Fórum dos Leitores

.

O Estado de S.Paulo

26 de abril de 2018 | 03h00

STF E CORRUPÇÃO

O País pede socorro

O Direito, a lei nua e crua, a ética, a verdade provada e o nosso país estão quase soçobrando por causa das chicanas formais – ditas legais – patrocinadas pela defesa do hóspede de Curitiba e corroboradas pelos “três mosqueteiros” do Supremo Tribunal Federal (STF). Fica difícil para nós, cidadãos, aceitar sem ruborizar de raiva a decisão tomada por três ministros de mandar para a Justiça Federal de São Paulo os autos declaratórios da Odebrecht em que o filho e, principalmente, o pai declararam peremptoriamente que o sítio em Atibaia era (é) do ex-presidente. Para salvar seu chefe apelam até ao diabo para concretizarem a façanha de libertar o preso e liberá-lo para se candidatar à Presidência. Advogados e os três ministros não dão a mínima para o que pensa e exige a maioria do povo brasileiro e para os apelos republicanos, claros como a luz do sol, dos comandantes militares. Estão brincando com fogo. Socorro! Será isso mesmo que eles querem?

ALOISIO ARRUDA DE LUCCA

aloisiodelucca@yahoo.com.br

Limeira

É, uma turma do STF está procurando sarna pra se coçar...

SERGIO S. DE OLIVEIRA

ssoliveiramsm@gmail.com

Monte Santo de Minas (MG)

Lembro aos três ministros da segunda turma um ditado popular: quem procura acha.

MAURÍCIO LIMA

mapeli@uol.com.br

São Paulo

Pingos nos is

Afinal, Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski e Dias Toffoli ainda são ministros do STF ou foram “emprestados” para a defesa de Lula?

ELY WEINSTEIN

elyw@terra.com.br

São Paulo

Suprema baderna

Em razão dos princípios constitucionais da economicidade e da razoabilidade, é dever dos servidores públicos, situação funcional dos ministros do STF, sempre buscarem a celeridade, a qualidade e o menor custo nos atos de interesse da coletividade. Nesse sentido, demonstra-se irrazoável a decisão de três ministros de remeterem para outras comarcas a operação da Lava Jato, desprezando a estrutura, a experiência e o conhecimento histórico adquirido pelos membros da Polícia Federal, do Ministério Público e da Justiça Federal em Curitiba. Com essa situação se está consolidando uma verdadeira baderna jurisdicional no País, por obra e graça de uma minoria de ministros que insistem na tentativa de impor divergências claramente falaciosas à jurisprudência consagrada por essa mesma Corte – e, claro, também estimulados pelo oportunismo televisivo.

HONYLDO R. PEREIRA PINTO

honyldo@gmail.com

Ribeirão Preto

Capivara

O STF acertou uma: Lula, de fato, não cometeu um crime associado a corrupção na Petrobrás. Lula cometeu crimes associados a corrupção na Petrobrás, na Eletrobrás, no BNDES, na Caixa Econômica Federal, no Banco do Brasil. E ao plantar um poste, para suceder-lhe, que destruiu a economia do País, ao aparelhar o Estado – STF incluído...

OSCAR THOMPSON

oscarthompson@hotmail.com

Santana de Parnaíba

Descrédito da turma

A segunda turma do STF, que por duas vezes entendeu que as delações da Odebrecht sobre as propinas para o demiurgo de Garanhuns deveriam ficar em Curitiba, agora, num passe de mágica, resolveu “desentender” e retirar das mãos do juiz Sergio Moro essas mesmas delações?! Ora, na verdade, Moro está muito mais adiantado do que essa turma. Já ouviu testemunhas, colheu provas e determinou perícias sobre o sítio em Atibaia e o terreno para o Instituto Lula. Portanto, o processo está praticamente pronto para a sentença. Assim, a determinação dos metamórficos Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski e Gilmar Mendes pouco alterará a condenação do multirréu que certamente virá. Mas nem tudo está perdido, a ministra Cármen Lúcia ocupará a vaga de Toffoli na segunda turma quando ele assumir a presidência da Corte, acabando com o monopólio de proteção da tigrada petista.

JÚLIO ROBERTO AYRES BRISOLA

jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

A segunda turma do Supremo está é redigindo o atestado de óbito da credibilidade do próprio tribunal.

LUIGI VERCESI

luigiapvercesi@gmail.com

Botucatu

Desmoralização

Triste o país em que a população sabe de antemão como votarão alguns ministros da sua Suprema Corte!

JOSE ED. BANDEIRA DE MELLO

josedumello@gmail.com

Itu

Até quando vamos assistir a juízes parciais (vide STF) proferindo votos cujo enredo já sabemos de antemão?

