Fórum dos Leitores

Cartas selecionadas para a edição impressa e portal estadao.com.br

O Estado de S.Paulo

06 Março 2018 | 03h00

INSEGURANÇA PÚBLICA

Assalto em Viracopos

Inadmissível a escalada do crime organizado que assola o Brasil. Assalto em aeroporto com roubo de carga de dinheiro envolvendo milhões de dólares. Milhares de fuzis e toneladas de drogas cruzando as fronteiras por terra, mar e ar. Roubo de toneladas de dinamite e assaltos diários, com explosão de caixas automáticos e de agências bancárias, por todo o País. O descalabro da segurança pública ultrapassou todos os limites do Estado Democrático de Direito.

LUIZ ROBERTO DA COSTA JR.

lrcostajr@uol.com.br

Campinas

Treinamento bélico

No Rio de Janeiro, a situação só tende a piorar: o governo do Estado sem verbas para treinar policiais e os bandidos sendo treinados por ex-militares...

LAERT PINTO BARBOSA

laert_barbosa@globo.com

São Paulo

Intolerável

Ex-paraquedistas e ex-fuzileiros navais estão treinando homens do crime organizado no Rio, seguindo táticas das Forças Armadas. Essa é a prova cabal de que sem medidas radicais a Nação corre enorme risco de caminhar inexoravelmente para o caos.

MÁRIO RUBENS COSTA

costamar31@terra.com.br

Campinas 

Alerta total

Quando lemos que ex-militares treinam bandidos com táticas de guerra, realmente temos de nos preocupar. Parece que ninguém ainda entendeu o que está acontecendo de fato em nosso país. E será que é só o crime organizado que se prepara para tomar o poder? Vemos bandidos de colarinho branco, perigosos, que podem levar-nos por caminhos tortuosos, sendo soltos da prisão todos os dias. Não sei como nem onde nascem esses grupos de “guerrilheiros”, mas tenho certeza que não é um passador de drogas que os cria. Fiquemos alertas, porque não temos quem nos defenda de verdade. 

WILSON MATIOTTA

loluvies@gmail.com

São Paulo

Equívoco

O presidente Temer anunciou que vai instituir um Sistema Único de Segurança, do tipo SUS. Ledo equívoco! Observe-se o fundo do poço do SUS. Não é disso que se necessita. Precisa-se de eficiência e seriedade, não de propaganda enganosa.

HENRIQUE GÂNDARA

clineurohenrique@uol.com.br

Ribeirão Preto

LULODILMISMO

Ainda o ‘golpe’

O processo democrático do impeachment da presidente Dilma Rousseff continua a ser chamado de “golpe de 2016” pelos lulopetistas e seus seguidores esquerdistas, que chegaram ao cúmulo de propiciar a criação pela UnB e pela Unicamp de disciplina com tal título. Partem de uma concepção falsa de ilegalidade, esquecendo até que Dilma teve o apadrinhamento do STF, que não a tornou inelegível, como determina a Constituição.

WALTER GONÇALVES

wg@mls.com.br

Rio de Janeiro

O que me preocupa, como pagador dos impostos que mantêm as universidades públicas, é o espírito franchising dessas instituições, servindo o mesmo prato sem perguntar ou saber se o sabor agrada. Parece que a dita “autonomia” não se aplica à criatividade, pois a atitude tomada por esses professores é de grupo ou manada, aonde um vai, os outros vão atrás. É preciso que esses doutos professores saibam que o assunto em questão faz parte da história política contemporânea, que é ou devia ser ensinada aos alunos, assim como outros assuntos relevantes.

PEDRO LUIZ BICUDO

plbicudo@gmail.com

Avaré

‘Case’ de sucesso

Já que professores da USP também decidiram patrocinar uma disciplina sobre o “golpe” - um absurdo, pois eles estão lá para cumprir o currículo escolar -, por que não incluem um case de sucesso, por exemplo, como um funcionário do zoológico de São Paulo que fornecia alimentos aos animais se tornou em curto prazo um dos maiores empresários do Brasil? Expliquem a seus alunos como isso é possível. Se não tiverem o necessário conhecimento para poder esclarecer as dúvidas dos estudantes, é só fazer uma pesquisa nos processos da Operação Lava Jato.

CARLOS ALBERTO DUARTE

carlosadu@yahoo.com.br

São Paulo

E quando as universidades vão criar disciplinas sobre o golpe sofrido por Collor, em 1992?

GERALDO MAGELA XAVIER

gsilvaxavier@bol.com.br

Belo Horizonte

Docentes apropriados

As universidades que pretendem incluir em seu currículo o tema do impeachment já providenciaram os mestres especialistas na matéria? Sugestão: para língua portuguesa, lógica e síntese, a professora Dilma Rousseff; para a cadeira de corrupção e desvio de dinheiro público, o catedrático Lula da Silva; e, por último, como elaborar uma contabilidade criativa, o professor Guido Mantega. Com esses eminentes docentes, os alunos deverão ter um ótimo aprendizado. Parabéns, reitores.

OLAVO FORTES C. RODRIGUES

olavo_terceiro@hotmail.com

São Paulo

Reciclagem de lixo

A intelectualidade acadêmica russa passou 70 anos elaborando minuciosas teses e cursos defendendo a versão marxista-leninista-stanilista da História. O resultado foi todo para a lata do lixo. Num obstinado exercício de reciclagem dos resíduos ativos locais, nossos universitários tentam demonstrar que o impeachment de Dilma foi um golpe contra a democracia. A referência adotada certamente não é da Venezuela, onde há democracia em excesso, conforme Lula. Desde que, pela autonomia universitária sustentada com dinheiro público, eles não têm de dar satisfação a ninguém, fica impossível saber o tamanho da lata de lixo necessária para depois recolher o resultado.

