixo da linha de pobreza, igualmente por conta da globalização e do abandono do credo marxista até mesmo por países como a China comunista. Mas tal progresso, adverte o editorial do Estadão, estará concentrado em outros quadrantes do globo, não no Brasil – país que segue sendo presa de um marxismo reacionário, estúpido e terrorista, o qual, malgrado todos os estragos que já causou à Pátria amada mãe gentil, segue firme e forte, trazendo aos pobres mais e mais companhia e produzindo miséria e estagnação. Mas sejamos otimistas. Quem sabe, dia desses, cai a ficha dos dinossauros amantes de Cuba e Venezuela, saudosos dos gulags e dos bons tempos do Muro de Berlim...?

SILVIO NATAL

silvionatal49@gmail.com

São Paulo

Troféu jararaca

Trata-se de premiação atribuída aos autores de inusitadas falácias para impressionar crédulos. Exemplo: conhecido apedeuta que não se cansa de propalar que em seu governo houve uma distribuição de renda tal que permitiu a saída da pobreza de milhões de desfavorecidos e, por isso, ele precisa voltar ao poder, para que o País volte a dar certo. Só em estado permanente de “work alcoholic” alguém pode ver na herança de 14 milhões de desempregados, além de milhões de dependentes de Bolsa Família e outros penduricalhos, uma distribuição de renda geradora de ascensão social.

ARLETE PACHECO

arlpach@uol.com.br

Itanhaém

Atraso

O excelente editorial A classe média no mundo e aqui deveria ser de conhecimento de todos os petistas e dos incautos que ainda votam no PT. O atraso econômico e social do Brasil deve-se principalmente aos governos petistas. Toda gente deveria saber qual o resultado dos governos esquerdistas.

MÁRIO RUBENS COSTA

costamar31@terra.com.br

Campinas

LULOPETISMO

Em Vitória

Lula está atrasado dez anos. Se o ex-presidente vem ao Espírito Santo para a inauguração do aeroporto em Vitória, foi enganado. A inauguração, prevista para dezembro de 2017, foi adiada para março de 2018. O fato é que em 2005 o então presidente Lula da Silva alardeou que retornaria em 2007 para a inauguração, mas a corrupção paralisou as obras. Curioso é que, mesmo sem o aeroporto para mais alavancar o Estado, o Espírito Santo vai bem, enquanto o restante do Brasil vai mal.

HUMBERTO SCHUWARTZ SOARES

hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES)

Caravana no Rio

O PT quer relembrar ao povo do Rio de Janeiro “os tempos áureos nos governos Lula e Dilma” para angariar votos, lembrando assim a cara de pau do assassino de pai e mãe que pede clemência por ser órfão. O Rio só faliu tão miseravelmente por ter contado com o pleno patrocínio dos dois ex-presidentes petistas a todos os desmandos do então governador Sérgio Cabral e sua quadrilha. Hipocrisia é uma coisa, mas essa caravana insulta a memória e a inteligência de um Estado inteiro.

ALBERTO DWEK

aldwek@gmail.com

São Paulo

Tratamento diferenciado

O povo está preocupado e não entende o tratamento diferenciado dado a Sérgio Cabral e Anthony Garotinho, que estão presos por corrupção, e por que Lula continua “livre, leve e solto”, perambulando pelo País em franca campanha eleitoral antecipada. Afinal, como a presidente do STF, Carmen Lúcia, disse, “todos são iguais perante a lei”. Isso não se aplica a Lula?

JÚLIO ROBERTO AYRES BRISOLA

jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

Celso Daniel

Lula da Silva deverá ser preso por envolvimento na morte de Celso Daniel, segundo a deputada federal Mara Gabrilli (PSDB-SP). Em recente entrevista, a deputada afirmou que Marcos Valério, o carequinha do mensalão, possui provas que incriminam o homem mais “honesto” do País.

J. A. MULLER

josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré

USP

Janaina Paschoal

A reportagem USP ignora impeachment em recurso de Janaina (30/11) mostra o distanciamento da realidade de muitos professores em suas “torres de marfim”, além da infecção generalizada da academia por esquerdismo renitente. Independentemente dos méritos da professora Janaina Paschoal, sua ação no impeachment de Dilma Rousseff teve profunda influência nos destinos do País, o que os membros de sua banca examinadora jamais farão na vida. A inveja sempre será um dos piores defeitos da natureza humana, principalmente por ela poder manifestar-se não explicitamente, além da satisfação dos instintos de vingança ideológica.

