Fórum dos Leitores

.

O Estado de S.Paulo

27 de abril de 2018 | 03h00

CORRUPÇÃO E JUSTIÇA

Correria em Brasília

O ex-ministro Antônio Palocci assinou termo de delação premiada com a Polícia Federal (PF). Xi...!

LUIZ FRID

luiz.frid@globomail.com

São Paulo

Ele sabe tudo

Finalmente o ex-ministro de Lula Antônio Palocci assinou com a PF, em Curitiba, sua delação premiada. Nos mandatos de Lula da Silva e Dilma Rousseff, Palocci exerceu cargos importantes, portanto, é conhecedor de muitos fatos comprometedores na gestão dos petistas. Enfim, essa delação será de suma importância para as investigações da Operação Lava Jato.

FRANCISCO ZARDETTO

fzardetto@uol.com.br

São Paulo

Alegria curta

A defesa do mais ilustre hóspede da PF em Curitiba deve estar em pânico com a decisão tomada por Palocci de fazer acordo de delação premiada, em que pode revelar detalhes escabrosos do esquema de corrupção que reinou absoluto durante os governos petistas. Mas se o acordo de colaboração de Palocci com a PF depender da suprema trinca libertadora – Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski e Gilmar Mendes –, o acordo não vai ser homologado nunca. Caso contrário, a alegria de Lula durará pouco.

PAULO R. KHERLAKIAN

paulokherlakian@uol.com.br

São Paulo

Cara de palhaço

O acordo de colaboração firmado por Palocci com a PF não entusiasma absolutamente nada. Se as ambivalências do Supremo Tribunal Federal resultarem no fim da Lava Jato, o que não é improvável, ele pode delatar o que e quem quiser: os “delatados” rirão à toa e a sociedade ficará com cara de palhaço.

LUCIANO HARARY

lharary@hotmail.com

São Paulo

Insegurança jurídica

Ainda a respeito da reportagem STF tira de Moro delação da Odebrecht sobre Lula (25/4, A1), o texto fala em derrota do juiz Sergio Moro. É um engano, a derrota é para a segurança jurídica. O encaminhamento inicial foi do próprio Supremo Tribunal, e por unanimidade. Parece uma jogada ensaiada para ganhar tempo ou anular o trabalho já realizado. Para leigos, como eu, não se discute o caso específico, o que precisamos saber é se é legal ou não usufruir bens de amigos, reformados por empreiteiras que atuaram durante o mandato no Executivo de um “usufruidor”. Simples assim. Segue o barco em mar tenebroso.

NELSON MATTIOLI LEITE

nelsonmleite@uol.com.br

São Paulo

Os três mosqueteiros do STF viraram casaca e estão eufóricos, mas juridicamente implodiram o Brasil honesto e ético.

ROBERTO HUNGRIA

cardosohungria@gmail.com

Itapetininga

Eles só estão preocupados em soltar o Lulla. A justiça e o Brasil estão em segundo plano.

FLÁVIO CESAR PIGARI

flávio.pigari@gmail.com

Jales

Bizarro

Retirar do juiz Moro “peripécias” ligadas à refinaria Abreu e Lima – cemitério de bilhões – a pretexto de não ter relação com a corrupção na Petrobrás não engrandece o STF. Por acaso essa refinaria pertence a alguma empresa localizada em Marte?

ALEXANDRU SOLOMON

alex101243@gmail.com

São Paulo

Perguntar não ofende

Sem a Petrobrás, de onde a Odebrecht tiraria toda aquela grana?

MOISÉS GOLDSTEIN

mgoldstein@bol.com.br

São Paulo

PARTIDOS

Judicialização da política

Fantástica a abordagem de Eugênio Bucci no artigo Por que a política perdeu (ou se perdeu), de ontem (A2). Concordo que os partidos alicerçaram o protagonismo exacerbado do Judiciário ao não serem rigorosos consigo mesmos nem darem exemplo, fazendo o que a população esperava: uma limpeza ética interna. Porém vou além. Vejo com muita desilusão o cenário que se desenha, pois ao final das eleições só teremos duas opções: ou será eleito alguém da máquina viciada e tudo continuará como está (haja foro privilegiado!), ou teremos um “salvador da pátria” radicalizando e afundando o País em outra crise. Tomara que ainda haja espaço para a sociedade entender que o caminho é outro. Mas os poucos partidos que, aparentemente, não estão viciados ainda não têm a menor chance de sonhar, dada a sua minúscula musculatura.

BRUNO JOSE GRAÇA ROMA

broma@embratel.com.br

Campinas

Ausência

A ausência do nobre senador Renan Calheiros em reunião com o presidente Temer para unificar o MDB foi criticada pelo ministro Carlos Marun. Creio que a reclamação seja improcedente. Será que ele fez falta...? Nós, da galera, estamos felizes, por vê-lo apenas como mero coadjuvante no Senado. Esperamos que continue ausente.

