Fórum dos Leitores

Cartas selecionadas para a edição impressa e portal estadao.com.br

O Estado de S.Paulo

19 Março 2018 | 05h00

ESTADO X NAÇÃO

Lá vem arrocho

Todos os aumentos de preços e tarifas, ou reajustes, como queiram, que são de responsabilidade dos governos federal, estaduais e municipais vêm sempre absurdamente acima da inflação, para escorchar cada vez mais a população, já na maior penúria. Quando se trata de beneficiar a população, porém, aumentos e/ou reajuste geralmente se limitam ao índice inflacionário, quando muito. Basta ver o ridículo último “aumento” do salário mínimo, de R$ 17 (!), e os reajustes dos benefícios dos aposentados e pensionistas. Já os combustíveis aumentam semanalmente. Agora teremos outra bomba, pois, mesmo diante do absurdo que já pagamos pelo fornecimento de energia elétrica, teremos nova “facada” nas contas de luz, ainda este ano, de mais de 20%, conforme anuncia a Aneel. Dizer mais o quê?

ANGELO TONELLI

angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

Caranguejo

Bastou a indústria dar um pequeno sinal de recuperação, acendendo uma luzinha no fim do túnel, para o governo já pensar em aumentos de tarifas: mais de 20% na conta de eletricidade este ano para a indústria, podendo chegar a 25%. Fatalmente diminuirá a produção, uma vez que os custos de insumos para a indústria já são deveras desanimadores. Em vez de avançar, esse é um governo caranguejo, que anda para trás.

ARNALDO DE ALMEIDA DOTOLI

arnaldodotoli@uol.com.br

São Paulo

‘Roubando’ subsídio

O Estadão alertou-nos no sábado sobre o possível aumento na energia elétrica muito acima da inflação. Os motivos são variados. Mas o que não se fala é que os subsídios, que subirão para algo como 20% do total pago pelos consumidores, servem para diminuir a conta dos cidadãos do norte do País, que utilizam energia térmica de usinas a óleo diesel, a forma mais cara de geração energética. Ou seja, é um subsídio para pagar óleo diesel. Mas, espante-se, ou não, a Eletrobrás não paga ao fornecedor do óleo diesel, a BR Distribuidora, e a dívida já supera os R$ 3 bilhões. Ou seja, eis onde o mundo da Lava Jato se funde com os desmandos no sistema elétrico, uma caixa de Pandora ainda por ser aberta. Como, mesmo recebendo subsídios bilionários por ano para comprar óleo diesel, a Eletrobrás não conseguiu pagar ao fornecedor? Precisa desenhar? E ainda há gente que reluta em privatizar a Eletrobrás.

OSCAR THOMPSON

oscarthompson@hotmail.com

Santana de Parnaíba

RENOVAÇÃO DA CNH

Norma revogada

Felizmente, a reação do governo foi imediata e revogou, antes de entrar em vigor, a obrigatoriedade de fazer curso e responder a 30 questões para uma simples renovação da Carteira Nacional de Habilitação (CNH). O Contran não avaliou que esse absurdo implicaria custos para a população e certamente proporcionaria aquilo a que o brasileiro está cansado de assistir diariamente: corrupção?! Basta criar dificuldades que logo surgem as facilidades. Esperamos que essa revogação seja definitiva.

ROBERTO LUIZ PINTO E SILVA

robertolpsilva@hotmail.com

São Paulo

Anacronismo e extorsão

De fato, numa época em que os carros são dotados de dispositivo de estacionamento automático e muitos estabelecimentos oferecem valet parking, só posso interpretar aquela ideia do teste de baliza como um meio de extorquir o contribuinte.

LUCIO SATTAMINI

lucio.sattamini@gmail.com

Armação dos Búzios (RJ)

Primeiro Mundo

Sabiam que carteira de motorista tirada na Suíça nunca vence?

