Fórum dos Leitores

.

O Estado de S.Paulo

24 de fevereiro de 2018 | 03h03

ECONOMIA

Brasil rebaixado

O rebaixamento, ontem, da nota do Brasil pela agência de classificação de risco Fitch mostra mais uma vez a imbecilidade da oposição ao governo, ou melhor, à Pátria. Todos perdemos com essa medida. E as coisas podem piorar se as demais agências do gênero seguirem esse mesmo caminho. O que ganham os opositores da reforma da Previdência? Nada. É só uma manifestação aparente de um populismo sem sentido. O governo também tem sua parte de culpa, pois falhou no esclarecimento à população do objetivo da reforma, diante dos fatos. Este é o Brasil, repleto de problemas oriundos, em grande maioria, dos governos anteriores – leia-se PT, o grande mal que nos aflige. Em nome de uma oposição canhestra, o partido prejudica a Nação, e sem ganhar nada com – salvo, quem sabe, o apoio e os cumprimentos do aprendiz de ditador Nicolás Maduro, que os petistas tanto admiram e enaltecem. Pobre país o nosso.

MARIO COBUCCI JUNIOR

maritocobucci@gmail.com

São Paulo

PRIVATIZAÇÕES

Eletrobrás

Quem fala sobre a privatização da Eletrobrás deveria saber que o setor elétrico já tem a maioria de seus ativos sob controle privado. No segmento de geração de energia, por exemplo, cuja capacidade total é de 145 GW, apenas 29% pertencem ao Estado, representado essencialmente pela Eletrobrás e suas subsidiárias Furnas, Chesf, Eletronorte e, ainda, pela metade de Itaipu. No segmento de transmissão, as empresas da Eletrobrás controlam 57 mil km de linhas nas tensões de 750 kV e 230 kV, enquanto 584 mil km foram leiloadas e são controladas por grupos privados. No segmento de distribuição, as principais empresas também foram privatizadas, a Eletropaulo incluída. A privatização do setor começou em 1995. A partir daí – além das oscilações de tensão, que danificam equipamentos elétricos – os consumidores têm sofrido com brutais aumentos na frequência e na duração dos cortes de energia. Quanto às tarifas, só entre 1995 e 2016 subiram mais de 130% acima da inflação. Antes de 1966 as tarifas brasileiras eram das mais baratas do mundo. Hoje estão entre as mais caras. É por isso que indústrias eletrointensivas estão saindo do Brasil e lançando ao desemprego milhares de operários e técnicos qualificados. Diante desses fatos, pode-se dizer que a privatização das empresas de eletricidade está acelerando o processo de desindustrialização do Brasil, que regride à condição de exportador de commodities, como era até meados dos anos 1950.

JOAQUIM DE CARVALHO

jfdc35@uol.com.br

Rio de Janeiro

NINHO TUCANO

Artistas políticos

É de anos-luz a distância que separa o João Doria que não era político, mas gestor, do aspirante a postos mais ambiciosos. Mesmo dizendo que foi eleito para “prefeitar”, Doria não conseguiu deixar de flertar com a disputa presidencial e de se ausentar do seu trabalho, em viagens pelo Brasil e pelo exterior. Rapidamente tomou um “presta atenção” de seus eleitores e do grupo do governador paulista, daí resolveu voar mais baixo, lá pelos lados do Morumbi. E para conseguir ser o candidato do PSDB ao governo do Estado de São Paulo parece que tudo vale. Muitos vão lembrar-se de que seu então padrinho político, Geraldo Alckmin, e o próprio prefeito paulistano, em passado recentíssimo, lutaram muito por eleições prévias dentro do PSDB, o que levou Doria a disputar a vaga de candidato à Prefeitura, que estava destinada a Andrea Matarazzo. Disse Otto von Bismarck que “a política não é uma ciência exata, mas uma arte”. Não é que agora temos Geraldo Alckmin e Doria, criador e criatura, lutando contra essas mesmas prévias? O que mais devemos esperar dos nossos artistas políticos? Que o peso das urnas recaia sobre suas costas!

ERNESTO B. DE FARO JUNIOR

landcon@uol.com.br

São Paulo

É visível o desconforto do prefeito com a cadeira que ocupa, o que explica seus minguados índices de aprovação. Ser candidato a outro cargo 14 meses depois da posse representa a banalização do legado tucano, a entronização do fisiologismo intramuros e a virtual implosão do PSDB. Se Alckmin não se dá conta do risco de contaminação a que está exposto, não merece ser presidente do partido. Muito menos da República.