JOSÉ PERIN GARCIA

jperin@uol.com.br

Santo André

ROTA 2030

Desperdício

Com o lançamento do Inovar-Auto, a indústria automobilística, num primeiro passo, encheu os pulmões e passou a investir em máquinas e equipamentos de última tecnologia. Investiu, gastou os créditos tributários e parou aí. Por quê? Porque tudo o que se quer inventar aqui já foi inventado há muito tempo, não temos mão de obra qualificada para pesquisa e desenvolvimento. Paramos no tempo nas décadas de 80/90 e lá ficamos. Não adianta, sem educação básica fundamental não dá para alcançar nem os Brics. Lamento.

IBRAHIM COTAIT NETO

autolex@uol.com.br

São Paulo

O provável desperdício de recursos públicos associado ao Rota 2030 é uma clara evidência do nosso atraso. Em vez de efetivamente promover os transportes público e ferroviário, os sucessivos governos seguem financiando a indústria automobilística. O Estado é refém acomodado dos impostos pagos pelo setor, enquanto o brasileiro é refém do carro mais caro do mundo – não apenas, como pensa a maioria, em razão dos impostos, mas das margens de lucro sem paralelo – e do transporte ineficiente de pessoas e cargas.

MARCELO MELGAÇO

melgacocosta@gmail.com

Goiânia

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br


ROCHA LOURES


Simplesmente ridícula a declaração do ex-deputado Rodrigo Rocha Loures, quando diz que a Justiça não sabe o conteúdo da mala em que ele transportava R$ 500 mil. Melhor seria se alegasse transportar pizza, uma vez ter recebido a mala em uma pizzaria. O que surpreende, é o fato de todos esses corruptos subestimarem a inteligência das pessoas, acreditando serem iguais a eles. E ainda tem Juízes, especialmente do STF, por razões ideológicas e em troca de favores anteriores, dão guarida a essa gentalha que desonrou o País.


Mario Cobucci Junior maritocobucci@gmail.com

São Paulo


*

MENOS, LOURES, MENOS...


Aí eu entrei numa pizzaria de mãos vazias e saí de lá puxando uma mala. Peguei por pegar, doutor, nem sabia do seu conteúdo, então comecei a correr pelas ruas de São Paulo para ver se ela (a mala) me largava. Essas poderiam ser as delirantes palavras do ex-assessor presidencial, Rodrigo Rocha Loures, em depoimento que, de tão inverossímil, soou como confissão de culpa. Por sinal, de rocha ele não tem nada, é pura madeira de lei.


Ricardo Siqueira ricardocsiqueira@globo.com

Niterói (RJ)


*

ROCHA LOURES E A MALA

Rocha Loures, após sair correndo de um restaurante com uma mala com R$ 500mil, diz que não sabia o que tinha dentro, sacramentou: o Brasil tem mais de 200 milhões de idiotas!


Marcio Ferraz marciorobertoferraz@yahoo.com.br

São Paulo           


*

‘CACHORRADA’


É inadmissível que três ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) ajam contra os interesses da esmagadora maioria do povo brasileiro, ávido pela moralização de costumes de políticos sabidamente desonestos. O juiz Sérgio Moro, porta voz desse sentimento moralista, por sua notável atuação na Lava Jato é a última esperança que nos resta para que possamos ver o Brasil trilhar pelo caminho que nos leve a um futuro promissor. De repente, não mais que de repente, três ministros, constituindo maioria na Segunda Turma do STF, por motivos supostamente inconfessáveis, resolvem “melar” a Lava- Jato, ao retirar de Moro a competência para julgar e eventualmente punir os responsáveis por desvio de dinheiro público. Esperamos que essa maléfica decisão seja revertida o mais breve possível. Contamos com a atuação de nossa dinâmica procuradora-geral da República e da maioria dos ministros da Corte, que, por não possuírem pedigree reconhecido pelo canil de Gilmar Mendes, em Plenário certamente votarão contra essa verdadeira “cachorrada”.


Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo


*

TEMPOS ESTRANHOS


Vivemos num país em que somente um lado tem valor, o dos ricos e poderosos. Numa votação meteórica, a Segunda Turma trapaceou, ignorou o trabalho sério do juiz Moro e dos desembargadores do Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4), para livrar Lula da cadeia, condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, sob o comando de três ministros: Dias Toffoli, Lewandowski e Gilmar Mendes. No lado pobre a OAB de Goiás, denuncia de que os presos passam fome e não têm acesso aos itens básicos. Como exemplos de falta de sensibilidade e ética, está de bom tamanho, os exemplos citados. Enquanto se gasta uma fortuna com um ex-presidente preso, senadores e deputados se engalfinham para visitá-lo, enquanto nas prisões ninguém vai? Estamos vivendo tempos estranhos, pois os mesmos ministros que tanto se interessam em mudar a lei para proteger apenas um cidadão, não têm a mesma preocupação com aqueles que não têm seus direitos garantidos. Tudo muito esquisito.


