Fórum dos Leitores

.

O Estado de S.Paulo

10 Janeiro 2018 | 03h05

GOVERNO TEMER

Nova ministra (?) do Trabalho

Quando começamos a ter esperanças, vendo o Brasil melhorar ou pelo menos parar de piorar, como diria o pessimista, vemos o presidente Michel Temer nomear a deputada federal Cristiane Brasil (PTB-RJ) para o cargo de ministra do Trabalho, por indicação do próprio pai, Roberto Jefferson, presidente do PTB, muito conhecido por nós, dada a notoriedade que ganhou na delação do esquema do mensalão. Porém ela foi vetada para assumir o posto pela Justiça Federal, pelo fato de ter sido condenada em processo trabalhista (!). Mesmo com tal agravante, contudo, a Presidência da República acionou a Advocacia-Geral da União (AGU) para recorrer da decisão da Justiça. Atitude estranha ou, no mínimo, curiosa. Huuum, haverá algo mais por trás disso que ainda não chegou ao conhecimento do distinto público?

ANGELO TONELLI

angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

Nomeações estranhas

Quem em sã consciência nomearia Cristiane Brasil para o Ministério do Trabalho? Michel Temer exagera. Ainda bem que a Justiça está atenta.

RICARDO FIORAVANTE LORENZI

ricardo.lorenzi@gmail.com

São Paulo

Lesão à ordem pública

Ao ler que o presidente Temer deve recorrer ao STF para tentar manter a posse da deputada Cristiane Brasil como ministra do Trabalho, contra a decisão do Tribunal Federal da 2.ª Região, que manteve a decisão do juiz federal da primeira instância, concluí que ou tudo o que aprendi até hoje de ética e justiça está errado, ou o governo perdeu a compostura de vez. A Advocacia-Geral da União, ao recorrer à segunda instância, afirmou que a decisão do juiz da 4.ª Vara Federal de Niterói “gerará uma grave lesão à ordem pública e à ordem administrativa”. Ora, por tudo o que se sabe até o presente, a deputada foi indicada para ocupar o cargo de ministra do Trabalho apenas pelo fato de ser filha do presidente do PTB. Ao contrário do que alega seu pai, a parlamentar está sendo contestada por não ter nenhum atributo profissional para ocupar a pasta, além de ter sido condenada por infringir a CLT ao não registrar seu motorista, como era seu dever. Então, sua posse é que seria grave lesão à ordem pública, além de ser mais um tapa na cara de todos nós, que sustentamos esse governo com o nosso trabalho. Está mais que na hora de esse governo parar de engendrar tanta maracutaia e se ater apenas às recomendações da equipe econômica.

GILBERTO PACINI

benetazzos@bol.com.br

São Paulo

Que desmoralização!

Além de imoral, chega a ser surrealista a insustentável decisão do (des)governo federal de insistir em nomear figuras comprometidas até os ossos em falcatruas, processos, descaminhos e toda sorte de mazelas, no mínimo, condenáveis. Parece algo provocativo ou questão mandatória: ficha limpa não atende às exigências. Atualmente insiste na nomeação da deputada Cristiane Brasil – reincidente em não honrar direitos trabalhistas e já condenada – para o Ministério do Trabalho. Aliás, o indicado anterior para a pasta foi vetado pelo impoluto Sarney por não ser da sua simpatia, quer dizer, a tal governabilidade se transformou numa feira barata de periferia. Sem falar em Moreira Franco, Eliseu Padilha e tantos outros ministros, além de presidentes de estatais, autarquias, etc., que num país minimamente sério estariam trancafiados e/ou banidos definitivamente da vida pública. As aberrações proliferam no País, caso do diretor de Trânsito de Minas Gerais que é campeão de infrações, com 120 pontos no prontuário, e insiste em não arredar pé da boquinha. Na Austrália, um deputado recebeu de presente uma garrafa de bom vinho californiano, mostrou no Facebook e foi execrado pelos internautas. Em seguida pediu pra sair. Será que jamais aprenderão a respeitar esta desmoralizada Nação?

