Fórum dos Leitores

Cartas selecionadas para a edição impressa e portal estadao.com.br

O Estado de S. Paulo

11 Março 2018 | 03h00

ELEIÇÕES

Quantidade x qualidade

Já chega a 11 o número de candidatos a presidente da República na eleição de outubro. O detalhe é que, somados, não perfazem um. Com todo o respeito!

LUÍS FERNANDO AMARAL

luffersanto@bol.com.br

Laguna (SC)

As fotos estampadas na página A4 de sexta-feira, dos possíveis postulantes à cadeira de presidente da República, são para rir ou para chorar?

OLAVO FORTES C. RODRIGUES

olavo_terceiro@hotmail.com

São Paulo

*

Promessas de mudança

Políticos velhos, com discursos velhos prometendo coisas velhas e achando que os eleitores vão acreditar que são uma novidade. Sem chance!

LUIZ FRID 

luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

Candidatura Maia

Os menos avisados que assistiram ao discurso da pré-candidatura do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), à Presidência podem ter tido a impressão de que ele seria “sangue novo” na política. Mas, mesmo ocupando um dos cargos mais importantes da República, ele pouco ou nada fez para mudar os rumos da velha política. Até usou de demagogia para dizer que não é demagogo!

VIRGÍLIO MELHADO PASSONI

mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

Eleitor tem memória

Temos observado que todo candidato a algum cargo político neste país tem um estereótipo do eleitor que versa sobre sua “falta de memória”. Rodrigo Maia, por exemplo, espera o nosso voto por achar que esquecemos que mandou engavetar as 10 Medidas contra a Corrupção, nosso grande anseio escamoteado pelas excelências do Congresso Nacional. Um lembrete ao presidente da Câmara: os 2,5 milhões de brasileiros que assinaram a petição representam uma ínfima parte dos eleitores que não votarão nele – nem nos seus companheiros – em outubro.

CARMELA TASSI CHAVES

tassichaves@gmail.com

São Paulo

*

Também não esqueceremos seus constantes ataques ao presidente Michel Temer, sempre criticando-o e não se empenhando em ajudá-lo no que precisava aprovar no Congresso, em especial a reforma da Previdência.

ANGELO TONELLI

angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

Nunca antes...

Com Rodrigo Maia também como protocandidato, podemos afirmar que nunca antes neste país surgiram tantos políticos oportunistas numa corrida presidencial. Mais uma herança dos tristes anos de lulopetismo.

FRANCISCO JOSÉ SIDOTI

fransidoti@gmail.com

São Paulo

*

Troféu

O ano mal começou, mas se houver eleição para escolher o político mais cara de pau de 2018, sem dúvida Ciro Gomes levará o troféu. Sua frase “me dói pensar em Lula preso” é imbatível!

LAÉRCIO ZANINI

spettro@uol.com.br

Garça 

*

Quem eleger?

Por todo lado ouço pessoas dizendo que não têm em quem votar porque nenhum candidato presta. De fato, muitos são os citados e os condenados na Lava Jato. Eu já decidi que nenhum deles nem seus apadrinhados terão o meu voto. Assim, como já sei em quem não votar, vou prestar toda a atenção nas ideias dos demais. Tenho a convicção de que quem fizer o mesmo muito estará contribuindo para construir um Brasil melhor.

JORGE ALBERTO NURKIN

jorge.nurkin@gmail.com

São Paulo

 

*

JANELA PARTIDÁRIA

Infidelidade e fisiologismo

Vai até 7 de abril a chamada janela partidária, em que deputados podem mudar de legenda sem perder o mandato. Assim se esfacelam as bancadas no Congresso e nas Assembleias Legislativas. A negociata corre solta, envolvendo recursos para campanha, horário no rádio e na TV e outras vantagens. É um período em que fica explícita a pouca importância que se dá aos partidos. Ninguém pode ser candidato sem estar filiado, mas a legenda e seu programa pouco importam e são descartados como se troca de camisa. A falta de tradição e firmeza partidária é flagrante. A reforma política, quando vier, precisa cuidar de fortalecer as agremiações partidárias, porque do jeito que estão são meros cartórios decorativos.