JOSÉ ROBERTO SANT’ANA

jrsantana10@gmail.com

Rio Claro

GATILHO DA SABESP

Na fatura

A propósito do abominável gatilho que estão querendo enfiar-nos goela abaixo, os consumidores de água já observaram que a Sabesp passou também a cobrar na conta uma tal de Tarifa de Regulação, Controle e Fiscalização (TRCF)? Procurei saber do que se trata e a resposta foi: “É uma tarifa aprovada pelo governo”. É possível uma coisa dessas?

SÉRGIO VELIHOVETCHI

sergio.veli@yahoo.com.br

São Paulo

OPERAÇÃO CARNE FRACA 

Mais uma vez um vergonhoso acontecimento envolvendo a diretoria da BRF e seus produtos. Saudades das famílias Furlan e Fontana no comando da empresa. O que vai acontecer com o presidente do Conselho, o sempre magnifico e maravilho administrador de empresas de nome Abílio Diniz? Graças a um estupendo e minucioso trabalho da Polícia Federal (PF) a verdade apareceu. Onde esta este outro e maior envolvido em inúmeros problemas do agronegócio chamado de ministro da Agricultura Blairo Maggi, que foi defender a nossa carne e produtos no mundo? Os únicos que vão perder são os pequenos e familiares produtores de frangos, perus, porcos, patos dos Estados do Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e outros.

Werner Sönksen wsonksen@hotmail.com

São Paulo

*

ELEIÇÃO 2018

"Boulos lança pré-candidatura ao Planalto" (3/3, A6). Estamos numa democracia e todo brasileiro tem o sacrossanto direito de se candidatar ao que bem quiser, desde que cumpra as exigências da lei. Todavia, no caso desse radical - prestes a se filiar ao PSOL e se viabilizar postulante ao Planalto pela sigla - há que se considerar que se trata de um indivíduo que promove invasões, desdenha do direito de propriedade e vocaliza um discurso de ódio à "burguesia" em tempo integral, pouco diferindo sua fala dos discursos de Nicolás Maduro na Venezuela chavista. Sendo assim, nem precisa ser muito arguto para intuir que a mera perspectiva de que o citado possa ir ao 2.º turno por si só já produziria uma perturbação em nossa ordem política, social e econômica de tal ordem que fatalmente afugentaria o capital (nacional e internacional) e poria em banho-maria decisões importantes de investimento, entre outros transtornos, com reflexos negativos para um país como o nosso, com alto endividamento e contas públicas deterioradas, tentando se reerguer do desastre que foram os desgovernos petistas. Vamos, todavia, acreditar no bom senso do eleitor.  Que Deus nos ilumine.

Silvio Natal silvionatal49@gmail.com

São Paulo

*

CANDIDATO IDEAL

É evidente que no Brasil temos políticos, empresários e anônimos com capacidade para fazer o nosso País crescer e se desenvolver. Muitos nomes foram lembrados e cogitados, até "out siders", por analistas e pensadores, mas, entretanto, ninguém convenceu. Seja por pesquisas, ou por falta de carisma e liderança. Então, em público, venho sugerir que a única pessoa que possa aglutinar forças, unir credibilidade, carisma, liderança, segurança, penetração em todas as camadas, onde os setores, associações, classe política, Judiciário, militares, empresariado, setor financeiro possam depositar suas esperanças. Trata-se de Fernando Henrique Cardoso. A idade, pouco importa. Ele está lúcido, expõe os fatos com clareza, é respeitado interno e externamente, continua trabalhando incessantemente (como ele mesmo disse). Por que não? Poderia seguir por apenas um mandato e preparar sucessores. Poderia escolher um candidato a vice para compor a chapa, que tivesse o mesmo trânsito com a sociedade e que dividisse todo o trabalho do governo, não o sobrecarregando. Quer sugestão de um nome? Nelson Jobim. É eleição ganha no 1.º turno.

Márcio Roberto Lopes da Silva marcioped.itu@gmail.com 

Itu

*

APOIADORES DE BOULOS

Boulos candidato ao planalto com apoio de artistas (sic.) e personagens do mundo político. Só sendo muito alienado, tolo e leso para declarar uma coisa dessas. Onde vivem esses "arrrrtixtasx"?

Antônio Isnidarsi aiisnidarsi1@hotmail.com

São Paulo

*

GOVERNADOR ROMÁRIO

No próximo dia 17, Romário lançará a sua candidatura ao governo do Estado do Rio de Janeiro. O inexpressivo senador Romário nada fez pelo povo fluminense que o elegeu parlamentar. Será que o ex-jogador de futebol terá competência para lidar com os gravíssimos problemas do Rio de Janeiro? Ele já foi preso por não pagar pensão alimentícia para os filhos, já foi acusado de ocultação de patrimônio, entre outros contratempos em sua trajetória. Talvez ele ainda possa contar com o apoio de seus fãs dos velhos tempos do futebol.

