Fórum dos Leitores

Cartas selecionadas para a edição impressa e portal estadao.com.br

O Estado de S.Paulo

11 Maio 2018 | 03h00

CENSURA AO ‘ESTADÃO’

Recurso negado

Em gavetas de Ricardo Lewandowski, e não em suas mãos, como se lê cá e lá, o recurso no Supremo Tribunal Federal (STF) contra a inconstitucional censura ao Estadão dormiu em sono profundo de setembro de 2016 a 9 de maio de 2018. É extremamente lastimável que um ministro da mais alta instância judicial do País tenha relegado à procrastinação assunto tão relevante como a mordaça imposta à imprensa no Brasil. Em 4 de janeiro de 1975, como violino spalla da Orquestra de Câmara de São Paulo, participei da missa de ação de graças pelo centenário do Estadão, que tem por lema “o ideal de viver num mundo sem violência e censura”. Por ironia do destino, entre as 5 mil pessoas presentes à missa, ainda sem o seu indefectível bigode, na primeira fila, próximo ao saudoso dr. Ruy Mesquita, estava sentado o então senador José Sarney, pai de Fernando Sarney, pivô da abominável censura que já passa de 3.145 dias. Agora Lewandowski encaminhou o processo à 12.ª Vara Cível de Brasília para que julgue o mérito da ação “como bem entender”. Seu despacho demonstra falta de consideração – ou pouco-caso, como queiram – tanto pelos novos julgadores da contenda como pela observância da lei. Em vez de um pejorativo “julgar como bem entender”, o despacho deveria, quando muito, preconizar um correto “julgar de acordo com a lei vigente no País”.

ROBERTO TWIASCHOR

rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

Boi Barrica

É lamentável e inadmissível, após 3.145 dia sob censura, o ministro Lewandowski manter o interdito, negando recurso do Estadão contra decisão do Tribunal de Justiça do Distrito Federal de impedir o jornal de publicar notícias sobre a Operação Boi Barrica, que envolve a família Sarney. Um jornal da envergadura do Estadão não pode estar submetido a censura prévia, em desrespeito à Constituição, que assegura a liberdade de imprensa. Essa inaceitável decisão é mais uma de repercussão negativa, entre outras, do Supremo.

JOSÉ WILSON DE LIMA COSTA

jwlcosta@bol.com.br

São Paulo 

Ventos da Idade Média

A censura ao Estadão no caso da Operação Boi Barrica pode até ser legal, uma vez que se trata de decisão judicial, mas absolutamente inaceitável em seus argumentos. Os 3.146 dias sob censura, completados hoje, são tempo que não volta mais.

RICARDO C. SIQUEIRA

ricardocsiqueira@globo.com

Niterói (RJ)

FORO PRIVILEGIADO

Súmula vinculante

Com o respeito devido ao notável saber jurídico do ministro José Antonio Dias Toffoli, do STF, S. Exa. incorreu em sério equívoco ao propor à presidente da Corte, ministra Cármen Lúcia, a edição de súmula vinculante para que a decisão que restringiu o foro privilegiado de deputados federais e senadores tenha seu alcance estendido a todos os detentores dessa prerrogativa que integrem o Poder Legislativo nas esferas estadual, distrital e municipal, bem como os Poderes Executivo e Judiciário. No afã de garantir “segurança jurídica” e “eliminar controvérsias”, Dias Toffolli esqueceu-se de que elaborar leis é competência privativa do Legislativo, como reza a Constituição, da qual, a propósito, S. Exa. é um guardião.

SERGIO RIDEL

sergiosridel@yahoo.com.br

São Paulo

Quimeras

A Lava Jato está levando as pessoas à ilusão de que todo juiz de primeira instância é um Sergio Moro e atua em cidades como Curitiba. Esquecem o Brasilzão profundo, onde os juízes são intimidados, quando não paus-mandados dos coronéis locais. Por isso os crimes envolvendo conflitos de terras, muito comuns nessas regiões, são tirados da primeira instância e julgados no Superior Tribunal de Justiça (STJ), como o assassinato da missionária Dorothy Stang. 

