Fórum dos Leitores

.

O Estado de S.Paulo

19 Janeiro 2018 | 03h02

GREVE NO METRÔ

Privatização

Vendo ontem de manhã, na televisão, o sofrimento da população ao encontrar estações do Metrô fechadas, exceto as da Linha 4-Amarela, privatizada, compreende-se o porquê da necessidade de privatizar as Linhas 5-Lilás e 17-Ouro já e as demais futuramente.

VIZMARK KIYOSHI IMAMURA

vizmark.imamura@icloud.com

São Paulo

A paralisação do Metrô paulistano, prejudicando grande parcela da população no seu direito de ir e vir – dos poucos que ainda têm emprego –, enquanto apenas a Linha 4, que é privatizada, funcionou, deixa mais do que claro que o funcionalismo público – que faz greve para impedir novas privatizações – não funciona e é um freio ao modernismo e ao crescimento econômico. Privatizemos o Brasil ou voltemos às carruagens.

CARMELA TASSI CHAVES

tassichaves@gmail.com

São Paulo

CAIXA ECONÔMICA

R$ 15 bilhões do FGTS

Não precisamos ser videntes para saber o que acontecerá com o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) caso a equipe econômica do governo não barre os R$ 15 bilhões que seriam usados para “salvar” a Caixa Econômica Federal (CEF) da má administração e corrupção que assolou esse banco estatal. Se tal janela for aberta, será o começo da derrocada dos direitos do trabalhador, como já vimos em vários outros bancos espalhados pelos Estados, País afora, que foram vilipendiados por corriolas de políticos que usavam seu poder para emprestar dinheiro farto a empresas “amigas” em dificuldades, que jamais pagariam seus débitos. O Banespa foi um deles. A CEF é apenas mais um banco vilipendiado na última década, assim como o foram os fundos de pensão, antes bilionários e hoje deficitários, pois foram forçados a ser sócios de todo tipo de empresa de interesse de políticos. O que nos deixa boquiabertos é a “resposta” dos sindicatos: silêncio total!

BEATRIZ CAMPOS

beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

Loteamento

A CEF foi tomada e loteada pelo PT, ao longo de todo o seu governo, para sustentar boa parte da turma que hoje está pendurada nos cabides dessa instituição. A melhor opção seria a extinção da Caixa e sua fusão com o Banco do Brasil – que está na mesma situação, mas com melhor governança –, para acabar com as mamatas e mordomias. Seria mesmo um absurdo continuar utilizando o pobre e suado dinheiro do FGTS para sustentar toda a patota encastelada nessas organizações.

ARTUR LOVRO

artlovro@hotmail.com

São Paulo

Nenhuma novidade

Os sinais de corrupção ora descobertos no âmbito da Caixa não surpreendem, pois, apesar de haver lei específica que deveria regular a nomeação em estatais, confirma-se o fato de que nossas empresas públicas não passam de instrumentos usados por políticos para consolidar o poder e obter favorecimentos. Tal promiscuidade já custou a quase falência da Petrobrás e, certamente, no presente caso, envolvendo uma instituição cuja vocação teria de ser dirigida à promoção social da população, se verá sua finalidade prejudicada e, com isso, a redução de financiamentos acessíveis para imóveis e outros bens.

PAULO ROBERTO GOTAÇ

pgotac@gmail.com

Rio de Janeiro

CORRUPÇÃO

‘O desvario do PT’

São, no mínimo, estranhos esse desvario do PT de falar em baderna e também o nervosismo da presidente do partido falando até em mortes (18/1, A3). Não combina com o discurso de inocência do homem de alma mais honesta do mundo. Estranho, muito estranho... Se ele é inocente, por que tanto desespero?

ANGELA MARIA DE SOUZA BICHI

angela_bichi@hotmail.com

Santo André

Rubor

Até a gralha azul, símbolo do glorioso Estado do Paraná, está ruborizada com as frequentes e a cada dia mais estapafúrdias manifestações da senadora que pensa representar aquele povo nobre e sensato.