DIRCEU CARDOSO GONÇALVES

aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

 

*

Quem dá mais?

Como no futebol, inventaram a tal janela partidária, que poderia ser chamada de leilão da falta de ética. Afinal, os políticos trocam de partido não por discordarem de suas ideias, mas pelo que podem ganhar com a troca – “toma minha alma e me dá uma supercampanha para eu ser reeleito e me perpetuar no poder”.

MANOEL JOSÉ RODRIGUES

manoel.poeta@hotmail.com

Alvorada do Sul (PR)

*

CORRUPÇÃO

‘Quadrilhão do PT’

O relator da Lava Jato no STF, ministro Edson Fachin, recebeu denúncia da Procuradoria-Geral da República contra Lula da Silva, Dilma Rousseff, Antônio Palocci, Guido Mantega e João Vaccari Neto pelo envolvimento no recebimento de propinas da ordem de R$ 1,5 bilhão, via Petrobrás, BNDES e Ministério do Planejamento, no governo da “presidenta”. E determinou que o processo corra na primeira instância da Justiça Federal em Brasília. Já a senadora Gleisi Hoffmann e o marido, Paulo Bernardo, vão se defender no próprio STF, pela excrescência do foro privilegiado – que aguarda, inerte, pelo último voto, já vencido, do ministro Dias Toffoli, ex-advogado do PT e que será o próximo presidente da Corte.

JÚLIO ROBERTO AYRES BRISOLA

jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

Organização criminosa

Aldemir Bendine, ex-presidente do Banco do Brasil e da Petrobrás, homem forte do governo Dilma, foi condenado a 11 anos de prisão pelo juiz Sergio Moro. Depois de tantas condenações e prisões de petistas, o demiurgo de Garanhuns ainda insiste em esbravejar que é perseguido pela Justiça, pela imprensa e pela elite do Brasil. Pobre dr. Sepúlveda Pertence, com biografia tão rica por serviços prestados ao País, na defesa do indefensável.

ANTONIO CARELLI FILHO

palestrino1949@hotmail.com

Taubaté

*

A ESPERANÇA DE LULA

Mesmo que não ocorra agora a colocação em pauta no Supremo Tribunal Federal (STF) para apreciar a questão da segunda instância, porque sua presidente, a ministra Carmén Lúcia, por saber ou no mínimo desconfiar que haverá um revertério para um placar que virá favorecer Lula, ela tentará adiar para seu sucessor essa data para se livrar da responsabilidade. Por acaso seu sucessor será o ministro Dias Toffoli e ele, teria a grandeza de julgar-se impedido de votar porque já foi advogado de Lula? Duvido. Se ocorrer a reviravolta com a segunda instância, toda trabalheira da Operação Lava Jato e outras, que estão conseguindo algo inédito no País, que é colocar na cadeia políticos e empresários bilionários ladrões, irá para o lixo. Não sei não, mas começo a pensar como muitos, que defendem nova intervenção militar para evitar tamanha tragédia para o País, porque nós civis não conseguimos conviver com a democracia e falhamos vergonhosamente e a prova está aí, porque alegremente demos poder a essa cambada responsável por uma corrupção gigantesca que está levando o País para o buraco.

Laércio Zanini spettro@uol.com.br

Garça

*

EXPECTATIVAS

O que faz de Lula o maior criminoso que o Brasil já teve? As expectativas... Qualquer outro político da velha guarda que assumisse a Presidência, já estrearia com certa expectativa de bandidagem. No final, não surpreenderia e contaria até com certa leniência popular... Tipo rouba, mas faz. Mas Lula começou com uma expectativa muito alta... Tipo finalmente um homem do povo chega lá, sofredor, honesto, trabalhador, ele vai ajudar, vai melhorar o País. Quando no final, depois de tudo, ainda insiste em prejudicar o País com suas mentiras a bandidagem dele fica dobrada, somando-se a expectativa com sinal trocado e a realidade. É, ou não é, o maior criminoso? Xô, Lula!