José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br

Belo Horizonte

*

INQUIETAS PERSONALIDADES

Nesta última semana, o presidente Michel Temer e o ex-presidente Lula concederam duas significativas entrevistas, reveladoras de suas inquietas personalidades.  O primeiro em entrevista à jornalista Vera Magalhães (Jovem Pan, 28/2) permitiu concluir que a intervenção federal no Rio de Janeiro foi a "chave de ouro" para abrir a porta de seu protagonismo eleitoral em 2018, quiçá até como candidato. "Livre, leve e solto" flanou como uma pluma ao sabor dos ventos favoráveis das reformas políticas realizadas, do êxito das medidas econômicas adotadas e do atendimento ao apelo público por segurança. O contraste com as mãos inquietas do passado ficou evidente. No entanto, no dia seguinte se viu às voltas com a polícia de novo porque o ministro Fachin, a pedido da procuradora-geral Raquel Dodge, autorizou investigar suas relações com Joesley Batista. Já o boquirroto, na entrevista concedida à Mônica Bergamo (Folha, 1/3), confirmou ser um alienado, pois, mais uma vez, quer nos convencer de que o único que não falta com a verdade é ele próprio, uma vez que o Ministério Público (MP), a Polícia Federal, o juiz Moro - em conluio com os americanos - e a imprensa mentem para prejudicá-lo. Propôs até a exoneração dos agentes públicos. É ou não é um caso para bons psiquiatras?

Antonio Carlos Gomes da Silva acarlosgs9@gmail.com

São Paulo

*

REFORMA IMPEDIDA

É inacreditável e inaceitável o governo federal sustar a reforma da Previdência Social e dar ênfase à intervenção federal no Estado do Rio de Janeiro. Ora, o que chama atenção é a gravidade nas contas públicas, como muito bem coloca o economista Paulo Tafner, especialista em Previdência, alertando que, "sem a reforma da Previdência", seremos a Grécia e Portugal de amanhã, enfatizando que um "Estado quebrado" não consegue honrar compromissos assegurados pelos chamados "direitos adquiridos". O que parece é que, a assessoria jurídica do governo, até o próprio Temer, constitucionalista que é, bobearam, desconhecendo o artigo da Constituição Federal, que impedia a aprovação da reforma da Previdência, enquanto perdurar essa malfadada intervenção. Priorizar o Rio de Janeiro com essa intenção, cujo sucesso será sempre questionável, em detrimento de milhões de brasileiros, transparece mais uma aberração ou navalhada jurídica e, ao mesmo tempo, beneficiar os funcionários públicos. Agora, para justificar o injustificável cria-se um ministério da Segurança com mais despesas... É muita burrice!   

 

João Carlos Carcanholo advocacia.carcanholo@gmail.com 

Piracicaba

*

ACORDO DEPOIS DE 30 ANOS

No embalo do Brasil, institucional improdutivo, finalmente depois de 30 anos, o Supremo Tribunal Federal (STF) valida planos econômicos. Para aqueles que entraram na Justiça para reaver a correção monetária não paga aos milhares de poupadores na época, durante os fracassados planos econômicos Bresser (1987), Plano Verão (1989) e Collor (1991), a expectativa é que os bancos comecem a pagar esse ressarcimento, dentro dos próximos 90 dias, desde que, os poupadores, ou seus herdeiros, entreguem a documentação exigida.  É bom lembrar que, devido ao ritmo de tartaruga do nosso Judiciário, boa parte destes poupadores, não vai usufruir, infelizmente, essa indenização, já que, com idade avançada, faleceram... Louve-se, porém, a decisão do Banco Itaú, que, vai pagar à vista á todos seus correntistas, dispensando sua prerrogativa de parcelar os valores em até 5  semestrais. Espero que, outras instituições financeiras sigam este mesmo caminho, justo, e bom também para a nossa economia... 

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

AÇÕES TRABALHISTAS

Lamentável que grande parte dos veículos de comunicação, incluindo o "Estadão", rechace o nome de mais um ministro do Trabalho pelo simples fato de ele ter sido sócio de uma empresa que ostenta condenações trabalhistas. Tal atitude demonstra desconhecimento da imprensa do dia a dia juslaboral ou, em última análise, reveste-se de crítica de caráter político partidário. Reclamações trabalhistas fazem parte da dinâmica empresarial e são comuns em todas as grandes empresas. Se continuarmos com este pensamento chegaremos ao ponto de nomear para o ministério do Trabalho apenas empregados ou pessoas que não atuam no mercado de trabalho. 

Gabriel Santoro ghsantoro@gmail.com

São Paulo

*

COAF

O Brasil é o fim do mundo para o cidadão comum que paga impostos em dia e nenhuma transação bancária atípica fica longe dos olhos mordazes da Receita Federal. Mas faz vista grossa para "certas pessoas" não se sabe a razão. Saber que o ex-presidente do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE-SP), responsável por investigar movimentações financeiras do Estado, fez movimentações atípicas no valor de R$ 23 milhões, com reiterados saques em dinheiro vivo e somente denunciados agora pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF) é demais.  Foram investigados por causa de delação premiada da Odebrecht, OAS e Andrade Gutierrez, nas obras do metrô paulista, senão a coisa continuaria escondida à sete chaves. Agora perguntamos: "Onde estava a Receita Federal, BC, etc. que não investigam movimentações financeiras e saques em espécie de pessoas físicas ou jurídicas? Onde estava o COAF que deixou sem investigar esses ex-presidentes do TCE-SP por quase 20 anos? Queremos uma resposta!

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

REFIS

Refis do presidente Temer vai perdoar R$ 62 bilhões de dívida e pensar que a reforma da Previdência é quem vai colocar o Brasil nos trilhos.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

CONTABILIDADE DO REFIS

Será que da para saber quantos jatinhos, coberturas luxuosas, jantares em Paris em restaurantes estrelados etc. e tal, o REFIS financiou aos excelentíssimos devedores - muitos deles parlamentares - em detrimento de hospitais, creches, saneamento básico etc.?