KARIN MCQUADE

karinmcquade@outlook.com

São Paulo

MEIO AMBIENTE

Conta da água

A respeito do artigo A segurança hídrica e o gatilho (17/3, A2), se “a água com qualidade é um recurso finito”, como dizem os autores do artigo, então que se qualifique a água com tratamentos adequados para que ela deixe de ser um recurso finito. Mas, obviedades à parte, são necessários para tanto investimentos que só podem ser proporcionados por uma tarifa justa que seja sustentável, de modo a cobrir também os custos operacionais, inclusive com o controle de perdas, visando a se alcançar a almejada segurança hídrica.

JOSÉ EDUARDO CAVALCANTI

cavalcanti@ambientaldobrasil.com.br

São Paulo

LAVA JATO

Feliz aniversário

A Operação Lava Jato fez quatro anos de sucesso no último sábado, tendo conseguido recuperar bilhões de reais surrupiados do País, além, é claro, de haver condenado à prisão muitas figurinhas carimbadas, entre elas o demiurgo de Garanhuns. Mesmo assim, ou talvez por isso mesmo, há políticos que defendem uma data para a Lava Jato terminar. Mas para estancar a roubalheira delles não há data-limite... Pra frente, Lava Jato!

JÚLIO ROBERTO AYRES BRISOLA

jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

Prisões e bilhões

Nestes quatro anos de Operação Lava Jato a Polícia Federal efetuou prisões e recuperou bilhões. A Lava Jato é apenas o início de um processo de civilização do Brasil, com a diminuição dos casos de corrupção. Figuras que pareciam inatingíveis estão agora atrás das grades, pagando pelos crimes cometidos. Políticos e empresários vão pensar duas vezes antes de cometerem crimes com o dinheiro dos cofres públicos. Algumas quadrilhas foram descobertas, mas ainda há muita sujeira sendo feita Brasil afora. Com menos esperteza e vantagens pessoais nós chegaremos lá.

JOSÉ CARLOS SARAIVA DA COSTA

jcsdc@uol.com.br

Belo Horizonte

O fura-fila

Fez muito bem o ministro Edson Fachin em não conceder a liminar solicitada pela defesa de Lulla para reconsiderar a decisão que lhe negou habeas corpus. Como todo brasileiro, o requerente tem de seguir as regras estabelecidas pelo STF – há uns 4 mil pedidos de habeas corpus de outros condenados aguardando julgamento. A lei é para todos, não comporta privilégios. Lulla que aguarde a sua vez.

JOSÉ CARLOS DEGASPARE

degaspare@uol.com.br

São Paulo

Livro do Lula

Duas dúvidas: o autor já leu o livro ou ainda o lerá? Na noite de autógrafos, estes serão na digital ou no carimbo?

CARLOS ALBERTO ROXO

roxo.sete@gmail.com

São Paulo

“Quantas tentativas ainda a defesa de Lula vai fazer, insistindo nesse habeas corpus já tantas vezes negado?”  

ROBERT HALLER / SÃO PAULO

SOBRE AS CHICANAS PARA EVITAR A PRISÃO DO CONDENADO EM SEGUNDA INSTÂNCIA

robelisa1@terra.com.br

“Num país com tantos embargos, recursos e indultos, precisaríamos de duas existências: uma para viver e outra para fazer justiça”  

RICARDO C. SIQUEIRA / NITERÓI (RJ)

IDEM

ricardocsiqueira@globo.com

SÃO PAULO E JOÃO DORIA 

Só o prefeito João Doria (PSDB) não percebe que sua renúncia entusiasmou apenas negocistas e oportunistas, deixando a militância indiferente. A cidadania de São Paulo está indignada e ele subestima a percepção do eleitor do interior, achando que em Itu ou Piracicaba os conceitos de deserção, deslealdade e ingratidão são diferentes. Quem arcará com as consequências desta egolatria é o PSDB e, a justo título, Alckmin, o próximo alvo interno de Doria. O "jogar parado" do governador, o personalismo do prefeito e os gracejos de FHC constituem os fundamentos da anunciada tragédia tucana, cuja saída honrosa será sufragar Márcio França. Menos mal que ainda temos as prévias. 

