Fórum dos Leitores

-

O Estado de S.Paulo

04 Junho 2018 | 03h00

AINDA A SAÍDA DE PARENTE

Bala perdida

A demissão de Pedro Parente da presidência da Petrobrás é uma bala perdida no peito do setor sucroalcooleiro. A política de formação de preços de combustíveis introduzida por Parente desde junho do ano passado não apenas pôs o caixa da empresa em ordem, mas, por osmose, trouxe previsibilidade ao etanol, tão carente de investimentos e que sofreu com o congelamento de preço da gasolina nos governos populistas de Lula e Dilma. O setor, que chegou a ser responsável por quase 55% de todo o combustível utilizado na frota de veículos leves, hoje responde por menos de 40%. Pagou caro a conta do populismo chavista da incompetente administração de Dilma. Com a saída de Parente abre-se uma lacuna e aumenta a incerteza. Na carta de demissão, ele pediu ao presidente que mantenha a política de transparência na formação de preços. Lamentavelmente, o Congresso brasileiro é formado, em sua imensa maioria, por gordas ratazanas que se alimentam de propinas, conchavos e troca de favores. O político brasileiro tem um enorme compromisso ético e moral com o próprio bolso. A perda de informações privilegiadas e de influência na indicação de apaniguados para ocupar as diretorias da estatal, escolhidos a dedo pelos partidos para assaltar-lhe os cofres, sofreu duro revés após Parente assumir a estatal e dar-lhe caráter profissional. Isso deve ter incomodado as ratazanas. As declarações do presidente do Senado mostram quão despreparados ou mal-intencionados são os homens no poder. Essa corja funesta custa aos bolsos do contribuinte R$ 12 bilhões por ano. A título de comparação, o Congresso dos EUA custa ao seu contribuinte US$ 4,6 bilhões/ano. Considerando o PIB dos dois países, o Brasil gasta o dobro dos EUA, mas o poder de destruição dos políticos brasileiros não tem paralelo.

ARNALDO LUIZ CORREA

arnaldocorrea@gmail.com

Santos

Saiu por quê?

Pois é, quem não tem rabo preso e trabalha com seriedade não precisa ficar grudado nos úberes fartos para a politicalha, pois tem competência. Basta ver quem comemorou a saída de Pedro Parente da Petrobrás: aqueles cujos interesses se restringem ao “meu pirão primeiro”.

APARECIDA DILEIDE GAZIOLLA

aparecidagaziolla@gmail.com

São Caetano do Sul

Amortizando a conta

Se o governo está preocupado em saber de onde vai tirar os mais de R$ 10 bilhões do subsídio do óleo diesel, poderia começar pela verba destinada ao Fundo Partidário. A população não sentiria nenhuma falta. 

CLÁUDIO JUCHEM

cjuchem@gmail.com

São Paulo

O atraso fala mais alto

Mais lastimável do que a perda de um eficiente executivo na condução da Petrobrás, que em pouco tempo conseguiu reabilitá-la economicamente e livrá-la de ingerências políticas, é saber que os interesses de políticos salafrários são mais fortes e falam mais alto nesta República governada por alianças espúrias, cognominadas “base aliada”. Quero ver como o presidente eleito em outubro governará o País, tendo no Congresso a mesma estirpe de escabrosos seres travestidos de representantes do povo, que se reelegerão tendo por base o populismo e as polpudas verbas de um fundo partidário et quejandas, surrupiados do povo brasileiro. Lastimável!

CARLOS LEONEL IMENES

leonelzucaimenes@gmail.com

Nazaré Paulista

A Petrobrás é deles

A demissão de Pedro Parente foi justa. Ele queria transformar o caixa 2 dos políticos numa empresa séria, rentável, confiável. E isso não se faz em ano de eleição. Já privatizaram a Vale e a Embraer. Querem matar a classe política de fome?

