Fórum dos Leitores

Cartas selecionadas para a edição impressa e portal estadao.com.br

O Estado de S.Paulo

26 Maio 2018 | 03h00

COMBUSTÍVEIS

Estado de sítio

Estado de sítio é medida de emergência que se impõe quando um país está sob ameaça de guerra externa ou de calamidade pública. A calamidade pública está posta com o locaute das empresas de transportes e a greve dos caminhoneiros autônomos. Impõe-se a imediata decretação do estado de sítio para debelar essa agressão ao povo brasileiro, que não pode continuar refém desse movimento. 

HÉLIO DE LIMA CARVALHO

hlc.consult@uol.com.br

São Paulo

Locaute

O suposto pacto entre os sindicatos de empresas de transporte e de caminhoneiros autônomos comprova que quando capital e trabalho se unem não há governo que resista.

YVETTE KFOURI ABRÃO

m.abrao@terra.com.br

São Paulo

Ordem na bagunça

Um lembrete aos comandantes das nossas bravas Forças Armadas: se algum dos nossos belicosos vizinhos resolvesse invadir nosso querido e idolatrado território, como seria nossa reação, sem combustível para nossas modernas máquinas de guerra e sem alimentos para o rancho dos nossos valentes pracinhas? Não é a hora de dar um basta e impor ordem nesta bagunça?

NESTOR R. PEREIRA FILHO

rodrigues-nestor@ig.com.br

São Paulo

O poder no Brasil

O presidente é refém do Congresso e a Nação é refém dos caminhoneiros. Só nas crises ficamos sabendo quem realmente detém o poder no Brasil.

PAULO SÉRGIO ARISI

paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre

Aplique-se a lei

Milhões de trabalhadores foram afetados pelo movimento do caminhoneiros. O direito de ir e vir foi subjugado por essa categoria. A pergunta que fazemos diante desse protesto irracional: houve ou não o enquadramento infracional previsto no artigo 253-A do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), que dispõe sobre perturbação da circulação na via pública, cuja infração é de natureza gravíssima e penalidade de fator multiplicador por 20, ou seja, R$ 293,47 x 20 = R$ 5.869,40? E tem mais ainda, os organizadores também são punidos, basta consultar a Lei n.º 13.281/2016, que alterou o CTB.

ALOISIO PEDRO NOVELLI

celnovelli@terra.com.br

Marília

Setor ineficiente

Impostos altos, ineficiência dos gastos do governo, reconstrução da Petrobrás, política de preços de reajuste de derivados de petróleo, ação do Estado contra grevistas. Todos esses temas foram discutidos na última semana. Mas por que não se discute o fato de que o que está sendo pedido pelos caminhoneiros é, na realidade, que a sociedade subsidie a ineficiência do setor de transporte rodoviário?

OSCAR THOMPSON

oscarthompson@hotmail.com

Santana de Parnaíba

Alternativa óbvia

Não está na hora de pensar seriamente numa rede ferroviária que atenda às principais cidades brasileiras?

SILVIO LEIS

silvioleis@hotmail.com

São Paulo

Erro do passado

Erro cometido por um presidente da República há mais de 50 anos, quando deu prioridade ao transporte rodoviário em detrimento do ferroviário, acabou sendo catastrófico nos últimos dias. Os caminhoneiros ganharam uma arma fantástica para pressionar o governo. Quem sofre com isso é a população.

TOSHIO ICIZUCA

toshioicizuca@terra.com.br

Piracicaba

Extrapolaram

A principal reivindicação dos caminhoneiros em greve, a redução do preço do diesel, é justa, mas os grevistas extrapolaram. Estão se sentindo poderosos diante do caos que poucos dias de estradas bloqueadas causaram por todo o País e se achando acima da lei e do direito de ir e vir de todo cidadão. O Brasil não pode ficar tão dependente do transporte rodoviário, muito menos na mão dos caminhoneiros. Uma única locomotiva puxa o equivalente a dezenas de caminhões carregados de carga. Navios e barcaças, idem. É oportuno cobrar dos candidatos propostas de investimento nas malhas ferroviária e hidroviária, cujo custo da tonelada transportada é bem inferior ao rodoviário.

