Fórum dos Leitores

Cartas selecionadas para a edição impressa e portal estadao.com.br

O Estado de S.Paulo

09 Maio 2018 | 03h00

MAIS IMPOSTOS

‘Jurassic Park’

Ao ler no Estado os planos da equipe econômica que assessora o pré-candidato Ciro Gomes (Economia, 6/5), imediatamente me veio à lembrança o filme Jurassic Park, pois os três personagens citados poderiam perfeitamente justificar o título do filme. Um deles – parece-me que o principal, graças a Deus não gravei o nome – cita como colaboradores os srs. Bresser-Pereira, o do Plano Bresser, cuja conta estamos pagando agora (ou acham que os bancos não vão repassar aos clientes o prejuízo?). Outro é o sr. Mangabeira Unger, brasileiro que fala com sotaque de estrangeiro. Fala o principal em recriar a famigerada CPMF, para saldar a dívida pública. Não se fala em reduzir o tamanho do Estado, mal gerido, a verdadeira causa desse déficit público, mas sim, para variar, em aumentar impostos. A minha esperança é que mais uma vez o sr. Ciro Gomes não consiga se eleger e o futuro presidente aja com espírito republicano, pensando principalmente no povo brasileiro, reduzindo despesas desnecessárias, e não aumentando impostos, que nós, os escorchados, não aguentamos mais!

CARLOS TULLIO SCHIBUOLA

schibu@terra.com.br

São Paulo

Um mal que já foi tarde

Também o articulista Claudio Adilson Gonçalez, e pela segunda vez (como ele mesmo diz), propugna a volta desse imposto, no artigo CPMF, um mal necessário (7/5, B2). Será que o economista desconhece os malefícios desse “cancro” para a economia de um país? Principalmente no Brasil, onde o fruto desse famigerado tributo serviria apenas para engordar vorazes piranhas (leia-se o pessoal do Executivo, do Legislativo e, mais recentemente, do Judiciário). Não esqueçamos que o sr. Lula da Silva chora na cadeia, entre muitos motivos, por ter o Congresso atendido ao clamor do povo e dado um fim a essa infâmia. Esse imposto não tem seus efeitos em cascata, mas em tsunami! E os que mais sofrem os efeitos nocivos do tributo maldito são justamente os cidadãos das mais baixas faixas salariais. Estou indignado com tal proposta.

CELSO VICENTE FIORINI

cvfiorini@gmail.com

São Paulo

É, novamente o economista Claudio Adilson Gonçalez propõe a ressurreição da famigerada CPMF, cuja criação, no passado, objetivava a obtenção de recursos para a saúde, mas foi totalmente desvirtuada, conforme os anais da História hão de contar. E o nobre articulista ainda propõe a alíquota de 0,35% no ano 2020, com redução gradativa até 2027, quando seria extinta. Ora, é acreditar em histórias da carochinha achar que impostos criados possam ser reduzidos e eliminados com o tempo. Eles vêm pra ficar! Precisamos, isso sim, é de redução de impostos, pois pagamos muito e recebemos muito pouco em serviços públicos prestados.

SEBASTIÃO A. TARTUCI AUN

sebastiao.aun@uol.com.br

São Paulo 

Insustentável

Estamos presenciando a solicitação de aumento de impostos num país que tem as maiores taxas tributárias do mundo, com o pior serviço do mundo prestado pelo setor público. A iniciativa privada, graças a Deus, está indo muito bem, lastreada basicamente na agricultura e na pecuária. Já as contas públicas são um desastre e não é a primeira vez que presenciamos isso no Brasil. Aumento de impostos é a coisa mais fácil de fazer e por isso é constantemente defendido por agentes públicos, que passaram a vida a expensas do Estado. A coisa pública no Brasil tornou-se insustentável. Estamos vendo o número enorme de agentes públicos envolvidos em malversação de recursos do erário; o excesso de despesas completamente desnecessárias; a reivindicação de salários enormes num país em situação financeira deplorável; e salários sendo inflados com benesses, sem nenhuma ética. Nem precisamos comentar o excesso de funcionários públicos – enquanto os EUA, com uma população 50% maior que a nossa, tem 9 milhões de servidores, nós sustentamos 13 milhões! – ou a barbaridade cometida na Petrobrás, com prejuízo enorme para os acionistas e para todos os brasileiros, pois disso todos sabem. Alguma coisa tem de ser feita imediatamente: ou domesticamos a coisa pública, ou seremos engolidos pelo setor público.

MARCO ANTONIO MARTIGNONI

mmartignoni@ig.com.br

São Paulo

VIOLÊNCIA NO CAMPO

Apoio a invasores

Oportuno, atual e verdadeiro o editorial Terra sem lei (8/5, A3). Vale lembrar que, enquanto a ótima matéria de capa do Estadão do último domingo era redigida (Agronegócio cobra candidatos por maior segurança no campo), o governo do Estado de São Paulo cedia o Parque da Água Branca, idealizado pela Sociedade Rural Brasileira (SRB), para o MST realizar a 3.ª Feira Nacional da Reforma Agrária. A cessão do parque, todavia, não foi uma inovação do governo atual, e sim a continuidade do que o governo anterior já vinha fazendo. Pimenta nos olhos dos outros é refresco...

