Fórum dos Leitores

Cartas selecionadas dos leitores

O Estado de S.Paulo

06 Maio 2018 | 03h00

FORO PRIVILEGIADO

O que mudou?

Quando do julgamento da extensão do foro privilegiado, a tese vencedora foi a de que o dos deputados federais e senadores passa a valer apenas para crimes cometidos durante o mandato e que com ele tenham relação. Em assim sendo, todo parlamentar que solicitar ou receber propina durante o seu mandato segue usufruindo o foro privilegiado e sendo julgado ad aeternum, até a prescrição do crime, pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Se bem entendi, nada mudou, a despeito dos pedidos de vista e dos votos plenos de falsas erudições jurídicas. 

CLAUDIO JUCHEM

cjuchem@gmail.com

São Paulo

Pra depois

Todos os ministros do STF ficaram falando, falando e no final decidiram - por unanimidade - nada de positivo. Não ficou especificado o que foi decidido definitivamente. Tudo restou ainda “para se decidir”. Um deles obtemperou: “isto e aquilo ainda pode voltar para cá”... Incrível!

ARTUR TOPGIAN

topgian.advogados@terra.com.br

São Paulo

Mais ou menos

O STF adotou a síntese perfeita do faz de conta: o decidir até certo ponto. Nunca há consenso, nunca é definitivo, nunca é completo, nunca é forte o suficiente para mudar de verdade. As decisões pairam no ar como bexigas sem amarração e as brechas interpretativas corroboram a insegurança jurídica. O Supremo Tribunal tornou-se a residência oficial da eterna expectativa.

RICARDO C. SIQUEIRA

ricardocsiqueira@globo.com

Niterói (RJ)

Faz de conta

Faz de conta que o Supremo acabou com o famigerado foro privilegiado dos bacanas do Senado e da Câmara e faz de conta que nós acreditamos. O próximo faz de conta será a “compensação” a essa mesma turma no tocante à prisão após condenação em segunda instância, isso, sim, temido por todos os corruptos de colarinho branco. Vão discutir até fazer de conta que a Justiça deve cumprir a Constituição, que faz de conta que todos são iguais perante a lei, e restituir aos supercorruptos o direito de ter seus processos percorrendo todas as instâncias, sendo julgados e eventualmente condenados só após o “trânsito em julgado”, lá longe, quando tudo estiver prescrito. E faz de conta que esta plutocracia de clepto-oligarcas é uma democracia.

PAULO SÉRGIO ARISI

paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre

Poder das urnas

O melhor jeito de acabar com o foro dos privilegiados é o voto!

FRANCISCO JOSÉ SIDOTI

fransidoti@gmail.com

São Paulo

Ora, a Constituição!

Se a nossa Constituição consigna que “todos são iguais perante a lei”, nada mais absurdo do que seletos cidadãos serem beneficiados com o foro privilegiado ao serem julgados por seus audaciosos crimes. É graças a esse privilégio que assistimos todos os dias aos maiores escândalos de corrupção e desvio de dinheiro público, sem que os seus autores sofram nenhuma punição. Cidadãos que deveriam dar exemplo de conduta e moral são os grandes responsáveis pelos maiores escândalos. A meu ver, todo cidadão brasileiro, independentemente da condição que for, deve ser julgado por seus atos pela Justiça comum, neste nosso tortuoso Brasil.

DEBORAH FARAH

deborah.farah@gmail.com

Rio de Janeiro

Vontade da sociedade

O ideal seria a eliminação do foro privilegiado em qualquer nível dos três Poderes. Do jeito que fizeram, mantendo-o para os crimes cometidos no cargo e em função do cargo, criaram um problema. Em função do cargo é muito subjetivo. O que um pode achar que foi outro pode achar que não. É aí, quem desempata? Por que não acabar de vez com isso? A Câmara dos Deputados vai pôr em votação, assim que a intervenção federal no Estado do Rio de Janeiro terminar, o fim do foro privilegiado, exceto para os presidentes da República, do Senado, da Câmara dos Deputados e do Supremo Tribunal. Por que manter para estes? São mais cidadãos do que os outros?

PANAYOTIS POULIS

ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

Pensando bem...