EDUARDO MENEZES SERRA NETTO

decimoserranetto@uol.com.br

São Paulo

Decisão do TRF-4

Nem que todos os eleitores de Lula fossem em fila a Porto Alegre no dia 24 mudariam uma vírgula na decisão dos desembargadores que vão julgar o recurso contra a sentença do juiz federal Sergio Moro, no âmbito da Operação Lava Jato.

FABIO DE ARAUJO

fanderaos@gmail.com

São Paulo

Só vaidade ferida

O esperneio de Lula e do PT contra a Lava Jato não é motivado por nenhuma sensação de injustiça ou perseguição política, pois eles sabem muito bem o que fizeram no verão passado. O teatro deles, em verdade, é vaidade criminosa ferida, pois achavam ter cometido crimes perfeitos, sem deixar rastros, valendo-se de um laranjal e do enorme poder conferido pela Presidência da República por 13 nefastos anos. O juiz Sergio Moro e a Lava Jato tornaram intragável o suco das laranjas petistas.

TÚLLIO MARCO S. CARVALHO

tulliocarvalho.advocacia@gmail.com

Belo Horizonte

Passaporte

Os fatos: cidadão comum, réu contumaz, julgado e condenado em primeira instância e com julgamento em segunda instância marcado para 24/1, tem viagem marcada para o exterior em 25/1. Não deveria esse cidadão entregar seu passaporte (ou, quem sabe, seus passaportes) para custódia na Polícia Federal, já que no site do STF a Etiópia não consta como signatária de tratado de extradição com o Brasil? Por muito menos até o Maluf entregou seu passaporte.

AXEL VON HULSEN

avonhulsen3@gmail.com

São Paulo

FATO E VERSÃO

FHC e os ‘vagabundos’

O sr. João Domingos afirma que “Fernando Henrique Cardoso chamou os aposentados de vagabundos, certa vez” (18/1, A6). Gostaria de avisar ao jornalista que FHC nunca chamou os aposentados de vagabundos. É preciso distinguir o fato da versão. A história de que FHC teria esse pecado é coisa inventada pelo PT e seus anexos. O que Fernando Henrique disse nessa “certa vez” foi: “O sujeito precisa ser muito vagabundo para querer se aposentar aos 50 anos”.

EUCLIDES ROSSIGNOLI

euclidesrossignoli@gmail.com

Ourinhos

“Alguém me pode explicar por que a Caixa tem 12 vice-presidentes?”

ELISA MARIA ANDRADE / SÃO PAULO, SOBRE O ESCÂNDALO NA CAIXA ECONÔMICA FEDERAL QUE LEVOU AO AFASTAMENTO 

DE QUATRO DELES

elisampcandrade@gmail.com

“Se houver essa tal ‘reindicação’ e os vices suspensos forem ‘reempossados’, vai ficar muito escancarada 

a fraqueza da posição do presidente Temer”

GERALDO FONSECA MARCONDES JR. / TAUBATÉ, IDEM

gfonsecamarcondes@uol.com.br

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

MATA-BURROS

As constantes ameaças aos desembargadores do Tribunal Regional Federal (TRF-4) sediado em Porto Alegre, que julgarão no próximo dia 24 de janeiro o ex-presidente Lula, só comprovam a culpa do penta réu, que realmente não merece ter apenas confirmada a sentença de nove anos e meio proferida pelo juiz Sérgio Moro, rica em detalhes, mas aumentada, tantas foram as evidências de ilícitos e brilhantemente expostas pela força-tarefa da Lava Jato. Portanto, tem de ser condenado e, se isso não ocorrer, teremos a certeza da parcialidade da Justiça. Para o julgamento desse "sujeito" que se julga acima de tudo e todos foi montado um Grupo de Gestão Integrada (GGI) que agrega a Brigada Militar, Polícias Civil, Federal e Rodoviária, Exército, Bombeiros e Defesa Civil. Quanto dinheiro gasto com quem só o que fez foi instituir a corrupção em nosso território, que quase nos levou à bancarrota. E a "companheirada" continua a chegar a Porto Alegre, convocada por partidos políticos, líderes sindicais e movimentos sociais incitando-a à violência. A meu ver, resta uma solução para acabar com a romaria ou encurtar o cordão rumo a Porto Alegre em busca de um milagre, a absolvição do venerado petista. Construir ao redor da capital "mata-burros", método utilizado para que "animais" não invadam outras paragens e causem prejuízos a outrem. A paciência transbordou!