Fernando Dourado Filho douradofernando372@gmail.com 

São Paulo

*

GOLPE NO ELEITOR DA CAPITAL

A desmoralização da classe política brasileira não é somente porque o índice de corrupção é alarmante ou por administrações inoperantes! Porque também, esses eleitos pelo povo, não concluem o mandato aos cargos a que foram eleitos, como é o caso do prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), que dá um literal golpe em seu eleitor, ao confirmar festivamente que, prefere abandonar a prefeitura no mês de abril, para disputar este ano o pleito para governador do Estado. Ou seja, o prefeito Doria, que se diz apolítico, e não convence, manda às favas as promessas de campanha, que pouco ou nada foram concluídas e a confiança depositada por 53,3% dos eleitores que o elegeram em 2016! Ora, de que adianta ser político ou apolítico, se a sacanagem é a mesma...

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com 

São Paulo

*

SP INTRANSITÁVEL

A cada dia que passa a cidade de São Paulo se torna mais intransitável. O rodízio se revela inócuo e os congestionamentos rotineiros. Enquanto não houver transporte público, mudança no zoneamento e um planejamento urbanístico criterioso, o paulistano continuará a perder horas nos seus deslocamentos, queimando combustível e poluindo ainda mais o meio ambiente. Que acordem nossas autoridades e parem de jogar lenha na fogueira.

Yvette Kfouri Abrão abraoc@uol.com.br 

São Paulo

*

NOVAS PLACAS

Mais uma vez seremos obrigados a gastar nosso dinheiro para pagar a confecção de duas placas novas para veículos, sendo que tal fato já ocorreu em três ocasiões. Sem dúvidas isso deve estar sendo importante para muitas pessoas influentes e envolvidas nessa troca, levando muitas vantagens e benefícios. Inicialmente os veículos tinham placas de seis números, em seguida mudaram para placas com duas letras e quatro números e por fim mudaram novamente para as placas atuais com três letras e quatro números. Imaginem o quanto faturaram nessas trocas em cada ocasião. Agora resolvem unificá-las no padrão Mercosul. Os novos modelos terão três letras, um número, uma letra e dois números. E desta forma continuam fazendo o que bem querem com a população, cabendo a nós só pagar e nada mais, né não? 

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br  

São Paulo

*

PARQUE MINHOCÃO

Doria mandou fechar aos carros nos sábados e nas férias escolares o decrépito Minhocão de Paulo Maluf, perpetuando essa aberração urbanística - viaduto passando no meio de prédios residenciais. Assim não revela uma vez mais seu perfil autoritário, que não está aberto ao jogo democrático do debate e não aceita ponderações e/ou críticas fundamentadas, discriminando e não ouvindo as associações e lideranças comunitárias locais e moradores.

Francisco Gomes Machado

São Paulo

*

TEMOS DE TUDO

Mais uma medida equivocada da municipalidade que, aliás, prima pela incompetência. Medida eleitoreira. Palhaçada. O Brasil está mudando, temos que falar em projeto de continuidade administrativa pública. Cada um que entra elege prioridades, muitas vezes equivocadas. Uns pintam ruas sem critérios e dizem ser ciclovias, o atual diz que prende traficantes, é um idiota. Temos também o Pinóquio no Morumbi. Temos o vampiro reformador em Brasília. Temos o ex-presidente "petralha" que não sabe de nada. Temos uma quadrilha no Congresso. E assim vamos, nesse manicômio. 

Edmar Augusto Monteiro eamonteiroea@hotmail.com 

Mirandópolis

*

ASFALTO NOVO

As duas pistas à direita da Avenida Jabaquara receberam uma camada de asfalto muito grosso em relação à camada das outras duas pistas. Será definitivo? Se for, nosso alcaide tem que pedir para o empreiteiro refazer o serviço. Se deixar assim como está, esse asfalto não irá durar até a próxima estação de chuvas.

