Fórum dos Leitores

RESSACA DA PAREDE

O Estado de S.Paulo

31 Maio 2018 | 03h00

Crise de autoridade

Os desmandos e a total ausência de credibilidade dos governantes agouram a repetição, mais uma vez, de uma triste parte da nossa História, circunstância agravada pelo apoio de parte da nossa sociedade à intervenção sem medida no governo que aí está. Apesar de essa “greve” de “motoristas de caminhões” escancarar que o governo federal perdeu o comando do Brasil, a realidade é que, ainda assim, se trata de um governo constitucional e que a bem da manutenção da nossa frágil e remediada democracia precisa chegar ao seu marco final. A inércia dos candidatos à Presidência em colaborar para pôr fim a essa situação revela quanto o País está numa encruzilhada perigosa. Nenhum dos que até aqui se colocaram como opção para comandar o Brasil a partir de 2019 se manifestou, nem sequer externou uma mísera atitude de solidariedade ao povo, visando a minimizar os efeitos das paralisações. A letargia dos políticos – candidatos ou não – na busca de alternativas para esse vácuo de autoridade que toma conta do País está a prenunciar uma grave crise institucional. Os políticos já condenados e presos, bem como os(as) que estão na fila dos tribunais, em realidade são, em larga medida, os verdadeiros responsáveis por tudo isso que está aí. É necessário, por ser legítimo, que a sociedade ignore os que pretendam ver a instauração do caos e da instabilidade. O Brasil precisa urgentemente que a boa imprensa, os formadores de opinião propaguem a verdade dos fatos, as consequências decorrentes e os riscos do atual momento da Nação, de modo a permitir que o povo brasileiro se conscientize de que a única saída é a realização pacífica das próximas eleições gerais e compreenda que não se pode confundir o desejo da sociedade de viver num Estado com autoridade e estar submetido a um Estado autoritário.

CLAUDIO ANTELO

claudio@ahantelo.com.br

São Paulo

Lições do protesto

Se algo de positivo para a população se pôde extrair do protesto dos transportadores de carga, foi deixar claro que 1) a maioria dos cidadãos é incapaz de analisar racionalmente uma situação de crise e toma atitudes de forma emocional; 2) o corporativismo impera sobre os interesses nacionais e manipula as informações/redes sociais em seu próprio benefício; e 3) os pré-candidatos a dirigir este país (e seus grupos de apoio) ou são oportunistas ou não têm ideia, muito menos propostas de como resolver os problemas nacionais. Temos pouco tempo para exigir que os candidatos a nos representar a partir do próximo ano deixem claro o que de concreto pretendem fazer para nos tirar da crise econômica e política que atravessamos. Pois, como sabemos, com boas intenções e promessas irrealizáveis nada vai mudar. A conferir nas urnas.

JORGE R. S. ALVES

jorgersalves@gmail.com

Jaú

Miolo mole

No Brasil existem três tipos de protestos: dos que apostam no caos se o governo não for o “seu”, em geral petistas e afins; dos radicais de extrema direita que querem viver na ditadura, em geral são imediatistas e de visão estreita; e os miolo mole, ou seja, dos que raciocinam com o fígado e o cérebro amolece por falta de uso. Isso explica a baixa adesão ao governo Temer e nosso eterno subdesenvolvimento.

JOSE ED. BANDEIRA DE MELLO

josedumello@gmail.com

Itu

Primeiro eu

A greve dos caminhoneiros foi pródiga em mostrar o Brasil como ele realmente é: o país paradigma do “eu primeiro”. Não houve nenhuma preocupação de nenhum lado com a coletividade, o bem comum. Apenas a busca de interesses privados e corporativos. E ainda há quem não entenda por que motivo nunca engrenamos.

MARCELO MELGAÇO

melgacocosta@gmail.com

Goiânia

A greve e seus porquês

Como disse Berylla Sackville-Baggins, ou outro, sei lá quem: querem derrubar o Temer, tomar posse do petróleo, comandar a sociedade civil, invadir Miami, tirar o Trump no tapa, destruir a CIA, reinventar o pré-sal, institucionalizar os santinhos nos painéis de todos os veículos, proibir o radar, descriminalizar a ultrapassagem pela direita, instituir um governo militar contra a vontade dos milicos, baixar uma instrução normativa perdoando todas as multas de trânsito, eliminar os pedágios, acabar com o bafômetro, exigir a distribuição de cerveja gratuitamente pros iluminados, namorar a vizinha, desapropriar os restaurantes de estrada que servem pratos minúsculos, congelar os preços até a vinda do apocalipse, assegurar ingressos para a Copa, invadir a Rússia, tirar fotos com o Putin junto ao Neymar e havia ainda uma outra coisa que esqueci.

