Fórum dos Leitores

.

Impresso

25 Janeiro 2018 | 03h07

CORRUPÇÃO

Fim de linha?

Lula perde no Tribunal Federal da 4.ª Região (TRF-4) por 3 a 0 e vê a sua pena aumentada. A Bolsa dispara mais de 3%. O dólar desaba. O Brasil festeja!

SILVIO NATAL

silvionatal49@gmail.com

São Paulo

Apaga-se uma estrela

O jingle da campanha de Lula à Presidência da República em 1989 dizia, de maneira muito competente e com uma sonorização que ficou na memória dos mais velhos até hoje: “Lula lá, brilha uma estrela ...”. Hoje, quase 29 anos depois podemos dizer que finalmente essa estrela se apaga em definitivo. Soltemos o jingle dos gols brasileiros em Copas do Mundo: “Brasil zil-zil-zil!”. Enquanto escrevia, terminava o julgamento: 3 a 0. Gritos, rojões e buzinaços pelas ruas. Que alegria! E que júbilo sentem os brasileiros de bem neste momento!

SÉRGIO KOCINAS

sergio.koc@hotmail.com

São Paulo

Gol do Brasil

O Brasil venceu a sua mais dura batalha. O 3 a 0 significa que a ética, a honestidade de princípios e o trabalho de uma população ordeira venceram a corrupção, a bandalheira e a mentira. Resta-nos aguardar o cumprimento da pena, pois ninguém está acima da lei. Que se cumpra também a Lei da Ficha Limpa e que o Supremo Tribunal Federal (STF) cumpra o seu papel de defender a Constituição da República e as demais leis, esquecendo as decisões políticas, que só beneficiaram os corruptos. A nós caberá concluir, em outubro, com o nosso voto consciente, a verdadeira vitória do nosso país. Ontem foi só o início.

ROBERTO LUIZ PINTO E SILVA

robertolpsilva@hotmail.com

São Paulo

A Justiça tarda, mas...

Agora me sinto mais brasileiro do que nunca. De alma lavada, quarada e secada.

MANOEL BRAGA

mbraga1951@gmail.com

Matão

Alma lavada

Depois desse longo julgamento, dizer o quê? Que, juridicamente, os votos que vieram do Sul são irretocáveis e prolatados com demolidora calma e clareza. Que os jovens desembargadores se houveram de forma a causar inveja aos ínclitos magistrados do STF, quer porque julgaram o feito dentro de prazo razoável, quer porque nenhum deles se preocupou em mostrar erudição, deixando evidente, contudo, o profundo conhecimento do Direito, além de harmonia e tranquilidade, cada um dentro de seu estilo. Julgaram os fatos, brandindo outros fatos de maneira a não deixar pedra sobre pedra dos argumentos da defesa. E o desembargador Victor Laus jogou a derradeira pá de cal: o problema foi que o sr. Lula da Silva, uma vez na Presidência da República, perdeu o rumo e se propôs a dirigir a Nação da forma como dirigia seu partido ou, quiçá, o sindicato. Haverá embargos de declaração, claro. Mas será difícil redigi-los, creio. Ontem tivemos uma aula magna de Direito. O País merecia isso há muito, mas muito tempo.

REGINA MARIA PEÑA

reginapena.adv@hotmail.com

São Paulo

Viagem marcada

Os “meninos” deram uma aula pro “cara”. E agora, será que ele vai pedir asilo na Etiópia?

MOISES GOLDSTEIN

mgoldstein@bol.com.br

São Paulo

Fim do mito

A condenação em segunda instância, por unanimidade, pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro e o aumento da pena de reclusão é o começo do fim do mito Lula, o trabalhador que nunca foi e o ex-presidente cuja visão do poder era como aproveitá-lo para ali permanecer para sempre, corrompendo tudo e todos. O PT pode continuar a farsa de reclamar a inocência de Lula ou seguir o conselho de Fernando Haddad: “Com ou sem Lula, a esquerda terá de se repensar”. Traduzindo: o PT humildemente terá de reconhecer seus graves erros e procurar ser um partido dos trabalhadores honestos, sem os chiliques da Gleisi Hoffmann, as ameaças pouco sutis de Rui Falcão e o discurso bolchevista da CUT, do MST e da Via Campesina!

OMAR EL SEOUD

elseoud.usp@gmail.com

São Paulo

Que papelão!