GERALDO MAGELA XAVIER

gsilvaxavier@bol.com.br

Belo Horizonte

CORRUPÇÃO

Lula na prisão

Pelo visto, o ex-poderoso chefão permanecerá preso. Desta vez até os ministros do STF em quem ele confiava votaram contra sua soltura. As manifestações em Curitiba estão prestes a terminar, agora com intervenção direta do prefeito da cidade. Lula pediu e obteve uma esteira para se exercitar, acredito que para continuar com seu jus sperneandi. Mas o fim chegou e mais condenações estão para vir. Até o MST o está abandonando.

CARLOS E. BARROS RODRIGUES

ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo

Nesta altura a jararaca já deve estar com a cabeça cheia de galos e com dor constante, de tanto levar pancada. E ainda vem mais!

ARLETE PACHECO

arlpach@uol.com.br

Itanhaém

INVASÕES DE PRÉDIOS

Tramela após a tragédia

Só depois da tragédia os órgãos públicos acordaram e passaram a agir. Alguns transferem a outros as responsabilidades e as ações que em parte eram deles. A responsabilidade técnica é dos engenheiros e arquitetos que farão as vistorias, mas, se seguirem a legislação vigente na cidade de São Paulo, nenhum dos prédios invadidos, digo, ocupados (segundo Eugênio Bucci, em A pequena e triste vitória da ocupação, 10/5, A2), pode ser considerado sem risco de incêndio, porque qualquer lugar tem risco de incêndio! O que a legislação estabelece é a instalação de equipamentos para iniciar o combate ao fogo, tentando evitar que se alastre, caminhos seguros de evacuação das pessoas. E a lei tem de ser igual para todos. Os condomínios da cidade são vistoriados pelo Corpo de Bombeiros, que é muito exigente no quesito itens de segurança. Serão exigidos desses prédios invadidos extintores em dia, sistema de hidrantes em funcionamento, corrimãos adequados, sinalizações de saídas de emergência, luz de emergência, água ligada, brigada de incêndio, etc.? Tenho pena dos engenheiros e arquitetos que farão as vistorias, pois se fizerem laudos negativos serão pressionados e quiçá ameaçados pelos ocupantes. Cabe lembrar que estamos em ano eleitoral e pôr moradores na rua será explorado politicamente. Onde colocar esses moradores? Aguardemos o andamento da novela.

JOSÉ LUIZ ABRAÇOS

octopus1@uol.com.br

São Paulo

Vitória?!

Como pode ser vitória a ocupação em que várias pessoas morreram queimadas? Só uma morte já seria trágica. Mas para o sr. Eugênio Bucci a vitória está em que a invasão mudou para ocupação... Isso não justifica nenhuma morte. Sofismas!

PAULO RIBEIRO

reginafranceschetribeiro@gmail.com

Cotia

JOAQUIM BARBOSA E O PSB

Já era de esperar que o ex-ministro Joaquim Barbosa não saísse mesmo como candidato à Presidência. O mundo da política é muito mais complexo e falso do que aquele vivido por ele no Judiciário. Teria de expor sua vida pessoal, inclusive dar maiores explicações do motivo que o levou a deixar antecipadamente as presidências do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e Supremo Tribunal Federal (STF), esta última levando-o à sua aposentadoria antecipada. Mas o principal é que o "mundo" do PSB não faz seu estilo de vida pública. Esse partido não é confiável, haja vista a briga de foice entre seus principais dirigentes, com o PSB mineiro atrelado ao PT e o paulista fingindo apoio a Alckmin. No nordeste é a mesma coisa. Parece um apêndice do PT lulista. Agora o PDT faz aceno ao PSB para que o mesmo apoie Ciro. Outra furada. Ciro já foi desse partido e também não é confiável, pois embora já tenha pertencido à meia dúzia de partidos, intimamente joga contra todos. O PSDB precisa ter muito cuidado com os ditos "apoios" regionais do PSB.

