Fórum dos Leitores

.

O Estado de S.Paulo

28 Janeiro 2018 | 03h00

CORRUPÇÃO

Jardim, o prudente

O ministro da Justiça, Torquato Jardim, afirmou que é preciso ter “muita prudência” antes de uma eventual prisão do ex-presidente Lula da Silva, porque, segundo ele, a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que autorizou o início da pena após a decisão de segundo grau “é precária” – o julgamento, em outubro de 2016, terminou com placar de 6 a 5. A jurisprudência firmada pelo Supremo, deveria saber o ministro, não se torna menos efetiva pelo resultado estreito em sua aprovação. Em vez de se preocupar com as agruras de condenados por crime de colarinho branco – como quando protagonizou a defesa veemente do indulto natalino, que aguarda decisão do STF sobre sua validade –, Jardim deveria dedicar-se a tarefas mais prementes da sua área, como melhorar a situação catastrófica dos presídios que abrigam presos comuns, em nada assemelhada às prisões de primeira classe que abrigam os presos da Lava Jato. Da defesa dos criminosos da “elite”, fique tranquilo o ministro, já se encarregam as mais caras bancas de advocacia.

SERGIO RIDEL

sergiosridel@yahoo.com.br

São Paulo

Inventando moda

Torquato Jardim “inovou” em Direito ao advertir sobre a eventualidade da prisão de Lula porque o STF “pode mudar de opinião” quanto à prisão após condenação em segunda instância. Eis que o ministro da lege ferenda (lei a ser criada) parece esquecer um princípio basilar do Direito, que qualquer aluno do primeiro ano aprende: nosso ordenamento jurídico preconiza a primazia das normas legais escritas que estão em vigor. Outros entendimentos são da ordem da política ou das conveniências. E nenhum deles soa bem na boca de um ministro de Estado.

MARCELO GOMES JORGE FERES

marcelogferes@ig.com.br

Rio de Janeiro

Prisão já

É inaceitável que um indivíduo condenado em segunda instância promova atos em que defende a desobediência civil, o descumprimento da lei e o desvirtuamento do processo eleitoral em curso. Torna-se imprescindível a prisão imediata desse elemento pernicioso. Destino idêntico devem ter, de pronto, a presidente de partido e o senador que incorrem nos mesmos desvarios doentios e maléficos.

NELSON PENTEADO DE CASTRO

pentecas@uol.com.br

São Paulo

Um condenado por unanimidade em segunda instância deveria sair direto do tribunal para a cadeia, onde aguardaria o resultado de possíveis recursos legais.

SERGIO S. DE OLIVEIRA

ssoliveiramsm@gmail.com

Monte Santo de Minas (MG)

Sedição

Lendo e ouvindo as iracundas pregações dos próceres do PT e agregados conclamando a militância à desobediência civil e ao confronto com a Justiça por causa da prisão do inominável, o povo ordeiro e trabalhador (de verdade) pergunta ao Poder Judiciário: quando esses elementos desordeiros serão enquadrados? Será que a Justiça se curvará, por omissão ou pusilanimidade, à cor das bandeiras empunhadas por esses indivíduos? Ou respeitará as cores verde e amarela da população que anseia por ordem e progresso? Será que esperam correr sangue para tomar as devidas providências?

APARECIDA DILEIDE GAZIOLLA

aparecidagaziolla@gmail.com

São Caetano do Sul

Fanfarronice

Cumprimento o Estadão pelo brilhante e oportuno editorial Lula passa dos limites (26/1, A3). Para os sediciosos fanfarrões do PT recomendo aplicação do artigo 5.º, XLIV, da Carta Magna, capítulo Dos Direitos e Deveres Individuais e Coletivos (cláusulas pétreas): “Constitui crime inafiançável e imprescritível a ação de grupos armados, civis ou militares, contra a ordem constitucional e o Estado Democrático”. Com a palavra o Ministério Público.

RUI DA FONSECA ELIA

rui.elia29@gmail.com

Rio de Janeiro

Pedir perdão

Depois da acachapante derrota na segunda instância, o sr. Lula da Silva deveria ter a grandeza e a humildade de vir a público reconhecer seus erros e os de seu partido e pedir desculpas ao povo brasileiro pelos malfeitos cometidos, aceitando com dignidade a purgação da pena, como os companheiros Cabral, Cunha, Maluf e outros que já cumprem as deles e os que ainda deverão chegar. Com certeza sua biografia sairia engrandecida.

