Fórum dos Leitores

.

O Estado de S.Paulo

19 Dezembro 2017 | 03h14

BOLIVARIANISMO

Venezuelanos famintos

Chocante a reportagem sobre a fome na Venezuela (18/12, A10). Incompreensível também, já que o país é riquíssimo em recursos naturais, como petróleo, gás natural, ferro, bauxita, carvão, etc., tem grande território e clima favorável. Sua grande desgraça é justamente sua maior riqueza, o petróleo. O dinheiro abundante que dele provinha desestimulou a produção local de alimentos e outros bens básicos. A educação também foi negligenciada e a população, deixada na ignorância, elegeu essas figuras raras que são Hugo Chávez e Nicolás Maduro. O pior é que o chavismo criou diversos mecanismos no seio da população pobre, como milícias e outros movimentos, visando a se perpetuar no poder.

NESTOR R. PEREIRA FILHO

rodrigues-nestor@ig.com.br

São Paulo

Tragédia mais que anunciada

Infelizmente, não é surpresa a notícia estarrecedora do aumento violento da mortalidade infantil na Venezuela – consequência direta da crise econômica devastadora que assola o país presidido pelo bolivariano irresponsável Nicolás Maduro. Tragédia mais que anunciada. Será que o Partido dos Trabalhadores, na figura de sua presidente, Gleisi Hoffmann – apoiadora incondicional do regime venezuelano –, manifestará alguma indignação a esse respeito ou recorrerá à batida ladainha de que tal informação é falsa porque foi pesquisada e veiculada pelo New York Times, típico representante do “imperialismo norte-americano”? O mais provável é que, a exemplo de outras situações semelhantes, o PT permaneça mudo diante de tamanha calamidade.

LUCIANO HARARY

lharary@hotmail.com

São Paulo

Escapamos por pouco

As mutretas, os conluios e as safadezas que continuam a manchar nossa imagem republicana já extrapolaram os motivos para nossa indignação pessoal. Agora a reportagem sobre o agravamento da crise venezuelana nos leva a uma situação de inconformismo total com os problemas tristes da miséria na Venezuela, onde a fome impera nas camadas mais pobres da população. No caso atual, as crianças é que pagam pela falência do Estado, comandado por um déspota acalentado pelos esquerdopatas tupiniquins – professores e alunos universitários, ideólogos viúvos e viúvas do comunismo cubano e norte-coreano, pseudoartistas da mídia televisiva e outros avermelhados travestidos de compositores e cantores –, que não levantam uma palha para condenar as ações ditatoriais do governo venezuelano. Arrepia pensar que por pouco o nosso país poderia ter virado uma Venezuela.

ALOISIO ARRUDA DE LUCCA

aloisiodelucca@yahoo.com.br

Limeira

Lulodilmismo

A imagem de um bebê venezuelano sendo velado pela família é um retrato fiel de como funciona na prática o chavismo na Venezuela, onde o número de óbitos de crianças por inanição triplicou, chegando à semelhança do que se viu nos campos de concentração de Stalin e Hitler, segundo relato dos próprios médicos que atendem nos hospitais do país, onde os insumos hospitalares são escassos, levando boa parte dos menores lá internados a óbito. O descalabro autoritário e a falta de apreço pela vida no país vizinho é tal que os profissionais da saúde que atendem nas unidades hospitalares são ameaçados por emissários do ditador Maduro para que não revelem o número verdadeiro de mortes por inanição, conforme revelou pesquisa do jornal The New York Times. Em Caracas é normal ver pessoas disputando com cães os restos de alimentos em latas de lixo. O mal que o chavismo fez na Venezuela é semelhante ao que o lullodilmismo fez no Brasil, levando por aqui milhões de compatriotas ao desemprego e ao desespero, sem dinheiro para sobreviver. Em tempo: os advogados brasileiros Hélio Bicudo, Janaína Paschoal e Maristela Basso acusaram Nicolás Maduro no Tribunal Penal Internacional, denunciando a existência de uma ditadura sanguinolenta com a supressão de todos os Poderes, prevalecendo apenas o Executivo, aos moldes de Cuba. Já no Brasil, a Lava Jato fará justiça em breve, quando o TRF-4, se Deus quiser, confirmar a sentença dada a Lula em Curitiba, de mais de nove de anos de cadeia. Na Venezuela o lema é “pátria, socialismo ou morte”, no Brasil deve ser “pátria, liberdade e prisão para os ladrões”.