Luciana Lins lucianavlins@gmail.com

Campinas


*

GOL CONTRA


No intuito de levantar a bola para os advogados de Lula marcarem um gol contra a Lava Jato, a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal capitaneada por Gilmar Mendes, decidiu despudoradamente por 3 votos a 2, retirar das mãos do juiz Sergio Moro – e encaminhar à Justiça Federal em São Paulo – trechos importantes da delação da Odebrecht sobre o sítio de Atibaia e do Instituto Lula, alegando que os crimes cometidos não têm relação com os crimes na Petrobrás. Indo além, Gilmar Mendes advertiu: poderá haver recursos da defesa do réu em relação a processos que estão em Curitiba e isso pode vir até aqui dando a senha para que a defesa de Lula entre em ação. Pura chicana, pois se o dinheiro para a reforma do sítio de Lula e a compra da sede do Instituto saiu da propina da Odebrecht para o PT em contratos da Petrobrás, como é que a Segunda Turma pode dizer que o caso nada tem a ver com a Lava Jato e, assim, retirar os processos nas mãos de Sergio Moro? O STF lá vai se tornando o pilar da insegurança jurídica no Brasil. Alguns ministros mais parecem serviçais de luxo do PT. Resumindo! O desespero para salvar a Lula obrigou alguns juízes a saírem do armário petista sem o menor disfarce, na cara dura mesmo, revelando que parte da turma que compõe o STF padece de uma ausência crônica de pudor ao tentarem transformar a Corte numa banca de advogados.


Paulo R. Kherlakian paulokherlakian@uol.com.br

São Paulo


*

BRASIL


Sérgio Moro (juiz federal da 13.ª Vara Federal de Curitiba) quer botar ordem no galinheiro, mas a desordem no galinheiro é deliberada pela maioria da Segunda Turma do STF (Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski e Dias Toffoli). Assim funciona o combate à corrupção no país do carnaval e do futebol.


Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES)


*

PROVA EMPRESTADA


A retirada das delações da Odebrecht ou de outros delatores do processo do sítio de Atibaia (processo de Lula) não pode influir no conjunto probatório, porque elas podem ser usadas por empréstimo e os delitos estão nelas estampados. Eis que o Direito admite todas as provas por ele não excluídas, sendo, pois, perfeitamente normal e legal o empréstimo de provas para complementar o conjunto probatório, suportando-se o ônus de se provar.


José Carlos de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro


*

O JUDICIÁRIO E SEU SIMBOLISMO


Que bom seria se pudéssemos respeitar e confiar na força moral, na integridade, na isenção, no caráter e no desejo de fazer Justiça pelo bem do Brasil em todos os ministros da nossa Suprema Corte, da mesma forma como confiamos possuir todos estes atributos o juiz Sérgio Moro. Certamente há outros juízes igualmente respeitáveis que trabalham com igual amor à Justiça. Como uma percepção nesta direção mudaria a nossa confiança em nosso país, nos traria mais esperança e tranquilidade se assim fosse, ou seja, para falar claro, se o STF pudesse se igualar a um TRF-4 ou a um Supremo Tribunal da Justiça! Daí sim poderíamos estar seguros de que a Justiça não falha, é cega porque não faz distinções, porque não tem protegidos nem privilegiados. Desta estabilidade e confiança talvez surgisse um novo Brasil, com paz social e orgulhoso de sua Suprema Corte, o que serviria de referência a todo brasileiro, do mais humilde ao mais importante. Mais do que tudo, isso é o que nos proporcionaria seguir adiante com confiança de que a impunidade dos delitos cometidos contra o próximo não teria vez nem condições de prosperar. Este então seria outro Brasil. Não o que vivemos hoje, em que alguns ministros se mostram tão indiferentes às consequências de seus atos carregados de suspeição de intenções obscuras. Sem dúvida, agora sabemos ser o Judiciário o Poder que acima de todos, nos assegura democracia plena. Sem isso, vamos caminhando trôpegos, aos trancos e barrancos e já esgotados, acabaremos pedindo que forças maiores intervenham por nós, para nos salvar deste terror. E não falo de Deus, refiro-me às Forças Armadas (FFAA) que é a guardiã da legalidade e da segurança nacional porque a Justiça tem de ser igual para todos. Ninguém é melhor do que ninguém. E é isto que está em jogo no Brasil nos dias de hoje.


Eliana França Leme efleme@gmail.com

Campinas


*

RESPEITO AO STF


No passado, o Supremo Tribunal Federal era uma instituição respeitada e acreditada pela opinião pública por ser formada por cidadãos de elevado saber jurídico e reputação ilibada, sem que suas convicções políticas interferissem nos julgamentos. Atualmente, com essa composição, a Corte está desacreditada e desrespeitada porque alguns de seus integrantes colocam suas convicções pessoais acima da própria Constituição Federal e, portanto, do próprio Estado de direito, no melhor estilo dos membros do Judiciário da mais alta Corte venezuelana.


José Wilson de Lima Costa jwlcosta@bol.com.br

São Paulo


*

TRÊS CONTRA MILHÕES?


Será que três julgadores têm o direito de manipular a inteligência de milhões? Será que três julgadores têm o direito de perturbar um país? Ou será apenas mais um episódio da série “os trapalhões”, com a participação especial de “Gigi, Tofó e Lelê”? Seria cômico, se não fosse trágico!


Arlete Pacheco arlpach@uol.com.br

Itanhaém


*

ATUAÇÃO DELIRANTE


A maldita trindade desafia o bom senso, está contra os brasileiros.


