Fórum dos Leitores

Cartas selecionadas para a edição impressa e portal estadao.com.br

O Estado de S.Paulo

08 Março 2018 | 03h00

CORRUPÇÃO

STF, a caixa-preta

Mais uma condenação unânime de Lula da Silva – agora no Superior Tribunal de Justiça (STJ) –, julgada por critérios técnicos e jurídicos, ratifica a culpabilidade do ex-presidente, que só vê uma saída para não ser preso: o polêmico Supremo Tribunal Federal (STF). Enquanto outras instâncias analisam juridicamente as ações do ex-presidente, o STF, na contramão da Justiça brasileira, já demonstra articulações políticas de alguns ministros na tentativa de “melar o jogo”, visando a beneficiar o condenado, contrariando todo o trabalho minucioso realizado ao longo dos meses por outros juízes. Todo o Brasil já sabe quem são os ministros que pressionam a presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, a mudar as regras. São os mesmos que sempre votam por gratidão, amizade ou interesses outros. É muito fácil identificá-los, é só ver seus retrospectos e suas indicações e teremos a resposta. Por “coincidência”, seus “entendimentos” são sempre óbvios e parciais. A Nação torce para que a Suprema Corte aja com ética, isenção e imparcialidade e que todos os ministros honrem a toga e deem a este país o que ele efetivamente merece: que seja feita justiça!

ELIAS SKAF

eskaf@hotmail.com

São Paulo

Quarta instância 

Na sua via-crúcis pelas quatro instâncias da nossa fatiada Justiça, Lula perdeu de 1 x 0 na primeira instância, de 3 x 0 na segunda e agora, na terceira, sofreu acachapante derrota: 5 x 0. Mas seus bem pagos advogados, um deles ilustre jurista que já foi ministro do STF, vão recorrer à quarta instância, na tênue esperança de que essa Corte reveja o entendimento em vigor desde 2009, de prisão após segunda instância, ou que os amigos que tem por lá suspendam a partida nos derradeiros minutos.

ABEL PIRES RODRIGUES

abel@knn.com.br

Rio de Janeiro

Goleada

Pouco tempo atrás o Brasil fez um sonoro 3 x 0 (TRF-4). Agora nova goleada, desta feita 5 x 0 (STJ). O que todo brasileiro honesto espera com muita ansiedade e preocupação é que o STF não chute a bola fora e confirme a vitória do Brasil!

ROBERTO LUIZ PINTO E SILVA

robertolpsilva@hotmail.com

São Paulo

Rebaixamento

Usando uma metáfora futebolística, tão ao seu gosto, Lula foi rebaixado para a “segunda divisão” após a decisão unânime dos cinco ministros da 5.ª Turma do STJ.

NIVALDO RIBEIRO SANTOS

nivasan1928@gmail.com

São Paulo

Suprema insegurança

A decisão do STJ de negar o pedido de habeas corpus preventivo de Lula é apenas um capítulo intermediário de uma novela cujo final é mais que conhecido e esperado. Embora possa até haver resistências no STF contra a prisão em segunda instância, a revisão dessa decisão, neste momento e nestas circunstâncias, seria de bizarrice imensurável. O PT faz e continuará fazendo de tudo para pressionar e confundir o Supremo, o que é esperado. Cabe à Corte Maior manter-se fiel à coerência e à justiça. A Nação está cansada de supremas inseguranças jurídicas. 

LUCIANO HARARY

lharary@hotmail.com

São Paulo

Não se apequenou

Na primeira rodada o STJ não se apequenou diante do pedido de habeas corpus para o ex-presidente. Esperemos a próxima rodada, em que os defensores da Constituição (será?) analisarão o pedido do “cara”. No Supremo já foi decidido, por 6 x 5, manter a prisão após condenação em segunda instância (e pela terceira vez!). Assim sendo, só a entrada desse tema na pauta do STF já é “apequenar-se”, né não, ministra Cármen Lúcia?

M. MENDES DE BRITO

mdebritovoni@gmail.com

Bertioga

Recado dado

Os digníssimos ministros do STJ deram um recado claro à defesa de Lula nos 5 x 0: não aceitarão as tentativas de seus advogados de desqualificar o Judiciário e intimidar autoridades como estratégia de defesa.

ANDRÉ COSTA TAYAR

a_tayar@hotmail.com

Piracicaba

DEVASSA

PGR e STF x Brasil

Fico estarrecida ao ver como o desmando começado pelo ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot continua com sua sucessora, dra. Raquel Dodge, que, com a ajuda do STF, parece tudo fazer para paralisar o Brasil e não se abrirem postos de trabalho para os milhões de desempregados. Não sou a favor do sr. Michel Temer, mas esperava que esses doutos senhores pensassem mais no povo e no Brasil e não rasgassem a Constituição. 

MARA BRUNA M. DE BARROS

mmichelettibarros@gmail.com

São Sebastião

Outra tentativa de derrubar Temer? Onde há fumaça há fogo!

