Fórum dos Leitores

Cartas selecionadas para a edição impressa e portal estadao.com.br

O Estado de S.Paulo

16 Maio 2018 | 03h00

ELEIÇÕES

Impasse institucional

De acordo com as pesquisas eleitorais, o País pode caminhar para sério impasse eleitoral e grave crise institucional se o candidato preso ganhar o primeiro turno das eleições presidenciais com um terço dos votos, mas estes serem anulados, mesmo sendo o favorito para ganhar o segundo turno. Em menos de três semanas o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e o Supremo Tribunal Federal (STF) teriam de confirmar a convocação do segundo e do terceiro colocados, que, somados, teriam um terço dos votos, para a realização em poucos dias do segundo turno.

LUIZ ROBERTO DA COSTA JR.

lrcostajr@uol.com.br

Campinas

Questão filosófica

A afirmação do ministro Gilmar Mendes, do STF, de que a inelegibilidade de Lula da Silva é uma questão aritmética pode significar: 1) que é tão certo o fato de Lula, condenado em segunda instância, não poder ser candidato como é certo que dois mais dois é igual a quatro; 2) que há uma suposta equação entre o triplex no Guarujá cuja propriedade foi atribuída a Lula e o rombo no BNDES, que atingiu a casa do trilhão após os empréstimos a líderes de países amigos do ex-presidente, como o da Venezuela; 3) que o ministro frequenta tanto Portugal que teria absorvido a forma de se expressar de sua tão simpática gente, que às vezes parece algo confusa para nós. Como exemplo podemos citar o caso do turista brasileiro que perguntou a distância entre o vilarejo onde se encontrava e o próximo e ouviu de um morador: “Uns 12 quilômetros, sem considerar as curvas”.

IRENE MARIA DELL’AVANZI

irenedellavanzi@hotmail.com

Itapetininga

Sem chance

De Osmar Terra, ex-ministro de Temer: “Por que o PT não cogita do nome de Dilma para concorrer, caso Lula não possa?”. Simples: porque seria derrota certa!

ROBERT HALLER

robelisa1@terra.com.br

São Paulo

Presidenciáveis

Observando os pretensos candidatos à Presidência, notamos que todos, somados, não formam nem a metade de um estadista, que reúna condições de moralizar a vida pública, encaminhando o País para o desenvolvimento sustentável.

FRANCISCO JOSÉ SIDOTI

fransidoti@gmail.com

São Paulo

De acordo com as mais recentes pesquisas, os índices de intenção de voto nos candidatos a presidente são tão baixos que não seriam suficientes nem para eles se elegerem síndicos de prédio.

MARCOS CATAP

marcoscatap@uol.com.br

São Paulo

Fichas-sujas

Determinadas situações inusitadas, além de lamentáveis, só no Brasil, a Ilha da Fantasia dos políticos... Basta ver o absurdo de 91% dos deputados na mira da Lava Jato pretenderem disputar as eleições de outubro, incluído aí o presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia, pré-candidato ao Planalto pelo DEM. 

ANGELO TONELLI

angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

Eleitores sem perspectiva

Oportuna e esclarecedora a entrevista com a diretora do Ibope Marcia Cavallari (14/5). É muito importante o eleitor se informar sobre as pesquisas e os institutos que as realizam. Principalmente num momento como este, em que oportunistas utilizam fake news e pesquisas tendenciosas para distrair o eleitor.

MARCELO RUFINO BONDER

marcelobonder@hotmail.com

Paraguaçu Paulista

EDUCAÇÃO

Investimento e perda

As três universidades estaduais paulistas, USP, Unesp e Unicamp, compreendem cerca de 200 mil pessoas, entre alunos, professores e servidores. As três consomem por ano ao redor de R$ 11 bilhões, verba proveniente do ICMS (imposto pago pelos paulistas). Uma ilha de prosperidade dentro do Brasil. Quase 90% disso, R$ 9,9 bilhões, é para a folha de pagamentos, ou seja, temos profissionais muito bem pagos. As duas principais funções das três escolas, entre outras, é gerar conhecimento e informação, via pesquisas e estudos, e formar profissionais qualificados para a economia, o serviço público e a vida acadêmica. O mesmo nas federais. Precisamos de gente boa tecnicamente. Mas após todo esse investimento social e alguns anos de sacrifícios dos alunos, de suas famílias e de toda a população do Estado, que paga imposto para isso, temos um grave problema: cada vez mais recém-formados, profissionais jovens e até professores estão deixando o País por absoluta descrença em nosso futuro, medo da violência, corrupção, insegurança jurídica e toda sorte de mediocridade em que o Brasil hoje está afundado. Vale mais a pena ir para a Colômbia, Austrália, Alemanha, etc. Sem dúvida, sentiremos falta dessa turma. É isso que queremos? Tudo é uma questão política. Uma renovação urgente precisa ser feita e passa forçosamente pelo voto, pela mobilização social e pelas atitudes de cada um de nós. 