Roberto Becker roberto_becker@yahoo.com 

São Paulo

*

FRASES DE DORIA

Doria e suas frases: Asfalto Novo? Vá à Rua Gil Eanes em que já esteve "consertando". Cidade Linda? Vá sob o Viaduto Vereador José Diniz. Acelera São Paulo? Acelera Doria e volte para casa.

Sérgio Bruschini bruschini0207@gmail.com 

São Paulo

*

PREVIDÊNCIA MUNICIPAL

Sou professora da rede Municipal de ensino. O que o prefeito sr. João Doria está fazendo é confisco dos nossos salários, se o projeto de lei for aprovado, todos os servidores ativos e os aposentados, passarão a contribuir com 14% de forma abusiva, perdendo parte de sua remuneração. Se o servidor trabalha em duas escolas, só se aposentará de uma, apesar de contribuir pelas duas. Vale refeição também, apesar de trabalhar 12 horas. E se acumular uma fortuna mensal de cinco salários mínimos vão retirar 27% para não se gastar com bobagens. Ou seja, trabalhe e receba um pouco mais da metade. Enfim, como sempre, a culpa é dos professores.

Laura C. Daltrino lauracdaltrino@yahoo.com 

São Paulo

*

EDUCAÇÃO

Um grande número de crianças na cidade de São Paulo e outras regiões do País estão passando para o segundo grau sem saber ler e escrever. Entram para a universidade como analfabetos. Para uma imensa maioria de estudantes a escola deixou de ser um ambiente atrativo. Como conseguirão qualificação profissional se são analfabetos? Triste ver que até agora os candidatos a presidente da República não têm uma agenda sobre educação para o Brasil.

Devanir Amâncio devaniramancio@hotmail.com 

São Paulo

*

VACINA CONTRA H1N1

Só vemos diariamente a imprensa falando sobre a febre amarela e, no entanto não estão focados no que vem acontecendo diariamente com a população paulista e paulistana, quando está a pleno vapor a gripe influenza ou H1N1. O mundo é pequeno hoje. Várias pessoas viajando para o hemisfério norte, estão trazendo para o Brasil novas cepas que sofreram mutação no inverno nessas áreas. Estão se proliferando por aqui muito antes do inverno. Conheço duas crianças que já pegaram influenza na escola em zona nobre de São Paulo, já transmitiram para seus familiares. Sem falar que na periferia as escolas já colocaram cartazes alertando os pais. Nas áreas nobres os pais podem pagar o remédio Tamiflu que custa R$ 200, mas e nas áreas mais carentes, como é que fica? Quando é que a nova vacina contra influenza ou H1N1 estará disponível para a população? Essa gripe mata muito mais do que a febre amarela e outras mazelas juntas, não é? Esperamos resposta da Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo!

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br 

São Paulo

*

UM PROJETO ESCANDALOSO

A notícia sobre o futuro do Estádio Municipal do Pacaembu, informando que o único projeto aprovado pelos órgãos de proteção ao patrimônio foi o do consórcio do qual a empresa do ex-jogador Raí faz parte. É lamentável, que logo um dos ídolos do futebol da torcida brasileira faça parte da descaracterização do estádio mais tradicional da cidade. O projeto é de fazer corar um frade de pedra. A proposta aprovada consiste em resumo, demolir o tobogã para construir dois prédios com restaurantes, escritórios e hotel. Os próprios pareceres do Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo (Conpresp) e do Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico (Condephaat) soam estranhos aos seus objetivos. Afirmam que as ideias apresentadas pelo consórcio são "as mais compatíveis com o estádio, atribuições, o complexo esportivo vizinho e o próprio bairro". E adiante diz que "os prédios serão envidraçados e suspensos, permitindo uma integração entre o setor do campo com as quadras e a piscina". Ora, poderá ser bom para seus construtores e seus ocupantes, mas certamente não se coadunam com a preservação histórica e arquitetônica de um patrimônio histórico. Está parecendo mais um arranjo dos muitos que acontecem nas administrações públicas. O prefeito Doria se elegeu pelo bordão de "ser gestor, não político", surfando na onda da desmoralização da classe política. Mas o que tem demonstrado é ser um político ambicioso e carreirista, além de um "corretor de imóveis públicos", procurando entregar para o particular as áreas nobres ainda pertencentes ao patrimônio da Prefeitura. Paralelamente desenvolve projetos públicos imediatistas para atender as construtoras como o de Interlagos, o prolongamento das marginais do Rio Pinheiros, entre outros tantos. O Pacaembu é um anfiteatro a céu aberto e o prefeito deveria se preocupar em reformá-lo, derrubar o aleijão arquitetônico, que é o tobogã construído por Paulo Maluf e reconstruir a concha acústica, destinando o local para espetáculos artísticos, como o de orquestras entre outros, sem prejudicar os moradores do entorno. Esse seria, por exemplo, o projeto de um estadista, ou seja, um administrador público de visão.