Éllis A. Oliveira elliscnh@hotmail.com

Cunha

*

JOAQUIM DESISTIU

Joaquim Barbosa, o ministro do STF que livrou Lula do mensalão, desistiu de se candidatar à Presidência da República. Ainda bem, pois precisamos de pessoas que entendam de administração pública e com um ideário equivalente, não "esquerdopata" como o dele, que diz ter votado nos que depenaram o País. Chega desse socialismo de araque que por aqui praticam.

Carlos Eduardo Barros Rodrigues ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo

*

VÃO RECORRER

Depois de mais uma derrota por votação eletrônica na Segunda Turma do STF, a banca de advogados defensores do ex-presidente Lula deverá ser substituída por uma banca de religiosos que irá recorrer, diretamente, a Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil.

Sergio Salgado de Oliveira ssoliveiramsm@gmail.com

Monte Santo de Minas (MG)

*

ESPERANÇA

Diz o ditado popular que a esperança é a última que morre. Depois de mais uma derrota, agora no tribunal virtual do STF, o ex-metalúrgico e presidiário Lula da Silva chegou à conclusão que a sua esperança de se candidatar à Presidência do Brasil morreu.

José Alcides Muller josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré 

*

12 ANOS 

O tempo passa, só faltam 12 anos!

José Wilson de Lima Costa jwlcosta@bol.com.br

São Paulo

*

PEDRINHAS (MA)

Chega de privilégios e regalias! Chega de SPA em Curitiba! Já passou da hora de encarcerar Lula em Pedrinhas, no Maranhão, bem próximo das suas origens e bem longe de Sérgio Moro.

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br 

Vila Velha (ES)

*

UM PRESO MUITO ESPECIAL

Até que a cadeia não deve ser um local tão pavoroso como falam. Pelo menos é o que tenho lido sobre a cela em que está o ex-presidente Lula, que se tornou um cidadão comum, após deixar o Palácio do Planalto. "Todos são iguais perante a lei", é o que diz a nossa Constituição, mas por aqui as coisas não são bem assim. Esteira para fazer caminhada, televisão, água gelada, comida diferenciada dos presos comuns, visitas a qualquer hora, etc. Parece que ele reivindica até um frigobar. Será que alguém pode me dizer qual a diferença entre sua cela e uma suíte de hotel? Certamente o mundo inteiro deve estar rindo às nossas custas. Um detento que escreve cartas para jornais e rede social, despacha com políticos de vários partidos, recebe visitas a qualquer hora, se lança candidato à Presidência da República e ainda custa uma fortuna aos cofres públicos, não deve ser coisa comum em nenhum lugar do planeta, só aqui no Brasil. 

Elias Skaf eskaf@hotmail.com

São Paulo 

*

DINHEIRO CARIMBADO

Sabem aquelas cédulas de R$ 10 que receberam o carimbo da cara do condenado e preso Lula? Pois é, os numismatas estão interessados na novidade inventada pelos "gênios pensantes" petralhistas. Os numismatas estão inclusive pagando R$ 100, cem reais... Vejam bem, cem reais para lotes de 1.000 cédulas. Usadas, rasgadas, coladas com fita isolante ou durex, amassadas, faltando pedaços, ou, ensebadas (passadas pelas mãos dos petistas) não têm valor.

Arthur de Lucca arthurcaiolucca@gmail.com

Goiânia

*

LULA, MELHOR DESAPARECER

Posso até acreditar que Lula não se apropriou de um só centavo do erário quando presidente como o defende um bando de fanáticos que vai do piso de fábrica ao meio artístico e intelectual, mas jamais aceitar sua eficiência no cargo. O cara foi péssimo, porque corrupção no Estado sempre existiu, mas em seu governo essa prática se organizou ao ponto de por pouco não levar uma Petrobrás à falência e o País a um descalabro administrativo como jamais visto. Então, posso aceitar que seja inocente, mas volte para seu sítio, seus apartamentos, vá pescar, curtir netos, enfim, em paz e com saúde, até mesmo sob as bênçãos de Deus que até deve o perdoar, mas que suma de nossas vistas, de nosso noticiário e enfim, desapareça! 