CARLOS COELHO

ccoelho1@uol.com.br

São Paulo

Não precisa tributar mais

No primeiro trimestre a Petrobrás anunciou um lucro líquido de R$ 6,9 bilhões, projetando, assim, um resultado de R$ 27,6 bilhões no ano. Como acionista majoritário com pelo menos 57% de participação, o governo tem direito a R$ 15,7 bilhões de dividendos. Somente de IRPJ e CSLL esse resultado gera ainda R$ 9,4 bilhões de impostos, totalizando pelo menos R$ 25 bilhões em receitas adicionais (já que no ano passado a empresa foi deficitária). Assim, mesmo que abra mão de Cide e PIS/Cofins, estimados em R$ 14 bilhões, há ainda R$ 11 bilhões sobrando nessa conta, que serão somados ao recuperado com as desonerações negociadas. Parece que não precisa de mais imposto, não, e ainda dá para baixar gasolina, gás de cozinha. Afinal, para isso é estatal, não?

OTAVIO BERNARDES

otavio@ingai.com.br

São Paulo

TREM DA ALEGRIA

Estado cada vez mais gordo

Com a atenção dos cidadãos em todo o Brasil voltada para a greve dos caminhoneiros e o temor de aumento de impostos para cobrir as concessões dadas pelo governo federal aos grevistas, li na Coluna do Estadão de ontem pequena nota intitulada Trem da alegria: “O Senado aprovou ontem MP relatada pelo senador Romero Jucá (MDB-RR) que efetiva como servidor federal quem teve vínculo com os ex-territórios de Rondônia, Roraima e Amapá até 1993. O custo é de R$ 3 bilhões”. Mais R$ 3 bilhões indo para o estômago insaciável desse Estado, cuja obesidade já ficou para lá de mórbida. Brasília realmente não faz parte do Brasil. Nós, exaustos cidadãos pagadores de impostos, estamos ao deus-dará. P. S.: Acabo de receber minha conta de luz, o consumo de energia em si mais distribuição e transmissão correspondem a quase 51% do valor da conta. Ou seja, metade da conta é só imposto!

LENKE PERES

Cotia

*

O FIM DA GREVE E O ESTADO PARALELO

O governo garante que a greve dos caminhoneiros acabou. Mas motoristas ao tentar seguir viagem ainda são sequestrados no percurso e selvagemente agredidos. Os petroleiros entram em greve, desafiando o Tribunal Superior do Trabalho (TST), que considerou a paralisação ilegal e arbitrou multa de R$ 500 mil/dia. Condutores de ônibus são levados a cruzar os braços e há rumores de que outras categorias poderão parar em solidariedade. A autoridade fraca é contestada por grupos terroristas que mantém trabalhadores subjugados e, pela força, buscam potencializar o desabastecimento e o caos. A impressão é de que, diante da tibieza do Executivo e (principalmente) do Legislativo, já se estabelece em nosso país um governo paralelo que visa impor o caos sem que seja eficientemente reprimido. Espera-se que o Supremo Tribunal Federal (STF), o terceiro ente do tripé de poder, tenha condições de impor medidas que restabeleçam o império da lei e coloquem um fim ao estado paralelo e terrorista que ameaça levar o País a uma situação análoga à da Venezuela.

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

*

O CAOS

Desconfiávamos, mas não tínhamos certeza, de que o Brasil vivia um desgoverno trágico, agora colocado a lume e confirmado pela greve dos caminhoneiros. Pessoas ocupando cargos de relevância nos Três Poderes da República mostram-se de uma indigência assustadora. Não se levanta uma voz pela qual o brasileiro poderia se tranquilizar e confiar. Quem poderia ser o fiador para nós de que há autoridade? Ou de um poder que pudesse nos apontar um caminho a ser seguido? Que pudesse nos dizer "Vamos em frente!" ou "Basta!?". Temos um Judiciário decepcionante e medíocre que recentemente meteu seu nariz onde não devia e agora se oculta atrás de suas togas; um Congresso encurralado pelas devastadoras denúncias da mais descarada corrupção jamais vista, completamente acovardado; e, finalmente, um Executivo totalmente ineficiente e também corrupto, asse assemelhando-se mais a um batalhão de zumbis mergulhados num pântano andrajoso e fétido, de onde não conseguem se mover. Nosso povo não merece ter esse pior dos mundos.