Marisa Bodenstorfer

São Paulo

*

MAGISTRATURA E ESCOLAS

Neste 1.º de março, excelentes os artigos de Fábio Prieto "Juízes de passeata" e Sérgio Rial "Contemporaneidade no mundo acadêmico" (A2). Pode-se presumir que o STF deverá decidir, em breve, que os magistrados sem imóvel próprio nas suas comarcas de trabalho - e somente aqueles nessa situação - têm direito ao auxílio-moradia, nos estritos termos previstos no Estatuto da Magistratura, como ocorre, aliás, em relação a outros agentes do poder público. Quanto às escolas, senti vontade de acrescentar, especialmente em relação a algumas particulares não da chamada formação técnica, que lhes cabe conseguir que os estudantes se interessem pelas matérias, não apenas lhes entregar diplomas, no final dos cursos.     

José Geraldo Rabello jacobrabello@hotmail.com

São Paulo

*

MUDANÇA DE COSTUMES

A decisão do STF de permitir alteração de nome e gênero no registro civil em cartório, sem comprovação de cirurgia e tratamento hormonal, aos que assim desejarem, é emblemática. Tal decisão se insere em um processo civilizatório agora por nós vivenciado, que alguns mais conservadores têm dificuldade em aceitar.

José de Anchieta Nobre de Almeida josedalmeida@globo.com

Rio de Janeiro

*

MP SE JOGA EM RODA DE CONVERSA DE GÊNERO 

Pessoas morrendo todos os dias por conta da falência do sistema público de segurança e o Ministério Público discutindo em "Roda de Gênero" com mais de 80 entidades. O Brasil está doente, os promotores estão doentes e a maioria da Justiça brasileira está doente. A ditadura do politicamente correto está nos jogando num abismo moral sem precedentes.

Frederico Braun d'Avila frederico@fda.agr.br

São Paulo

*

REGISTRO CIVIL E TRANSGÊNEROS

A recente decisão do STF sobre a desnecessidade de autorização o judicial para que transgêneros modifiquem o nome perante o registro civil é um avanço no direito das minorias. Os votos dos ministros dão lições de vida e se adequam ao momento em que vivemos. Parabéns STF. 

Jorge Augusto Silva jotaugustoadv@icloud.com

Barretos

*

DINASTIAS DE CORRUPTOS

Velhinhas safadas educam seus filhos, netos e sobrinhos para o crime. Cuidado com as dinastias de políticos profissionais corruptos em 2018.

Etelvino Bechara ejhbechara@gmail.com

São Paulo

*

IGUALDADE

A igualdade não é para todos, os bancos têm a relação de quem estava investindo em poupança e em outros investimentos como ouro, por exemplo, por ocasião do plano Color. Ora por que, somente quem entrou com recurso tem este direito se outros cidadãos também foram penalizados pela medida? Haja paciência com as leis em nosso País.

Vittorio Gilberto Zottino zottinogv@gmail.com

São Paulo 

*

INTERVENÇÃO MILITAR NA SEGURANÇA NO RJ

Hoje a segurança pública é um dos maiores problemas nos Estados e municípios! Sente-se hoje a fragilidade do aparelhamento de segurança que não consegue conter a criminalidade cada vez maior! É o principal assunto da mídia em todas as suas manifestações! A intervenção militar na segurança pública do Rio de Janeiro é uma tentativa de conter o clima de insegurança dos cidadãos que ocorre no Estado causando muitos males na vida das pessoas com muitos reflexos na economia e até no turismo, etc.! Outro aspecto a se considerar é que não tem cabimento as Forças Armadas (FFAA) ficarem ociosas nos quartéis sem nenhuma ocupação e só aguardarem de prontidão para uma guerra!

Marcos Tito marcostitoadvogados@gmail.com

Lourdes

*

GUERRA INSTITUCIONAL 

A violência do Rio de Janeiro é de exclusiva culpa do Estado. Os braços desse são curtos e desiguais para com a classe menos abastada, deixando assim as favelas vulneráveis ao surgimento de instituições alternativas, no caso, o tráfico. Quando a situação sai de controle, o militarismo volta a dar as caras violentamente: cada pessoa é um criminoso em potencial, independente de sua faixa etária, estando todos sujeitos à revista e fichamento. Francamente, é justo que uma população já acuada sofra ainda mais violência?

Lembremos que o fichamento é inconstitucional quando praticado sem regulamentação e sem objetivo explícito, já que o País adota a presunção de inocência até que possa contrariá-la legitimamente. Não ataquem o apedrejado. Tirem as rochas dos apedrejadores.

Mariana Carvalho marimaricota2002@hotmail.com

Guarulhos

*

SEGURANÇA UTÓPICA

Venho acompanhando o caso dos fichamentos dos moradores do Rio de Janeiro e como uma preocupada cidadã venho expor minha opinião. Como devem saber, a polícia vem revistando tanto inocentes, quanto criminosos para poder acabar com o tráfico, e não há dúvida que esse projeto apresenta uma boa proposta para a segurança. Mas isso me faz perguntar: realmente dará certo? Visto que em outros países, como no México, esse projeto de colocar o exército nas ruas não ocorreu bem e ainda teve a continuação do tráfico, por que eu acreditaria que em nosso País isso irá dar certo?  Como foi dito por moradores cariocas dessas regiões revistadas na matéria "OAB vai pedir explicações a interventor sobre o fichamento de moradores do Rio" ("Estadão", 26/2), os infratores se escondem no horário em que a polícia está nas ruas e depois voltam normalmente, isso me faz pensar que esse método não está sendo eficiente. Além de que, ao revistar inocentes, acredito que faça com que esses sejam expostos demais perante outros moradores, fazendo com que esses possam ser "mal vistos" perante seus conhecidos. E, com o bruto exército na rua, pode causar medo nessa população. Também pude notar que, com as eleições chegando perto, os métodos de reforçar a segurança estão sendo tomados mais concentradamente agora, estranho, não? Como não tenho controle sobre a situação, apenas tenho fé que algo seja feito e que medidas eficientes sejam tomadas. Enquanto isso estou esperando ver no que isso resultará.