FERNANDO DOURADO FILHO

douradofernando372@gmail.com

São Paulo

Cidade Linda

Esse é o nome que Doria deu à sua administração na cidade de São Paulo, mas ignorou aspectos do trânsito que poderiam atenuar um pouco os graves problemas que enfrentamos. Os semáforos, além de quebrarem com frequência, estão desregulados e mudam seus tempos de forma aleatória, dando passagem mais longa para ruas menos trafegadas e congestionando as com mais trânsito. A pintura das faixas de pedestres e das de circulação quase não existe mais. Tudo isso deixa um aspecto de decadência e abandono e a reação dos munícipes é descuidar da cidade, já que está largada pelo poder público. Aumenta o círculo vicioso do desrespeito à cidade e às leis do trânsito. O investimento para remediar essa situação não seria muito elevado e dependeria principalmente da nomeação de uma equipe competente para assumir essa tarefa. Pense nisso, sr. prefeito!

ALDO BERTOLUCCI

aldobertolucci@gmail.com

São Paulo

Interlagos

A privatização do autódromo prevê centro comercial, prédios, etc. Mas cadê o Museu do Automobilismo? Ou será só para favorecer empreiteiras?

MANUEL PIRES MONTEIRO

manuel.pires1954@hotmail.com

São Paulo

VIOLÊNCIA NOS EUA

Ideia estúpida

Donald Trump já ultrapassou todos os limites. Para agradar à indústria de armamentos – que apoiou a sua candidatura a presidente dos EUA – e fazer calar uma legião de jovens que cobram melhor regulamentação no setor de armas, Trump cometeu a estupidez de sugerir que professores estejam armados nas salas de aula. Como assim? Se o ambiente escolar não vai bem, é necessário identificar o que há de errado e investir em prevenção e modelos educacionais que visem à construção de uma sociedade mais fraterna. Colocar um professor na posição de eventualmente tirar a vida de um aluno não vai trazer mais segurança. A que ponto chegamos! Os jovens transtornados que cometem massacres nas escolas são fruto desse mesmo sistema. A responsabilidade é de todos e a solução não virá de medidas populistas ou ideias estapafúrdias como essa.

MARCELO RUFINO BONDER

marcelobonder@hotmail.com

Paraguaçu Paulista

“Avaliação mental urgente!”

FREDERICO NOGUEIRA / NITERÓI (RJ), SOBRE A IDEIA DE DONALD TRUMP DE ARMAR PROFESSORES

ffsnog@gmail.com

“Existe alguma instituição no Rio de Janeiro não vinculada à corrupção do governo Sérgio Cabral?

Até tu, Fecomercio?”

PAULO SÉRGIO ARISI / PORTO ALEGRE, SOBRE A PRISÃO, ONTEM, DO EX-PRESIDENTE ORLANDO DINIZ

paulo.arisi@gmail.com

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

PRISÃO DOMICILIAR

Li no "Estadão" (21/2, A12): "STF concede prisão domiciliar às grávidas e mães de filhos com idade inferior a 12 anos ainda não condenadas". O que aconteceria se a beneficiada violar/desobedecer à ordem de prisão domiciliar? Será emitida uma nova ordem de nova prisão domiciliar e assim sucessivamente? Ou seja, como punir alguém por violar a ordem de prisão domiciliar se a única punição possível é a própria prisão domiciliar? Adicionalmente, não demorará nem um minuto para os traficantes aliciarem mães com filhos menores de 12 anos - já que, se apanhadas traficando, só poderão ser condenadas à prisão domiciliar, que obviamente poderá ser desobedecidas sem qualquer outra punição.

Hamilton Carvalho hamiltonbcarvalho@gmail.com

Barueri

*

PRISÃO DE MULHERES

Em decorrência de um habeas corpus coletivo em favor de mulheres grávidas, em ambiente prisional, o Supremo Tribunal Federal (STF), pela sua segunda turma, decidiu por 4 x 1, pela soltura das mulheres, contrariando, pois, a tese do ministro Edson Fachin que entendeu que cada caso deveria ser analisado pelo magistrado competente. Certamente que esta decisão de Fachin seria a melhor para o combate às drogas, dado que muitas mulheres grávidas ou com suas crianças poderão usar esse estado para comparticipar com o tráfico. Além de tudo, a decisão colegiada retirou dos magistrados de primeiro grau suas atribuições de analisar os fatos sob sua jurisdição. O sentimento, na verdade, sobrepujou a razão!