THEODORO GUIMARÃES

theodoroguimaraes@bol.com.br

Curitiba

VANDALISMO

Metrô, CPTM, USP

Em todos os anos pares, em que há eleição, a capital e as cidades que fazem parte da Grande São Paulo sofrem com a sabotagem nos trens da CPTM e do Metrô. São acionados os botões de emergência por bandos de desocupados, lançados cabos de aço na rede elétrica e, em alguns casos, pedestres nas vias. Agora são quebrados vidros da raia olímpica da USP, repostos pelo grupo de empresas responsável pela obra, mas no futuro isso será bancado pela universidade, que não terá verba, pois está há anos no vermelho. Coincidência ou não, a Reitoria foi contra a obra bancada por empresas “capitalistas”. Quem faz esse tipo de arruaça está contra toda a população e merece ser punido pela lei e pelas urnas – ganha um doce quem adivinhar quem são os vândalos (ou bandidos).

LUIZ RESS ERDEI

gzero@zipmail.com.br

Osasco

Policarbonato

Causa incredulidade a ingenuidade e falta de análise séria dos projetistas do muro de vidro na raia olímpica da USP, que está sendo destruído a tiros todas as noites – tal como bem se vê nas placas de trânsito nas rodovias brasileiras, crivadas de balas. Por que não utilizaram o know-how carioca da Linha Vermelha, em que a via expressa é protegida do Complexo da Maré com placas de policarbonato, transparente e resistente a tiros?

GUILHERME COSTA NEGRAES JR.

gnegraes@terra.com.br

São Paulo

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br


SEGUNDA TURMA DO STF TIRA DE MORO CITAÇÕES A LULA


Por maioria formada por Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski e Gilmar Mendes, a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) tirou do juiz Sérgio Moro as citações a Lula na delação da Odebrecht. Os três mudaram de posição em relação a um julgamento de outubro do ano passado e, segundo a colunista do “Estado”, Vera Magalhães (24/4): “A Segunda Turma abriu a porteira para tentar estancar, finalmente, a sangria da Lava Jato”. Seria arriscado registrar o que os cidadãos brasileiros espoliados e escarnecidos pensam a respeito do comportamento desses ministros. Assim, melhor ouvir a opinião deles próprios. De Gilmar sobre Lewandowski, que em sessão plenária, em 16/11/2016, o acusou de falar pelos jornais: que fala pelos jornais para “reparar os absurdos” cometidos por Lewandowski. Deste, em resposta na mesma ocasião: “Vossa Excelência está faltando com o decoro, não é de hoje! De Gilmar sobre seus colegas nomeados por Lula (entre eles, José Dias Toffoli): “Eles foram péssimas indicações para o Supremo. [...] Não tinham formação, não tinham pedigree. Eram para preencher vagas [...], por serem amigo de algum político”. Sendo suas excelências dotadas de notável saber jurídico e reputação ilibada, longe de nós discordar.


Sergio Saraiva Ridel sergiosridel@yahoo.com.br

São Paulo


*

ESCÁRNIO E GOLPE


Uma vergonha a ação tomada no dia 24 de abril de 2018 pela Segunda Turma do STF, que por três votos a dois aprovou a retirada do processo do demiurgo de Garanhuns da Lava Jato das mãos do juiz Sérgio Moro e a transferiu para a Justiça de São Paulo. Gilmar Mendes, Dias Toffoli e Ricardo Lewandowski sem nenhum pudor com este ato, que está mais para golpe, anulam o trabalho de mais de três anos da força tarefa da Lava Jato, em que policiais federais, procuradores de Justiça e juízes trabalhando dia e noite arduamente fizeram uma excelente tarefa em prol da luta contra a corrupção no Brasil. Este ato é um escárnio da Justiça brasileira em defesa de um réu “corruPTo”, que envergonhará a todos os brasileiros de bem.


Antonio Carelli Filho palestrino1949@hotmail.com

Taubaté


*

PROVA NULA


O STF tirou das mãos do juiz Sérgio Moro trechos da delação de executivos da Odebrecht que citam o ex-presidente Lula em esquema de desvio de dinheiro na reforma de um sítio e compra de terreno para o seu instituto. É uma esquisitice a Justiça não poder usar provas existentes sobre o crime que julga, por juízes acharem que existe dinheiro de corrupção carimbado. Esses trios de juízes do STF, que estão sempre em maioria na segunda turma, não param de favorecer quem comete delitos.


Abel Rodrigues abel@knn.com.br

Rio de Janeiro


*

PALITO CUTUCA ONÇA


De costas para a modernidade e em favor do retrocesso social, discípulos da leniência com desvio de conduta de poderosos políticos e endinheirados senhores, aninha-se – à esquerda de quem vê no monitor o plenário do Supremo Tribunal Federal – a ala de togados que inquieta, causa perplexidade ao País, Rosa Weber à parte. Três integrantes da mesma ala compõem a Segunda Turma, garantidora de sucessivos habeas corpus para apenados da Lava Jato, sistematicamente vencido o voto de Edson Fachin, relator da operação que higieniza o Brasil político e empresarial. Qual a razão do mesmo Edson Fachin ter submetido ao plenário virtual da Segunda Turma, e não ao pleno do STF, o novo recurso para livrar o corrupto e lavador de dinheiro Lula da Silva da prisão? A onça está sendo cutucada com palito.