Vergonhoso ver a participação da CUT, gastando uma fortuna, expropriada dos trabalhadores, com aluguel de ônibus, camisetas, chapéus, lanches, balões, hospedagem, etc., para defender o Lula.

MARY FERNANDES

mm.cruz23@me.com

São Paulo

Incendiários

Bombeiros, fiquem de prontidão. Afinal, o PT prometeu tocar fogo no Brasil se o ex fosse condenado, lembram?

CARLOS ALBERTO DUARTE

carlosadu@yahoo.com.br

São Paulo

Ameaça terrorista

A senadora Gleisi Hoffmann parece não compreender a democracia e o funcionamento das instituições. Diz que é para “radicalizar a luta”. Qual o próximo passo? Um ataque à bomba? A morte de um juiz? Aprenda a perder, senadora, aqui não é Cuba!

SÉRGIO ECKERMANN PASSOS

sepassos@yahoo.com.br

Porto Feliz

ANIVERSÁRIO

Parabéns, São Paulo

São Paulo é das raras grandes cidades do mundo que têm certidão de nascimento. Sabe-se exatamente onde e quando nasceu. Os registros mostram que em 25 de janeiro de 1554 foi celebrada missa justamente no local posteriormente batizado como Pátio do Colégio. Entre os religiosos que aqui chegaram, o mais conhecido é o padre José de Anchieta, canonizado em data recente pela Igreja Católica. Anchieta foi responsável pela abertura de um caminho estrategicamente localizado entre dois grupos de índios hostis que se tornou conhecido como Caminho do Padre José, onde começaram a transitar tropas de mula, o que levou o governador a regularizá-lo posteriormente. Terá sido a primeira ligação estável entre São Paulo e o litoral. O padre Manoel da Nóbrega, em relato, informava que a região era plana e propícia à cultura e à criação de gado. Percebeu que do local se desfrutava incomparável vista, muito valorizada pela presença de um rio que corria para o interior, e não para o litoral. Por ele se podiam atingir longas distâncias em direção ao sul, o que representava uma rede de caminhos fluviais. Padre José de Anchieta, olhe pelo núcleo urbano que fundou!

BENEDITO LIMA DE TOLEDO

bltoledo@uol.com.br

São Paulo

 

24 DE JANEIRO DE 2018: LULA CONDENADO

 

Os três desembargadores do Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4), Victor Laus, Gebran Neto e Leandro Paulsen condenaram o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro no caso do triplex. Os desembargadores definiram a pena em 12 anos e um mês. Sem dúvida, essa foi a melhor notícia, desde o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff. O povo brasileiro venceu uma importante batalha dessa guerra que parece não ter fim.

 

José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br

Belo Horizonte

 

*

3x0

 

Agora espero que o judiciário não se acovarde e não regue a constituição.

 

Moises Goldstein mgoldstein@bol.com.br

São Paulo

 

*

ARRUMAR A MALA

 

Lula, o show já terminou. Volta à realidade da tua vida, afinal, se você é inocente então a Petrobrás não sofreu nada e os diretores nomeados por ti eram santos e devem virar anjos. As tuas desculpas não enganam juízes espertos, aliás, mais espertos do que tu e teu corrupto PT. Agora é hora de arrumar a mala e se preparar para ir para a Papuda. Afinal, o Brasil não precisa de enganadores e mitos como tu. Até nunca!

 

Zureia Baruch Jr. zureiabaruchjr@bol.com.br

São Paulo

 

*

COMPANHEIROS

 

Lula, com quem você prefere passar os próximos 12 anos:

Cabral, Maluf ou Marcola?

 

Carlos Alberto Roxo roxo.sete@gmail.com

São Paulo

 

*

LULA, FORA DA ELEIÇÃO, PERTO DA PRISÃO...

 

De nada serviu toda a ácida pregação de Lula, que chamou de “mentirosos” o juiz Sérgio Moro, a Polícia Federal e o Ministério Público Federal. Os desembargadores do TFR-4 o condenaram, por 3x0, e ainda ampliaram sua pena de nove para 12 anos. Julgado em segunda instância, ele não poderá ser candidato à Presidência, como pretende, pois se torna ficha suja. E ainda pode ser preso a qualquer instante, com base na recente jurisprudência do Supremo Tribunal Federal (STF) segundo a qual, os recursos aos tribunais superiores não têm efeito suspensivo. Esse resultado fortalece a imagem do País, principalmente perante os investidores nacionais e internacionais, pois demonstra seriedade e firmeza institucional. Depois desta condenação, todos os corruptos (os que já foram pegos e os que ainda não) estão preocupados. Espera-se que, com o resultado, tanto o ex-presidente quanto seus seguidores tenham juízo e não tentem a desobediência civil, pois isso em nada os beneficiará...

