Fórum dos Leitores

Cartas selecionadas para a edição impressa e portal estadao.com.br

O Estado de S.Paulo

14 Junho 2018 | 03h00

BRASIL HOJE

Por que o País não avança?

A paralisação geral dos caminhoneiros, o subsídio ao preço do óleo diesel, a reação de exportadores, agricultores e produtores de xarope de refrigerante localizados na Zona Franca de Manaus e o travamento da discussão sobre a tabela de fretes, todos esses episódios expressam uma triste realidade do País: as perniciosas relações Estado x sociedade e Estado x empresariado, que há muito caracterizam a Terra brasilis. De um lado, tem-se a sociedade civil dividida em corporações, cada qual em busca de privilégios para seu grupo (vide os protestos de juízes federais contra a suspensão do auxílio-moradia, numa realidade de total desajuste das contas públicas e cerca de 14 milhões de desempregados). Como se sabe, num país onde o corporativismo impera, o interesse público é órfão. De outro lado, tem-se uma elite empresarial que sempre demanda do poder público benefícios fiscais para empreendimentos, em sua grande maioria, de curta duração e com altas previsões de lucro. Não há como falar numa elite econômica voltada para a industrialização nacional, comprometida com grandes investimentos, de longa duração e com foco na modernização do nosso país. E o Congresso Nacional? O que ele representa senão corporações públicas e privadas e segmentos religiosos? Não espanta que a reforma da Previdência Social e a tributária não avancem, mesmo diante de mais e mais motivos para tal – como a insustentabilidade do sistema previdenciário, traduzida em volumosos déficits, e a queda de investimentos produtivos diante da distorção tributária e do alto valor dos impostos. Como esperar, assim, que o Brasil avance...? 

ELIAS MENEZES

elias.natal@hotmail.com

Belo Horizonte

A Grécia vem aí

Somando a minha opinião à dos vários leitores que elogiaram os editoriais O mau humor do brasileiro (12/6, A3) e Os avestruzes (10/6, A3), entre outros, destacaria Lamentável cegueira, da leitora sra. Eliana F. Leme (13/3) e Tempestade perfeita, de Jorge Zambra. Infelizmente, grande parte da população brasileira é constituída de analfabetos funcionais, interesseiros, mal informados e cegos pela lavagem cerebral resultante da compra de consciências pelo lulodilmismo, que com dinheiro público dava migalhas aos pobres enquanto enchia os bolsos de grandes empresários, banqueiros, sindicalistas (amigos do rei) e governantes de países como Venezuela, Bolívia, Cuba, Angola, etc. Outra parte, pequena, é formada por corporações bem instruídas, como as de altos funcionários federais e estaduais dos três Poderes e de empresas públicas. Estes, juntamente com membros do Congresso mal informados e/ou mal-intencionados, foram os responsáveis pelo afundamento da necessária reforma da Previdência, que não veio. Daí a explicação para a grande desaprovação do governo Temer, que tentou (foi derrotado) ajustar as contas públicas e modernizar a administração de um país que teve as finanças destroçadas pelos desgovernos Lula e Dilma. A conta que sobrou, e que ainda vai sobrar, ninguém quer pagar. A Grécia vem aí.

ÉLLIS A. OLIVEIRA

elliscnh@hotmail.com

Cunha

Homem cordial

Ainda a respeito do editorial acerca do humor brasileiro, comporta dizer que a devastação moral que assola a Nação nos quebrou a espinha. Roubaram o erário e o nosso sorriso. Por todo lado, gente de cara azeda a lançar impropérios, vaticinar hecatombes. Poucos escapam e seria ingenuidade supor que o presidente da República – não tão ruim, mas muito longe do que queremos e merecemos – escaparia do tsunami que nos engolfa. Nem a Copa nos entusiasma. No último domingo, este que acompanha o futebol faz décadas só foi saber à noite que o Brasil havia vencido a Áustria. O entorpecimento, a descrença, o inconformismo só fazem aumentar. A cada dia cresce a convicção de que isto aqui não deu certo. O “homem cordial” de Ribeiro Couto sumiu na poeira.