Gilberto Dib

gilberto@dib.com.br

São Paulo

*

LULA E O STF

Se o STF mudar de posição e adiar a prisão de Lula para 2052, de acordo com o ritmo de nosso judiciário (em minúsculas mesmo), fica aqui uma sugestão ao juiz Sérgio Moro: mude de país, vá lecionar em Harvard ou outra universidade de primeira linha. Será recebido com as honras que merece e deixará este país da mesma forma como estão partindo as nossas melhores cabeças. Estaremos carimbando nosso passaporte para o fracasso como Nação.

Aldo Bertolucci

aldobertolucci@gmail.com

São Paulo

*

JUSTIÇA 9 X 0 LULA

A capenga defesa de Lula já perdeu, sem marcar nenhum gol, em primeira, segunda e terceira instância. É chegada a hora de aceitar a dura derrota, voltar para o vestiário chorando e tomar uma ducha gelada. A era Lula já era. Esta é sua última e definitiva instância. Basta!

J.S. Decol

decoljs@gmail.com

São Paulo

*

CURVATURA

Vamos ver se o STF se curva à pressão do PT. Será a maior curvatura da história.

Eugênio José Alati

eugenioalati13@gmail.com

Campinas

*

PESO

Lula está cada dia mais se transformando num peso político do que num preso político.

Ely Weinstein

elyw@terra.com.br

São Paulo

*

CONDENADO E VICE

Já que o partido insiste que vai registrar a candidatura do condenado, que tal recrutar o vice, por uma questão de uniformidade de critério, num presídio de segurança máxima?

Níveo Aurélio Villa

niveoavilla@terra.com.br

Atibaia

*

PLANO “D” DO PT

Após a brilhante jogada de Kim Jong-un o PT poderia lançá-lo como candidato em seu plano “D”. Basta aproveitar o passaporte brasileiro do ditador norte-coreano. Pelo menos ele é bem mais sabido que os ficha-sujas, o professor não muito assíduo ao cargo que destruiu a cidade de São Paulo e os demais aloprados dirigentes petistas. 

José Rubens de M. Soares

joserubens@jrmacedo.adv.com.br

São Paulo

*

MUDAR A REGRA

A forma de indicação de membro do Supremo precisa ser alterada: o presidente da República não indica o candidato, ele escolhe entre os candidatos de uma lista tríplice elaborada e aprovada pelos deputados e senadores, elaborada por ordem alfabética. Outra questão: por que alguns tribunais estaduais estão tão “inchados”? Se descuidar, vai ter mais desembarcadores do que juízes nos Judiciários estaduais...

Minoru Takahashi

minorinhotakahashi@hotmail.com

Maringá (PR)