JOÃO BATISTA PAZINATO NETO

pazinato@competence.cnt.br

Barueri

Escolhas ingratas

Chega a ser impressionante, e doído, este país ter mais de 80 milhões de pessoas honestas e com estudo e o governo negligenciá-las, escolhendo outras sem nenhum esteio de honradez. Isso já começa na base, em que dirigentes partidários, para suas investidas na safadeza, precisam escolher os piores elementos para seus quadros. Parece incrível, mas, pelo visto, no curriculum vitae do candidato tem de constar um passado de corrupção, roubo, falcatrua, ficha corrida suja, ser parente de quem não presta, ser amigo de quem “rouba, mas faz” ou ter o famoso QI (qual o pilantra que indica). Somado a tudo isso, ainda temos um povo que troca voto por sanduíche de mortadela e por isso escolhe sempre o que há de pior. Enfim, só nos resta tomar vergonha na cara e eliminar de vez essa cambada.

JOSE PEDRO VILARDI

vilardijp@ig.com.br

São Paulo

Gabinete de notáveis...

Tão logo assumiu o governo, Michel Temer nomeou Pedro Parente para a Petrobrás, Henrique Meirelles para a Fazenda e Ilan Goldfajn para o Banco Central. Esperavam-se outros notáveis nos ministérios, mas estes foram lotados por gente fora da lei ou notáveis incompetentes! Tudo para ter maioria num Congresso de chantagistas. Agora eles vão debandando do governo para se “dedicarem às campanhas eleitorais”. Precisam desesperadamente do refúgio do foro privilegiado para não irem para a cadeia. Minha dúvida: alguém tem estômago para reeleger esse tipo de gente? O Brasil não vai melhorar nunca?

PAULO SÉRGIO ARISI

paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre

Tá difícil

Presidente Temer, permita-nos uma sugestão: estando tão difícil conseguir indivíduos preparados e ilibados para ocupar ministérios, que tal reduzi-los ao mínimo? Quem sabe com essa redução sobraria dinheiro tão necessário para as já prejudicadas pastas da Educação, da Saúde e outras importantes, como Infraestrutura e Segurança?

APARECIDA DILEIDE GAZIOLLA

aparecidagaziolla@gmail.com

São Caetano do Sul

Faxina antecipada

Saiu na Coluna do Estadão de ontem que o governo expulsou 506 servidores em 2017 por corrupção, abandono de cargo, ausência sem justificativa e negligência. Se a Câmara dos Deputados seguisse esse critério, a “faxina geral” programada para outubro – fala-se em até 80% de renovação dos parlamentares – seria antecipada e apenas sete deputados, titulares, estariam no poder. Quem sabe, os suplentes teriam mais vergonha na cara?

SÉRGIO DAFRÉ

sergio_dafre@hotmail.com

Jundiaí

“Indulto, suspenso. Cristiane Brasil, suspensa. Mudança na regra de ouro, prorrogada. O que mais falta? Vergonha na cara...”

CECILIA CENTURION / SÃO PAULO, SOBRE AS TRAPALHADAS DO GOVERNO TEMER

ceciliacenturion.g@gmail.com

“Por que tanta obstinação em manter a nomeação da sra. Cristiane Brasil para a importante pasta do Trabalho? É necessário um mínimo de probidade, nomear quem realmente esteja limpo. A Nação merece respeito!”

HENRIQUE GÂNDARA / RIBEIRÃO PRETO, IDEM

clineurohenrique@uol.com.br

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

ESPETÁCULOS GROTESCOS 

Condenada por violar a legislação trabalhista, a deputada federal Cristiane Brasil (PTB-RJ) foi nomeada ministra do Trabalho pelo presidente Michel Temer (PMDB-SP). O delegado da Polícia Civil de Minas Gerais, César Augusto Monteiro Alves Júnior, que acumula 120 pontos por infrações de trânsito e, pela legislação, deveria ter a carteira de habilitação apreendida, foi nomeado diretor do Detran pelo governador Fernando Pimentel (PT-MG). A ministra dos Direitos Humanos, Luislinda Valois (PSDB-BA), que declarou que realizava trabalho escravo por receber salário mensal de 'somente' R$ 33,7 mil, vai tirar férias. A Petrobrás, que foi saqueada em valores extravagantes - laudo da Polícia Federal, em 2015, estimou o prejuízo em R$ 42,8 bilhões - comemorou a celebração de um acordo na justiça de Nova York, pelo qual pagará 'apenas' R$ 9,5 bilhões a investidores americanos por perdas provocadas após descoberta do esquema de corrupção investigado pela Operação Lava Jato. E compete a nós - a plateia de milhões de brasileiros atônitos e sem defesa - pagar compulsoriamente para assistir a esses espetáculos grotescos de desdém no trato dos recursos públicos.