Laércio Zanini spettro@uol.com.br

São Paulo 

*

MULHER SAPIENS

A impedida Dilma Rousseff afirmou no final do Fórum UK, em Londres, que "ella" foi responsável pela assinatura da lei da Colaboração Premiada - Lei n.º 12.850 de 2013 - e que, infelizmente, a lei "foi utilizada contra "elles" próprios, ou seja, contra o governo petista". Assim, entende a "mulher sapiens", que isso não poderia acontecer de maneira nenhuma, pois foram vítimas do próprio veneno. Fora PT!

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

'O ARREPENDIMENTO DE DILMA'

A ex-presidente Dilma Rousseff tem viajado com frequência ao exterior a convite de universidades, organizações não governamentais, instituições internacionais e partidos políticos para realizar palestras nas quais divaga sobre o "golpe parlamentar" que teria sofrido. Duas coisas chamam a atenção nessas viagens: uma a de que todas as despesas de passagens, hospedagens e diárias - dela, assessores e seguranças - são pagas pelo governo brasileiro, ou seja, por nós cidadãos; a outra, é que sendo Dilma monoglota e mesmo assim quase sempre ininteligível nas manifestações aos próprios conterrâneos, é de se perguntar que diabo entendem seus ouvintes quando fala no exterior. Imagina-se o espanto da plateia que a ouviu há poucos dias na London School of Economics, em Londres, quando afirmou: "Infelizmente, vou começar assim, infelizmente eu assinei a lei que criou a delação premiada, mas foi assinada genericamente, sem tipificação exaustiva e (não) poderia virar arma". Se apesar de existir em alguns lugares curiosidade em assistir palestras de Dilma - seja por que motivo for - que os interessados paguem por elas. Nós, as vítimas do desastre administrativo e do roubo desenfreado em seu governo, não podemos continuar a pagar por seus desatinos. Da ex-presidente, pode-se afirmar, sem erro: Infelizmente Dilma presidiu o Brasil.

Sergio Saraiva Ridel sergiosridel@yahoo.com.br

São Paulo

*

CUMPRIMENTOS

Quero consignar meus cumprimentos ao jornalista que escreveu o editorial "O arrependimento de Dilma" (9/5, A3), que ilustra com precisão até onde pode ir a desfaçatez dos líderes do PT.

Eugênio José Alati eugenioalati13@gmail.com

Campinas

*

RELEMBRAR O PASSADO

Não vale a pena relembrarmos a transposição do Rio São Francisco, quem desviou muitas verbas do projeto? A imprensa noticiou na ocasião. E é candidato a presidente da República? Vamos barrar os corruptos já.

Edgard Edson Orefice eeorefice@icloud.com

São Paulo 

*

NÃO É O DA FEDERAL

Não é por nada, não, curiosidade, na oitiva, como testemunha, será que "japonês" ficou vermelho?

José Perin Garcia jperin@uol.com.br

Santo André

*

ESCASSEZ DE BOAS NOTÍCIAS

Quem matou Marielle? Fazem 60 dias da morte de Marielle. Lula completa 34 dias de cadeia. Faltam só 12 anos. Renan roubou. Temer roubou. Fulano roubou e formou quadrilha. Advogados dão entrada no milésimo pedido de habeas corpus para Lula. É um porre. Que tal: economia sai do fundo do poço, juros mais baixos, fim do governo Temer, Pezão preso, etc.

Iria de Sa Dodde iriadodde@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

PERSECUÇÃO CRIMINAL 

Na evolução do Direito Penal, tivemos, grosso modo, as fases da vingança privada, da Lei do Talião, e do Estado detentor do "jus puniendi". A primeira era completamente arbitrária. O criminoso matava uma pessoa da família desafeto, e esta família providenciava os homicídios de dois da família do agressor. Depois eram quatro, cinco, sempre no revide. A lei do "talio ônus", publicizada por Abraão, limitava a vingança: "olho por olho, dente por dente". Finalmente o Estado avocou para si, com exclusividade, o "jus puniendi" da figura do condenado, e então, com a e se comprometia a ressocializá-lo e observar os limites às sanções, de acordo com Constituição Federal e as Declarações de Direitos, as quais o País é signatário. Assistindo aos julgamentos de apenas um tribunal, aquele hierarquicamente primeiro, o STF, creio que entramos numa fase híbrida, o Estado é ainda detentor do "jus puniendi", mas exerce este direito de forma tão arbitrária como na época das famílias Capuleto e Montecchio. A intolerância levada ao paroxismo.