JOÃO MANUEL MAIO

clinicamaio@terra.com.br

São José dos Campos 

Greve justa, mas...

Com revolta assisti a um vídeo em que um senhor é obrigado a jogar pelo ralo mais de 3 mil litros de leite in natura por não ter como nem onde estocá-lo. Considero justa a greve dos caminhoneiros, porque estão lutando para trabalhar com lucro, tentando conter os aumentos abusivos da Petrobrás, que têm reflexo direto em cada um de nós. Mas que culpa tem o produtor de leite se a destilaria de Pasadena foi comprada por um preço muito mais alto do que valia (com dinheiro nosso, claro)? E qual a culpa do bebê que acabou de nascer se há pouco tempo os governantes tentavam camuflar a inflação segurando aumentos necessários dos combustíveis? Pagamos tanto imposto que passou da hora de os políticos pensarem no povo que os elegeu. São tamanhos os indícios de corrupção que passou da hora de “essa gente bronzeada mostrar seu valor”, exigindo a redução de mordomias e salários de nossos representantes (eles nos representam mesmo?). A fome e o frio matam. Mas a corrupção mata muito mais. 

M. DO CARMO Z. LEME CARDOSO

zaffalon@uol.com.br

Bauru

Alguém precisa parar

Os políticos não querem parar, buscam incessantemente a reeleição, mas, a bem ver, não são imprescindíveis, já que pouco ou nada fazem pelo Brasil. A presidente defenestrada, que não encontrou ainda forma e lugar, não quer parar; e ela não é imprescindível. O hóspede de Curitiba também não quer parar, vai lançar sua candidatura em breve. Para mim, pessoalmente, ele não é imprescindível. Os incluídos na folha de pagamento oficial, em suas mais diversas instâncias, cara e ineficiente, não querem que parem as mordomias e benesses. Mas ela não é imprescindível, pelo tamanho e custo que tem. E porque os que não são imprescindíveis não querem parar, os que o são estão parando. Penso ser prematura, ainda, a comparação com o que aconteceu no Chile em 1973, porém sabemos que muitas vezes os mais variados caminhos levam ao mesmo destino.

MARCIA MEIRELLES

marciambm@yahoo.com.br

São Paulo

SEQUÊNCIA INFERNAL

O "governo das reformas" não conseguiu aprovar a reforma mais necessária, a da Previdência. Para cobrir o rombo, aumentou os impostos. A Petrobrás aumenta os preços dos combustíveis, como se o petróleo brasileiro fosse extraído no exterior. Para reclamar dos sucessíveis aumentos, os caminhoneiros acham-se no direito de parar o País, provocar crise de abastecimento de tudo e interrupção dos serviços que dependem do óleo diesel. Os brasileiros ficam atônitos, sem saber como se defender contra todas estas agressões. No meio desta crise toda, alguns deputados federais ainda estão se preocupando com a condição da prisão de Lula. Deprimente e revoltante! 

Omar El Seoud elSeoud.USP@gmail.com 

São Paulo

*

SOLUÇÃO PARA O CAOS

O presidente Michel Temer está num beco sem saída. O governo propôs um acordo, uma espécie de trégua com os caminhoneiros, a fim de que as paralisações ficassem suspensas pelo período de 15 dias, enquanto uma solução definitiva seria estudada e aprovada pelos poderes envolvidos e com competência constitucional para tal. Até a noite de quinta-feira, a equipe palaciana acreditava e nos fez acreditar que, finalmente, encontraram uma luz no fim do túnel e que, ainda que temporariamente, o caos seria controlado. Eis que na manhã de sexta-feira, o desabastecimento não só continuou como tem se agravado ao longo do dia. A fome excessiva do Estado por arrecadação foi e tem sido a grande causa desta e de outras manifestações. Arrecada-se muito, mas a distribuição de toda essa riqueza é péssima, quase inexistente. A paralisação dos caminhoneiros deve servir de norte e de alerta a toda classe política, de modo que entendam que a população, seja ela de qual categoria profissional for, está disposta a parar o Brasil se for preciso. Embora eu apoie a manifestação destes nobres profissionais, é preciso que se encontre uma solução rápida e logo. Enquanto o governo e o Congresso Nacional fazem contas erradas ou certas que giram na casa dos R$ 10 bilhões em renúncia fiscal, o Brasil está perdendo muito mais nesses dias de paralisações. Tiremos os benefícios da classe política e privatizem as estatais que não são necessariamente estratégicas. O que não pode é deixar esse país entregue à própria sorte.