FREDERICO D’AVILA, diretor da SRB

fredericodavila@srb.org.br

São Paulo

JOGO DE EMPURRA

Burocracia e tragédia

Do alto do janelão do 22.º andar da Secretaria da Habitação da Prefeitura, no edifício Martinelli, outrora o ponto mais alto de São Paulo, enxergava-se na linha do horizonte parte da Serra da Cantareira, visão interrompida por um espectro cujo esqueleto esburacado e sem janelas realçava, equilibrando-se atrás da Praça do Correio. A burocracia de milhares de processos de obras irregulares, ocupações em risco de desmoronamento, embargos de altíssima gravidade não deixava a Municipalidade e seu aguerrido poder de polícia verem a realidade, ali, prestes a ruir. Do edifício Wilton Paes de Almeida, depois de 1.° de maio, só restou o amontoado de entulho, ferros retorcidos e fumaça, fragmentos da tragédia, seguindo a burocracia infinita da urbe, num empurra-empurra de responsabilidades entre o Patrimônio da União e o alcaide. 

ARNALDO C. MONTENEGRO

ac.montenegro@uol.com.br

São Paulo

CORRUPÇÃO

Faltou o frigobar

Que sorte ter amigos influentes! A Polícia Federal do Paraná estima o custo de manter Lula preso em R$ 10 mil por dia. Além de cela cinco-estrelas, o “cara” conta com TV, esteira ergométrica e aparelho de música. Em 2017 o custo médio mensal por preso “mortal” foi de R$ 1.450 (SP) a R$ 4.112 (AM). A maioria dos presos vive em condições inumanas, nos presídios de Anápolis e Formosa (GO) passam fome e estão sem acesso a itens de higiene pessoal e direitos básicos. Sobre o pedido de frigobar para Lula, negado, restam recursos ao STF e à ONU...

OMAR EL SEOUD

elseoud.usp@gmail.com

São Paulo

DESISTÊNCIA ANUNCIADA

A desistência do ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, da candidatura para presidente da República não surpreende. Seria estranho se aceitasse. Barbosa não tem nem nunca teve o perfil de quem está apto para praticar o tipo de política necessária para lidar com um Congresso cuja renovação qualitativa nas próximas eleições é altamente duvidosa. Não é para ele assim como nunca foi para Luciano Huck. 

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo

*

JOAQUIM BARBOSA

Joaquim Barbosa jamais teria o meu voto para a Presidência da República. Mas reconheço que a sua presença abrilhantaria - e muito - um Senado Federal.

Milton Córdova Júnior milton.cordova@gmail.com 

Vicente Pires (DF) 

*

CATEGORIA

Para governar um país em que o Senado e a Câmara são dominados por interesses pessoais qualquer um precisa ser da mesma "categoria" dos senadores e deputados que lá estão. Perde assim o Brasil a chance de ter um excelente cidadão concorrendo à Presidência. Parabéns ao ministro Joaquim Barbosa que não se deixou levar pela vaidade. Até que tenhamos uma profunda reforma política, ficaremos nas mãos dos interesseiros que fazem do legislativo um balcão de negócios.

João Neiva jneiva@uol.com.br

São Paulo 

*

ELEIÇÕES

O caos é mental. Por isso não se percebem conceitos e boas práticas comprovadas e, por isso, recomendáveis. Candidatos não têm propostas para o País e a sociedade está carregada de problemas conhecidos. Nem há partidos com programas. FHC se restringe a verdades abstratas, que chegam a ser repetições de lugares comuns: "O País precisa de renovação, mas com conhecimento, visão, honestidade e esperança". Mero assopro na poeira do caos browniano. Ele não tem propostas claras? Se as tem, por que não as pronuncia? Qual seria a sabedoria do falatório pousado no muro? O único facho de luz a por o caos em evidência é a Lava Jato, que expôs ao público a vastidão da corrupção. É combatida por seu sucesso por integrantes nos Três Poderes, inclusive no STF que deveria respaldá-la. Este STF passa a legislar sem ser contido pelo Congresso. Produz cascatas de palavras incompreensíveis para ocultar os verdadeiros objetivos, quando apenas deveria proteger a Constituição. Por último uma farsa de redução do "foro privilegiado" que não deveria existir, isto é, deveria ser simplesmente extinto. A sociedade parece estar drogada pelo costume da falta de critérios então explorada pelos espertos. Ficou exposta a natureza do PT, mas há carência de vozes para denunciar a natureza antidemocrática tradicional da esquerda, no mínimo desde Luis Carlos Prestes. A luta contra a ditadura é santificada com total inversão de causa e efeito, valendo-se de fáceis emocionalizações. Os ditos partidos estão apenas em busca de recursos de fundos partidários, recursos não controlados. Partidos, aglomerados de candidatos sem expressão de metas e programas, só se empenham por continuação do acesso aos recursos dos contribuintes. Como enfrentar as eleições em outubro?

Harald Hellmuth hhellmuth@uol.com.br

São Paulo

*

ELEIÇÕES NO RIO

Eleger herdeiros de Cunha e reeleger herdeiros de Cabral e Picciani é atestado também de falência moral e reforço do ditado do filósofo francês Joseph-Marie Maistre de que "cada povo tem o governo que merece".

Marco Dulgheroff Novais marcodnovais@hotmail.com 

São Paulo 

*

SIMONE TEBET 

A senadora Simone Tebet foi eleita pelo agronegócio e pelo MDB. Foi deputada, prefeita e é herdeira política de seu pai, Ramez Tebet, já falecido, que foi um dos senhores do Mato Grosso do Sul. Eis um retrato do Brasil.