Adalberto Amaral Allegrini adalberto.allegrini@gmail.com

Bragança Paulista


*

‘SPTF’

“Suprema PTigrada Federal! A que ponto chegamos!”


J.S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo             


*

DANDO BANDEIRA


O STF não levanta bandeira, ele dá bandeira.


Leandro Ferreira ferreiradasilvaleandro73@gmail.com

São Paulo


*

SEGUNDA TURMA


Atenção autoridades! Existe uma quadrilha de sentenças na Segunda Turma do STF. O que impera são os devaneios e a politicagem da trinca da turma e não a Constituição.


Darci Trabachin de Barros darci.trabachin@gmail.com

Limeira


*

LARANJAS PODRES DO STF


Ricardo Lewandowski, Dias Toffoli e Gilmar Mendes envergonham a Nação e enojam a alma dos brasileiros, que clamam por ética nas nossas instituições e pelo fim da impunidade no País! Mas esses três magistrados se transformam em “laranjas podres do STF”, quando descaradamente tiram das mãos do digno juiz Sérgio Moro, provas da delação da Odebrecht, que comprometem o Lula, quando supostamente fez a reforma do sítio de Atibaia (SP), com recursos de propina, e também sobre recursos ilícitos recebidos da empresa pelo Instituto Lula. Ou seja, e sabe Deus, o motivo, que esses ministros estão empenhados em favorecer o ex-presidente, um corrupto e formador de quadrilha, que pelo rigor da lei e da Constituição, foi condenado e está preso em Curitiba! E hoje, como magistrados parciais, Lewandowski, Toffoli e Gilmar, merecem a menção de “persona non grata”...

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos


*

ARMAÇÃO ILIMITADA

Estarrecida a Nação assiste a Segunda Turma do STF armar descaradamente para favorecer Lula “et” caterva. Batizemos essa turma com o nome do antigo seriado da TV, “Armação Ilimitada”.


Luiz Henrique Penchiari lpenchiari@gmail.com

Vinhedo


*

ATÉ QUANDO?


Até quando iremos aceitar este comportamento destes três ministros comandados pelo sr. Gilmar Medes (Lewandowski e Dias Toffoli). Inacreditável terem um comportamento totalmente voltado para defender e tentar inocentar o “chefe” da quadrilha. Alguém tem que tomar uma providência. O sr. Gilmar Mendes tem que ser imediatamente afastado, suas declarações são uma afronta à Nação brasileira. Chega da quadrilha dos “petralhas”. O Brasil cansou.


Heitor Portugal Procopio de Araujo heitor.portugal@uol.com.br

São Paulo


*

CORRUPÇÃO SISTÊMICA


O juiz Sérgio Moro afirmou inúmeras vezes que só a Operação Lava Jato não resolveria o problema de corrupção do Brasil. Estão aí alguns ministros do Supremo Tribunal Federal para confirmar.


Luiz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo


*

DELAÇÃO DA ODEBRECHT


Que venham as delações da Odebrecht para o TRF-3. Que sejam distribuídas ao novo “Moro paulista”. Que dê celeridade aos processos e acabe de vez com essa chicana processual.


Arnaldo Ravacci arnaldoravacci05@gmail.com

São Paulo


*

GILMAR MENDES


É tão evidente que o ministro Gilmar Mendes não está agindo pelo bem do Brasil, que é até estranho que ele continue agindo abertamente da mesma maneira apesar de se tornar hoje o inimigo público número um do Brasil. As compensações por aguentar as hostilidades em público e colocar-se até em risco, devem ser muito grandes! O tempo dirá...


Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo


*

IBDP


O que será que alunos do Instituto Brasiliense de Direito Público (IBDP) em que Gilmar Mendes é um dos sócios e faz palestras, dentro e fora do Brasil, pensam sobre o seu vai e vem em votos no STF? É muito deseducativo juridicamente.


Tania Tavares taniatma@hotmail.com

São Paulo


*

RAIVA DA TURMA GLT


Chegamos a isto: estou com raiva da Turma “GLT” em razão da afronta à moral e aos bons costumes que praticam. Considero desprezível e até pornográfico o que vêm fazendo. Opa! Antes que me acusem de preconceituoso contra outros seres humanos com interpretação de gênero diferente da minha, os quais respeito, esclareço: estou me referindo a Gilmar, Lewandowski e Toffoli, cujas atitudes me envergonham como cidadão brasileiro.


Frederico Krejici f.krejici@terra.com.br

São Paulo


*

PRA NÃO DIZER QUE NÃO FALEI DO EMBARGO DOS EMBARGOS


Trabalhando e pagando, sustentando a Nação

fomos todos apanhados numa grande ilusão.

Nas escolas, nas ruas, campos, construções

somos todos roubados pelos mesmos ladrões.

Trabalhando e pagando o carnê do leão

pedindo emprestado pra pagar no cartão.

Vem, vamos agora, levantar esta Nação

Justiça que é Justiça não dá mole pra ladrão!

A honestidade descrente, a Justiça no chão

a mentira se exibe com a propina na mão.

E nas cortes mais altas, embargos a mil

impunes à solta, roubando o Brasil!