Andrea Metne Arnaut andreaarnaut@uol.com.br

São Paulo

*

VERGONHA

Enquanto o ministro do STF Gilmar Mendes chama juízes e procuradores de "essa gente", ele chama o advogado Batochio de Excelência. Já dá para saber de que lado ele está!

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

DAS RICHTHOFEN - JATOBÁ

O absurdo da "saidinha-comemorativa" é explicável. A autorização trocou o "Dia das Mães" por "Finados"...

Ademir Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo 

*

BIOMETRIA

A notícia de que a biometria pode cancelar 400 mil títulos em 84 cidades de São Paulo mostra que: Justiça Eleitoral + do Trabalho = bilhões de reais jogados no lixo!

José Roberto Niero jrniero@yahoo.com.br

São Paulo

*

NAS BARBAS DA RECEITA

Quando vejo essas montanhas de dinheiro, feito essa do dono do guaraná de gosto medonho, penso: somos uns otários que trabalham pra levar esse país nas costas, pagamos os tubos de impostos, e se bobearmos um tantinho, caímos na malha fina! Enquanto os sonegadores macro estão viajando pra Dubai, esbanjando o dinheiro sonegado nas barbas da Receita!

Elisabeth Migliavacca

São Paulo 

*

MATAM POR TABELA

Em São Paulo, políticos corruptos desviam R$ 1,6 bilhões da merenda escolar. No sul, usam até identidade de criança morta para fraudar mais de R$ 1,7 milhões. No Rio, decretam a morte dos que contrariam seus interesses. No Amazonas, surrupiam R$ 110 milhões da saúde pública. Em Alagoas, dão prejuízo de mais de R$ 2 bilhões em obras superfaturadas, inacabadas ou mal executadas. Uma pequena amostra de bandidos que, segundo alguns ministros do STF, não representam risco para a sociedade. Pobres coitados... Vamos focar nos perigosos ladrões de biscoito e margarina.

Ricardo Siqueira ricardocsiqueira@globo.com

Niterói (RJ)

*

SAÍDA DOS EUA DO ACORDO NUCLEAR COM O IRÃ

O que levou os EUA a se retirarem do acordo nuclear com o Irã? O acordo simplesmente legalizava o processamento de combustível nuclear em grande escala por parte de Teerã a partir de 2025; delimitava onde os signatários poderiam inspecionar e onde não, assim, por exemplo: excluía locais militares (ou seja: era só o Irã fazer, escondidinho nestes locais, tudo aquilo que não podia fazer as claras); não limitava o programa balístico do Irã (que já tem mísseis que chegam a Israel e a Europa e está desenvolvendo mísseis intercontinentais capazes de atingir os EUA) e não tocava nem de longe o apoio do Irã a grupos terroristas em toda parte. Por que foi assinado? Excelente pergunta, nem Freud explica. O que vai acontecer a partir da saída dos EUA deste acordo: guerra com o Irã? Não. Os EUA podem até ameaçar militarmente o Irã, mas, no fundo, só querem negociar um novo acordo corrigindo estas falhas gravíssimas. E, com a volta das sanções americanas, qualquer país de bom senso, se tiver de escolher entre ter um parceiro como o Irã ou um como os EUA, optará pela última opção. Os aiatolás, forçosamente, acabarão tendo de desistir de transgredir em segredo a proibição religiosa oficial do seu líder maior quanto ao desenvolvimento, produção e uso de armas atômicas e de destruição em massa. E o mundo não enfrentará uma hecatombe nuclear com data marcada para acontecer a partir de 2025. Se isto se confirmar, assim como um acordo de desnuclearização para valer com a Coreia do Norte, o presidente Trump terá feito por merecer dois prêmios Nobel da paz. 