*

INCONSTITUCIONALIDADE CONSTITUCIONAL

Na República Federativa do Brasil, a Constituição conferiu autoridade soberana aos Três Poderes constituídos, visando a autonomia, independência e harmonia em suas inter-relações governamentais. Na minha singela opinião, o fato de que os ministros do Supremo Tribunal Federal – órgão máximo representante do Poder Judiciário – são indicados pelo chefe do Poder Executivo, ainda que aprovados pelo Congresso Nacional é uma incongruência pertinente à própria Constituição vigente. Atualmente temos como membros da mais alta Corte, três ministros içados por Lula (Dias Toffoli, Carmén Lúcia e Ricardo Lewandowski) e quatro ministros indicados por Dilma Rousseff (Luiz Fux, Rosa Weber, Luís Roberto Barroso e Luiz Edson Fachin). E mais: Dias Toffoli já atuou como advogado do PT e, na minha opinião não deveria esquentar cadeira de membro do Supremo, já que demonstrou não ter notável saber jurídico – foi reprovado em dois concursos para juiz de primeira instância – nem ilibada reputação, já que é réu em dois processos: ele foi condenado em primeira instância no Estado do Amapá e é réu em processo em andamento na Justiça Federal de Santa Catarina (Ação Popular nº004277-19.2015.4.04.7204/SC), processo referente a fraudes ligadas à aquisição de urnas eletrônicas. Pasmem, senhores: esse causídico que já atuou em defesa do PT e “amigo do peito” de Lula, em setembro próximo tomará posse como presidente da mais alta Corte do País. Para que tais aberrações – que indubitavelmente acontecem por influências políticas – não mais ocorram no futuro, urge a necessidade de se aprovar, no Congresso Nacional, uma PEC que modifique a atual prática de indicação dos membros do STF, já que a indicação, pelo presidente da República, certamente interfere na independência dos Poderes constituídos. Tais indicações, posso apenas sugerir, deveriam dar-se por votação entre juízes e desembargadores, ou mesmo por todos os cidadãos que atuam na área jurídica, possuidores de registro na Ordem dos Advogados em todo o território nacional. Peço aos senhores congressistas, deputados federais e senadores, que se dediquem a um minucioso estudo do tema que ora apresento. No futuro, a Nação lhe será grata e o Brasil terá uma Justiça não cega, mas provida de uma visão justa e cristalina, já que sem a indesejada influência política que hoje está presente no julgamento de temas cruciais, como a prisão de Lula, que, pelos votos de juízes e desembargadores já tem contra si o placar de dez a zero no jogo em que solicita habeas corpus para que não seja levado à prisão, inicialmente em regime fechado, como determina a lei.

Roberto Twiaschor

rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

*

COMPOSTURA

Nosso legislativo federal, o Congresso, isto é o Senado e a Câmara são a imagem irretocada de nossa indigência cultural e de nosso incivilizado comportamento na cabal demonstração de nosso primarismo e incivilidade. Não sei de outro país civilizado em que os deputados e senadores fiquem em plenário em conversas privadas enquanto algum colega esteja na tribuna ou no uso da palavra, é um desrespeito e um comportamento reprovável e indevido. Em um plenário que tem assento para todos os congressistas, em plena sessão, ver-se o aglomerado de parlamentares em pé e espalhados pelos corredores do plenário e mesmo ao redor da mesa diretora, durante os trabalhos, completamente alheios aos colegas na tribuna é um espetáculo degradante e demonstrativo do nível educacional de suas excelências. Desordem e tumulto parecido, só em feiras livres desorganizadas ou mercados de peixe e congêneres. Nosso Congresso é a imagem do caos, do desrespeito e da incivilidade. Será que algum dia os congressistas vão ter comportamento com compostura e civilidade? Deixo a pergunta aos presidentes das Casas Legislativas Federais. Às Assembleias e às Câmaras municipais só faremos a indagação depois de termos obtido a resposta do Congresso. É o respeito à hierarquia.