KÁROLY J. GOMBERT

kjgombert@gmail.com

Vinhedo

MINISTÉRIO

Palpite infeliz

Li no Estado (6/3, A8) que Valdemar Costa Neto, o Boy, fez a indicação do ex-deputado Bernardo Santana para ocupar a chefia do Ministério dos Transportes. Meu Deus do céu, como pode alguém de passado tão criminoso, tendo sido já condenado, continuar “apitando” no governo da República Federativa do Brasil? Ou somos, na real, uma republiqueta?

ROBERTO BRUZADIN

bobbruza@terra.com.br

São Paulo

MEIO AMBIENTE

APAs marinhas

Li com interesse e alegria sobre a real possibilidade de que enormes áreas de nossa costa sejam transformadas em áreas de proteção ambiental (APAs). Esse auspicioso resultado não seria possível sem o entusiasmo do sr. João Lara Mesquita na defesa da preservação da biodiversidade marinha. Já tive a oportunidade de conhecer a Ilha de Trindade e fiquei encantado. Porém, estabelecidas as áreas de conservação, a quem caberá fiscalizar semelhante extensão marinha? A Marinha do Brasil tem na Ilha de Trindade um destacamento de 40 marinheiros, que não têm sequer um barco a remos para interceptar eventuais intrusos, nem ao menos há na ilha um simples atracadouro. Estabelecida a APA, será possível obter a autorização para construção de um atracadouro, indispensável para ter na ilha pessoal e embarcações destinadas à vigilância dessa área de preservação?

OSCAR SECKLER MÜLLER

oscarmuller2211@gmail.com

São Paulo

LULA

Mais uma vez Lula levou de goleada, agora no Supremo Tribunal de Justiça (STJ). Foram cinco votos a zero contra seu pedido de habeas corpus preventivo contra a prisão após o julgamento de seus embargos de declaração no Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4). Fatalmente seus advogados irão entrar com ação junto ao STF com a mesma intenção de tentar liberar "Lulinha paz e amor" de sua condenação em segunda instância e de cumprir seus 12 anos e um mês atrás das grades. O único problema que agora vejo é que este réu está de posse de seu passaporte e poderá se evadir do País através de quaisquer fronteiras, mormente daquelas que lhes dariam guarida como, por exemplo, a Bolívia, e daí o réu iria de avião para algum país que não tivesse tratado de extradição para com o Brasil e lá ficasse exilado atiçando seus correligionários a colocarem fogo no Brasil. Este é o perigo de Lula estar de posse de seu passaporte no momento e contar com a parcimônia de certos entes políticos que ainda o apoiam no Brasil os quais seriam capazes de quaisquer atos de guerrilha para libertarem este réu.

Boris Becker borisbecker@uol.com.br

São Paulo

*

GOLEADA

Esse energúmeno parece o Íbis Sport Club, só toma goleada, seus advogados dizem cobras e lagartos do STJ, realmente eles estão sendo muito complacentes com "Lulla", que já deveria estar preso há muito tempo, só aqui neste país é que ocorrem esses absurdos. Um conselho para ele: vá urgentemente para outras plagas, tipo Venezuela, Cuba, quem sabe ele aprende alguma coisa útil por lá. Senhores ministros, juízes, etc., façam-nos um favor, mandem prender logo e acabem com essa farra de recurso sobre recurso, até quando vamos ter que aguentar toda essa paranoia.

José Fernandez Rodriguez rodriguez1941@gmail.com

Santos

*

PRESUNÇÃO DE INOCÊNCIA

Se há uma expressão que funciona como um mantra da impunidade no Brasil, essa é "presunção de inocência". Se, em meio a discussões sérias sobre a criminalidade no País, alguém brada essa expressão, todos se recolhem como se a voz fosse do Senhor... O que significa? Significa que um criminoso já condenado por um juiz de direito, continua tendo o direito de apelar, em liberdade, para mais três instâncias cujos processos podem levar mais tempo do que a máxima pena admitida no País. É um absurdo, e esse conceito resume tudo o que causa o estado da corrupção e da criminalidade que está destruindo, não só o País, mas também a esperança do cidadão brasileiro. O advogado de Lula, Sepúlveda Pertence, viu na sua derrota no STJ uma posição "punitivista" (7/0, A4). Pago pelo maior criminoso que o País jamais conheceu, esse senhor representa o atraso do pensamento das elites institucionais brasileiras. A expressão "presunção de inocência", e sua coirmã "foro privilegiado", não existem na Constituição, mas são expressões carregadas de emoção influenciando as decisões que deixam de ser racionais. Lula é inocente? Mostrem-nos uma prova, umazinha sequer, de que ele é inocente! Presunção? Ora, uma justiça que se baseie em presunções disso ou daquilo é viciada e polarizada tendendo claramente a proteger os maus. Não serve para um país como o Brasil, que necessita de objetividade e de equanimidade, e de uma Justiça isenta e verdadeira!