JOAQUIM QUINTINO FILHO

jqf@terra.com.br

Pirassununga

A maior ressaca

Não se trata de mau humor, mas, sim, de ressaca. O PT distribuiu promessas inebriantes à vontade aos brasileiros, mas de baixa qualidade, e como que para tira-gosto ofereceu a Copa do Mundo de 2014, cujo recheio foi composto pelo 7 x 1, empanado com obras de estádios superfaturadas, salpicadas com propinas. Agora começa a acordar e sentir os efeitos da farra.

PEDRO LUIZ BICUDO

plbicudo@gmail.com

Avaré

TRANSPORTE DE CARGA

Controle de preços

Nas diversas batalhas para controlar preços, já assistimos a tudo o que se poderia imaginar em matéria de tabelamento. Tivemos o temido CIP e a não menos temida Sunab, com preços controlados até de barbearias, cinemas, teatros, cervejas, etc. Lembro-me da portaria da cerveja, com mais de 40 páginas, detalhando preços para cerveja gelada ou à temperatura ambiente, no balcão ou na mesa, casco verde ou escuro, com música ambiente ao vivo ou gravada e outras barbaridades. Lembro-me da caça aos bois no pasto e tantas outras tentativas de controle dos preços. Nunca vi tabelar preços mínimos. Conseguimos uma medida que ninguém aprova: nem os caminhoneiros, nem os usuários de frete, muito menos o livre mercado. E o direito de competir livremente? Ao menos deveríamos ter ouvido o Cade, que combate os cartéis e as combinações de preços mínimos, e a nossa combalida Constituição, teoricamente defensora da alardeada democracia brasileira, do Estado Democrático de Direito, como se repete a torto e a direito nos discursos demagógicos. A paralisação trouxe efeitos nocivos ao crescimento do produto interno bruto (PIB) e a alta dos preços. Agora esse tabelamento invertido trará ainda mais consequências: para o PIB, a inflação e o abastecimento.

CARLOS VIACAVA, ex-secretário-geral do Ministério da Fazenda

cv@carlosviacava.com.br

São Paulo

Perguntar não ofende

No Ministério dos Transportes e nas dezenas de autarquias subordinadas não existe ninguém que entenda do assunto?

MILTON BULACH

mbulach@gmail.com

Campinas

ELES E NÓS

Espelho

A pequena Cingapura, com apenas 721 km2, sede da cúpula EUA-Coreia do Norte, abriga cerca de 10 mil empresas americanas e britânicas. Lá as leis são fortes e o rito jurídico, muito rápido. Crimes de corrupção, contrabando, tráfico e prostituição são punidos severamente. Devia servir de espelho para nosso país, mas há muita gente interessada em deixar como está.

PAULO DE TARSO ABRÃO

ptabrao@uol.com.br

São Paulo

*

A FESTA DO FUTEBOL VAI COMEÇAR!

Nesta quinta-feira começa a Copa do Mundo na Rússia, nossas esperanças serão renovadas para a vinda da taça e do hexa para o Brasil, algo que só nossa seleção pode ser. O regulamento da Copa do Mundo, como o torcedor pode notar, não funciona sempre para premiar a melhor seleção, como foi nos casos das seleções húngara e do Brasil, em 1982, na Espanha. Se o objetivo fosse esse, seria melhor fazer um campeonato de pontos corridos, como é o "Brasileirão", em que todos jogam contra todos, no caso aqui jogos de ida e volta. Só que isso ia levar muito tempo e consumir grana demais, além de cansativo pelo número de seleções na disputa. Não podemos esquecer que a Copa foi organizada como um torneio curto, de apenas um mês, e poucos jogos, todos decisivos depois da primeira fase. Basta um vacilo para uma das seleções favoritas voltar para casa mais cedo. É um jeito de eliminar rapidamente os competidores, até chegar á dupla que vai disputar o título, se não tiver o árbitro de vídeo um erro pode tirar o título do mais favorito, que esperamos seja nossa seleção. Nem é preciso dizer que esse sistema pode criar muitas injustiças. Basta um azar ou uma falha individual num jogo, para levar abaixo um trabalho de anos. Como dá para reunir mais equipes dessa maneira, o número de países envolvidos na competição só faz crescer. Em 1982, passou de 16 para 24. Desde 1998 são 32. Em 2026 a previsão é de 48 países no torneio. Haja tempo para assistir a tantos jogos!