 

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

Tatuapé

 

*

‘VERÁS QUE...’

O Brasil respira ar mais puro hoje! "Verás que um filho teu não foge à luta!"

 

Ary Braga Pacheco Filho ary.pacheco.filho@gmail.com

Brasília

 

*

FELONIA DE LULA

 

Lula cometeu contra o Brasil um ato de felonia. Traduzindo: a mais baixa e rasteira das traições contra um povo que inocentemente confiou nele!

 

Célia Henriques Guercio Rodrigues celitar@icloud.com

Avaré

 

*

SEM SURPRESAS

 

Por tudo que já era público, não houve surpresa nenhuma na confirmação pelos três desembargadores do TRF-4, da condenação imposta pelo juiz Sérgio Moro ao ex-presidente Lula no caso do tríplex do Guarujá, inclusive no aumento da pena de nove anos e meio para 12 anos e um mês. Mas se destacou a oratória do voto do desembargador Victor Laus, que descreveu de forma didática e brilhante a trajetória dos fatos que levaram ele e os dois outros colegas a confirmarem que ficaram configurados os crimes de lavagem de dinheiro e corrupção passiva, que agora tem tudo para levar Lula à cadeia.

 

Abel Pires Rodrigues abel@knn.com.br

Rio de Janeiro

 

*

3X0 E AINDA VÃO RECORRER?

 

Se fosse 2x1 ainda seria compreensível, mas 3x0? E a defesa vai entrar com embargos de declaração? Claro, vão tentar tudo. Estamos pagando eles. Sim. Quem está pagando a defesa do ex-presidente Lula, que tem 15 advogados, somos nós, o povo. Com o dinheiro desviado pela corrupção, que deixou o País quebrado, cidades sem condições de atender a população, sem hospitais, sem transporte público, sem segurança pública, etc.. O PT paga estes advogados. Como sempre, o povo é feito de palhaço. Espero que essa sentença seja o início de uma nova era para o País. Agora todos vão colocar as barbas de molho. Afinal, foi condenado em 2ª instância, por unanimidade, um popular ex-presidente.

 

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

 

 

*

CONDENAÇÃO

 

É bi, é bi condenado, é penta é pentarreu! Lula, você não passa de um dos maiores engodos e enganadores, nunca antes vistos na história deste país!

 

José Roberto Niero jrniero@yahoo.com.br

São Caetano do Sul

 

*

TRANQUILIDADE

 

Lula afirmou que estava "extremamente tranquilo com o TRF-4".

Eu também.

 

Milton Córdova Junior milton.cordova@gmail.com

Vicente Pires (DF)

 

*

DOSIMETRIA (SEM GELO)

 

12 anos lembra uísque, mas é cana...

 

Ademir Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

 

*

GRANDEZA

 

Infelizmente não podemos esperar nenhum gesto de grandeza da parte do senhor Lula da Silva.

 

Eduardo Augusto Delgado Filho eadelgadofilho@gmail.com

Campinas

 

*

SLOGAN

 

Lula tu blefa muito, mas a brincadeira acabou! Os juízes foram diretos e focaram na tua artimanha de corrupto. Agora criei um slogan, se eventualmente você quiser correr o risco de se candidato à presidente: Lula, ladrão, canalha e vacilão.

 

Marieta Barugo mbarugo@bol.com.br

São Paulo

 

*

A VEZ DELE

 

Tchau querido!

 

Sérgio Eckermann Passos sepassos@yahoo.com.br

Porto Feliz

 

*

 

SÃO PAULO, 464 ANOS

 

São Paulo dos bandeirantes, São Paulo da garoa, São Paulo das enchentes. São Paulo, minha São Paulo, São Paulo de tanta gente. 464 anos se passaram desde sua fundação. Com sua simpatia conquistou as multidões e todos os que a conhecem por ti sentem admiração, e mesmo seus filhos ausentes te guardam no coração. Quem me dera o tempo me levasse ao passado e de novo eu voltasse a conviver ao seu lado, em suas ruas movimentadas e seus lindos arranha-céus. Todos os que a conheceram para ti tiram o chapéu. Parabéns, São Paulo, parabéns a todos os paulistanos.