Sergio Ridel sergiosridel@yahoo.com.br 

São Paulo 

*

TEMPOS DIFÍCEIS

Ministro de Trabalho condenado pela Justiça Trabalhista, diretor do Detran com a carteira de habilitação cassada, condenados pela Justiça Penal de todos os matizes soltos e felizes, denúncias variadas de corrupção do dinheiro público causando mais apatias que as novelas de televisão; realmente, os tempos estão mudados. Há quem se sentia um patriota e nacionalista e que hoje não passa de um apátrida em busca de um novo país.

Marcelo Gomes Jorge Feres marcelogferes@ig.com.br 

Rio de Janeiro

*

SUSPENSA

Brasil perde ao não ter Cristiane Brasil como ministra, tomara o governo consiga reverter essa liminar dos inimigos do Brasil. Pena, uma das poucas, competentes e ficha limpa, perde o Brasil. Tanto que os adversários só acharam um problema trabalhista pra atrapalha-la, ou seja, ela não é bandida, nem corrupta, não entra pra máfia.

Roberto Moreira da Silva rrobertoms@uol.com.br 

São Paulo

*

DOIS PESOS E DUAS MEDIDAS

O PT ficou incomodado com a aparição de Luciano Huck no Faustão? Que ótimo, sinal de que estão com medo de perderem o discurso da mentira que até o momento parece ter certa credibilidade entre os mais ingênuos.  Paulo Pimenta e Lindbergh Farias, ambos líderes do PT respectivamente,  no Senado e na Câmara acionaram o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por abuso dos meios de comunicação e de poder econômico. Mas o que dizer do Lula que está fazendo campanha no País inteiro, viajando com sua esvaziada caravana? Não incomodou nenhum partido, nenhuma ala partidária? Ninguém acionou o TSE? Os meios de comunicação têm o dever de levar ao público pessoas dispostas a mudar esse país e ou divulgar suas ideias, já que muitos meios de comunicação servem para tentar manter o caos que aí está.  Por que só o PT pode se exibir? Quem sabe aparece mesmo um candidato capaz de mudar esse país, começando a dizer aos eleitores que não precisa do Fundo Partidário, dinheiro do contribuinte, para eleger picaretas? 

Izabel Avallone zabelavallone@gmail.com 

São Paulo 

*

ABUSO DE PODER

Lula, famoso por seu destempero verbal e por bravatas, declarou recentemente que gostaria de enfrentar um candidato com o logotipo da Globo na testa. Agora o PT está movendo processo contra a Globo, Luciano Huck e Faustão por abuso de poder econômico tendo em vista declarações surgidas no "Domingão do Faustão". O PT é um partido "sui generis", é controverso, reacionário, irresponsável, que dá uma no cravo e outra na ferradura e que ainda tem esperança de voltar ao poder sendo o responsável pela maior tragédia econômica, política e social da história brasileira.

Jose Alcides Muller josealcidesmuller@hotmail.com 

Avaré

*

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL

Presidência desmoralizada. Debilidade política. Alguns vice-presidentes da CEF tiveram o afastamento pedido pelo Ministério Público Federal e pela Polícia Federal (PF) por estarem sendo investigados. Não tem moral o presidente Temer para afastar ninguém. Os vice-presidentes são indicados de partidos políticos que compõem a base do governo e lhe garantem votos necessários para a reforma da Previdência. Até condenados, se forem, não serão afastados. Eis a que ponto chegou o poder civil no Brasil. Desmoralizado. Barganha atrás de barganha. O País perdeu sua identidade. 