Laura C. P. Correia lauracaroline2008@gmail.com 

Guarulhos

*

FORÇAS ARMADAS

Felizmente, o cidadão brasileiro, na hora em que percebeu que vinha aumentando a falta de segurança no País, a corrupção crescendo nos meios políticos, um número grande de entidades não governamentais acomodadas e os "palpiteiros de plantão", tranquilizou-se, pois o presidente acionou as exemplares Forças Armadas para restabelecer a "Ordem e Progresso" no País. Viva a democracia!

José Millei millei.jose@gmail.com

São Paulo

*

ONDE ANDA A JUSTIÇA?

Nós brasileiros precisamos ficar atentos porque somos vítimas de um bando de gangsteres de todas as espécies no comando deste país. Colocamos as Forças Armadas nas ruas do Rio de Janeiro, mas não sabemos qual será sua função. A Justiça impõe uma série absurda de obstáculos e nossos militares acabarão injustamente serem ridicularizado perante a população por não agirem. A Justiça é uma miragem, não sabemos onde ela está, mas continua libertando bandidos e nem fazem as contas de quanto foram gastos nestes julgamentos. 

Wilson Matiotta loluvies@gmail.com 

São Paulo

*

INTERVENÇÃO FEDERAL

O ministro da Segurança Pública afirmou que no Rio de Janeiro as pessoas clamam por segurança durante o dia e à noite financiam o crime consumindo drogas. Militares, em suas incursões nas comunidades, em vez de serem ovacionados, são motivos de provocações. É sabido que o povo nas ruas sempre defende descaradamente o bandido quando este é objeto de atuação policial pública. Com seu trabalho já cerceado pelos direitos humanos da bandidagem, o general interventor terá uma missão árdua a cumprir.

Marcelo Araujo marcelodelimaaraujo@yahoo.com.br

Rio de Janeiro

*

UMA DECISÃO DUVIDOSA

A pergunta que não quer calar: por que a OAB/RJ esperou o presidente Michel Temer criar o ministério extraordinário da Segurança Pública para atender as necessidades do Rio de Janeiro e em seguida pariu um Observatório Jurídico a fim de monitorar as ações dos comandantes do novo ministério? Na opinião do povo, o Observatório Jurídico da OAB/RJ deveria estar funcionando no RJ desde 1999, acompanhando não só a segurança do Estado, mas também a saúde e a educação, quando a desgraça começou no final do governo Brizola. Não deu para entender.

Leonidas Marques leo.marques.vr@gmail.com

Volta Redonda (RJ)

*

SEGURANÇA PÚBLICA

Qual a diferença do ministério da Segurança para ministério da Justiça? Criam-se siglas e ministérios apenas para maquiar os problemas enraizados na sociedade. O problema é sério, não basta criar ministérios, o Brasil precisa de governo, precisa de um choque de tolerância zero para delinquentes, precisa mudar as leis penais. De maquiagem estamos cheios, saturados.

José Roberto Iglesias rzeiglezias@gmail.com

São Paulo

*

RIO

Para entender de fato o que é "grave comprometimento da ordem", sugiro ao dr. Almir Pazzianotto Pinto passar cerca de um mês no Rio de Janeiro perambulando pelas ruas e favelas.

Paulo Marcos Gomes Lustoza pmlustoz@gmail.com 

Rio de Janiero

*

INSEGURANÇA PÚBLICA

A propósito da gravíssima crise de segurança pública que afeta o País como um todo, sobretudo o Rio de Janeiro e alguns Estados do Norte e Nordeste, cumpre destacar dois comentários a respeito. Um, do recém-nomeado ministro da Defesa, general do Exército Joaquim Silva e Luma, ao dizer com propriedade, que "o nível de insegurança pública chegou a um ponto insuportável. Não existe uma solução mágica. Precisamos de integração, inteligência e legislação. Há um desalinhamento entre quem prende, quem libera e quem julga. Não há garantia de o preso ser punido pelo crime que cometeu. Maior vulnerabilidade é o desemprego, que torna o indivíduo vulnerável. Um garoto que vai para o crime ganha R$ 4mil por semana". O outro, de Geraldo Alckmin, governador de São Paulo, o único Estado em todo País que possui taxa de assassinatos dentro do nível considerado "aceitável" pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que disse "não pode haver sistema de segurança bom sem bom sistema penitenciário". Diante do exposto, cabe apenas observar que de nada adianta a polícia prender, se logo adiante um delegado manda soltar, pois não? Basta de leniência com a criminalidade!

J.S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo 

*

LULA E AS LARANJAS X SEGOVIA EM ROMA 

Lula afirma que nunca roubou uma laranja. Ele esta certo, o que ele roubou foi um "laranjal com 206 milhões de pés de laranjas"!

Pago meus impostos em dia e nunca fiz nada de mal ao Brasil será que o presidente Temer não quer me nomear Cônsul do Brasil na Cidade do Porto, em Portugal? Eu gostaria tanto!

Carlos Cabral cabral.porto@uol.com.br

Jundiaí

*

LULA

De acordo com declarações o Lula disse que "não vai se matar nem fugir do Brasil". É uma pena.

Eugênio Jose Alati eugenioalati13@gmail.com

Campinas

*

BIOGRAFIA

A cada dia, a biografia de "Lulla" lembra rejeitos de mineração.