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo

*

AFINAL QUEM MANDA?

O Supremo Tribunal Federal já se manifestou em outras ocasiões sobre a prisão do condenado, quando confirmada pela segunda instância, mesmo porque, não há como mudar o mérito do julgamento, salvo em afronta à Constituição Federal ou a lei, o que não aconteceu. Agora, a presidente do STF, Cármen Lúcia, ser alvo de inquisições e questionamentos acintosos por parte da tigrada petista, já ultrapassa o limite do desaforo e a falta de respeito. O medo do País é que o próximo presidente da Casa será o advogado petista e ministro, Dias Toffoli. Durma com um barulho desses! 

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

É PRECISO DESENHAR?

O placar de 9 X 0, mais contundente que o 7 X 1, ainda deixa alguma dúvida?

Joaquim Quintino Filho jqf@terra.com.br 

Pirassununga 

*

PLACAR

Até agora o placar é: Justiça 9 X Lula 0! O Brasil agradece!

Elisabeth Migliavacca 

São Paulo 

*

DISPUTA

Há uma disputa entre o PT e o Poder Judiciário. Vamos ver qual das instituições prevalecerá em nosso Estado.  

Eugênio José Alati eugenioalati13@gmail.com

Campinas

*

SEPÚLVEDA

Lamentável a exposição à qual se submeteu o eminente jurista Sepúlveda Pertence, detentor de um admirável currículo e ex-ocupante dos mais importantes cargos da Justiça brasileira ao quebrar lanças, com entusiasmo de aluguel, em pleno STJ, pelo indefensável cidadão Lula, patrocinador, mediante recursos, cuja origem poucos conhecem, de uma caríssima banca de causídicos que, obstinadamente, com base em fator emocional remanescente de um carisma popular que não existe mais, tenta livrar o seu cliente das consequências de condenações por unanimidade em julgamentos anteriores. Mesmo exercendo sua nobre e fundamental função de advogado, esperava-se, no entanto, que o notável magistrado procedesse a uma avaliação mais criteriosa dos riscos à sua história, ao assumir tão contraditória defesa.

Paulo Roberto Gotaç pgotac@gmail.com

Rio de Janeiro

*

PAÍS DOS ADVOGADOS

Será que existe alguém que ainda acredita que o STF não vai livrar Lula da prisão? Ele próprio conhece intimamente Lewandowski e Toffoli e o povo conhece Gilmar, Marco Aurélio e Celso de Mello, de tantos dissabores e decepções e pseudointelectuais. De quebra, vão livrar da cadeia vários condenados em segunda instância, para benefício de advogados podres de rico. Estamos no País dos advogados. Mas de pouca Justiça.

Ademir Valezi adevale@gmail.com   

São Paulo

*

TOGA SAGRADA

Cinco juízes do STJ, um indicado por FHC, um por Lula e três por Dilma, provaram, ao negar unanimemente pedido de Lula contra prisão após recursos em segunda instância, que a Justiça no Brasil pode demorar, mas que chega, chega e de maneira inexorável.

Sergio Salgado de Oliveira ssoliveiramsm@gmail.com   

Monte Santo de Minas (MG)

*

REALIDADE X FICÇÃO

Na novela das 9h da "Rede Globo", o juiz Gustavo e suas propinas e acordos escusos... No STF, o juiz Toffoli pede vista (engavetar) o processo do foro privilegiado quando já estava 7 X 0, e continua fazendo vistas, vistas, vistas ... Este é o Brasil e este é o STF. Isto é a ficção e a realidade.

Carlos Roberto Gomes Fernandes crgfernandes@uol.com.br

Ourinhos

*

SEM NOÇÃO

Ultrajante, desrespeitosa e patética: na sessão em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, a senadora do PT, Gleisi Hoffmann, abusou da paciência alheia: discursou com declarações de amor eterno a Lula. Sem noção.  Francamente. 

Vicente Limongi Netto limonginetto@hotmail.com

Brasília

*

A IGNORÂNCIA E O ATREVIMENTO

Rui Barbosa ensinou que a "ignorância é a mãe do atrevimento" e que "a pior espécie de ignorância é cuidar o homem saber o que não sabe". Lula da Silva, o demiurgo de Garanhuns, pede ao STJ o direito de ser julgado pelo povo. No caso, temos a ignorância temperada com o atrevimento, cujo resultado é o que estamos a sofrer: um país destroçado. E quem sabe na prisão Lula da Silva possa ler um pouco e instruir-se mais, espantando o seu atrevimento!