Gilberto Pacini benetazzos@bol.com.br 

São Paulo

*

ZOO 

Lendo a matéria sobre a situação do zoológico de São Paulo, penso que este é o momento para parar de achar normal a escravização de animais. Devem pensar em transferir os animais para santuários, acabar de uma vez por todas com essa exploração sem sentido e que de nada ensina às novas gerações. Os animais não estão aqui para ficarem presos e para nos servirem. A própria bióloga se contradiz ao afirmar que os animais estão descansando e depois que eles gostam do barulho. São pobres animais presos, estressados. Tudo para uma exploração que cada dia mais se torna sem sentido. Os animais não são nossos escravos e o dinheiro público alocado para zoológicos deveria ser usado para educação e conscientização das pessoas e não para seguir propagando tamanha exploração. Saber que há onça pintada e macacos presos é uma tristeza enorme. São animais complexos e não merecem isso. Surge uma grande oportunidade para mudarmos nosso comportamento e nossa consciência.

Isadora Moreira Tálamo imtalamo@gmail.com 

São Paulo

*

PALAVRAS DE JOSÉ ANÍBAL

Em texto publicado pelo "Estadão": "Ausência de Doria domina debate tucano" (12/3, A7), José Aníbal tem razão quando diz que todos querem ver Doria pelas costas. Ao renunciar, Bruno Covas e seu grupo, que lhe insuflam a vaidade e minimizam os riscos eleitorais aberrantes, terão logrado seu intento e vão aparelhar a prefeitura. Por outro lado, a grande perdedora é a cidade de São Paulo e, mais adiante, o Estado. Ademais, a renúncia fere de morte o PSDB que migra da banalização para o esfacelamento e, mais do que todos, perde Alckmin cuja candidatura fica a reboque de personalismos indefensáveis. O consolo que restará ao atual governador será uma vitória de escorpião, qual seja, apoiar Márcio França, beneficiário último da aventura ególatra do prefeito. 

Fernando Dourado Filho douradofernando372@gmail.com 

São Paulo

*

RECALL MARQUETEIRO

Vaidade das vaidades, tudo vaidade. Egocêntrico e vaidoso, diria mais, quiçá desertor de tamanha missão (Prefeitura de São Paulo). Quem votou no marqueteiro João Doria hoje sente asco e arrependimento. Que leve o seu marketing para outras plagas e outros municípios, quem não te conhece que te compre. Porque aqui na capital todos sabemos o valor da sua palavra: poeira no vento. Desbancou o PT, porém não se sustentou, caiu por terra. Já disse e volto a dizer: uma coisa é José Serra e sua extensa biografia, outra coisa é o marqueteiro do "Aprendiz", João Doria. Espero que o povo esteja atento a essa fuga de responsabilidade. Quanto ao sobrenome Covas que nos conduzirá ao cadafalso, eu só lamento. Representatividade aqui é lenda, zero. Salve os holofotes da mídia que alimenta e envaidece João Doria, pseudogovernador. Lamentável, recall, recall!