Não deixou de ser um bom começo a aprovação da restrição do foro privilegiado para deputados federais e senadores, válido somente para enquanto durar o mandato. Já é uma abertura para que se restrinja o foro de outras categorias de funcionários públicos e também de deputados estaduais, governadores e prefeitos. Afinal, é essa gente que mais se aproveita do cargo em benefício próprio, de seus familiares, amigos e apaniguados. Temos de terminar com essa maldita herança que veio dos nossos antepassados. Sejamos um país sério a partir de agora. E que seja válido para todos.

CARLOS E. BARROS RODRIGUES

ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo

FORO PRIVILEGIADO

O que mudou?

Quando do julgamento da extensão do foro privilegiado, a tese vencedora foi a de que o dos deputados federais e senadores passa a valer apenas para crimes cometidos durante o mandato e que com ele tenham relação. Em assim sendo, todo parlamentar que solicitar ou receber propina durante o seu mandato segue usufruindo o foro privilegiado e sendo julgado ad aeternum, até a prescrição do crime, pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Se bem entendi, nada mudou, a despeito dos pedidos de vista e dos votos plenos de falsas erudições jurídicas. 

CLAUDIO JUCHEM

cjuchem@gmail.com

São Paulo

Pra depois

Todos os ministros do STF ficaram falando, falando e no final decidiram - por unanimidade - nada de positivo. Não ficou especificado o que foi decidido definitivamente. Tudo restou ainda “para se decidir”. Um deles obtemperou: “isto e aquilo ainda pode voltar para cá”... Incrível!

ARTUR TOPGIAN

topgian.advogados@terra.com.br

São Paulo

Mais ou menos

O STF adotou a síntese perfeita do faz de conta: o decidir até certo ponto. Nunca há consenso, nunca é definitivo, nunca é completo, nunca é forte o suficiente para mudar de verdade. As decisões pairam no ar como bexigas sem amarração e as brechas interpretativas corroboram a insegurança jurídica. O Supremo Tribunal tornou-se a residência oficial da eterna expectativa.

RICARDO C. SIQUEIRA

ricardocsiqueira@globo.com

Niterói (RJ)

Faz de conta

Faz de conta que o Supremo acabou com o famigerado foro privilegiado dos bacanas do Senado e da Câmara e faz de conta que nós acreditamos. O próximo faz de conta será a “compensação” a essa mesma turma no tocante à prisão após condenação em segunda instância, isso, sim, temido por todos os corruptos de colarinho branco. Vão discutir até fazer de conta que a Justiça deve cumprir a Constituição, que faz de conta que todos são iguais perante a lei, e restituir aos supercorruptos o direito de ter seus processos percorrendo todas as instâncias, sendo julgados e eventualmente condenados só após o “trânsito em julgado”, lá longe, quando tudo estiver prescrito. E faz de conta que esta plutocracia de clepto-oligarcas é uma democracia.

PAULO SÉRGIO ARISI

paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre

Poder das urnas

O melhor jeito de acabar com o foro dos privilegiados é o voto!

FRANCISCO JOSÉ SIDOTI

fransidoti@gmail.com

São Paulo

Ora, a Constituição!

Se a nossa Constituição consigna que “todos são iguais perante a lei”, nada mais absurdo do que seletos cidadãos serem beneficiados com o foro privilegiado ao serem julgados por seus audaciosos crimes. É graças a esse privilégio que assistimos todos os dias aos maiores escândalos de corrupção e desvio de dinheiro público, sem que os seus autores sofram nenhuma punição. Cidadãos que deveriam dar exemplo de conduta e moral são os grandes responsáveis pelos maiores escândalos. A meu ver, todo cidadão brasileiro, independentemente da condição que for, deve ser julgado por seus atos pela Justiça comum, neste nosso tortuoso Brasil.

DEBORAH FARAH

deborah.farah@gmail.com

Rio de Janeiro

Vontade da sociedade

O ideal seria a eliminação do foro privilegiado em qualquer nível dos três Poderes. Do jeito que fizeram, mantendo-o para os crimes cometidos no cargo e em função do cargo, criaram um problema. Em função do cargo é muito subjetivo. O que um pode achar que foi outro pode achar que não. É aí, quem desempata? Por que não acabar de vez com isso? A Câmara dos Deputados vai pôr em votação, assim que a intervenção federal no Estado do Rio de Janeiro terminar, o fim do foro privilegiado, exceto para os presidentes da República, do Senado, da Câmara dos Deputados e do Supremo Tribunal. Por que manter para estes? São mais cidadãos do que os outros?

PANAYOTIS POULIS

ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

Pensando bem...