Willian Martins martins.willian@globo.com

Guararema

*

TRÉGUA COISA NENHUMA

O presidente Michel Temer pediu uma trégua para os caminhoneiros. O governo federal e seus 2,2 milhões de servidores é que precisam dar uma trégua ao povo brasileiro, que paga impostos e não recebe um retorno digno. O péssimo planejamento do governo Temer, aliado ao descontrole dos gastos públicos mantém o País nessa situação caótica. Os índices oficiais mostram números de uma economia saudável, coisa que não se percebe nos preços dos alimentos, medicamentos, escolas e combustíveis. Os políticos extrapolaram todos os limites suportáveis. Se não estivéssemos num ano eleitoral, teríamos a volta da CPMF ou alguma outra roubalheira parecida. Chega de palhaçada!

José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br

Belo Horizonte 

*

CAMINHONEIROS ATROPELARAM GOVERNO

Caminhoneiros, a mais poderosa organização do País, atropelaram os patetas do Planalto, que ficaram dando voltas, como baratas tontas, sem saber para que lado ir. Enquanto Temer e Meirelles brincavam de candidaturas à Presidência com Rodrigo Maia, as estradas do Brasil pegavam fogo! Foi preciso que Pedro Parente fizesse o óbvio: estancar o aumento do preço do óleo diesel e dar um desconto de 10% por 15 dias, na Petrobrás. Mas a crise continua. Câmara e Planalto não se entendem. Pis, Cofins, reoneração, etc. Reuniões e mais reuniões. O diesel na pauta. Os caminhões na estrada atropelando o governo.

Paulo Arisi paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre 

*

CAOS NO PAÍS

Diante do caos nas estradas, o presidente da República não pode pedir trégua, paciência e tempo para enfrentar adversidades, sob pena de parecer rendição e capitulação diante da realidade, perante todo o País. Se não tem estatura para o cargo e não pode oferecer sangue, suor e lágrimas, melhor renunciar antes de enfrentar a 3.ª denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR) e, assim, evitar ser afastado do poder nos próximos meses.

Luiz Roberto Da Costa Jr. lrcostajr@uol.com.br

Campinas

*

FALA DE MICHEL TEMER

Uma afronta aos caminhoneiros, quando o presidente em sua fala, os coloca como crianças birrentas, que após receberem tudo o que "eles pediram", não cumpriram o encerramento da greve. Uma afronta que as forças nacionais sejam ativadas dessa forma, quando "movimentos sociais" sempre tiveram livre arbítrio para incendiar e bloquear estradas. Temer fala em graves efeitos; e os grandes efeitos do desgoverno desse país? Talvez, sr. presidente, seja mais conveniente cortar as "verbas" destinadas à corrupção e aos benefícios inimagináveis destinado à classe política. Seria uma economia enorme, o que daria para colocar, com alguma evidência, as reais necessidades da Nação. No mais, respeite os caminhoneiros, pois são trabalhadores que como nós, movimentam em suas árduas rotinas, a máquina desgovernada desse país.

Ana Silvia Peixoto P. Machado anasilviappm@gmail.com

São Paulo

*

INDIGNAÇÃO!