PAULO R. KHERLAKIAN

paulokherlakian@uol.com.br

São Paulo

CORRUPÇÃO

Declaração de guerra civil

Resolução aprovada pelo Diretório Nacional do PT diz, com todas as letras, que a eventualidade de a “candidatura Lula ser barrada pela Justiça” (caso o TRF-4 mantenha a condenação da Justiça de Curitiba por corrupção) pode levar à rebeldia popular e ao risco de desobediência civil diante da arbitrariedade do Judiciário”. Ademais, o partido chama seus militantes à mobilização, transformando os diretórios municipais em Comitês de Defesa da Democracia e de Lula “para enfrentar a agressividade da extrema direita”. Diante da anunciada declaração de guerra civil, convém alertar as Forças Armadas e as Polícias Civil e Militar, para que fiquem de prontidão a partir de 24 de janeiro de 2018. Vai que...

J. S. DECOL

decoljs@gmail.com

São Paulo

O pai da matéria

Foi de José Dirceu – o famigerado homem forte do PT, condenado por corrupção e circulando com tornozeleira eletrônica, aguardando para ver o sol nascer quadrado outra vez – que partiu a conclamação aos petistas para o dia da revolta, em 24 de janeiro, quando Lula será julgado em segunda instância.

J. A. MULLER

josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré

Subversão da ordem

A conclamação de Dirceu para transformar a data do julgamento de Lula em segunda instância em dia da revolta é uma tentativa de intimidar a Justiça, acenando com a possibilidade de um conflito civil. Em décadas não se ouviu nada tão grave assim. Quando os juízes discutiam o habeas corpus para Dirceu, surgiu a questão de se isso subverteria a ordem pública. Ora, ele mesmo acaba de dar a resposta.

JORGE A. NURKIN

jorge.nurkin@gmail.com

São Paulo

Dia da libertação

O condenado José Dirceu pode até conclamar os petistas para o tal dia de “fúria, revolta, indignação e até mesmo de ódio”. Mas o que o honesto povo brasileiro espera é que o julgamento no TRF-4 fique marcado como o dia em que a Nação se libertará de vez da tigrada petista e de seus comandantes, pela ruína imposta ao País. Muda, Brasil!

JÚLIO ROBERTO AYRES BRISOLA

jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

“Condenado Lula, ‘desobediência civil e rebeldia popular’?! Salvo engano, o PT tá botando muito gás na tubaína...”

A. FERNANDES / SÃO PAULO, SOBRE A CONVOCAÇÃO PARA O TAL DIA DA REVOLTA

standyball@hotmail.com

“O Lula e o PT precisam entender que a Justiça pode até ser cega, mas o povo não é”

VIDAL DOS SANTOS / GUARUJÁ, IDEM

vidal.santos@yahoo.com.br

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

DE VIRAR AS TRIPAS

Dois textos publicados no domingo (17/12) no "Estadão" são de dar azia em vidro de bicarbonato. Precisei lançar mão de um sal de fruta para aliviar a indisposição estomacal que me acometeu. O primeiro, um editorial, (A3) informa que existem 2 milhões de brasileiros vivendo abaixo da linha de pobreza (renda mensal menor do que R$ 230,00) e que no Maranhão existem famílias "vivendo" (sic) com apenas R$ 60,00 por mês. O segundo texto, "Reforma branda beneficiará 52% dos servidores federais", dá conta de que categorias de servidores (sic) federais (só os federais, vejam bem) pressionam os deputados para derrubarem a reforma da Previdência enquanto esta não for abrandada com uma alternativa "mais leve" pela qual os que ingressaram no "serviço" (sic) público até 2003 mantenham a aposentadoria integral - com o último salário da carreira. Com essa alternativa, 380 mil (trezentos e oitenta mil) "servidores" (sic) vão garantir o privilégio de receber acima de R$ 20 mil (vinte mil reais) mensais. Essa disparidade não é de virar as tripas de qualquer um? O pior é que a maioria dos deputados safados que pressionam o governo Temer para aceitar essa alternativa alegam razões eleitorais, dizendo temer não serem reeleitos em 2018 caso mais este privilégio não seja conseguido. São uns pulhas desavergonhados, porque o que a maioria deles na verdade está defendendo é a garantia deste privilégio para eles mesmos, já que também são servidores públicos há mais de 20 anos.