Éden A. Santos edensantos@uol.com.br 

São Paulo 

*

CRISE DE COMBUSTÍVEIS

A forma açodada de agir do governador de São Paulo, sem articulação com o governo federal, é mero oportunismo para fins eleitorais, e não trará os combustíveis de volta aos postos a tempo de evitar maiores transtornos e prejuízos materiais. Com efeito, o que representa a liberação de 60 caminhões tanque para abastecer 40 postos quando seriam necessários 6 mil caminhões para atender a 2 mil postos, a fim de que o abastecimento de combustíveis fosse normalizado na Região Metropolitana de São Paulo.

Yvette Kfouri Abrão m.abrao@terra.com.br

São Paulo

ALQUIMIA BIZARRA

Como aprendizes de feiticeiros, as lideranças do recente movimento dos caminhoneiros erraram a mão e quase puseram fogo no País, ajudados nessa alquimia bizarra pela fragilidade e incapacidade demonstrada pelo governo de lidar com a situação. Nesse cadinho de alquimista em que se transformou o Brasil, colocaram todos os ingredientes - alguns com prazo de validade vencido há muito tempo - necessários para um resultado apavorante: monopólio e subsídios estatais, falta de visão estratégica, arrogância, despreparo, infraestrutura de transportes totalmente dependente de combustíveis fósseis, políticos e governantes medíocres e bravateiros, aproveitadores e oportunistas de todo tipo. Dessa bagunça toda, ficam algumas lições. Em primeiro lugar, não existe pedra filosofal capaz de transformar pedra (ou petróleo) em ouro e pagar a conta sem doer. Alguém tem que pagar a conta, e esse alguém, como sempre, somos nós, o povo. Em segundo lugar, o que vivemos nos últimos dias é um flash de filme de terror: o Brasil transformado, num passe de mágica, em uma gigantesca Venezuela.

Renzo Galuppo renzo.galuppo@gmail.com

São José dos Campos 

*

MANIFESTAÇÃO DEMOCRÁTICA

A greve dos caminhoneiros foi uma manifestação democrática, espontânea e legítima contra os evidentes abusos praticados pela Petrobrás, empresa monopolista, dona absoluta do mercado. Um merecido tapa na cara para lembrar que, não, a Petrobrás e o governo não podem fazer o que eles bem entenderem. Assim como a Petrobrás abusou reajustando os preços do petróleo produzido no Brasil como se ele fosse todo importado, os caminhoneiros abusaram extrapolando a grave para além do necessário para ter as reivindicações atendidas. As Forças Armadas (FFAA) tiveram que intervir e o fizeram com moderação, não havendo mortos ou feridos. A democracia saiu fortalecida, com o governo e a sua Petrobrás tomando um merecido puxão de orelhas dos consumidores que se sentiram explorados. Se buscarem um culpado para os altos custos dessa greve, culpem quem fez a primeira oferta em nome do governo, aquilo foi um desaforo, um convite para o acirramento dos ânimos. 

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br 

São Paulo 

*

PARALISAÇÃO

Sobram as perguntas: Se não foi reivindicação trabalhista, ou seja, greve, o que a paralisação foi? Os instigadores serão procurados, indiciados, julgados e punidos? A imprensa investigativa e a Justiça funcionarão? Por que, simplesmente, não se adequaram as tarifas de transporte de mercadorias e pessoas ao aumento de preço dos combustíveis? Nem mesmo na imprensa se abordou esta solução lógica, de mercado. Por que se articula na mídia que Temer - o governo - caiu de joelhos? Qual alternativa - pacífica - teve? Ele e os militares e polícias não perderam a serenidade, não se deixaram provocar. Não teria sido este o motivo - mais ou menos - oculto dos organizador-insufladores? A mando de quem agiram os queimadores de pneus e arremessadores de pedras contra caminhões?