LUIZ RESS ERDEI

gzero@zipmail.com.br

Osasco

Era bom demais

Num país como o Brasil, onde pelegos ignorantes e políticos que só se importam com seus interesses pessoais, sem fibra nem coragem para defender o que pode ser bom para a Nação, um executivo do calibre de Pedro Parente, competente, íntegro, focado em sua missão, definitivamente não se sustentaria em seu cargo, devendo seguir a carreira na iniciativa privada. Eu, como brasileiro e microacionista da Petrobrás, só posso lamentar sua saída.

ARIOVALDO MARQUES

arimarques.sp@gmail.com

São Paulo

Brasil livre

Sejamos honestos, livre da mamata dos partidos e da ação nefasta de parlamentares inidôneos, administrado como uma grande empresa, o Brasil subiria a patamares de qualidade sem precedentes. 

RICARDO C. SIQUEIRA

ricardocsiqueira@globo.com

Niterói (RJ)

De demissões

A perfeição da democracia também carrega suas maldições. A pior delas é político poder se reeleger e outra, não existir demissão sumária. E achamos que todo poder emana do povo...

JOÃO LUIZ PICCIONI

piccionijl@me.com

São Paulo 

 

RESCALDO DA GREVE

Duas lições 

Dentre as várias lições aprendidas – e não foram poucas – com essa greve dos caminhoneiros, duas merecem destaque. De um lado, a tão sonhada greve geral – delírio estapafúrdio da esquerda para derrubar o governo –, não bastasse ser tão anacrônica quanto absurda, não encontrou nem encontrará eco na população. De outro, o não menos estapafúrdio desejo de intervenção militar para supostamente resolver os problemas do País, felizmente, perdeu a pouca força que tinha entre setores da opinião pública que ainda têm a falsa noção de que as Forças Armadas são o melhor dos mundos. A opinião pública demonstra cada vez mais correção e maturidade ao desprezar extremismos e valorizar as mudanças pelo voto. 

LUCIANO HARARY

lharary@hotmail.com

São Paulo

Próxima conta

Pagaremos a “bolsa diesel”. Os caminhoneiros pagarão a “bolsa gás de cozinha”?

OMAR EL SEOUD

elseoud.usp@gmail.com

São Paulo

O útil e o agradável

Atenção, candidatos: adotem a plataforma campeã unindo a privatização da Petrobrás e o uso dos recursos da venda num grande programa ferroviário. 

LUIZ HENRIQUE PENCHIARI

lpenchiari@gmail.com

Vinhedo

 

CRESCIMENTO PCC

 

A manchete do “Estadão” de domingo (3/6) diz: “PCC cresce e já fatura R$ 400 milhões por ano”. Essa é uma verdade, pois devido à liberdade de ação que possuem, isso já era previsto, portanto, não é nenhuma novidade. Porém não deixa de nos preocupar e amedrontar intensamente, por ser assustador além de assombroso, tal crescimento ter atingido patamares tão elevados, podendo até ter chegado à cifra de R$ 800 milhões por ano, colocando-os desta forma, entre as 500 maiores empresas do País. Agora denominar tal organização de “pré-mafiosa” não é correto, pois com certeza seus componentes devem ter se aborrecido e sentindo-se desprestigiados, além de rebaixados. Não tenham dúvida de que se empenharão mais para serem reconhecidos como uma verdadeira “máfia”. Algum comentário? 

 

Angelo Tonelli - angelotonelli@yahoo.com.br 

São Paulo

 

*

BRAÇO POLÍTICO DO PCC

 

O PCC movimenta R$400 milhões. Nas eleições vai aumentar mais a movimentação com a verba milionária do fundo partidário destinado ao PT, seu braço político!

 

Jose Eduardo Bandeira de Mello - josedumello@gmail.com 

Itu

 

*

PARENTE NO TERCEIRO MUNDO

O ex-presidente da Petrobrás, Pedro Parente, mostrou ser um gestor de primeira qualidade e acima de qualquer suspeita, e era tudo que o País necessitava. Tirou a estatal do caos, em todos os sentido, depois da gatunagem do ficha-imunda Lula da Silva e de seu “poste” Dilma Rousseff. Em sua equação financeira só houve um erro crasso: atualizar o preço dos combustíveis, diariamente, segundo a variação do dólar e do barril de petróleo, como fazem os países de primeiro mundo, quando o nosso é de terceiro mundo? O resultado não poderia ser pior!

