Fórum dos Leitores

.

O Estado de S.Paulo

10 Junho 2018 | 03h00

SALVE A SELEÇÃO

Para frente, Brasil...

A poucos dias da Copa, o estado de espírito dos brasileiros não está para festividades. E motivos não faltam: o desemprego continua alto, a crise dos combustíveis assusta, a insegurança e o crime organizado estão ganhando espaços, os candidatos ao Palácio do Planalto não têm perfil para enfrentar as demandas do século 21... e vamos terminar por aí, para não entrarmos nas áreas de saúde, educação e da endêmica corrupção. O jeito é torcermos para nossa seleção fazer bonito e trazer a taça, para alegria do povo. Viva o Brasil!

JOSÉ MILLEI

millei.jose@gmail.com

São Paulo

RUMOS DA ECONOMIA

Fugindo do País

Com a inconsistência do processo eleitoral, vivemos uma fuga dos investimentos. Nesse andar, vamos chegar ao fim do ano com o dólar a R$ 4,50 e a Bolsa em breaking bad. Aliás, não vivemos apenas fuga de capitais, mas também fuga de pessoas. Atualmente ninguém mais vê futuro por aqui.

FRANCISCO JOSÉ SIDOTI

fransidoti@gmail.com

São Paulo

Porto seguro

Um investidor estrangeiro interessado em aplicar recursos no Brasil confirmaria os seus planos depois de um período de observação in loco, durante o qual constatasse que o Congresso Nacional não é capaz de debater medidas fundamentais para destravar a economia, embora impopulares, simplesmente porque boa parcela de seus componentes, além de envolvida em processos na Justiça, teme o efeito eleitoral da aprovação delas sobre suas candidaturas? Ou, então, depois de se convencer de que a Corte Suprema introduz na sociedade uma enorme insegurança jurídica mediante, por exemplo, a ação de um de seus ministros, ao mandar soltar, em curto espaço de tempo, mais de 20 corruptos presos? Provavelmente, não. Mudaria de planos e procuraria um porto mais seguro para seu dinheiro.

PAULO ROBERTO GOTAÇ

pgotac@gmail.com

Rio de Janeiro

Câmbio x juros

Ao contrário do que afirma o presidente do Banco Central, a taxa de juros e o câmbio são variáveis interdependentes, pouco importa se uma é política monetária e outra é política econômica. O Brasil reduziu drasticamente a taxa de juros e isso refletiu muito no câmbio, além dos fatores externos desfavoráveis e da enorme incerteza política. O governo não pode reduzir os juros ao patamar de países civilizados e imaginar que os investidores vão deixar o dinheiro no Brasil, com os enormes riscos e incertezas que o País enfrenta. 

MÁRIO BARILÁ FILHO

mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

Zona de turbulência

Em 22 de junho de 2002, Lula da Silva assinou uma carta à Nação em que dizia que o Brasil era bem maior do que todas as crises e que o País não suportava mais conviver com a ideia de mais uma década perdida. De lá para cá já perdemos 16 anos. E há perspectivas de que continuemos à deriva por, pelo menos, mais quatro anos – completando duas décadas jogadas no lixo. O problema é que os atuais candidatos e seus partidos não têm credibilidade suficiente para acalmar o mercado somente com suas promessas. Se tiverem uma carta na manga para tranquilizar o mercado, será uma agradável surpresa. De qualquer forma, vale sempre lembrar que o colapso nervoso do mercado não durará para sempre. Mas enquanto dura é bom apertar os cintos, pois se está entrando numa zona de turbulência.

JORGE ALBERTO NURKIN

jorge.nurkin@gmail.com

São Paulo

O múnus do eleitor

O excesso de pré-candidatos à Presidência da República, alguns com pendências na Justiça, impedimentos para participar de debates, outros com pouco tempo para propaganda oficial no rádio e na TV e a maioria com falta de popularidade, deixa o cidadão consciente indignado com a política, que descambou para o ridículo. A maioria desses postulantes ao Planalto é de risco para o País caso venha a se eleger, pondo a perder todo um trabalho realizado pelo governo Temer. Vamos procurar votar com responsabilidade, naquele que apresentar real proposta de reformas, como a da Previdência, e mantenha as conquistas deste governo, como o teto dos gastos, a fim de garantir a recuperação já conseguida.

JOSÉ WILSON DE LIMA COSTA

jwlcosta@bol.com.br

São Paulo

CORRUPÇÃO

Lei da Ficha Limpa

O condenado Lula da Silva quer transformar a sua cela em comitê eleitoral. Alô, TSE, ficha-suja pode se candidatar?