José Claudio Marmo Rizzo jcmrizzo@uol.com.br

São Paulo

*

DESIGUALDADE

O Banco Mundial mostrou, o IBGE ratificou e a mídia divulgou o quadro caótico de desigualdade de todas as matizes que vive o Brasil. Nossos dirigentes encastelados em todos os poderes deveriam enfiar a cara numa latrina e dar a descarga. O compadrio e os interesses escusos foram os fatores que levaram o País a essa situação. Vivemos o mais triste momento de nossa história e não vemos uma luz no fim do túnel. Na minha opinião, nem milagre nos livra deste quadro.

Paulo H. Coimbra de Oliveira ph.coimbraoliveira@gmail.com

Rio de Janeiro

*

MISSÃO IMPOSSÍVEL

Pelas páginas do "Estadão" (16/12, B4) fiquei sabendo que há, no Congresso Nacional, duas "frentes parlamentares em defesa do funcionalismo". Uma conta com 201 deputados e a outra, com 238 deputados. O número de "servidores" aposentados é da ordem de 1 milhão. Já os aposentados do INSS são 19 milhões. Com este cenário, fazer alguma justiça em benefício dos aposentados do INSS é uma missão impossível, pois não se sabe de frente alguma em favor desses párias da Previdência. E com esses números não há como alcançar os 308 votos indispensáveis para a aprovação da reforma da Previdência.

Mario Helvio Miotto mariohmiotto@gmail.com

Piracicaba

*

AQUI, EM PINDORAMA

As negociações em torno da aprovação da PEC da Previdência seguem conforme a rotina: é pagar ou largar! Que vergonha! A resposta virá das urnas.

Alexandru Solomon alex101243@gmail.com

São Paulo

*

PREVIDÊNCIA...

Pois é, do jeito que vai, se tudo correr nos conformes, a prometida e urgente reforma da Previdência será votada entre 30 de fevereiro e 32 de março de 2018...

J. S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

*

ADIAMENTO

Só esperemos que depois do carnaval não acabe tudo em samba. 

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo

*

O IMPEACHMENT POSITIVO

Michel Temer assumiu a Presidência da República em agosto de 2016. Naquele momento, 1/4 da população brasileira (52 milhões) era forçada a viver com menos de R$ 18,20 por dia. Com o surpreendente início da recuperação do emprego e o crescimento da renda real, 1,1 milhão de brasileiros conseguiu deixar a pobreza, conforme cálculos do economista Marcelo Neri, diretor do FGV Social. Parece pouco para um governo que tem 3% de popularidade, mas é muito diante dos mais de 13 anos do Partido dos Trabalhadores (PT), que tinha sua popularidade nas alturas e produziu uma economia catastrófica, levando o País ao caos e milhões ao desemprego. Para aqueles que criticam Michel Temer, eis um dado real: a renda do impeachment mostra que o Brasil está no caminho certo. 

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

A CAIXA DE PANDORA DE TEMER

Este país é mesmo surpreendente. Os preços do gás, da gasolina, de alimentos, energia elétrica, remédios, planos de saúde, etc. não param de subir, e a inflação fica em torno de 2,5%. A Previdência, que atinge o coração do trabalhador brasileiro e foi concebida para tentar melhorar a economia do País, é desfigurada para atender aos interesses dos servidores públicos dos Três Poderes, porque não se pode mexer no bolso dos poderosos, senão eles não votam a reforma. Enquanto isso, na ilha da fantasia do Planalto Central, nada muda. As negociatas continuam, o "toma lá dá cá" nunca esteve tão ativo e os conchavos criminosos, apesar de a Lava Jato e de outras tentativas de moralização do País serem perpetradas - parecem não incomodar os delinquentes contumazes. Este é o Brasil, um país arraigado numa teia criminosa, onde seus principais protagonistas tentam se safar de seus malfeitos propondo moralizações irreais e se submetendo a chantagens espúrias de cidadãos que ainda não entenderam que esta nação carece de mudança. Faltam, aqui, pulso firme, decisão radical e polícia para atuar onde a Justiça não consegue ou não quer alcançar.