Fausto Ferraz faustoferraz15@gmail.com

São Paulo 

*

ERA BEM MELHOR SER VICE

O presidente Michel Temer e os ministros Eliseu Padilha e Moreira Franco, cujas alcunhas no submundo das tramoias são conhecidas como "Conde Drácula", "Primo" e "Angorá", sempre se consideraram pessoas acima de qualquer suspeita. Mas, ao assumir o comando do Palácio do Planalto, viram a "casa cair", e, agora, a turma responde pelas propinas recebidas quando da edição do Decreto dos Portos, que beneficiou a empresa Rodrimar que atua no porto de Santos. Essas figurinhas carimbadas lamentam a rápida ascensão e a rápida desmoralização governamental. Ah, se arrependimento matasse!

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

VIAGEM INTERGALÁCTICA

Voltando de uma viagem intergaláctica que durou quase dois anos, e indo com a nave Enterprise, onde até então nenhum outro homem havia estado, soube que em evento da Associação Brasileira de Supermercados (Apas), nosso preclaro Michel Temer declarou que fez em dois anos de seu governo (?), o que sequer se esperava fosse feito em 20 anos. Diante de tal declaração, tive duas dúvidas cruciais e existenciais. A primeira foi de desânimo total por ter perdido e não conhecer quais as tais medidas que mudaram radicalmente a face e os problemas do Brasil. A segunda, e talvez a que mais me incomodou, foi descobrir que a ilustre figura tenha feito tal viagem antes de mim. Socorro! Quero voltar ao espaço.

Renato Ortlepp renatotto@hotmail.com

São Paulo 

*

FUTURO INCERTO

Os sinais de ajuste fiscal e estabilização da economia que caracterizaram o início do governo Michel Temer parecem ter ficado para trás. O anúncio da antecipação de R$ 4,5 bilhões aos Estados e municípios, no domingo (6/5), pelo Twitter (!) do presidente, soa como um presságio das irresponsabilidades que notadamente configuram os meses que antecedem as eleições brasileiras. No que diz respeito a essas, o cenário é mais do que incerto. Os partidos e políticos tradicionais não decolam, e não poderia ser diferente; quando muitos, mesmo que não atingindo dois dígitos nas intenções de voto, desejam disputar de fato a faixa presidencial, como poderia haver composição de uma aliança única para o "centro"? Neste sentido, o talvez único indício a clarear um pouco o resultado de outubro é tenebroso: conforme pesquisa do Instituto de Democracia e Democratização da Comunicação, coordenada por Leonardo Avritzer, tem crescido a descrença do eleitor brasileiro em relação às instituições, ao passo que a possibilidade de caminhos que não os previstos na Constituição tem sido cada vez menos rejeitada. Aquilo que o ex-presidente e sociólogo Fernando Henrique Cardoso tem alertado como sendo um fenômeno mundial - a profunda crise do sistema representativo - depara-se agora com o cada vez mais incerto e fragmentado arranjo político tupiniquim. O País não é gerido e o futuro é incerto. Como se falar em investimentos e crescimento econômico?

Elias Menezes elias.natal@hotmail.com

Belo Horizonte

*

O EFEITO TEMER

Causa perplexidade a impopularidade do presidente Temer: ele livrou o País do pesadelo Dilma Rousseff, implantou medidas importantes, tirou o País da recessão, é distinto, fala muito bem, mas não consegue apoio algum da população. Temer mandou receber malas de propina, como todos os seus pares sempre fizeram, Lula, Aécio, Maluf, todos também receberam propina e são muito mais populares que Temer. A impopularidade de Temer talvez tenha a ver com seu casamento um pouco fora dos padrões da sociedade, com a traição cometida contra a madame presidente Dilma, mas principalmente com o fato do Brasil estar farto de ser governado por quem não foi diretamente eleito para tanto. Os néscios que me perdoem, mas ninguém votou em Temer para presidir a República. Se pesquisarem a popularidade do governador França e do prefeito Covas irão encontrar números parecidos com os de Temer.

Mário Barilá mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo 

*

PRIVILÉGIOS

Agora a Presidência da República tem direito a agente "salva-vidas" para cães da primeira dama? Não adianta, privilégio não é somente foro.

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

GUILHERME BOULOS

A entrevista do candidato Guilherme Boulos, na TV Cultura, me deixou com vergonha. Eu não acreditava que estava ouvindo tanta baboseira junto, se em um dos intervalos voltasse meu sobrinho de 7 anos, ninguém notaria a diferença... Cito exemplo, pergunta do jornalista: "Então, qual sua proposta para o País?". E a resposta: "Vamos acabar com os juros altos dos bancos, vamos cobrar mais impostos dos milionários", como se já não pagassem, pior, farão como os milionários franceses, saem do país e deixam de investir. Imposto de embarcações e jatinhos, ele usa exemplo, como Luciano Huck... Nossa! Será que os 40 ou 50 milionários de verdade, se pagarem seus impostos ajudam tanto? E pior, o Brasil passa a não interessar mais, ah, revogação das leis que trouxeram o Brasil para o século 21. Ficou "bravo" quando foi questionado sobre sua herança de Lula...