Mário Rubens Costa

costamar31@terra.com.br

Campinas

*

FUX LIMITA PESQUISAS

Lamentável por todos os aspectos esta decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de baixar uma resolução, na qual, as pesquisas eleitorais, não podem fazer “indagações a respeito de temas não relacionados à eleição”.  Com cheiro de expressa censura, lógico que, o entrevistador não vai perguntar ao entrevistado o nome do cachorro dele ou do vizinho, ou, para qual clube de futebol ele torce, etc.. Ora, garantir lisura no pleito, é permitir que o eleitor com total liberdade, escolha o seu candidato, também a sociedade brasileira conheça o perfil deste eleitor, e o que pensa dos candidatos, e tendência de seu voto. Ou seja, é a liberdade de expressão tão cara a todos nós em jogo... Será que o objetivo desta amarra às pesquisas eleitorais, é a de impedir que questões vitais sejam levadas aos entrevistados, como de um candidato supostamente corrupto e em curso sua investigação?! Ou não poder perguntar se o eleitor depositaria seu voto, num candidato que foi a favor dos refis escandalosos de perdão de juros e multas, que prejudicaram a arrecadação da União?! O TSE deveria saber e respeitar, que, legislar sobre pesquisas de opinião também é tarefa exclusiva do Congresso!  Será que o Luiz Fux, presidente recém-eleito do TSE, está com o mesmo vírus de alguns de seus colegas ministros do STF, que, são ávidos por um protagonismo exacerbado, que, só tem afetado a imagem do nosso Judiciário, criando até insegurança jurídica?!  Por que, então, ficar pegando indigesto pelo em ovo, e dificultar, ou censurar pesquisas eleitorais, que há muito, vai muito bem obrigado?! O Brasil precisa avançar, progredir e não andar para trás...

Paulo Panossian

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

SEMPRE ERRADO

Rodrigo Maia autorizou a doação de quase R$ 1 milhão à Autoridade Palestina (AP), para patrocinar a restauração da Basílica da Natividade – em Belém – na Cisjordânia. A medida controversa já foi suspensa e depois teve a suspensão revertida pela Advocacia-Geral da União (AGU). Será que Maia é tão ingênuo para não perceber o risco que é doar dinheiro para a um órgão tão corrupto e obscuro como a AP? Lembremos que o Hamas e diversas iniciativas antissemitas e antissionistas foram apoiadas pela AP, ao longo dos anos. Lembro ao sr. Rodrigo Maia que o Brasil – orgulhosamente – foi um dos grandes responsáveis pelas medidas que culminaram na criação do Estado de Israel. Lamentavelmente, contudo, de vários anos para cá, nossos governos sempre têm estado do lado errado, apoiando aqueles que nunca quiseram a paz na região. “Am Yisrael Chai” (o povo de Israel vive)!

Sérgio Passos

sepassos@yahoo.com.br

Porto Feliz

*

DESOLADOR

Desolador: estimo que 80% do tempo do Jornal Nacional é ocupado com notícias de delação, condenação e novas denúncias de corrupção. O espaço nos periódicos também é grande ao lado de outras más notícias. Pelo menos pode-se esperar que esteja progredindo um processo de faxina, embora haja advogados, promotores e até juízes procurando retardá-lo.

Harald Hellmuth

hhellmuth@uol.com.br

São Paulo

*

SEM LIMITES

O crime no Brasil compensa! Ladrões de bilhões da Petrobrás estão soltos, pois de acordo com a Justiça já cumpriram pena, muitas vezes menos de um quinto do tempo de condenação. Suítes para encontros íntimos são encontradas em presídio do Rio de Janeiro... É o fundo do poço de um país que tem o Código Penal desatualizado, prende batedor de carteira e devedor de pensão alimentícia deixando soltos políticos que roubam verba da saúde e educação, pois a lei, feita por eles, para eles, tem brechas, atalhos para recursos sem fim. Em Brasília, cidade construída e planejada para atender a todos os ministérios e órgãos do governo gasta-se mais de R$ 2 bilhões por ano em aluguel de imóveis porque a máquina pública é um dragão faminto por cargos e o quadro de funcionários aumenta desproporcionalmente se comparada com o crescimento do País. A solução é o governo cortar gastos, mudar as leis que regem o funcionalismo público para adequá-lo a nova realidade, da era da informática e dos supercomputadores.