Não deixou de ser um bom começo a aprovação da restrição do foro privilegiado para deputados federais e senadores, válido somente para enquanto durar o mandato. Já é uma abertura para que se restrinja o foro de outras categorias de funcionários públicos e também de deputados estaduais, governadores e prefeitos. Afinal, é essa gente que mais se aproveita do cargo em benefício próprio, de seus familiares, amigos e apaniguados. Temos de terminar com essa maldita herança que veio dos nossos antepassados. Sejamos um país sério a partir de agora. E que seja válido para todos.

CARLOS E. BARROS RODRIGUES

ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo

*

VERDADE, VERDADEIRA

Enfim uma boa notícia e, por coincidência vem da terra do juiz Sérgio Moro. O Instituto Paraná Pesquisa revelou que o político que mais envergonha o País é Lula. É impossível acreditar nas pesquisas que colocam o presidiário e criminoso Lula da Silva como o preferido nas intenções de voto à Presidência da República. O eleitor brasileiro não é tão ignorante quanto as pesquisas querem fazer crer.

José Alcides Muller josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré

*

LULA CONSEGUE QUEBRAR AS REGRAS DO CÁRCERE

Lula hoje, além de ser um presidiário, ainda deve ter algum trunfo que faz com que o sistema se curve à sua vontade. Agora estão liberadas, além de familiares, as visitas de amigos e políticos às quintas-feiras para o ilustre encarcerado. Certamente farão fila na porta da Polícia Federal (PF), distribuirão senhas para facilitar o trânsito de fiéis... Seja lá o que façam tudo não passa de uma quebra das regras carcerárias. Eu sugiro que haja revista dos visitantes. Vai que entram com algum celular, passaporte ou até mesmo uma garrafinha de água que passarinho não bebe!

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

ATO FALHO

Mais uma aberração do PT, carimbar as cédulas de reais com a frase: “Lula livre”. Será que o povo brasileiro, dentro da sua “ignorância”, sabe que tais atos as tornam inválidas?

Laert Pinto Barbosa laert_barbosa@globo.com

São Paulo

*

É SEMPRE A TIGRADA

Sempre a tigrada petista é protagonista de ilícitos e trambiques. A bola da vez agora é carimbar as notas de real, com os dizeres “Lula livre”. Para os desavisados o valor das notas não perde o valor, mas, rasurar as notas além de ser crime, pode ser recusado no comércio. É isso é que o povo de não quer para o Brasil!

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

ELE

Se ele já está preso, com chance de ter a sua pena aumentada e impossibilitado de se candidatar por causa da lei complementar n.º 135 de 2010, conhecida como Lei da Ficha Limpa, por que incluir o seu nome nas pesquisas eleitorais?

Sergio Salgado de Oliveira ssoliveiramsm@gmail.com

Monte Santo de Minas (MG)

*

PROVAS DAS PALESTRAS

Que absurdo exigirem de Lula as provas das palestras. Nunca houve prova alguma! Quem comparecia às palestras de Lula vinha só para escutar e não era obrigado a responder a uma prova escrita a respeito das mesmas.

Jorge Alberto Nurkin jorge.nurkin@gmail.com

São Paulo

*

QUE SAUDADE DOS VELHOS CORRUPTOS

Que saudade dos velhos corruptos! Paulo Maluf é batedor de carteira perto do Lula.

Eugênio José Alati eugenioalati13@gmail.com

Campinas

*

VALE TUDO PARA SE SAFAR

Cada louco com sua mania, Donald Trump quando questionado utiliza para se safar o termo “vamos ver”. O cara (Lula), por sua vez pelo mesmo motivo, utiliza o termo “eu não sabia”. Né não?

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

TEMER X LULA

Muitos defendem o ex-presidente Lula alegando que ele pode ter errado, mas fez muito pelos mais pobres, outros tantos defendem o presidente Temer alegando que ele pode ter errado, mas colocou o País nos eixos. Lula e Temer estão na categoria do político que “rouba, mas faz”. O Brasil tem que abandonar qualquer hipótese de tolerar um presidente da República que recebe malas de propina ou um apartamento na praia. O País tem que se livrar desse lixo todo que Temer e Lula representam, chega de se conformar com o velho rouba, mas faz, o Brasil é melhor que isso, chegou a hora de parar de defender essa forma de governar e sonhar com um governo honesto e competente.