 

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

 

*

CIDADE DAS OPORTUNIDADES

 

Gostei muito do artigo de Roberto Macedo no “Estadão” de 18/1 (página A2) em homenagem à cidade de São Paulo, que comemora hoje seus 464 anos. Humano, sentimental, com inúmeros dados históricos a comprovar os passos da trajetória pessoal e profissional do autor na metrópole paulistana, o texto enaltece a cidade e engrandece o depoimento/homenagem. Parabéns ao ilustre economista e, igualmente, à nossa grande e querida urbe, fruto dos sonhos e do trabalho de Anchieta e Nóbrega.

 

Vicente de Paula Oliveira oliveira.vicente.paula@gmail.com

São Paulo

 

*

HOMENAGEM DE ANIVERSÁRIO

 

Gostaria de deixar minha homenagem a São Paulo, cidade em que nasci, vivi e venci. Ao completar 83 anos, nascido e criado nesta cidade vigorosa e vibrante, composta de gente briosa e de índole forte, impetuosa e independente, dela me vanglorio e de há muito tento elaborar uma homenagem em retribuição ao muito que dela recebi. Simultaneamente, quero mostrar aos netos, aos jovens e imigrantes que se agregam a essa terra paulista de que foram feitas as nossas origens e que muitos desconhecem. São Paulo se erigiu vigorosa e trepidante com arroubo de fascinante grandeza, acendrado amor ao trabalho, progresso e liberdade. Os que aqui aportam sentem logo a grandeza de São Paulo que está alicerçada em algo além do trabalho, da técnica e do saber, é o espírito indômito e destemido herdado dos abnegados bandeirantes, transformando-nos numa verdadeira família, por isso somos diferentes e indestrutíveis, ninguém conseguirá destruir o espírito dos bandeirantes, destemido e corajoso que passa a existir em cada cidadão paulista. Cidade extraordinária, da qual me orgulho de aqui ter nascido, vivido intensamente até a vitória final, juntamente com meus pais e irmãos.

 

Ivan Endo eliene@ienimob.com.br

São Paulo

 

*

VIVA, SAMPA!

 

São Paulos, Josés e Jorges. São Marias, Ritas e Joanas. São corintianos, palmeirenses e são-paulinos. São publicitários, advogados e médicos. São da indústria, do comércio e dos serviços. São do centro, dos bairros e da periferia. São ricos, pobres e sem teto. São crianças, jovens e idosos. São natos, migrantes e imigrantes. São cristãos, judeus e ateus. São homens, mulheres e transgêneros. São tucanos, petistas e sem partido. São roqueiros, sambistas e eruditos. São patrões, trabalhadores e desempregados. São de todos os cantos do País e do mundo. São Paulo. Viva, Sampa, 464 anos!

 

J.S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

 

*

SÃO PAULO, PARABÉNS!

 

Há mais de uma década, quando São Paulo completou 453 anos de fulgurante existência apresentamos nossos cumprimentos à grandiosa e esplendorosa metrópole, com as seguintes, porém, atuais palavras, as quais foram publicadas neste espaço em 25/1/2007: "Hoje é aniversário da cidade de São Paulo, que de um pequeno vilarejo criado no Planalto Paulista, 453 atrás, passou a ser uma cidade universal, aquela sonhada por toda humanidade. Onde há congregação dos povos. Onde todas as pessoas são tratadas como seres humanos. Onde convivem, como irmãos, todos os credos, religiões e raças. Ricos e pobres. Onde a pujança do trabalho, não obstante as adversidades naturais, não são óbices para o desenvolvimento da cidade. Onde a cultura e a arte florescem como em nenhum outro lugar do País. São Paulo tem um pedacinho de cada lugar do mundo, dos grandes centros aos mais exóticos. Enfim, São Paulo é uma miscelânea de culturas e um caleidoscópio de imagens humanas. Parabéns, São Paulo". E, de lá para cá só melhorou, como noticiou este jornal, na edição do domingo passado. Agora São Paulo atrai como os mesmos braços abertos cidadãos de todas as nacionalidades, não importando suas origens, basta e tão somente o ser humano. Parabéns, São Paulo.