Graças às irresponsabilidades e populismos dos governos Lula-Dilma (PT) em relação aos aumentos da gasolina e derivados, estamos vendo a revolta e indignação dos caminhoneiros que, com razão, pedem a redução dos impostos no diesel e outros tributos em excessos. Mas nós todos devemos exigir não só esta redução, mas também do número de senadores, deputados federais e estaduais e vereadores, que são sugadores dos nossos impostos com superaposentadorias a ex-presidentes, parlamentares, servidores e outras mordomias, além de nos roubarem pelas propinas exigidas nas estatais. Com os nossos impostos, devolvem-nos o mínimo em relação a tudo: Educação, Saúde, Segurança, Transportes, etc. Nós todos podemos colaborar para começar uma transformação no nosso país. Não vote em branco, não anule seu voto, e não os reeleja. Esta será a nossa manifestação!

Tania Tavares taniatma@hotmail.com

São Paulo

*

HERANÇA DO PT

Almoço grátis é uma invenção marxista para enganar o proletariado e os ingênuos. A verdade é que no governo PT, a Petrobrás foi maltratada saqueada por quadrilhas e usada para se fazer populismo, mantendo artificialmente os preços sob controle para fins eleitoreiros como ferramenta política para se ganhar votos, além da distribuição de bilhões em propinas. Resultado? Não existe almoço - algum - grátis. E a conta chegou com os inevitáveis aumentos para tirar a petroleira do vermelho com uma greve que ameaça paralisar setores importantes do país. E como sempre, a conta será paga pelos contribuintes. Essa foi a bomba relógio herdada pelo PT.

Paulo R. Kherlakian paulokherlakian@uol.com.br 

São Paulo

*

APOIO OS CAMINHONEIROS

Muitos dizem que no governo petista eles usaram benesses e prejudicaram a Petrobrás mantendo uma política populista de preços (para baixa) dos combustíveis. Gostaria de lembrar que na época em que o preço do petróleo internacional do barril ultrapassou os US $ 100 e fizeram a alegria de Hugo Chávez na Venezuela, os brasileiros não pagavam um preço absurdo pelos combustíveis usados (gasolina, diesel, álcool e GLP) e as ações da Petrobrás valiam mais de R$ 100,00. Além disso, os políticos mal intencionados meteram a mão na Petrobrás e se enriqueceram. Veio o governo Temer e Parente, e, em nome de recuperar (?) a Petrobrás, adotaram uma política absurda de reajustes quase diária dos combustíveis e infelicitaram todos os brasileiros. Mas a Petrobrás começou a ter lucros extraordinários que não tinha fazia muitos anos. Para quê? Uma estatal sem concorrência tem que atender o povo e não lucrar em cima dele. 

Mauricio Lima mapeli@uol.com.br

São Paulo 

*

POLÍCIA NOS CAMINHONEIROS

Na realidade, o que os caminhoneiros estão fazendo além de ilegal, é brutal para o povo. Mas a questão é que com imbecis políticos, só a força resolve, e o que os caminhoneiros estão fazendo, e cobrir o vácuo das Forças Armadas que já deviam ter intervindo na bagunça há muito tempo, e está dormindo em berço esplêndido, claro que tendo um chefe como Jungmann, um comunista amarelado. No Brasil os combustíveis são  decisão do governo, a Petrobrás é apenas uma estatal mal gerida, e como os bancos, tem o lucro que quiser, basta ser bem gerida, o que estão longe de ser. É um país que se movimenta no "lombo de caminhões", uma greve dessas já começa a faltar alimentos, e só vemos ver quando faltar peças, querosene para aviões etc., quando a vaca já estiver no brejo até o pescoço.

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com 

São Bernardo do Campo

*

PM

Gostaria de saber o que está esperando o governador de São Paulo para mandar a Polícia Militar (PM) desobstruir as estradas

Jorge Eduardo Gonella Zambra jorgegonella@hotmail.com

São Paulo 

*

SEMPRE NÓS

Como nunca antes neste país, o objetivo da greve dos caminhoneiros foi plenamente alcançado. O momento agora é de encerrá-la e voltarmos à vida normal. Do lado negativo influenciou abruptamente no nosso custo de vida, imaginem o custo que ela instalou entre nós, uns por fatores naturais outros por exploração, mas, como sempre, cai sobre nossas costas.