Leandro Ferreira ferreiradasilvaleandro73@gmail.com 

São Paulo

*

CORRUPÇÃO E VIOLÊNCIA

A violência urbana em nossas médias e grandes cidades talvez seja o maior problema que vive a nossa sociedade como um todo. Por traz e causadora dessa tragédia está certamente a corrupção que envolve parte da gestão pública mancomunada com setores da iniciativa privava. Urge assim que combatamos esses desvios comportamentais como já estamos começando a fazer. Para que assim tenhamos chance de voltar a ter uma pacificação em nossas urbes, porque sem ela, ninguém poderá ter uma qualidade de vida digna desse nome.

José de Anchieta Nobre de Almeida josedalmeida@globo.com 

São Paulo

*

RIO DE TODOS OS CRIMES

Sociólogos e especialistas em segurança pública estão devendo à população carioca e a todo o Brasil, uma análise que explique como o Rio de Janeiro se tornou uma cidade refém de organizações criminosas, em todos os seus estratos sociais. Do ex-governador Sérgio Cabral (PMDB) e seu grupo de criminosos de colarinho branco aos chefes do tráfico nas favelas cariocas. Dos policiais militares e civis que são sócios dos traficantes e seus protetores, até às dezenas de milícias que dominam áreas, onde vivem dois milhões de pessoas, totalmente dependente deste estado paralelo dirigido por bandidos da polícia. A Cidade Maravilhosa de encantos mil foi privatizada por criminosos do palácio do governo aos empresários associados, dos políticos corruptos até as comunidades mais miseráveis, passando por todo o sistema prisional, comandada de dentro para fora. Está tudo dominado por bandidos e milícias assassinas! Escrevi antes do assassinato de Marielle Franco que denunciava a atuação das milícias. O crime é dono do Rio.

Paulo Arisi pauloarisi@gmail.com 

Porto Alegre

*

UM CHUTE SOBRE A VEREADORA ASSASSINADA

Crime político.

Sergio Salgado de Oliveira ssoliveiramsm@gmail.com 

Monte Santo de Minas (MG)

*

BAILES FUNK

Não discuto se os bailes funk, comumente catalogados como manifestação cultural, o são ou não. Porém a verdade é que esses eventos em via pública nada têm a ver com manifestação cultural. Um baile funk na Vila Cruzeiro, na Penha, no Rio de Janeiro teve um saldo de 75 feridos atendidos no Hospital Getúlio Vargas. Sete ônibus do BRT foram depredados. Ninguém é favorável à proibição. Mas a fiscalização policial é necessária, principalmente na saída dos bailes em que ocorrem os vandalismos e até crimes. Não conheço nenhuma manifestação cultural que envolva polícia, hospitais e prejuízo material de empresas e nem a atuação do Instituto Médico Legal. O funk já está agregado à cultura da periferia.

Jair Coelho jairgcoelho@gmail.com 

Vassouras (RJ)

*

BOLSA FAMÍLIA

O grande mérito do Bolsa Família é impedir que os mais pobres caiam na miséria e até passem fome. Contudo, está na hora de criar um critério dinâmico ao invés de estático para o benefício do Bolsa Família visando incentivar os beneficiários a procurar trabalho e evoluir educacionalmente. Até mesmo, mantendo parte da remuneração por certo período quando seus membros ingressarem ou retornarem ao mercado de trabalho. Do jeito como está configurado, o programa motivou muita gente que ganhava pouco a parar de trabalhar para viver do benefício, não incentivou a população carente que atende a procurar sair do mesmo e criou uma nefasta dependência que com o passar do tempo está se tornando cada vez mais difícil de ser superada.

Jorge A. Nurkin jorge.nurkin@gmail.com 

São Paulo

*

CENÁRIO INTERNACIONAL

Uma instituição de educação, que promove ideais ultranacionalistas, adquiriu um terreno estatal por um preço dez vezes mais baixo do que seu valor de mercado. Akie Abe, esposa do primeiro-ministro do Japão, seria nomeada diretora honorária da creche a ser construída. Quando o caso foi revelado, o governo afirmou que houve apenas uma falha no cálculo do preço. Agora, a revelação da falsificação de 14 documentos do Ministério das Finanças provocou a renúncia do diretor da Agência Tributária, responsável pela venda de terrenos do governo. A crise política no Japão chama a atenção por seus austeros critérios extremamente rígidos e pode terminar com a renúncia de Shinzo Abe, que acabou de ser reeleito por ampla maioria parlamentar.