Sérgio Dafré sergio_dafre@hotmail.com 

Jundiaí

*     

LULA E A REVOLTA DE CANUDOS

Usando uma vestimenta cedida pelo "cocaleiro" Evo Morales, o ex-presidente Lula recebeu apoio de militantes, artistas e intelectuais no Teatro Oi Casa Grande, no Rio de Janeiro, onde destilou veneno contra o juiz Sérgio Moro, contra o presidente do Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4) de Porto Alegre, Carlos Eduardo Thompson Flores, acusando-o de ser bisneto do general Thompson Flores, que comandou as tropas na invasão de Canudos e que matou Antônio Conselheiro, além de tecer críticas à Rede Globo, a Bolsonaro, Alckmin, Huck e outros. Os tais intelectuais presentes nessa manifestação deveriam informar ao ex-presidente que Antônio Conselheiro faleceu por doença muito antes das batalhas de Canudos. Com essas bravatas, Lula está cutucando onça com vara curta e cavando sua própria cova.

José A. Muller josealcidesmuller@hotmail.com 

Avaré

*

PAIXÕES DESVAIRADAS

Não acredito que o povo ame Lula, como disse Gleisi Hoffmann. Se for verdade, que povinho mais desqualificado. A amante, por mais que ame Lula, deveria rever sua ridícula manifestação. As paixões enlouquecem os desequilibrados.

Mário Rubens Costa costamar31@terra.com.br 

Campinas 

*

ÚLTIMAS CONSEQUÊNCIAS

"Vamos levar a candidatura do Lula até as últimas consequências", disse Fernando Haddad, o último político do PT denunciado por corrupção. Mas todo cuidado é pouco, porque para ter tanta certeza para levar a candidatura do condenado até as últimas consequências, deve ser porque em 13 anos do "lullodillmismo" eles sabem o caminho das pedras para burlar as urnas eletrônicas. Porque "Lulla" jamais alcançaria hoje os 51% necessários a sua vitória. Só isso para explicar tamanha ousadia, passando por cima até da Justiça. Um dos baluartes que os petistas não conseguiram corromper. 

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br 

São Paulo 

*

LULA E SEUS INTERESSEIROS

Lula não tem e nunca teve seguidores fiéis, teve sim, e ainda tem, seguidores interesseiros. Foi ele o criador do famoso "toma lá, dá

cá". Com  o  Bolsa Família, comprou  40  milhões  de  eleitores, comprou ministros do Supremo, comprou ministros da  economia, presidentes, diretores e funcionários do alto escalão da República... De todos aqui citados, nenhum é seu seguidor fiel, todos, absolutamente todos, são interesseiros que estão onde  estão apenas e simplesmente para servirem e cumprirem ordens do vosso criador, ou seja, sua excelência, senhor ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva.

Arnaldo De Almeida Dotoli arnaldodotoli@uol.com.br 

São Paulo

*

'TÁ CHEGANDO A HORA'

Que os juízes do TRF-4 não se intimidem com as ameaças dos bandidos de sempre e cumpram com seu dever. O futuro da Nação está hoje em suas mãos. Que Deus os ilumine!