A linguagem empolada distorce a questão

no final a Justiça só defende o ladrão.

Sim, vamos agora, levantar esta Nação

Justiça que é Justiça não dá mole pra ladrão!

Arruaceiros nos campos, promovendo invasões;

de processos saindo, impunes ladrões.

Ainda tem na propina o mais forte quinhão,

pra comprar sem alarde o fortuito perdão.

Olhe, veja agora, o que pode acontecer

vigarice à granel aumentando à valer.

Sim, vamos agora ajudar esta Nação

Justiça que é Justiça não dá mole pra ladrão!

Há soldados armados, calados ou não;

quase todos abismados com tanto ladrão

Nos quartéis esperando, pra ajudar a Nação

esperança na farda, coturno no chão.

Nos olhos, visão, da realidade, o fato,

a limpeza começada na Lava Jato.

Vem, vamos agora, reerguer esta Nação

Brasileiro, brasileiro não dá mole pra ladrão!


Ademir Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo


*

OFENSA?


O promotor paulista Ricardo Montemor teve a coragem de falar o que grande parte da população pensa a respeito desse trio do STF. Realmente, até quando teremos que suportar essas deslavadas safadezas que Toffoli, Lewandowski e Gilmar impõe à sociedade? Basta qualquer ação ser dirigida à Segunda Turma e todos conhecemos seu desfecho. Se acham que esquecemos o que Lewandowski fez ao final do impeachment da Dilma, estão muito enganados. Todo apoio ao promotor e que outros se manifestem da mesma forma!


Heleo Pohlmann Braga heleo.braga@hotmail.com

Ribeirão Preto


*

STF E CORRUPÇÃO


Parabenizo o editor do “Fórum dos Leitores” por ter privilegiado na edição de ontem a publicação das cartas dos leitores – também os cumprimento – tecendo críticas às atuações dos ministros do STF e integrantes da Segunda Turma, Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski e Gilmar Mendes que decidiram enviar para a Justiça Federal de São Paulo as delações da Odebrecht sobre as propinas que culminaram elevando substancialmente o patrimônio do demiurgo de Garanhuns. Esses ministros inescrupulosamente mudaram seus votos proferidos em duas votações anteriores sobre o mesmo tema. Aos ministros Dias Toffoli e Lewandowski cabem perfeitamente as contundentes e desabonadoras assertivas verbalizadas ao ministro Gilmar Mendes pelo ministro Luís Roberto Barroso em recente sessão plenária do STF que me permito reproduzir com todas as vênias: “Vossa Excelência muda a jurisprudência de acordo com o réu. Isso não é Estado de Direito, é compadrio. Juiz não pode ter correligionário. Vossa Excelência é uma desonra para todos nós. Vossa Excelência desmoraliza o Tribunal”. Sinto-me particularmente atemorizado só de pensar que em setembro o ministro Dias Toffoli assumirá a Presidência do STF, um jurista foi reprovado em dois concursos para a magistratura e que não possui doutorado nem mestrado. É e sempre foi questionável a sua portabilidade de notável saber jurídico.


Junios Paes Leme junios.paesleme@outlook.com

Santos


*

LULA E A HERANÇA MALDITA RECEBIDA DE FHC


Hoje entendo perfeitamente quando “Llulla” citava a herança maldita deixada por FHC, mas foi para nós, o povo brasileiro! 1) Reeleição; 2) “Gillmar” Mendes; 3) “Llulla” da Silva (com que prazer FHC passou a faixa de presidente ao operário).E com isso: 4) “Dillma” Rousseff, Lewandowski e Toffoli; 5) Imaginar que deixando “Llulla” sangrando no mensalão poderia tirá-lo do governo; 6) Mais quatro anos de roubalheira dele pela reeleição; 7) Mais seis de “Dillma” (eleição é reeleição); 8) Temer até agora loteando o Brasil; 8) Candidatos: Maia, Bolsonaro, Ciro, Marina, etc., etc., etc. Socorro! Põe maldição nessa herança!


Cecilia Centurion ceciliacenturion.g@gmail.com

São Paulo


*

INEXPLICÁVEL


A Odebrecht admitiu ter sido beneficiada no esquema da Petrobrás ou não? Admitiu ter pagado propina por causa disto ou não? O processo da Odebrecht correu em Curitiba ou não? Marcelo Odebrecht ficou preso em Curitiba ou não? O que a Segunda Turma do STF sabe que o resto do Brasil não sabe? É bom se explicarem melhor por ninguém está entendendo as suas decisões.


Jorge A. Nurkin jorge.nurkin@gmail.com

São Paulo


*

CADA UM COM O SEU


Cada país tem o Supremo que merece...


Cassio Mascarenhas de Camargos cassiocam@terra.com.br

São Paulo


*

JOESLEY E SUAS DENUNCIAS


É inimaginável que esse bandido chamado Joesley continue a denunciar seus antigos amigos de bando, sem que ninguém de nossa Justiça abra os olhos. Ele está fazendo acusações em pequenas doses, não são para esclarecer a opinião do povo, mas para se beneficiar desta situação. Se ele tem mais gravações e bilhetes, que abra o “livro” de vez. Não conheço nada de leis, mas creio que ele comete o crime de esconder provas que podem atrapalhar muito a eleição, já bagunçada que se aproxima.