CELSO NEVES DACCA

celsodacca@gmail.com

São Paulo

E devolver as tralhas

A Lava Jato encontrou documentos fiscais de pagamentos efetuados à transportadora incumbida de trasladar objetos diversos retirados do Palácio do Planalto e/ou do Palácio da Alvorada. Lula referia-se a isso como tralhas. Esse acervo foi armazenado conforme instruções de Paulo Okamotto e o pagamento foi feito por uma empreiteira. A Polícia Federal considerou esses pagamentos como propina. Mas agora ficou “esclarecido” que a propina não beneficiou Lula, e sim o governo federal, já que as tralhas são do acervo da União. Cabe pois, restituí-las ao seu sítio próprio, os Palácios do Planalto e/ou da Alvorada. Então, a Polícia Federal tem mais um servicinho a fazer: coletar as 11 cargas de caminhão que foram subtraídas de lá e encaminhá-las de volta para Brasília.

MARIO HELVIO MIOTTO

mariohmiotto@gmail.com

Piracicaba

Página virada

É chegada a hora de virar a página. Com a condenação do Lula no TRF-4 de forma unânime e irrepreensível, faz-se necessário deixar para trás esse período nefasto da História do Brasil que teve início com a chegada ao poder, em 2003, dessa corja de bandidos que destruiu o País. Os meios de comunicação precisam tirar o Lula do noticiário político. Ele é, hoje, apenas um criminosos comum condenado e só se mantém em evidência porque a mídia lhe dá – e ao seu grupo de delinquentes – espaço para continuar atrasando a penosa recuperação que nos espera depois de todos esses anos de desmandos. Chega!

HUMBERTO BOH

hubose@gmail.com

São Paulo

O ano já começou!

Nunca esperei ver, nos meus quase 70 anos de vida, um ano começar no Brasil antes do carnaval. Entretanto, agora, com a condenação do demiurgo corruPTo de Garanhuns, finalmente, em 2018, iniciamos o ano antes do reinado de Momo. O Brasil está mais leve, livre e solto.

ANTONIO CARELLI FILHO

palestrino1949@hotmail.com

Taubaté

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

 

A CONDENAÇÃO DE LULA

 

Finalmente o ex-presidente Lula foi julgado e condenado. Será que agora ficaremos livres deste corrupto que afundou o País?

 

Laert Pinto Barbosa laert_barbosa@globo.com

São Paulo

 

*

SEM VOZ

 

Confirmados no Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4) a condenação e o aumento da pena do ex-presidente Lula, que atesta interpretações com provas verossímeis – tal como, aliás, não faltaram. Com seu destino selado, o líder petista, com seu discurso triunfalista, se cala diante da determinação da Justiça.

 

Guilherme Rabelo guilhermerabelo@terra.com.br

Foz do Iguaçu (PR)

 

*

OPORTUNIDADE

 

Aproveitando o momento, os 3 votos a 0 no TRF-4 e a condenação de Lula, não seria hora de começar a passar o Brasil a limpo? Precisaríamos enxugar a Constituição, tirando os exageros e os “sonhos”. Enfatizar melhor que a lei é igual para todos, sem exceção. Reduzir o número de partidos políticos, exigindo que definam suas plataformas políticas com clareza e se sustentem pelas contribuições de seus afiliados (como já faz o Partido Novo). Exigir mais responsabilidade e prestação de contas de políticos e executivos de estatais. Acabar com o “país do faz de contas” e dos direitos (abusos) adquiridos. Reduzir o alcance do foro privilegiado, com obrigação do Supremo Tribunal Federal (STF) de agilizar o julgamento de processos (foro privilegiado não pode continuar sendo garantia de impunidade). Ministros do STF devem ser escolhidos por mérito e tempo de carreira, não por indicação do presidente da República. Todos os atuais representantes do povo deviam aderir ao cumprimento estrito da Constituição federal. E por aí vai. Quem não quiser se conformar com as regras do novo Brasil, que receba uma passagem só de ida para o país de sua escolha: Venezuela, Cuba... O Brasil acordou no dia 25 de janeiro de 2018 um país melhor. Está na hora de iniciarmos uma boa faxina.