Roberto Moreira Da Silva rrobertoms@uol.com.br

São Paulo

*

SAMBA DE UMA NOTA SÓ

O "Roda Viva", tradicional programa de entrevistas da TV Cultura, que suscitava debates entre os entrevistadores e prendia a atenção dos telespectadores, de repente, com as mudanças inseridas no seu perfil, virou uma reunião de "chá das cinco", ao som de um samba de uma nota só. O âncora que substituiu Augusto Nunes se afina muito mais com a costumeira tendência de esquerda da emissora e os entrevistadores e entrevistado, no caso, Guilherme Boulos, eram ideologicamente monocromáticos. Sendo assim, o programa se tornou apenas um instrumento para se jogar confete num candidato que, com a chancela de Lula, disputará a Presidência do Brasil! Ressalto o fato de que as mudanças na direção do vento da emissora coincidiu com a chegada ao governo de São Paulo de Marcio França, filiado ao PSB, partido bem mais à esquerda do que o PSDB de Geraldo Alckmin. Interessante: neste programa, ninguém levantou a questão sobre o que Boulos foi fazer na Palestina, se foi a turismo ou negócios, e de onde chegou na manhã do dia do incêndio em São Paulo, tendo se dirigido diretamente para Curitiba para comungar com os manifestantes do "Lula Livre", sob a alegação calcada na indiferença: "não era o meu movimento que tomava conta daquele prédio". Bem sintomática essa afirmação, significa que, sendo eleito, ele governaria apenas para seus eleitores! Este é o candidato que após o programa saiu incensado por petistas e psolistas como o sucessor e herdeiro de Lula...

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

PROPOSTA DE PLEBISCITO 

A primeira medida de governo, caso seja eleito, do pré-candidato à Presidência da República pelo PSOL, Guilherme Boulos, é criar um plebiscito para saber o que a população pensa sobre as reformas do governo de Michel Temer. Tal proposta é inconstitucional, pois o presidente da República não pode convocar plebiscito. De acordo com o artigo 49, inciso XV, da Constituição Federal: "É da competência exclusiva do Congresso Nacional autorizar referendo e convocar plebiscito". Ademais, de acordo com o artigo 2.º da Lei 9.709/1998: §1º - "o plebiscito é convocado com anterioridade a ato legislativo ou administrativo; §2º - o referendo é convocado com posterioridade a ato legislativo ou administrativo". No caso de referendo, não poderia ser autorizada a consulta popular em relação às emendas constitucionais, sancionadas pelo Congresso Nacional, porque não estava previsto o referendo na Proposta de Emenda Constitucional, antes dela entrar em vigor com seus efeitos legais. Por fim, o Congresso Nacional toma posse em 1.º de fevereiro e o início dos trabalhos legislativos ocorre apenas em 15 de fevereiro. Portanto, a tal primeira medida não teria qualquer sentido durante um mês e meio de governo.

Luiz Roberto da Costa Jr lrcostajr@uol.com.br

Campinas 

*

MEDIOCRIDADE

Lamentável a entrevista do senhor Boulos no programa "Roda Viva" de 7/5. Ficou como papagaio adestrado repetindo os chavões requentados dos demagogos, usando argumentos que só convencem os "milibobos", tais como a inocência da jararaca, que foi condenada sem provas, o governo ilegítimo de quem não foi eleito, o retrocesso do País em cinquenta anos nesses dois anos de governo Temer, a reforma trabalhista que tirou direitos do trabalhador e outras bobagens. A pérola foi dizer que vai enfrentar os bancos exigindo o rebaixamento dos juros, medida que seria louvável desde que fundada em argumentos técnicos, prestando atenção nos movimentos do mercado e evitando a tomada de empréstimos baseados na euforia, ocasionando uma crise como aquela ocorrida no mercado imobiliário americano em 2008, a menos que pretenda realizar o que promete convocando seus seguidores para acamparem nas portas dos estabelecimentos, com aparelhos de som, banheiros químicos, fogões, panelas etc. Se até agora não conseguiu pontuação nas pesquisas de intenção de voto, depois dessa entrevista é que vai sumir de vez! Tchau querido!

Arlete Pacheco arlpach@uol.com.br

Itanhaém

*

BOULOS NO 'RODA VIVA'

"Boulinhos paz e amor" é tão fake quanto uma nota de R$ 3. Democracia socialista só é democrática com quem os apoia. Para os demais, o totalitarismo padrão dos regimes esquerdistas.

Sérgio Passos sepassos@yahoo.com.br

Porto Feliz 

*

'MSTV' CULTURA?

Exerci dois mandatos como conselheiro e membro da mesa diretora da Fundação Padre Anchieta. A presença de um agitador e contumaz explorador de pobres desabrigados no "Roda Viva" foi uma agressão aos princípios de uma TV Educativa. Nota zero para a direção de jornalismo.

Jose Eduardo Bandeira de Mello josedumello@gmail.com

Itu

*

'FORO VERGONHOSO'

Chamar de foro privilegiado o que acontece no Brasil é chamar os mortais de otários, é verdadeiro escárnios. Os números são vergonhosos e esdrúxulos, 55.000 autoridades com foro especial habitam o país das bananas chamado Brasil. Os ganhos dessas pessoas "imortais", são altíssimos. Os países do mundo civilizados não tem foro privilegiado para dezenas de milhares de pessoas entre elas centenas de políticos como acontece no reino dos corruptos. Essa pouca vergonha na cara destes ditos representantes do povo precisa acabar não a conta gotas, mas de uma vez por toda e para todos. Senadores, governadores, prefeitos, vereadores e deputados permanecem blindados mesmo depois da decisão unânime do STF, livres e soltos para concorrerem nas próximas eleições a novos cargos após cometerem crimes e através de liminares mais que suspeitas. O atual sistema beneficia apenas os políticos e prejudica enormemente os cidadãos de bem, que pagam rigorosamente os seus impostos. Por essa e outras está explicado o motivo de faltar recursos para a saúde, educação, segurança, e para a Previdência Social hoje quase falimentar, etc!