José Maria Leal Paes tunantamina@gmail.com

Belém


*

NÃO RECONHEÇO


Esse STF não me representa, muito pelo contrário me envergonha. Se os ministros Gilmar, Toffoli, Marco Aurélio, Lewandowski, tivessem um mínimo de vergonha na cara, deveriam entregar seus cargos e ir para seus escritórios de advocacia, assim livrariam os brasileiros honestos de ficarem cada vez com mais asco deles. Rui Barbosa tinha razão, de tanto ver...


José Fernandez Rodriguez cholo@terra.com.br

Santos


*

PODE FECHAR O STF!


Realmente os três mosqueteiros da Segunda Turma do STF, Lewandowski, Toffoli e Gilmar Mendes, não ficam nem mais vermelhos. Retiraram de Curitiba, transferindo para a Justiça Federal de São Paulo, o processo mais importante contra o ex-presidente “Lulla”, que não daria defesa ao condenado dadas as inúmeras provas e evidências. Tanto é que a defesa solicitou transferência para São Paulo com o único intuito de retirar das mãos do juiz Sérgio Moro. Os ministros defenderam a tese, que esse julgamento não tem nada a ver com a Lava Jato. Até o mais leigo viu matérias veiculadas que o sítio e as reformas saíram da conta da OAS e Odebrecht, como propina de obras feitas na Petrobrás, compondo o tal Petrolão. Para limpar a lambança dessa Segunda Turma, esperamos que a presidente do STF, ministra Cármen Lúcia leve esse julgamento ao plenário, senão pode fechar aquela pocilga, e deixe a bandidagem política comandar, porque dará na mesma.


Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo


*

ESCALADA DE PROVOCAÇÕES

Alguns dos ministros do STF parecem acreditar que vivem numa redoma isolada do planeta terra e coberta por cortinas, em que suas ações passam completamente despercebidas dos cidadãos a quem deveriam servir com lealdade, e não me refiro aos cidadãos com acesso às partes internas da bolha. A partir dessa crença, esses ministros vêm desafiando a paciência da população brasileira em um número cada vez maior de provocações de crescente absurdo jurídico. Os digníssimos ministros ignoram que, ainda que o cidadão comum não entenda nada sobre embargos dos embargos, ele sabe que a lei é lógica e que ela busca Justiça, e ele foi treinado desde a tenra infância a cheirar trapaça onde existe uma. Qualquer pessoa que circula pelas ruas, toma cerveja em um bar na periferia, espera pacientemente por um ônibus na rua, ou vai a um restaurante (o que não é o caso de muitos dos ministros do STF) sabe que a paciência da população está próxima do limite. Só Deus sabe o que pode acontecer quando o limite se romper e a paciência acabar. E já tem muito democrata achando que um despertar das casernas pode ser algo positivo.


Oscar Thompson oscarthompson@hotmail.com

Santana de Parnaíba


*

MANOBRA CANALHA!


O que se viu no STF foi uma pouca vergonha por parte destes três ministros que fazem parte da Segunda Turma do tribunal: Gilmar Mendes, Dias Toffoli e Ricardo Lewandowski, há muitos julgamentos não se portam como juízes, (Lewandowski e Toffoli deveriam se dizer impedidos de participar do julgamento em que Lula era réu, porque ambos eram próximos de ex-presidente; um por ser advogado do PT e outro a mãe pediu para a falecida que seu filhinho fosse indicado ministro do STF), mas sim descaradamente como advogados de petistas e agora de “Lulla” que está preso. Gilmar, a personificação do mal, juntou-se aos dois e formaram um trio que anda fazendo o diabo para livrar “Lulla” da cadeia e numa “manobra canalha” conseguiram tirar das mãos do juiz Moro as delações da Odebrecht sobre o Instituto Lula e o sítio de Atibaia. Mas vai um recado para o trio mau caráter, não pensem que são inamovíveis, vocês não sabem a força que tem um povo que estarrecido viu o mar de propinas entre políticos/empreiteiros ladrões faziam com a maior estatal do País que estava sendo dilapidada e desde então vêm acompanhando os processos da Lava Jato, comandado por esta geração corajosa de promotores, procuradores, Polícia Federal (PF) e pelo nosso juiz Moro. Este mesmo povo já retirou do cargo dois presidentes e não irá ficar inerte diante, deste golpe. Os brasileiros de bem apoiam a Lava Jato e todos seus integrantes, Não nos desafiem!