Turíbio Liberatto turibioliberatto@hotmail.com

São Caetano do Sul

*

GASOLINA X COPA

Para os brasileiros, o preço estratosférico da gasolina deixou a Copa sem graça.

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br 

São Paulo

*

APELO

Que a mídia dê tanta ênfase nos problemas do Brasil a serem resolvidos no próximo governo com propostas articuladas pelos candidatos como agora dá às matérias e o espaço à Copa do Mundo e à seleção!

Harald Hellmuth hhellmuth@uol.com.br

São Paulo

*

CRISTIANE BRASIL

Por mais graves que sejam as acusações contra a deputada Cristiane Brasil, não penso que seja legítimo à autoridade Judiciária, ou autoridades de qualquer outro poder, proibir que uma filha converse com seu pai. Estamos vivendo uma época em que decisões insanas são tomadas pelo Judiciário, documentadas e divulgadas, sem espanto. Até presos podem receber visitas de seus filhos e pais, como uma acusada não? Além disso, alguém acredita que, caso desejem, não se comunicarão? Ainda que se coloque um agente da Polícia Federal (PF) vigiando cada um, que se grampeie seus smartphones e se monitore suas cartas. Não será possível, nem aceitável, vigiar os amigos, parentes, conhecidos, empregados, assessores que mandem sinais de fumaça. Senhores juízes e promotores investiguem e aproveitem o momento histórico em que são heróis, mais conhecidos que os craques da seleção brasileira de futebol, mas não menosprezem a inteligência dos cidadãos. 

Marcelo f. Kawatoko marcelo.kawatoko@outlook.com

São Paulo 

*

A RAPOSA E O GALINHEIRO

Seria maldade de minha parte dizer que o presidente estaria colocando a raposa para tomar conta do galinheiro, quando aceitou a proposta do Roberto Jefferson? Não, falha minha, mais uma raposa para tomar conta das magras galinhas! Ou não seria uma proposta, mas sim um acordo?

Manoel Mendes de Brito mdebritovoni@gmail.com

Bertioga 

*

ESPETÁCULO MIDIÁTICO

A imprensa mundial transbordou com a cobertura do encontro de Trump com Kim Jong-un ocorrido em Cingapura. O resultado foi apenas espuma, mas elevou Kim à estatura de líder mundial, idolatrado por seus súditos, enquanto para Trump serviu apenas para satisfazer sua inesgotável busca pelos holofotes. Embora 10 cm mais baixo do que Trump, Kim, graduado na Suíça, foi o grande beneficiado pelo espetáculo midiático.

Hélio de Lima Carvalho hlc.consult@uol.com.br

São Paulo

*

FAKE NEWS

Como as fake news podem abalar as "real news" se os protagonistas desse histórico encontro entre EUA e Coreia do Norte são super fakes? Nunca se viu tanta pirotecnia diante fatos velhos travestidos de novos, como se fossem a promessa de um novo tempo. Estamos diante de mais um engodo, simples jogo de imagens que não valem as mil palavras de justificação de um teatro midiático para encher colunas de analistas que não analisam, simplesmente torcem. Nos obscuros encontros interesseiros de apenas alguns, feitos entre silenciosas paredes, testemunhas de abomináveis segredos, ficamos sem saber um décimo sequer do que acontece nos bastidores do poder. Enquanto posam de bonitos, ficamos na mesma. Assinaram nada. Assinaram espuma. Promessas para novo encontro para se prometer um próximo. E quando Trump mostra imperialmente seu jamegão que mais parece um abalo sísmico, tremo de pavor. Nunca a paz foi tão verdadeira quanto uma nota de três dólares.

