Fórum dos Leitores

Cartas selecionadas para a edição impressa e portal estadao.com.br

O Estado de S.Paulo

18 Março 2018 | 05h00

CRIMINALIDADE

Quem matou Marielle?

Os corruptos são os assassinos de Marielle Franco. É a corrupção que pare todos os crimes. É o começo das trevas!

EUGÊNIO JOSÉ ALATI

eugenioalati13@gmail.com

Campinas

Quem matou Marielle foram os constituintes de 1988, que promulgaram uma Constituição surrealista que promete infinitos direitos e mínimas obrigações. Nem sequer exige que o cidadão seja honesto. A impunidade constitucional, que ainda está sub judice no caso Lula, desarma e pune, até com a morte, as forças da ordem, enquanto dá quatro instâncias intermináveis às forças da desordem. Essas condições fazem o crime compensar e seu combate, impossível. Daí a mudar de lado é só um passo. Avizinha-se a prisão do Lula. Se as forças pró-Lula vencerem e ele não for preso, seu poder se tornará absoluto e o País mergulhará no caos da impunidade. Os ânimos estão se exaltando de ambos os lados. A divisão definitiva da Nação se tornará inevitável, nem todos os brasileiros aceitarão um País de joelhos para um criminoso condenado. Ainda há tempo de evitar essa ruptura. Depende, literalmente, de meia dúzia de ministros do Supremo Tribunal.

GILBERTO DIB

gilberto@dib.com.br

São Paulo

Quem matou Marielle foram o mensalão, o petrolão, os cargos de confiança, o auxílio-moradia, a verba de gabinete, os desvios de recursos da saúde e da educação, o Fundo Partidário, as joias caras, o abuso de aviões da FAB por ministros e “outros”, o caixa 2, a meia espiga de milho como merenda escolar e tantos outros abusos e mordomias que não caberiam nem num livro. 

LUIZ RESS ERDEI

gzero@zipmail.com.br

Osasco

Circo sem pão

Nos últimos anos, os governos federal e o do Estado do Rio investiram bilhões em Olimpíada e estádio para a Copa. Uma parte foi roubada por políticos, empresários e servidores públicos. O povo de lá batia no peito, com orgulho. Nada para o social – só no ano passado foram fechadas 11 mil lojas no Estado. Queriam circo... Foi o que conseguiram.

ANDRÉ LUIS COUTINHO

arcouti@uol.com.br

Campinas

Direitos humanos

Lamento profundamente a morte da vereadora e de seu motorista. Mas logo no dia seguinte foi assassinada no mesmo Rio de Janeiro uma médica (cujo nome omito por motivos óbvios) de 34 anos, que se dedicava a salvar vidas, com dois tiros na cabeça, na Linha Vermelha, após uma tentativa de assalto. Direitos humanos para ela também. Ela, como eu, não somos ninguém. Quanto aos bandidos, passam muito bem, obrigado.

EDUARDO A. DE CAMPOS PIRES

eacpires@.gmail.com

São Paulo

Girassóis para todos

Marielle Franco foi vítima de um crime bárbaro e hediondo, que deve ser investigado com seriedade o quanto antes. Ela merece as devidas homenagens e o luto. Mas me pergunto: e os outros? Sim, os outros brasileiros que todos os dias morrem pela violência descabida que aflige nosso país. Só no fim de semana passado, no Rio, nove pessoas morreram vítimas da violência. Nove mães, pais, filhos, tios, amigos, funcionários, trabalhadores, contribuintes. Mas cadê as manifestações de indignação, os cartazes, as lágrimas dos políticos, os girassóis na Câmara dos Deputados? Para essas vítimas não há nada, são apenas estatísticas num país onde o Estado falido não consegue prover o mínimo de segurança à população. E quando for eu, você, nossos entes queridos e amigos os alvejados por balas perdidas ou assassinados em assaltos? Será que os políticos vão derramar suas lágrimas por nós? Haverá cartazes com nosso nome pelas ruas e girassóis em Brasília?

MARIA LUIZA BRISBANE

cookiebrisbane@yahoo.com

São Paulo

Esquerda no palanque

Convenhamos, a Internacional comunista cantada nas manifestações pela morte de Marielle Franco traz uma revelação definitiva: a de que “os fins justificam os meios”! Definitivamente, a esquerda acha que todos nós, brasileiros, sem exceção, somos algum tipo de imbecis que não enxergam nada além do próprio nariz.