Agnes Eckermann agneseck@gmail.com

Porto Feliz


*

INSTABILIDADE


Como pode um país sobreviver a um Judiciário instável como esse nosso, cuja Corte suprema possui duas turmas que se guiam por visões opostas, uma procurando reparar distorções que, ao longo do tempo, culminaram com esse triste estado de impunidade, o melhor dos mundos para corruptos, e outra, tentando eternizar este mesmo esquema de favorecimentos que ameaça o bom funcionamento da Justiça em prol de compromissos políticos e vaidades pessoais? Presencia-se uma sucessão de esperanças e frustrações que fazem a sociedade se manter em suspenso e impedem uma mínima previsibilidade, situação que influencia os negócios e os investimentos dos quais o Brasil carece. Assim, é com perplexidade que se testemunha hoje o esforço de um grupo de ministros no sentido de libertar o sr. Lula da Silva, após sua prisão, inicialmente prenunciadora de posturas éticas mais saudáveis nas relações de poder.


Paulo Roberto Gotaç pgotac@gmail.com

Rio de Janeiro


*

JUSTIÇA DESACREDITADA


Há ministros da Suprema Corte que estão brincando com a nossa Justiça, já desacreditada.


José Wilson de Lima Costa jwlcosta@bol.com.br

São Paulo


*

TURMA DO PRIVILÉGIO


Os ministros do STF, Marco Aurélio Mello, Dias Toffoli, Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski são agora considerados da ala “conservadora” da Corte. Deve significar manter a liberdade das penas de corrupção das últimas décadas. Eles adoram gente rica e importante...


Luiz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo


*

STF X LAVA JATO


STF (ala petista) 3x2 Brasil. Força, Moro! Nós estamos com você!


Anna Laura Felipucci annafelipucci@hotmail.com

Batatais


*

E O INCONFORMISMO DO POVO?


Há algo de definitivamente muito estranho no reino do STF, particularmente por parte de alguns ministros da Segunda Turma, que reverteram suas próprias decisões ao retirar do juiz Sérgio Moro as provas da Odebrecht relativas a dois processos contra o ex-presidente Lula. Não é difícil perceber que não há, na argumentação destes ministros, tecnicalidade convincente que justifique tal reversão. O ministro Dias Toffoli afirmou que “o inconformismo deve ser acolhido” referindo-se aos embargos da defesa de Lula. Ora, se isto é verdade, como fica o inconformismo da opinião pública perante a esquizofrenia do Supremo?


Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo


*

LAVA JATO EM PERIGO: A ÚNICA MANEIRA!


Vamos ser francos. Há uma guerra declarada no STF e na República: o povo mais lúcido, a maioria dos cidadãos, as pessoas honestas que trabalham e pagam impostos, querem o fim da corrupção, a continuidade da Lava Jato e, consequentemente, a prisão de seu mais emblemático líder, o ex-presidente Lula. Infelizmente há o outro lado da moeda, que quer acabar com a Lava Jato e continuar com a impunidade. São os políticos, seus apaniguados, alguns pseudointelectuais e artistas e a classe menos favorecida e informada da população, principalmente no nordeste, aquela que foi manipulada pelos atos populistas de Lula. No STF, composto de 11 ministros e onde funcionam duas turmas de cinco ministros cada, sabe-se que a Primeira Turma é a favor da Lava Jato, enquanto a Segunda quer acabar com ela. Infelizmente o ministro Edson Fachin, relator e responsável por todos os processos da Lava Jato, pertence à Segunda Turma e é sempre voto vencido, pois fica à mercê de Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski e Gilmar Mendes, além do instável Celso de Mello. Sempre gosto de, além de reclamar, apresentar soluções práticas, que muitos dizem ser utópicas. Não são. Basta ter vontade política e vergonha na cara para implementá-las. Assim, apresento a solução definitiva – que está nas mãos de Edson Fachin – para acabar de vez com esse vai e vem sem fim que destrói nosso humor e nossa esperança a cada dia. A solução: basta, a partir de agora, que o relator da Lava Jato, ministro Edson Fachin, encaminhe todos os processos, pedidos, reclamações, petições, habeas corpus, embargos e o que mais seja relacionado à Lava Jato, diretamente ao Plenário do Supremo, para que sejam julgados pelos 11 juízes. Ele tem esse direito assegurado e é perfeitamente legal. Além do que a importância da Lava Jato clama por um julgamento mais abrangente. Simples, não? Se Edson Fachin é sincero e está realmente disposto a continuar lutando pelo fim da impunidade julgando com rigor esse estrondoso caso de corrupção, o maior do mundo fará isso. Caso contrário, se continuar submetendo os casos à Segunda Turma, onde sabe que irá perder, estará, ao simular ser a favor da Lava Jato, jogando na verdade a favor da impunidade. A conferir.