 

Silvano Corrêa scorrea@uol.com.br

São Paulo

 

*

VERÃO

 

Sem dó nem piedade, três tiros abateram a única andorinha que sozinha ainda prometia fazer verão. Escafedeu-se.

 

Manoel Braga manoelbraga@mecpar.com

Matão

 

*

HÁ UMA DIFERENÇA

 

A condenação do ex-presidente Lula fará o Supremo Tribunal Federal (STF) julgar novamente as prisões após condenação em 2.ª instância. Eis a diferença entre juízes togados, de carreira, concursados, que fazem o que têm de fazer, como os desembargadores do processo do ex-presidente Lula que o condenaram por unanimidade, e um tribunal composto por “juízes” como os ministros do Supremo. Qual ministro do STF já julgou um ladrão de galinha? Na atual composição da Suprema Corte, apenas os ministros Luiz Fux e Rosa Weber exerceram a magistratura desde a primeira instância. Então há uma diferença. Reconheço que pode haver engano ou injustiça numa condenação ou sentença. Mas, então, que o recurso de um condenado em 1.ª instância seja apreciado pela 2.ª instância e até o Superior Tribunal de Justiça (STJ) de forma célere, em até 60 dias. Não tenham dúvidas de que a prisão em 2.ª instância vai cair, e, como o recurso à 3.ª instância (STJ) não deve ocorrer antes das eleições deste ano, o ex-presidente Lula vai poder se candidatar à Presidência. Não tenham dúvida disso. Vamos acabar tendo uma vitória de Pirro.

 

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

 

*

A SALVAÇÃO PELA LEI

 

No dia 24 de janeiro, histórico para o País, em que o princípio basilar do Estado Democrático de Direito foi respeitado à risca – o de que “todos são iguais perante a lei” –, coube, por oportuno, citar Rui Barbosa: “Com a lei, pela lei e dentro da lei; porque fora da lei não há salvação”. Viva a Justiça do Brasil!

 

J. S. Decdol ecoljs@gmail.com

São Paulo

 

*

SOBERANIA LEGAL

 

Nunca antes na história deste país um ex-presidente da República tinha sido condenado por corrupção e atos ilícitos à pena de 12 anos de reclusão, em regime fechado. Que sirva de lição para mostrar que a lei é soberana.

 

Carlos Henrique Abrao abraoc@uol.com.br

São Paulo

 

*

NUNCA ANTES

 

Nunca antes “nesce paiz” um sujeito que foi presidente da República acabou sendo condenado, por crimes de le$a Pátria, a 12 anos e 1 mês de prisão.

 

Agnes Eckermann agneseck@gmail.com

Porto Feliz

 

*

O BRASIL DO BEM

 

O Brasil do bem celebra este momento histórico. Ao aumentar a pena dada pelo juiz Sérgio Moro, o TRF-4 reforça a culpa do ex-presidente Lula. A Justiça está se cumprindo. A prisão aguarda em breve Luiz Inácio Lula da Silva. Essa corajosa decisão da Justiça é um golpe duríssimo no PT e ajuda a fortalecer a esperança de um País mais justo e sem corrupção

 

Antônio Dias Neme antonio.neme@terra.com.br

São Paulo

 

*

LULA CONDENADO

 

Perdeu a indolente esquerda caviar, que sobrevive à custa do Estado. Perdeu a defesa de pés de barro e cara de cera, que conseguiu no recurso à segunda instância aumentar em 50% a pena original. Perdeu este partido bandido, que tanta deseducação cívica espalhou em 13 anos no poder. Perdeu a imprensa comprada, até porque vai parar de receber. Perdeu aquele que “lamentavelmente se corrompeu”. Perderam todos para a razão, a verdade, a simplicidade e a tranquilidade de três brasileiros de bem.

 

Julio Cruz Lima Neto Julio.CruzLima@plastekgroup.com

São Paulo

 

*

PT NA SINUCA DE BICO

 

Sem Lula, o PT se torna um partideco de ratos miúdos.

 

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

 

*

INESQUECÍVEL

 

A preocupação do PT sempre foi a de perder Lula como bandeira do partido. Acabaram ficando só com o mastro na mão. Mas não precisam achar que ele será esquecido. O estrago que ele e seu partido fizeram ao Brasil não será esquecido tão facilmente.