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

SILÊNCIO AUDÍVEL

Essa expressão foi empregada pelo escritor e historiador holandês Van Loon em seu livro “A História da Humanidade” (leitura altamente recomendável) quando procurou registrar a sensação que a maioria das pessoas já vivenciou estando num local tão silencioso que o tímpano chega a doer como se exposto a um som de alta intensidade. Agora esse tipo de silêncio pode ser “ouvido” claramente quando percebemos o silêncio quase total e suspeitíssimo dos defensores de um ex-presidente encarcerado. Fica claro que suas atividades de bastidores concentram-se em conseguir que algum ministro “amigo”, monocraticamente, ou uma turma do STF “amiga”, como já demonstrou ser a Segunda Turma, decidam liminarmente soltar o prisioneiro famoso. Não diria ilustre porque esse adjetivo não se aplica a tão reles pessoa. A “Coluna do Estadão” (4/5, A4) informou numa nota que um tal de “plenário virtual” vai decidir se o condenado deve ou não continuar preso em regime fechado. Esse plenário é uma nova forma criada para que os ministros que tomam, muitas vezes, decisões absurdas, se escondam em seus gabinetes ou em suas residências e evitem ter que fazê-lo no plenário real com sessão transmitida ao vivo pela TV. É assustador! O que se espera é que, no mínimo, a decisão de soltar o criminoso de Garanhuns seja tomada da mesma forma que foi a de permitir sua prisão, ou seja, em sessão plenária, com voto dos onze ministros. A ver.

Claudio Rizzo jcmrizzo@uol.com.br

São Paulo

*

FORO

Fora, foro! Bravo, STF! Muda, Brasil!

J.S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

*

VICE DO PT ABISMO DE CIRO

O lado petista de Ciro Gomes (PDT-CE) parece falar mais alto! Caso contrário o investigado na Lava Jato, e membro da cúpula petista, Jaques Wagner (PT-BA), não estaria sugerindo um nome do PT para ser vice de Ciro Gomes. Já imaginaram Ciro Gomes, no horário político eleitoral, pedindo votos e nas imagens abraçado com petistas Gleisi Hoffmann, e os detentos Antônio Palocci, e o Lula?! Como é que o destemperado ou pavio curto ex-governador do Ceará, do alto da sua soberba vai falar de ética nas nossas instituições recebendo apoio umbilical do PT?! Infelizmente esse é o perfil do político brasileiro, que em troca de votos vende até a alma.

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

Ó PDT

O presidente do PDT, o ético Carlos Luppi é assessor (acéfala), de um deputado estadual do Rio de Janeiro, cidade sem rumo. Mas pasmem, ganha sem comparecer ao oficio e viaja pelo Brasil fazendo campanha para o honesto e contido Ciro Gomes, ou seja, se o presidente do partido dá esse belo exemplo de profissionalismo podemos esperar o que do intempestivo Ciro Gomes? Nada! E, claro, sem nos esqueceremos que Luppi foi ministro do competente governo Dilma e por corrupção teve que puxar o carro. E ainda fazem propaganda na TV mentindo. É mole ou quer mais?

Antonio Jose Gomes Marques a.jose@uol.com.br

Rio de Janeiro

*

DEMOCRACIA

Qual democracia existe neste Brasil? Todos os poderes estão tomados pela corrupção. Nosso miserável povo paga pela mordomia de todos os poderes. Qual país do mundo em que os políticos, presidentes, deputados, senadores, vereadores, etc., têm tanta mordomia como neste mísero Estado brasileiro. Quem sustenta esta maquina corrupta, que se guia pelos interesses pessoais ou corporativos? Será que não chegou a hora deste país dar uma guinada na sua postura? Chega de corrupção, mordomias, interesses pessoais e partidários. Acorda, povo brasileiro. Deixem esta passividade imbecil. Vamos nos unir e colocar estes políticos profissionais para a rua, sem aposentarias especiais, plano de saúde especiais, etc. Vamos investir em educação, estudo, saúde e principalmente tomar consciência que este país é nosso e não desta pequena parcela que usurpa nosso povo.