Wilson Matiotta loluvies@gmail.com

São Paulo


*

DE OLHO EM PALOCCI


Negociando sua colaboração premiada à força tarefa da Operação Lava Jato, o ex-ministro da Fazenda Antônio Palocci vai revelar detalhes dos esquemas de corrupção que participou e organizou nos governos do “multirréu” Lula da Silva e do “poste” Dilma Rousseff. Certamente as “caravanas da alegria” que diariamente vão até o demiurgo, diminuirão. O medo é que não consigam mais sair da Polícia Federal (PF).


Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo


*

FALA PALOCCI, FALA!


Num dia os “irmãos metralhas” do STF dão uma no cravo, no outro a “PF e Lava Jato” dão na ferradura. A PF acaba de assinar a delação premiada do ex-ministro Antônio Palocci. Parece que a velha guarda, aquela que ano após ano se uniu em quadrilha para assaltar os cofres públicos e se perpetuarem no poder, se esqueceu de que a nova geração de funcionários públicos veio para ficar. Veio para fazer Justiça e não se locupletar. Fala Palocci, que a população brasileira que vive numa roleta russa entre bandidos do colarinho branco unida com a Justiça viciada e a verdadeira Justiça investigativa quer vê-los todos na cadeia. Doa a quem doer!


Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo


*

O ACORDO DE DELAÇÃO DE PALOCCI


Uma bomba de efeito um tanto retardado está embutida na delação premiada que Palocci, o Richelieu dos governos do PT, pretende detonar. Pelo poder exercido na corte de Lula, tudo indica que vem chumbo grosso por aí com direito a estilhaços a políticos e empresários envolvidos com a maior quadrilha de todos os tempos da República brasileira, que podem dormir tranquilos, enquanto estiver no STF, os defensores de bandidos.


Jair Gomes Coelho

Vassouras


*

PACTO DE SANGUE


Finalmente foi selado acordo entre a PF e Antônio Palocci, em que o “italiano” promete revelar os meandros do pacto de sangue firmado entre Emílio Odebrecht e Lula. Os quatro mosqueteiros do mal do STF: Dias Toffoli, Ricardo Lewandowiski, Gilmar Mendes e Marco Aurélio de Mello também fizeram um pacto de sangue com o presidiário Lula da Silva. Qual dos dois pactos terá maior valor? É esperar para ver!


José Alcides Muller josealcidesmuller@hotmail.com

São Paulo


*

DEFESA DE LULA. QUEM PAGA?


Consta que a renda pessoal do condenado Luiz Inácio Lula da Silva decorre de uma aposentadoria (?) somada à renda conferida aos ex-presidentes da República. Portanto, grosso modo, trata-se de um assalariado. Face essa condição, surpreende a miríade de zelosos e combativos advogados que o defendem, obviamente a peso de ouro. Dentre os advogados contratados insere-se o ex-ministro do STF, Sepúlveda Pertence, por conta de sua proximidade com o Judiciário. Advogados não são monges franciscanos que vivem da caridade. Pergunto: quem está pagando esses advogados? Sindicato? O PT? Qual é a origem dos recursos que estão financiando os advogados do condenado? O problema, recorrente, reside em questões que não são apenas de natureza ética ou profissional, como a OAB e determinado grupo de advogados querem fazer parecer crer. O pano de fundo pode envolver uma série de crimes financeiros, sendo circunstância potencialmente grave, pois não é necessário qualquer esforço especial para se questionar a licitude desses recursos. Já passou da hora dessa questão ser enfrentada e investigada com objetividade, sem hipocrisia e sem tergiversações. Vale lembrar o teor do artigo 180, § 1º do Código Penal, que trata da receptação qualificada: Artigo 180, § 1.º: Adquirir, receber, transportar, conduzir, ocultar, ter em depósito, desmontar, montar, remontar, vender, expor à venda, ou de qualquer forma utilizar, em proveito próprio ou alheio, no exercício de atividade comercial ou industrial, coisa que deve saber ser produto de crime: Pena: reclusão de três a oito anos e multa.


Milton Córdova Júnior milton.cordova@gmail.com

Vicente Pires (DF)


*

QUAL O PREÇO?


Quanto será que está custando a Lula manter os caras de paus togados a seu serviço no STF?


Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo


*

IMPUNIDADE É A PALAVRA DO FUTURO!


Perplexo. Esta é a palavra que melhor define meu estado de consciência no presente momento, ao constatar que o ex-presidente Lula teve um gasto de R$ 150 mil neste primeiro mês de cárcere, quando um preso comum, como, aliás, entendo que deveria ser o caso deste, tem gasto em torno de R$ 5 mil. Não bastasse esta pujança toda, com todo o conforto, incluindo cinco refeições diárias preparadas por restaurante com direito a cardápio variado, agora os advogados de Lula buscam o mesmo caminho dado ao ex-senador Demóstenes Torres, aquele cuja relação com Carlinhos Cachoeira era bastante estreita, mas, mesmo assim, seus advogados contestando as contundentes provas, conseguiram com a ajuda especial do ministro Toffoli, que Demóstenes dispute a próxima eleição. Aonde querem chegar? Impunidade total aos políticos? Triste!