 

Júlio Roberto Ayres Brisola - jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

 

*

PEDRO PARENTE

 

Depois do deboche de aumentar o preço da gasolina no auge da crise, a única saída era despedir Parente. A preocupação que tomou conta de especuladores no Brasil e no exterior prova o acerto da medida.

Tibor Rabóczkay - trabocka@iq.usp.br 

São Paulo

 

*

CEGUEIRA POLÍTICA

 

Caminhoneiros fizeram greve, mas a conta chegou para todos os bolsos, inclusive para o deles. Aquilo que começou como independente, agora chama a atenção de políticos que querem crescer nas intenções de voto pegando carona no movimento. Só esqueceram-se de que a inflação provocada pelas paralisações chegou e o prejuízo cairá sobre todos. Se antes apoiamos, hoje odiamos os caminhoneiros e todos que se aproveitaram desse movimento. A vulnerabilidade entre todos os brasileiros não existe apenas na política, mas quem nos impede de viver, criar nossas famílias com dignidade e conservar nossos empregos. O Brasil mudou, mas a cegueira política continua a mesma. Haja paciência!

 

Beatriz Campos - beatriz.campos@uol.com.br 

São Paulo

 

*

SEM ESPERANÇA

 

Nosso país, hoje, é dirigido por uma turma de amadores, incompetentes e inconsequentes. Deles, nada se pode esperar que engrandeça o nosso futuro.

 

Alvaro Salvi - alvarosalvi@hotmail.com

Santo André

 

*

60 DIAS DE LULA NA CADEIA 

Depois de o País contabilizar enormes prejuízos com o fim da desumana e perversa greve dos caminhoneiros que teve apoio de partidos retrógrados, neste próximo dia 7/6, em nome da ética  nas nossas instituições, nos resta comemorar os 60 dias de Lula na prisão!  Condenado que foi em segunda instância, por 12 anos e 1 mês, por corrupção e lavagem de dinheiro. E restando ainda ao ex-presidente outras possíveis condenações das seis que ainda é réu...

Paulo Panossian - paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

 

*

‘UM PAÍS DE REFÉNS’ 

 

A matéria comenta as greves dos caminhoneiros sem maiores novidades, a única coisa na sua visão que seria novidade, que alguns do movimento pediram a derrubada do governo, como se isso fosse uma novidade. Esqueceu de que todos os movimentos anteriores principalmente os propostos por esquerdistas, sempre pediam a derrubada do governo, como o “Fora Temer”. Deixou de dizer que os grevistas não quiseram saber da CUT e outros movimentos associados ao PT, além de serem muito mais eficazes nas paralisações seletivas, do que os feitos pelos até então pelos mortadelas. Também cometeram a suprema heresia de pedir uma intervenção militar, já que mostraram sua total desconfiança nos políticos tradicionais, principalmente os de esquerda.

 

Ulf Hermann Mondl - hermannxx@yahoo.com.br 

São José (SC)

 

*

FINAL SOFRIDO

 

O sonho de Michel Temer deve ser ir dormir e acordar dia 1/1/2019.

 

Luiz Frid - luiz.frid@globomail.com 

São Paulo

 

*

FULANIZAÇÃO

 

O último artigo de FHC (3/6, A2) é teórico e sem orientações concretas  para enfrentar a presente crise, se encerra da seguinte forma: “Tudo isso requer liderança e ‘fulanização’. Quem, sem ser caudilho, será capaz de iluminar um caminho comum para os brasileiros? ‘Decifra-me ou te devoro’, como nos mitos antigos”. Ou seja, termina com indagações mais enigmáticas do que a vagueza dos aconselhamentos mencionados, em estilo impecável, ao longo do texto. O que significará o termo “fulanização”, quando associado à liderança? O “caudilho”, embora indesejável, é, apesar de tudo, capaz de iluminar o caminho comum para os brasileiros? Estranho.