 

Carlos Benedito Pereira da Silva carlosbpsilva@gmail.com

Rio Claro

 

*

ELEIÇÃO: SEMPRE PODE PIORAR...

 

Todos devem se lembrar do famoso slogan de campanha eleitoral utilizado pelo palhaço Tiririca quando candidato a deputado federal: “Pior do que tá não fica”. Sua aplicação nas próximas eleições, porém, é totalmente incompatível com nossa realidade política atual. Há poucos dias, por exemplo, fomos pegos de surpresa com a tenebrosa notícia de que o ex-presidente Fernando Collor, que sofreu um impeachment em 1992, declarou-se candidato a presidente nas próximas eleições. Simplesmente vergonhoso, indecente e de uma cara de pau indescritível e imensurável tomar tal decisão após todos os males que fez ao País, consequentemente sacrificando, barbarizando e hostilizando a população que nele acreditou e votou. Né, não?

 

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

 

*

QUARTETO DA DESTRUIÇÃO

 

Collor anuncia que vai concorrer à Presidência em 2018. Se também participarem do pleito Lula, Dilma Rousseff e Michel Temer, fecha-se o quarteto da “destruição”. Aí fica fácil, é só definir qual a prioridade: liquidar com a poupança de todos os brasileiros, liquidar com a economia brasileira, com nova edição do petrolão, obras da Odebrecht e financiamentos à Friboi/JBS, entre tantas outras, morrer de vergonha perante os países desenvolvidos e em desenvolvimento, com a incompetência e a teimosia de seu governante, ou com a chuva de malas de dinheiro em circulação no País, combate ferrenho até a destruição da Lava Jato. Para ferrar de vez, que tal Gilmar Mendes no páreo?

 

José Carlos Alves jcalves@jcalves.net

São Paulo

 

*

LIXO ELEITORAL

 

E eis que surge, na lata do lixo de pré-candidatos à eleição presidencial de outubro, mais um: o grande “caçador de marajás” (e de maracutaias), o ex-presidente e senador Collor de Mello resolveu integrar o volume de resíduos sólidos sem utilidade, supérfluos e perigosos que até o momento tem Lula, Ciro Gomes, Marina Silva, Henrique Meirelles e Rodrigo Maia, fora outras coisas ruins que começarão a surgir, principalmente se Lula não for candidato. Ver um homem que, entre outras sujeiras, confiscou as economias de milhões de brasileiros e brasileiras e se envolveu com propinas como as investigadas pela Lava Jato querendo disputar a Presidência do País pode ser o último saquinho a ser jogado no grande lixão nacional.

 

João Direnna joao_direnna@hotmail.com

Quissamã (RJ)

 

*

MASOQUISMO ELEITORAL

 

Realmente, a candidatura Collor vem a calhar. Aquele eleitor que hoje quer Lula, que na ausência dele quererá Dilma, vai encontrar em Collor uma alternativa adequada para suas aspirações. Isso enquanto o nome de Gilmar Mendes não surgir...

 

Jorge Alberto Nurkin jorge.nurkin@gmail.com

São Paulo

 

*

MEMÓRIA DE ELEFANTE

 

Entra Fernando e sai Fernando, quem paga é o povo, e por falta de cultura vota nele de novo. Assim diria Marcelo D2 outrora... Realmente, o povo não se lembra em quem votou para deputado na última eleição, que dirá dos estragos causados por Fernando Collor de Mello, José Sarney, Paulo Maluf e Lula. E, logo, logo, teremos por aí Dilma Rousseff se reelegendo, por um povo de memória curta e sem neurônios. Precisamos ter aqui, no Brasil, uma memória de elefante, e para isso precisamos de uma cultura voltada para a leitura e a informação diária. Afinal, a leitura de um jornal como este, por exemplo, já evitaria a reeleição de gaiatos e cínicos por aí afora. Desliguem a TV e vão ler um jornal!

 

Leandro Ferreira ferreiradasilvaleandro73@gmail.com

São Paulo

 

*

O FARSANTE

 

O inepto senador por Alagoas Fernando Collor, indiciado também na Lava Jato, mesmo já tendo sido expulso do Planalto por meio de impeachment em 1992 e com um currículo político similar ao do formador de quadrilha Lula, na maior cara de pau, se diz candidato ao pleito deste ano para a Presidência da Republica. O farsante “caçador de marajás”, novamente, quer zoar como o nosso País.