José Carlos de Carvalho Carneiro carneiro.jcc@uol.com.br 

Rio Claro

*

MULHERES PRESAS

O Estado está criando mais uma categoria de criminosos protegidos pela lei, já temos menores de idade que fazem o que bem entendem e não podem ser presos ou condenados. Temos político com foro privilegiado e agora mulheres que roubam, traficam, matam, sequestram, portam armas e não poderão mais ser presas se forem mães de crianças até 12 anos, tudo em nome do futuro das crianças! Mas que crianças, aquelas que passam o dia nas ruas, longe das escolas, entregando drogas, entrando nas casas de vizinhos, gritando até altas horas da noite? Promotores venham para a periferia e vejam que estas "mães" não cuidam de seus filhos, largam nas ruas cometendo todo tipo de delito e perturbando a todos. A presença delas em casa só servira para cometer novos crimes. Infelizmente a promotoria esta muito distante da vida do cidadão comum!

Luiz Claudio Zabatiero zabasim@outlook.com

São Paulo

*

SÓ INTERVENÇÃO NA SEGURANÇA NÃO RESOLVE

Só a intervenção na área da segurança não vai resolver a situação do Rio de Janeiro. Outras ações devem ser desenvolvidas como valorizar a polícia do Rio, melhorar o salário, dar equipamentos, condições e viaturas! Também é preciso mexer nas ações sociais, investir na saúde, trabalhar firme no atendimento social e, obviamente, trabalhar na educação.   

Álvaro Batista Camilo contato@coronelcamilo.com.br

São Paulo

*

UM TIRO NO ESTATUTO DO DESARMAMENTO

A terrível notícia de que a "bancada da bala" atua no Congresso para desvirtuar o Estatuto do Desarmamento, visando "flexibilizar" o acesso de armas a civis e - o que é muito pior - permitir o porte fora do domicílio, precisa ser combatida. Conforme levantamentos publicados anualmente pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) o Brasil está colocado em 11.º lugar entre 194 países na estatística macabra de mortes anuais por armas de fogo por 100 mil habitantes. Aqui são 32,4 pessoas - o que é quase nove vezes maior que a média de 3,8 pessoas nos países desenvolvidos. O Japão registra apenas 0,4 pessoas. Quais serão as consequências de podermos passar a andar com um revolver no porta-luvas do carro?

Claudio Janowitzer cjanowitzer@gmail.com

Rio de Janeiro 

*

RIO DE JANEIRO

Já é tarde para comentar o acontecido no Rio de Janeiro. Certamente deve-se a uma série de fatores, como a corrupção que, ainda vem assolando o País, a carência de bons governantes e representantes no parlamento, etc. Porém quando o presidente Temer buscou a única e melhor solução, ou seja, a participação das Forças Armadas para dar combate à falta de segurança ao cidadão carioca começaram a aparecer na mídia "aqueles do quanto pior melhor", como entidades, políticos inexpressivos e jornalistas formados pela cartilha gramscista com opiniões divergentes e negativas. Será que esta atitude faz parte do jogo democrático?

José Millei millei.jose@gmail.com

São Paulo

*

PM

Com efeito, o combate à violência que domina o Rio de Janeiro tirando covardemente a vida de milhares de inocentes só começará a surtir efeito quando for feito o saneamento e a dedetização da Polícia Militar (PM), associada há tempos ao crime organizado. A PM fluminense, com as devidas exceções, deveria ser chamada de Polícia Milícia, pois não?

J.S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo 

*

JUNGMANN PREOCUPADO

Soube que o ministro Raul Jungmann está preocupado com a migração dos bandidos para outros Estados. Ora, quanta ingenuidade! Ao se decretar a intervenção, não se planejou? Deixou de atacar a etiologia? Quer aparecer cuidando do efeito?                                            Aguarde o réveillon, quando termina a intervenção, cuida do retorno dos bandidos. Aí, de novo, se estiver na ativa, vá cuidar do efeito de novo... 

Henrique Gândara clineurohenrique@uol.com.br

Ribeirão Preto

*

DEBANDADA DE BANDIDO

Srs. bandidos, traficantes, ladrões de cargas e delinquentes de toda espécie, com a intervenção no Rio de Janeiro, por favor, não venham para São Paulo, aqui já tem bandido de sobra.

José Roberto Iglesias rzeiglezias@gmail.com 

São Paulo 

*

IMPOSTO SEGURANÇA

O combate a roubos é financiado com um roubo ao contribuinte roubado...