José Carlos de Carvalho Carneiro carneiro.jcc@uol.com.br

Rio Claro

*

FISCALIZAR E APURAR

Esse país foi dominado pela corrupção. Para onde a gente olha tem corrupção. Apuradas e muitas delas ainda não apuradas. No âmbito das agências reguladoras então nem se fala!  Mas dois setores em particular devem ter a atenção do Ministério Público (MP) e da Polícia Federal (PF). O dos fundos de pensão é um deles. É um crime o que fizeram com fundos de pensão das estatais como Postalis, Previ, Centrus, etc.. Aplicações na Sete Brasil ainda hoje estão sem qualquer esclarecimento e apuração. Me lembra o Banco Santos, em que de aplicações de fundos de pensão enriqueceram alguns dirigentes que permanecem impunes, muitos deles no comando de entidades financeiras e ainda atuando no setor. Por que aplicaram na Sete Brasil? Quem mandou? Quem vai responder por isso? Alguns fundos de pensão com déficit ainda pagam bônus milionários a seus dirigentes e conselheiros. Isso tudo sob a omissão e cumplicidade da Previc e dos patrocinadores ligados ao governo federal. Outro segmento ainda não alcançado pelo Tribunal de Contas da União (TCU) é o das entidades sindicais e confederações de trabalhadores. Dirigentes dessas associações estão ricos desviando recursos e ocupando imóveis que faziam parte do patrimônio delas. Entidades como a Contag, CUT, Contraf e tantas outras devem ser fiscalizadas. Os recursos repassados são nossos. É dinheiro público, sim! Essa orgia durou 13 anos... Mas a impunidade não pode durar para sempre! É muito trabalho, sim. Mas esperamos que o TCU, MP e Policia Federal fiscalizem e apurem tudo. 

Erica Maria Santos ericadf@bol.com.br 

Brasília 

*

MOTEL EM BENFICA

Os políticos e ex-políticos presos pela Lava-Jato, em Benfica (RJ), onde já esteve o ex-governador Sérgio Cabral, parece, criaram um motel dentro do presídio José Frederico Marques, com diversas suítes ornamentadas para encontros sexuais entre clientes e profissionais do sexo. Nada demais se considerarmos que o Estado do Rio também foi também transformado, inteiro, e por esses mesmos personagens, além de tantos outros, em um grande bordel, onde a descompostura e a falta de moralidade sempre prevaleceram.

Marcelo Gomes Jorge Feres marcelogferes@ig.com.br

Rio de Janeiro

*

ATOLEIRO DE NOME BRASIL

Tem tanta coisa errada no meu país, que acredito que em algum momento pegamos a estrada errada e acabamos caindo num atoleiro dos "brabos". Ninguém vê saída para nós. Acabo de ler que o prefeito de Embu das Artes (SP), fugiu para o Paraguai e que ele estava no cargo, reconduzido por decisão de um ministro STF. As acusações que pesam sobre ele são leves, como lavagem de dinheiro, tráfico de drogas, associação ao crime organizado e evasão de divisas. Pouca coisa, pelo menos no entendimento de alguns advogados e de ministro da Justiça. Está errado, ou eu sou muito chato. E assim é que está tudo aquilo que é importante para a Nação: saúde, educação, segurança, justiça, política, infraestrutura, etc.

Sergio Barbosa sergiobarbosa19@gmail.com

Batatais

*

OPERAÇÃO CARNE FRACA 

Tenho acompanhado com interesse a operação da Polícia Federal, intitulada Carne Fraca. Desde a primeira investida há uns oito meses achei tudo muito estranho. Não tenho nenhuma ligação com a empresa BRF, mas conheço pessoas ligadas a ela. Ao contrário do que parte da imprensa menciona, posso afirmar que são pessoas seríssimas. Trabalham muito, geram milhares de empregos e lutam por um Brasil melhor. Parte das minhas desconfianças foram confirmadas. Em um dos artigos dos jornais de hoje, menciona o enorme interesse de duas grandes multinacionais americanas em adquirir a BRF. O valor da empresa caiu de R$ 54 bi para R$ 19 bi. Não tenho dúvida de que tudo isso foi plantado. O Brasil está sendo destruído enquanto algumas pessoas aplaudem.

José Pacheco e Silva josepacheco@later.com.br

São Paulo

*

BRF PERDE BILHÕES

Mais uma vez de forma irresponsável a PF joga todo esforço de anos de uma grande empresa na lama. Os produtos, linha bastante diversificada, com as marcas Sadia e Perdigão, têm altíssima qualidade, inclusive a nível internacional. A forma como a pessoa ou a imprensa dá a notícia, determina a avaliação pública do que está sendo divulgado. Parte da imprensa, incluindo a TV, foi desastrada na divulgação das notícias, logo pela manhã, no dia de anteontem. E agora como reparar esse erro grosseiro, ou com segundas intenções? Gostaria de ter uma resposta. As empresas brasileiras que exportam seus produtos para dezenas, centenas de países merecem mais respeito.

Vitor de Jesus vitordejesus@uol.com.br

São Paulo

*

SALMONELAS

Mais um sucesso da nossa indústria agropecuária: exportação de salmonela. Ao ministro Blairo Maggi só faltou dizer que salmonela faz bem à saúde.