Laert Pinto laert_barbosa@globo.com

São Paulo

*

FARTOS

Os caminhoneiros estão dando o recado da sociedade: estamos fartos de ter que pagar pela desonestidade de nossa classe política e de ter que aturar a impunidade. Regalias, como a do foro privilegiado só podem existir como a palavra diz, nas monarquias. Desta vez, Vossa Majestade e Vossas Altezas "vão entender".

Irene Dell' Avanzi irenedellavanzi@hotmail.com

Itapetininga 

*

NÃO É GREVE DE AMADORES!

É legal, é moral, é ético ou é justo uma categoria profissional paralisar um país? O interesse individual pode se sobrepor ao interesse social? Além do mais, há várias formas legítimas de lutas para fazer um país progredir, saber votar é uma delas, embora isso desagrade aos espertalhões de plantão, que devem estar eufóricos, pois amantes que são do quanto pior melhor! Ah! Já ia me esquecendo: a Petrobrás tem de pagar milhões e milhões de dólares aos investidores americanos, em decorrência de processos judiciais que não precisariam existir... 

Arlete Pacheco arlpach@uol.com.br

Itanhaém 

*

ATO DOS CAMINHONEIROS

Sem contestar o mérito do ato, há de se indagar qual organização política lhe dá sustentação. Os acontecimentos expõem também a necessidade da revisão estrutural do sistema político nacional, eis que os políticos são os únicos blindados contra as penúrias pelas quais passa o povo brasileiro. É o caso também de se exigir sua contribuição na imprescindível redução de gastos públicos, eis que qualquer elevação de impostos excede a já explorada capacidade contributiva do cidadão.

Ottfried Kelbert okelbert@outlook.com

Capão Bonito

*

'PARABÉNS CAMINHONEIROS'

Quem sabe agora, com a greve dos caminhoneiros, o povo descobre a força que tem e a escória da política nacional, tome vergonha na cara. Acho bom que fiquem espertos, pois se ninguém tomar providências, principalmente as Forças Armadas, quanto ao caos que estamos vivendo, o próximo passo será invadir o Congresso Nacional e enxotar a bandidagem que lá se alojou.

Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@uoil.com.br

São Paulo 

*

QUE PAÍS É ESSE?

Que absurdo... O que fazem os nossos governantes? Pelo visto não temos governo para chegarmos aonde chegamos... Quando os "bananas" do desgoverno darão uma solução à calamidade da falta de combustíveis em razão de justa greve dos caminhoneiros? Já passamos do quarto dia de greve, quando teremos uma solução? Que vergonha! Os abusos dos preços superam ao exagero. Enquanto i$$o políticos e servidores se apoderam do dinheiro público! É chegada a hora da "intervenção militar" ou da renúncia do ministro "marcha lenta" e do presidente omisso? Que país é e$$e?

Luiz Dias lfd.silva1940@gmail.com 

São Paulo

*

A CRISE E AS VIAGENS DE EUNÍCIO

Depois de declarar que entre "parentes" fica com o consumidor o "Índio", digo sr. Eunício, fez a "ponte" Brasília-Fortaleza-Brasília, no mesmo dia, pela FAB (obviamente não sentiu as dificuldades dos "consumidores" e nem com a falta de combustível), tudo isto também sensibilizado com a crise. Assim "dirige-se" este país. 

Angelo Baucia baucia@terra.com.br

São Paulo 

*

APOIO

"Somos todos caminhoneiros".

Celita Rodrigues celitar@icloud.com

Avaré

*

SOMOS TODOS ANIMAIS DE CARGA... TRIBUTÁRIA

Esses caminhoneiros são engraçados, só agora descobriram que estão pagando para trabalhar? Não perceberam que todo brasileiro trabalha, em média 123 dias do ano só para pagar impostos?

Sergio Salgado de Oliveira ssoliveiramsm@gmail.com

Monte Santo de Minas (MG) 

*

SAUDADES

Quem se lembra de ministra inglesa Margaret Thatcher? Não precisou da força nacional nem Supremo Tribunal Federal (STF). Pra acabar com a greve dos mineiros.

Moisés Goldstein mgoldstein@bol.com.br

São Paulo

*

DÁ PARA ENTENDER?