Ademir Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo 

*

VÁCUO NA SEGURANÇA PÚBLICA  

Em verdade, não há vácuo na segurança pública do RJ, as ordens em vigor continuam as mesmas até que outro secretário assuma. As polícias civis e militares, no dia a dia, cumprem uma rotina e uma doutrina que só pode mudar quando um novo gestor tomar posse do cargo de secretário. Em todos os comandos e escalões existe um "02" para cumprir as ordens em vigor.

Paulo Marcos Goems Lustoza pmlustoz@gmail.com 

Rio de Janeiro

*

DESCOBERTAS AS VIGAS DE AÇO ROUBADAS NO RJ

Agora o conhecido político, dono do sítio onde as vigas de aço estavam escondidas, pode com mais razão ser chamado de viga...rista.

Niveo Aurélio Villa niveoavilla@terra.com.br 

Atibaia

*

TRUMP DEFENDE ARMAR PROFESSORES

Na Constituição dos Estados Unidos existe uma emenda, datada do século 19, que permitia a todos os cidadãos, possuírem armas, para sua própria defesa.  Naquela época, quando da conquista do oeste americano, o pioneiros enfrentavam toda sorte de ataques, desde índios até bandidos e assaltantes. Entretanto, hoje os americanos contam com forças policiais e de segurança exemplares, perfeitamente aptas a garantir sua segurança. Na verdade, esses aparentemente absurdos pronunciamentos, do presidente da República, tem tudo a ver com os régios financiamentos das campanhas republicanas, patrocinados pelas associações americanas dos fabricantes de armas.

Luiz Antônio Alves de Souza zam@uol.com.br

São Paulo

*

CADA POVO TEM O GOVERNO QUE MERECE

O estrago desastroso feito com muita perícia e maldade do presidente da Venezuela Nicolás Maduro, à sua população é algo de assustador, inimaginável e inaceitável. Sem sombra de dúvidas, por ser seu fã e sempre tê-lo apoiado nas suas investidas maquiavélicas, a intenção do "cara" (Lula), era fazer a mesma história sombria no Brasil para fazer com que mergulhássemos para atingirmos o fundo do poço, literalmente. O pior de tudo é ainda termos "cegos", "surdos" e "mudos" que ainda o apoiam e nele votarão nas próximas eleições. Realmente "cada povo tem o governo que merece", né não?

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br 

São Paulo

*

RODRIGO MAIA

A crítica de Rodrigo Maia me chocou, esperava mais da inteligência dele. Parece nunca ter ouvido falar de multidisciplinaridade, onde vários agem e pensam em comum para obter a melhor saída para a questão ou a doença. Que ciúme infantil foi esse de se incomodar que a pauta tenha sido feita pelo irmão mais velho? Deixe de infantilismo... É com esses chiliques que se pretende candidato à Presidência?

Sandra Maria Gonçalves sandgon@terra.com.br 

São Paulo

*

UMA REAÇÃO ESTRANHA

Rodrigo Maia e Eunício Oliveira (o eterno defensor do maior ladrão que já habitou Brasília - Lula) comportam-se como se fossem clientes do Executivo. Não deram apoio explícito, especialmente o segundo, à reforma da Previdência e, pior, não fizeram nenhum esforço para atingir o número mínimo de congressistas para obter as aprovações. Nítido o pavor de ambos de perder a prerrogativa de foro.  O eleitor não se esquecerá disso! Esperamos que a PF e os poucos juízes de bem que ainda gravitam nos tribunais também não.

Geraldo Guazzelli geguazzelli@yahoo.com.br

São Paulo 

*

RECADO AMEAÇADOR DE MEIRELLES 

Quando o ministro Meirelles disse que sem reforma teremos uma alta "brutal" nos impostos, para mim, soou assim: eis aqui uma faca e um revolver, escolhem de que jeito vocês querem morrer, ou seja, ou matamos os aposentados e "aposentandos" com faca ou tiro, ou com tanto trabalho para pagar impostos.

Arnaldo De Almeida Dotoli arnaldodotoli@uol.com.br

São Paulo

*

MUITA ATENÇÃO, PRESIDENTE!

Sua popularidade está nas suas próprias mãos e Vossas Exa. não percebe. Bata os pés e se for preciso chute a bunda de Meirelles, mas corrija o teto do limite de isenção do Imposto de Renda, defasado em mais de 80% pela a inflação. Faça isso com uma simples penada e corra para o abraço junto ao povo brasileiro. Chega de sacanear os menos afortunados, assustando-os com esse animal alienígena selvagem e cruel!