Luiz Roberto da Costa Jr. lrcostajr@uol.com.br 

Campinas

*

A CONVOCAÇÃO DE TITE

Durante a semana passada, surpreendeu e provocou muita discussão no meio futebolístico, os nomes de alguns boleiros convocados por Tite. Entre eles Talisca, Neto e William José. É até justificável as críticas porque não sabemos de onde tirou esses boleiros, visto que aqui mesmo existem boleiros com mais condições. Quanto a Cássio, ele não está bem, mas por que não chamou o Wanderley para seu lugar? Agora, difícil acreditar que mais de um comentarista, não foi só o Neto, que lembrou da existência do Paulo Henrique Ganso, que está a três ou quatro anos na Espanha e atualmente nem no banco de reservas ele senta, mas até os quero-queros dos gramados do futebol sabiam que na Espanha seu futebol enganador não funcionaria. Disseram que ele poderia ser o ritmista para o time ideal que o Tite procura, mas pessoal, o futebol de hoje tem a velocidade de um trem expresso japonês, enquanto Ganso funciona como uma locomotiva à lenha.

Laércio Zannini spettro@uol.com.br 

São Paulo

*

ORGULHO

Minha neta mestiça, Bruna Tiemi Dotoli, com cabelos negros pela cintura, me surpreendeu em um sábado passado ao me pedir uma carona até o Hospital do Câncer, na Avenida Doutor Arnaldo. Prontamente me dispus a levá-la. Nos encontrarmos no restaurante japonês aqui pertinho de casa, almoçamos e fomos. Depois me deparei novamente com ela, estava com o cabelo bem curto e um chumaço de cabelos nas mãos no formato de um rabo de cavalo. Indaguei-lhe: "Bruna, o que você fez, seu pai e sua mãe já souberam disso? Eles irão ficar bravos com você!". "Não, vovô, não disse para ninguém. Quero surpreender a todos, vou fazer uma doação para o Hospital do Câncer, para que talvez, quem sabe, uma menina com a mesma idade minha possa ganhar e usar uma peruca feita com os meus cabelos...". Fiquei comovido e orgulhoso pelo gesto nobre, puro e verdadeiro da minha amada netinha. Dei-lhe os parabéns e desejei que suas amigas e colegas a imitassem, doando também, além de cabelos, visitas, abraços e muito, muito carinho e amor... Parabéns, mais uma vez, meu amor. O vovô está explodindo de tanto orgulho do seu gesto, com certeza seus créditos com Deus e seu filho Jesus Cristo só fez aumentar.

Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@uol.com.br 

São Paulo

*

PERTURBAÇÃO 

A BV Financeira por meio da máquina anunciadora 085 3499 8100 liga para o meu telefone fixo todos os dias por volta das 8 horas e por volta das 18 horas, todos os dias, inclusive aos sábados. Isso já ocorre há vários meses. Ligam e perguntam alguém que não reside mais aqui. Sou um idoso aposentado que mereço e necessito de paz e respeito. Por favor, desprogramem o meu número dessa maldita máquina de chamadas. Detesto a BV e nunca utilizarei seus serviços. Desejo que esta maldita empresa termine o mais rápido e caia em desgraça.

Vagner Ricciardi vb.ricciardi@gmail.com 

São Paulo

*

PPP

Só mesmo neste PPP - país da piada pronta - para a estação do metrô Paulista ficar na Avenida da Consolação, a da Consolação estar na Avenida Paulista e o presidente da Federação Paulista de Futebol ser o carioca Reinaldo Bastos. Pode?!

J.S. Decol decoljs@gmail.com  

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.