ULF HERMANN MONDL

hermannxx@yahoo.com.br

São José (SC)

Gratidão

Independentemente da querela com a banca examinadora que a reprovou em concurso para professora titular da USP, o Brasil tem uma imensa dívida de gratidão com a dra. Janaina Paschoal, por ter sido a autora do processo que culminou com o impeachment de Dilma.

ROBERTO TWIASCHOR

rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

“E agora, será que vão pedir o ‘impeachment’ dela?”

ROBERT HALLER / SÃO PAULO, SOBRE O PROCESSO CONTRA JANAINA PASCHOAL POR DIFAMAÇÃO NO TWITTER

robelisa1@terra.com.br

“‘O povo brasileiro anda cansado de tanta corrupção, de tanto desgoverno e de tanta incompetência’, palavras de Mário Covas no Senado, em 1989. O que mudou no País quase 30 anos depois?”

J. S. DECOL / SÃO PAULO, SOBRE O ‘PAÍS DO FUTURO’ QUE NÃO CHEGA

decoljs@gmail.com

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

A MARRENTA REFORMA PREVIDENCIÁRIA

Foi suspensa, por ordem judicial, a campanha que o governo Temer veiculava no rádio e na TV dizendo que a reforma da Previdência combate privilégios supostamente auferidos pelos servidores públicos de maiores salários. A classe conseguiu uma liminar e tirou o material do ar, dizendo-se ofendida e argumentando que as peças não esclarecem as afirmações que faz. Depois de safar-se das duas denúncias que poderiam tê-lo afastado do poder, o presidente Michel Temer volta-se obstinadamente para a reforma da Previdência. Além da campanha midiática, faz corpo a corpo com parlamentares. Mas o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, seu aliado, adverte que faltam muitas adesões para conseguir os 308 votos necessários. Reformar a Previdência Social é uma extensa e trabalhosa tarefa. Não bastará uma simples lei negociada com o Congresso. Se conseguir entregar o governo ao seu sucessor com a economia recolocada "nos trilhos", conforme ele próprio insiste, Michel Temer já terá feito a sua tarefa e até se redimido de ter apoiado e participado do governo anterior, que nos levou à bancarrota. E a reforma da Previdência poderá ser obra do próximo governo. Mas não pode ser simplesmente decretada. Tem de ser resultado de ampla discussão nacional, já que mexe com todos os brasileiros e promove alterações em direitos adquiridos. Não é obra para um governo-tampão.

 

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

*

TUDO ERRADO

"Justiça alerta para 'manipulação' da opinião pública e suspende campanha da Reforma da Previdência" ("Estadão", 30/11). Desde quando uma juíza pode tomar medidas políticas para proibir o governo de esclarecer a população sobre a reforma da Previdência? Estamos em plena confusão nas atribuições dos Três Poderes! 

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

QUEM OBEDECE À JUSTIÇA?

Eu assisti na TV à notícia da proibição judicial de exibição da propaganda da reforma previdenciária do governo federal, em primeiro lugar, no programa "Fala Brasil", da TV Record. A notícia afirmava que o governo já sabia e que o Ministério da Justiça iria recorrer. No intervalo comercial que se seguiu, assisti à maldita e onerosa propaganda contra o povo e a favor da nefasta reforma da Previdência. Logo em seguida, veio a propaganda com a imagem de Paulo Skaf, que também está proibido pela Justiça de fazer propaganda eleitoral antecipada.

Luiz Pegorer eng.pegorer@gmail.com

Santos

*

IMPOSIÇÃO DO GOVERNO

A decisão judicial proibindo a propaganda governamental sobre o projeto de reforma da Previdência é muito sugestiva. Conforme manifestação da juíza que julgou uma liminar apresentada por uma associação de auditores da Receita, a opinião pública não pode ser manipulada em relação a um tema tão relevante. É mais uma demonstração da forma irregular de atuação de um governo que prima pela atuação fundamentada em imposições de medidas que atendem a determinados interesses, sem levar em consideração as opiniões contrárias.