 

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

 

*

LUTAS IDEOLÓGICAS

 

O “nós contra eles” dos petistas é uma fábula moderna aos moldes do inimigo inexistente que precisa ser criado para que as cortes possam se reunir para as santas cruzadas, nestas lutas ideológicas que só interessam a políticos, a senhores encastelados e aos disfarçados aproveitadores que, sob mantos de mártires e cordeiros, mistificam o maniqueísmo das suas próprias lutas partidárias. O lulopetismo agora brada aos quatro ventos que seu mártir maior está sendo injustiçado pelos burgueses aproveitadores que jamais toleraram a ascensão social de qualquer um, não importando de quem. Mas, se todos os que são os outros, os “eles”, apenas não se opuserem aos que são os “nós”, então eis que todo o discurso lulopetista cairá em seu próprio vazio, e as leis do Estado, em suas transitadas sentenças – esses moinhos de vento dos Dom Quixotes esperneantes em guerras inventadas –, que se cumprirão tão solenemente quanto tudo o que é inevitável, e pacificamente.

 

Marcelo Gomes Jorge Feres marcelogferes@ig.com.br

Rio de Janeiro

 

*

A UNANIMIDADE NÃO É BURRA

 

Um pouco de esperança para o povo brasileiro, um futuro menos maquiado e ilusório sem o populista Lula no páreo eleitoral. Este “vai não vai” só atrapalha o cenário político. FHC, Ciro Gomes e Michel Temer cheio de dedos para o pseudomártir, por quê? Que os possíveis candidatos à Presidência neste ano possam proporcionar aos eleitores nada mais do que a verdade. Verdade que lemos aqui, neste jornal, a respeito do filme triste do lulopetismo e do dilmismo todo santo dia. Se Lula ainda assim for candidato, quem negaria um candidato alvejado, mancando? Lula é maior que o seu partido? E o partido vai insistir e tomar uma nova surra nas urnas, como foi nas eleições para prefeitos? Enfim, eis um marco histórico para um povo sofrido, o placar unânime de 3 a 0 no TRF-4. Um divisor de águas, sem dúvida alguma. E cabe, agora, ao eleitor saber o peso de um voto sem reflexão.

 

Leandro Ferreira ferreiradasilvaleandro73@gmail.com

São Paulo

 

*

SE ARREPENDIMENTO MATASSE

 

Se arrependimento matasse, o hexarréu Lula não teria sancionado a Lei da Ficha Limpa quando era presidente, pois o feitiço virou contra o feiticeiro. Agora, é só aguardar a sentença do juiz Sérgio Moro sobre o sítio de Atibaia e sobre o recebimento, como propina, da cobertura ao lado da sua em São Bernardo do Campo, entre várias outras em andamento. Que falta de sorte, né, Lula?

 

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

 

*

CARTAS DO CÁRCERE

 

A segunda carta ao povo brasileiro de Lula acredito que na verdade é uma tentativa de seus asseclas ideológicos de copiar o livro “Cartas do Cárcere”, do filósofo esquerdista italiano Antonio Gramsci, preso pelos fascistas de Mussolini. A diferença é que Gramsci, além de ter ele mesmo escrito suas cartas, foi um verdadeiro preso político, e Lula, que não sabe ler ou escrever, será preso por seu uso da política corrupta.

 

Jose Rubens de Macedo Soares joserubens@jrmacedoadv.com.br

São Paulo

 

*

LULA E MANDELA

 

A comparação que Lula faz de sua eventual prisão com a de Nelson Mandela demonstra que, como bem disse o desembargador Victor Laus, o chefão do PT perdeu o rumo. Perdeu o rumo, o bom senso e os escrúpulos. Mandela foi preso por combater uma ditadura racista e sanguinária; Lula poderá ser preso porque foi condenado pela Justiça brasileira por corrupção, por roubalheiras. Os petistas, especialmente Gleisi Hoffmann e Lindbergh Farias, estão completamente desnorteados porque perceberam que seu partido acabou. O PT sempre foi Lula e Lula sempre foi o PT. C’est fini!