Harald Hellmuth hhellmuth@uol.com

São Paulo

*

RECOLHER AS CINZAS

A sensação que eu tive, nestes dias de greve, foi de que o povo gostou e aproveitou. Gostou de ficar parado, de não ter como ir, de ver as prateleiras se esvaziarem, de ter o trabalho suspenso, de viver a euforia da greve do outro. De pegar carona neste movimento. Vamos, agora, recolher as cinzas dos animais mortos em sacrifício e pensar nas eleições de outubro assim, ó: "o que eu posso fazer para colocar gente decente para decentemente governar o meu país?".

Cleide Maria Fernandes c.tarquinio@hotmail.com 

São Paulo 

*

OS PERIGOS DA DEMOCRACIA

A greve dos caminhoneiros deixou o nosso governo à mercê não somente dos próprios grevistas. Após uma semana de movimento percebe-se quem são os responsáveis para que um país gigantesco como este fique nas mãos de poucos. Política de investimentos levada a termo por décadas privilegiando o transporte rodoviário, partidos e políticos irresponsáveis inflando desonestamente o movimento, empresários que querem se locupletar fácil e rapidamente à custa da população, governo incompetente nas suas ações para estancar o movimento, polícia ineficaz em suas ações de desbloqueio das vias para distribuição do combustível e, finalmente, grupelhos que se aproveitam da situação para criar o caos. Cabe olharmos para frente e que cada um cumpra o seu papel para que ações desse tipo sejam definitivamente rechaçadas e levadas a termo.

Gilberto de Lima Garófalo gilgarofalo@uol.com.br 

Vinhedo

*

CLAREZA

A greve dos caminhoneiros acabou. Agora podemos ver, com muita clareza, que os que ainda permanecem nas barricadas são os que querem o PT no governo novamente. Pelas pesquisas eleitorais que estão divulgando, o PT não levará nada nas próximas eleições. Esta é a única forma que arrumaram para retornar ao poder e continuar roubando sem parar. O exército e as polícias estaduais, federais e municipais, deveriam estar dissipando essas barricadas, se preciso, à força... Chega desses ladrões nojentos e baderneiros.

Carlos Eduardo Barros Rodrigues ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo 

*

PREDADORES DA GREVE

Não podemos deixar de registrar e enfatizar um personagem nefasto na atividade grevista: a do predador. Estabelecimentos comerciais: postos de gasolina e mercados que se aproveitam da situação de insegurança e do excesso de procura em relação à oferta para praticar preços abusivos. Centenas deles foram detectadas pela população e delatadas ao Procon. Na outra ponta temos o cidadão que paga qualquer preço pela mercadoria. E o elemento sem noção. Alega ter razão par pagar preço injusto, mas na verdade quer e contar vantagem para os colegas de como se deram bem e como pretendem aproveitar o feriado, no caso do combustível, ou que tem dinheiro para gastar independentemente do desabastecimento. Será que se deram mesmo desvalorizando o trabalho de negociação que com tanto esforço permitiu o reabastecimento de combustíveis e de alimentos. São pessoas incoerentes que reivindicam soluções, mas quando essas acontecem não contribuem para sua efetivação. Merecem nosso repudio. Além destes ha que se mencionar os black blocs da greve. Infiltrados que não sendo caminhoneiros visam radicalizar o movimento e impedir o livre arbítrio. E impossível que não se saiba a que movimento pertençam já que sua força de persuasão esta na truculência e isto não se faz sem apoio de uma estrutura organizada. A identificação não seria difícil. O que impede então de nominá-los

Sergio Holl Lara jrmholl.idt@terra.com.br 

Indaiatuba 

*

PARALISAÇÃO DE CAMINHONEIROS?

Não se justifica em nenhuma hipótese, a paralisação de uma categoria profissional, quando coloca em risco iminente o atendimento às condições mínimas de sobrevivência de uma população. A ruptura no transporte de produtos acarreta significativos e incalculáveis prejuízos para toda a sociedade, em atividades fundamentais. Certamente, a família brasileira sofrerá ainda mais com a elevação generalizada dos preços de produtos e serviços. A única explicação que encontramos para o estabelecimento de um caos nacional é a infiltração de adeptos do "quanto pior, melhor". Mesmo com atendimento às reivindicações da categoria, os caminhoneiros radicalizam e continuam bloqueando estradas. Que o governo federal faça cumprir a "ordem e progresso", liberando as estradas brasileiras, a qualquer custo. Que o cidadão brasileiro daqui a quatro meses decida soberanamente nas urnas, o futuro do País. O maior responsável pela destruição da Petrobrás, encontra-se preso em Curitiba. 