Níveo Aurélio Villa niveoavilla@terra.com.br 

Atibaia 

*

DESESPERO DO PT

Conforme noticiado, dezenas de estações do metrô amanheceram fechadas em São Paulo na quinta-feira (18/1), conforme decisão do Sindicato dos Metroviários, que é contra a privatização das linhas 5-Lilás e 17-Ouro. Na verdade, essa movimentação tem um caráter político de forças ligadas ao PT com uma escalada de agitação e propaganda, com a finalidade de criar um clima contra o Judiciário até o dia de julgamento de Lula. Ou seja, esse confronto é um desespero dos militantes partidários que perderão as suas "boquinhas", pois eles não têm utilidade no setor privado.  Enfim, tudo está chegando ao seu final, porque a probabilidade maior é a condenação de Lula, o homem mais "honesto do Brasil".

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com 

São Paulo 

*

DESTRUIÇÃO

Acredito que qualquer brasileiro decente queira um País melhor: desenvolvido, com empregos e oportunidades. Por que os petistas querem destruir o Brasil? Qual a vantagem na pregação da violência? Precisamos de paz, trabalho e união, com direitos e obrigações iguais para todos.

  

André Luis Coutinho arcouti@uol.com.br 

Campinas 

*

NÃO BRINQUEM COM O POVO

Lula e Dilma se elegeram com programas de campanha que prometiam mudar a vida do brasileiro: moralidade no trato da coisa pública, crescimento econômico, investimentos, emprego, assentamentos, fome, educação, saúde, etc. A população acreditou neles e o resultado está aí. O PT agora promete uma presença maciça e um comportamento com civilidade de seus militantes quando do primeiro julgamento em 2.ª instância de Lula, em Porto Alegre. Tudo leva a crer que irão muito menos militantes que o propagado, mas que farão um quebra-quebra e agirão com violência. O que o PT se esquece é de que os gaúchos não são carneirinhos e representam a maioria silenciosa do Brasil, que quando chega a hora certa aparece. É bom não abusar, pois o desaforo que fizeram para o Brasil já foi grande demais, e com o povo não se brinca. 

Jorge Nurkin jorge.nurkin@gmail.com

São Paulo 

*

FACILITANDO O TRABALHO DA POLÍCIA

Quando a estupidez ultrapassa a burrice, tudo é possível. Ao defender abertamente a violência e até uma convulsão social com mortes durante as manifestações do próximo dia 24, caso Lula seja condenado pela 8.ª Turma do TRF-4, em Porto Alegre, a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, passa a ser avalista dos mais variados tipos de crimes previstos no Código Penal. Com isso a petista poderá facilitar muito o trabalho da polícia na identificação dos responsáveis por eventuais crimes praticados na próxima quarta-feira, todos fruto de incitação à violência. A natureza, às vezes, limita a inteligência, mas não a burrice. 

Paulo R. Kherlakian paulokherlakian@uol.com.br 

São Paulo

*

VERDE, AMARELO, LISTRADO E VERMELHO

Enquanto dona Gleisi acha que petistas terão que matar, espernear, arrancar os cabelos do peito puxando com as mãos, usando vermelho, o resto do Brasil sairá normalmente, de verde, amarelo, branco, azul, e os mais fervorosos anti-Lula com roupas listradas. E sem peso na consciência. Pegue a arma a senhora para dar o primeiro tiro e o exemplo.

Flávio Cesar Pigari flavio.pigari@gmail.com 

Jales 

*

JULGAMENTO DE LULA

Eminentes integrantes do PT reagirão em cadeia à eventual prisão de Lula.

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br 

São Paulo

*

FALAS FALACIOSAS

As falas falaciosas de Gleisi Hoffmann sobre a provável (confirmação de) condenação de Lula pelo TRF-4, incitando o povo à revolta, seriam digeríveis e pertinentes, se ela fosse uma parlamentar da oposição na Venezuela, assim, então suas palavras não seriam falaciosas.

 

Carlos Leonel Imenes leonelzucaimenes@gmail.com 

São Paulo

*

DESVARIO DO PT 

 

Irretocável o editorial "O desvario do PT" (18/1, A3). Em consequência da possível condenação e prisão de Lula, a maior repercussão, a mais expressiva, será a de alívio por o País estar, finalmente, limpando esse lixo da sua História. Compreensíveis até os desvarios do PT, em particular da senadora Gleisi Hoffmann. Ela sabe que junto com o chefe, em breve - sem nenhuma reação popular -, se juntarão mais sequazes. 