Panayotis Poulis  ppoulis46@gmail.com 

Rio de Janeiro 

*

O JULGAMENTO DE LULA E A ORDEM JURÍDICA

 

O rotineiro ato de um tribunal de segunda instância julgar um processo está sendo pautado como acontecimento nacional e até passível causar instabilidade. O prefeito de Porto Alegre pede ajuda federal para controlar a "invasão" da cidade e o governo federal diz ser desnecessário. Embora enfraquecidos depois do impeachment de Dilma, os ditos movimentos sociais - que Lula já chamou de "exércitos" - ameaçam comparecer em massa, mas ninguém é capaz de antever o que isso pode representar quantitativamente. Alguns exagerados garantem que, mesmo condenado em segunda instância, Lula "será candidato". Se a sentença do juiz Sérgio Moro for confirmada, ele será reconhecido como ficha-suja estará fora da eleição. O momento é delicado. Temos o presidente da República denunciado, ministros sob investigação, muitos parlamentares investigados, processados e alguns apeados do poder já presos. A nomeada ministra do Trabalho enfrenta a rebelião contra sua posse e os diferentes partidos discutem candidaturas para as eleições de outubro. Espera-se que todos os atores do nosso grande teatro político tenham bom senso para que as eleições transcorram em ordem e delas surjam as bases da conciliação nacional. Embora tenha a responsabilidade intrínseca do voto, o eleitor não merece o trauma que a classe política o está fazendo suportar...

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo 

*

BOLÃO

O Brasil deveria organizar um bolão para saber qual juiz do Supremo Tribunal Federal irá expedir um Habeas Corpus para Lula, caso ele seja condenado no julgamento da segunda instância. Os ministros companheiros já devem ter redigido o Habeas Corpus, resta saber quem será mais rápido em livrar o companheiro Lula de ficar mais do que alguns instantes na cadeia. 

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br   

São Paulo 

*

O DIA DO JULGAMENTO

É muita paranoia pensar que o fatídico julgamento foi agendado para 24 de janeiro, pois nesse dia o presidente Temer não estará no Brasil? Lavam-se as mãos?

Sandra Maria Gonçalves sandgon@terra.com.br 

São Paulo 

*

PETROBRÁS

Sobre o editorial "O acordo da Petrobrás" (5/1, A3), que revela claramente o tamanho do prejuízo sofrido pela empresa, ao fim e ao cabo bancado pelos contribuintes, é mais do que hora da privatizá-la, porque o governo, qualquer que seja ele, não tem competência para administrá-la.

Luiz Leitão da Cunha luizmleitao@gmail.com 

São Paulo

*

A PETROBRÁS E O PETROLÃO

Mais uma vez a Petrobrás paga caro pelas roubalheiras durante o petrolão, desgoverno Lula e Dilma, que insistem em dizer que nada sabiam a respeito, e o Ex. Sultão do Agreste ainda quer ser presidente, será que não reconhece as tramoias com seus comparsas e a Dilma com a refinaria de Pasadena no Texas. Em Nova York, a Petrobrás foi obrigada a assinar um acordo com os Investidores Estrangeiros, e vai pagar US$ 3 bilhões em três parcelas de imediato, enquanto por aqui raspando o tacho na tentativa de recuperação dos R$ 40 bilhões roubados, só conseguiram R$ 1.450 bilhões com muito custo, e ainda financiaram a Odebrecht que confessou as tramoias em 136 parcelas, com juros subsidiados, péssimo negócio, que agora insistem em reverter o lucro a base do botijão de gás dos pobres e subiram 67% em 2017. Esse é o retrato do Brasil, onde os que roubam conseguem os benefícios da prisão domiciliar, os mesmos que desviaram os recursos, ainda conseguem parcelamento das dívidas com juros subsidiados, o resto é o resto.

Jose Pedro Naisser jpnaisser@hotmail.com 

Curitiba

*

PETROBRÁS E ACORDOS 

Em janeiro de 2012, o "Estadão" revelou que o sr. José Sérgio Gabrielli deixou a presidência da Petrobrás.  Na época, manifestei minha satisfação e disse que a Petrobrás precisava ser dirigida com profissionalismo e competência e diante de tanto lucro não oferecer um dividendo ridículo, não imaginávamos a roubalheira. Agora, vendo a conta do acordo, seria justo os antigos dirigentes pagarem a conta. 