Luiz Ress Erdei

gzero@zipmail.com.br

São Paulo

*

POSIÇÕES

Impressiona a posição de determinados segmentos da sociedade civil que se diz organizada no julgamento antecipado da intervenção federal no Rio de Janeiro. O problema está exposto há décadas e nunca ninguém se levantou efetivamente para propor qualquer plano por mais esdrúxulo que fosse sempre as Forças Armadas foram convocadas quando o bicho pegava. Agora que se pretende fazer um trabalho mais específico e intenso, aparecem os pais da Pátria dando todo tipo de palpite, opinião, sugestão, interpretação e quiçás... A dra. OAB foi a que mais me impressionou quando convocou um mediador para acompanhar as ações das tropas quando esta se propõem a identificar cada cidadão para saber com quem estão tratando, nada de excepcional num momento excepcional, se a mesma estivesse de fato preocupada com os acontecimentos deveria ter formado a tempos atrás uma rede de proteção pelo menos para os menores que são aliciados e abduzidos pela marginalidade, pelo amor ou pela dor. Além dos marginais, tem muita gente torcendo para não dar certo.

Manoel Braga

manoelbraga@mecpar.com

Matão

*

‘MOTEL’

Com a intervenção militar o “motel Benfica” é mais seguro.

Moisés Goldstein

mgoldstein@bol.com.br

São Paulo

*

CANDIDATOS

No andar da carruagem, vamos ter pelo menos uns 20 candidatos, desde as grandes ratazanas, até os ratos miúdos alguns “candidatos profissionais”. O duro é encontrar um único que tenha sequer uma linha de currículo como estadista, com moral e ética dignas de ser pelo menos, um vereador!

Ariovaldo Batista

arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

URNAS ELETRÔNICAS

As urnas eletrônicas são as principais armadilhas, arapucas, dos fraudadores de votos, corruptos e interessados em desviarem votos para garantir o seu poleiro e continuar roubando o País, pois eles sabem que os eleitores lhes recusam e ainda na hora “H” colocam um Toffoli da vida para fazer uma apuração secreta. É muito cinismo desses espertinhos e muito relaxamento dos contrários por não tirar suas bundas dos sofás para contestar tamanho abuso publicamente visto e sofrido pelo País. Com todo o enorme apoio popular que vem conquistando o possível candidato deputado Jair Bolsonaro, se confirmar a sua candidatura à Presidência da República, este será a maior vítima das falcatruas nas urnas eletrônicas. É bom “jair” abrindo os olhos Bolsonaro!

Benone Paiva

benonepaiva@gmail.com

São Paulo

*

ELEIÇÕES

Em vésperas de eleições parece samba do crioulo doido. Nem quatro meses atrás a ala jovem do PSDB, incitava de Geraldo Alckmin a dar uma guinada à esquerda, provavelmente querendo abocanhar votos do hoje minúsculo PT. Agora os psdebistas perceberam que a população se encheu desse “socialismo a lá brasileiros” cuja principal ideologia não passa de “venham a nós o nosso reino”, e quer representantes de direita, cujo lema é: não existe socialismo, sem o “trabalho do capitalismo”, que por sinal muito mais lógico. Então diante do grande número de candidatos à Presidência igual uma sopa de letrinhas, sabendo que a briga será inglória, começaram agora a denominar Geraldo Alckmin como de “centro direita”. É ou não é um partido que perdeu sua identidade assim como o rumo? Por isso continuam lanterninhas nas pesquisas.

Beatriz Campos

beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

DORIA E A TROPA SINISTRA

Alckmin deveria se atentar para o fato de que todos os apoiadores de Doria dentro do PSDB conspiram, na verdade, contra ele e sua aspiração presidencial. Pois se der livre curso à nomeação de Doria como candidato ao governo de São Paulo, este tentará galgar logo mais a cadeira almejada por Alckmin. A única forma de refrear essa síndrome ególatra e o esfarelamento do partido é deixá-lo na Prefeitura. Talvez assim tome gosto pela gestão e esqueça a adicção midiática.  