ANDRÉ LUIS COUTINHO

arcouti@uol.com.br

Campinas

APLICAÇÃO DO DIREITO

Ainda o positivismo jurídico

Pelo que pude entender do artigo Em defesa do positivismo jurídico (12/5, A2), do ex-ministro do STF Eros Roberto Grau, cabe ao operador do Direito, em especial ao juiz, apenas aplicar a lei positiva e deixar a justiça para o Paraíso. Mas a justiça do Paraíso é a justiça absoluta. Entre nós, mortais, a busca da justiça será sempre relativa. Nesse sentido, prefiro a companhia de Michel Villey, para quem “a arte do Direito visa à justiça”. E o filósofo do Direito francês afirma que essa noção procede da Antiguidade. No Direito Romano, o Digesto sublinha a conexão das palavras direito e justiça. Na Grécia antiga, a expressão to dikaion significa ora o direito, ora a justiça, porque ambas as noções se reduzem a uma só. Finalmente, nos salmos, que são versos escritos para nós, homens, e não para os anjos do Céu, direito e justiça sempre caminham juntos. 

RENATO RUA DE ALMEIDA

renatorua@uol.com.br

São Paulo

COPA DO MUNDO

Os 11 da seleção

A maioria da população já percebeu que para o seu dia a dia tanto faz quem serão os convocados para a seleção brasileira, todos ricos, quase todos morando na Europa e mais preocupados em se manter em seus times. Os brasileiros já perceberam que o que importa mesmo é a composição dos 11 do STF. Esses, sim, podem, com suas decisões esdrúxulas, mudar a nossa vida.

SYLVIO FERREIRA

sylvioferreira@hotmail.com

São Paulo

DÓLAR PREOCUPA

O mercado está tenso com a alta persistente do Dólar! Que com uma cotação de R$ 3,26 no mês de março, nesta terça-feira teve seu pico de alta para R$ 3,69. Parte das causas desta alta vêm do Brasil, com os números das pesquisas eleitorais referentes aos postulantes ao Planalto, que indicam a liderança de Jair Bolsonaro (PSL-RJ), seguido de Marina Silva (Rede-AC) e Ciro Gomes (PDT-CE), candidatos esses que não transmitem confiança aos investidores! E principalmente pela corrida por dólar no mundo, em função do aumento das taxas de retorno recordes dos títulos soberanos americanos. Além, lógico, das intermináveis estripulias de Donald Trump, que manda as favas acordos como do Irã, e contínuo desrespeito às regras de mercado. Mesmo assim, nesta quarta-feira, como uma boa notícia, o nosso Banco Central pode anunciar mais uma queda de taxa Selic, dos atuais 6,5% para 6,25%... 

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com 

São Carlos

*

ALTA DO DÓLAR

Empresários reclamam que a dívida de suas empresas cresceram R$ 115 bilhões e a contrapartida que são os saldos bancários dos exportadores, principalmente os da soja, como está não cresceu na mesma proporção, ou será que o agronegócio está fora desses cálculos?

Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@uol.com.br

São Paulo 

*

JUROS SELIC

O Brasil precisa parar com essa mentira dos juros Selic. Está-se falando em 6,25% ao ano, quando o sistema bancário e do próprio governo aplicam até três vezes isso em "juros mensais". Vivemos num país onde os governantes mentem em tudo, a corrupção é uma mentira que grassa deslavadamente nos políticos e empresariado tupiniquins. Há que se acabar com isso, mas para isso é precisamos de estadistas nos governos, não os manés que ainda temos e que se apresentam para governar.

Ariovaldo Batista arioba06@hotmaiol.com

São Bernardo do Campo

*

REFIS RURAL

Perdão de 95% do saldo devedor? É isso mesmo? Isso é crime de lesa-pátria! Não reelejam ninguém que participou deste assalto!

Luiz Henrique Penchiari lpenchiari@gmail.com 

Vinhedo 

*

TERMÔMETRO DA POBREZA

A Caixa Econômica Federal (CEF) está lançando um novo jogo de prognósticos, chamado "Dia de Sorte". Trata-se de mais um chamariz e um termômetro, que mostra o desespero da população, que lota os guichês das lotéricas, atrás de uma "graninha", para tentar mudar de vida, e, mais uma maneira de políticos e empresários desonestos para esquentar dinheiro. O pobre que não tem nada, aposta até o último tostão, e, sem querer, ajeita a "carga" de quem tem muito. Portanto, na realidade, "o dia de sorte" é do Banco estatal, que de segunda a segunda, de forma intermitente, recebe o produto de sua infinidade de bilhetes e cartões colocados à venda. E o apostador "oh"! 