Turíbio Liberatto turibioliberatto@hotmail.com

São Caetano do Sul

*

RESTRIÇÃO DO FORO

O artigo 102 da Carta Magna/88, não poderia prever que atualmente o Congresso Nacional abrigasse considerável número de corruptos, blindados pelo corporativismo e pelo foro poderiam se manter no mandato, delinquir e retardar seu encontro com a Justiça. Que tenham honra e estendam essa restrição a todos.

Arnaldo Ravacci arnaldoravacci05@gmail.com 

Sorocaba

*

PROFECIA QUE SE REALIZA

Não deu certo a nítida chantagem promovida pela Câmara dos Deputados para que o STF não restringisse o foro privilegiado dos excelentíssimos congressistas. Como anunciou o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, a emenda constitucional, PEC, que limita o foro para todos, outros 54 mil beneficiados, vai voltar à pauta da Câmara. Assim a profecia do senador Romero Jucá, político expert para assuntos ligados ao tema, vai se concretizar: "Suruba para uns, suruba para todos".

Abel Rodrigues abel@knn.com.br

Rio de Janeiro 

*

PEC DO CONGRESSO NACIONAL

Os ministros Dias Toffoli e Gilmar Mendes articulam para aprovar uma PEC para tirar da cadeia os condenados em segundo grau. Ambos defendem a tese de que a execução das penas deveria começar após o indeferimento dos recursos interpostos no Supremo Tribunal de Justiça (STJ)!

Artur Topgian topgian.advogados@terra.com.br 

São Paulo

*

EFEITOS NOCIVOS DA CORRUPÇÃO

A última investigação da Operação Lava Jato, mostra propina de R$ 200 milhões para a organização criminosa MDB, que facilitou contratos de US$ 800 milhões para a Odebrecht junto à Petrobrás. Com esse dinheiro roubado pelos políticos e funcionários da Petrobrás daria para comprar cerca de 1.800 ambulâncias para a população. Mais um efeito nocivo da corrupção no País e que precisa ser combatida. O dinheiro roubado tem de ser devolvido aos cofres públicos.

André Luis Coutinho arcouti@uol.com.br 

Campinas

*

CAÓTICA SITUAÇÃO

Os resultados consolidados contidos no relatório financeiro do primeiro trimestre de 2018 da Petrobrás mostram um lucro líquido de R$ 6,961 bilhões. No início dessa semana, o barril de petróleo foi negociado a U$ 75,64, maior valor desde novembro de 2014. A petroleira apurou ganhos com a alienação dos ativos de Lapa, Iara e Carcará, no total de R$ 3,223 bilhões. Mesmo assim, o endividamento bruto da companhia é de R$ 340 bilhões. O Comperj e RNEST, maiores empreendimentos da empresa, continuam parados e consumindo valiosos recursos. A saúde financeira da Petrobrás requer bastante cuidado e plano de ação mais eficiente, para retirá-la de vez da UTI.

José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br

Belo Horizonte

*

QUEDA DOS JUROS 

A chamada Agenda BC+ lançada pelo presidente do Banco Central, Ilan Goldjajn em dezembro de 2016 que deveria reduzir os juros finais que os bancos cobram de pessoas e empresas (o spread bancário) que hoje gira em torno de 337% que torna inadimplente até bons pagadores e deixa os bancos aqui no Brasil, com lucros vergonhosos, de tão alto e os "nossos políticos não têm forças" para mudar essa safadeza com o povo brasileiro que trabalha seis meses ao ano para pagar impostos e ainda suporta esses juros abusivos! Então para que vocês servem? Se nem para fazer os bancos cumprirem os juros hoje propagados pelo presidente Michel Temer vocês servem. Aliás, a quem vocês servem? Enquanto isso os juros dos EUA estão mantidos em 1,5% e 1,75% ao ano. Viva o presidente Trump.

Vera Costa Fogaça veracostafogaca@gmail.com

São Paulo

*

CASO 'BUNKER'

O STF começou a julgar a denúncia sobre a apreensão dos R$ 51 milhões encontrados pela Polícia Federal (PF), segundo foto publicada pelo "Estadão" (7/5, A8) em um apartamento emprestado à família do ex-ministro Geddel Vieira Lima (MDB), quantia esta que, senão me engano contida em malas e caixa e que somam 12 peças (abarrotadas de dinheiro vivo), como demonstra aludida foto, e que são atribuídas a Geddel. A decisão em tela pela Alta Corte judicial, pelo seu novo entendimento definido na semana passada, de que só "vai processar e julgar casos em crime de deputados e senadores que tenham sido em razão do cargo e durante o mandato", vai ensejar uma avalanche de pedidos ao STF, com fundamento no termo e locução latinos "in pari Causa" - em causa igual - julgamento igual. Se esse entendimento jurídico for mantido "in perpetuum" - para sempre -, acredito que fará jurisprudência e "mutatis mutandis" terá a mesma interpretação legal. "A lei só retroage quando beneficia o réu". A maioria dos condenados na Operação Lava Jato, cumprindo penas, se enquadra no atual entendimento acima referido do STF. Com este entendimento, já há pedido dos advogados do ex-diretor da Defesa Civil de Salvador, Gustavo Ferraz, ao Supremo Tribunal Federal, para enviar à primeira instância a denúncia sobre apreensão dos R$ 51 milhões. Será o fim da Operação Lava Jato? Será o fim da aludida "facultas exigendi" - faculdade de exigir; poder de exigir? O Brasil espera que não!