Eduardo Macedo efozmacedo@gmail.com

São Paulo


*

RELAXAMENTO


Sou favorável ao relaxamento da prisão de Lula. De ir da PF para prisão domiciliar, mas há uma condição: que seja obrigado a ouvir “Blowing in the Wing”, cantado por Eduardo Suplicy, sete dias por semana no mínimo quatro horas por dia.


Ely Weinstein elyw@terra.com.br

São Paulo     


*

DESCRÉDITO


Caso Lula seja solto o Brasil cairá definitivamente no descrédito de todos os brasileiros de bem.


Laert Pinto Barbosa laert_barbosa@globo.com

São Paulo


*

A JARARACA

Não sabem para onde mandar o famigerado presidiário de Curitiba? Mandem-no para o Butantã.


Nivaldo Ribeiro Santos nivasan1928@gmail.com

São Paulo

*

‘À VONTADE’

“O PT pode ficar à vontade”, afirma Lula (24/4, A6). Lula quis dizer que qualquer um do PT pode ser candidato à Presidência da República, desde que seja Lula.


Fausto Ferraz faustoferraz15@gmail.com

São Paulo


*

DINHEIRO DEBAIXO DO COLCHÃO


Será que a inflação está tão baixa, que os políticos resolveram guardar dinheiro debaixo do colchão, ao invés de manter no banco, rendendo juros? A Polícia Federal encontrou cerca de R$ 200 mil na casa do senador Ciro Nogueira (PP). Com certeza esse dinheiro não é lícito. É proveniente de corrupção. Estou torcendo para que a Polícia Federal visite outros domicílios dos nossos “ilustres” políticos, independentemente de siglas partidárias. Já que o “Leão” é incompetente para atingir esse dinheiro guardado debaixo dos colchões, que a Polícia Federal o recolha. Será que o Brasil tem solução? Ou será que sempre seremos governados por políticos corruptos?


Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana


*

SOCIALISTAS PREPOTENTES


Leonardo Boff e Adolfo Perez Esquivel, dois socialistas prepotentes. Tem muita coisa boa na luta deles, mas isso não lhes dá carta branca para que sejam considerados os mais confiáveis. Frei Leonardo Boff já brigou muito com a Igreja Católica. Já Adolfo Perez Esquivel por ter ganhado um prêmio Nobel e fazer parte de uma ONG acha que tudo pode. Quis até inspecionar as instalações da carceragem em que Lula está. Por que só agora as instalações estariam em desacordo com os direitos humanos? Nunca os vi visitando ou falando sobre os mais de 290 mil presos sem julgamento no sistema prisional, ocasionado simplesmente pela ausência do Estado (artigo 6.º da Constituição Federal). Já nos enganaram muito. Chega.


Leônidas Marques leo.marquesvr@gmail.com

Volta Redonda


*

VOTO EM ALCKMIN


Meu voto Geraldo Alckmin já era uma grande possibilidade nas eleições deste ano (a menos de uma improvável notícia bomba até lá). A notícia da composição com Henrique Meirelles para fortalecer uma opção de centro-direita, caso se concretize, me faria não ter mais dúvidas. Aliás, faria: ele perderá meu voto se insistir na covarde posição de eleição passada, sobre as privatizações (posar de camiseta com logos de estatais...). No meu modo de ver, ele deve, sim, reforçar em sua campanha que naquela eleição o Brasil fez a escolha errada, pois propiciou à “Orcrim” comandada pelo PT, realizar o maior saque já visto naquela que já foi uma das maiores petroleiras do mundo, quase a levando à falência.


José Roberto dos Santos Vieira jrdsvieira@gmail.com

São Paulo


*

COCAÍNA NO ‘HELICOCA’?


Só por ter sido apreendido carregando meia tonelada de cocaína em 2013, prenderam o helicóptero PP-MAU, agora com um pouco de cocaína a bordo! O piloto é o mesmo dos 500 quilos de 2013, no helicóptero do senador Zezé Perrella! Prendam os suspeitos de sempre... Mas só os pés de chinelo!


Paulo Arisi paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre


*

JOAQUIM BARBOSA


Em 2010 a imprensa já divulgava que o ministro Joaquim Barbosa iria completar 225 dias de licença. O desconforto dos outros ministros com a insuficiência de quórum para julgar ações emergencialmente relevantes, colidia com a foto Joaquim Barbosa, em matéria veiculado pela o “Estadão”, fotografado sem nenhum constrangimento na festa de amigos e a um bar em Brasília (a famosa foto da “caninha”). Talhado para a política. A “má política”, com a possibilidade de reunir à sua aparente “severidade”, a “sofrência” retórica” de Marina Silva. E não adianta buscar, não temos um Salvador. Independentemente do poder a que o candidato tenha sido vinculado.


Andrea Metne Arnaut andreaarnaut@uol.com.br

São Paulo


*

MAIS ATRASO?