Jose Roberto Colombo colombopai@hotmail.com

Botucatu

*

A VERDADE VEIO À TONA

Não é novidade o que foi mostrado ao Brasil durante e depois do incêndio do edifício em São Paulo. Já vimos outras vezes que, “líderes” de alguns movimentos sociais, aproveitam da miséria dos outros, para viverem em berço esplendido. A tragédia trouxe à tona a verdade. As pessoas pagavam para morar naquele cortiço. Vimos a declaração de um cidadão que disse que era pago para procurar prédios que pudessem ser invadidos. Excelente negócio para os “líderes”. Até quando vamos conviver com coisas desse tipo? Até quando os nossos governantes vão deixar que bandidos travestidos de bom moço, fiquem por aí fazendo refém os menos favorecidos? É preciso dar um basta nesses pseudodefensores dos miseráveis. São uns espertalhões. Cadeia neles.

Jeovah Batista jeovahbf@yahoo.com.br

Taquari (DF)

*

LARGO DO PAISSANDU

A tragédia ocorrida com o incêndio e consequente desabamento do edifício no Largo do Paissandu me parece mal contada. Um edifício com 24 andares, sem elevadores, sem extintores, sem mangueiras de água, sem alarme contra incêndio, etc., em que moravam 300 pessoas, pega fogo a 1 hora da manhã e só morrem quatro moradores e nada de feridos. Com certeza foi um milagre ou será que não foi?

Frederico Fontoura Leinz fredy1943@gmail.com

São Paulo

*

ESCOMBROS

A foto publicada no “Estadão” (4/5, A16) mostra bem o resultado da incúria de nossos governantes. Sob aqueles horríveis escombros, no Largo do Paissandu, encontram-se os restos mortais de adultos e crianças cujas vidas foram ceifadas numa tragédia estúpida e mais que anunciada. Aquelas pessoas não deveriam estar morando ali, em nenhuma hipótese. O centro de nossa amada cidade de São Paulo, onde nasci e vivi até a velhice e da qual desisti há alguns anos, pela insegurança e pelo trânsito caótico, seria um lugar para abrigar tão somente centros de cultura, monumentos, igrejas centenárias, museus e prédios comerciais com excelente manutenção, não moradores em condições altamente precárias. Quem responderá pelas vidas perdidas e pelo patrimônio arruinado?! Pobre gente, pobre São Paulo! Agora o sr. Doria/Covas, o sr. Alckmin, o sr. Temer e outros, que fecharam os olhos por tantos anos, querem nosso voto? Quando na infância e na mocidade, eu desejava algo praticamente impossível, meu avô italiano me dizia: “campa cavallo que l'erba cresce...” que, traduzindo de forma bem simplificada, seria: vai esperando...

Edméa Ramos da Silva paulameia@terra.com.br

Santos

*

DESEQUILÍBRIO SOCIAL

É realmente incompreensível não vermos uma ação concreta de áreas do governo Municipal, estadual ou federal, com o intuito de fazer algo que diminua o fluxo de pessoas chegando a São Paulo em busca de melhorias que em seus Estados de origem não têm a menor chance de obterem. A pergunta que ninguém responde é: será que São Paulo tem realmente que prover as faltas ou necessidades de tanta gente? Segundo o próprio “Estadão”, mais de 70.000 pessoas chegam por ano a São Paulo. Como dar a essa gente casa, escola, creche, pronto socorro, emprego, etc. A tendência é só piorar se algo não for feito seriamente como ocorre em países de primeiro mundo. Isso provoca um terrível desequilíbrio social, Fica ruim para todos.

Vitor de Jesus vitordejesus@uol.com.br

São Paulo

*

O LINCHAMENTO DA REPÚBLICA

É significativa a reação de paz que populares tiveram com Bruno Covas. Não é verdade que a reação que se vê contra o presidente Michel Temer (um linchamento) foi uma ação só de militantes. Foi uma revolta misturada. Talvez o maior erro da assessoria de Temer foi o de ter levado o presidente ao local de dor e indignação coletiva sem antes oferecer nada às vítimas e ao prefeito Bruno Covas. Foi significativo politicamente o tratamento respeitoso dado a Bruno pela maioria dos populares presentes. Nessas horas pesa bastante ser neto do saudoso Mario Covas, decente homem público. No lugar de Temer, eu teria providenciado às pressas um imóvel provisório - mesmo se fosse para pedir a Paulo Skaf, amigo dele - para um encaminhamento mais eficiente - até porque o prédio é próprio da União. Se Temer tivesse feito isso, os sem-teto virariam seus amigos. Há um ensinamento antigo que diz que “é dando que se recebe”. Quem me enviou este vídeo foi o amigo Milton Scariot, de Santa Catarina.