FRANCISCO JOSÉ SIDOTI

fransidoti@gmail.com

São Paulo

Ingerência alienígena

Ridícula, primária e infantil a reação do partido espanhol Podemos ao lamentável assassinato da vereadora. Em vez de se ater à criminalidade no Rio, o Podemos envolveu a Comissão Europeia, sugerindo como punição a suspensão das negociações com o Mercosul. Assim, pelo crime, o Brasil seria prejudicado em suas relações comerciais. Qual a lógica dessa atitude?

GODOFREDO SOARES

godofredocaetanosoares@gmail.com

São Paulo

Pesos e medidas

O assassinato da vereadora carioca foi na quarta-feira, 14/3. Não se pode dizer ainda que haja de fato testemunhas ou provas. Mas já estão dando como “certo” que quem a matou foi a PM. Por coincidência, isso vem do mesmo pessoal que enche a boca para dizer que Lula foi condenado “sem provas”, apesar das incontáveis evidências trazidas aos autos que o condenaram a 12 anos e 1 mês, em segunda instância, na Lava Jato. 

SILVIO NATAL

silvionatal49@gmail.com

São Paulo

CORRUPÇÃO

Trilha sonora

Lula vai percorrer a Região Sul do Brasil em caravana para dar voz às suas ideias. A única voz que deveria ser dada a ele é a voz de prisão.

ELY WEINSTEIN

elyw@terra.com.br

São Paulo

RENOVAÇÃO DA CNH

Isonomia

Se o governo federal quer realmente ceder ao lobby das autoescolas e exigir “cursinho” e prova de avaliação dos motoristas para poderem renovar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) a cada cinco anos, vamos exigir um exame a cada quatro anos de todos os candidatos aos Poderes Executivo e Legislativo, com base no mesmo fundamento: prova para adequar todos às constantes mudanças da legislação visando a melhorar o cumprimento de suas funções. Assim, talvez parem de infernizar a vida dos cidadãos de bem que não cometem infrações no trânsito e não são multados.

LUIZ ROBERTO DA COSTA JR.

lrcostajr@uol.com.br

Campinas

“A execução em plena vigência da intervenção no Rio de Janeiro demonstra a burrice do crime organizado e a falta de inteligência do Estado”  

GUTO PACHECO / SÃO PAULO

SOBRE O ASSASSINATO DE MARIELLE FRANCO

jam.pacheco@uol.com.br

“Atribuo qualquer fracasso da intervenção no Rio às restrições impostas pela esquerda – o governo federal foi frouxo”  

CARLOS A. BORGES / RIO DE JANEIRO

SOBRE O COMBATE AO CRIME ORGANIZADO

borges.ca@gmail.com


MARIELLE FRANCO

A vereadora Marielle Franco e seu motorista, Anderson Gomes, foram executados por profissionais a serviço de uma organização criminosa. O crime organizado cresceu brutalmente no Rio de Janeiro nos últimos anos, ocupou espaços e se aperfeiçoou sob a vista grossa dos governos locais incompetentes, regados a corrupção e apoiados pelas sucessivas administrações federais petistas. O PT tem todo o direito de politizar o tema que quiser inclusive mais este assassinato hediondo, mas é preciso colocar os "pingos nos is". Tão deplorável quanto este crimes é o aproveitamento dele para desfilar retóricas hipócritas e demagógicas. 

Luciano Harary lharary@hotmail.com 

São Paulo 

*

LUTO

Tão triste quanto a execução da vereadora carioca Marielle Franco (Psol) e seu motorista é ter que ler comentários de desinformados nas redes sociais, sem um mínimo de entendimento, justificarem sua execução devido ela atuar na defensa de direitos humanos. Será que esses sujeitos são incapazes de pesquisarem as origens da declaração universal dos direitos humanos pra saberem que esse é nosso direito básico, criado em razão do fim da segunda guerra mundial e sem ele não poderíamos expressar nossas opiniões, mesmo sendo ideias infundadas e irracionais? Didaticamente é o mesmo que os animais serem contrários aos direitos animais. Infelizmente a educação brasileira serve apenas para difundir conhecimento básico e não ensina as pessoas a pensarem, antes repetem preconceitos e ideias rasas que servem a perpetuação da velha classe dominante.

Daniel Marques danielmarquesvgp@gmail.com 

Virginópolis (MG)

*

COMOÇÃO SELETIVA?