Odilon Stefani odilonstefani1940@icloud.com

São Paulo 

*

NA CONTA DO ABREU

Por incrível que pareça, os papéis da Petrobrás tiveram alta na Bovespa após o anúncio do recém-firmado acordo para pagamento de R$ 9,5 bilhões aos investidores americanos que amargaram perdas com a pilhagem petista na Petrobrás. Isso porque o mercado considerava a possibilidade de o prejuízo ser ainda maior - muito maior! - se o caso fosse a júri. Bilhões e bilhões em indenização, e isso é apenas um mero capítulo na longa série de prejuízos amargados pela estatal durante a passagem do lulopetismo pelo Planalto. Muita tinta se gastou para denunciar e criticar os milhões jogados no lixo quando da compra da sucata de Pasadena, no Texas - crime de lesa pátria pelo qual Dilma Rousseff nem sequer foi denunciada -, mas, a rigor, se colocarmos aquele episódio que tão grande prejuízo nos causou em perspectiva, veremos o quão pequeno ele é, se cotejado com a devastação infligida à Nação por Lula & Cia. Só para ter uma base do descalabro, a Lava Jato conseguiu, até o momento, recuperar "módicos" R$ 1,75 bilhão, valor correspondente a 15% do que a Petrobrás pagará só aos investidores americanos no citado acordo. Para "sorte" da estatal, o pagamento dos (mesmos) prejuízos sofridos pelos acionistas brasileiros será pendurado na conta do Abreu, com as bênçãos do operoso Judiciário tupiniquim. 

Silvio Natal silvionatal49@gmail.com 

São Paulo

*

ONDA

Parece que a "minoria" conseguiu a "maioria" para participar efetivamente na construção desse "mundo novo", seja lá o que isto for. No último domingo, a agência Reuters noticiou que estrelas de televisão e cinema de Hollywood usaram vestidos pretos longos a smoking no tapete vermelho do Globo de Ouro, no domingo, em solidariedade à campanha "Time's Up", de combate ao abuso sexual no ambiente de trabalho. Ao mesmo tempo, noticia hoje o "Estadão" que "Mulheres poderão ir a partidas de futebol" na Arábia Saudita. E, de acordo com o jornal "Arab News", a liberação para acompanhar futebol não é a única que será dada pelo príncipe herdeiro Mohammed bin Salman. A expectativa é de que as mulheres possam dirigir no país a partir de junho. Então a marola da equidade entre homens e mulheres, aparece já colo uma onda, o que é bonito de se ver, porque uma onda, uma colocação feminina no tecido social não como "homens", pois não são. Mas como mulheres, que têm preparo ou técnica suficientes para a equiparação laboral, assim como ter sua imagem objetiva e subjetiva salvaguardadas de qualquer tipo de assédio.  

Andrea Metne Arnaut andreaarnaut@uol.com.br 

São Paulo

*

GLOBO DE OURO

A prática de abuso de poder, seja financeiro, funcional, religioso ou outro qualquer, para obter "favores sexuais", consentidos ou não, precisa ser exposta e condenada, especialmente pelos formadores de opinião em meios de comunicação, massivamente!

E isto foi o que fizeram os que tiveram voz nessa premiação. Merecem nossos cumprimentos e agradecimentos pela sua ação.

Mesmo tendo ficado aquela sensação de que, se houvesse um detentor sonoro de mentiras ou hipocrisia operando naquele salão, não haveria quem conseguisse dormir na cidade tal o número de pessoas presentes (e, até não) à cerimônia que se "beneficiaram, beneficiam e beneficiarão" do tal poder, ainda assim, a iniciativa dos organizadores certamente produzirá efeitos que, mesmo não eliminando o problema, reduzirá bastante a ação criminosa dos "poderosos"...

Helio Alves Ferreira hafstruct@hotmail.com 

Osasco (SP)

*

ABERRAÇÃO POLÍTICA

Excelente o editorial "O descompasso das eleições" (8/1, A2), que mostra de forma clara e objetiva vários temas que prejudicam o desenvolvimento no nosso país. Entre eles, o que mais me chamou a atenção foi a "absoluta indiferença do sistema eleitoral com a governabilidade". Isso ocorre porque os nossos políticos sabem que os eleitores são analfabetos em matéria de política. E é graças à ignorância dos eleitores que esse tal presidencialismo de coalizão faz sucesso por aqui, pois nossos políticos adoram a lei de São Francisco de Assis: é dando (liberando verbas parlamentares) que se recebe (algum projeto de lei é aprovado). Mas como acabar com essa aberração? Precisaria o povo acordar e parar de votar no candidato de um determinado partido para a função de presidente da República e em candidatos de partidos de oposição para os cargos de deputado federal e senador. Caberia a cada partido político, durante a campanha eleitoral, esclarecer essa aberração e pedir votos para candidatos da sua sigla para todos os cargos. Mas será que é isso que os partidos desejam? Ou os partidos preferem continuar mantendo o tal presidencialismo de coalizão (toma lá, dá cá)?  E o pato da Fiesp, será que não podia ajudar na educação política do povo? Ou ele só se manifesta quando o governo tenta meter a mão no seu bolso? 