Com o PT no poder, tivemos um atraso muito grande, eivado de más intenções. Agora, caso o Barbosa seja eleito (diante de suas últimas declarações na mídia), muito provavelmente teremos continuidade deste atraso. Talvez, com boas intenções (sic).


Ulysses Fernandes Nunes Junior Ulyssesfn@terra.com.br

São Paulo


*

‘A DITADURA NA ACADEMIA E O GOLPE DE 2018’


O corajoso professor Carlos Maurício Ardissone (22/4, A2) discorreu sobre as dificuldades de atuação de um professor liberal de Ciências Sociais em nossas universidades, notadamente as públicas, recantos do marxismo-gramscismo e seus propaladores. O radicalismo impera até nas Exatas. Eu tenho um amigo e ex-colega de engenharia da Unicamp, hoje professor da instituição. Ele teve que deixar de expor suas opiniões em redes sociais em razão da patrulha esquerdista da qual estava sendo vítima.


Marcelo Melgaço melgacocosta@gmail.com

Goiânia


*


MACARTISMO AO CONTRÁRIO


Impressionante a repercussão do artigo de Carlos Mauricio Ardissone. Por dois dias seguidos o artigo “A Ditadura da Academia e o golpe de 2018” vem sendo comentado no “Fórum dos Leitores”. Será que esse Macartismo ao contrário acontece só nas universidades? Gostaria de ouvir a opinião dos professores do Ensino Fundamental. Não serão eles também vítimas dessa perseguição?


Sérgio Bruschini bruschini0207@gmail.com

São Paulo


*

‘A DITADURA DA ACADEMIA...’


É mais do que necessário reafirmar apoio ao professor Ardissone e a seu corajoso depoimento (22/4, A2) sobre a ditadura na academia. Portanto, rendo minhas homenagens ao professor e aos leitores que, em 24 e 25/4, se solidarizaram com as ideias por ele preconizadas. Em uma das cartas de 25/4, em feliz assertiva, o sr. Ricardo Ferreira, cita: “... começa a renascer a direita democrática...”. Renascer, ainda que tardiamente, pois a direita e as ideias liberais estão há mais de trinta anos, salvo pouquíssimas exceções, escondidas, envergonhadas e assistindo impassível a essa calamitosa lavagem de mentes jovens e idealistas com esse receituário ideológico anacrônico. Um verdadeiro absurdo. E quando esse “canto da sereia”, citando o professor, além das universidades, adentra as salas de aulas do segundo grau, as consequências são ainda mais perversas, sob quaisquer ângulos que se queira examinar a questão. Renovo meus parabéns ao professor Ar dissone e aos leitores que o têm apoiado, juntando aqui a minha irrestrita solidariedade.


José Antonio Simões Bordeira bordeira@compuland.com.br

Petrópolis (RJ)


*

‘QUANDO OS CRAVOS MURCHAM’


Excelente o artigo “Quando os cravos murcham” (25/4, C6) de Leandro Karnal. Muitíssimo bem escrito e com uma boa análise histórica de Portugal no período do Estado Novo. Não sei se sabem, mas Salazar foi considerado o Português mais famoso e importante de toda a História de seu país, e ela já tem quase 900 anos! Quanto “a guerra colonial”, que durou 13 anos, houve em todas as ex-colônias menos de 8 mil mortos, sendo que a maioria foi devido “a acidentes não correlacionados (sic)”.


João Manuel F. S. C. Maio clinicamaio@terra.com.br

São José dos Campos


*

PERDIDOS...


Concordo com o artigo (25/4, B2) de Monica de Bolle: mais perdidos do que os eleitores estão todos os pretendentes ao cargo máximo da República. Será que nenhum, nem ao menos um dos candidatos, está nesse momento tentando se encontrar, estudando, discutindo com pessoas sérias e responsáveis, para traçar um programa de ação viável para enfrentar a dramática situação do País? Sim, porque o que está ruim pode ainda piorar, e muito. O eleito não terá a oportunidade do erro. Será que não vai cair a ficha de pelo menos um candidato, que se prepare a fundo e nos dê esperança?


Eduardo Britto britto@znnalinha.com.br

São Paulo


*

CIRCO CULTURAL!


Mais uma vez se aproxima essa imoralidade batizada de “Virada Cultural”. Em um único fim de semana a Prefeitura gasta uma verba que poderia ser mais bem distribuída durante o ano. Assim seria possível distribuir a atividade cultural de maneira inteligente e útil. No atual modelo, são contratados artistas de renome, apresentando-se em horários simultâneos, com cachês altíssimos, não declarados. Evidentemente, o espectador não pode estar em vários lugares ao mesmo tempo. Em compensação, a prefeitura corta verbas de creches, saúde, educação, transporte, etc. É um circo (de horrores). Seria melhor se a verba fosse distribuída em pão.


Decio Fischetti etcmkt@terra.com.br

São Paulo


*

PANES NO METRÔ DE SÃO PAULO


Controles de emergência foram acionados incorretamente? Eu chamaria essa ocorrência de sabotagem e ousaria responsabilizar sindicalistas petistas interessados na desgovernalidade.


Sergio Salgado de Oliveira ssoliveiramsm@gmail.com

Monte Santo de Minas (MG)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.