O homicídio da vereadora carioca Marielle Franco (Psol) só acentua o estado falimentar da segurança pública no Rio. E, como não poderia deixar de ser, a esquerda tenta extrair dividendos políticos dessa tragédia que chocou o País, denunciando o fato como crime político. Mas, a rigor, talvez seja isso mesmo: crime político. Esse e todos os mais de 60 mil homicídios praticados todos os anos no País são crimes políticos. Todos decorrentes da corrupção, da impunidade, da má aplicação do dinheiro público, da falta de educação, da lei penal branda, da Lei Processual Penal permissiva, da política equivocada dos "direitos dos manos", da desvalorização da polícia, da glamourização dos bandidos, do Estatuto da Criança e do Adolescente, dos habeas corpus concedidos a notórios criminosos, dos indultos de Natal sem critério, do direito de "saidinhas" a gente perigosa, da ideologia que diz "entender" a lógica do crime, etc. e etc. Quantos policiais militares são mortos todos os meses no Rio? Suas vidas, acaso, valem menos que a vida da vereadora? O Psol e demais partidos da esquerda que só fazem "entender" o lado dos bandidos e nunca o da sociedade (repetindo que o crime é produto do "capitalismo" e insistindo que "cadeia não resolve") alguma vez preocupou-se com os policiais abatidos na rotina do Rio de Janeiro? Agora que o infortúnio atingiu um dos seus, chora. Comoção seletiva?

Silvio Natal silvionatal49@gmail.com 

São Paulo

*

MUNDO VIOLENTO

Todos capitalizando, seguindo seus próprios interesses, a morte violenta da vereadora Marielle. A esquerda em polvorosa, com Caetano chorando no palco, rodeado de artistas lacrimejantes, Chico Buarque empalidecido falando o de sempre, a direita tirando a sua casquinha, a mídia nacional ganhando os tubos, repercutindo a notícia aos quatro ventos. O resto do mundo aproveita para confirmar que somos mesmo violentos por aqui. Se ela não tivesse morrido, ninguém daria a menor bola para os seus projetos e bandeiras. Descanse em paz, Marielle, você está livre desse violento e insensato mundo!

Elisabeth Migliavacca 

São Paulo

*

PROVIDÊNCIAS

Após o crime, de pronto nossas autoridades se dispuseram a falar sobre as enérgicas providências já tomadas. Além de "comissões fiscalizadoras" das investigações, será assim: cada um por si e Deus... Tem mais o que fazer a ouvir essa meleca toda!

 

Ademir Fernandes standyball@hotmail.com 

São Paulo 

*

MORTES DIÁRIAS

É claro que todos lamentamos a morte da Marielle. Tinha suas convicções e era uma batalhadora. Apenas lembrando a todos que se manifestaram: cento e cinquenta são mortos, assassinados por dia no País. Onde estão os guardiões da moralidade, da indignação, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), o Ministério Público (MP), que não se manifestam para mudar as leis do País. Os de Brasília não querem? 

Vitor de Jesus vitordejesus@uol.com.br  

São Paulo 

*

MARIELLE, QUE SUA MORTE NÃO SEJA EM VÃO

Está posto o cadáver que muitos esperavam dentro da crise política e de segurança. A vereadora Marielle Franco (Psol) é vítima dos males que há muito tempo acometem o País - desagregação social, corrupção, impunidade, demagogia e legislação leniente - e da sua corajosa opção de desfraldar a bandeira e enfrentar tudo de peito aberto. É prematuro dizer se foi morta por criminosos comuns, pistoleiros a serviço do mundo político, membros de facções, milicianos ou até mesmo policiais. As autoridades têm o dever de esclarecer. O momento é de dor. Politizar o acontecimento e dele tirar dividendos eleitorais é atitude canalha. Independente de sua atuação política, crenças e ações, a vítima era uma brasileira útil, ativa e destemida. Por respeito, seu sacrifício só pode e deve servir de alavanca para o combate às desigualdades sociais, à desídia e incompetência da autoridade constituída e até de ferramenta à reforma da Constituição. Tem de servir, também, para evitar o massacre de milhares de brasileiros (a maioria anônima) que o crime e as iniquidades sociais assassinam diariamente em todos os quadrantes do território nacional.