Percy de Mello Jr. percy@clubedoscompositores.com.br

Santos


*

TOGADOS


Aparentemente, alguns togados estão ciumentos da eficiência do sr. Sérgio Moro, rápido e claro em suas decisões. Que é obvio que envolve a Petrobrás (o que o sr. Emílio, patriarca da Odebrecht deixou claro), e que a decisão é absurda, é cristalino. Aliás, por que interromper um procedimento que seguia para seu finalmente? As vaidades estão se tornando insuportáveis, e prejudicando a Justiça.


Andre Frohnknecht caxumba888@gmail.com

São Paulo


*

AULA AOS TRIBUNAIS


Demos uma aula aos Tribunais no mundo. O jeitinho brasileiro das condenações: Viva nossa Justiça. É minúscula mesmo, não erro.


Jonas de Matos jonas@jonasdematos.com.br

São Paulo


*

TURMA DO MAL


Apesar das acusações partirem de delatores da Odebrecht, empresa cujo dono tinha relação direta com o ex-presidente Lula, a Segunda Turma (sempre ela) decidiu contrariar a decisão individual do ministro Edson Fachin de enviá-las ao juiz Sérgio Moro, alegando falta de vínculo com os desvios de recursos na Petrobrás. Pela enésima vez, os ministros “conchinha” decidiram a parada, a saber: Gilmar Mendes, Dias Toffoli e Ricardo Lewandowski. Não seria exagero nenhum classificar essa Segunda Turma do STF como a turma do mal.


Ricardo Siqueira ricardocsiqueira@globo.com

Niterói (RJ)


*

MIGRAÇÃO DE DELAÇÕES


Entendo que não pensem da mesma forma, mas considero os votos para migração das delações da Odebrecht com relação ao Lula, para o foro de São Paulo, como a artifícios por parte destes indivíduos em obstruir a Justiça e considero isto bastante grave, pois tem em razão disto a participação do Supremo que nesta hora se torna político e supremo no diminutivo.


Thomaz Raposo de Almeida Filho thomazraposo@yahoo.com.br

Rio de Janeiro


*

DITADO


Lava Jato, Moro e Segunda Turma do STF: “não há bem que sempre dure, nem mal que nunca acabe...”.


Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo


*

CITAÇÕES A LULA


Pode-se observar a quanto chegou o aparelhamento no Supremo, pois o votos de Gilmar Mendes, Toffoli e Lewandowski hipocritamente proferidos, visam explicitamente apenas a dar mais tempo a Lula. Todavia acredito que não impedirão mais uma condenação em Curitiba. Os magistrados estão se arriscando, pois poderão ser usados contra eles em processos de impedimento, que certamente correrão no senado na próxima legislatura.


Ulf Hermann Mondl hermannxx@yahoo.com.br

São José (SC)


*

ABERRAÇÃO


De instituição apolítica de Justiça constitucional, o STF, por meio de aparelhamento, foi desvirtuado para órgão de política do partido PT. Como corrigir esta aberração?


Harald Hellmuth hhellmuth@uol.com.br

São Paulo


*

OS CONIVENTES


Quando esses três ministros do STF julgam contra a Lava Jato os petistas comemoram! É gol da corrupção!


Eugênio José Alati eugenioalati13@gmail.com

Campinas

*

RAQUEL DODGE


Se eu fosse a procuradora Raquel Dodge faria na primeira sessão televisionada do Supremo a seguinte declaração sem apartes: “Tanto a Polícia Federal como esta procuradoria tem gastado milhões do dinheiro dos contribuintes no sentido de colher provas suficientes para que possamos oferecer denúncia contra os bandidos e corruptos que infelicitam o nosso País. Todavia nossos esforços caem por terra quando esta Corte Suprema, por intermédio de três ministros cujos nomes não vou declinar, buscam encontrar em filigranas, minúcias, vírgulas mal colocadas nos textos constitucionais para livrá-los da Justiça que merecem. Eles se comportam como grandes especialistas que estudam cada vez mais sobre cada vez menos até que aprendem tudo sobre nada, como dizia Bernard Shaw. Além disso, o Supremo pretende ser a palavra final sobre os embargos dos embargos dos embargos e das presunções de inocência como querem outros dois ministros. Apesar das condenações em primeira, segunda e até terceira instâncias, os advogados de defesa sabem que no Supremo haverão decisões monocráticas a seu favor. Diante disso e nestas circunstâncias comunico que esta Procuradoria deixará de abrir novos inquéritos e deixar para o Supremo que tome conta da corrupção como lhe convém. Peço licença para me retirar”.


Alberto Martinez alberto.martinez@terra.com.br

São Paulo


*

NAS MÃOS DE RAQUEL


Caberá à Procuradoria-Geral da República sob o comando de Raquel Dodge, entrar com recurso contra de decisão tomada pela Segunda Turma, capitaneada por Dias Toffoli, Lewandowski e Gilmar Mendes. Será mais uma mulher a nos salvar desse trio de malfeitores?


Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo


*

DERROTA?