Antonio Brandileon abrandileone@uol.com.br 

Assis

*

DEBOCHE

Advogados de Lula debocham da Justiça. Agora exigem frigobar e esteira ergométrica na cela 5 estrelas do ex-presidente. O local já dispõe de inúmeras regalias, como colchão de casal, banheiro com box e água quente, sabonete e sanitário. Não demora e vão exigir visitas íntimas para o condenado. O luxo do sítio de Atibaia perde longe para a cela de Lula. Petistas insistem em transformar Lula em preso político. Mais uma lorota dos seguidores de Lula. O ex-presidente é apenas, entre muitos outros, um preso comum, condenado a 12 anos e 1 mês de cadeia. Lula é notório ficha-suja. O nome dele não vai nem constar da cédula eleitoral. Não se sabe a quem a militância petista quer continuar enganando. Lula já era. É carta fora do baralho. O PT e militância seguem o melancólico final de Lula, escorrem a água suja e podre pelo ralo da incompetência e descalabros com os quais quase arruinaram o Brasil.

Vicente Limongi Netto limonginetto@hotmail.com

Brasília

*

LULA ESTRESSADO 

O ex-presidente Lula deu sinais de estresse e cansaço no cárcere privado, solicitou junto a PF, que coloquem uma TV a cabo na sua sala de visitas, pois não aguenta mais assistir aos canais abertos dos pentecostais, Edir Macedo, Valdemiro Santiago e R.R. Soares, todo tempo pedem donativos, já que os telejornais, quando dá uma passada, estão falando de sua prisão. Tempos difíceis para o ex-presidente que sem TV a cabo tem que conviver com o cabo da TV e ver como alternativa o "Programa do Ratinho", seu grande amigo, nem risos ele dá mais, com os resultados dos DNA's.

Jose Pedro Naisser jpnaisser@hotmail.com

Curitiba

*

REGALIAS NA CELA NÃO!

Ora, ora! Detento rico pensa que mesmo trancado na cela, está de férias... É assim que deve estar pensando esse hoje milionário Lula, que preso por corrupção, lavagem de dinheiro, etc., exigiu um frigobar na sua cela! O Ministério Público Federal (STF), como não poderia deixar de ser, justificou a juíza da 12.ª Vara Federal de Curitiba, que, "inexiste paralelo de concessão de tal regalia no sistema prisional". Resultado: foi negado! E como se ainda estivesse no poder desta República, Lula, também exigiu e sem sucesso, água gelada, esteira de musculação e ergométrica, visitas extras fora do padrão prisional, etc. Única coisa que ainda não lhe foi negado, é o insuportável berro de "bom dia Lulaaaa" que 70 idólatras acampados na frente da PF, em Curitiba, toda manhã com aparelho de som, infernizam os moradores e membros da PF.

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com 

São Carlos

*

LULA E BOFF

Leonardo Boff, dissidente e crítico da Igreja Católica, visita Lula na prisão. Sai de lá dizendo que ele é "candidatíssimo"! É uma lástima ver essas pessoas alienadas continuarem a zombar da Justiça desta maneira! Culpa do próprio Judiciário, que a cada semana aumenta os privilégios do condenado "mais honesto desse país"!

Elisabeth Migliavacca 

São Paulo 

*

ACAMPAMENTO PRÓ-LULA EM CURITIBA

Aos heroicos curitibanos vizinhos da PF, uma sugestão: coloquem seus próprios aparelhos de som para funcionar, nos mesmos horários das saudações ao criminoso, e homenageiem os Originais do Samba: "Se gritar pega ladrão... Não fica um, meu irmão, se gritar pega ladrão". A música torna a vida mais leve.

Celso Francisco Álvares Leite celso@celsoleite.com.br 

Limeira

*

LULA E A CONSCIÊNCIA TRANQUILA

Há pouco, circulou nas redes sociais um trecho atribuindo-o ao ex-presidente Lula: "Completam-se 30 dias que estou aqui aguardando que o Moro e o TRF-4 digam qual crime eu cometi. Não sei se os acusadores dormem com a consciência tranquila que eu durmo. A minha tranquilidade é porque eu tenho vocês". Incrédulo, fui pesquisar e de fato esse texto está no site oficial de propaganda do político preso. Num misto de indignação e perplexidade, fico pensando se Lula perdeu a vergonha ou a capacidade de discernimento. Vergonha de mentir tão descaradamente para aqueles que ainda lhe são devotos. Sim, porque todos os demais sabem que "o Moro e o TRF-4" já disseram que crime ele cometeu. E não o fizeram pelas redes sociais, ou por carta. "Moro e o TRF-4" disseram que crimes (no plural) que Lula cometeu por meio de uma "sentença" e de um "acórdão", respectivamente. Ambos proferidos após Lula ter exercido todo o seu amplo direito de defesa no devido processo legal. Discernimento de compreender que sua situação é a de um político que, a certa altura, optou por aliar-se àqueles que tanto criticou e combateu no passado, cedendo à corrupção para sustentar seu projeto de poder, e, por via oblíqua, seu conforto e enriquecimento pessoal, assim como dos "companheiros" de tão longa jornada. Ora, se Lula está onde está, é justamente porque "o Moro e o TRF-4" já disseram que crimes ele cometeu. Sendo assim, é certo que os acusadores "dormem com a consciência tranquila", porque cumpriram seus misteres. Já a "consciência tranquila" do condenado não deve ser porque tem aos fiéis seguidores, mas sim pela certeza de que sistema (todo) trabalha incansavelmente para livrá-lo o quanto antes do cárcere. Mas não porque ele é o Lula, e sim porque, livrando-o, livram-se a si mesmos e a impunidade vai se perpetuando. E assim segue o Brasil, tão distraído, (quase) sem perceber o quanto é subtraído em tenebrosas transações. E isso, infelizmente, parece que não vai passar diferentemente do título da canção de onde empresto esses versos.