 

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

 

*

ATRASO

 

Espero que a candidatura do Collor à Presidência da República não cause inveja a José Sarney. Atraso por atraso, qualquer um deles tem poder de destruição.

 

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

 

*

TERROR

 

O atual senador Collor parece o personagem do filme de terror Freddy Krueger: ressurge sempre! No contexto político, o terror é autêntico. Seu renascimento como senador, aliado ao PT, só não desgostou aos que nele votaram, numa emanação, a assombração de um passado que já se julgava extinto. Uma demonstração do anacronismo de nossa política, que não consegue se renovar. A começar pela retórica oca, pelas promessas vãs e o conteúdo de baixa densidade. Promessas que acabam no dia da eleição. Que perspectivas, portanto, podemos ter deste cidadão? A atitude de Collor, que pratica uma política de estilo coronelista-imperial-continuísta, já que filho de senador, hoje também senador e querendo emplacar seu filho na mesma posição, mais do que simplesmente anunciar uma candidatura, é desafiadora, atrevida, insolente. Não é surpresa, é o fim da picada.

 

Sergio Holl Lara jrmholl.idt@terra.com.br

Indaiatuba

 

*

SURREALISMO ELEITORAL

 

Candidatura de Collor é brincadeira de mau gosto.

 

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

 

*

OUTUBRO EM AÍ

 

Fiquemos atentos: outubro não é uma eleição qualquer. A turma da velha esquerda armada, a turma que almeja um cadáver (que não seja deles, claro) deseja, ardentemente, comemorar os cem anos da revolução comunista russa vendo nascer em outro país-continente, a velha ordem que implantou, por onde foi tentada, a desagregação moral das nações e a desordem política. Os ideais foram substituídos por um plano de poder onde a democracia não terá vez. Fiquemos atentos, pois!

 

Paulo Melo Santos policarpo681@yahoo.com.br

Salvador

 

*

UM GRANDE VAZIO

 

O editorial “Um vazio a ser preenchido” (21/1, A3) mostrou que estamos politicamente órfãos de candidatos à Presidência que possam fazer com que o Brasil saia do atual atoleiro ético, e afirma, acertadamente, haver um amplo espaço para o crescimento de nomes e partidos que se identifiquem com uma plataforma realmente de centro. Mas, se essa candidatura ainda não apareceu, e o tempo urge, haveremos de orar pela vitória do menos pior, como sempre sói acontecer há tanto tempo em época de eleições? Será que não chega dessa mediocridade? Parece que não, ao constatarmos a surreal polarização entre estes dois extremos da boçalidade, Lula e Bolsonaro. O que aparece é mais do mesmo: Fernando Haddad e, por incrível que pareça, Fernando Collor! Alternativas existem, como a lúcida e corajosa economista Ana Carla Abrão, ex-secretária da Fazenda de Goiás, e mais alguns outros bons nomes, mas até agora nenhum deles se habilitou, e, assim, esse grande vazio segue a clamar por alguma substância.

 

Luiz Leitão da Cunha luizmleitao@gmail.com

São Paulo

 

*

‘A RESPONSABILIDADE DO ELEITOR’

 

O editorial publicado em 20/1 (página A3) colocou muito bem a responsabilidade e a necessidade de o eleitor votar bem nas próximas eleições, para manter um bom Congresso Nacional, representante do povo brasileiro. Mas seria interessante uma renovação de cem por cento: não reeleger nenhum dos atuais nomes, para tornar todos os atuais representantes do povo sem foro privilegiado, e assim todos poderem sofrer um julgamento justo e rápido pela Justiça, por negligência ou por prevaricação, para que fique claro quem é quem e que, com a limpeza, os julgados honestos possam voltar a se candidatar nas eleições seguintes.

 

Arcangelo Sforcin Filho arcangelosforcin@gmail.com

São Paulo

 

*

‘RECALL’

 

A responsabilidade do eleitor é proporcional à qualidade dos representantes. Ocorre que o eleitor lava as mãos depois de depositar seu voto nas urnas, até porque não detém o direito de, se arrependido de sua escolha, defender a perda do mandato do mau político, o “recall”. É importante que o “recall” seja instituído em nosso País, para mostrar ao eleitor que ele manda: se concedeu o mandato, tem o direito de retirá-lo, dentro da lei. Político eleito nunca pode se esquecer de que as ideias do eleitor devem prevalecer sempre, acima das suas próprias.