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br 

Americana (SP)

*

BONDE DA HISTÓRIA

No mesmo dia em que o ex-presidente FHC clamava o Brasil ao bom senso no seu artigo "Ainda há tempo" (7/1, A2), o editorial do "Estado" "A verdade acima de tudo" (7/1, A3) afirmava que "das urnas sairá o atestado de maturidade da nação". Sem querer ser pessimista, mas já sendo, as pesquisas que mostram repetidamente Lula e Bolsonaro à frente das intenções de voto para Presidência da República demonstram um eleitorado não só desprovido de bom senso, como passando bem longe da maturidade. Enquanto não surgir rapidamente um candidato capaz de se opor a estes dois extremistas desenfreados e demagógicos e que se configure como alternativa viável, convincente e não aventureira aos eleitores, o País, como bem diz FHC, perderá o bonde da história. E, se isso acontecer, não haverá mais bom senso ou maturidade que salve o Brasil do desastre. 

Luciano Harary lharary@hotmail.com 

São Paulo

*

OUTSIDERS

Ressalto que as disputas para os importantes cargos executivos à Presidência da República, governos estaduais e até prefeituras não são apenas um espetáculo midiático. Pelo contrário, exigem ética, responsabilidade, liderança, experiência e compromissos social e democrático. Não basta serem "outsiders" que representam determinados segmentos corporativos que tentam buscar o poder por meio de um discurso pautado à descrença popular do momento. É preciso ter cautela, até porque não existe democracia moderna sem a presença de um sistema partidário forte, cujos mandatos eletivos pertencem a eles conforme seus estatutos e a legislação vigente. Se os partidos estão frágeis, vamos lutar para melhorá-los e torná-los mais democráticos e acessíveis, mas não trocá-los por alguém personalista que não queira dar satisfação a ninguém. Será que um "outsider" teria habilidade para lidar com um Congresso fragmentado e heterogêneo como o atual?

José Eduardo Amantini amantini45@gmail.com 

Bauru

*

PRESIDENCIALISMO

O editorial "O descompasso das eleições" (8/1, A3) mostra que, como sistema de governo, o presidencialismo de coalizão é uma democracia às avessas por não representar a vontade popular. O atual sistema político retira do eleitor a oportunidade de escolher seu representante no Congresso a partir do alinhamento ou oposição ao presidente eleito. A eleição parlamentar ocorre antes de definir quem será o chefe do Executivo. Isso permite que os caciques dos partidos definam posteriormente quem apoia e como apoia o governo. A eleição para o cargo de presidente da Câmara dos Deputados acaba sendo chave para as oligarquias partidárias, com a finalidade de controlar e negociar a agenda política e a pauta de votação do Legislativo em troca de cargos, verbas e ministérios.

Luiz Roberto Da Costa Jr. Junior lrcostajr@uol.com.br 

Campinas (SP) 

*

REGRA DE OURO

O governo recuou. A discussão para a mudança da regra de ouro do endividamento federal vai ficar para depois da votação da reforma da Previdência. E o que o governo não quer colocar em cima da mesa é que para arrumar a casa e reenquadrar as finanças governamentais será necessário um programa de privatizações maciças e/ou mudanças enormes na estrutura do Estado, assuntos caros para uma cultura político-econômica clientelista e corrupta como a nossa. 

Oscar Thompson oscarthompson@hotmail.com 

Santana de Parnaíba

*

'ESTADO', 143 ANOS

Parabéns ao jornal "O Estado de S. Paulo" pelos 143 anos de absoluto sucesso! Realmente, um grande veículo de comunicação, merecedor de aplausos e admiração.

Sidney Cantilena sidneycantilena@bol.com.br 

São Paulo 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.