Jorge Alberto Nurkin jorge.nurkin@gmail.com

São Paulo

*

FEZ MUITO BEM

Acordo com o Irã? Só depois que este regime nefasto que governa a nação persa há quase 40 anos saia! Trump fez muito bem.

Sérgio Passos sepassos@yahoo.com.br

Porto Feliz

*

CRISE ARGENTINA

A Argentina vive um momento muito delicado com a piora das contas públicas! Com reservas cambiais insuficientes, em torno de US$ 33 bilhões, o país vizinho terá dificuldade para carregar o déficit interno e externo! E com a expectativa de aumento dos juros nos EUA, ativos importantes com a valorização do dólar estão saindo do País! E para tentar contornar essas dificuldades, o Banco Central argentino não teve outra saída, como, em apenas uma semana, aumentar a taxa básica de juros de 27,5% para 40%. A mais alta do mundo! Como referência, a taxa básica Selic, do Brasil, hoje, é de 6,5% ao ano. Também o povo argentino sofre com a inflação que no acumulado dos últimos 12 meses está em 25,4%. Longe da meta pretendida pelo governo da Casa Rosada, de uma inflação para 2018, de 15%. Ao que parece, tarefa impossível...

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com 

São Carlos

*

RADIOGRAFIA DO TRÂNSITO

Uma ação de curto prazo, que traria benefícios concretos para o trânsito paulistano, seria dinamizar a atuação da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). Se essa empresa saísse da inércia e colocasse seus profissionais (engenheiros e marronzinhos) para resolver os grandes gargalos no tráfego da cidade, o trânsito fluiria melhor. Redesenhos viários, velocidade de fases dos semáforos, ação direta dos agentes em cruzamentos vitais são algumas das ações trariam melhorias rápidas. Engenheiros são especialistas em resolver problemas, e a palavra "engenharia" está no nome da empresa. Precisa fazer jus, porque o sofrimento diário é muito grande para os motoristas e usuários de ônibus em São Paulo. 

Eduardo Britto britto@znnalinha.com.br 

São Paulo 

*

DESAMPARO DO PEDESTRE

Parabéns. Muitos parabéns. Finalmente o fundamental assunto dos pedestres paulistanos recebe atenção na nota no "Estadão". Que seja uma de inúmeras que hão de vir dada a importância do tema. Um terço das viagens na cidade é realizado por pedestres. Além dos aspectos analisados na nota, proponho aspectos, tais como: 1) O pedestre é um meio de transporte limpo, não polui; 2) Não consome recursos naturais (finitos) para ser realizado; 3) É em geral pessoa sadia que demanda menos recursos de saúde pública; 4) Reduz o transito das vias lotadas de veículos; 5) Assim como os veículos, motos e bicicletas, o pedestre merece o respeito das autoridades públicas e das pessoas; 6) O pedestre, em geral, utiliza também transporte público contribuindo para reduzir o número de veículos no trânsito; 7) Entre outros fatores. Espero ver este assunto com mais frequência no "Estadão", noticiando avanços e propondo medidas para sua melhoria. Parabéns pela nota.

Sávio Capelossi Filho Savio Capelossi capelossi@gmail.com 

São Paulo 

*

COMPORTAMENTO INDIGNO

De fato, concordamos plenamente ser inadmissível, inaceitável, intolerável além de escorchante a indigna atitude do até então treinador de ginastas brasileiros Fernando de Carvalho Lopes, praticando abusos sexuais com os mesmos quando os treinava no Movimento de Expansão Social Católica (Mesc), fazendo com que o trauma sofrido por esses atletas seja uma marca inesquecível que eles carregarão pelo resto de suas vidas. Agora a Confederação Brasileira de Ginástica (CBG), correr o risco de perder o patrocínio por tal calamidade, achamos injusto. Bom será os patrocinadores repensarem ao tomar uma atitude tão drástica, pois os únicos e maiores prejudicados serão os atletas que deles dependem para dar continuidade ao processo de treinamentos. 