Tibor Rabóczkay trabocka@hotmail.com

São Paulo

*

BRF

BRFraude?

J.S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

*

SIMILITUDES

O papel do Coronel João Baptista Lima Filho, amigão do presidente atualmente investigado, com relação à fazenda de Duartina, SP não seria similar ao papel do Fernando Bittar e do Jonas Suassuna, amigões do ex-presidente atualmente processado, com relação ao sítio de Atibaia? Perguntar não ofende. Qualquer semelhança dificilmente será mera coincidência.

Claudio Rizzo jcmrizzo@uol.com.br

São Paulo

*

SEGURANÇA E REFORMA TRIBUTÁRIA

Ao reunir governadores e anunciar recursos de R$ 42 bilhões para equipar polícias e construir presídios, o presidente Temer reconhece o dever da União atuar na área. Mas R$ 33,6 bilhões do montante previsto serão empréstimos do BNDES que, mesmo com juros privilegiados, os Estados terão de pagar. E os que estão em recuperação financeira terão dificuldade legal para contratá-lo. O governo militar instalado em 1964 transferiu para a União receitas antes arrecadadas por Estados e municípios. Justificou que era pra combater a corrupção. Com os cofres cheios, transferia dinheiro para obras e serviços sem que os governadores e prefeitos tivessem que devolver. Na redemocratização as torneiras foram fechadas, mas não se voltou o poder do estado e do município arrecadar. O resultado e a penúria que muitos deles enfrentam hoje, sem ter com que honrar seus compromissos. O mensalão e os crimes apurados na Lava Jato demonstram que não prevalece atualmente a suposta blindagem do dinheiro arrecadado pela União. O melhor que Temer tem a fazer é uma reforma tributária, devolvendo aos entes federados a capacidade de arrecadar. Mas dificilmente conseguirá isso num ano eleitoral. Então, os candidatos de outubro devem já ir pensando na questão, pois será uma demanda inevitável no próximo quatriênio...    

                                 

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

*

LEI!  ORA, A LEI!

A aprovação pelo Congresso da reforma trabalhista (Lei n.º 13.467, de julho de 2017), que entrou em vigor em 11/11, foi um avanço e tanto para pôr o Brasil na trilha dos países desenvolvidos. Conforme o "Estadão" (28/2, A3), no editorial "Sindicatos contra o trabalhador", as centrais sindicais simplesmente aconselham os sindicatos a deliberarem em votação extraordinária a manutenção da contribuição sindical, como se a decisão delas tivesse mais poder do que a lei vigente. Será que as quase 15 mil entidades sindicais brasileiras, acostumadas a receber muito dinheiro dos trabalhadores via imposto sindical compulsório (no Reino Unido são 168 sindicatos; na Dinamarca, 164; na Argentina, 9) conseguirão passar por cima da lei aprovada pelo Congresso? Pelo visto os sindicatos vão defender com afinco o dinheiro farto e fácil e continuar a não prestar contas à sociedade brasileira.  Só mesmo aqui no Brasil.

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com

Campinas

*

INDOLÊNCIA

O brasileiro médio é indolente e é por conta desta indolência que não houve a mínima pressão popular para a tão necessária reforma da Previdência. O brasileiro médio é também, culturalmente, (mal) acostumado a mamar nas tetas do governo. Não surpreende que tenha havido apressamento atabalhoado, por parte de homens e mulheres, em 2017, para obtenção ligeira da aposentadoria antes das mudanças das regras. É interessante como, dependendo do objetivo, a energia aparece rapidamente e a indolência evanesce. O brasileiro médio deveria tentar compreender e aplicar as célebres palavras do presidente norte-americano John F. Kennedy: "Não pergunte o que seu país pode fazer por você. Pergunte o que você pode fazer por seu país". Utopia.  Estamos longe disso. 

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo

*

PERSEGUIÇÃO

Mesmo com o desempenho do governo de Michel Temer, com uma administração marcada pelo diálogo com o Congresso Nacional e pelas realizações que vem colocando o País no caminho da recuperação econômica e social, em virtude da destruição dos 13 anos dos desgovernos petistas, como a reforma trabalhista e do ensino médio, redução do desemprego, aprovação do teto dos gastos públicos, juros e inflação baixos, entre outras, ele vem sendo massacrado pelos partidos opositores, pelas denúncias infundadas pelo ex-procurador-geral, Rodrigo Janot e, agora, incluído em inquérito para investigação pelo ministro Fachin a pedido da procuradora-geral, Rachel Dodge, apesar de ter imunidade penal como presidente da República em relação a fatos anteriores ao mandato. Deixem Temer trabalhar em paz até 31/12/2018, que vem correspondendo com competência e responsabilidade a sua incumbência.