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos

*

TÍMIDA REFORMA

Ao que tudo indica, o governo enfraquecido de Michel Temer não vai conseguir aprovar a reforma da Previdência este ano, e, mesmo que consiga aprová-la em 2018, será uma reforma aguada pelas concessões políticas em ano eleitoral. Se a elite brasileira tivesse apoiado a investigação sobre o presidente, provavelmente teríamos Rodrigo Maia na Presidência e uma reforma robusta já teria sido aprovada. Porém, mais uma vez, a elite brasileira, incluindo o chamado "mercado" e, na imprensa, "Estadão" e "Folha", resolveu apoiar o fisiologismo, aderir ao "rouba, mas faz", compactuar com a corrupção, fechar os olhos aos indícios mais que evidentes apresentados pela Procuradoria-Geral da República. Tudo em prol de uma tímida recuperação econômica e de uma estabilidade política com o governo mais impopular da história. Deu no que deu. O Brasil continua derrapando e correndo o sério risco de, no ano que vem, termos um segundo turno entre Lula e Bolsonaro.

 

Gilberto Gomes ggomes.ggomes@gmail.com

Rio de Janeiro

*

A QUESTÃO É ALIMENTAR BRASÍLIA

Dinheiro para barrar denúncias Temer tinha. Para aprovar a reforma da Previdência, infelizmente, não sobrou. Bem feito para este povo ingrato, é o que dá deixar Brasília passar à míngua! 

Jorge Alberto Nurkin jorge.nurkin@gmail.com

São Paulo

*

COM ISSO QUE ESTÁ AÍ?

Com esta politicalha corrupta que todos os dias estampa os jornais com falcatruas, roubos e maracutaias, não há nenhuma esperança para o Brasil, pois ela só se preocupa com ela própria. Votar as reformas necessárias para o País, nem pensar. Não quer ficar "mal na fita" nas futuras eleições. Por outro lado, deveria saber que todos já estão na mira do povo e não será a reforma da Previdência que irá garantir os cargos atuais. Portanto, disto que está aí não se espera nada, a não ser que haja uma profunda mudança no Congresso Nacional, não só de pessoas, mas, principalmente, de probidade ética. Muda, Brasil! 

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

 

*

BANQUEIROS

Sobre o editorial "Para que servem os partidos?" ("Estadão", 1/12, A3), na forma como é hoje, os partidos servem para atender aos interesses dos banqueiros, que são os atuais pajés dos governos, não só do Brasil - aqui apenas vemos o restinho do que acontece no mundo. São os banqueiros que escolhem, através do dinheiro, os políticos em quem o povo idiota vota. Sem dinheiro, não há corrupção, não há tráfico, não há drogas, etc., tanto quanto não há empresas, igrejas, hospitais, etc., etc. E quem controla o dinheiro no mundo são os banqueiros. Só imbecis pagos pelos banqueiros não enxergam isso! 

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

                                          

*

IMAGEM

Para que servem os partidos? Reação imediata e geral: Para roubar!

Ottfried Kelbert okelbert@outlook.com

Capão Bonito 

*

TUCANOS DESAFINAM

Se aqueles que nunca acreditaram no PT, de Lula, que dizia que chegando ao poder iria construir um País melhor, provaram que tinham razão, no caso do PSDB, de bons governos estaduais, eficiente gestão federal nos oito anos de FHC e com os melhores especialistas em macroeconomia engajados no partido, muitos esperavam que essa trajetória de boa imagem prosseguiria por muito tempo. Infelizmente, não é este o quadro a que assistimos. Editorial do "Estadão" de quinta-feira, com o sugestivo título "O samba do tucano doido" (30/11, A3), descreve bem o esfacelamento do partido. Hoje, o PSDB está dividido por alas radicais sem vocação pelos princípios que nortearam a sigla desde sua fundação e também pela onda de vaidades e indefinições de sua cúpula, que levam o partido a perder seu rumo.  O mesmo PSDB, que tem um histórico importante de privatizações, concessões, etc. - ou seja, a favor do livre mercado, como bem lembra o jornal -, teve a pachorra de incluir no programa partidário recém-apresentado que o Estado deve ser o "indutor do crescimento", assim como fizeram Lula e Dilma - e deu no que deu... E, neste "samba do tucano doido", em que o partido ora está dentro do governo, ora fora, a decepção vem com a falta de coragem do partido de abraçar a causa da reforma da Previdência. Um escândalo! E, ainda, os tucanos tiveram a petulância de querer negociar com o Planalto, em troca de apoio à reforma inadiável, algumas concessões, como manter privilégios para aposentados do serviço público que ganham em média o triplo dos aposentados do setor privado. Será que o PSDB assumiu o papel do PT? 

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

PMDB E PSDB

Em pouco mais de um ano o governo Temer fez concessões generosas aos setores de agronegócios, bancos e empresas estrangeiras. A recente aprovação pelo Congresso da Medida Provisória 795/2017 põe em risco a existência da Petrobrás e da engenharia nacional ao conceder isenção de impostos às petrolíferas estrangeiras. Este governo consegue ser na prática muito mais liberal do que o discurso do PSDB e, como era de esperar, quem vai pagar essa conta são os trabalhadores e aposentados. 