TANIA TAVARES 

taniatma@hotmail.com

São Paulo

Desacato à Justiça

Os petistas não se conformam com o ordenamento jurídico do País, são a favor do indevido processo legal. Isto é, o Lula livre!

EUGÊNIO JOSÉ ALATI

eugenioalati13@gmail.com

Campinas

Ídolo de pés de barro

Hoje consigo ler a essência dos abnegados seguidores de Lula. Luiz Inácio é um encantador de multidões, carismático, brasileiro inteiro, da cachacinha ao futebol, provavelmente o melhor papo de esquina de todos os tempos, sujeito que abraça amigos e inimigos com a mesma fluidez e tem o domínio da lágrima fácil e do sorriso, a face da presunção de inocência. Até o juiz Marcelo Bretas o tratou com deferência em recente depoimento por videoconferência. Afinal, estava diante do mandatário que parecia levantar o País nos primórdios de seu mandato, um ex-presidente que, segundo ele mesmo, sempre foi perseguido, mas soube dar a volta por cima. Concordo, é muito difícil dizer não a Lula, porém necessário. Principalmente depois que o petista passou batido pela porta da esperança em que milhões de brasileiros o aguardavam para fazer História. Agora, distantes daquela manhã de 2003, podemos dividir o Lula em dois: o que poderia ter sido e o que jamais será.

RICARDO C. SIQUEIRA

ricardocsiqueira@globo.com

Niterói (RJ)

Minas em chamas

Lideranças do lulopetismo cumprindo pena, Dilma perdendo eleitores para se eleger senadora pelo Estado de Minas Gerais, Fernando Pimentel prestes a perder o foro privilegiado, como ex-governador... Não sei, não, mas estou achando ônibus demais ardendo por conta somente de “facções criminosas”. 

SERGIO S. DE OLIVEIRA

ssoliveiramsm@gmail.com

Monte Santo de Minas (MG)

ENTRE A CRUZ E A ESPADA

Sinceramente, para quem é assessorado, como Michel Temer, por ministros como Moreira Franco, Eliseu Padilha e Carlos Marun, todos do MDB, esse acordo com os caminhoneiros, com as decididas lambanças não poderia dar certo. Desde a redução de preço do diesel tabelado nas bombas, e principalmente também pelo retrogrado, e perigoso tabelamento do frete! Isso nos faz lembrar os frustrados eventos do congelamento de preços nas décadas de 80 e 90 do século passado. Porém, o pior está por vir! O governo pressionado pelos empresários que achavam abusiva a primeira tabela apresentada dos fretes, editou a segunda, que depois de horas revogou por pressão dos caminhoneiros, que não devem aceitar nada fora do padrão do acordo inicial que pôs fim a greve. E o ministro da fazenda, Eduardo Guardia, chega à conclusão de que o tabelamento não é a melhor opção! Na realidade sem solução a vista, e o governo entre a cruz e a espada, a probabilidade de recrudescer nova greve está, infelizmente, no radar, não somente dos consumidores do diesel, mas, também de gasolina, gás, e etanol...

Paulo Panossian

paulopanossian@hotmail.com 

São Carlos 

*

CONTROLE DE PREÇOS

Se controle de preços funcionasse como pretendem os “entendidos”, o ex-presidente José Sarney, não estaria no ostracismo que se encontra. Acorda Brasil!

Júlio Roberto Ayres Brisola

jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

FRETE DE TRANSPORTES

Parece que esse governo, agora, funciona sob pressão. Temer disse que resolveu a greve com diálogo (pressão mudou de nome). Agora, novamente, por meio de outro (nova pressão), revoga a tabela que havia sido criada. Como pode...

Carlos Eduardo Barros Rodrigues ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo

*

LUCROS EXORBITANTES

Antes da greve dos caminhoneiros, a Petrobrás vendia o litro de óleo diesel por R$ 2,33, tendo um lucro de 150%. Após o final da greve, a Petrobrás passou a vender o litro de diesel a R$ 2,10, ainda com um gigantesco lucro de 126%. O custo de produção é de apenas R$ 0,93. As refinarias da petroleira produzem menos que 65% de sua capacidade nominal. Os Estados brasileiros cobram alíquotas diferentes de ICMS, o que dificulta a uniformidade de preços dos combustíveis. Atualmente, vários agentes privados importam o petróleo, pois os custos são bem menores que os brasileiros. Portanto, é um absurdo a prática da política de preços abusivos, praticados pelo governo e pela Petrobrás.