Elias Skaf eskaf@hotmail.com

São Paulo

*

A PREÇO DE OURO

Venho acompanhando desde janeiro a evolução dos preços dos combustíveis e confesso que estou indignado com o que vem acontecendo. No caso da gasolina, já virou piada de boteco, pois quase diariamente o preço é majorado para cima, enquanto a inflação cai. Quanto ao gás de cozinha, este é uma piada pronta, enquanto a Petrobrás anunciou dia 5/12 um aumento de 8,9% no preço do gás vendido para distribuidoras, acumulando uma alta nos preços desde o início de junho de 68%. Entre janeiro e novembro deste ano, a estatal anunciou que o preço médio cobrado ao consumidor no País subiu 17,2%, passando de R$ 55,61 para R$ 65,19, segundo a Agência Nacional do Petróleo (ANP). A piada está justamente aí, pois na sexta-feira 8/12 paguei pelo gás de cozinha em São Caetano do Sul, no Bairro Osvaldo Cruz, R$ 94,00 pelo botijão de gás entregue na porta de casa. Gostaria de saber em São Paulo, onde o produto é vendido a R$ 65,19... Eu e milhares de pessoas esperamos resposta da ANP.

Turíbio Liberatto turibioliberatto@hotmail.com

São Caetano do Sul

*

BR DISTRIBUIDORA

A despeito do que foi alardeado e da aparente gestão responsável de Pedro Parente, a Petrobrás continua no seu jogo de engana com a opinião pública e na perseguição incessante de destruição de valor para seus acionistas. Depois de meses de indecisão do que fazer com a BR Distribuidora dentro do seu projeto de venda de ativos para salvar a companhia da falência depois da desastrosa gestão petista, a Petrobrás optou por vender parte da BR Distribuidora, ao invés de vender o seu controle. Altamente endividada e extremamente mal gerida (os números não deixam mentir), a BR Distribuidora recebeu R$ 6 bilhões da Petrobrás para viabilizar sua IPO. Só que a IPO rendeu R$ 5 bilhões para os cofres da Petrobrás! Ou seja, ao invés de colocar dinheiro no caixa, a única coisa que a Petrobrás conseguiu foi continuar destruindo valor ao seu acionista e aos contribuintes. Muito melhor estariam a Petrobrás e o País se a BR Distribuidora tivesse seu controle vendido ao mercado. Assim, não só o caixa da Petrobrás estaria mais gordinho, como, com uma melhor gestão e geração de lucros, a BR Distribuidora passaria a pagar impostos sobre a geração de lucro (o que não ocorre há muito tempo) e pagamento de dividendos para a própria Petrobrás. Mas, não. Osso gostoso é duro de largar.

Oscar Thompson oscarthompson@hotmail.com

Santana de Parnaíba

*

MORDOMIAS NAS ESTATAIS

Apesar dos chamados Planos de Demissão Voluntária (PDVs) e da intenção de venda de algumas empresas estatais, as mordomias correm à vontade nas empresas dos governos, tanto para empregados como para os em cargos comissionados (indicados). O governo não toma nenhuma atitude para limitar salários e vantagens nessas empresas, como inclui-las no teto constitucional salarial. Tem empregado de nível médio dessas estatais que vivem totalmente fora da realidade do setor privado: alguns acumulam até três carros novos ou seminovos na garagem, casa própria e outras regalias. Têm auxílio-creche, auxílio-babá, ótimos planos de saúde, fundos de pensão, custeio de parte da escola e faculdade dos filhos e por aí vai. Apesar de celetistas, são estáveis e ninguém ousa demiti-los.

Heitor Vianna P. Filho bob@intnet.com.br

Araruama (RJ)

*

AMEAÇA NO ABASTECIMENTO

Acreditem se quiserem, mas a falta de refinarias pode ameaçar o abastecimento no Brasil. Após o oba-oba, carnaval antecipado, travestido de petroleiro, sujando as mãos e carimbando o pessoal ao descobrirem o pré-sal, "o cara" (Lula) afirmou que nos tornaríamos autossuficientes e não dependeríamos de mais ninguém. Porém, ao se dedicaram somente à exploração da corrupção, de roubos e bandidagens, praticamente destruíram a Petrobrás, e as obras de refinarias, em face de grandes desvios e superfaturamentos, estão totalmente paradas - e as que funcionam estão no seu limite, sem nenhum investimento previsto. Com uma agravante preocupante: "o cara" (Lula) quer voltar ao "pudê". Já imaginaram?