 

Marcos Abrão m.abrao@terra.com.br

São Paulo

*

PARTIDO AO MEIO

E o PSDB acabou virando um partido partido ao meio. Se não se unir nas próximas eleições, de 2018, correrá o sério e iminente risco de virar a debochada sigla de Partido Sempre Dividido do Brasil. É preciso deixar as vaidades e as diferenças adjetivas de lado e procurar amalgamar e unir os objetivos substantivos para a refundação da República e a construção de um novo Brasil. O partido tucano não pode prosseguir em cima do muro, depenando-se até a carne. Basta! Muda, PSDB!

J. S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

*

REFIS OU SUFIS?

A manchete de 29/11 do "Estado" revelava que "Governo calcula perdas de R$ 7,8 bi com o novo Refis". Este programa de parcelamento de dívidas tributárias passou a ser um saco sem fundo altamente prejudicial ao Brasil, que só serve para beneficiar os inadimplentes. E a razão é fácil de deduzir. O governo gasta muito e gasta mal, tendo de cobrar de todos impostos pesados - sendo a nossa uma das mais altas cargas tributárias do mundo! As empresas de cujos impostos o governo depende e que empregam muitos sentem o peso, deixam de pagar e ameaçam fechar, causando desemprego. O governo cede, negocia com o parcelamento de dívidas e, muitas vezes, a redução ou o perdão de multas. Criou-se um problema crescente: o governo sofre, os espertos se aproveitam, os que pagam em dia se sentem "trouxas" e são levados a se tornarem inadimplentes para ter os benefícios do parcelamento e redução de multas. O governo, assim, é forçado a aumentar mais os impostos. A solução só poderá vir com as seguintes medidas: a redução drástica dos gastos do governo, com mais eficiência e transparência; a redução a um mínimo conservador o peso de taxas e impostos; mostrar em obras de infraestrutura um retorno altamente benéfico às empresas, pelos impostos que pagam, deixando claro a todos que não haverá mais Refis, e as multas por atraso ou não pagamento serão para valer. Do jeito que este programa está andando, logo não será mais Refis - uma renúncia fiscal, mas "Sufis", um suicídio fiscal. Quem sobeviver verá!

 

Silvano Corrêa scorrea@uol.com.br

São Paulo

    

*

METÁSTASE

Há pouco mais de um mês o juiz da Operação Lava Jato no Rio de Janeiro, Marcelo Bretas, ante tantos escândalos de corrupção e altas autoridades presas ou detidas, disse que a corrupção no Rio se assemelha a uma metástase. No Brasil, meretíssimo. O ex-governador de Alagoas Teotônio Vilela Filho (PSDB) está sendo investigado pelo recebimento de R$ 2 milhões em propina. É o filho, amanhã é o neto e por aí vai. Metástase, como disse o juiz. E é o único filho de político tradicional? Não, há muitos outros.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro 

*

'BOBÃO'

Teotônio "Bobão" (alcunha de Teotônio Vilela Filho na planilha da Odebrecht) pegou R$ 2 milhões em propinas, diz investigação. De "Bobão" este Teotônio não tem nada.

 

José Roberto Niero jrniero@yahoo.com.br

São Caetano do Sul 

*

A CARAVANA DE LULA

O ex-presidente Lula, depois de fazer um tour pelo Nordeste e por Minas Gerais, vai agora visitar o falido Estado do Rio de Janeiro, que está quebrado em todos os sentidos, graças a Garotinho, Sérgio Cabral e Luis Fernando Pezão, todos apoiados incondicionalmente pelos governos petistas de Lula e de Dilma. "Diga-me com quem andas e te direi quem és."

José A. Muller josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré

*

SOBRE ARREPENDIMENTOS

Luis Fernando Veríssimo, em sua crônica de 30/11, discorrendo sobre culpas, revelou que a sua foi votar em Jânio Quadros para presidente, ressalvando que foi arroubo de sua juventude. Já sobre seu apoio e talvez sufrágio a Lula e Dilma, integrantes da "quadrilha petista", sisso ele não se considera culpado, já em plena idade madura. Contradições?