Roberto Delalibera rdelalibera@gmail.com

Londrina (PR)

*

TOMATAÇO

A escassez de produtos alimentícios não permite que o utilizemos para causas não nobres. O usucapião de funcionário governamental para processar possíveis atiradores de tomate - tomataço - traz ainda prejuízos ao erário, uma vez que o mesmo deveria estar trabalhando para o bem da Nação ao invés de ser utilizado para a causa do soltador de condenados (hoje mais dois). Portanto, minha indignação e solidariedade ao criador do movimento. Tomate "nelles"... Mas acerte.

Adilson Pelegrino gumerci@terra.com.br

São Paulo 

*

GREVE, ELEIÇÕES, AVANÇOS

Acelera, Brasil. Precisamos vencer o retrocesso, e o tempo não perdoa. 

Maria Lúcia R. Jorge mlucia.rjorge@gmail.com

Piracicaba

*

GREVE BENÉFICA

De acordo com Federação Única dos Petroleiros (FUP) a greve deflagrada "é para defender o Brasil, é para que os brasileiros paguem um preço justo pelo gás de cozinha e pelos combustíveis". Parafraseando Einstein: "Duas coisas são infinitas: o universo e a cinismo cruel dos homens. Em relação ao universo, não tenho certeza". 

Omar El Seoud elseoud.usp@gmail.com

São Paulo

*

'PETROLEIROS DESAFIAM JUSTIÇA DO TRABALHO E INICIAM GREVE EM REFINARIAS'

Petroleiros ou "PeTralheiros"?

José Roberto Niero jrniero@yahoo.com.br

São Caetano do Sul

*

INOCUIDADE

Saem os caminhoneiros e voltam os políticos. Será que valeu a pena? E nós?!

Marcos Catap marcoscatap@uol.com.br

São Paulo

*

UM PRESIDENTE PERDIDO

Temer, renuncie imediatamente! Nunca presenciamos tanta incompetência. Está completamente perdido em seus depoimentos, não sabe o que fala nem o que faz. Na Petrobrás uma hora diz que não interferiria; depois de 24 horas diz que a examinará como está esse portando em sua administração.

Valdir Sayeg valdirsayeg@uol.com.br

São Paulo

*

DIREITOS DO PRESO LULA

Lula, o ex-presidente, recebeu de novo, de um desembargador do Tribunal Regional Federal da 3.ª Região (TRF-3), os direitos que lhe foram cassados por um juiz federal da 6.ª Vara de Campinas, ao revogar os benefícios que ele havia lhe retirado. Com isso, ele volta a ter direito a salário, assessores, segurança (os da prisão não são suficientes) e também motorista para levá-lo de sua cela para tomar banho de sol, na cobertura do presídio, uma vez que não tem direito a liberdade. 

Raul Moreira raulmoreira@mpc.com.br

Campinas

*

LAMENTÁVEL DECISÃO JUDICIAL

Em lamentável e perniciosa decisão, o TRF-3 restabeleceu os direitos de Lula, como ex- presidente a, além de outros benefícios, continuar a usufruir o direito de ter à sua disposição quatro seguranças e dois veículos oficiais com os respectivos motoristas. Convenhamos: a sua segurança já está a cargo dos presídios onde cumpre e continuará a cumprir pena; a locomoção de Lula, nos próximos 12 anos, está restrita a distâncias que não ultrapassam 15 metros, incluindo cela e pátio para banho de sol; também, dentro dos presídios, não há possibilidade de uso de veículos e respectivos motoristas. Uma decisão lógica poderia ser a suspensão provisória desses direitos até a efetiva liberdade de Lula e não a onerosa manutenção dessas regalias inaplicáveis e sem sentido.