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br 

São Paulo

*

CRIME CONTRA A VIDA

Muito triste a "execução", perpetradas por facínoras, contra a vereadora Marielle Franco (Psol). Tratado como crime ideológico, quando antes de tudo precisamos saber: trata-se de um crime contra a pessoa humana. Vejam esta outra tragédia; a médica Gisele Palhares, 34 anos, cuja profissão era salvar vidas, foi assassinada na linha vermelha, nesta semana, dois tiros na cabeça, após uma tentativa frustrada de assalto. Não era negra nem pobre, não era feminista nem militante de partido político. Não era do Psol, da CUT, do MST nem frequentava círculos LGBT. Portanto, não preenchia requisitos necessários para mobilização nacional. Era como Marielle, um ser humano que deixou um grande "vazio" e perdeu seu bem maior, a vida. Inconcebível o que ocorre no Brasil, perdemos a noção dos valores, perdemos nossa juventude. Estamos perdendo tudo.

José Perin Garcia jperin@uol.com.br 

Santo André

*

O assassinato de Marielle escancara a realidade brasileira: Aqui, a soberania do Estado não prepondera sobre as suas próprias mazelas. O Ovo da Serpente foi gestado ao longo de séculos. A falta de valores básicos para qualquer estado ser hegemônico é patética: a prevalência de interesses de grupos e de classes, a falta de leis e de punições devidas, a escassez de moralidade e patriotismo, de humanismo e perspectivas de religiosidades verdadeiras incentivadas desde as infâncias; tudo isso que forma essa bola informe de bagunças institucionalizadas matou Marielle e mata anualmente cerca de outros 62.000 brasileiros.

Marcelo Gomes Jorge Feres marcelogferes@ig.com.br   

Rio de Janeiro

*

EXPLORAÇÃO DA DOR

O bárbaro assassinato da vereadora carioca Marielle Franco (Psol) revoltou a todas as pessoas, independente de raça, classe social ou credo político; entretanto, é mais revoltante ainda, a absurda exploração que políticos, a mídia e as ONG's de todas as tendências estão fazendo, em total desprezo aos sentimentos de uma mãe, uma filha e toda uma família, enlutada pela trágica perda de uma jovem, que sempre lutou por seus ideais. 

Luiz Antônio Alves de Souza zam@uol.com.br 

São Paulo

*

MARIELLE, LULA E MILLÔR

A condenação de Lula por corrupção e a sua iminente prisão não causaram nenhuma comoção, como causou o assassinato de Marielle Franco, vereadora do Psol. A população distingue bem o militante que dá sua vida, de forma honrosa, por seu ideal, daquele outro que, de forma vergonhosa, aufere vantagens ilícitas, em conluio com empreiteiras, para ter vida nababesca, usando ideologia como fachada. "Eu desconfio de todo idealista que lucra com seu ideal", já dizia o genial escritor Millôr Fernandes.

Túllio Carvalho tulliocarvalho.advocacia@gmail.com 

Belo Horizonte

*

PRENDER OU NÃO, EIS A QUESTÃO

A irritante protelação da prisão do ex-presidente Lula é sui generis na história criminal do País. Por muito menos, vários criminosos cumprem ou já cumpriram pena no Brasil, mas, no caso do ex-presidente, a Justiça brasileira está cheia de "exceções", que tornam nosso sistema jurídico carente de credibilidade. Um verdadeiro batalhão de advogados caríssimos, incluindo um ex-presidente do STF, luta incessantemente, fazendo lobbies, pressões e uma série de artifícios para que Lula saia impune de suas ações criminosas. Por muito menos, vários delinquentes já cumprem pena em vários presídios do País, mas, no caso do ex-presidente, a Justiça "cega, surda e muda" está em xeque. As decisões jurídicas já foram tomadas em primeira e segunda instâncias, ou seja, o papel das instâncias superiores seria apenas ratificar estas decisões e dar credibilidade ao Judiciário brasileiro. O que os defensores do ex-presidente pretendem dos Supremos, são decisões políticas, o que desmoralizaria, irreversivelmente, a Justiça brasileira.

Elias Skaf eskaf@hotmail.com 

São Paulo

*

PRIMEIRO DE ABRIL

Para que a verdadeira Justiça prevaleça, no dia da mentira Lula deverá estar preso.