Sergio Salgado de Oliveira ssoliveiramsm@gmail.com

Monte Santo de Minas (MG)

*

REELEIÇÃO

Seria bom para nosso País que o Presidente Temer não tentasse a sua reeleição. Entendo que, reelegendo, pode acontecer dele não continuar no cargo. Como os dois processos de corrupção contra ele estão suspensos até 31 de dezembro deste ano, assumindo em 2019, o STF reabre aqueles processos, fazendo com que ele fique, pelos menos, 180 dias afastado, entrando em seu lugar o vice-presidente eleito. 

 

Jorge de Jesus Longato financeiro@cestadecompras.com.br 

Mogi Mirim 

*

PAREM O BRASIL, QUERO SALTAR

A política brasileira é tão paupérrima que nem com uma lupa se consegue vislumbrar um autêntico estadista, é de se lamentar o que as urnas, em 2018, receberão no seu bojo. Se pudessem, regurgitariam a maioria dos candidatos. Já passamos por Collor, Lula e Dilma, dois defenestrados e um, sério candidato a mudar seu domicílio para um presídio, já estando condenado a uma penca de meses de prisão que chegam a 145. O "Estadão" (23/2) informa que, tragicamente, Michel Temer pretende tentar um segundo mandato, ficando apenas uma dúvida: a cara de Temer é de peroba ou jequitibá? Enriquecendo essa patuscada, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles pretende ser mais um nessa corrida ao Palácio do Planalto, mesmo sabedores do fracasso que os aguarda. Na verdade, no momento, paradoxalmente, o ministro da Fazenda e o presidente da República, se disputarem a eleição, não passarão de figurantes sem argumentação para conquistar votos, pelas patuscadas que os dois produzem no governo. Nenhum deles tem as qualidades de seus homônimos, o personagem de Shakespeare, Henrique III e o autor das Centúrias, se nome Nostradamus.

Jair Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

MENSAGEM ABERTA

Excelência, parecia impossível que toda aquele grupelho de descuidistas, a quadrilha que o acolhia, não iria ter sucesso! Vossa Excelência foi forçado, empurrado e finalmente tragado, descendo pela goela brasileira! Posso lhe informar que não foi fácil ver todo aquele aparelhamento funcionando, intumescendo, deteriorando e destruindo este nosso País tão ignorante. As fortes entranhas pareciam não ter resistência, mas agora sabemos que sua imposição em nossos fatos vai chegando ao fim, quem sabe com aquela sonhada viagem de ida a Curitiba. Muitas e muitas vezes imaginei o efeito emocional de um simples telefone tocando em sua casa! Sua hora vai chegando e Vossa Excelência deve reconhecer bem os movimentos típicos do peristaltismo. Permita-me uma recomendação, nesta oportunidade tão rara. No seu defectivo desligamento, Vossa Excelência poderá dirigir seu olhar para cima, para o local de onde terá finalmente saído... Vossa Excelência, quem sabe, vivenciará as tão sofridas, intumescidas, inflamadas, infectadas e sangrentas hemorroidas do nosso degradado e sofrido Brasil! Perante esta visão, com certeza, duramente defecado para fora, boiando naquele ambiente hídrico, a Vossa Excelência finalmente faltarão as famosas e gasosas palavras...

Murilo Luciano Filho muarilou@uol.com.br

São Paulo 

*

SUGESTÃO A UM MINISTRO DO STF 

Caso Vossa Excelência, a exemplo da imensa maioria de brasileiros, tenha visto com reservas o seu colega, ministro Edson Fachin, receber em audiências privadas o advogado de Lula da Silva, o ex-presidente do STF, Sepúlveda Pertence e o antigo chefe da Secretaria-geral da Presidência no governo petista, Gilberto Carvalho, para tratar do habeas corpus preventivo impetrado para impedir a prisão do ex-presidente Lula decretada pelo Tribunal Regional Federal da 4.ª Região; caso essa estranheza tenha aumentado em razão de Fachin, em sequência, haver encaminhado o processo para decisão pelo plenário da Casa, enquanto pendente de julgamento do mérito pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ); e caso Vossa Excelência, ainda em sintonia com o senso da sociedade, tenha sido tomado por desalento, ao ver o ministro Gilmar Mendes que votou em dois julgamentos a favor da permissão para a prisão após a condenação em segunda instância, transmutar-se num líder da cruzada para a revogação desse entendimento, então, Excelência, se assim for: em benefício da Justiça, do moral e da moral da sociedade brasileira, quando  do julgamento do habeas corpus de Lula, peça vista do processo, a exemplo de seu colega, o ministro Dias Toffoli, no processo de restrição ao foro privilegiado dos parlamentares federais. Na guerra, não há como combater canhões com baionetas.