José Eduardo Louzã Prado jeduardo@fprado.com.br

São Paulo 

*

DEMOCRACIA PETISTA

O significado democracia para os petistas, nada mais é, do que a junção do poder e a doutrinação explicita do dos mais pobres, através de bondades, como cestas básicas, Bolsa Família, crédito facilitado para compra de bens, minando os apertados orçamentos domésticos dos trabalhadores, culminando com o desequilíbrio das contas Públicas, cujo final todos nós sabemos, depois de 13 anos do petismo. Quanto à doutrinação, o PT usa o adjetivo e substantivo de dois gêneros, xiita, partidário das convicções religiosas e políticas do xiismo; chita. Emprega em suas pregações aos incultos, o "nós contra eles", a elite, que quer somente massacrar o trabalhador e a os pobres. Hitler se virou contra os judeus para justificar seus atos, e por aqui a palavra é golpe. Infelizmente, não vejo uma solução para o término deste estado de coisas, que esta transformando o Brasil em uma nação dividida, pois seja qual for o próximo presidente, e que não seja petista ou de seus partidos satélites, PCdoB, PSOL, PDT, PPS, iremos continuar a sofrer esta triste e infinita situação desagregadora. O Brasil depois do PT nunca mais será o mesmo país da generosidade entre irmãos e da alegria e orgulho de sermos brasileiros.

Olavo Fortes Campos Rodrigues olavo_terceiro@hotmail.com

São Paulo

*

46-B

Logo depois que Lula nasceu em 1945, os soviéticos noticiaram a fascinante descoberta de um organismo que chamaram de 46-B e que era uma enorme lula de 13 metros de comprimento que vivia no lago Vostok. O local está localizado a duas milhas de gelo abaixo da estação de mesmo nome na Antártica (uma fria que não tem tamanho). O animal dispunha de membros agressivos e que se mantinham animados até mesmo após a sua amputação. O mesmo liberava uma toxina na água capaz de imobilizar uma presa a 46 metros (atualmente, apesar de 57% acharem Lula é culpado, 46% dos brasileiros não sabem em quem votar). O monstro exibia um incrível grau de metamorfose (o nosso Lula aplicava a si mesmo a frase de Raul Seixas: "Metamorfose ambulante") e mostrava um considerável grau de hostilidade e de inteligência. Apesar do tremendo interesse que isto causou, chegou-se a conclusão de que o dito cujo de que tanto se esperava não passava de uma fraude. Coincidências a parte, a saga de qual das duas lulas poderia ser acusada de plágio da outra: a da A ou a da B? 

Jorge Alberto Nurkin jorge.nurkin@gmail.com

São Paulo

*

A INÉPCIA DAS NOSSAS AUTORIDADES

Além da tragédia ocorrida com o desabamento do edifício da Rua Antônio de Godoy, ocorreu ali, mais um crime cometido pela total inépcia das nossas autoridades. Quem conhece a administração pública, certamente ficou inconformado, para dizer o mínimo, pelas declarações das nossas autoridades, tentando eximir-se da culpa que cada um deles tem. O histórico do abandono do prédio, antiga sede da Polícia Federal em São Paulo, deveria ter produzido vários inquéritos para apurar a inépcia dos diversos funcionários, responsáveis por aquela propriedade pública, ao longo dos anos. O edifício, que foi sede da Polícia Federal em São Paulo até 2003, quando passou a pertencer à União, já tombado desde 1982 pelo Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico Cultural e Ambiental de São Paulo. Até 2009 apenas uma agência do INSS permaneceu ali, quando o edifício foi abandonado, apesar da sua importância arquitetônica no governo do ex-presidente Lula. Ora, um patrimônio público, sempre tem uma autoridade responsável pela sua guarda e não será difícil identificá-los, entre as administrações federais, de 2009 até a data do seu desabamento. Igualmente nas administrações municipais, que deveriam ter ali atuado, com o seu poder de polícia, desde o ex-prefeito Kassab. Por saber disso fiquei indignado ao ouvir das nossas autoridades que correram a prestar declarações que não correspondem à verdade, cada um, procurando jogar a culpa em outros, quando na verdade todos eles são culpados pela tragédia, por não cumprirem com as suas obrigações. O governo federal não poderia deixar de preservar o seu patrimônio, enquanto não se concretizasse a sua transferência para a Prefeitura de São Paulo. O síndico do edifício Caracu, vizinho ao que desabou, disse que avisou as autoridades há cerca cinco anos sobre o "descolamento" de 80 centímetros entre os dois edifícios, inclinando-se na direção da Avenida Rio Branco, portanto ainda por volta se 2013. O Ministério Público Estadual abriu inquérito em 2015, também atendendo à denúncia de outro morador vizinho, solicitando vistoria do Corpo de Bombeiros, mas estranhamente pediu o seu arquivamento em 2018. Também não entendi o prefeito Bruno Covas ter dito que a Prefeitura não poderia ter pedido a reintegração de posse, pois o prédio ainda era do governo federal, esquecendo-se do poder de polícia da Prefeitura nas fiscalizações. Por fim os líderes do movimento que organizou a invasão e cobravam aluguel daquelas famílias deverão responder pelo seu crime.