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

O BRASIL À DERIVA

Lendo as páginas do "Estadão" de domingo (17/12/2017), no caderno de Economia deparei-me com notícia sobre como o apadrinhamento político leva as agências reguladoras à deriva (página B8). A bem da verdade, o que está à deriva é o Brasil, com seus desempregados; com seus servidores se aposentando com até R$ 20 mil por mês; com a criminalidade levando Estados a perder condições de crescimento de sua juventude; com a droga - via uso e violência - levando brasileiros à morte; etc. Será que os senhores deputados agem e torcem para que o Brasil seja uma Venezuela no amanhã?

Edivelton Tadeu Mendes  ediveltontadeu@gmail.com

São Paulo

*

FOME NA VENEZUELA

"Crianças morrem de fome na Venezuela" ("Estado", 18/12). Dona Gleisi Hoffmann, a senhora gostaria de fazer algum comentário, querida?

Guto Pacheco jam.pacheco@uol.com.br 

São Paulo 

*

BASE NACIONAL CURRICULAR

O Conselho Nacional de Educação (CNE) aprovou na sexta-feira (15/12) a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), documento normativo que estabelece com clareza os processos essenciais que os alunos devem desenvolver em cada etapa da educação básica brasileira, assegurando os seus direitos de aprendizagem. Com a norma, o Brasil terá pela primeira vez uma BNCC do ensino fundamental, que servirá de parâmetro para a construção dos currículos pelas escolas e redes de ensino. Com a BNCC, o Brasil se alinha aos melhores e mais qualificados sistemas educacionais do mundo, que já se organizam em torno de uma base comum. A BNCC foi construída ao longo de mais de três anos, sob a coordenação do Ministério da Educação e com a colaboração de milhares de educadores, especialistas e acadêmicos de todas as regiões do País. A base é um avanço histórico para a educação brasileira e certamente vai contribuir para reduzir as desigualdades educacionais e promover a qualidade das aprendizagens. O documento reflete a diversidade do panorama educacional brasileiro e os desafios a serem enfrentados na construção de uma educação de qualidade como direito de todos.

Antônio Dias Neme  antonio.neme@terra.com.br

São Paulo

*

ALFABETIZAÇÃO

Sobre a matéria "Base curricular de infantil a fundamental é aprovada; avaliação já muda em 2019", na edição de sábado (16/12, página A19), circulou por algumas emissoras de TV algo sobre a dificuldade de alfabetização das crianças. Uma opinião a respeito: a dificuldade de alfabetização é devida à multiplicidade dos valores (sons) das consoantes: C, que vale C e Q; S, que vale C e Z; Ç, que vale S; X, que vale S, Z e QS; mais as reformas e regras de acentuação que embaraçam a compreensão. Tudo isso é devido à falta de um sistema no qual cada letra tenha seu único som e este som corresponda unicamente àquela letra que ele próprio representa. E não são só cinco as vogais a ser consideradas, mas devem ser consideradas as vogais de som aberto, fechado e anasalado. Esse sistema facilitaria extraordinariamente a grafia das  palavras. Já há estudo e proposta a respeito.

Régis D. C. Fusaro rxfusaro@hotmail.com

São Paulo 

*

SAIDINHA DE NATAL

Com a saidinha de Natal, benesse que só existe no Brasil, pois nos demais países os condenados são tratados como condenados, apenados brasileiros receberão autorização para exercer suas funções "laborais" durante as festas de fim de ano. No ano passado, mesmo monitorados por tornozeleiras eletrônicas, 1.500 presos não voltaram aos presídios. Desta vez, quando não haverá nem mesmo as tornozeleiras de monitoramento, quantos voltarão no próximo dia 4 de janeiro? Quem viver verá!

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

SUZANE RICHTOFEN E SIMILARES

Saída temporária, erroneamente interpretada como indulto (de Natal), é um insulto que a pseudo Justiça desfere contra a ordem jurídica do País.

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

*

LEMBRETE AO MINISTRO

Gostaria de lembrar ao ministro da Justiça, Torquato Jardim, que é menos injusto condenar dois inocentes a deixar livre de pena a um culpado. Indulto de Natal não exime a autoridade de coibir o crime e a lesão à sociedade. Aos olhos da verdadeira justiça, a leniência é uma fraqueza, e não uma virtude. A magnanimidade injustificada, por torpe, é execrável. A nossos juízes repugna, aos poderosos e a seus pares, a máxima romana: "Dura Lex sed Lex". Não vos olvideis! 