Sergio Dafré sergio_dafre@hotmail.com

Jundiaí

*

PLANOS FRAUDULENTOS

Os acordos sobre a devolução dos juros dos planos econômicos, comemorados pelo governo, ainda não saíram do papel. Muito pelo contrário, foram suspensos por dois anos a pedido dos bancos. Quantos poupadores já morreram e quantos ainda irão morrer até que tenhamos de volta nosso dinheiro, retido indevidamente por mais de duas décadas e meia? Os membros do governo, que alardearam por todos os cantos do país essa vitória sobre o poder econômico, agora estão calados e resignados com imposição dos banqueiros. Enquanto isso, os pobres poupadores que esperaram por décadas a devolução do que lhes é legitimamente devido, amargam mais essa derrota na Justiça. Onde estão o Supremo Tribunal Federal (STF), Advocacia-Geral da União (AGU), Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e os órgãos de defesa do consumidor que não conseguem fazer Justiça? Os banqueiros agem de acordo com seus interesses, exigindo descontos no ressarcimento, querendo pagar menos da metade do que é legitimamente devido e suspendendo a bel prazer o que a lei tinha determinado. Quando achamos que o Brasil estaria mudando com a moralização da Justiça, nos surpreendemos com mais esta ação covarde que deixa milhões de brasileiros atônitos, revoltados e desanimados com aqueles que nos representam.

Elias Skaf eskaf@hotmail.com

São Paulo 

*

TRIPLEX 'ANÔNIMO'

Compraram o apartamento no Guarujá que "nunca" foi de Lula, mas com esta banca de advogados ele até pode pedir reintegração de posse...

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

GOLPE DO PT

Analisando bem os fatos políticos ocorridos nos últimos anos, caso a Lava Jato não tivesse ocorrido, é bem provável que o PT, liderado pelo chefão etílico e seus asseclas, tivessem dado um golpe para permanecer no poder "ad aeternum", e instaurassem por aqui o que estava previsto no Foro de São Paulo, ou seja, um regime bolivariano, como o que está destruindo a Venezuela. Por isso roubaram tanto (ter caixa), esparramaram mentiras, alardearam proteger os pobres (que estão ainda mais pobres), e deram dinheiro para países dirigidos por tiranos e tiranetes, para fazerem alianças espúrias com dinheiro do BNDES e dos brasileiros fazendo com que estes permanecessem em segredo. Ainda bem que, ao que parece, estamos superando esta fase. Que os brasileiros saibam escolher dirigentes decentes e capazes e se esqueçam dos que só os prejudicaram.

Carlos Eduardo Barros Rodrigues ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo 

*

A PRISÃO DE LULA ENTRANDO 'EM REGIME'

Perceberam como as notícias sobre Lula na cadeia vêm minguando? Em engenharia dir-se-ia que a sua prisão está entrando "em regime", ou seja, ficando estável.

Marcelo Melgaço melgacocosta@gmail.com

Goiânia

*

LUGAR DE MARINO É NA CADEIA

Manoel Eduardo Marinho e seu filho, Leandro Eduardo Marinho agrediram o empresário Carlos Alberto Bettoni, no dia 5 de abril, em frente ao Instituto Lula. "Maninho do PT" e seu filho continuam livres, mesmo após a decretação de prisão expedida pela juíza Débora Faitarone. Bettoni teve traumatismo craniano e ficou vários dias na UTI. Os covardes petistas, que têm por hábito a intolerância, precisam ser presos imediatamente, pois além de agredirem ainda não socorreram. Lembrem-se de que todos tem o direito de protestar contra Lula, que cometeu vários crimes durante os seus dois mandatos. Pancadaria é típico de ditaduras, não é mesmo, foragidos esquerdistas?

José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br

Belo Horizonte 

*

E O MEIO?

De um lado eu tenho Lula (preso) do outro lado eu tenho Bolsonaro, quiçá armado e de colete a prova de balas. E no meio, o que tenho? No meio eu não tenho nada, que apareçam e cresçam, senão amigos, estaremos perdidos nos extremos deletérios. De que adianta a pequena melhora se ansiamos pela derrocada? USP, PUC E UNICAMP, no país de tantos intelectuais, mas quando aparece um candidato não vemos nada disso. Apenas o quanto pior, melhor. Socorro! 

Leandro Ferreira ferreiradasilvaleandro73@gmail.com

São Paulo 

*

AINDA HÁ OUTSIDERS

Com a desistência de Joaquim Barbosa, toda a mídia vem anunciando que não há mais "outsiders" (não políticos) e que teremos que escolher entre os velhos e desgastados políticos e seus (mais que duvidosos) partidos. Que ora disputam as frustradas intenções de voto para o ex-ministro. Isso não é verdade! Existe um legítimo e excelente "outsider", chamado João Amoedo, que nunca foi candidato, ou ocupou qualquer cargo político. Engenheiro e administrador deixou uma exitosa carreira para fundar um partido realmente diferente, dedicado exclusivamente a construir um Brasil melhor, em que seus filiados e candidatos são obrigados, por contrato público assinado e registrado, a obedecer e cumprir toda a orientação partidária, entre outras coisas a proibição de uso de recursos públicos para financiar atividades políticas. O partido tem o merecido nome de "Novo". João Amoedo e seu "Novo" são os mais dignos herdeiros dos votos que eram para Joaquin Barbosa. E para quem quer algo de verdadeiramente novo.