Gilberto Pacini benetazzos@bol.com.br 

São Paulo

*

EXIBICIONISMO

O episódio do desmoronamento do prédio no centro de São Paulo expõe o exibicionismo exacerbado do órgão encarregado das buscas. O tal do Palumbo virou artista. Os políticos que lá estiveram, incompetentes que são, buscavam os holofotes, omitindo a mazela social e administrativa. Os ex-moradores, apesar de "vítimas" usavam o prédio de forma ilegal, fato. Todos querem levar vantagem. A "Globo" e outros órgãos de imprensa usam o episódio para mascarar outros descasos. A cracolândia, a poucos metros do local foi extinta ou o tráfico está mais forte sem controle. É isso.

Edmar Augusto Monteiro eamonteiroea@hotmail.com 

Mirandopolis

*

OCUPAÇÃO URBANA IDEAL

Interlagos sem edificações de prédios, Largo do Paissandu sem "reposições" de prédios.

Sergio Salgado de Oliveira ssoliveiramsm@gmail.com

Monte Santo de Minas (MG)

*

DITADURA

O governo brasileiro deveria ser posicionar energicamente contra a ditadura na Venezuela que vem infelicitando o povo do país vizinho com falta de alimentos miséria e violência, gerando uma espiral de problemas que tem afetado inclusive o Brasil, com a fuga de 50 mil venezuelanos cruzando a fronteira de Roraima e o aumento da criminalidade na região. Não podemos mais tolerar que a bestialidade humana encarnada na figura de Nicolás Maduro continue produzindo uma crise humanitária semelhantes de Auschwitz campo de concentração nazista em que bebês e idosos subnutridos são submetidos à fome por falta de alimentos permanecendo entre a vida e a morte em hospitais desguarnecidos Sugestão: o governo brasileiro deveria formar uma coalizão com países latinos democráticos para evitar que a Venezuela sob o comando de Maduro não se torne uma narcoditadura permanente em nossas cercanias. O Brasil precisa de alianças para derrubar o governo ilegítimo e cleptocrático bolivariano e parceiros de peso como os EUA existem para que seja detida essa ameaça contra a democracia que paira sobre o sul do continente. Basta querer.

Paulo R. Kherlakian paulokherlakian@uol.com.br 

São Paulo

*

OS VENEZUELANOS SÃO PESSOAS DE MUITA SORTE

Temos tantos desempregados há tanto tempo em São Paulo e eles chegam aqui em menos de um mês já estão empregados e refazendo a vida. Fiquei também muito impressionada com alojamentos preparados especialmente pra eles. Pode-se explicar que sorte é esta dos refugiados venezuelanos, em um Estado com tantos desempregados, moradores de rua e em prédios condenados?

Angela Maria de Souza Bichi angela_bichi@hotmail.com 

Santo André 

*

CIDADÃO E VONTADE LIVRE E CONSCIENTE

Fernão Lara Mesquita, em seu artigo publicado no "Estadão" (8/5, A2) afirma, dentre outros pontos sumamente relevantes que não cabem neste espaço do leitor, que o candidato "abraçar radicalmente uma plataforma de reformas não apenas que faça sentido, mas que possa exibir uma certificação histórica de eficiência letal contra a corrupção e a politicagem estará, portanto, seriamente arriscado a se tornar um candidato imbatível". E me pergunto: será que o cidadão brasileiro, com as informações, muitas vezes manipuladas, e que dificilmente compreende o sentido raso das palavras pomposas de suas excelências os parlamentares, dos juízes (com seu "juridiquês") e do presidente (ainda mais este com suas mesóclises)? Acho que não. Penso ser um pouco otimista a visão de Mesquita, que não releva os números sofríveis na Educação. Quantos mesmo os analfabetos funcionais que, apesar disso, concluíram o ensino médio? 

Andrea Metne Arnaut andreaarnaut@uol.com.br

São Paulo 

*

'POR UMA DEMOCRACIA REPRESENTATIVA'

O sr. Fernão Lara Mesquita apresenta propostas que podem corrigir radicalmente o sistema eleitoral. Leiam e releiam seu artigo "Por uma 'democracia representativa'".

Carlos Augusto de Andrade Borges borges.ca@gmail.com

Rio de Janeiro

*

O PAÍS QUE EU QUERO

Para definir qual o modelo de país que eu e a grande maioria do povo brasileiro sonhamos, é necessário pouco mais de 15 segundos. O País ideal, em rápidas pinceladas, é aquele cujos governantes respeitem seu povo e que tenham deles, a contrapartida de uma postura eticamente comprometida com o que esperamos deles. De nada adianta se exigirmos dos políticos uma postura de dignidade, se o povo não colabora dando bons exemplos. Uma nação civilizada, certamente escolherá governantes éticos e não haverá necessidade de cobranças permanentes, porque eles saberão agir de acordo com suas próprias consciências. Só a educação e cultura tornarão isso uma realidade. Enquanto este sonho não se materializa, vamos amargando um Judiciário venal e corporativo, um Congresso recheado de "ricos delinquentes" e um Executivo que serve a todos, num gigantesco balcão de negócios e negociatas. O Brasil que eu quero está estampado na sua própria bandeira de "ordem e progresso" e com a pleiteada e sonhada justiça social. Aliás, nada disso será conseguido em curto prazo, dada a grande contaminação que ainda grassa no nosso Planalto Central.

Elias Skaf eskaf@hotmail.com

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.