É um mar de lama contido por uma barreira de mentiras...

Ademir Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

REBAIXANDO O TETO

Numa época em que autoridades já planejam a execução da ordem de prisão de Lula, o ministro Celso de Mello parece disposto a retardar o envio do mais ilustre ícone do petrolão e líder do PT para a cadeia. Em entrevista, o decano do Supremo Tribunal Federal demonstrou estar apegado ao princípio do trânsito em julgado. Por ele, a pena só pode ser executada depois de esgotadas todas as possibilidades de recursos aos tribunais superiores e enviando um recado nada sutil à ministra Cármen Lúcia, o ministro Celso de Mello que já autor de frases famosas como: "O mensalão foi um dos episódios mais vergonhosos da história política do nosso País", sugeriu para que fosse reanalisada uma matéria que em duas ocasiões já havia sido deliberada pela corte quanto à legalidade da prisão de réus condenados pela segunda instância. Há um mês a presidente do STF, ministra Cármen Lúcia já havia sinalizado que quer usar a condenação de Lula para alterar o entendimento sobre prisão em segunda instância seria "apequenar" o STF. Pelo andar da carruagem o apequenamento de que falava Cármen Lúcia está prestes a ocorrer. Não podendo elevar a própria estatura, a maioria do Supremo flerta com a ideia de rebaixar o teto.

Paulo R. Kherlakian paulokherlakian@uol.com.br 

São Paulo

*

NOBEL DA PAZ

O argentino Adolfo Perez Esquivel ganhador do prêmio Nobel da Paz, em 1980,declarou que vai indicar o condenado Lula da Silva para receber esta mesma condecoração, tendo em vista ser um dos principais ativistas dos direitos humanos do mundo atual. Alfred Nobel ficará tão indignado, caso seu nome seja ligado ao mais honesto, que dinamitará seu mausoléu. Mais um fanático apoiando o messias do PT.

José Alcides Muller josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré

*

LAVA JATO

A respeito da manchete "PF mantém prioridade da Lava Jato, diz ministro", quanto mais as autoridades asseguram que a operação será mantida, mais desconfiado fico de que eles estão se preparando para enfraquecê-la.

Roberto A. Kirschner kir.robertoa@gmail.com

São Paulo

*

'REPROVAÇÃO GERAL, O PIOR CONGRESSO'

Os políticos são mal visto em todo o mundo, pois enrolam e prometem muito mais do que são capazes de fazer, fiando-se no bordão que o povo tem pouca lembrança. Até um ponto isto é verdade, mas nós eleitores temos também uma boa parte de culpa, pois se vota muito mais num "simpático vigarista", do que em um chato que retrata a realidade. Também se espera do Estado muito mais do ele pode realizar, inverdade muito usada por políticos da esquerda, principalmente quando estão na oposição. No Brasil a desfaçatez dos políticos do PT é bem esclarecedora, pois hoje agem como se nunca tivesses nos últimos 14 anos no poder, eximindo-se de qualquer responsabilidade da atual crise.

Ulf Hermann Mondl hermannxx@yahoo.com.br 

São José (SC)

*

DIREITOS E DEVERES NA CARTA MAGNA

A dita Constituição Cidadã fala 90 vezes a palavra direito/direitos e, somente, oito vezes a palavra dever/deveres. Pode?

José Carlos de Carvalho Carneiro carneiro.jcc@uol.com.br

Rio Claro

*

RECONSTRUÇÃO

Muito oportuno e esclarecedor o editorial "A reconstrução do Brasil" (3/3, A3) publicado pelo "Estadão". Após 30 anos vem a público o que muitos sabem, desde sua promulgação, a cidadã do dr. Ulysses é um dos maiores equívocos históricos perpetrados em nossa frágil e imperfeita República. Prolixa, com 250 artigos e 99 

emendas, se comparada com a norte-americana, com apenas sete artigos e 27 emendas em seus 230 longos anos de vigência, poderia ser considerada uma verdadeira obra de ficção e de mau gosto. E não é só isso, entre tantíssimas outras "originalidades", tem 32 artigos referentes ao funcionalismo público e apenas um referente ao trabalhador privado. Certamente deve ser a Constituição mais "chapa branca" do mundo civilizado. E há quem diga por aí que a cidadã é um primor de "democracia" e de equilíbrio. Diz-se que cada povo tem o governo que merece, se o mesmo se aplicar à Constituição estamos muito mal.

Mário Rubens Costa costamar31@terra.com.br

Campinas

*

COTURNO EM ALTA

A coluna de Vera Magalhães merece várias ressalvas, mas vou fazer somente duas! Ditadura no Brasil só houve uma, foi civil e o ditador chamava-se Getúlio Vargas! No período de 1964 a 1985 o Brasil esteve sob um regime de exceção, nas palavras insuspeitas do ilustre constitucionalista dr. Ives Gandra Silva Martins! Realmente, o regime não foi brando, graças à guerra interna desencadeada pelas esquerdas para a implantação do regime cubano ou similar, a ditadura do proletariado, em especial no período de 1968 a 1974. Os agentes do Estado, como o coronel Ustra, por exemplo, realmente de interpuseram à tentativa. A Justiça jamais o considerou um torturador! Para finalizar, general Mourão foi um militar exemplar e é um cidadão digno que ainda vai colaborar em muito para a evolução do Brasil como Nação.

Marco Antonio Esteves Balbi mbalbi69@globo.com 

Rio de Janeiro

*

EVOLUIR SEM RECONSTRUIR?