José Wilson de Lima Costa jwlcosta@bol.com.br

São Paulo

*

CÁRMEN LÚCIA

Na semana da mulher há que se ressaltar a figura aparentemente frágil da presidente do STF, ministra Cármen Lúcia.  Lutando contra a posição de personagens poderosos e interessados em fazer arrastar processos através de sucessivos instrumentos jurídicos ardilosamente pautados no princípio de presunção de inocência, ela resiste à pressão casuística dos mesmos de colocar em julgamento no STF a execução de pena de condenados em segunda instância... Ela bem sabe que nesse território há ministros que não são impermeáveis às afinidades partidário/ideológicas e é, justamente por isso, que o STF já não inspira confiança em ninguém.

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

AUXÍLIO-MORADIA

Sr. Sérgio Moro, seja melhor do que já é e julgue-se. Eu e você somos iguais. Sabe do que estou falando. Não tenho e não quero este auxílio indecente. Dê exemplo, seja melhor, decline do que não é justo e o favorece. Seja maior do que tem sido.

Carlos S Martinez gymno@uol.com.br

São Paulo

*

FUTURO

Alckmin, Lourival Gomes (SAP) e Manoel Pereira Calças (TJ-SP), compõem um terno impecável da desfaçatez, hipocrisia e dissimulação, como o smoking que nos levou aos tristes anos de lulopetismo, conta que pagamos até hoje!

Francisco José Sidoti fransidoti@gmail.com

São Paulo

*

GOLEADA E INSENSATEZ

Pesquisas de intenção de voto colocam Lula na dianteira nos dois turnos eleitorais. Ganha de goleada de qualquer oponente e, em contrapartida, coleciona derrotas homéricas junto a Justiça. Ou essas pesquisas são manipuladas, fajutas e direcionadas, ou o povo que deposita esperança no líder petista é muito ignorante.

Jose Alcides Muller josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré

*

E AGORA ESQUERDA?

Nossos esquerdinhas raivosos e inconsequentes devem ter sua atenção voltada para as eleições da Europa, onde o povo alfabetizado e atento está dando nítida maioria às ideias de direita. É a vida que segue. É a experiência que surge como um grito de esperança.

Geraldo de Paula e Silva geraldo-paula77@bol.com.br

Teresópolis

*

O NOVO NA POLÍTICA?

Está-se falando muito sobre a necessidade do novo nas eleições que se aproximam. Mas, que novo? Em qualquer carreira profissional, ou de administradores de empresas, ninguém chega ao topo do mando sem que suba degrau por degrau. Na política a lei deve ser a mesma. Deve-se buscar pessoas experientes na área, de capacidade comprovada ao longo de uma carreira bem-sucedida, para ocupar os cargos públicos mais importantes. Pessoas honestas, de bom caráter, sim. Mas ignorantes no ramo, não. Seria aumentar o caos nacional. Juízo!

Tercio Sarli terciosarli.edicoes@gmail.com

Campinas

*

SEÇÕES DE CARTAS DE LEITORES

Pesquisas nos EUA apontaram que as seções de cartas de leitores da mídia são o verdadeiro termômetro da opinião pública americana. Tal constatação ocorre também em outras nações mundo afora, o que revela a importância dessas seções. Principalmente agora que os jornais e revistas impressas sofrem uma forte concorrência das chamadas mídias virtuais, que devem por isso dar maiores espaços as ditas colunas,  como forma de terem uma integração com seus leitores, beneficiando os dois lados dessa fundamental relação para o bem da democracia.

José de Anchieta Nobre de Almeida josedalmeida@globo.com

Rio de Janeiro

*

FHC & LULA

É antigo o caso de amor não correspondido de FHC por Lula. Fernando Henrique foi o principal responsável pela primeira eleição de Lula, FHC não apoiou o candidato de seu partido, José Serra e não falou nada que desabonasse o candidato Lula, era tudo que Lula precisava para ganhar de um candidato sem carisma como Serra. Lula foi finalmente eleito presidente da República, ele poderia ter sido grande, um Gandhi ou Mandela tupiniquim. Lula colocou os pobres e excluídos no centro da discussão política, foi sem dúvida um presidente muito importante para o Brasil. Infelizmente, Lula se perdeu pelo caminho, deixou a corrupção correr solta no governo, acreditando que tudo se resolvesse na base da propina. O erro que FHC e os petistas estão cometendo é querer julgar Lula pelo que ele poderia ter sido, um grande estadista, o cara que acabou com a pobreza, deu casa e comida para quem nunca teve nada. Os muitos erros de Lula soterram os seus tantos acertos, o pior erro de Lula foi ter escolhido muito mal a sua sucessora. O Brasil não merecia a desastrosa gestão de Dilma Rousseff. Dilma deixou claro tudo de errado que o governo sempre fez, ampliou a roubalheira generalizada ao ponto de levar o país à falência. A herança de Lula pode até ser positiva para a Nação, mas não há como perdoar tudo que veio à tona na gestão de Lula e Dilma. O Brasil pode sim aprender muito com o caso do presidente Lula, aprender que a honestidade é sim importante, aprender que os fins não justificam os meios ilegais. O verdadeiro valor da honestidade será a maior lição que o Brasil poderá aprender de Lula.