Sobre o artigo “Supremo impõe derrota a Moro em ações sobre Lula” (25/4, A4), entendo o contrário. Moro deve estar feliz com a decisão, por dois motivos: de um lado, porque diminui o seu trabalho; de outro, porque, sendo Lula condenado por outro juízo, cai por terra o argumento repetidamente usado pelos petistas de que Moro é parcial e de que a condenação de Lula foi política.


Sara de Castro F. Barbosa sarahdecfontesbarbosa@gmail.com

São Paulo


*

TSE ANULA ELEIÇÃO


O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) julgou, à exaustão, no ano passado, se a chapa Dilma/Temer havia fraudado a eleição de 2014, considerando o emprego de recursos não contabilizados. Ficou provado e comprovado que foi usado dinheiro de caixa 1 até caixa 10, mas ao fim e ao cabo inocentaram a dupla. Eis que o atual presidente do TSE, ministro Fux declara que caso haja uma influência explícita das chamadas fake news nas próximas eleições elas podem até ser anuladas. Com a máxima vênia, senhor ministro, com a matemática comprovada não puniram uns o senhor acha que vai punir alguém com provas (?) subjetivas? Fala sério! Seria melhor o senhor colocar a turma para trabalhar e colocar o serviço em dia. Consta que há contas de campanha aguardando análise pelo menos desde 2012!


Marco Balbi mbalbi69@globo.com

Rio de Janeiro


*

PT TEM RAZÃO


Quando o deputado federal do PT/RJ, advogado, mestre em direito constitucional, Wadih Damous, disse na semana passada que “tem que fechar o Supremo Tribunal Federal”, não é que ele tem razão, não pelos probos ministros, mas pela minoria deles, Gilmar Mendes, Dias Toffoli e Ricardo Lewandowski. Esses três, por motivos personalísticos, não poderiam compor a plêiade de ministros. Pela ordem. O primeiro tem muito mais interesse na sua empresa de ensino jurídico, do que pelas relevantes funções da mais alta judicatura do País. O segundo, pela duvidosa capacidade técnica e pela paixão, que não faz questão de esconder, pela organização criminosa que tenta implantar o comunismo no Brasil, e o último, apenas e simplesmente por negar vigência à norma constitucional que jurou defender quando assumiu o relevante cargo. Portanto, deputado, eis uma oportunidade que se apresenta, não de fechar o STF, mas extirpar de lá, pessoas indignas de ocupar tão relevante cargo, propondo o impeachment deles.


Carlos Benedito Pereira da Silva carlosbpsilva@gmail.com

Rio Claro


*

BOLIVARIANA


Se a primeira turma do STF, é denominada câmara de gás! A segunda turma é a bolivariana, como na Venezuela.


Moisés Goldstein mg2448@icloud.com

São Paulo


*

DERROCADA


A decisão dos ministros do STF em remeter parte do processo do sítio de Atibaia e do Instituto Lula para Justiça de São Paulo abre caminho pra tornar os juízes das outras instâncias meros fantoches. A divergência no cumprimento das leis é o começo da derrocada da democracia e liberdade de uma Nação.


Lourdes Migliavacca

São Paulo


*

O QUE ELES QUEREM?


Se não for perguntar demais, a Segunda Turma do STF quer Lula presidente?! Ainda existe caráter no Supremo? Onde? Pois não vejo!


Sérgio Passos sepassos@yahoo.com.br

Porto Feliz


*

A SUBTRAÇÃO DA JUSTIÇA


Jesus Cristo multiplicou os pães para alimentar o povo faminto. Já o nosso ministro Gilmar Mendes está pensando em fazer a subtração das penas aplicadas ao ex-presidente Lula para satisfazer os petistas famintos e agressivos. Sua “grande dúvida” é se corrupção passiva e lavagem de dinheiro são dois ou um só crime. Se for um só, a pena de 12 anos e um mês aplicada a Lula terá de ser reduzida. Minha dúvida é como vão fazer essa divisão. De qualquer forma e qualquer raciocínio, o ex-presidente sai ganhando e o espoliado Brasil perdendo. Vamos multiplicar mais o trabalho e o suor meu povo. Os que estão encastelados no poder estão sempre pensando em como “subtrair” um pouco do peso da Justiça aplicada a eles, tentando justificar perante os que pagam impostos o rombo de suas falcatruas. E assim caminha nossa sofrida Nação!


Silvano Corrêa scorrea@uol.com.br

São Paulo


*

PARABÉNS!


Além da excelente banca de advogados que conseguiu aumentar a pena de Lula de 9 para 12 anos e 1 mês, o ex-presidente conta agora com os trabalhos de três ardentes defensores: Toffoli que foi reprovado duas vezes em suas tentativas de ingresso na magistratura, Lewandowski que tem o inegável mérito de ter esfacelado a Constituição no episódio do impeachment de Dilma e o incontrolável Gilmar que, recentemente, declarou ter colegas que não possuem pedigree. Parabéns para Lula e pêsames para o Brasil.