Luiz Antonio Ribeiro larprp@uol.com.br 

Ribeirão Preto 

*

CAOS

O "Estadão" (13/5, A10) traz a matéria "Desistência não aumenta cobiça por 'outsiders". Nela, é exposta a situação do PSB, que vem levado um "não" após o outro dos eventuais candidatos ao cargo de Presidência da República. Luciano Huck foi seguido por Joaquim Barbosa, em seu desinteresse, mas há quem pense que o global, doador de tantos prêmios em seu programa, transformando "lata velha" (nome do quadro por ele apresentado) em possantes de dar inveja a adolescentes que curtem carros. Quanto aos nomes de Bernardinho, ex-técnico de vôlei e escritor de literatura de autoajuda, que, todavia carrega o aposto - "o estressado"; e do jornalista José Luiz Datena, fazem-me arrepender por um dia ter escrito para este "Fórum de Leitores" criticando a candidatura, sobretudo de Joaquim Barbosa. No entanto, mais ainda quanto aos que visam o Parlamento, seguem cortejando estes outsiders, como o fito de obter uma simbiose de popularidade. Como diz a matéria "Uma simples foto ao lado de qualquer um deles continua tendo muito valor e apelo eleitoral". E, de outro lado, "fabricando" outsiders, há os movimentos "Agora" e "RenovaBr", têm o respeito de candidatos, como o próprio Huck, que tem afirmado que seu interesse está na eleição para o Legislativo - e nas chances dos candidatos oriundos do RenovaBr e do Agora! Afinal existe algum partido político, ou fidelidade a um feixe de ideais políticos, ou ainda, o apoio de antagonistas ideológicos tais como Roberto Freire apoiando Alckmin, que não indiquem que outsiders, neste país, somos nós, a massa.

Andrea Metne Arnaut andreaarnaut@uol.com.br

São Paulo

*

NOVOS NOMES

Os pré-candidatos à Presidência já estão definidos, provavelmente. Para mim, já passa da hora de, claramente, deixarem claro que pretendem fazer, as reformas principalmente. O eleito, dependendo do Congresso, nos obriga a escolher os candidatos que fizerem o mesmo. Como não temos o "recall", teremos de acreditar no que afirmarem de preferência novos nomes. 

Andre Frohnknecht caxumba888@gmail.com

São Paulo 

*

CANDIDATOS A CARGOS ELETIVOS

Senhores candidatos a cargos eletivos em todos os níveis para a próxima eleição. Gostaria de perguntar a cada um de vocês: 1) Qual o porcentual da sua intenção como candidato em servir ao Brasil?  2) Qual o porcentual da sua intenção para servir a interesses do seu grupo e ao seu próprio? Lamento, mas tenho pelo histórico de vocês a resposta: "A grande maioria está para atender a segunda opção! Por isso, nossa responsabilidade como eleitores tem que ser muito grande para distinguir quem é quem dentre duas opções".

Sergio Orlando sergioorlando@hotmail.com.br

São Paulo 

*

VOTAR?

"O brasileiro não sabe votar" é uma frase fácil, vazia e caluniosa. Verdade é que "os eleitores estão sem perspectiva de melhora". Marcia Cavallari - diretora executiva do Ibope Inteligência - diz que há um sentimento de angústia e desesperança entre o eleitorado, que não veem uma "luz no fim do túnel" (www.politica.estadao.com.br/…/eleicoes,os-eleitores-estao-s). Os cidadãos presenciam que os presidenciáveis da oposição e governistas não defendem propostas. Os seus discursos são demagógicos, sem declarações quanto ao equacionamento dos problemas nacionais. Por interesses pessoais torpedearam a reforma da Previdência e a simplificação tributária. Mentem a respeito da reforma trabalhista implantada. O eleitorado está ficando desesperado e, possivelmente, indignado.

Harald Hellmuth hhellmuth@uol.com.br

São Paulo 

*

FEL E CHULÉ MORAL

Lá vai o Brasil, pela mesma estrada, fingir que todo poder emana do povo. A rataria de Brasília blindou o queijo. Ninguém tascará. Bicore os nomes em desfile na mídia: os mesmos. As convenções partidárias serão o de sempre: montagem de esquemas ou quadrilhas do tipo mensalão, petrolão, eletrolão e aumentativos por enquanto ocultos. O povo, um ovo, pagará a farra da eleição das mesmas caras e despropósitos com o fundo de R$ 1,7 bilhão: o Fundo para Eleger Ladrões (FEL). Malandragem perfeita, a lei rolada da cabeça aos pés para o gol: a mamata das propinas, das mordomias, do leite das tetas do Tesouro, do mundo pornográfico de Brasília. Pior: é ano de Copa do Mundo. O aquecimento alienante agita a Pátria de chuteiras, a seleção. Pátria de chuteiras, puro deboche. Por que não pátria dos belos bumbuns? Seria melhor, ao menos mais higiênico, menos chulé moral. 

José Maria Leal Paes tunantamina@gmail.com

Belém

*

PÁTRIA EDUCADORA E O ELEITOR SAPIENS

É de Peter Brant a frase de que "Ciência e Arte tem em comum o método de tentativa e erro". Desde o início da Lava Jato, os brasileiros ganharam imensos conhecimentos sobre como tem funcionado a nossa democracia. E eis que, neste, ano, em breve, exercitaremos a arte de votar. Ocorre que 90% dos políticos envolvidos nos casos investigados pela Lava Jato estão se recandidatando. A prova de que o aprendizado ocorreu é a não repetição dos mesmos erros. Às vezes, a ficha não cai em um único ciclo e se faz necessário alguns ciclos de repetição do engano até que se perceba que a escolha foi errada e se tente outra alternativa. Entre os ciclos, salvo alterações por parte do Congresso, há um intervalo de quatro anos. É isto o que determina a velocidade do aprendizado. 