Fernando Dourado Filho

douradofernando372@gmail.com

São Paulo

*

BOEING & EMBRAER

É estranho como o governo brasileiro participa destas negociações.  Haveria reservas pelo governo devido a parte de defesa desenvolvida pela Embraer, a qual possivelmente fique fora do acordo. Francamente, a Boeing tem altíssima tecnologia na área militar.  Diante de seu interesse na Embraer, não seria o caso de pedir tecnologias mais avançadas nesta área para a Boeing, em vez de impor reservas sobre tecnologias nossas às quais a Boeing não tem o mínimo interesse?

Luiz Prandini

prandini.luiz@yahoo.com.br

São Paulo

*

NÃO QUEREMOS OS CASSINOS!

Quem defende a liberação dos jogos de azar no Brasil deveria visitar com espírito crítico, por exemplo, Atlantic City, nos Estados Unidos. Na avenida da praia, edifícios suntuosos, que abrigam os hotéis e cassinos. Dentro, luz artificial 24 horas por dia e jogadores compulsivos nas máquinas caça-níqueis e nos demais ambientes de jogos. Na rua de trás, uma sucessão de lojinhas com os avisos: “compro ouro”; “compro joias”... No resto da cidade, ruas e casas simples, quando não realmente pobres, dos funcionários que trabalham nos cassinos e dos demais habitantes. Um retrato do mal que os jogos fazem às pessoas e de que só ganham os donos dos hotéis e cassinos e os que se aproveitam da desgraça alheia. Todos os outros perdem, inclusive, o Estado: a arrecadação não compensa as perdas sociais e os gastos com saúde. Não queremos isso para o Brasil.

Cesar Garcia

cfmgarcia@gmail.com

São Paulo

*

TRUMP E O AÇO BRASILEIRO

Essa intempestiva e irresponsável medida do Donald Trump em sobretaxar a importação de aço e alumínio para os EUA despertou imediata retaliação dos países prejudicados, dentre eles o Canadá. O Brasil, em legítima defesa da nossa economia, deveria simplesmente suspender as negociações entre a Embraer e a Boeing, até que as medidas sobre a importação do aço e do alumínio brasileiros voltem ao status quo ante. A Embraer não precisa da Boeing, mas a recíproca não é verdadeira. A Boeing precisa da Embraer. Está aí uma sugestão para o ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes.