Nelson Penteado de Castro pentecas@uol.com.br

São Paulo


*

A BANCA DE LULA


Na próxima visita que os elementos do PT fizerem a Lula, instruam-no a dispensar seus caríssimos advogados, por absoluta desnecessidade. A “Suprema Banca Federal”, pela Segunda Turma está fazendo todo o trabalho de defesa do “paciente”, sem ônus.


Paulo Araujo pmbapb@gmail.com

Rio de Janeiro


*

MAIS IGUAIS QUE OS DEMAIS


Aplausos à juíza da 12.ª Vara Federal em Curitiba, Carolina Moura Lebbos, que tem negado pedidos para visitação a Lula e também indeferido requerimentos de “vistoria” da cela em que está confinado o ex-presidente. Esses fariseus travestidos de campeões dos direitos humanos jamais – repito, jamais – deram a mínima para as condições materiais em que cumprem pena (ou são mantidos em prisão provisória) as centenas de milhares de presos existente no País, grande parte em condições verdadeiramente degradantes. Com esse histórico de desdém pelos encarcerados, bastou o chefão da seita ser preso para iniciarem essa romaria patética de visitas e diligências, como se cadeia fosse um clube ou como se, acaso, Lula estivesse confinado numa masmorra infecta. Ora, o condenado cumpre sua pena numa cela “5 estrelas”, com todo o conforto (colchão, travesseiro, água corrente, vaso sanitário, banheiro privativo, chuveiro quente e... Espaço – já que a cela é privativa), condição que é negada a mais de 99% dos seus “colegas” no Brasil e, mesmo assim, o PT e seus “puxadinhos” da confraria rubra torcem o nariz. A esquerda vocaliza o discurso lindo da igualdade, mas seus integrantes veem-se como “mais iguais” que os outros. Surpresa nenhuma. Dessa gente, esperar exatamente, o quê?


Silvio Natal silvionatal49@gmail.com

São Paulo


*

DRIBLANDO A SOLIDÃO


Lula poderia aproveitar seu tempo ocioso em Curitiba e tomar umas aulinhas de português. Dilma Rousseff está desempregada...


Nivaldo Ribeiro Santos nivasan1928@gmail.com

São Paulo


*

CASA DA MÃE JOANA


Então os enfeitiçados pelo charme da alma mais pura do mundo estão querendo visitar o seu deus no cárcere da PF em Curitiba e não estão conseguindo? Será que uma senadora, que deveria estar no Congresso trabalhando para honrar os votos que teve uma ex-presidente que deveria parar de gastar nosso dinheiro a falar besteiras e denegrir o nome do País aqui e no exterior e um ex-parlamentar que deveria tentar se viabilizar como candidato a presidente, além outros puxa-sacos mais, estão pensando que a sede a Polícia Federal em Curitiba é casa da mãe Joana? Certa a juíza que barrou a tigrada que não tem o que fazer e quer prestar cultos ao deus Lula. Por que não visitar as dezenas de prisões pelo Brasil afora (algumas em situação desumanas)? Mas cabem ainda as perguntas finais: quando o STF vai colocar em pauta a votação do pedido para anular o golpe dado na Constituição pelo ministro Lewandowski, ao manter a elegibilidade de Dilma? Quando o STF fará julgamento do processo da Gleisi? Quem no PT sério está acreditando na sinceridade do Ciro Gomes, que está dando as caras agora visando unicamente o espólio eleitoral do ex-presidente.


Éllis A. Oliveira elliscnh@hotmail.com

Cunha


*

MISTÉRIO...


Mistério... A ex-primeira dama, Marisa Letícia, sem nenhum trabalho remunerado e sem ser receber nenhuma herança, deixou a fortuna de R$ 11.749.806,31 (quase R$ 12 milhões). Como explicar? Talvez a Receita Federal saiba...


Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES)


*

LULA SABIA SIM


A julgar pelo desespero dos líderes de esquerda para se reunirem com Lula, a fim de receberem instruções políticas, e ainda lembrando-se da performance de Lula em São Bernardo do Campo no dia de sua prisão, fica claro que o procurador Deltan Dallagnol acertou no power point quando disse que Lula sabia de tudo e era o líder dos “petralhas”.