Jorge Alberto Nurkin jorge.nurkin@gmail.com

São Paulo

*

ALCKMIN 'BICICLETANDO'

Alckmin pedala tal qual Dilma e também vai ser "impeachmentado". Não se sabe se foi bike do Itaú ou emprestada pelo Serra! Tucano caindo de bicicleta é bico quebrado na certa, na hora incerta. Quando o cara tá com urucubaca tem que fazer "tutufum"!

Paulo Arisi paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre

*

FRANÇA

Márcio França agiu como um homem de "fortuna" (em linguagem genuinamente maquiavélica): surfou na onda conservadora e reacionária que se alastra pela sociedade brasileira para cair nas graças do eleitorado paulista. E agiu estrategicamente, afinal "política é análise de conjuntura". O gesto do atual Governador de São Paulo de entregar flores (e registrar tudo em muitas fotos) à policial que reagiu a um assalto e matou o bandido está permeada de simbolismo e vende a imagem de França como um gestor preocupado com a segurança e que valoriza ações de combate à criminalidade. Político nato, este pré-candidato a permanecer no Palácio dos Bandeirantes está munido de boas intenções (e delas o inferno está cheio!).

Thieser Farias thieserfarias94@yahoo.com.br 

Santa Maria (RS)

*

DE NOVO, O MARQUETEIRO

Há exatamente dois anos, quando do início do governo Temer, enviei dois textos ao "Fórum dos Leitores do Estadão", comentando duas das primeiras ações do governo envolvendo seu marqueteiro, um tal de Elsinho Mouco, quando já dava para ver aonde ia chegar essa personagem. O primeiro texto "Para que Marqueteiro", dizia respeito ao recém-adotado slogan do governo, "Ordem e Progresso", e ao fato de que tal slogan, adequado para o momento, não precisava - como não precisou - de nenhum marqueteiro para sua criação, pois já está disponível na Bandeira Nacional desde o início da República, de graça. O segundo, ainda sobre o "Ordem e Progresso", comentava a criação da logomarca do governo, aí sim uma proposta do tal marqueteiro, e criticava o fato da logomarca ter sido criada usando-se como base a esfera celeste de uma bandeira nacional dos anos 1960, demonstrando desconhecimento e despreparo na proposta do trabalho. Agora vem a estória da vírgula no convite da cerimônia de dois anos do governo, em que o sujeito cria uma simples frase que é um verdadeiro tiro no pé. No caso, o governo Temer faz por merecer. Sem falar da intervenção federal no Rio de Janeiro, em que ele reconheceu tratar-se de jogada de marketing, penso o mesmo, dois anos depois: paga-se esses caras a peso de ouro, para eles, na melhor das hipóteses, aprontarem essas lambanças.

Renzo Galuppo renzo.galuppo@gmail.com

São José dos Campos

*

VAQUINHA

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) libera a vaquinha virtual para financiamento de campanhas dos senhores políticos brasileiros. Estou nessa, entro com a febre aftosa!

Luiz Ress Erdei gzero@zipmail.com.br 

São Paulo 

*

DAS INELEGIBILIDADES ELEGÍVEIS

Quando um ministro aventa a possibilidade de condenados participarem de eleições, está atestando o mantra repetido à exaustão de que "todas as contas foram analisadas e aprovadas pelo TSE" e, ao mesmo tempo, confirmando que no Brasil das autoridades, a falta de vergonha é inerente ao cargo e faz parte da paisagem, onde no horizonte se vislumbra que o pior ainda está por vir...

Ademir Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

AUSÊNCIA EM JULGAMENTO DA LAVA JATO 

Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski, Gilmar Mendes e Marco Aurélio Mello têm mais coisas em comum além do cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal. Os quatro formam o time dos mais ferrenhos inimigos da prisão após condenação em segunda instância e lutam pela revisão da jurisprudência que a permitiu. Também comungam a ideia de que a Corte não é lenta no julgamento de réu com foro privilegiado - Toffoli afirma que isso não passa de "lenda urbana". Talvez por essa crença comum, não vejam problema no hábito de faltar a sessões para outras atividades, quiçá de caráter particular. No julgamento do habeas corpus de Lula, os ministros Lewandowski e Marco Aurélio provocaram o adiamento da sessão em virtude de compromissos particulares - o de Marco Aurélio no dia seguinte, dia de expediente normal na Casa. Na continuação da sessão, duas semanas depois, Gilmar Mendes, que estava em Portugal para evento da instituição de ensino da qual é sócio, veio apenas para votar, sem participar dos debates. Agora, quando a primeira ação penal da Lava Jato será julgada no STF, Dias Toffoli não estará presente porque participará do VIII Fórum Jurídico Internacional de São Petersburgo, na Rússia. Quem sabe, Toffoli aproveite para consultar seus colegas de conclave sobre prisão em segunda instância em seus países - adotada na maior parte das nações filiadas a ONU - e dessa vez traga da viagem algo proveitoso para embasar futuros julgamentos.