Nilson Otávio de Oliveira noo@uol.com.br 

Valinhos 

 

 *

CARA DE PAU

Não poderia ser melhor a análise do professor Ricardo Vélez Rodriguez, que em seu artigo "A persistente e cansativa cara de pau do PT e de Lula", publicado no "Estadão" (17/1, A2), sobre as peripécias indigestas e nada republicanas do PT e de Lula, neste momento crucial para o ex-presidente, quando o TRF-4, de Porto Alegre, poderá finalmente definir a condenação e prisão ou não de Lula, em 2.ª instância, alijando-o da vida pública no mínimo nos próximos oito anos, como determina a Lei da Ficha Limpa. O título do artigo define bem esta gente, cara de pau é o que realmente não falta, quando afrontam o nosso Judiciário, incitam a violência, principalmente caso o ex-presidente seja preso... E, quanto à história de Lula, dito homem mais honesto do Brasil, e seu partido, o PT, o articulista escreve: "A sociedade brasileira tem um caminho para tirar esse lixo da história e impedir que os 'petralhas' assumam, de novo, o poder no Brasil, a fim de destruir o que ficou das nossas combalidas instituições republicanas: repetir em alto e bom som, que sabemos de que se trata, conhecemos os malfeitos por eles praticados, que hoje já se situam em bilhões de dólares roubados e ainda estão intactos em paraísos fiscais". Melhor sugestão, impossível...

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com 

São Paulo

*

RECURSOS

Para aquele que tanto desdenhou dos que têm cursos, não há de sobrar nada além de recursos.

Eduardo Augusto Delgado Filho eadelgadofilho@gmail.com

Campinas

*

DORES DO PARTO

Poucos se dão conta do que está acontecendo. A sociedade brasileira está tendo as dores de um parto. Um novo e melhor país está para nascer. Claro, a tecnologia foi o catalisador como na química. Mas também como na química há dois reagentes: uma base (democracia) e o outro um ácido (comunismo). Vai ferver. A democracia se reestabeleceu após a ditadura militar. Mas a acidez ainda respirava no ranço comunista. O ácido tentou se expandir, e acabou conseguindo, com Lula. Após 15 anos e com a ameaça de ser destruído junto com seu criador, a acidez se encontra no máximo. Mas a Justiça, que é básica, vai mostrar no dia 24 que ainda não aceita virar simples gases do conflito, mas componente higiênico do novo país. Dores haverá, e podem ser fortes, mas o novo Brasil nascerá mais forte do que nunca, com a vitória do bem sobre o mal!

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br 

São Paulo 

*

'GEOGRAFIA DA FOME'

A propaganda, mesmo a enganosa, é a alma do negócio; isso todo mundo sabe e o PT mais do que todo mundo, pois esse partido só chegou ao poder e nele se manteve por angustiantes 13 anos através de um marketing fabuloso e muito, muito oneroso, pois, se o dinheiro empregado em suas campanhas eleitorais tivesse sido aplicado para equipar unidades de saúde com remédios, médicos e enfermeiros preparados, vagas em hospitais, maior cuidado com a educação e o trato com as crianças, saneamento básico e, principalmente, alimentação - já que a principal "sinfonia" desde o primeiro mandato de Lula era o "Fome Zero" -, não estaríamos em 79.º no ranking do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), como vimos no artigo de Almir Pazzionotto Pinto, "Geografia da Fome" (16/1, A2), em que as mazelas descritas - como a fome endêmica e a fome oculta - ainda são preocupadamente atuantes. E é mais preocupante ainda saber que a pergunta do autor do artigo, no final do texto, não será respondida por nenhum dos candidatos ao governo da República, pois as únicas preocupações que os dirigem são a conquista e a eterna permanência no poder.