José Sebastião de Paiva jpaiva1@terra.com.br

São Paulo


*

O FIM DO PT


Não há como discordar do filosofo Luiz Felipe Pondé, quando noutro jornal comentou a situação atual do PT e prevê seu futuro para ficar na lata de lixo da história. Não há como discordar de sua avaliação porque existe no PT a dependência total no personagem Lula, hoje um santo como ele próprio se imagina em seu “delirium lulis”, um “messias” de Garanhuns, que onipotente não deixou sequer um seguidor crescer a sua sombra e hoje, apenas um político na prisão condenado por corrupção e com mais seis processos em andamento que poderá engaiolar por mais alguns anos ainda esse “conselheiro” do “Canudos petista”, cuja tendência é desaparecer no futuro. Assistir seguidores comportarem-se de forma quase fanática quando daqueles mais pobres, analfabetos e perdidos nos fundões do País é compreensível que o aceitem como um enviado divino, mas como classificar uma parcela numerosa situada no meio artístico e literário que o defendem ao ponto de promover espetáculos ridículos em sua defesa e até mesmo dar a impressão de serem apenas ideias ou células desse triste personagem, que ficará para nossa história política como aquele que poderia ter sido fantástico, mas perdeu-se no caminho quando assumiu o poder e comportou-se como um verme roedor causador de uma podridão de governo como jamais vista no País.


Laércio Zanini spettro@uol.com.br

Garça


*

LIMITE DE TOLERÂNCIA


Eu acho que está na hora de mais um “Buuuuu!” do general Villas Bôas.


Sergio Salgado de Oliveira ssoliveiramsm@gmail.com

Monte Santo de Minas (MG)


*

UM PAÍS ESPECIAL


58 mil autoridades com foro especial, ou o Brasil acaba com essa palhaçada ou esses palhaços vão acabar com o País.


Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo


*

IRRESPONSABILIDADE


Brasileiros, em geral, são irresponsáveis. Um exemplo foi a parada do metrô numa estação da zona Leste, por atitude de vandalismo que desligou uma chave que controla o mesmo na estação. Além dos prejuízos dos usuários com atrasos na locomoção... Dos patrões e do metrô. Todos perdem!


Laert Pinto laert_barbosa@globo.com

São Paulo


*

‘SINDIVALISMO’


O peleguismo sindical começa pelo próprio governo que impõe a espoliação do trabalhador pelo sindicato. O resto é fruto da corrupção impune. Lula se tornou um “pelego mor” desde as greves dos anos 70.


Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo


*

JOVENS


A propósito da notícia “Suicídio de estudantes causa comoção nas redes sociais e reflexões em escolas”, a qual informa sobre os suicídios consecutivos de dois alunos do rico Colégio Bandeirantes, primeiramente gostaria de apresentar os meus sinceros pêsames aos pais dos jovens, bem como propor a urgente reflexão que precisa ser feita sobre a falta de protagonismo que a cultura vigente neste país impõe aos filhos de pais que se esforçam para garantir aos filhos educação de qualidade, pensando em um “futuro promissor” como esperavam as pessoas da nossa geração, calcado em esforço, dedicação e trabalho. Tenho filhos jovens e sinceramente me preocupa o constrangimento que é imposto àqueles que têm uma mínima estrutura para estudar e sonhar com um futuro. Esses jovens vivem em um limbo com o qual poucos se importam. Nesse limbo não há cotas, não há Pronatec’s, Prouni’s, nem empregos nem afeto por parte da sociedade, nem dos direitos humanos, nem do governo, nem das gulosas corporações, que recusam o simples debate das reformas dos sistemas previdenciário e trabalhista, aspectos indispensáveis para a inserção de mais brasileiros no mercado formal. Ao contrário, contra eles se nutre um ressentimento daqueles que se julgam injustiçados pela vida e lhes é imposta uma pressão, às vezes insustentável – como infelizmente podem ilustrar os casos de suicídio retratados – como se eles fossem usurpadores do direito de alguém, quando, na verdade, estão em uma fase da vida que exige apoio e a exposição a uma cultura inspiradora, que dê esperança de um futuro mais auspicioso, que não seja requebrar em “baladas de funk” que solapam as baladas da Augusta e da mídia em geral. Vamos olhar os jovens com mais carinho e atenção, dedicando-lhes espaço na agenda política para criar oportunidades para eles, independente da origem social; pois, afinal, eles não possuem nada além de um potencial que não estamos cuidando de incentivar e apoiar da melhor forma possível. Os jovens são o futuro deste país e são os interesses deles que precisam estar no centro das discussões e das ações para melhoria da educação básica e da sociedade brasileira.


Airton Reis Júnior areisjr@uol.com.br

São Paulo


*

SUICÍDIOS EM ESCOLAS PARTICULARES DE SP


Se a tecnologia facilitou a vida das pessoas por um lado, por outro piorou – educar nunca foi tão difícil. Importante não perder de vistas que crianças e adolescentes também têm demandas, em sua maior parte afetivas, e não de consumo. O fato de estarem matriculados em escolas de renome, que bem preparam para os vestibulares e o Enem, implica aos mesmos uma maior pressão por boas notas, e por escolhas antecipadas. Trata-se de uma fase rápida, delicada, que se bem vivida, fará toda a diferença na maturidade.


Maria Lúcia R. Jorge mlucia.rjorge@gmail.com

Piracicaba

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.