Sergio Saraiva Ridel sergiosridel@yahoo.com.br

São Paulo 

*

INDULTO BANDIDO

A palavra indulto significa perdão, clemência, privilegio etc. E todos nós sabemos que em datas comemorativas ou festivas, os presidiários de "bom" comportamento têm o direito ao indulto, ou seja, a saidinha do presídio! O absurdo; em comemoração ao dia das mães, Suzane von Richthofen, condenada pela morte da própria mãe, e Anna Carolina Jatobá, que jogou a criança do 6.º andar, foram contempladas com direito a saidinha! E o que dizer do caso do delegado da Polícia Federal, que foi morto por um bandido condenado a 26 anos de prisão. Pois é! Enfim, bandidos e criminosos devem ser tratado como tal, sem benefícios, mesmo porque o sistema prisional é falido, não reintegra ou recupera ninguém. Os presídios do País são escolas e faculdades do crime, com doutorado e mestrado! Não é mesmo! Reflexão: indulto é um crime contra a sociedade honesta e trabalhadora! 

Alex Tanner alextanner.sss@hotmail.com 

São Paulo 

*

LICENÇA MORTAL

Toda licença de saída da prisão, seja para o dia das mães, Natal, etc, acaba resultante em vários crimes, assaltos ou o que é pior, mortes. Ou seja, a cada soltura é decretada automaticamente, "pena de morte para alguns cidadãos". Como o criminoso está preso, porque não tem condições de conviver em sociedade e já que está mais do que demonstrado, que o critério da seleção de quem pode sair não funciona, por que não se revoga esta medida maléfica.

Ulysses Fernandes Nunes Junior ulyssesfn@terra.com.br

São Paulo 

*

JUDICIALIZAÇÃO DO PAÍS

O STF tem invadido competências dos Poderes Executivo e Legislativo, a exemplo do que fez recentemente com relação à amplitude do artigo 102 da Carta Magna, que trata da prerrogativa de foro. Entretanto, cumpre lembrar que os Poderes invadidos, quando lhes convém, ficam silentes. Em caso contrário, esbravejam, mas não tomam atitudes visíveis para a população. Quem cala, consente!

José Carlos de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

*

SIC

O "solta-solta" feito pelo ministro Gilmar Mendes é por muita erudição jurídica ou por desconhecimento do que se passa no Brasil da corrupção?

Tania Tavares taniatma@hotmail.com

São Paulo 

*

A CONSPIRAÇÃO DA CIA NO BRASIL

"Não acredito em teorias da conspiração, mas que elas existem, não tenho dúvida". O vazamento dos documentos da CIA (aquela mesma que assegurou haver armas de destruição em massa no Iraque), a respeito do general Ernesto Geisel, no período da ditadura militar, vem no exato momento que existe um princípio de insubordinação explícita nos quartéis, com alguns generais pregando abertamente um novo golpe militar. E o perigo de nos tornarmos uma republiqueta novamente comandada por militares não deve ser desprezado, afinal, grande parcela da população, dita esclarecida, admite e se declara favorável a uma nova intervenção aos moldes daquela de 1964. Cansaram de democracia. Preferem a tirania e desprezam a liberdade. "Quem não conhece a História, está condenado a repeti-la". Agora, a Comissão da Verdade (da meia verdade) vem com a irresponsabilidade da revisão da Lei da Anistia, numa clara tentativa de revanche contra a caserna. A situação se deteriorará bastante se essa proposta demagógica e oportunista prosperar, afinal, o Brasil não tem nada a ganhar, mas certamente tem muito a perder numa caça às bruxas dessa monta. Somente inocentes inúteis não admitem que Geisel e todos os presidentes do período militar sabiam exatamente o que se passava nos porões da ditadura. Mas daí a querer reviver e remoer aquele período de trevas em plena véspera de uma das eleições mais importantes da nossa História, já é subserviência demais aos EUA. Justamente eles que apoiaram o golpe de 64, agora, vem com memorandos internos e como se não tivessem nada a ver com aquilo que ocorria em toda América do Sul? Alto lá! As Forças Armadas são uma das instituições mais importantes da Nação. Garantidoras da soberania nacional e detentora de valiosos conhecimentos estratégicos do País. Merecem respeito e não devem ser estigmatizadas apenas pelo período da ditadura, quando tem um legado centenário em favor do Brasil e dos brasileiros. É legítimo que militares da reserva se candidatem a cargos públicos nas próximas eleições, pois existem excelentes quadros no Exército, na Aeronáutica e na Marinha. Dentro da ordem democrática os militares são muito bem vindos. Fora daí, nunca mais. 