Carmela Tassi Chaves tassichaves@gmail.com 

São Paulo

*

INDECÊNCIA ABSURDA

Nossos ilustres, demagogos e viciados políticos podem perfeitamente ser comparados a um "lobo", pois, conforme diz o ditado, "o lobo perde o pelo, mas não perde o vício" (muito menos suas presas e o instinto). Mal foram afastados de seus cargos pelo presidente Michel Temer, por suspeitas de corrupção, quatro vice-presidentes da Caixa Econômica Federal (CEF), partidos políticos já se digladiam, analisam e disputam as vagas, chegando à barbaridade de alguns deles quererem indicar o mesmo executivo afastado. É algo de tão absurdo, indecente, irreal que não temos palavras nem meios para comentar tal barbaridade. Vergonhoso!

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br 

São Paulo

 

*

ESCÂNDALO NA CEF

E eu, como fico? Devo continuar apostando na Loteca?

Sergio S. de Oliveira ssoliveiramsm@gmail.com 

Monte Santo de Minas (MG)

*

'DEMAGOGUS'

Mosquito Haemagogus transmite a febre amarela e políticos "Demagogus" propagam a corrupção sem fim!

 

José Roberto Niero jrniero@yahoo.com.br 

São Caetano do Sul 

 

*

O ENDIVIDAMENTO E A POUPANÇA

Viu-se até o momento presente o governo preocupar-se com os custos do cheque especial, cujos juros, na realidade, são extremamente onerosos e pesados. Entretanto, o governo e, em especial, o Banco Central (BC) não podem esquecer-se de que a inadimplência existe e que os juros elevados ocorrem para compensar os créditos podres e a impontualidade nos pagamentos. De outro lado, o governo não pode deixar no esquecimento que uma nação, para progredir, precisa contar com a poupança de seus habitantes. Ninguém fala em poupar. Só se fala em consumir, mesmo pagando altos juros. Se os juros do cheque especial baixarem, não haverá possibilidade de o consumo aumentar e as dívidas bancárias crescerem? O tempo dirá.

José Carlos de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br 

Rio Claro

*

JUROS ALTOS 

O BC pressiona os bancos para que reduzam as altas taxas de juros, mas não pressiona Michel Temer e Congresso para que reduzam os altíssimos impostos. Os cidadãos escolhem se usam dinheiro dos bancos, mas os impostos são impostos. Por que nada faz com CEF, BNDES e BB, que também são bancos?

Mário A. Dente eticototal@gmail.com 

São Paulo

*

RENÚNCIA FISCAL

Nós, brasileiros honestos, que suamos para pagar as contas em dia, sustentamos os picaretas viciados dos Refis. São R$ 17,6 bilhões por ano, em média, que vão para o ralo, diretamente do nosso bolso. Até quando, Brasil?

Milton Bulach mbulach@gmail.com

Campinas 

*

DIFÍCIL ACREDITAR

É impossível, diante do nosso dia a dia, acreditar que a inflação de 2017 foi de 2,95%. Tem alguma coisa errada ou deixaram alguns itens fundamentais de fora (pelo que vemos isso não ocorre). Os mesmos que deveriam representar a nossa realidade, base para o cálculo, devem estar errados. Não está fora a possibilidade de os dados (levantamentos) terem erros na sua elaboração. Neste Brasil tudo é possível. A elaboração desse índice é intencional ou casual?