O sr. Sérgio Rial fala em "Contemporaneidade no mundo acadêmico". Como assim? Está havendo um sucateamento sem precedentes nas universidades públicas, falta de água, luz, ações de despejo, etc. Constata-se que alunos aprovados em medicina na USP ou Unifesp, matriculam-se nas recentes Faculdades do Albert Einstein ou do Sírio Libanês. É a prova de que o "Olimpo", como era irônica ou vaidosamente os não alunos e os alunos da medicina (USP), não é mais. O corpo docente se esforça para manter o padrão, mas especialmente o curso de medicina não necessita apenas de excelência do material humano. Disse-me, certa feita, um médico docente da Unifesp que um curso de medicina bem feito é aquele que tem hospital escola para que os alunos verifiquem de fato o que aprenderam em tese. Ah, sr. Sérgio Rial. Há tempo necessário para modificar este cenário, parece ser a mesma velocidade da prestação jurisdicional ou do serviço de segurança pública. O básico do básico dos deveres do Estado com seus cidadãos é que imprescindível de pressa. A velocidade que os brasileiros anseiam, está muito mais embaixo da "sociedade pós-digital: educação, saúde, segurança pública, e a observância de todos os deveres da administração" (artigo 37 da Constituição de 88), que por si só já tem o condão decresceste a corrupção.

O terceiro setor, constituído por organizações sem fins lucrativos e não governamentais, que tem como objetivo gerar serviços de caráter público, pode sim ajudar, mas a ajuda é pontual. A questão é: a Constituição construiu um Estado jurássico, ou cumpre seus deveres, ou necessário uma nova constituinte para lipoaspirar o Estado e aí sim, poder contar com a iniciativa privada, mas sem corrupção.

Andrea Metne Arnaut andreasrnaut@uol.com.br

São Paulo

*

O CONSUMIDOR SEMPRE É PENALIZADO

A Receita Federal não atualiza a tabela do Imposto de Renda. A Petrobrás deu um jeito para reajustar os combustíveis, aumentando e baixando os preços para as refinarias, mas só repassando os aumentos para os consumidores e ainda temos de aguentar o sr. Pedro Parente dizer a uma emissora que Petrobrás não tem nada com isso e não tem como intervir nos preços ao consumidor. Agora é a Sabesp que através de seus caros anúncios na imprensa sempre incentiva a redução do consumo, querer criar um gatilho de aumentos na tarifa para quem consumir menos água. Deveria ser criado um gatilho que deveria ser acionado automaticamente em que fossem demitidos os diretores das estatais, toda vez que pretenderem prejudicar os consumidores, com motivos ridículos como esse: consumiu menos, vai pagar mais!

               

Paulo Boin boinpaulo@gmail.com

São Paulo 

*

A DEFESA DO PAÍS

O ex-presidente FHC procurou de imediato Michel Temer quando soube da indicação, em caráter provisório, de um general para a pasta da Defesa. Surpreende-me a sua surpresa com esta nomeação. Será que ele vê algum risco para a segurança nacional por tal indicação? Curiosamente no passado, FHC nunca demonstrou qualquer preocupação com este assunto. Em 1989, por exemplo, na Conferência Internacional do Trabalho foi aprovada a Convenção n.º 169, que permite aos povos indígenas que façam acordos com outros países, não necessitando para isto que tenham autorização do congresso de seu país. Todos os que possuem reservas, como a Nova Zelândia, a Austrália, os EUA obviamente votaram contra, mas o Brasil, presidido por FHC, votou a favor da medida. Sabemos que a maioria das nossas reservas está situada sobre grandes reservas minerais e envolvida por uma preciosa flora. A sua visão internacionalista, porém ignorou tal fato. As ONGS internacionais agradeceram. Pode você ficar tranquilo que o pobre do general não cometerá nenhum crime de lesa-pátria. 

Ricardo Pereira De Miranda ricarmiran@terra.com.br 

Salvador  

*

DE INTOLERÂNCIA FHC ENTENDE 

Foi intolerante quando bateu o pezinho pela emenda da reeleição, intolerante quando preteriu o grande Pedro Malan (genial autor e pai do Plano Real) ao escolher um apagado José Serra para concorrer contra Lula, intolerante para com o povo em sua soberba arrogância na questão dos aposentados, intolerante quanto o direito ao porte de armas em sua "sorbonice intelekitual" e por fim, intolerante quando próprio seu partido, o PSDB, ao possuir internamente ao menos dois pretendentes a candidatura presidencial, tentar parir uma de fora via Luciano Huck.

Paulo Boccato pofboccato@yahoo.com.br

Taquaritinga

*

FHC É POP

Artigos e entrevistas concedidas por Fernando Henrique Cardoso agregam valor a qualquer jornal ou rádio simplesmente por ser um intelectual, um ser inteligente, singular. Em tempos atuais FHC transcende o partido e esboça coragem e opinião ímpar no final das contas. FHC é pop! Tem o meu respeito, afinal, levanta bandeiras que medíocres não se atreveriam. Em tempos em que candidatos não precisam saber de economia, ou mesmo candidatos chafurdados na lama suja, FHC é rei.