Mário Rubens Costa costamar31@terra.com.br

Campinas

*

ROUBO DE CARGA

Pela segunda vez em menos de 15 dias, reportagem aérea vinculada a um jornal matinal transmitido pela televisão flagrou, numa comunidade carioca, ao vivo e a cores, a pilhagem e transferência de carga de veículo que acabara de ser assaltado e trazido para o reduto, e seu condutor feito refém. E, mais uma vez, a polícia, talvez por não dispor da necessária agilidade para reagir em tais situações, demorou a interromper a ação criminosa que estava a se desenrolar diante dos telespectadores. Por se tratar de delito cada vez mais frequente no Estado e que vem minando sua economia, com sérias consequências, urge que as forças de segurança disponham de um plano rápido que evite e desestimule a sua prática.  

Paulo Roberto Gotaç pgotac@gmail.com

Rio de Janeiro

*

'RESTOS A PAGAR'

Já que os editorialistas do "Estadão" continuam dormindo, achando que os sociólogos, que não entendem nada de segurança pública, vão encontrar uma razão baseada na Sociologia para explicar a criminalidade no Brasil, Fernando Gabeira dá um verdadeiro show de percepção do problema ("Restos a pagar", 15/12, A2). Com muito bom senso, ele diz que nossas classes políticas, historicamente, sempre relegaram a um segundo plano a questão da violência. E também o faz a imprensa, "Estadão" no meio, cujos editorialistas certamente devem achar, no alto de sua sapiência, que não se trata de assunto-cabeça.  Faltou Gabeira mencionar que após o regime militar grassou no País o pensamento liberalizante, que abriu as portas das prisões, colocando o bandido na rua, à vontade para cometer crimes. A responsável por isso foi a Lei de Execuções Penais, de 1984. Para a alegria dos juízes que gostam de ver os bandidos soltos, como o ministro Gilmar Mendes. Faltou Gabeira dizer, ainda, que se quisermos ter um país que seja bom para o cidadão honesto, que anda do lado certo da lei, é preciso que o arcabouço jurídico seja duro para com o descumpridor das normas, ou seja, é preciso que o País seja ruim para com o bandido, para que o bandido seja desestimulado a cometer crimes. Diferentemente do que ocorre hoje. Não é possível um país ser bom para o cidadão honesto e também bom para o bandido. Simples assim.  

 

Abel Leopoldo Martin de Oliveira abelleopoldo@bol.com.br

Sorocaba

*

DIFÍCIL DE RESPONDER

Se 52 milhões de brasileiros vivem na pobreza, por que corrupção de dinheiro público é apenada com prestação de serviço social? Se mais de 61 mil brasileiros são assassinados anualmente, por que os políticos não alteram as leis penais? Por que a democracia brasileira é cheia de perguntas tão difíceis de responder?

Marcelo G. Jorge Feres marcelogferes@ig.com.br

Rio de Janeiro 

*

CRISE NO RIO DE JANEIRO

Mesmo com o empréstimo para liquidar os salários atrasados e o 13.º do ano passado, o governo Pezão entende que deverá aplicar o dinheiro e só liquidar os salários em atraso em fevereiro de 2018. Os juros dessa verdadeira fortuna do dinheiro aplicado vão para o bolso de alguém. Quem será o felizardo? Alguém responde?             

                                                                                                                                                                                                                                                                                           Newton Faro newtonfaro@yahoo.com.br

Rio de Janeiro

*

CUSTO BRASIL, OU CUSTO SJC

Em tempos de facilitação de transações pela internet e de protestos constantes contra o custo Brasil, é frustrante sentir a ação da prefeitura de São José dos Campos (SJC) rescindindo o convênio com diversos bancos e exigindo que o ISS seja pago somente em agências do Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e lotéricas. Isso vai exigir da minha microempresa que eu mensalmente imprima a guia em papel, retire o dinheiro do meu banco e fisicamente vá até uma agência desses bancos para pagar o meu imposto. Por baixo, uma hora mensal somente por um dos impostos. As autoridades públicas, que deveriam nos representar e facilitar o nosso trabalho para gerar riquezas para a sociedade, parece insensível e mesmo empenhada em nos aumentar custos e criar dificuldades. Lamentável. 