Sergio Cortez cortez@lavoremoveis.com

São Paulo

*

CEGUEIRA

Acompanhando a entrevista recente da sra. Dilma Rousseff a um repórter português, em que ela definiu-se como uma "work alcooholic", fantasiando a seguir sobre protestos contra seu impeachment realizados por mulheres carregando flores em Brasília, ressaltando que o canteiro de flores do Palácio do Planalto foi  destruído para que ela não pudesse admirá-lo, a impressão que um psiquiatra teria é de que a "soi-disant work alcooholic" (na feliz expressão de (José Nêumanne) é portadora da Síndrome de Idiotia Amaurótica, ou seja, uma oligofrênica completamente cega sobre o que acontece a seu redor. Esse quadro clínico explica toda a sua trajetória política.

 

Moacyr Fucs e_scatolin@yahoo.com.br

São Paulo

*

DILMICES

Até quando vamos assistir e permitir que esta ignorante, com indícios de problemas mentais, fique zanzando pelo mundo dizendo besteiras sobre si e sobre o Brasil, tudo isso à nossa custa? Ministério Público (MP), não cabe algum tipo de ação pública para dar cabo dessa sandice? O MP abre processo por qualquer coisinha, mas neste caso escabroso parece que está cego, surdo e mudo.

Renato Pires repires49@gmail.com

Campinas

*

BATALHA DURÍSSIMA

A opinião pública está preocupada com a corrupção que está sendo demonstrada pela Lava Jato e seus desdobramentos, mas não percebe que a verdadeira herança maldita para este país foram o aparelhamento do governo que o PT fez nos seus mandatos e os aumentos irresponsáveis dos níveis salariais do funcionalismo público. Criou, assim, o maior adversário do reequilíbrio das contas públicas, que vai fazer o possível para que não consigamos nos libertar de sua ditadura. Será uma batalha duríssima.

Aldo Bertolucci aldobertolucci@gmail.com

São Paulo

*

ADMITIR

É uma palavra muito vaga, com várias interpretações, dentre elas supor ou aceitar como hipótese. O empresário Eike Batista poderia ajudar muito o Brasil, se dissesse a verdade sobre a doação de US$ 2,5 milhões ao PT. A principal causa de todas as mazelas (falta de investimentos, desemprego, violência, sucateamento de hospitais, escolas e dos órgãos da Segurança Pública, deficiência na infraestrutura, saneamento básico e moradias decentes, trabalho infantil para ajudar a renda familiar, entre outras) é, sem dúvidas, a corrupção. Pense nisso, nas futuras gerações e faça isso pelo Brasil, enquanto houver tempo!

Luiz Felipe Schittini fschittini@gmail.com

Rio de Janeiro 

*

CRIME DE RACISMO

O recente enquadramento criminal dos agressores da filha menor de atores conhecidos só foi possível graças a uma lei, apelidada de Carolina Dieckmann (Lei 12.735, de 2012), que alterou a Lei Afonso Arinos, Lei 7.716 de 1989, para incluir nela o inciso II do §3.° do art. 20, que determina "a cessação das respectivas transmissões radiofônicas, televisivas, eletrônicas ou da publicação por qualquer meio" do crime de racismo quando praticado no meio eletrônico. O autor da alteração foi o ex-senador e ex-deputado federal Eduardo Azeredo, que lutou até o fim do seu mandato para que a lei se tornasse realidade. Fica o registro.

José H. Santos Portugal jhportugal@terra.com.br

Belo Horizonte

*

CIDADÃOS ARMADOS

Muito se tem discutido sobre a concessão de porte de armas aos cidadãos civis brasileiros. Suponho que, com uma regulamentação bem planejada, não tem como não dar certo. Cada cidadão interessado terá de ser entrevistado por psicólogo competente e por  perito no uso de grande variedade de armas. E, ao contrário do que muita gente pensa, a quantidade de pessoas que vai se interessar por portar uma arma, ou registrar para apenas mantê-la em casa, vai ser muito reduzida. Os pretendentes ficarão obrigados a frequentar, por alguns meses, curso teórico/prático, ministrado por civis e militares com ampla experiência no uso de armas de fogo. Garanto que, quando a maioria dos aprendizes tomar conhecimento da complexidade do uso de uma arma de fogo, o perigo a que ela está sujeita ao usá-la, principalmente, se atirar em quem ela viu e matar ou aleijar quem ela não viu, vai ficar bem indecisa se vale a pena possuir uma arma. Nessas condições, só mesmo as pessoas mais responsáveis, mais corajosas e mais seguras se interessarão em possuir uma arma e portá-la, quando necessário. 

                                

Carlos A. Silveira silvercharles@uol.com.br

Boa Esperança (MG)

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.