José Carlos Saraiva da Costa

jcsdc@uol.com.br

Belo Horizonte

*

O CRIME COMPENSA MUITO

Eu poderia estar roubando, poderia estar matando, mas estou aqui em Brasília criando o fundo partidário. Com uma canetada só foi realizado o maior roubo de dinheiro público da história da humanidade, o dinheiro do povo brasileiro será dado de graça para que os partidos políticos façam propaganda de seus membros no horário eleitoral gratuito. O volume de dinheiro representa mais da metade do arrecadado com o leilão do pré-sal. O Brasil precisa colocar uma focinheira e uma coleira em seus políticos, melhor ainda seria sacrificar todos, como um rebanho de gado com febre aftosa. 

Mário Barilá

mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

DÓLAR DÁ OLÉ NO REAL

Nunca na história deste país existiu um governo tão fraco, tão incompetente e que mesmo tendo grande reserva em dólar, não sabe usar essa moeda para evitar a desvalorização do real e prejudicar o Brasil. 

Roberto Hungria

cardosohungria@gmail.com 

Itapetininga

*

TAXAS

IPVA, IPTU, PIS, IR, INSS, ICMS e muitas outras taxas assaltam o bolso do brasileiro diariamente. Isto sem contar os juros exorbitantes cobrados pelos bancos no cartão de crédito, cheque especial e empréstimo pessoal. Já que não adianta chorar, vamos cantar: “A taxa do mundo é nossa...”

Cláudio Moschella

arquiteto@claudiomoschella.net

São Paulo 

*

IMPOSTO SINDICAL

Lá vai o Supremo Tribunal Federal (STF) novamente querer legislar sobre o imposto sindical, por meio do ministro Fachin que opina como se um legislador fosse. Desestabilizar o País é sustentar sindicatos não representativos dos trabalhadores, que vivem do imposto como se beneficiário deste como se fosse um dos Poderes constituídos da República cujos custos são remunerados por impostos. A sociedade e principalmente os trabalhadores se livraram do pagamento de um dia de salário a sindicatos que nem sabem onde ficam, o que fazem e muito menos se os representam. Este imposto, sem fiscalização, sustenta uma estrutura de privilegiados que se aliam a partidos políticos, como no tempo da antiga e falida União Soviética. São instrumentos perturbadores da ordem pública, se fortalecem como poder paralelo e tratam o sindicalizado em segundo plano. O exemplo está vivo agora com a greve dos petroleiros com motivação exclusivamente política. Se eles estão temporariamente utilizando instrumentos desestabilizadores em reação à lei aprovada pelo Congresso Nacional e sancionadas pelo presidente da República, é para forçar a mudança da lei. E o sr. Fachin cede com muita facilidade. Que os deixem reclamar! Espero que o sr. Fachin desista de atender aos seus princípios socialistas e deixe estas questões para os outros Poderes da República. O Brasil do futuro não quer mais privilegiados além dos muitos que temos. O sindicato que quiser ser forte tem que fazer por merecer.

Manoel Sebastião de Araújo Pedrosa link.pedrosa@gmail.com 

São Paulo 

*

LAVA JATO SOB ATAQUE FEROZ!

Está mais do que claro que a obsessão do ministro Gilmar Mendes é acabar com a Lava Jato, de uma maneira ou de outra, como por exemplo, fazendo com que a operação seja desacreditada mandando soltar os criminosos quase que diariamente, como temos assistido!

Maria Elisa Amaral

marilisa.amaral@bol.com.br 

São Paulo

 

*

NOVAS FILIAIS DA LAVA JATO

A Operação Lava Jato já recuperou R$ 12,7 bilhões. Ainda há tanta lama que será necessário abrir filiais em outros Estados.

Virgílio Melhado Passoni

mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

GILMAR MENDES

O ministro do STF Gilmar Mendes já soltou 21 presos pela Lava Jato. É coincidência ou ele é o único jurista que interpreta a lei conforme os corruptos almejam?