Sergio Saraiva Ridel sergiosridel@yahoo.com.br 

São Paulo

*

SOLUÇÃO EM BLOCO

Lula levará todo o PT pra cadeia. Será uma solução em bloco!

Eugênio José eugenioalati13@gmail.com

Campinas

*

CORRUPÇÃO

Perder de 7x1 da Alemanha é fichinha perto da colocação 97 em ranking de corrupção mundial. 

Moises Goldstein mgoldstein@bol.com.br 

São Paulo 

*

SUDORESE NOS CABELOS?

O diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segovia, após as polêmicas declarações quando deveria ficar calado, resolveu não atender aos jornalistas. O medo é de que fale mais do que o autorizado pelo ministro do STF Luís Roberto Barroso. Sem graça e desajeitado, mostrou toda a sudorese através dos seus cabelos. Antes isso do que tagarelar irresponsavelmente, não é mesmo?

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

A COISA FICOU FEIA

Eis que surgiu o homem da mala do PSDB paulista. Paulo Vieira de Souza, o Paulo Preto, a frente da Dersa por vários anos e, consequentemente, numa posição em que passava o dia lidando com empreiteiras, foi pego com mais de R$100 milhões em contas offshore, e agora negocia um acordo de delação premiada. Os senadores Serra e Aloysio Nunes parecem estar dormindo pouco esses dias. A pergunta é se a chapa também vai ficar quente para Alckmin. Nesse caso, voltaria a se especular Doria para a Presidência. Ou seria Huck? A coisa tá feia mesmo.

Oscar Thompson oscarthompson@hotmail.com 

Santana de Parnaíba

*

COAF

Diante da divulgação pela mídia da existência das contas bancarias na Suíça, atribuídas ao operador do PSDB, sr. Paulo Vieira de Souza, vulgo "Paulo Preto",  ex-diretor da Dersa,  trouxe pânico no meio do tucanato paulista, Serra, Alckmin e Aloysio Nunes. Fica uma pergunta no ar: afinal de contas, por onde andava o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) que não detectava vultosas movimentações financeiras?     

Arnaldo Luiz de Oliveira Filho arluolf@hotmail.com 

Itapeva 

*

NÃO TÊM PROBLEMAS MAIORES?

Projeto do deputado Paulo Campos (sem partido) aprovado na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro e aguardando sanção do governador estabelece que o refrigerante quente ou gelado terão o mesmo preço nos supermercados. Salvo alguma conclusão precipitada ou errada de minha parte, vão acabar unificando pelo preço mais caro, que é o gelado. Se essa é a tendência acho que o projeto do deputado foi um tiro na água. Esse projeto lembra o da deputada Cidinha Campos sobre cobrança dos estacionamentos, em shoppings, mercados, etc. que em vez de defender o consumidor e melhorar, piorou. Acho que a massa cinzenta desse pessoal está com algum problema.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com 

Rio de Janeiro

*

TV & INTERNET

Se a televisão é a "máquina de fazer doidos", as redes sociais da internet são vitrines de expor a mediocridade dos idiotas!

Paulo Arisi paulo.arisi@gmail.com 

Porto Alegre

*

RESPOSTA

Em resposta à leitora Erica Maria Santos, a Previ ressalta que sempre foi reconhecida pelo seu modelo de governança maduro e transparente e por seu corpo técnico qualificado. Nossas decisões de investimento são pautadas por políticas bem definidas e nossa visão é de longo prazo, o que nos garantiu em 114 anos de história sucessivos superávits. Em 2016 a CPI dos Fundos de Pensão e a Polícia Federal confirmaram a boa governança da Previ, uma vez que não houve qualquer constatação de irregularidade ou indiciamento dos nossos dirigentes e executivos em suas investigações. Pelo contrário - a Previ foi mencionada pela CPI como um exemplo de gestão para o setor. A Previ administra os recursos sob a sua gestão com excelência e responsabilidade, focada na missão de garantir o pagamento de benefícios aos associados de forma eficiente, segura e sustentável. 

Atenciosamente, Simone Monteiro - Gerente Executiva da Assessoria de Imprensa da Previ 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.