Gloria Monteiro de Moraes glorinhafernandes@uol.com.br 

São Paulo 

*

FAKE NEWS E CENSURA

Muitos têm entendido que sobrestar e impedir a veiculação ou compartilhamento de notícia falsa poderia remeter a um processo de censura. Entretanto, em caso de dúvida, será melhor impedir a notícia que poderá ser falsa e mentirosa ou compartilhá-la em nome da liberdade de imprensa? Esse juízo de valor deve estar presente nas mentes dos usuários das redes sociais. Entretanto, com a diversidade de preparos, pode-se contar com essa razão e competência de análise sempre? Assim, fica-se nas mãos de uma gama de pessoas que não desejam, inclusive, impedir mentiras e falsidades. Resultado: pode-se obter resultados na eliminação de fake news sem ofender direitos constitucionais?

José Carlos de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

*

NOTÍCIAS FALSAS

Um dos maiores e fundamentais mecanismos de propagação das chamadas fake news é, sem dúvida, o compartilhamento intempestivo, quase automático, de notícias bombásticas, sensacionalistas, sem a mínima e paciente verificação prévia da fonte. Tal fenômeno pode até ser universal, mas seguramente, por aqui, é muito mais intenso, pois o brasileiro médio tem como base um hábito singular em relação a histórias dramáticas: acreditar primeiro e perguntar depois. Se por um lado são as redes sociais a principal fonte de fake news, de outra parte é por meio destas mesmas redes que determinada notícia pode ou não ser confirmada, bastando para isso apenas a devida pesquisa. O leitor honesto pode e deve fazer sua parte para reduzir a propagação das mal intencionadas notícias falsas.

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo

*

PIOR SEM ELE

São muitas as reclamações do povo de bem sobre o governo de Michel Temer. Que sua popularidade está combalida, todos já sabem, mas é obrigatório reconhecer que, apesar dos pesares, Temer tem tomado medidas corretas e enérgicas para tirar o País do imbróglio em que a tigrada petista o colocou. Tenham certeza, seria pior sem ele!

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

SUSP

Temer se vangloria de ter criado o SUSP, como ele denominou o Serviço Nacional para a Segurança Publica. Destinou uma verba de R$ 1 bilhão para a instituição, que virá das loterias. Mas o dinheiro das loterias é destinado ao esporte, ou esqueceu-se disso? Deveria tirá-lo do fundo partidário, daí sim, esse dinheiro seria bem destinado.

Carlos Eduardo Barros Rodrigues ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo

*

POBRE BRASIL

Os candidatos a presidente são tão horríveis, como gestores e também na ética, que até eleição o povo é capaz de pedir a reeleição do Temer.

Roberto Hungria cardosohungria@gmail.com

Itapetininga

*

CENTRO

A busca por um candidato de centro continua. Um JB desistiu, mas o outro JB continua avançando nas pesquisas e lutando pelo PT (primeiro turno).

Sergio A. Monteiro samvilar@uol.com.br 

São Paulo 

*

MEU CANDIDATO

Já escolhi meu candidato. Vou votar em Bruno, ex-goleiro do Flamengo. Preso por preso, o Bruno "só" matou uma pessoa, enquanto o outro preso matou um país. Matou empregos, matou a Petrobrás, matou a decência, a ética, matou a língua portuguesa e, ainda a provar, pode ter matado a um ex-companheiro. Os institutos de pesquisa insistem em colocar na mesa um presidiário e condenado em segunda instância, como eu não tenho corrupto de estimação nem presidiário de estimação vou ficar com o Bruno. Vai que é tua, Bruno!