Sandro Ferreira sandroferreira94@hotmail.com

Ponta Grossa (PR)

*

MILITARES

Por ocasião da divulgação do relatório da CIA sobre atitudes do general Geisel, quando presidente, vejo o seguinte: por que a divulgação desse relatório tantos anos depois? Que novidade isso traz? No que ele pode ajudar o País? Nos anos do governo militar, havia alguma discussão política no Brasil e essa discussão era de cunho ideológico. Apesar das censuras, perseguições, e prisões existia um questionamento sobre a atuação de um regime de direita e o que seria atuação de um regime de esquerda e um sonhado ambiente de liberdades. A população brasileira, me parecia, tinha mais senso de politização. Na abertura política, no governo Figueiredo, começam as movimentações e militâncias dos partidos e o nível e detalhamento das discussões levava a crer que teríamos governos democráticos, éticos e que promoveriam o desenvolvimento social e cultural do País. Engano. Nossa discussão hoje não tem nenhuma ideologia e o que vemos é uma polarização entre crime (corrupção, parasitismo, violência, aparelhamento do Estado) x trabalho (cumprimento das leis, investimento, progresso, transparência). Os militantes políticos da esquerda de hoje são verdadeiros cãezinhos nazistas amestrados, a direita liberal ainda não está definida e mesmo a imprensa tem tido dificuldades de analisar o Brasil. Falta-nos liderança de qualidade, que não foi formada nem no governo militar e muito menos nos anos de democracia corrupta. Chegamos a um nó cego?

André Luis Coutinho arcouti@uol.com.br 

Campinas

*

GEISEL SEM PEDESTAL

Ditadura no Brasil só houve uma, foi civil e o ditador chamava-se Getúlio Vargas. Colocar em dúvida a honestidade de propósitos de um homem que a senhora conheceu pessoalmente por conta de uma história inverossímil? Quem "grampeou" a reunião dos quatro generais? Ou um deles era um agente da CIA infiltrado? Não dá liga! Quanto ao Gaspari ele que agradeça a quem o presenteou com o arquivo do Golberi, que só ele pode consultar e contar a história como melhor lhe convier para vender seus livros. Dalari é aquele da "comissão da meia-verdade" que se recusou a ouvir os esquerdistas, terroristas e guerrilheiros? Que se recusou a ouvir os familiares do jornalista Regis, morto pela bomba no aeroporto de Guararapes? Que se recusou ouvir a história do militante comunista que atirou e matou Edson Luís? Que deixou de incluir 117 nomes de brasileiros sem grife, mortos pelas esquerdas? Bastante isento e imparcial!

Marco Balbi mbalbi69@globo.com

Rio de Janeiro

*

REGISTROS DA CIA 

Não é o Brasil que pede registros da CIA sobre o governo militar, mas sim o atual chanceler em cujo currículo esta o fato que foi motorista de Marighella. Embora hoje seja tucano e democrata, lá no fundo bate mais forte o guerrilheiro que nos queria impor a ditadura do proletariado.

Ulf Hermann Mondl hermannxx@yahoo.com.br

São José (SC)

*

O MP E O SEU DEVER

Em matéria do "Estadão", que trata dos supostos abusos do Ministério Público (MP), repetiu-se a mesma ladainha dos políticos acossados pelas irregularidades que cometem e que elegem o Ministério Público como o seu desafeto. É simples de perceber o motivo. Como fiscal da lei, cabe ao MP cobrar os governantes pelas creches que não são construídas, pela falta de medicamentos às pessoas que deles necessitam, pelos desvios decorrentes da corrupção, pelo respeito às normas de proteção ao meio ambiente ou ao consumidor. Não se trata de querer administrar as cidades, os Estados ou o País, mas simplesmente de lutar pelo cumprimento da lei em benefício da sociedade, tal como lhe impõe a Constituição Federal. 