 

João Crestana jbat@torrear.com.br

São Paulo

 

*

A REALIDADE NO CONGRESSO

 

O Congresso não representa o povo brasileiro. Os 594 congressistas representam apenas e tão somente os interesses dos partidos políticos. Não há pessoas comuns no Congresso, apenas políticos profissionais. Acabar com o autoproclamado monopólio dos partidos políticos na vida pública seria o primeiro passo para o País sair do pântano de corrupção sistêmica em que se encontra atolado. Um cidadão comum deveria poder se candidatar para qualquer cargo eletivo num regime democrático de verdade, e não se ver obrigado a ingressar num partido político para poder exercer seus direitos políticos. Os partidos políticos brasileiros se transformaram em quadrilhas criminosas especializadas em roubar dinheiro público. Para entrar para qualquer uma dessas quadrilhas, o cidadão tem de provar que é capaz de arrecadar dinheiro por fora em sua campanha e, com isso, abastecer o caixa 2 de seu partido. Uma vez eleito, o cidadão já está refém da quadrilha criminosa, que o obrigará a continuar desviando dinheiro público em benefício do partido/quadrilha. Essa é a realidade do que existe hoje no Congresso brasileiro, e ela precisa mudar para o Brasil se tornar um país digno e democrático.

 

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

 

*

JOSÉ SERRA NO SENADO

 

O senador José Serra afirmou em alto e bom som que não irá disputar eleições neste ano, pois ainda tem pela frente mais cinco anos de mandato no Senado. Na verdade, o eterno candidato ao governo paulista e ao Planalto foi pego “com a boca na botija”, acusado de receber recursos ilícitos em suas campanhas. Vendo seu retrospecto nada animador nas eleições passadas, ele não tem o mínimo interesse em arriscar a própria pele e perder o famigerado foro privilegiado. Ô, coitado!

 

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

 

*

A ANIMAÇÃO DE JOÃO DORIA

 

Sabiamente, Serra afirma que não concorrerá nas próximas eleições. Por nunca ter terminado nenhuma gestão para a qual foi eleito, apesar de ter feito um bom trabalho, sabe que perderia de novo. João Doria, mais uma vez, ficou empolgado com a notícia, conforme disse o “Estadão” na semana passada, e se anima em concorrer para governador de São Paulo, agora não mais a presidente da República. A pressa, prefeito, é inimiga da perfeição. Convoco todos os que votaram em Doria a não votarem outra vez nele. Ele está começando a fazer um bom trabalho na cidade e precisa continuar. Precisamos ensinar estes políticos a manterem a palavra dada. Além disso, quem votar em Doria para governador tem de pensar que provavelmente estará votando nos vices Gilberto Kassab ou Rodrigo Garcia, pois Doria certamente voará mais alto logo mais (ainda não aprendemos a olhar o vice quando votamos).

 

Cecilia Centurion ceciliacenturion.g@gmail.com

São Paulo

 

*

MINISTÉRIO DO TRABALHO

 

O Ministério do Trabalho não deveria necessitar de intermediários para a nomeação de seu ministro ou ministra de Estado. O direito à nomeação de ministros ou ministras de Estado deveria mesmo ser prerrogativa exclusiva do presidente da República. Se o presidente Michel Temer quiser nomear ministro do Trabalho o pai da Cristiane Brasil, Roberto Jefferson tem todo o direito. O que Michel Temer não tem o direito de aceitar é a nomeação ao ministério de um terceiro por exigência ou não deste. Os ministérios são de responsabilidade exclusiva do presidente da República. Não há intermediação e não há ilegítima nomeação de ministros ou ministras de Estado. A sociedade brasileira não delegou ao presidente da República a terceirização ou a intermediação de seu ministério!

 

Ney José Pereira neyjosepereira@yahoo.com.br

São Paulo

 

*

PREOCUPAÇÃO

 

Papai eu quero ser ministra. Por favor, tome uma providência. Diga ao Michel Temer que caso eu não assuma, votaremos contra a reforma da Previdência. Papai dê logo um jeito. Isso está me desgastando. O meu erro foi insignificante, apenas não assinei a carteira de quem estava trabalhando. Ah, papai, eu quero dar a volta por cima. Não posso ficar desmoralizada. Se isso continuar assim, não me reelegerei deputada.