 

Leão Machado Neto lneto@uol.com.br

São Paulo

 

*

AMEAÇA TERRORISTA

 

A senadora Gleisi Hoffman parece que não compreende a democracia e o funcionamento das instituições. Afirmou que, se Lula perdesse, seria o momento para “radicalizar a luta”. Pergunto: qual é o próximo passo? Um ataque a bomba? A morte de um juiz? Aprenda a perder, senadora. Aqui não é Cuba!

 

Sérgio Eckermann Passos sepassos@yahoo.com.br

Porto Feliz

 

*

O DELÍRIO DOS INTELECTUAIS

 

Comparar Lula com Nelson Mandela é o mesmo que comparar Trump com Roosevelt. A única comparação é que Mandela foi de presidiário a presidente. Lula vai de presidente a presidiário. O professor de todas as grandes universidades Peter Burke vive no mundo paralelo dos intelectuais saudosos de um mundo idealizado que nunca existiu. A Lava Jato, o Ministério Público, os juízes federais e a Polícia Federal do Brasil não caçam bruxas nem sofrem de pânico anticomunista. Muito pelo contrário, eles lutam contra a brutal corrupção entranhada no alto escalão dos governos de coalizão do PT, PMDB e PP, expoentes da esquerda, centro e direita da política brasileira. Não existe nenhum ranço ideológico nas ações da Lava Jato e demais operações que tentam livrar o Brasil da maior crise moral de sua história. Querer confundir isso com pseudoacusações de tendências político-partidárias é uma maneira de tentar defender os crimes de alta corrupção, só porque foram cometidas por falsas lideranças populistas de uma esquerda raivosa, fanática e incompetente, que quebrou o Brasil.

 

Paulo Sérgio Arisi paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre

 

*

TELEGRAMA DE MÃE

 

“Queridos filhos Sergio, Leandro, João Pedro, Victor Luis, mamãe muito feliz, bom comportamento. Dispensa terrível castigo prometido: assistir a “Lula, filho do Brasil”. Mamãe ama vocês. Beijos carinhosos, mãe Pátria.”

 

Edméa Ramos da Silva paulameia@terra.com.br

Santos

 

*

ALÍVIO

 

Sinto-me aliviada, mas ainda necessitamos ficar vigilantes até que Lula seja cerrado entre as grades. Ora, alguns podem pensar “mas isso é um exagero”, “perseguição política”, etc., mas não é, o estrago feito pelo lulopetismo foi muito grande, semelhante ao lamaçal deixado no Rio Doce, em Minas Gerais. Com seus megadesvios de recursos públicos para o partido e para si, Lula e o partido levaram muitos à pobreza e à morte, em razão do enorme desemprego gerado, da quebradeira de empresas e do sucateamento na educação, na segurança e na saúde públicas. Cumprimento, portanto, todos aqueles que têm trabalhado com excelência por um novo Brasil, ético e próspero: a Polícia Federal, o Judiciário, em especial o dr. Sério Moro, e também a imprensa ética e responsável, a exemplo do “Estadão”, em que eu confio. Aos pensantes desta nação e aos de boa-fé, vai aqui o meu muito obrigada.

 

Silvia R. Pereira de Almeida silvia_almeida7@hotmail.com

São Paulo

 

*

A REPERCUSSÃO NO ‘NYT’

 

O jornal americano “The New York Times”, por intermédio de seu diretor, Mark Weisbrot, ao comentar o julgamento de Lula considerou que as provas contra ele estavam muito abaixo do sistema jurídico americano, e concordo plenamente com ele. Se nosso sistema jurídico pudesse trabalhar com leis como as dos EUA, Lula já estaria condenado desde o mensalão.

 

Laércio Zanini spettro@uol.com.br

Garça

 

*

REPARAÇÃO

 

Roubar “dinheiro público” não é crime, na opinião do condenado em 2.ª instância a 12 anos e 1 mês de prisão, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e na dos “penduricalhos” petistas. Que vergonha! Resta aos órgãos de governo competentes apurar os valores “roubados” do erário e das estatais para cobrá-los do condenado e dos seus comandados. E tornar indisponíveis os seus bens no Brasil e em outros países, até a sua segunda geração, para cobrir os danos causados ao País e aos brasileiros. E cadeia!