Luiz Gonzaga Tressoldi Saraiva lgtsaraiva@uol.com.br 

São Paulo 

*

DA COVARDIA

Uma das mais negativas e humilhantes características do ser humano é a covardia. Entre os pré-candidatos à Presidência da República, apenas um mostra-se menos covarde que os demais, salvo no que respeita a diminuição do peso morto do Estado na economia. Caso não venhamos a ter uns quatro ou cinco sucessivos governos que eliminem as mazelas do intervencionismo estatal em todas as áreas em que a presença do Estado é nefasta, nosso futuro será aterrador. Na responsabilidade ou irresponsabilidade dos partidos políticos e do eleitorado está o futuro da Nação.

Mário Rubens Costa costamar31@terra.com.br 

Campinas

*

A JUSTIÇA FALHA VAI ELEGER BOLSONARO

Se Bolsonaro e a extrema direita assumirem o poder no Brasil, entre seus eleitores, terá lugar destacado a impunidade da bandidagem no país do colarinho branco, do andar superior, aos assaltantes à mão armada nas ruas, a burocracia e a Justiça que não pune, serão decisivos na hora das pessoas decidirem em quem votar. Desgraçadamente a omissão atual vai determinar um futuro de olho por olho e dente por dente, na condução da política nacional. O fascismo é filho da impunidade, da descrença e da falta de esperança. É isso que queremos? 

Paulo Arisi paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre 

*

CONTRA AS FAKE NEWS

A cara de pau petista não tem mesmo medida nem senso do ridículo. Após o Vaticano desmentir categoricamente a falsa informação veiculada pelo PT em suas redes sociais de que o terço abençoado pelo Papa Francisco, em Roma - um dos inúmeros rosários distribuídos aos presentes - tenha sido enviado especialmente ao presidiário Lula, detido na Polícia Federal, em Curitiba, fica claro que exemplos como esse são o sustentáculo de louváveis iniciativas fundamentais e necessárias para o combate diuturno às famigeradas e deletérias fake news, como o recente lançamento do blog "Estadão Verifica", do "Grupo Estado". Como bem disse Winston Churchill: "uma mentira dá uma volta inteira ao mundo antes mesmo de a verdade ter oportunidade de se vestir". Basta de fake news!

J.S. Decol decoljs@gmail.com 

São Paulo 

*

VATICANO E O TERÇO

"Vaticano desmente versão do PT sobre terço" (13/6, A6). Na realidade, não é uma mentira do PT. O Papa de Francisco foi informado que tudo que "Lulla" fazia em benefício dos mais pobres ($$$) recebia como propina no mínimo 1/3 - um terço. Sensibilizado, o Vaticano enviou a este fervoroso católico praticante o seu terço cristão como uma pequena e singela colaboração.

Claudio Baptista clabap45@gmail.com

São Paulo

*

UM MEIO PARA CONSEGUIR UM TERÇO

Para quem se acha um deus e é adorado como tal por grande parte de um povo idiotizado e lobotomizado, até que receber 1/3 (entendam como queiram), inicialmente me pareceu razoável, tendo-se em vista os padrões morais e éticos vigentes e os valores praticados em negociações escusas e exaustivamente praticados neste lamentável país. Mas, pensando bem, e aqui entre nós honestos habitantes desse lupanar: receber 1/3 até do papa soa como heresia pura ou oportunismo extremo.

Renato Otto Ortlepp renatotto@hotmail.com 

São Paulo 

*

TERÇO DA MARACUTAIA

O Vaticano já desmentiu a patranha de que o papa enviara um terço para "Lulla". Além do pecado da mentira, assim ficou mais difícil Sua Santidade doar grana para a vaquinha da campanha "presodencial".

Ademir Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

LIDERANÇAS

Enquanto Lula, líder político, em seu requintado SPA em Curitiba, abertamente envia mensagens aos fiéis asseclas, como se em liberdade estivesse, nas infectas penitenciárias, clandestinamente os chefes das contravenções comandam seus asseclas, como se em liberdade estivessem. Mais uma similaridade: ambos são líderes fielmente obedecidos.