Daniel Druwe Araujo ddruwe@uol.com.br

São José dos Campos

*

A VERGONHA DE OSASCO

Gosto de comparar Osasco, a cidade em que moro, com o Brasil. É uma cidade rica, a oitava economia do País, mas com qualidade de serviços de país de Terceiro Mundo, e, o pior, governada por um prefeito que não está preso porque pagou fiança para deixar a cadeia e assumir a prefeitura. E, como o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) mostra a cada dia sua incompetência, inclusive para punir candidatos que estão fazendo campanha antecipada, ferindo a lei, sei que os osasquenses terão esta vergonha ainda durante muito tempo, bem como a qualidade de transporte (monopólio de duas empresas que cobram caro demais), péssima saúde, ruas esburacadas e escuras, etc., etc., etc. Por falar em transportes, todo início de ano as passagens aumentam (aqui ela custa R$ 4,20 sem bilhete único ou terminal de baldeação), e, como todos - isso mesmo, todos - os prefeitos que por aqui passaram, inclusive o atual, se acovardaram diante do poder econômico das viações Osasco e Urubupungá, tenho certeza de que a passagem aumentará no mínimo para uns R$ 4,50 no início de 2018, usando a desculpa de que a gasolina subiu demais - claro, sem lembrar que o poste Dilma Rousseff, para se reeleger, congelou os preços dos combustíveis durante muito tempo, e mesmo assim houve aumento. Com isso, a população de baixa renda continuará sofrendo. O Brasil é um país de tolos, realmente!

Alberto Souza Daneu curtasuasaude@uol.com.br

Osasco 

*

PANCADÕES EM SÃO PAULO

Com o título "A praga dos pancadões", editorial do "Estadão" de 17/12 abordou a infração ao Código Penal dos chamados pancadões. Sua prática deveria ser tratada prioritariamente como crime, e não como uma infração ao sossego público. Com certeza, seus adeptos ignoram o mal que causam ao sistema auditivo do ser humano. Portanto, o praticam por ignorância. Quem estudou o mínimo sobre acústica sabe que o som com uma intensidade a partir de 80 decibéis começa a causar lesões ao ouvido humano. E sua audição contínua causará no futuro, com absoluta certeza, surdez parcial ou mesmo total. A lei do Psiu não determinou um limite de 75 decibéis para a emissão de ruídos aleatoriamente, mas o fez baseando-se na intensidade do som que passa a agredir fisicamente o ouvido humano, ou seja, 80 decibéis. A lei municipal deveria ser encarada como uma lei para proteger a saúde pública, e sua inobservância deveria ser punida mais rigorosamente. Embora não seja formado em Direito, não creio que inexista no Código Penal um artigo em que os "barulhentos" possam ser enquadrados e, portanto, considerados criminosos. É um sério atentado à saúde de terceiros. Criou-se o hábito de tratá-la como uma lei a favor do sossego público, quando deveria ser tratada com o rigor que merece. Como estamos no País da impunidade, nos acostumamos que esses indivíduos recebam apenas uma multa e apreensão do equipamento. São liberados em seguida. Não é necessária a detenção em prisão comum para esses indivíduos. Qualquer edifício público em desuso poderia ser utilizado para as suas detenções. Uma semana recluso e a destruição do seu sistema de som seria o suficiente, a meu ver, para que colocassem as barbas de molho. Ignorância não é desculpa para agredir terceiros.

Gilberto Pacini benetazzos@bol.com.br

São Paulo

*

ENSURDECEDOR

Excelente o destaque do jornal a respeito dos pancadões na cidade ("A praga dos pancadões", 17/12, A3). Eu penso que o barulho dos escapamentos das motos também precisa entrar nesta força-tarefa de fiscalização. A qualquer hora do dia - muitas vezes de madrugada - motoqueiros com motos esportivas ou com o escapamento adulterado incomodam moradores das residências e pedestres nas vias públicas. O barulho que fazem, de forma proposital, chega a ser ensurdecedor. 

Bruno Marinho bmarinho@icloud.com

Taubaté

*

OBEDIÊNCIA ÀS LEIS

Sobre o editorial "A praga dos pncadões" ("Estadão", 17/12, A3), vários artigos do Código Brasileiro de Trânsito podem ser aplicados (art. 98: 228; 253A; 270; além da norma 624 do Contran). Sobre os bares, há necessidade de aumentar em muito os valores das taxas e alvará para licenciamento de vendas de bebidas alcoólicas e horário de funcionamento, bem como redefinição de zoneamento e punição solidária ao proprietário do imóvel no caso de aluguel. Simples assim. Leis foram feitas para serem cumpridas, caso contrário estaremos vivendo num Estado anárquico.