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo 

*

3.145 DIAS SOFRIDOS, E AINDA MAIS...

O ministro Ricardo Lewandowski nega recurso do "Estadão" e diz que a 12.ª Vara Cível de Brasília julgue como quiser o caso da famosa censura que impediu ao jornal a veiculação de fatos relacionados com a operação Boi Barrica, que envolve Fernando Sarney, filho do ex-presidente Sarney. Fica difícil para os leitores do "Estadão" engolir mais essa censura ao jornal intimorato e que sempre prestigia a abertura e veiculação de fatos importantes ao País. Pêsames aos julgadores de até aqui!

José Carlos de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

*

ESTADÃO SOB CENSURA HÁ 3.145 DIAS

Não há democracia sem liberdade de expressão. Abaixo à censura! Viva o "Estadão"!

J.S. Decol decoljs@gmail.com 

São Paulo

*

CENSURA

Se o exemplo do desembargador Dácio Vieira - que proibiu o "Estado" de publicar reportagens sobre a Operação Boi Barrica, em 2009 - fosse seguido por seus pares, seguramente não haveria nem Lava Jato, nem outras operações semelhantes e o País estaria até hoje navegando tranquilamente no mar imoral da corrupção sistêmica. O livre trânsito de informações por meio da imprensa livre é a essência da democracia, a antítese da censura. É sempre bom lembrar que o PT não aprecia nem nunca apreciou a liberdade de imprensa e continua abertamente sonhando com o controle dos meios de comunicação, que insiste em afirmar que nada têm a ver com censura. Rir para não chorar. 

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo 

*

E O FORO DE SÃO PAULO?

A análise feita no artigo "O naufrágio da Venezuela" (9/5, A3) está quase perfeita, não fora um detalhe. Nada do que aconteceu ali foi por acaso. Seguiu uma cartilha escrita e divulgada em 1990 quando Fidel e Lula criaram o Foro de São Paulo para espalhar o esquerdismo então em queda mundial, após a derrubada do Muro de Berlim, por toda a América Latina. Tomar e manter o poder eram os objetivos e para isso era preciso grana, muita grana! O resto foi consequências que os países com maior ou menor sucesso administraram e se livraram. Restaram a Venezuela e Cuba, enquanto a Nicarágua tenta se livrar de Ortega! O "Estadão" deve aos seus leitores uma ampla reportagem, quiçá uma série, investigativa para destrinchar detalhes desta organização maquiavélica. Afinal, no ano passado realizaram o seu 23.° encontro.

Marco Antonio Esteves Balbi mbalbi69@globo.com 

Rio de Janeiro 

*

COQUELUCHE?

Contra a coqueluche (fake news) que veio para ficar, segundo a boa entrevista de Arick Wierson (7/5, C2), eu sugiro uma coisa bem simples: uma assinatura de um jornal de credibilidade e só. Só temos um jeito de não nos contaminar, escolher o "alimento" certo, suplemento. Em ano de eleições nada como ler um bom jornal - "Estado"- com suas devidas ferramentas. Fake news é inflado e vazio. A boa notícia é seria e perspicaz e de muita história. Quando as fake news, a cerca do prédio que ruiu chegaram até mim, por exemplo, eu já estava muito bem alimentado. Caiu por terra e lá ficou. Mas tem um, porém: informação tem preço e vale a pena pagá-la e sair do esgoto de pura maldade.

Leandro Ferreira ferreiradasilvaleandro73@gmail.com

São Paulo 

*

E A METAMORFOSE?

A recente entrevista de José Nêumanne com o psicanalista Jacob Pinheiro Goldberg revela um perspicaz formulador de perguntas e um desviador decepcionante ao respondê-las. O exemplo mais claro da tendência deste último a se esquivar do foco central, foi a argumentação à questão colocada, de ser, na sua visão, incomum e notória a transformação do malandrinho Lula num agente de corrupção de dimensões internacionais que enriqueceu apropriando-se da poupança de um país pobre de cujo povo se julga símbolo. Declarou o ilustre estudioso que autoridades lendárias hoje são submetidas a constrangimentos inimagináveis provocados pela ação das redes sociais. E a metamorfose da malandragem para o aproveitamento pessoal? É incomum e notória, ou não? 