Laert Pinto laert_barbosa@globo.com 

São Paulo

*

FAZ O QUE QUER

A concentração bancária e o poder dos bancos após anos de aquisições e fusões no segmento já causam sérios danos aos consumidores, à economia nacional e já comprometem o tenro controle que tinha o BC sobre a banca nacional. Enquanto as taxas de juros Selic caem, as cobradas dos consumidores em operações de crédito, em especial cartão e cheque especial, crescem. Enquanto a remuneração do aplicador pela Selic chega a 7% ao ano, a taxa cobrada do consumidor no cartão não cede a menos de 15% ao mês!  A taxa de juros é livre? Dizem que sim. Mas a agiotagem não! Desde 1988 dormita no Congresso a regulamentação da taxa de juros de 12% ao ano. Nada surpreende, pois sabemos que quem banca e financia a eleição de grande parte do Congresso tem grande influência nas decisões de Judiciário e, no Executivo, não precisa nem falar... Assim, o consumidor, completamente abandonado pelas agências reguladoras e pelo BC, paga taxas exorbitantes, é mal tratado (inclusive em atendimentos private, personalité, etc.) e, ante esse poder econômico ganancioso, não tem a quem recorrer. Nem a quem deveria fiscalizar e regular os bancos e nem ao Judiciário, altamente comprometido com a banca nacional, sem contar a omissão do Ministério Público. Um exemplo dessa orgia é que recebemos juros das aplicações a cada dia útil, mas pagamos juros do cartão e cheque especial pelos dias corridos. Nem os atendimentos especiais e private se salvam. Estão péssimos. Não há concorrência. Não existe desejo de atender bem o correntista e cliente. A banca faz o que quer neste país! O que quer mesmo!

Helio Silva Campos hcampagnucio@hotmail.com 

Brasília

*

AMEAÇA X VERGONHA

O BC ameaçou os demais bancos no que se refere à baixa dos juros no cheque especial (uma vergonha). Agora, falta o STF ameaçá-los no sentido de restituir aos poupadores suas economias referentes aos planos bastante conhecidos por todos há mais de três décadas (vergonha nacional).

Itamar Trevisani itamarcarlostrevisani@gmail.com

Jaboticabal 

*

É PRA QUEIMAR?

A equipe econômica do governo, o único núcleo da administração federal aparentemente responsável fiscalmente, sabe bem. Capitalizar a CEF com fundos do FGTS é o mesmo que sair queimando dinheiro, e dinheiro que não é do governo, ou seja, que deverá ser devolvido. E, para deixar claro a todos, a opção por capitalizar a CEF com o FGTS se faz porque o governo não tem como fazer isso com verba do Tesouro (estouro da regra de ouro, lembram?), mas quer continuar usando a CEF como instrumento de política e corrupção, fora do radar do orçamento federal. A alternativa? Diminuir o tamanho da carteira de empréstimos de forma brutal e deixar a CEF focada só no mercado imobiliário, coisa que deixou de fazer em 2003 quando o seu total de empréstimos era dez vezes menor do que é hoje. Mas, já há muito se foram os tempos em que a CEF só fazia financiamento imobiliário. Mais um monstro que o PT criou. 

Oscar Thompson oscarthompson@hotmail.com

Santana de Parnaíba 

*

'O RESGATE DO BNDES'

Sobre o editorial "O resgate do BNDES" (15/01, A3), infelizmente torna impossível o pleiteado (resgate). Este banco, formado para auxiliar no desenvolvimento nacional, teve seu rumo desvirtuado. Em raros momentos sua função foi exercida. Quando foi, os valores dispendidos foram parar nas mãos de empresas criadas para achaque e outros valores enviados para países que sabidamente não os devolveriam. Cada empresa nacional que porventura completasse os quesitos e o emaranhado de pedidos (projetos) recebia uma carta já previamente impressa, com os dizeres "comitê de enquadramento, crédito e mercado de capitais, deliberou a impossibilidade de atendimento da solicitação por não estar de acordo com os critérios de enquadramento do sistema BNDES". No começo, era difícil saber quais eram estes "critérios". Centenas de empresas preenchiam todos os formulários corretamente, tinham e têm condições de utilizar recursos solicitados, tinham avalistas e possibilidades de dar fiança, mas nem assim eram ouvidas. O BNDES, escolhendo financiar pouquíssimas empresas com recursos monstruosos, prova que aquilo nada mais é do que um cabide de empregos para centenas de aspones e apadrinhados, pois se são poucas as empresas beneficiadas, para que tantos funcionários? Não têm o que fazer. O valor monstruoso aplicado nas grandes empresas (4,5%, segundo o editorial) e nos países indicados pelo PT, se fosse aplicado em financiamento a pequenas empresas nacionais, para cada uma R$ 50 mil, daria para auxiliar (pasmem) 9 milhões de pequenas empresas. Pior: este valor voltaria ao governo em forma de impostos, já que as empresas nacionais investiriam na compra de equipamentos, contratação de mão de obra, melhoria de suas atividades. Agora, o BNDES vai ter que devolver o dinheiro para o governo, e não sabe como fazer para receber de volta o que "emprestou". Pelo mesmo caminho está indo o Desenvolve São Paulo, outra agência paulista para colocação de nomeados e aspones. Empréstimos que é bom, nada. Está mais do que na hora de rever estas posições ou fazer uma limpeza geral. 