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br 

São Paulo

*

JUSTIÇA CEGA

A Justiça brasileira, além de cega, também finge que não enxerga. Ministros do STF abriram a porteira, o presidiário Lula da Silva recupera direito de ter carro, assessores e segurança. O TST declara ilegal a greve dos petroleiros e a paralisação acontece. Condenados que perderam ou mataram seus genitores são libertados para essas datas comemorativas. Esse é o país da piada, da chacota, da impunidade e da irresponsabilidade.

José Alcides Muller josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré

*

CHIQUE

Agora, na cela, a ida ao sanitário poderá ser feita de carro. Com motorista, segurança e assessor. Chique no "urtimo"!

Ademir Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

TRF-3 RESTABELECE DIREITO DE LULA 

Uma notícia como esta, depois de outro Tribunal Federal, aquele de Campinas, haver retirado tais direitos, é uma irrefutável prova de que vivemos em um país surrealista. A retirada do "direito", em se tratando de um beneficiário prisioneiro com pena de 12 anos e 1 mês de prisão, parece ser medida acertada. O restabelecimento, por outro Tribunal Federal, do dito "direito", parece ser medida esdrúxula e francamente surreal. Diante da insensatez de nosso Judiciário, de nosso Congresso e de nosso Executivo Federal, sem contar com a de instâncias inferiores do Poder, podemos considerar-nos habitantes de um hospício republicano, administrado do por surrealistas e por outros desvairados. O Brasil é infenso à racionalidade, ao bom senso e a excelência. Pindorama é o paraíso do fantástico, do vulgar e da mediocridade.

Mário Rubens Costa costamar31@terra.com.br 

Campinas

*

CONTROVÉRSIA

Um cidadão que cometeu crimes como Lula, condenado e preso continua a ter direito às prerrogativas de gente honesta só porque foi ex-presidente? O cargo não deveria agravar sua situação em vez de privilegiar?

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo 

*

LAMBUJA JUDICIAL

Eu acho que foi relativamente fácil para a banca de advogados do presidiário Luiz Inácio Lula de Silva, readquirir através de decisão judicial, os direitos "mordômicos", previstos na Constituição Federal para ex-presidentes. Estou pagando pra ver, como conseguirão a sua soltura.

Sergio Salgado de Oliveira ssoliveiramsm@gmail.com

Monte Santo de Minas (MG)

*

ESTADO DE SÍTIO

Se for declarado Estado de sítio, "o cara" diz que não é dele.

Moisés Goldstein mg2448@icloud.com

São Paulo 

*

PAULO PRETO

Paulo Preto, operador de propinas do PSDB, amparado pelas sólidas e rotineiras convicções do ministro de STF Gilmar Mendes, resolveu não fazer delação premiada. O fato de Paulo Preto, ex-presidente da Dersa, empresa de capital misto do Estado de São Paulo, responsável por obras rodoviárias, ter transferido cerca de R$ 130 milhões para a Suíça, poucos dias após tomar posse, não influiu na decisão do ministro que mandou libertá-lo, claro! Assim é o Direito e assim são os homens! O Direito é servo da Justiça, emblematicamente de olhos vendados, e os homens são servos dessa cegueira que até se justifica, embora nada esteja enxergando, e mais das vezes porque preferem estar também de olhos vendados.

Marcelo Jorge Feres marcelo.gomes.jorge.feres@gmail.com 

Rio de Janeiro

*

O VOTO É O CAMINHO

Palavras oportunas e importantes para o momento e para o futuro: somente o voto pode levar ao poder, segundo a manifestação do ministro da Defesa, general Silva e Luna. Assim, a sua declaração põe fim a inúmeros desejos manifestados durante a greve dos caminhoneiros, por oportunistas e radicais. Eis que, ainda, a fala do ministro exclui os militares de qualquer complô ou composição tendentes a possibilitar intervenções ou alcance do poder fora do voto democrático.

José Carlos de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br 

Rio Claro

*

SEGUE A FESTA

Comparada ao Brasil, a Torre de Babel foi um "barato", em linguagem descolada. Transportadoras e caminhoneiros impuseram-se como quarto poder emergente na atordoada Brasília. Poder poderoso. Alarmantes a desarmonia, a desarticulação, a lerdeza dos órgãos das instituições, armadas ou não. Na corte deslumbrada, seguem a festa, os altíssimos salários, os privilégios, as mordomias, os deboches. O povo que se lasque. Padrão de modernidade, de vida civilizada em alto nível? Esqueça! Talvez seja melhor alertar: cuidado!