 

Paulo Roberto Gotaç - pgotac@gmail.com

Rio de Janeiro

 

*

‘DECIFRA-ME OU TE DEVORO’

 

FHC, eu entendi o seu recado, mas tenho certeza de que o seu partido não entendeu. Daí, não podemos esperar que os demais partidos vão entender, né? Como os partidos e seus caciques não entenderam o recado e não estão preocupados em defender um Brasil melhor, será que nós não devemos devolver o poder para os militares? Ou vamos deixar o PCC tomar o poder? Aguardo a sua resposta.

 

Maria Del Bel Tunes Goulart - carmen_tunes@yahoo.com.br 

Americana 

 

*

FHC

 

Quer saber, eu não acho que “dada a sua origem e o encrespamento político havido”, as reformas conseguidas, a duras penas, pelo presidente Temer possam ser consideradas “pouco mais do que colocar esparadrapos nas feridas”. Acho que o nosso octogenário está fazendo pouco caso ou despeitado de não tê-las feito durante os seus dois mandatos como presidente.

 

Sergio Salgado de Oliveira - ssoliveiramsm@gmail.com 

Monte Santo de Minas (MG)

 

*

CORRUPÇÃO DE SERRA

 

Não tem ficado muito bem a atitude do senador José Serra de fugir de entrevistas e de explicações em inúmeras acusações de corrupção em seu governo de São Paulo. Não adianta querer que as suspeitas que se avolumam desapareçam espontaneamente. Não vão cessar e ele pode, ainda por cima, ter que responder em primeira instância a acusações judiciais. Tem o dever de vir a público dar sua versão. Fugir não parece dignificar sua biografia.

 

Ademir Valezi - adevale@gmail.com 

São Paulo 

 

*

‘ISOLADOS E SOB ATAQUE’

 

Parabéns pela coluna, Eliane Cantanhêde (3/6, A6). É de emocionar e realmente fiquei com lágrimas nos olhos ao lê-la. Quisera a maioria, ou ao menos uma parte mais considerável dos nossos homens públicos serem assim e nosso país certamente seria muito melhor. O problema é que muitos desses verdadeiros homens públicos fogem da política, ou simplesmente quando disputam mandatos eletivos são franca minoria. Acham que fazer campanha e pedir voto na rua é uma atividade intrinsicamente suja. Ora, é suja porque deixamos com que a fizessem assim. Com isso ficamos a mercê de “centrão”, fisiologismo, corporativismo, oportunismo e outros ismos mais e torcemos para que onde haja uma brecha, tenha espaço para os verdadeiros homens de espírito público.

 

Rafael Machado de Pinho - m_rafael16@yahoo.com.br 

Belo Horizonte

 

*

A coluna de domingo de Eliane Cantanhêde “Isolados e sob ataques”  mostra que a jornalista sabe dar “o que é seu a seu dono”. Os políticos citados por ela estão tocando o barco  dentro do maior vendaval  que este país já viu. Goste-se ou não deste governo é preciso  destacar que  estão segurando o leme. Já Pedro Parente, (não duvido de sua competência e honestidade) pulou do barco em hora imprópria e, como destaca Eliane, será credor do maior prejuízo  que a Petrobrás tomou ¬– a enorme queda na Bolsa, com desvalorização espetacular da empresa. Salvou a Petrobrás da incompetência e roubalheira  do PT e apaniguados e agora causa esse prejuizão . Aguentasse o temporal, sem fugir da raia!  Eliane Cantanhêde , jornalista sem partido e sem medo de dizer verdades. Mostrar-se justa com integrantes do governo quando todos só sabem atacá-los é sinônimo  de independência . Não há muitos jornalistas independentes hoje em dia. 