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br 

São Paulo 

*

MOMENTO HISTÓRICO

Avizinha-se um fato histórico. A prisão de Lula. Se as forças pró-Lula vencerem e ele não for preso, seu poder se tornará absoluto e o País mergulhará no caos da impunidade, não se descartando uma intervenção de fato. Poucos são os protagonistas deste desfecho, sendo que seis estão no STF e seus nomes irão para os anais da derrocada, se ainda existirem anais. Os ânimos estão se exaltando em ambos os lados. Nunca, no Brasil destes tempos modernos, tão poucos tiveram tanto poder sobre o destino de tantos. A divisão do País, que já é virtual, se tornará inevitável. Nem todos os brasileiros aceitarão um país de joelhos para um criminoso. Ainda está em tempo de evitar essa ruptura.

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br 

São Paulo

*

48 E NÃO 120 HORAS

A defesa de Lula quer ser avisada com antecedência a respeito dos próximos passos dos desembargadores do Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4). Lula foi sorrateiro, assim como Dilma e toda a turma do PT. A Operação Lava Jato nos mostrou que esse tipo de político agia de forma ilícita e escondida. Existem centenas de provas que serviram como base para prender ex-ministros, ex-executivos de empresas estatais, operadores, entre tantos outros que participaram dos governos petistas. Seria injusto Lula ter o privilégio de ser comunicado com antecedência de alguma coisa depois de ter traído a confiança do povo que o elegeu.

José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br 

Belo Horizonte

*

FICHA LIMPA

No País do faz de conta o apenado energúmeno de Garanhuns está com o pé na cadeia, mas diz que, mesmo se preso, será candidato à Presidência. Há uma lei no Brasil que prevê inelegibilidade a quem não tiver Ficha Limpa. Acha pouco Justiça 9 x 0 Lula? Mesmo assim ainda há quem acredita na inocência "delle".

 

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br 

Vila Velha (ES)

*

PRESSÃO

Dra. Cármen, quanto mais demora... Mais pressão!

Paulo Celso Biasioli pcbiasioli@yahoo.com.br  

Limeira (SP)

*

LULA E SEUS DELATORES

Por favor, alguém sabe informar se Lula está processando Emílio e Marcelo Odebrecht, Leo Pinheiro e demais delatores, por calúnia e difamação?

Celso Francisco Alvares Leite celso@celsoleite.com.br  

São Paulo

 

*

DECLARAÇÃO DE GLEISI HOFFMANN

Se o que estão fazendo com Lula é uma coisa sem precedentes, o que foi então o que o PT fez com o Brasil e continua fazendo?

Robert Haller robelisa1@terra.com.br 

São Paulo

*

CESARE BATTISTI 

Lula negou no final de seu governo, em 2010, a extradição de Cesare Battisti condenado à prisão perpetua pelo assassinato de quatro pessoas na Itália. Agora a procuradora-geral Raquel Dodge disse que o presidente Temer pode rever a decisão de Lula e ordenar a extração do terrorista ao seu país. Lula sem ser presidente vive dizendo que se eleito vai revogar as decisões de Temer. Temer é presidente por direito e deveria exercer seu papel extraditando Battisti. Presidente Temer faça valer sua autoridade e extradite Battisti, o senhor tem medo de quem? A Itália ser-lhe-á grata. 

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com 

São Paulo

*

O BRASIL QUE TODOS QUEREM

O Brasil que queremos é um país sem miséria, sem corrupção, sem analfabetos, sem violência. Com educação para todos, todos mesmo; com acesso à saúde para todos; com Justiça igual para todos e com políticos dedicados ao bem público e não em ficar rico, roubando descaradamente, como esta cambada de corruptos que infestam Brasília e o resto da Nação. Um Brasil sem voto obrigatório, para uma população de alienados, ignorantes e sem noção. Com voto obrigatório de castidade em relação a roubar o dinheiro público, para todos os políticos, do vereador ao presidente da República, principalmente este último! Uma elite menos reacionária, menos egoísta, menos narcisista e absolutamente voltada só para seus interesses materialistas e consumistas. E intelectuais menos cheios de si e de sua sapiência provinciana, seja ela de esquerda ou de direita ou muito antes pelo contrário! Uma Nação livre e democrática, voltada ao bem estar social de toda a população. Toda! Um país sintonizado com o século 21 e não mais o Brasil das capitanias hereditárias, das famílias ricas e parasitárias que se eternizam no poder, sugando a seiva da Nação e o sangue da população. Um Brasil brasileiro, no que há de bom em nossa gente humilde e trabalhadora, que só deseja viver em paz.

Paulo Arisi paulo.arisi@gmail.com 

Porto Alegre

*

BASTA DE INCERTEZA!