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo 

*

ALCKMIN

Na última pesquisa sobre popularidade do "Estadão-Ipsos", Lula impera no País. Já Alckmin, com a maior desaprovação, precisa mudar o sabor, se quiser ter alguma aceitação. Como disse Rodrigo Maia, Alckmin no segundo turno é derrota na certa. Então é bom que se pense melhor, na viabilidade do candidato. Alckmin precisa se conscientizar de que na realidade e a duras penas, ele consegue manipular boa parte do PSDB. Mas daí, vai uma longa distância, em manipular o povo.

Ulysses Fernandes Nunes Junior ulyssesfn@terra.com.br

São Paulo

*

CORTAR O MAL PELA RAIZ

Sem querer ser agourento, mas sabe quando a intervenção militar no Rio vai dar certo? Nunca! É preciso acabar com guerrinhas, atacando os miúdos, a ponta do esquema. Tem que botar as forças armadas para cortar, atacar a fonte. Fiscalizar com rigor todas as fronteiras, acabar com os cabeças do tráfico. De nada serve brigar com as pontas. Tem que cortar o mal pela raiz.

Henrique Gândara clineurohenrique@ul.com.br

Ribeirão Preto

*

PASSADO E PRESENTE

Há 15 anos eu escrevi uma carta para o "Fórum dos Leitores do Estadão" referindo-me à violência urbana, em que eu dizia que se nada fosse feito para conter, a violência chegaria sem tempo para algo pudesse ser feito. Pelo visto esse tempo chegou.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia dos Sul (PR) 

*

SEM RADICALISMO

Assumindo um tom adverso ao colega Mário Rubens Costa, devo dizer que medidas radicais não são a forma de evitar o caos em nossa nação, e sim a fórmula exata de provocar um tortuoso conflito. Tomo a frente em perguntar quais seriam medidas radicais que, de fato, surtiriam efeito? A meu ver, nunca ouve uma situação em que mais opressão fosse a cura para qualquer problema. As Forças Armadas já atuam na capital fluminense desde meados do ano passado, e no último mês, devido ao agravamento da violência, Temer assinou o decreto da intervenção federal. Digo, ao ler relatos e pesquisar mais a fundo, que quanto mais tentamos reter o crime organizado, mais forte ele se torna, assim como uma superbactéria. Estamos a isolar o problema em uma quarentena e não a tratar a real situação. Temos que levar em conta, que o crime organizado fundou seu próprio Estado, mantendo suas fronteiras nas favelas e assegurando a comunidade com uma base mais firme que a do nosso Estado atual, por baixo das asas do crime. Asseguro que se o País tivesse investido, em tempos passados, em educação ou saúde, hoje não teríamos de intervir radicalmente na segurança. Este tipo de controle que o nosso governo tem tentado exercer é falho, não se cura rebelião com mais opressão. Peço que não me entenda mal, não estou a apoiar o crime organizado ou sequer a situação atual do Rio De Janeiro. Muito pelo contrário, creio fielmente que medidas adversas podem ser empregadas a fim de estabelecer paz. Não devemos ser radicais, devemos estudar a causa do problema, e tratar a partir da raiz. 

Yoshida Moraes estefaniemayomoraes@gmail.com 

Guarulhos 

*

SEGURANÇA

Parece piada pronta. Em tempos de fiscalização intensa nos aeroportos atrás de drogas, com apreensões, se tem notícia de um tremendo roubo de dinheiro em um dos maiores aeroportos do País.

José Rubens de Macedo S. S.joserubens@jrmacedo.adv.com.br 

São Paulo

*

O BOM POLÍTICO

O articulista Murillo de Aragão (6/2, A2) ao mostrar que os pontos negativos das políticas se evidenciam e os positivos são esquecidos, usou a teoria psicanalítica sem o saber. Os "bons pais" fizeram direito seu trabalho e por isso mesmo se tornaram a estrutura interna dos filhos tão sólida que estes não precisam mais do trabalho dos pais, pois conquistaram independência e autonomia e guardam no peito amor, respeito e gratidão. O verdadeiro estadista está pronto para "ser esquecido", pois cumpriu bem seu papel. Entretanto, o que vemos no Brasil é que a maioria dos políticos pretende manter seu eleitor como um eterno bebê apegado em suas saias, para que nunca se esqueça dele na próxima eleição. E o eleitorado, infantilizado, se deixa enganar. Por favor, votem em pessoas que queiram a sua emancipação como cidadão o que, necessariamente, implica em deveres. Não fiquem somente invocando direitos e xingando a classe política. Participem, informem-se, pois é isso que levará o Brasil ao tão almejado Primeiro Mundo. Cresçam.