Luiz Frid

luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

MEIRELLES

Que fatos curiosos foram ocorridos com o pré-candidato do MDB, Henrique de Campos Meirelles! Bem que ele poderia dar um bom esclarecimento sobre isso. Foi presidente do Banco Central do Brasil (BCB) de 2003 a 2011, de Lula e Dilma e não ficou sabendo do rombo monstruoso praticado no país pelo Partido dos Trabalhadores? Foi também membro do conselho consultivo da J&F Investimentos e nada soube do funcionamento das propinas dadas aos políticos para manter negociações escusas beneficiando a J&F? Participou do governo Temer rodeado de ministros acusados de corrupção e não sentiu incomodado e ainda pretende sair candidato à Presidência pelo (MDB)? Grande e renomado economista que é, espero que ele venha a público e dê esclarecimentos convincentes aos brasileiros. Ficaremos aguardando.

Benone Paiva

benonepaiva@gmail.com

São Paulo 

*

ELEIÇÃO 2018

Quais são as perspectivas eleitorais? 1) Bolsonaro ou Ciro – que o destino nos poupe dessas jabuticaba!; 2) Alckmin + Meirelles ou, melhor, Meirelles + Alckmin – talvez o menor dos males, desde que o congresso não seja reeleito e o Novo tenha uma bancada forte; 3) Que a cidadania se mobilize e clame por “reformas já” inclusive a da Previdência, e “mais de R$ 30 mil é demais”. E então apareça alguém que se comprometa com isso... É utopia? 

Harald Hellmuth

hhellmuth@uol.com.br

São Paulo

*

DEBATE POLÍTICO

Antes era entre Lula e Bolsonaro, agora entre Alckmin, Ciro e Bolsonaro. Os três juntos não fazer meio estadista do porte de Gorbachev, que só acabou com o comunismo na URSS, nem fez nada pela sua nação de fato.

Ariovaldo Batista

arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

NÃO BASTA QUERER

Alardeados pelos partidos de esquerda, todos sem exceção, se promovem em altos brados a favor da democracia e, “na calada da noite tramam a favor da tirania ditatorial do comunismo”, a mais letal e mortífera do planeta.

João Luiz Piccioni

pili@cardoso.adv.br 

São Paulo 

*

VICTOR JORGE ABDALA

Leio no 'Estadão' que o ex-presidente do PSC, Vitor Jorge Abdala é suspeito de pagar prostitutas com dinheiro público do Fundo Partidário. Ué, se não é para isso o fundo, qual seria a finalidade? 

Enio Basilio Rodrigues

enio@goconsult.com.br

São Paulo 

*

MILITARES OU DIRETAS-JÁ

Muito preocupante os resultados divulgados pelo Ibope (“Pesquisa do governo mostra que 2/3 da população querem militares ou Diretas-Já”). Ambas as posições são ilegais e inconstitucionais por violar a estabilidade, no presidencialismo, do atual mandato até 31 de dezembro. Demonstram pouco apego às regras democráticas e às normas jurídicas. Prevalecem como a defesa de interesses e não de princípios gerais. De acordo com a Constituição, as eleições devem ser realizadas em 7 de outubro com posse em 1.º de janeiro. O presidente da República só pode ser afastado do poder, dentro do ordenamento jurídico, por crime de responsabilidade ou crime comum.

Luiz Roberto da Costa Jr

lrcostajr@uol.com.br 

Campinas 

*

PRISIONEIRO

Parece que o ex-presidente Lula, prisioneiro em Curitiba e sem condição legal de ser candidato por ser ficha-suja, condenado por um colegiado, resolveu apostar tudo na sua possível candidatura. Mas não se iludam os seus possíveis eleitores, aqueles que poderiam votar nele para que, em caso de vitória, voltasse a ser presidente do Brasil. Na verdade, o que ele e os que o tem como Deus, visam apenas salvar sua pele, livrá-lo da cadeia. Nenhum deles (incluindo o próprio) pensa no Brasil e nos brasileiros. A campanha “Lula livre” que pela internet já está arrecadando dinheiro dos incautos ou dos que o idolatram como o mais puro dos seres humanos, além de iludir parte da população, está agindo à margem da lei eleitoral. 

Éllis A. Oliveira

elliscnh@hotmail.com

Cunha 

*

‘PRESODENCIÁVEL’

Lançada a candidatura de um presidiário. Só o Brasil tem um “presodenciável”. Se já não tinham vergonha, agora perderam de vez o senso do ridículo...