Pedro Luiz Bicudo plbicudo@gmail.com

Avaré

*

A QUEM INTERESSA?

O pior de tudo, a respeito dos pancadões, é que se tem de tapar os ouvidos das meninas e dos meninos menores, afinal são letras de música altamente pornográficas. Gerson King Kombo, Funk como le Gusta, Funkadélic, nada disso, e sim um som sujo e tosco. Zumbis que, na volta para casa, atrapalham o trabalhador que trabalha aos sábados, por exemplo. Agora, sarau, que seria bom, nada; bibliotecas em cada esquina dos bairros, encontros, esqueçam. Pseudo funk, cocaína e lança-perfume, sem contar as bocas de fumo em cada esquina, são a combinação perfeita para alienar a juventude da periferia. Ou o Estado e o município cuidam dos jovens ou a subcultura fajuta e nojenta certamente cuidará. A falta de educação e a ignorância daqueles que seriam o futuro da Nação, a quem interessam? Muitos destes jovens vão votar no ano que vem, e adivinhem quem é o candidato da "praga dos pancadões"? Ele mesmo, o rei da sarra, o "demiurgu do nordeste", o homem "mais honesto" do Brasil: Lula.

Leandro Ferreira ferreiradasilvaleandro73@gmail.com

Guarulhos

*

ÁRVORE DE NATAL

No sábado, dia 16 de dezembro, passei pela área da árvore de Natal instalada pela Prefeitura de São Paulo no Ibirapuera. Ocorre que perdi mais de uma hora num trecho de menos de um quilômetro, pois que vinham ônibus sem parar, além do que havia festa no Clube Círculo Militar e evento no Ginásio do Ibirapuera. Nenhum controle dos agentes de trânsito municipais e, o mais grave, flanelinhas roubando à vontade motoristas diante do ausente policiamento. Conclusão: não adianta fazer belas árvores sem planejamento e programação à altura da necessidade da população.

Carlos Henrique Abrao abraoc@uol.com.br

São Paulo

*

REGISTRO

Sinto-me - por desejar o bem desta cidade - com o dever de enaltecer o atual secretário municipal das Prefeituras Regionais, dr. Cláudio Carvalho de Lima. Em todas as suas entrevistas, por mais complexas que sejam as indagações, apesar de pouco tempo de atuação, ele as responde com segurança e conhecimento de causa. Dá-me a nítida certeza de tratar-se de um gestor de altíssima desenvoltura e aptidão, conhecedor profundo de todos os sérios problemas que afligem a cidade. Não só se propõe a dar explicações, mas apresenta soluções e, com desembaraço incomum, mostra os caminhos que todos esperam chegar.

 

Paulo Guida paulo.guida@yahoo.com.br

São Paulo

*

'PAULISTICES'

Edison Veiga, competentíssimo jornalista de "O Estado", conhecido de longa data por suas excelentes matérias, no dia 15 de dezembro, em "Divirta-se", despediu-se do tema "Paulistices", que coleciono. Edison Veiga fará muita falta aos amigos e também ao "Estadão". Até breve, grande amigo!

Benedito Lima de Toledo bltoledo@uol.com.br

São Paulo

*

CENSURA, 3 MIL DIAS

No dia 16/12 completaram-se 3 mil dias de censura ao jornal "Estado", e a corrupção continua à solta! Única explicação para o não julgamento do mérito da ação judicial contra o "Estadão". Isso não é lentidão da Justiça, e sim atuação do clã Sarney sobre juízes, aqueles que deveriam defender a Constituição! Quando as instituições periclitam, a democracia se apequena.

Sandra Matia Gonçalves sandgon@terra.com.br

São Paulo

*

O QUE ESPERAR?

Três mil dias de censura inexplicável, isso faz mal à saúde, tira-nos a esperança da Justiça brasileira. E, para completar, o processo vai para o Supremo Tribunal Federal (STF), onde cairá nas mãos de um juiz (Ricardo Lewandowski) que já deu mostras de que não respeita nem a Constituição. Lamentavelmente, o que podemos esperar? 

Ivan Bertazzo bertazzo@nusa.com.br

São Paulo


 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.