Os EUA são os maiores importadores de petróleo do mundo, e o Brasil um dos grandes produtores, atualmente. No entanto o preço final dos combustíveis por lá é quase 50% menor do que por aqui. Ou seja, nossa tributação é exagerada e os intermediários ganhando muito, correto?

Carlos Eduardo Barros Rodrigues ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo

*

DÓLAR E REAL

Não sou economista, e, muito menos, tenho procuração para defender os caminhoneiros, mas, se vivemos no Brasil onde a moeda circulante é o real, se compram e pagam os caminhões em real, recebem o frete em real, por que o reajuste de combustíveis tem que acompanhar o preço do mercado mundial e a oscilação do dólar? Principalmente se somos quase suficientes em petróleo.

Arnaldo Luiz de Oliveira Filho arluolf@hotmail.com

Itapeva 

*

IMAGEM DO DIA

A verdadeira imagem do titã Brasil: um cãozinho baratinado, com o rabo entre as pernas, refém dos comandos de greve, da instabilidade dos mercados e do próprio abuso econômico.

Ricardo Siqueira ricardocsiqueira@globo.com

Niterói (RJ) 

*

PSDB NO ETERNO EM CIMA DO MURO!

O ex-governador de PSDB-MG, Eduardo Azeredo foi preso por ter participado do chamado "mensalão tucano". Levaram 20 anos para que psdbistas do alto do muro resolvessem expulsar o corrupto e isso apenas porque Alckmin, atual candidato, viu na permanência de Azeredo empecilho a sua candidatura. Só que continuam errando mantendo Aécio Neves no partido, tendo gravações, delações, etc. que o colocam também na sala da corrupção. E do "alto do eterno muro" a paisagem do PSDB, agora nublada, corre risco de nem chegar ao segundo turno nas próximas eleições, justamente porque são fracos e não tomam atitudes. Será que eles pensam que no Brasil seu eleitorado dorme em berço esplendido como eles? Só tenho pena de ter perdido tantos anos votando nessa sigla, porque a cada dia que passa se mostram tão iguais quanto os outros. 

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br 

São Paulo 

*

E AÉCIO?

O tucano Eduardo Azeredo, ex-senador e ex-governador de Minas Gerais condenado no chamado "mensalão mineiro" tem ordem de prisão expedida pela MM. Juízo da 9.ª Vara Criminal de Belo Horizonte (MG). Petistas, irresignados, perguntarão: mas e Aécio?

Silvio Natal silvionatal49@gmail.com

São Paulo 

*

PRISÃO DE AZEREDO

Se o mensalão tucano foi precursor do mensalão petista, por que a Justiça demorou 11 anos para mandar prender o ex-senador e ex-governador de Minas e somente quatro no caso do ex-presidente Lula?

Marcos Abrão m.abrao@terra.com.br 

São Paulo 

*

FESTEJAR O QUÊ?

Esses últimos dias na Pauliceia desvairada tem sido congelante. As temperaturas bateram recordes. Vivemos índices por volta de 8ºC, ventos e árvores tombadas duma chegada antecipada de inverno. Lulistas e Curitiba, a 3ºC, já devem estar reconsiderando seu "heroísmo por uma causa perdida". Ou seja: o que a lei não fez o frio fará. Em São Paulo capital, a tal "Virada Cultural", regada a bebidas alcoólicas, sexo, drogas e rock-and-roll, acabou deixando seu rastro de lixo para todo lado, vandalismo, como carro e prédio da polícia pichados no centro, para variar. É hora de acabar com essa virada que só enchem os bolsos de artistas, com dinheiro dos nossos impostos, que faz a maior cidade do País e mais populoso em Sodoma e Gomorra em nome de excrescência culturais. Resta saber quem mais fatura com isso?

Turíbio Liberatto turibioliberatto@hotmail.com

São Caetano do Sul

*

PARA ONDE VAMOS?