 

Luiz Dias lfd.silva1940@gmail.com

São Paulo

 

*

DIVERGÊNCIAS

 

Independentemente de ideologias distintas e afinidades partidárias, nós, brasileiros, temos um adversário comum: a corrupção. Esta é a causa principal da miséria e da violência. Um país sem corrupção depende da honestidade do seu povo. Comece dando o exemplo, evitando adquirir objetos roubados, produtos piratas, furar filas, colar na prova, subornar agentes públicos, furtar água, eletricidade e sinais de TV fechada, entre outras coisas. E vamos banir para sempre de nossas mentes a citação “é preciso levar vantagem em tudo”. O Brasil só vai mudar no dia em que cada cidadão optar pela ética, pela decência e por respeitar o direito do próximo.

 

Luiz Felipe Schittini fschittini@gmail.com

Rio de Janeiro

 

*

O BRASIL PÓS-LULA

 

O Brasil já pode pensar na vida pós-Lula. Fernando Collor e Jair Bonsonaro vão disputar a eleição presidencial e Lula entrará para o programa de colaboração premiada da Polícia Federal. Péssima notícia para muita gente! Lula enfezado e preso põe na cadeia na hora Norberto Odebrecht e quase todos os outros grandes empresários brasileiros que atuaram em obras públicas, todos os banqueiros que se fartaram de ganhar dinheiro fácil na era Lula e todas as principais lideranças políticas do País. Falta muito para o Brasil se livrar de verdade da herança maldita da era Lula.

 

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

 

*

RESISTIRÁ?

 

A chamada Nova República iniciou uma enfermidade nacional que parece estar hoje chegando à fase aguda. Marcada por uma Carta Magna repleta de detalhes desnecessários e travadores que implora, após 30 anos de vigência, por curativos apressados, o regime instalado enfrentou inflação sideral, exibiu impeachments de dois presidentes e, em termos de desenvolvimento, se limitou a fugazes voos de galinha. A partir de determinado momento, ingressou numa era populista, com tentativa de montagem de projeto de poder usando recursos do Estado brasileiro e, para tal, criando um inimaginável nível de corrupção. Prenuncia-se, agora, um preocupante auge da doença, diante da possibilidade de ressurreição de velhos fantasmas, um condenado e outro com passagem pela Justiça, outrora afastado do cargo, o que cria um interrogação sobre a capacidade de o organismo resistir.

 

Paulo Roberto Gotaç pgotac@gmail.com   

Rio de Janeiro

 

*

UMA NOVA CARTA

 

O Brasil requer nova Constituição: simples, clara, objetiva e coerente. Mas ela deve ser feita depois de estes políticos atuais saírem do governo.

 

Carlos A. Borges borges.ca@gmail.com

São Paulo

 

*

O IMPASSE NO MINISTÉRIO DO TRABALHO

 

É voz corrente em todos os lugares por onde andamos em nosso Brasil: “Há algo de podre sendo tramado entre o presidente da República, Michel Temer, o ministro-chefe da Secretaria de Governo, Carlos Marun, e o presidente do PTB, Roberto Jefferson, para emplacar a deputada Cristiane Brasil, do PTB, no Ministério do Trabalho”. Acorde, Poder Judiciário do Brasil!

 

Leônidas Marques leo.marquesvr@gmail.com

Volta Redonda (RJ)

 

*

A POSSE DE CRISTIANE BRASIL

 

Ainda falta algo para demonstrar que o presidente é refém dos partidos “aliados”?

 

Geraldo Fonseca Marcondes gfonsecamarcondes@uol.com.br

Taubaté

 

*

DESRESPEITO POR MINAS GERAIS

 

Minas Gerais é o segundo Estado em população e importância econômica no Brasil. Tem 893 municípios e sua área territorial é maior que vários países, entre eles França, Bélgica, Portugal, Espanha e Suíça, e é o maior país da América do Sul. Vários mineiros ocuparam a Presidência da República, entre eles Juscelino Kubitschek, Dilma Rousseff, Arthur Bernardes, Tancredo Neves, que faleceu antes da posse, Afonso Pena e muitos outros. No entanto, no atual governo, de Michel Temer, não há um mineiro ocupando um dos 39 Ministérios da República. E também não há um mineiro ocupando a direção da Petrobrás, da Caixa Econômica Federal, do Banco do Brasil, etc. Isso merece o repúdio e a repulsa dos mineiros!

 

Marcos Tito marcostitoadvogados@gmail.com

Belo Horizonte

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.