 

Regina Helena de Paiva Ramos - reginahpaiva@uol.com.br

São Paulo

 

*

‘INTERVENÇÃO MILITAR É MALUQUICE’

 

Marcelo Rubens Paiva deve ter escrito o artigo “Intervenção militar é maluquice” (2/6, C6) em um momento extremamente irônico. Se referir às mordomias nos tempos da Revolução de 64 é piada. Pensões pagas à órfãs de militares é um grão de areia face às pensões e indenizações pagas aos terroristas e perseguidos naqueles tempos. Mordomias incomparavelmente menores do que o assalto à coisa pública perpetrado após a “restauração da democracia”. A Lava Jato e as prisões diárias revelam bilhões de reais subtraídos da Petrobras e do erário público. Sr. Paiva, pense na hora de usar sua posição de destaque ao falar dos militares. Nenhum presidente militar saiu tão rico quanto Lula, o que não sabe de nada e é o “mais honesto deste país”. 

 

Enrique Alvite - etca2011@yahoo.com.br

Ubatuba

 

*

MARCELO RUBENS PAIVA

 

Precisa falar para Marcelo Rubens Paiva que não foi o Francisco Julião que amarraram num Jeep em 1964. Foi Gregório Bezerra, um comunista ou ex-comunista.

 

Euclides Rossignoli - clidesrossi@gmail.com

Ourinhos

 

*

GOLPE MILITAR

 

O colunista Marcelo Rubens Paiva, em sua coluna de (2/6, C6), disse que o golpe militar liderado pelo Marechal Deodoro da Fonseca em 1889, e que deu origem à carcomida República brasileira, “... rompeu um regime autoritário e apostou na democracia”. Gostaria de saber que regime autoritário foi rompido, e que democracia nasceu após o golpe? As democracias de Deodoro e Floriano? O presidente argentino, Bartolomé Mitre chamava o então “Império do Brazil” de “A democracia coroada”, enquanto o presidente venezuelano Rojas Paúl, pontuou: “Foi-se a única república da América do Sul”.

 

Ronni Santos Paul - ronnipaul@hotmail.com 

Uberlândia 

 

*

BLOG ESTADÃO VERIFICA X FAKE NEWS

 

Como a leitura do “Estadão” nosso de cada dia já é, por si, garantia indiscutível de imprensa séria e notícias verdadeiras, não poderia ser mais oportuna e apropriada a louvável iniciativa do lançamento do blog “Estadão Verifica”, que vai atuar contra a disseminação das condenáveis e incontáveis fake news. Em tempos tão conturbados mundo afora na política e na economia, nesta era digital da Idade Mídia, não se pode mesmo confiar em qualquer notícia circulante por aí. Como diz o velho adágio, “nem tudo que reluz é ouro”. Valeu “Estadão”. “Pinóquio” nas fake news!

 

JS ÐECOL - decoljs@gmail.com 

São Paulo

 

*

CÂMARA: ‘VELHA GUARDA’ GARANTIU BENEFÍCIO EXTRA

 

Segundo o “Estadão”, vereadores da “velha-guarda” foram os maiores responsáveis pela aprovação do indecente projeto de lei que reajustou gratificações de servidores públicos da Câmara. Este reajuste foi conseguido por meio da introdução capciosa de uma emenda cujo autor foi o vereador de primeira viagem Reis  (PT), conforme consulta ao site da Câmara. Como sempre, tal ajuste indecoroso foi conseguido durante os dias tumultuosos da greve dos caminhoneiros, onde nós, a população, estávamos pouco envolvidos com o que se passava naquele recinto   supostamente ocupado por representantes do povo que lá chegaram por meio de nossos votos, mas que no mais das vezes cuidam de seus interesses pessoais ou ideológicos – partidários sem nenhuma importância, como mudar nomes de tradicionais logradouros da cidade  por outros que se ajustem a seus gostos partidários! Pois bem, num momento em que estamos a zelar pelos gastos desta Nação cheia de problemas, estes vereadores não zelam, mas lezam nossos cofres para atender nada menos que servidores públicos da Câmara. Esta vergonha tem que ser revogada rapidamente! A lista dos apoiadores está no jornal! Devemos copiá-la para nos servir de guia numa próxima eleição para que tais edis não mais retornem a esta casa por meio do voto!

 

Mara Montezuma Assaf - montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

 

*

SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO

 

As ideias do novo secretário da Educação João Cury Neto de dar aos pais dinheiro para o transporte e para a merenda dos filhos, além de dar aos grêmios estudantis de alunos dinheiro para reformas, é de um populismo e de uma falta de compromisso sério coma Educação. É ano eleitoral (sic).