A que ponto chegamos: os Poderes Institucionais totalmente desacreditados. O Executivo não inspira nenhuma confiança, pois a classe dos caminhoneiros não acredita em suas promessas e, só encerrará a greve, após sair no Diário Oficial da União as medidas por ele pretendidas. O Legislativo não fica atrás. Num momento tão delicado o presidente do Senado se ausenta de Brasília para visitar seu reduto eleitoral no Ceará, demonstrando total falta de responsabilidade e sensibilidade. Bem, o Judiciário com suas decisões esdrúxulas e políticas deixam a população apreensiva e descrente. Para onde vamos?

José Olinto Olivotto Soares jolintoos@gmail.com 

Bragança Paulista 

*

BINGO!

"Em áudio vazado, ministros do STF classificam greve de caminhoneiros como 'absurdo'". Ao ler esta manchete sem abrir o texto completo, pensei com meus botões: "esta fala é de Gilmar Mendes"! Abri o texto para ler a reportagem e... Bingo! Era o dito cujo.

Jatiacy Francisco da Silva jatiacy@hotmail.com 

Guarulhos 

*

CONGRESSO

Que coisa mais vergonhosa. Os políticos, quando chega quinta-feira a tarde já voam de volta para seus Estados. O País com um problema para resolver, que é a greve dos caminhoneiros, e eles pensando neles. A situação é grave, beirando ao caos e eles indo para casa, tendo que ser convocados para retornarem a Brasília. O povo enfrentando filas, desabastecimento, e eles não estão nem aí. Pelo amor de Deus, fechem este Congresso. 

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro 

*

'UM SUS PARA A SEGURANÇA PÚBLICA'

O senador paulista José Serra escreveu neste jornal o artigo "Um SUS para a Segurança Pública" (24/5, A2). A frase destacada foi "Investimento em inteligência, informação e planejamento é a resposta ao crime". Aí o paradoxo. Serra quando governador de São Paulo junto com Mário Covas e Alckmin estiveram no poder do Estado mais rico e pujante da federação, por mais de 20 anos e só não conseguiram extinguir a Polícia Judiciária leia-se Polícia Civil, aquela que, realmente, pode e deve investigar crimes, graças ao arcabouço legal e a tenacidade de parte de seus integrantes. Isso foi um péssimo exemplo a outros Estados, que, lamentavelmente, seguiram essa equivocada visão da administração da Segurança Pública. Senador, ainda dá tempo de sair do papel e pugnar pela melhoria da Polícia Civil, mirando-se no exemplo da Polícia Federal. 

Ruyrillo Magalhães ruyrillopedro@gmail.com

Campinas 

UM SUS PARA A SEGURANÇA PÚBLICA

O senhor José Serra versando sobre Segurança Pública me lembra de Lula discursando sobre honestidade. Esquece esse senhor que em sua passagem pelo governo do Estado de São Paulo sua administração foi marcada pelo abandono e descaso para com esse assunto?

Elie Barrak egbarrak@gmail.com

São Paulo

*

TREM ATROPELANDO AVIÃO?!

Minha esposa é uma dessas pessoas que não se deixam impressionar pelo passar dos anos. Aos 71 é uma educadora atuante. Necessitando deslocar-se à Brasília, seu contratante adquiriu passagem na Latam para o horário das 6:30 horas do dia 23. Portanto ela deveria estar em Guarulhos as 5:00 horas. Lá chegando, verificou que o voo havia sido cancelado, sem mais explicações, embora as demais companhias estivessem funcionando normalmente. Depois de 2 horas de fila, deram-lhe um vale-taxi, realocando para o próximo voo de Congonhas. Depois de umas 2 horas de trânsito infernal, conseguiu embarcar para Brasília, lá chegando depois das 11 horas, tendo perdido toda uma manhã de trabalho. O curioso é que quando foi marcar seu retorno para São Paulo, e comentou com o funcionário sobre a tragédia matutina, ele afirmou que os cancelamentos que têm ocorrido na Latam não são devidos às condições meteorológicas, mas sim a problemas nos seus computadores que estão sendo afetados pelo trem recentemente inaugurado. Dá para acreditar?!

Nestor Rodrigues Pereira Filho rodrigues-nestor@ig.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.