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br 

Vila Velha (ES)

*

LULA AINDA ACREDITA-SE CANDIDATO! 

Os petistas querem obrigar a Justiça a liberar o registro para Lula poder disputar as eleições, mesmo condenado a mais de 12 anos de cadeia, afora outros processos que aumentariam essa pena. Além do registro, querem liberdade para ele gravar programas para a TV, mas onde? No flat de luxo onde mora? Não duvido que no Supremo Tribunal Federal (STF) via Gilmar Mendes, Toffolli ou Lewandowski, ele consiga autorização para tais imbecilidades. A pergunta que não só eu, mas muitos fazem é: com toda essa safadeza ocorrendo solta no meio político e jurídico, os militares até agora não enviaram á politicalha pelos menos um sussurro: para tomarem juízo senão fecham tudo e colocarão na cadeia uma quantidade enorme de políticos que ainda estão soltos, porque aqui é Brasil. Fosse na China (incluindo Lula) já teriam sido executados e restariam apenas os ossos. 

Laércio Zanini spettro@uol.com.br 

São Paulo 

*

LULA LIDERA PESQUISAS

Afinal, ele é ou não é ficha suja?

Robert Haller robelisa1@terra.com.br 

São Paulo 

*

PRIVILÉGIO

A defesa do cara alega sérios riscos de defesa. Com tudo estes privilégios. Chicana novamente. 

Moisés Goldstein mg2448@icloud.com

São Paulo 

*

COMPANHEIROS DO PT

Vote em candidatos do Partido dos Trabalhadores se você gostou da atuação de: Alberto Youssef, Aldo Rebelo, Alexandre Tombini, Aloizio Mercadante, André Figueiredo, Antônio Palocci, Antônio Rodrigues, Armando Monteiro, Benedita da Silva, Branislav Kontic, Celso Pansera, Ciro Gomes, Dilma Rousseff, Edinho Silva, Eduardo Braga, Eliseu Padilha, Erenice Guerra, Fátima Bezerra, Fernando Haddad, Fernando Pimentel, George Hilton, Gilberto Kassab, Gilberto Occhi, Gleisi Hoffmann, Graça Foster, Guido Mantega, Helder Barbalho, Henrique Eduardo Alves, Humberto Costa, Izabella Teixeira, Jacques Wagner, Jandira Feghali, Jaques Wagner, João Santana, João Vaccari Neto, Joaquim Levy, José Carlos Bumlai, José Dirceu, José Eduardo Cardozo, Juca Ferreira, Kátia Abreu, Lindbergh Farias, Luis Inácio Adams, Luiz Inácio Lula da Silva, Luiz Marinho, Marcelo Castro, Marina Silva, Marta Suplicy, Mauro Vieira, Miguel Rossetto, Miro Teixeira, Nelson Barbosa, Nestor Cerveró, Nilma Lino Gomes, Patrus Ananias, Paulo Bernardo, Paulo Roberto Costa, Renato Duque, Ricardo Berzoini, Sérgio Cabral, Sérgio Gabrielli, Tarso Genro, Tereza Campello, Valdir Simão, Waldir Pires, Walfrido dos Mares Guia.

José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br

Belo Horizonte

*

GOVERNADOR PROCURADO

Sinceramente estas coisas só podem acontecer em nosso país. Já faz uma semana que a Central de Mandados de Belo Horizonte tenta notificar o governador Fernando Pimentel e não o faz porque não consegue localizá-lo. Certamente deve estar escondido ao invés de estar trabalhando e se não tivesse culpa no "cartório" não precisaria desta artimanha para retardar a ação penal em que é réu, em que está sendo acusado de ter recebido a bagatela de R$ 15 milhões da famosa Odebrecht.

Luiz Roberto Savoldelli savoldelli@uol.com.br

São Bernardo do Campo

*

SEM O JUIZ SÉRGIO MORO, LAVA JATO EMPACA NA ESFERA CÍVEL DA JUSTIÇA

Manchete adequada: "Sem Moro, a justiça brasileira não funciona".