Precisamos com urgência, acabar com as dúvidas acerca dos votos de muitos membros do Supremo Tribunal Federal. É imprescindível exterminar de vez com a escolha dos membros da Suprema Corte pelo presidente da República. Propomos, democraticamente, que o Tribunal de Justiça de cada Estado proceda a escolha entre os seus membros, e seu candidato a suprir a vaga, cabendo aos membros do Supremo proceder a escolha de quem será nomeado pelo presidente do colegiado, sem nenhuma intervenção de políticos. Basta de incerteza. Que tudo ocorra com dignidade e sem suspeita. Solicito aos brasileiros patriotas que abracem esta proposta divulgando-a o máximo possível.

Mário Ottoboni mottob@terra.com.br 

São Paulo

*

CONFESSANDO UM MEDO

É lamentável, mas existem pessoas que nos amedrontam e que infelizmente ocupam cargos importantes. O problema é muito sério, porque este medo está baseado em palavras proferidas ou escritas, gestos e olhares de pessoas que nunca estivemos perto, somente os conhecemos pelos meios de comunicação. Hoje cito quatro pessoas que metem medo em mim e em outras pessoas da minha amizade: Lula, Dilma Rousseff, Jair Bolsonaro e Gilmar Mendes. A imagem que temos deles é de que são capazes de tudo em nome de seus projetos pessoais.

Sergio Barbosa sergiobarbosa19@gmail.com 

Batatais

*

ALCKMIN

O desprezo pelos aposentados da SPPREV pelo Estado de São Paulo é inaceitável. Meu pai, Mario Borgonovi tem 104 anos, é engenheiro agrônomo, pesquisador científico, aposentado pelo Instituto Agronômico de Campinas e está com sua aposentadoria sem uma correção em razão da inflação. Desde 2015 os valores estão sem reajuste. Já houve uma decisão judicial análoga a este caso de meu pai negando a preservação do valor real dos proventos por não haver uma lei estadual específica que assegure isto. Somente o governador Alckmin poderia resolver esta mácula em seu governo encaminhando um projeto de lei para a Assembleia Legislativa de São Paulo.

Mário Negrão Borgonovi marionegrao.borgonovi@gmail.com 

Rio de Janeiro

*

REEMBOLSO IPVA

Normalmente todos usam esta coluna para se queixar dos serviços oferecidos pelos governos em geral. No entanto, sinto-me na obrigação de relatar algo impressionante que ocorreu comigo. Ao procurar pagar a terceira parcela do IPVA de meu carro notei, para minha surpresa, que tinha feito o pagamento à vista e erroneamente, de duas quotas do parcelamento. Fiquei imaginando que jamais conseguiria recuperar este dinheiro e que teria que me dirigir centenas de vezes ao Detran e demais secretarias. Procurei, desanimado, o caminho que me faria recuperar o que tinha pagado a maior pelo imposto. Recebi a informação que bastaria me dirigir a qualquer agencia do Banco do Brasil e lá provar minha identidade e a propriedade do veículo. Assim fiz. Fui ao banco, procurei o setor de atendimento específico, identifiquei-me, provei a propriedade, o Detran foi consultado, localizado o valor pago a maior e me pagaram esta diferença no caixa. Tudo em apenas 23 minutos! Parabéns ao governo de São Paulo pela eficiência e presteza neste atendimento.

Davis K. Castro Darling davis@darling.com.br   

São Paulo 

*

RELIGIÃO ESCOLAR E O BULLYING

O projeto que versa sobre a religião na escola nada mais é do que um chamariz do terrível mal que assola o mundo e o Brasil: o bullying. Só poderá provocar inimizades entre os alunos, visto que, numa reunião de pessoas, aquelas que tiverem credos diferentes não serão bem-vindas. Importante salientar que religião se aprende desde o berço, em casa, e assim, são os pais os sacerdotes de seus filhos. Se a criança não traz do lar a educação, a moral e os bons costumes será uma pessoa desequilibrada. Nem as escolas e nem as aulas de religião lá ministradas a colocarão na linha. O berço é o raiar da vida. Diferentes credos sempre ensejarão desentendimentos entre alunos. Os alunos cujo credo for predominante irão zombar daqueles cujo credo for minoria. Daí nascerão confusões e o bullying se instalará. Se curvada, a árvore jamais será ereta. Se o alicerce é frágil, o que esperar do edifício?

Waldemar Bordone wanda.consentino@hotmail.com  

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.