Paulo Roberto Gotac pgotac@gmail.com

Rio de Janeiro

*

CÓDIGO DE ÉTICA X ARTIGO CONFORTAVELMENTE ENTORPECIDO 

Hello! Is there anybody out there? Sinceramente, um articulista que usa a letra de "Comfortably Numb" do Pink Floyd sem citar em nenhuma linha do texto (9/5, A2) que está se apropriando da obra de David Gilmour e Roger Waters deveria se envergonhar... Cita Thomas Mann e Calvino, mas se esquece de quem criou o título do artigo. Devia estar confortavelmente entorpecido... Vergonha!

Eduardo Strang eduardo@factor4.com.br

São Paulo 

*

DIA DA VITÓRIA

O dia 8 de maio, que marca a vitória dos Aliados contra as tropas nazistas e fascistas na 2.ª Guerra Mundial, praticamente foi ignorada. No Brasil, apesar da participação vitoriosa das nossas tropas. Não custa recordar nesta oportunidade uma passagem histórica da Força Expedicionária Brasileira em território italiano. Entre 14 e 16 de maio de 1945, a divisão brasileira, após duas vitórias em Monte Castelo e Montese rompe a importante linha Gótica, uma rede de fortalezas e cerca, na região de Fornovo, a 148 divisão Alpina alemã. O comandante da nossa divisão envia ao comando alemão o seguinte ultimato: para poupar sacrifícios inúteis de vidas intimo-vos a render-se incondicionalmente ao comando da nossa divisão, cujas tropas estão prontas a atacar. De imediato, o comandante da 148 pediu um tempo para consultar o seu comando superior. No dia 28 de abril foi acertada a rendição da divisão alemã e parte da famosa divisão Panzer. No ato da rendição vieram à frente os generais Mário Carloni; carregando 6 milhões de liras e Fretter Fico, com outros milhões; seguidos por 16 mil soldados, 80 canhões, 2 mil viaturas hipomóveis e 4 mil animais. Junto veio um agradecimento pelo respeito e dignidade como todos foram recebidos e tratados. A rendição teve expressivo efeito simbólico; ficou demonstrada assim a falácia da raça superior ariana, que foi escoltada por uma tropa multiétnica composta por negros, índios, nipo-brasileiros, judeus, etc. Não temos o direito de esquecer fatos positivos de nossa história

Ricardo Pereira de Miranda ricarmiran@terra.com.br 

Salvador 

*

A VIDA

Há mais de 200 anos, Ludwig von Beethoven vingou-se da surdez que iria acometê-lo e compôs a mais bela música que um ser humano seria capaz de ouvir. Hoje, um cientista australiano, de 104 anos, saudável, autor de mais de 30 livros, e com a sensação de que a vida não valia mais a pena ser vivida, rodeou-se dos netos e outros familiares, e mediante vontade prévia e espontaneamente manifestada, teve sua vida encerrada por médicos em uma clínica da Suíça. Ele pediu que a ação médica fosse realizada após almoçar sua refeição favorita e depois de ouvir a 9.ª Sinfonia de Beethoven. Assim, foi cumprido seu último desejo: morrer com a dignidade com a qual ele serviu o ser humano por tanto tempo. Sua vida exemplar terminou de forma exemplar? Por que sua vontade pode ser concretizada na Suíça e não Austrália? É válido que muitos países proíbam o suicídio em qualquer circunstância? É razoável que alguns países só permitam o suicídio assistido quando a doença é terminal e o sofrimento quase insuportável? É lógico que pelo menos um, e somente um país permita o suicídio assistido nas condições de pessoa saudável? Tudo indica que seu fim inusitado será objeto destas e de outras considerações, questionamentos e opiniões favoráveis em todo o mundo nos dias que se seguirão à sua partida. Doravante, devemos ouvir com a Nona com mais frequência - para viver e celebrar a vida. Beethoven rejubilaria.

Aléssio Ribeiro Souto souto49@yahoo.com 

Brasília

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.