 

Jeovah Ferreira

Taquari (DF)

 

*

REMUNERAÇÕES DE SERVIDORES

 

Existe uma grande discrepância no sistema remuneratório dos servidores públicos federais e o Governo deve urgentemente adotar as medidas que visam diminuir os valores iniciais, em consonância com a iniciativa privada. Um exemplo clássico é a remuneração média dos delegados da Polícia Federal, hoje em R$ 22 mil. Tal remuneração é superior a de um general do exército aos 40 anos de serviço, que hoje recebe o valor bruto de R$ 21.441 (soldo-base de R$ 12.763,00 mais 68% de gratificações). Servidores civis de nível médio começam com mais de R$ 6 mil, enquanto seu equivalente militar, 3º Sargento, ganha brutos R$ 4.730.

 

Heitor Vianna P. Filho bob@intnet.com.br

Araruama (RJ)

 

*

CEF ESTÁ FALINDO?

 

A Caixa Econômica Federal (CEF) passa por dificuldades financeiras, mas mesmo assim financia grandes clubes de futebol, permitindo que clubes menores fechem suas portas? Se sobra dinheiro para propagandas inócuas, por que continuar a fazê-las?

 

 

Wilson Matiotta loluvies@gmail.com

São Paulo

 

*

NOVAS REGRAS

 

A partir de agora, o novo estatuto do banco, com regras para a escolha e atuação de vice-presidentes, exigirá ótima pontuação no ENEM.

 

Sergio S. de Oliveira ssoliveiramsm@gmail.com

Monte Santo de Minas (MG)

 

*

RESPOSTA

 

Na intenção de bem informar e permitir uma avaliação atualizada por parte do leitor Walter Gonçalves, que emitiu sua opinião na coluna “Fórum dos Leitores” no dia 21 de janeiro, a Empresa de Planejamento e Logística (EPL) esclarece que esta empresa pública reestruturou-se e promoveu um completo reposicionamento desde que passou a ser vinculada a Secretaria do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), da Presidência da República, assumindo as atividades de avaliação e desenvolvimento de estudos e projetos voltados para as concessões federais de rodovias, ferrovias, portos e aeroportos.

Em pouco mais de um ano, a EPL assumiu a verificação e o desenvolvimento de estudos que vêm viabilizando um grande avanço nos programas federais. São projetos como as concessões da BR-386/448/290/101-RS, da BR-364/365-MG-GO, da BR-101-SC e da BR-364-RO/MT, todas priorizadas pelo Conselho do PPI e com cronogramas de concessão definidos. Também desenvolveu e já entregou os estudos atualizados para licitação de 25 (vinte e cinco) terminais portuários, fato inédito neste curto espaço de tempo. Ainda, criou um núcleo para obtenção de licenças ambientais de rodovias e ferrovias, tendo já obtido a licença ambiental parcial da BR-040 neste período, além de protocolar vários licenciamentos nos órgãos ambientais, melhorando muito a perspectiva de agilização destes documentos.

Além disso, a EPL fornece todo o suporte técnico na estruturação das concessões da Ferrovia Norte-Sul (prevista para 2018), da Ferrovia Oeste-Leste (FIOL) e da Ferrogrão, todos projetos atuais e prioritários para a retomada do crescimento econômico e para a mudança do sistema ferroviário voltado para o escoamento da produção agrícola e mineral. O quadro de colaboradores da EPL é enxuto (143 profissionais) e possui perfil essencialmente técnico, qualificado e composto por servidores públicos requisitados junto a outras instituições públicas e profissionais contratados no mercado e reconhecidos tecnicamente. Nesta nova fase, a EPL tem investido nos projetos que irão melhorar a infraestrutura do país, enfrentando o problema crítico do passado, apontado por todos estudiosos do setor, que é a ausência ou falta de qualidade nos projetos. A EPL está aberta para informar a sociedade a respeito das suas atividades e das contribuições que tem sido capaz de produzir, sugerindo a todos os interessados que queiram uma visão atual das informações relevantes sobre a empresa, que acessem www.epl.gov.br ou formulem qualquer consulta aos seus gestores. Informamos que rebatemos críticas que sejam feitas com base em uma realidade que já está ultrapassada, por isso fizemos questão de também responder diretamente ao autor da carta, colocando a empresa à sua disposição para qualquer esclarecimento.

 

José Carlos Medaglia Filho, diretor-presidente da EPL

institucional@epl.gov.br

Brasília

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.