Jose Pedro Vilardi vilardijp@ig.com.br 

São Paulo

*

IMPUNIDADE

Interessante este país: os banqueiros praticam livremente falsidade ideológica, apropriação indébita, coação, intimidação, e, quando Ilan Goldfajn pede para reduzirem os juros, a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) de forma hipócrita diz que vai estudar!

Francisco José Sidoti fransidoti@gmail.com 

São Paulo

*

SEGURANÇA PÚBLICA

Houvesse interesse em estancar o genocídio de brasileiros, as leis penais seriam alteradas e a construção e administração de presídios seriam abertas à concorrência internacional. Mas isso não dá votos, não rende propinas nem modifica as garantias de vida dos que decidem os destinos do País.

Marcelo Gomes Jorge Feres marcelogferes@ig.com.br 

Rio de Janeiro 

*

MINISTÉRIO TEMER

A insistência dos tribunais em usurpar a prerrogativa e independência do Executivo e impedir a posse de Cristiane Brasil no Ministério do Trabalho já se configura como sério caso de assédio judiciário. 

Luciano Harary lharary@hotmail.com 

São Paulo 

*

CAMPEONATO PAULISTA DE FUTEBOL 

Que me perdoe o técnico do Corinthians Carille, mas sua atuação na Flórida Cup deixou a desejar quanto aos resultados, porque essa de trocar um time inteiro titular por reservas e jogar fora duas vitórias garantidas por derrota cantada, não dá! Na estatística da Fifa quem perdeu foi o Corinthians, e não o time reserva. A impressão foi que o técnico do timinho do Rangers enquadrou Carille ao colocar só no segundo tempo seu melhor boleiro, Morelos, que noutro jogo ganhou sozinho, repetiu a dose e passou a impressão de que o corintiano não o assistiu antes. Quanto aos boleiros reservas, tirando o goleiro e um ou dois outros, o restante pode dispensar. Carille, cuidado, sua atitude deu a impressão de que após tantos elogios merecidos, destes a impressão de você estar se "achando". Lá na Flórida experimentos ainda podem ser toleráveis, mas no Campeonato Paulista continuar com um Kazim e perder para uma Ponte Preta que boa parte do tempo jogou com dez é de doer na alma. Uma pergunta: os salários estão em dia? A pergunta é válida porque o time está de bronca. É isso ou neste jogo parecia que o elenco jantara uma suculenta feijoada regada a muita cerveja, tal a moleza dada para os campineiros? 

Laércio Zannini spettro@uol.com.br

São Paulo

*

ANIVERSÁRIO DE SÃO PAULO

Agradeço ao economista e consultor econômico Roberto Macedo pelo presente que deu a todos os paulistanos neste mês do aniversário da cidade. "Muito obrigado, cidade de SP" (18/1, A2) foi uma das coisas mais lindas que li sobre esta cidade. Geralmente as pessoas aqui chegam, usufruem da cidade, nada acrescentam e ainda falam mal dela. Mais uma vez, obrigado, sr. Macedo!

Lydia Ebide lebide@vivointernetdiscada.com.br

São Paulo 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.