Carlos Benedito Pereira da Silva

carlosbpsilva@gmail.com

Rio Claro

*

IMIGRAÇÃO

“A memória se faz de lembranças, mas também de esquecimentos”: imigração austríaca merece respeito. Estou acompanhando as discussões acerca do título conferido erroneamente ao município capixaba de Santa Teresa como “berço da imigração italiana no Brasil”. Sim, trata-se de um erro. A Lei n.º 11.687 de 2008 instituiu o dia 21 de fevereiro como dia nacional do imigrante italiano, baseando-se na data de chegada do navio “La Sofia”, em 1874, naquela que ficou conhecida como Expedição Tabacchi. A data também inspirou o título conferido recentemente à cidade de Santa Teresa. Todavia, a expedição foi chefiada pelo imigrante austríaco Pietro Tabacchi, natural de Trento, que trouxe imigrantes tiroleses (austríacos) e vênetos (italianos). Não se tratou unicamente de “imigração italiana” e a história demonstra isso: para trazer os imigrantes tiroleses, Pietro Tabacchi negociou com o governo austríaco. Quando alguns deles se revoltaram contra Tabacchi, buscaram auxílio junto à representação consular austríaca. Quando Tabacchi faleceu (de infarto provavelmente causado pela preocupação após os tumultos), o consulado austríaco emitiu uma nota em um jornal da cidade de Vitória. Santa Teresa comete um erro quando desconsidera a nacionalidade dos imigrantes tiroleses para justificar um título que não condiz com a história. Trato, portanto, de aspectos históricos da imigração austríaca no Brasil, iniciada na primeira metade do século XIX e que, até o momento, tem sido “esquecida” pela historiografia brasileira. Como imigrantes austríacos se tornam “pioneiros da imigração italiana”? Por causa do idioma? Até 1918, a Áustria possuía mais de dez idiomas oficiais. Imigrantes austríacos de língua alemã fazem parte da imigração alemã? Até quando a imigração austríaca será renegada pela historiografia brasileira? Estou falando de mais de 70 mil imigrantes! A Suíça atual possui quatro idiomas oficiais. Um suíço de língua italiana não é cidadão italiano. Imigrantes suíços de língua alemã fazem parte da imigração suíça ou alemã? Em 1904, o cônsul austríaco em São Paulo se lamentava às autoridades brasileiras: “Aproveito esta ocasião para chamar a atenção de V. Excia. sobre um aspecto que, em meu modo de ver, é uma falta capaz de dar ao processo de imigração uma aparência muito contraditória à realidade. Refiro-me aos casos, por mim observado tantas vezes, nos quais súditos austríacos conhecedores da língua alemã ou italiana aparecem nas estatísticas como súditos alemães e italianos”. Dada a complexidade do Império Austríaco, com mais de dez idiomas oficiais, muitos brasileiros não indicavam corretamente a nacionalidade dos imigrantes e, assim, austríacos de língua italiana eram classificados como italianos. Os imigrantes da Expedição Tabacchi eram, em sua maioria, austríacos de língua italiana. Vale lembrar que o território trentino, chamado Tirol Italiano por causa do idioma, esteve unido à Áustria de 1363 até 1918 (555 anos), mesmo quando era governado pelos bispos de Trento, que não possuíam exército e dependiam dos duques austríacos para garantir sua soberania administrativa. Durante a Primeira Guerra, 60 mil tiroleses de língua italiana combateram pela Áustria e cerca de 12 mil contra as tropas italianas. Trento forma hoje uma região autônoma na Itália, tutelada pela República da Áustria graças a um acordo internacional. Alguns afirmam que não é possível considerar pioneira a Colônia Nova Itália em São João Batista porque os imigrantes chegaram em 1836 e o Reino da Itália ainda não existia. Outros argumentam que na Expedição Tabacchi de 1874 havia imigrantes vênetos saídos do Reino da Itália. Contudo, em 1872 (dois anos antes), imigrantes do Reino da Itália chefiados por Salvino Tripotti fundaram a Colônia Alexandra, em Morretes, no Paraná. Ora, se não quisermos considerar a nacionalidade dos imigrantes tiroleses, então o título conferido a Santa Teresa não é válido, pois imigrantes de língua italiana fundaram em 1836 a Colônia Nova Itália em Santa Catarina. Se considerarmos o passaporte italiano dos imigrantes, novamente Santa Teresa perde o título para Morretes. Confundir a língua com a nacionalidade é bastante complicado porque isso não corresponde à realidade histórica. Trata-se, de uma confusão levada a cabo pelos nacionalismos do século XX e que, de certo modo, não condizem nem mesmo com a realidade brasileira: um brasileiro neto de índios não será português porque fala o português. Concluo afirmando que a Colônia Nova Itália é, sem dúvida, o núcleo pioneiro da imigração italiana no Brasil, pois o Reino da Sardenha é precursor do Reino da Itália, ao passo que o Tirol sempre foi um território ligado à Áustria e os imigrantes tiroleses de língua italiana que se instalaram em Santa Teresa (ES), assim como no interior paulista, em Piraquara (PR), no Vale do Itajaí (SC) e na Serra Gaúcha (RS) eram todos imigrantes austríacos e como tais se definiam, como demonstram inúmeros documentos e testemunhos da época. Neste ano, comemoramos os 160 anos de imigração tirolesa no Brasil, uma página da história da imigração austríaca em nosso País: https://tiroleses.com.br/2018/02/28/160-anos-de-imigracao-tirolesa-no-brasil/

Everton Altmayer

prof.altmayer@gmail.com

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.