Sandra Gonçalves sandgon@terra.com.br

São Paulo

*

'SANTA IRA'

No fechamento do artigo "Santa Ira" de Ana Carla Abrão, veiculada no caderno de Economia (6/3) há a ressalva de que "o artigo reflete exclusivamente a opinião da colunista", mas creio que grande parte da população compartilha das mesmas ideias.

O diagnóstico está lá - embora muita coisa ainda possa ser acrescentada - mas cadê o Governo (muitos afirmam, des) que não consegue enxergar esses problemas; se consegue, não tem vontade, planejamento, ação. Cabe, também, à sociedade cobrar a solução de problemas que prejudicam a coletividade, porém, estamos inertes, cada qual esperando que alguém tome a iniciativa. É preciso consciência, tirar esses políticos do conforto, exercer a cidadania plena. As eleições estão chegando, é hora de começar a mudança.

José Luiz Barbosa joluba@bol.com.br

São Paulo

*

SEMELHANÇAS

Nas recentes eleições italianas, um partido fundado por um comediante (Beppe Grillo), obteve 32% dos votos, destinados à formação do próximo governo da Itália; ao unirem-se aos radicais de direita da Liga, estará formada uma coligação, que poderá por em risco a vida dos imigrantes e até abalar a participação do país na comunidade europeia. Aqui no Brasil, um palhaço chamado Tiririca, recebeu nas duas últimas eleições alguns milhões de votos, o que permitiu a eleição de meia dúzia de figuras desconhecidas e inexpressivas, rebocadas pela enxurrada de votos no comediante. Tratam-se de dois países, de origem latina, cuja semelhança os aproxima, até numa certa irresponsabilidade, que pode colocar em risco nossas instituições e até nosso futuro.

Luiz Antônio Alves de Souza zam@uol.com.br

São Paulo

*

KIM JONG-UM

Deu a louca no ditador norte-coreano Kim Jong-un. Em reunião com líderes do Sul, ele prometeu encontrar o presidente Moon Jae-in, mostrou simpatia pela desnuclearização e ainda reforçou a intenção de dialogar diretamente com os EUA. O selinho na testa de Donald Trump fica por conta da nossa imaginação...

Ricardo Siqueira ricardocsiqueira@globo.com

Niterói (RJ)

*

PEDÁGIO

Há tempo eu não via uma reportagem sobre os pedágios além desta do "Estadão". Isso é uma verdadeira caixa preta, ninguém sabe o que fica para a União, Estados ou municípios e para concessionária, quanto fatura e "quem" realmente fiscaliza. Existem muitas rodovias pedagiadas sem a manutenção necessária. Cada órgão, agência e outras reguladoras joga um para o outro e somando o fato de os cargos serem alocados pelos governos, sabemos onde vai dar. Veja o Estado de São Paulo, deve arrecadar R$ 20 bilhões em IPVA, poucas obras e os pedágios lucrando como nunca.

Romualdo Caretta romucaretta@gmail.com

Catanduva

*

JOÃO DORIA

Em que mundo vive o prefeito João Doria? Enquanto a sociedade brasileira se mostra indignada com as mordomias de ex-presidentes, que até o dia do último suspiro precisaremos pagar um séquito de servidores para servi-los, o prefeito almeja o mesmo benefício para prefeitos e ex-prefeitos da cidade de São Paulo? Quer dizer então que seguranças ficarão alojados na Papuda para abanar o ex-prefeito Maluf? Como eleitora do prefeito Doria eu pergunto: é assim que deseja se candidatar ao Estado de São Paulo, cujos gastos com funcionalismo estão no limite? Votei em Doria pensando numa gestão eficiente, não para aumentar mordomias a prefeitos e ex-prefeitos, que deixado o mandato devem seguir suas vidas como qualquer cidadão comum. 

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

INTERLAGOS

Áreas urbanas nas cidades, como o Autódromo de Interlagos em São Paulo, jamais deveriam ser liberadas ou vendidas para outros fins que não fossem praças, jardins, parques ou áreas de recreação, pois todas as cidades, devido à valorização imobiliária, estão se transformando em uma selva de pedra, numa atitude criminosa em relação aos indefesos munícipes, numa nova forma de estupro tão grave como o de menores.

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br 

Vila Velha (ES)

*

OS LATERAIS DA SELEÇÃO

Se Tite assistiu o jogo entre PSG x Real de Madri, impossível não ter visto as falhas do lateral Daniel Alves, que nunca foi um bom marcador, mas por ser um bom apoiador aliado ao preparo físico e mocidade compensava a deficiência, mas essas três condições ele já não tem as mesmas, atualmente é um ponto fraco mais explorado assim como é o Marcelo do lado esquerdo, nas condições, apoia bem, mas  marca mal. Como se pode ver a seleção do Tite tem nas duas laterais ausência de bons marcadores o que sobrecarregará os zagueiros de área. 

Laércio Zanini spettro@uol.com.br  

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.