Leandro Ferreira ferreiradasilvaleandro73@gmail.com

São Paulo 

*

REAJUSTE

Por favor, socorram-me. Estou procurando entender a lógica nessa mais surreal iniciativa da Agência Reguladora de Saneamento e Energia em criar "gatilho" para reajustar a tarifa em casos de "variação anormal" do consumo da rede. Quando da seca que assolou o Estado de São Paulo, fomos obrigados a reduzir nosso consumo por meio da fixação de metas e multas (para quem as ultrapasse) para cada casa, levando-se em consideração a média de utilização de água. Campanha maciça para evitar desperdício e redução de consumo objetivavam manter os níveis dos reservatórios e consequentemente evitar o desabastecimento do precioso líquido. Passados dois anos dessa crise, nos defrontamos agora com essa execrável iniciativa que objetiva apenas e tão somente manter o equilíbrio financeiro da Sabesp. Diante de mais essa medida, gastaria de a exemplo de personagem do Jô Soares, que acordando de um coma prolongado e constatando o que aconteceu e acontecia no País vai pedir: "Tirem os tubos, desliguem as máquinas". E ainda inocentemente perguntar: Alguém em sã consciência ainda acredita num futuro melhor para esse lamentável País?

Renato Ortlepp renatotto@hotmail.com

São Paulo

*

AUMENTO NA CONTA D'ÁGUA

O governo é mesmo maquiavélico, ao dizer que haverá aumento da conta de água se houver queda brusca no consumo. Se aumenta o consumo, temos tarifa extra, e se cai, também? Isso contraria toda a lógica de mercado. Quanto menor a demanda, menor o preço, se a oferta se mantém. O que é isso acham que somos idiotas?

Luiz Leitão luizmleitao@gmail.com

São Paulo 

*

SABESP

Sem sombra de dúvidas podemos definir como insana, vergonhosa e leonina a determinação da Agência de Saneamento e Energia. Pois não permitem nenhuma outra alternativa para não sermos penalizados, basta ver que reajustarão a tarifa em casos de "variação anormal" do consumo médio da rede, mediante a justificativa do órgão garantir equilíbrio da Sabesp. É um desrespeito total contra a população, tão incoerente que nos faz sentir escorchados, além de literalmente assaltados e roubados. Qual é a nossa responsabilidade pela incapacidade, ingerência e falta de planejamento de seus administradores, se é assim que os podemos classificar, nós somos os causadores dos problemas? Isso se pode classificar como uma imoralidade e desfaçatez. Resumindo, se gastarmos além da média pagamos mais caro,

agora se consumirmos abaixo dela, também pagaremos mais caro? Quem foi o gênio para ditar tal norma absurda e vergonhosa? Se a intenção era de aumentar o preço da tarifa, basta agir como sempre fizeram, não há nenhuma necessidade de utilizar subterfúgios para tal finalidade. Querem enganar a quem? Muito espertos, né não?

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

PREÇO DA ÁGUA

Então é isto, quem se empenha para economizar o mais precioso bem do planeta, a água, será punido se o consumo for baixo. Quer dizer, toda esta conversa de economizar água, no passado até do governador, é tudo conversa mesmo. Eu estava mesmo querendo escrever à Sabesp (arsesp), e esta reportagem veio a calhar. Constatei que esta entidade estimula sistematicamente o desperdício de água devido ao conceito da conta. É cobrado um valor mínimo considerando um consumo mensal de até 10m³. Na nossa casa, acredito que seja de muitos outros casos, o consumo mensal é baixo, em torno de 3m³ a 4m³, ou seja, ainda podemos desperdiçar entre 6m³ e 7m³ mensalmente. Tenho certeza que em muitas residências isto também ocorre de fato. Concordo que deve ter uma taxa mínima, já para cobrir toda a administração envolvida, mas, ingenuamente, eu achava que não devia ser atrelado ao consumo, que o consumo deveria ser cobrado especificamente e independente de um mínimo. Pelo que vejo agora, este desperdício é programado propositalmente para manter o consumo elevado. Para isto ainda se desvia água de outras comunidades, sob o manto de prevenir nova falta de água como no passado. Não coincidentemente, 10m³ é quanto deveria ser consumido em média para as contas darem certo. Ficam as perguntas: esta entidade quer lucrar baseado no desperdício de água? Qual é o objetivo, gerar lucro ou prover a população com água, mesmo que isto não gere lucro. Com certeza tem muita margem para reduzir os custos da agência (Sabesp), sem ter que recorrer ao desperdício. Tenho a impressão que mesmo pessoas com nível de instrução e conhecimento elevado ainda não se deram conta de quão preciosa a água é.

Gerhard Berke gberke@terra.com.br

São Paulo

*

ÁGUA ESTAGNADA 

Se acionar o gatilho da Sabesp, o governador Alckmin vai dar um tiro no coração do candidato Alckmin. 

Fausto Ferraz faustoferraz15@gmail.com

São Paulo

*

SP CRIA NOVO GATILHO

Na iniciativa privada, quando diminui a venda fazem-se ofertas, diminuindo os preços... O "poder público" aumenta o preço... É um verdadeiro abuso contra o consumidor. Assim, não adianta economizar o precioso líquido.

Minoru Takahashi minorinhotakahashi@hotmail.com

Maringá (PR)

*

INTERLAGOS

Segundo a prefeitura, a privatização de Interlagos visa gerar receita para os cofres públicos, "para salvar áreas essenciais, como por exemplo, saúde, educação, habitação, segurança...".

Até aí um objetivo mais do que justo. E afirma também: "vislumbramos um futuro muito mais democrático para a área".

Mas liberar para empreiteiras a construção em áreas verdes é um uso democrático? Além disso, os apartamentos e o centro comercial serão por acaso da população? Esse projeto não é uma privatização; é uma mudança de finalidade de um bem público.

Marco Fabio Inglese marco.inglese@homail.com

São Paulo

*

TORCEDOR FANÁTICO

Será que foi o prefeito quem mandou apagar as luzes no Pacaembu durante a partida entre Corinthians e Santos no último domingo (4/3)?

Sergio Salgado de Oliveira ssoliveiramsm@gmail.com

Monte Santo de Minas (MG)

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.