Ademir Fernandes

standyball@hotmail.com

São Paulo

*

PRÉ-CANDIDATURA DO PRESIDIÁRIO

No lançamento da pré-candidatura do presidiário de Curitiba, a presidente do PT, Gleisi Lula Hoffmann, ameaçou o povo brasileiro com o caos e taxou o Judiciário de desmiolado: “Se não soltarem Lula, o caos social vai aumentar e nós não conseguiremos tirar o País da crise, e não satisfeita com suas bravatas foi além: “Se o Judiciário tivesse juízo, se sensibilizaria com a desordem geral e libertaria Lula para as próximas eleições". Num instante em que o encarceramento de Lula cai na rotina – sem cadáveres nem a solidariedade das multidões – tudo o que a petista mais teme é que no dia a dia da Justiça, ela seja a próxima a encarar o mesmo destino de seu ídolo e atual inquilino da carceragem da Polícia Federal em Curitiba com a liberação da ação penal pelo ministro Celso de Mello contra ela e seu marido Paulo Bernardo na Lava Jato para julgamento pelo Supremo. Ao que tudo indica, Gleisi poderá ter seu sonho realizado ao lado do seu ídolo encarcerado, proclamando-o gerente geral da Superintendência Regional da carceragem da PF na República de Curitiba.

Paulo R. Kherlakian

paulokherlakian@uol.com.br

São Paulo

*

O CANDIDATO NO XADREZ

O presidiário Lula da Silva reafirma sua pré-candidatura a presidência da República, mesmo encarcerado e cumprindo pena de 12 anos e 1 mês, mandando as favas a Justiça que, por meio da Lei da Ficha Limpa o torna inelegível. É mais uma afronta ao Judiciário por aquele que se considera acima da lei. Basta de canalhice e de desaforo à justiça! Lula preso e inelegível, para o bem do País.

José Alcides Muller

josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré

*

LULA

Lula, você pode enganar algumas pessoas o tempo todo ou todas as pessoas durante algum tempo, mas você não pode enganar todas as pessoas o tempo todo! A. Lincoln.

Tokio Maruju

tmaruju@gmail.com

São Paulo

*

CONTAS DE LULA

Só agora o Coaf descobriu contas suspeitas de Lula? Ora, ora, mais um órgão público que só existe para inglês ver! Um bom exemplo seria descobrir quem paga os milionários honorários dos advogados de Lula e do PT, que chegam, estimativamente, a unidades monetárias, da ordem de sete dígitos um grande “segredo público” (desculpem a ironia). O estado em Brasília está podre e em franca decomposição.

Ulf Hermann Mondl

hermannxx@yahoo.com.br

São José (SC)

*

SEGUNDO HOMEM DO PT NA CADEIA!

José Dirceu, segundo homem mais poderoso do Partido dos Trabalhadores, mesmo condenado no mensalão, já estava envolvido no esquema do petrolão. Pela Operação Lava Jato, iniciou cumprimento de pena definitiva, a quase 31 anos de cadeia. Basicamente, duas mensagens abomináveis nortearam a sua trajetória política: 1) Obsessão em transformar o Brasil num país comunista; 2) Desejo implacável de acumular riqueza. Se ainda tiver algum dia de liberdade, que Cuba ou Venezuela, o recebam de braços abertos.

Roberto Delalibera

rdelalibera@gmail.com

Londrina (PR)

*

JÁ NÃO ERA SEM TEMPO

Decano libera para julgamento ação criminal contra Gleisi Hoffmann.

Robert Haller

robelisa1@terra.com.br 

São Paulo 

*

SAÚDE PÚBLICA E PRIVADA

Só uma pergunta: por que os melhores profissionais de saúde têm em seu currículo graduação e pós-lato e estrito senso em universidades públicas, lecionam e ensinam nos hospitais escola e ainda assim, é a saúde privada que está a cada dia “iscando” pacientes? Fui fazer um exame no Hospital das Clínicas de São Paulo, que me custou em torno de R$ 1.500,00. Laboratório impecável, só faltou o aroma floral para que eu me sentisse no Einstein. Fato é que o governo deveria preocupar-se em equipar o setor público do SUS, inclusive para formar médicos mais preparados, que vivenciem experiências cotidianas da medicina enquanto ainda na graduação.

Andrea Metne Arnaut

andreaarnaut@uol.com.br

São Paulo

*

PRAZER, SOMOS A TORCIDA!

Dia 17/6 começaremos a torcer por uma seleção brasileira que não vimos jogar, ou seja, na base do “tomara que sejam bons”, porque alguns nomes só conhecemos de ouvir falar. Do Brasil, mesmo, viajaram apenas três reservas de luxo: Cássio, Fagner e Geromel. 

Ricardo Siqueira

ricardocsiqueira@globo.com

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.