Devanir Amâncio devaniramancio@hotmail.com

São Paulo

*

SOBREVIVENTES

“É improvável achar sobreviventes, diz tenente dos bombeiros”.  A matéria sobre a tragédia do Edifício Wilton Paes de Almeida escancara algumas partes terríveis do Estado brasileiro. Teoricamente como propriedade da União, o imóvel seria administrado pela Secretaria do Patrimônio da União (SPU), órgão subordinado ao Ministério do Planejamento e Gestão, ao qual incumbe a gestão dos imóveis da União, pela cobrança de uso de áreas de marinha, bem como outros assemelhados pelo País afora. No caso do SPU-SP que deveria, entre outros gerir o edifício sinistrado, usou se por razões políticas obvias não só nesse imóvel mais muitos outros, principalmente nos tempos do PT, para abrigar urbanos miseráveis geridos pelo MTST de Boulos, movimento que cobrava clandestinamente aluguéis e com isso financia suas atividades. Seria interessante a PF investigar mais essa maracutaia com bens públicos a serviço do PT não só em SP como em outras partes do País e muita coisa vai emergir, pois o buraco é mais fundo que parece. Para onde se olha a corrupção do PT observa-se um fenômeno avassalador ainda não totalmente desvendado.

Ulf Hermann Mondl hermannxx@yahoo.com.br

São José (SC)

*

DORMIU

Cadê o rei das invasões tomou chá de sumiço?

Moisés Goldstein mg2448@icloud.com

São Paulo

*

PEIXE FORA D’ÁGUA

Pode haver iniciativa mais infeliz do que a visita do presidente Michel Temer aos escombros do edifício que pegou fogo e ruiu em São Paulo? O prédio era propriedade do governo federal, ele nunca demonstrou apreço por aquelas pessoas, e, de quebra, jamais esteve presente em qualquer outra tragédia paulistana.

Ricardo Siqueira ricardocsiqueira@globo.com

Niterói (RJ)

*

CAOS E IRRACIONALIDADE

Estava, na manhã da última quinta-feira, tentando acessar a Barra da Tijuca pela Linha Amarela, quando ouvi no rádio notícias de uma operação da polícia, com interdição da via, devido a tiroteios na Cidade de Deus. Em uma das estações de rádio que acessei uma mulher, na companhia dos filhos, dava entrevista e filmava pelo telefone, já fora do carro e protegida do tiroteio, abaixada atrás da muralha que divide as pistas. Em dado momento ela relata que a pilha do aparelho estava acabando e iria desligar. Vivemos no Rio de Janeiro uma situação que já deixou a muito tempo a zona do aceitável, mas é preciso calma, prudência e prevenção das pessoas que passam por essas extremas situações. Gastar a bateria do telefone, perdendo o foco da atenção na proteção, sua e dos filhos, em prol de uma entrevista, é muito irracional.

Abel Rodrigues abel@knn.com.br

Rio de Janeiro

*

A TRUCULÊNCIA VENCE, ATÉ AGORA

Trump é apenas o “porta-voz” desengonçado da nova ordem americana da doutrina Monroe. Foi assim que os EUA chegaram onde estão, e estava derrapando para ser mais um império falido como Romano, o feudal, o napoleônico, o soviético e o nazista. São as grandes varadas dos banqueiros, que ganham juros de todos, pouco importa se dinheiro legal ou não. A América para os americanos é a versão nacionalista do egoísmo da vida, se você não cuida dela, os outros muito menos.

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

DOM HELDER

Um homem que muito amou. Dedicou sua vida a amar a todos. Preferencialmente aos pobres e excluídos. Agora é candidato aos altares! Eis Dom Helder Câmara: a simplicidade e autenticidade em pessoa. Humano, na essência da palavra, foi perseguido e incompreendido. Seguiu os passos de Nosso Senhor Jesus Cristo. No Rio de Janeiro e em Recife criou os bancos da providência que ainda hoje são atuantes gerando vida nas Feiras da Providência. Amou e foi amado pelos pobres e por todos que admiram sua obra e suas palavras de amor. A vida deste profeta é exposta em livros, CDs e exposições. Todos ficam felizes em conhecer o dom de Deus em Dom Helder. Fico feliz em conhecer uma História tão bela sobre um homem que refletiu o amor de Jesus para o mundo. Obrigado, Dom Helder!

Paulo Roberto Girão Lessa paulinhogirao@gmail.com

Fortaleza

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.