Rodrigo Augusto de Oliveira raugustooliveira@uol.com.br 

Campinas

*

EM DEFESA DO POSITIVISMO JURÍDICO 

Ainda gosto de ler o jornal impresso. Comecei a folhear o "Estadão" no último sábado (12/5) e logo me deparei com o artigo de Dom Odilo Scherer (A2). Gosto de ler Dom Odilo, mas, na mesma página, logo ao lado estava o artigo do professor Eros Grau, ex-ministro do STF. Optei por ler primeiro o artigo do professor e deixei para depois o artigo do Cardeal Arcebispo de São Paulo. O artigo é excelente e vale a pena ler em sua integralidade. O professor logo destaca o princípio da separação dos Poderes na estrutura da República, ressaltando que quem faz as leis é o Legislativo e quem as aplica são os juízes. Ele afirma de maneira contundente que "volta e meia os juízes fazem as suas próprias leis". Destaca que a independência judicial é vinculada à obediência dos juízes à lei e que os juízes são servos da lei. Eros Grau insiste em afirmar que os juízes aplicam o Direito, não fazem Justiça. Em outras palavras, diz que não se deve "jogar para a torcida", o que tem acontecido com muita frequência nas decisões judiciais. E prossegue afirmando que justiça absoluta só pode emanar de Deus, e que "os homens, na esfera em que estamos não produzem Justiça, só lá em cima há jus!". O ex-ministro do STF afirma que tem medo dos juízes, em especial dos juízes dos tribunais, que insistem em substituir o controle de constitucionalidade, por controles de outra espécie. Bem, para entender melhor só lendo o artigo por inteiro. Mas o que eu gostei mesmo foi da palavra final: "Ao cabo destas expansões o que me dá paz é ler, na Bíblia, o profeta Isaías (32,15-17): quando alcançarmos a Restauração Final, 'uma vez mais virá sobre nós o espírito do alto. Então o deserto se converterá em pomar, e o pomar será como uma floresta. Na terra, agora deserta, habitará o direito, e a justiça no pomar. A paz será obra da justiça, e o fruto da justiça será a tranquilidade e a segurança para sempre'. Move-me a esperança em que a defesa do positivismo do Direito me faça no futuro chegar lá". Não deixarei de ler o artigo de Dom Odilo. Mas as palavras do professor me fizeram lembrar-me do que Jesus disse ao entrar em Jerusalém. O povo gritava - "Bendito é o Rei que vem em nome do Senhor! Paz no céu e glória nas maiores alturas! Jesus foi instado a repreender a multidão e respondeu - "Se eles se calarem, as próprias pedras clamarão' (Lucas 19:38-40). Pois bem, as pedras estão clamando - Justiça perfeita só mesmo a divina! Não adianta sonhar com decisões judiciais que venham a fazer justiça. E é bom não esquecer que para entrar no céu, Deus já deixou a receita - tem de reconhecer que é pecador e precisa assumir Jesus como Salvador (João 3:16-18). No Reino de Deus a paz será obra da Justiça, e o fruto da Justiça será a tranquilidade e a segurança para sempre. Sejamos servos de Cristo neste mundo dominado por dor, sofrimento, trapaça, desonestidade e engano!

Amilton Alvares amilton@2registro.com.br

São José dos Campos

*

MORTES NO TRÂNSITO

Na matéria "Após cinco anos em queda, mortes no trânsito têm alta de 23%" (13/5, A22), o professor Carlos Guimarães, da Unicamp, afirma que o problema é falta de fiscalização. Concordo. Em minha cidade, Pouso Alegre, em setembro de 2017 fiz um vídeo denunciando problemas de iluminação (faróis, lanternas e luzes de freio queimadas) de vários ônibus da empresa responsável pelo transporte público municipal (https://youtu.be/YPfDMQTjVYQ). Enviei a denúncia à Secretaria Municipal de Trânsito e a todos os vereadores da cidade. Mesmo assim, nenhum dos veículos recebeu uma única multa por isso.

Luciano Nogueira Marmontel automatmg@gmail.com

Pouso Alegre (MG)

*

MOBILIZAÇÃO CONTRA O PACOTE DO VENENO

Como se não bastasse o Brasil ser o maior consumidor de agrotóxicos do planeta, utilizando alguns já proibidos na União Europeia, EUA e até na China, nosso deputados querem afrouxar as leis através da PL 6.299/2002) para aprovação de novos produtos. Já está mais do que comprovado os efeitos perniciosos dos agrotóxicos em todos os seres vivos e ao meio ambiente, acelerando o aparecimento de novas doenças e até tornando as pragas resistentes, gerando prejuízos aos agricultores que necessitam comprar cada vez maiores quantidades de venenos. Nas eleições em outubro precisamos lembrar-nos dos nomes dos deputados favoráveis ao pacote do veneno, principalmente do deputado Luiz Nishimori (PR-PR) e da deputada Teresa Cristina (DEM-MS), pois, políticos que não se preocupam com a saúde dos cidadãos não merecem nossos votos.

Daniel Marques danielmarquesvgp@gmail.com

Virginópolis (MG)

*

PAULO FREIRE DISCUTIDO

Não há maior homenagem a Paulo Freire do que discutir seu pensamento. Como ele disse: "Não é no silêncio que os homens se fazem, mas na palavra, no trabalho, na ação-reflexão". Gênio que era, Freire tinha consciência de que os avanços sociais não ocorreriam como num passe de mágica: "Mudar é difícil, mas é possível". Paulo sabia que uma sociedade justa não adviria do acaso: "Eu sou um intelectual que não tem medo de ser amoroso. Amo as gentes e amo o mundo. E é porque amo as pessoas e amo o mundo que eu brigo para que a justiça social se implante antes da caridade".

João Baptista Herkenhoff jbpherkenhoff@gmail.com

Vitória

*

USP

A USP está de parabéns por ter decaído apenas uma posição no ranking do THE, apesar do desmonte que vem sofrendo na gestão dos últimos reitores.

Tibor Rabóczkay trabocka@iq.usp.br

São Paulo 

*

A SELEÇÃO DO TITE AGRADOU 

Assistia ao comentarista Neto na Band, com suas opiniões meio que fora de ponto e algumas até aceitáveis, mas defender Danilo como titular na lateral direita em detrimento do Fagner, aí cheira a antipatia pura. O corintiano é melhor na marcação e apoio onde tem mais criatividade e perde apenas na altura contra o boleiro do City. Acho se ele se recuperar bem fisicamente até os amistosos ele será o titular do Tite ou, acham que o médico da seleção foi ao Corinthians verificar sua situação médica só para convocar como reserva de Danilo? 

Laércio Zanini spettro@uol.com.br

Garça

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.