 

Tania Tavares - taniatma@hotmail.com 

São Paulo 

 

*

 

Shopping Internacional de Guarulhos: é em absurdo o tempo de tolerância do estacionamento do referido shopping: 10 minutos. Esse tempo é insuficiente para que consigamos encontrar uma vaga disponível, e isso não é só nos fins de semana, quando a movimentação nesses estabelecimentos é muito maior. No mês passado, dia 14/5, entrei no estacionamento e não encontrei vaga, levei 14 minutos para tentar encontrar lugar para estacionar e como não encontrei decidi colocar meu carro no estacionamento em uma rua próxima e tive que pagar R$ 10,30, por causa de 4 minutos. Reclamei do valor com o rapaz que estava na catraca e ele informou que o tempo foi deduzido de 20 para 10 minutos. Isso é um roubo descarado. Seria bom aproveitar esse momento de indignação da sociedade para fazer valer nos direitos em detrimento o oportunismo que é frequente em nosso país. 

 

Lilian dos Santos - liliansantospsy@gmail.com 

São Paulo

 

*

CUBATÃO AINDA RESISTE

 

Em 1980, Cubatão foi considerada pela ONU como “a cidade mais poluída do mundo”. Mas Cubatão reagiu e, em 1992 recebeu o título de “cidade-símbolo da recuperação ambiental”. Lula foi condenado pelo triplex do Guarujá, Temer está todo enrolado com o porto de Santos, mas, até o momento, Cubatão continua resistindo...

 

Jorge Alberto Nurkin - jorge.nurkin@gmail.com

São Paulo

 

*

ESCOLA FANTASMA

 

O Conservatório Brasileiro de Música está à mingua; está localizado no centro histórico cultural da cidade do Rio de Janeiro, vizinho ao Theatro Municipal, da Biblioteca Nacional, do Palácio Capanema e das casas onde moravam Villa-Lobos e Machado de Assis, dentre outros. Esta escola de música tradicional, famosa, fundada por Oscar Lorenzo Fernandes em abril de 1936, reconhecida pelo MEC, por onde passaram concertistas e compositores internacionais como Cristina Ortiz, Aylton Escobar, Guerra Peixe e Koellreutter, foi vendida por uma empresa que parece não ter interesse por música. A empresa não é do ramo. Lá existem cursos dos mais variados, mas música: nada. Qual será o motivo desta distorção? Por que não aparecem os cursos livres e de bacharelado sobre instrumentos em seu site? Qual será o verdadeiro interesse desta empresa ao comprar esta escola tradicional de música? É lamentável o aspecto de decadência, de melancolia e tristeza dos funcionários e professores. O que faz o MEC diante deste quadro desolador? Que os maestros Villa-Lobos, Carlos Gomes, Tom Jobim, Moacyr Santos, Cipó, Severino Araujo e muitos outros, lá do céu, não estejam vendo este status quo do ensino de música de uma das mais antigas e famosas escolas de música do País.

 

Mário Negrão Borgonovi - marionegrao.borgonovi@gmail.com

Rio de Janeiro

 

*

FERIADOS

 

 Terminou ontem o feriadão que emendou  Corpus Christi ao domingo. Um desastre. Fecharam as escolas, bancos e a Bolsas de Valores. Suspende-se o trabalho na indústria, prestação de serviços e parte do serviço público. É interessante notar que muitos folgados em vez de irem às igrejas preferem as praias do litoral. Estima-se a existência de cerca de 10 feriados nacionais. Entretanto, devem-se somar a eles os feriados estaduais e municipais de cada unidade da Federação. Temos, portanto um elevado número global de feriados difícil de ser contabilizado. Em países de religião católica preferencial, datas são usadas para homenagear eventos relevantes. Mas essas datas não fecham os países e ficam restritas às práticas religiosas. Na carona da saúva ou o Brasil acaba com os feriados ou os feriados acabam com o Brasil.  

 

José Sebastião de Paiva - jpaiva1@terra.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.