José Roberto Niero jrniero@yahoo.com.br 

São Caetano do Sul 

*

MORO

Cumprida a missão de inviabilizar a candidatura de Lula, Moro pode viajar tranquilo e não necessita aceitar novos processos.

Tibor Rabóczkay trabocka@iq.usp.br

São Paulo 

*

PLANOS DE SAÚDE

A gerência de comunicação social da ANS informa que os reajustes dos planos não podem se comparados com a inflação. Ocorre que os reajustes salariais tem por base esse índice. Os planos aumentam 15% e os salários 1,7% logo ninguém mais poderá pagar os valores dos planos, será que é proposital?

Gustavo Guimarães da Veiga ggveiga@outlook.com

São Paulo

*

REAJUSTE

No "Fórum dos Leitores" de ontem conhecemos a sra. Gisele Amaral, gerente de Comunicação Social da ANS. Com propriedade, ela afirma ser especulativo o índice propagado pela imprensa, para reajuste nos Planos de Saúde. Esclarece: o porcentual obedecerá a critérios, que não podem ser comparados ao índice de inflação. Devia ter se calado. Prepare-se, tunga à vista!

José Perin Garcia jperin@uol.com.br

Santo André

*

ANS

A ANS deve informar, com clareza, como fiscaliza as "planilhas", bem como o porcentual de reajuste autorizado nos últimos cinco anos. Espero estar enganado em minha desconfiança. 

Andre Frohnknecht caxumba888@gmail.com

São Paulo

*

ASSUSTA

Sábado (9/6) estive no "Sonda supermercadoo" de Cidade Dutra, Zona Sul de São Paulo e me surpreendi com o aumento generalizado dos preços de uma semana para outra, principalmente de laticínios e carnes na faixa de 30%. Pelos corredores, só se ouviam reclamações dos consumidores. Se as estatísticas de preços continuarem a falar de frações de porcentuais de aumento do custo de vida, ficarão totalmente sem credibilidade. Já nem se comenta os preços de restaurantes, tanto populares como superiores, onde uma batata recheada custa mais de R$ 40. O descontrole está evidente. 

Ademir Valezi adevale@gmail.com

São Paulo

*

UM PLANO REVELADOR

Sobre o plano estratégico de atuação concluído pelo gabinete da intervenção federal na segurança pública do Rio, há um "pequeno" detalhe: sua execução. Ao contrário do que muitos pensam, no Brasil não se planeja pouco. O que não se faz é executar, com método, os planos. Um exemplo é o "Tolerância Zero", pelo qual Rudolph Giuliani, então prefeito de Nova York, ficou conhecido em todo o mundo. Em fevereiro de 2016 o à época secretário de segurança pública e atual governador de Goiás declarou que no Estado passaria a vigorar a "política de tolerância zero". Eu, contudo, sabia que a iniciativa não passava do conhecido, repisado e espasmódico "policiamento ostensivo". O resultado é que a violência em Goiás, notadamente na capital, não para de crescer. A questão é que o "Tolerância Zero" de Giuliani não era política, mas método! Método com foco na execução, liderada pelo próprio Giuliani. Entre outros aspectos, era ele, em pessoa, quem comandava as reuniões semanais de execução do plano em cada um dos famosos cinco distritos da cidade. Se no Brasil tivéssemos menos política e mais gestão, o país seria outro.

Marcelo Melgaço melgacocosta@gmail.com

Goiânia

*

MARIELLE FRANCO JÁ É ESTATÍSTICA

Já se passaram três meses e a nossa inteligência policial não teve como esclarecer o nefando crime de morte cometido contra a vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ) e seu motorista, numa emboscada própria de crime organizado. Não se fala mais no caso e, se o Brasil conseguir o hexa, a ex-vereadora simplesmente será incluída nas estatísticas da violência incontida no Rio de Janeiro. Há casos em que a verdade não deve ou não pode ser revelada. O hexa é que interessa.

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com 

Vassouras (RJ)

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.