José Maria Leal Paes tunantamina@gmail.com

Pará

*

POLÍTICOS BRASILEIROS

Depois de assistir essa pantomima e show mambembe, protagonizados pelos membros dos poderes Legislativo e Executivo, de uma coisa estou certo, não voto em nenhum candidato que seja membro desse circo de horrores. 

Luiz Antônio Alves de Souza zam@uol.com.br

São Paulo

*

NORMAL

Alguém se surpreendeu com os erros sobre Previdência e orçamento, do ex-prefeito, ex-governador, ex-deputado, ex-ministro e pré-candidato do PDT, Ciro Gomes? Os pleitos anteriores revelaram quão próximo, de um papa vento, essa figura se assemelha. Sem chances. Lamentável!

José Perin Garcia jperin@uol.com.br 

Santo André

*

INTERVENÇÃO MILITAR

Vários ministros e políticos se manifestaram contra o apoio de uma parcela da população a favor da intervenção das Forças Armadas em virtude do que está acontecendo no Brasil, dizendo que não podemos reviver a ditadura, que a maioria dos manifestantes não viveram sob esta época. Só que eles não citam em nenhum momento que essa reivindicação da população, é fruto dos descalabros, roubos e corrupção da maioria dos nossos políticos, pessoas acostumadas com falcatruas, conchavos e principalmente com propinas, que causaram todo este caos e outros que virão. Está na hora de os políticos assumirem a sua culpa e pararem de cultuar o medo na população, pois, o que os brasileiros desejam é a continuidade da democracia e o fim desses corruptos, que ainda tem a cara de pau de se candidatarem a reeleição ou a um cargo político. Enquanto eles ainda pensam que o eleitor não raciocina, podem se surpreender, graças a Operação Lava Jato e a conscientização dos nossos eleitores e da população. Tenho fé e espero que seremos um país como diziam antigamente: o celeiro do mundo pelo fornecimento de alimentos, o pulmão do mundo por meio da floresta amazônica, um País democrático e sem racismo e preconceitos, mas para isso teremos que vota nas eleições para pessoas que realmente sejam honestas e que sigam a verdadeira democracia, e assim, seremos um povo feliz, com empregos, educação, saúde, segurança e uma das maiores economias do mundo. Para tanto, basta honestidade, sinceridade e fidelidade ao povo brasileiro por parte dos políticos.

Darci Trabachin de Barros darci.trabachin@gmail.com

Limeira

*

CONTRÁRIO

O chefe do Estado Maior Conjunto das Forças Armadas, almirante Ademir Sobrinho, vestido de branco e sereno, acabou de dizer que não vai haver intervenção militar, pois as FFAA acreditam na democracia e seguem a Constituição. Deu pra entender?

Elisabeth Migliavacca 

São Paulo

*

DESPAUTÉRIO JURÍDICO E HISTÓRICO

A denúncia apresentada pelo Ministério Público Federal, por meio do procurador da República Andrey Borges de Mendonça, contra dois agentes do Estado no período de 1964 a 1985, demonstra um profundo desconhecimento da história e dos princípios jurídicos. Ou, se ele os conhece, uma absoluta má-fé. O procurador alega que os crimes que eles teriam cometido não prescreveram porque o foram no "contexto de ataque generalizado do Estado brasileiro contra a população civil"! Não sei a idade do procurador, nem em que livros ele estudou, mas basta rever arquivos de jornais da época para aquilatar que a população apoiava o regime de exceção, este sim atacado pela esquerda armada, em especial no período de 1968 a 1974. O povo não queria a ditadura do proletariado modelo cubano, chinês, russo ou albanês! Quanto ao enterro como indigente e o desaparecimento das ossadas, basta perguntar a verdade para os governos petistas da capital paulista. Aliás, o único que falou a verdade sobre o episódio foi o ex-administrador dos cemitérios municipais. E, para finalizar, cabe a pergunta ao procurador: as famílias dos dois terroristas foram indenizados, posto que reconheceram suas mortes, certo? Mas agora querem punir os agentes que "desapareceram" com os corpos? Haja contradição! Ou má-fé! A CIA tinha razão: o Brasil não é um país sério! Ops, quem disse isso não foi a competente CIA!

Marco Balbi mbalbi69@globo.com

Rio de Janeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.