Fórum dos Leitores

Cartas selecionadas para a edição impressa e portal estadao.com.br

O Estado de S.Paulo

15 Junho 2018 | 03h00

COPA DO MUNDO

A nossa realidade

Samba, carnaval e futebol, três coisas que transformam o humor dos brasileiros. Enquanto o carnaval une os diversos estratos sociais, o futebol divide todos eles em paixões diferenciadas. Os interesses milionários que imperam no futebol mundial – nosso país não é exceção, com atletas nababos de fazer inveja a príncipes árabes – jogam a autoestima do brasileiro desempregado, do inadimplente forçado, do usuário sofrido do SUS, das vítimas da insegurança e do corporativismo irrealista impregnado em todas as esferas do funcionalismo público, do professorado nivelado por baixo, enfim, ao rés do chão. O cidadão que lê, reflete sobre nossa situação política e procura entender o porquê dos problemas que afligem a sociedade brasileira não está a fim de “pegar a onda da Copa”. Mas a máscara da hipocrisia pode mudar essa situação.

ALOISIO ARRUDA DE LUCCA

aloisiodelucca@yahoo.com.br

Limeira

Mudança de humor

Com o pote até aqui de mágoa, os brasileiros reagem com distanciamento a uma possível nova decepção. Mas vivemos no país do faz de conta, onde até a melancolia de uma hora para outra pode cair no samba. 

RICARDO C. SIQUEIRA

ricardocsiqueira@globo.com

Niterói (RJ)

Ser ou não ser

O desânimo dos brasileiros com a Copa do Mundo é notório em quase todas as cidades. A corrupção conseguiu destruir até a paixão nacional. Não se vê mais aquela profusão de bandeirinhas e enfeites nas ruas, a tristeza e o clima sombrio compõem o ambiente desolador que se instalou no território nacional. Na eleição que espreita por trás da Copa se espera um recorde de votos nulos e em branco, bem como grande ausência de eleitores. Ou enfrentamos de vez essa praga, essa doença, essa cultura egoísta da vantagem individual, ou as próximas gerações estarão condenadas ao limbo, à vida insignificante e sem explicação para sua existência. Caímos na filosófica pergunta de Shakespeare: para que e por que existimos? 

MÁRIO NEGRÃO BORGONOVI

marionegrao.borgonovi@gmail.com

Rio de Janeiro

Torcida...?

Nossos jogadores só representam o próprio interesse. Ressalvadas as devidas proporções, são como nossos políticos e nosso caríssimo Judiciário, que só cuidam deles mesmos. Quanto ao Brasil e aos brasileiros, ora, que se virem! Exemplos do que vai acontecer depois da Copa, ganhando ou perdendo: Neymar em Paris e talvez logo em seguida em Madrid; Philippe Coutinho e Paulinho, em Barcelona; Gabriel Jesus, Manchester; Allison, Roma ou Madrid, etc. Enquanto isso, para o povo aumento de impostos e combustíveis, greves, corrupção, políticos nos sugando, estatais corrompidas, insegurança total, sem saúde, sem educação... Torcer para quem mesmo, cara-pálida?

JOSÉ ROBERTO NIERO

jrniero@yahoo.com.br

São Caetano do Sul

Indiferença

A torcida brasileira está e deve continuar indiferente. A grande maioria desses mercenários recebeu R$ 500 mil por conquistar a medalha de ouro na Olimpíada de 2016. O técnico é alçado ao patamar de semideus porque classificou a seleção tendo seis vagas à sua disposição. Pergunta-se: além de Argentina, Uruguai e Brasil, que outra seleção sul-americana teve papel de destaque em qualquer Copa? Para transportar a seleção fretou-se um jato com decoração VIP e o técnico já pediu, e foi atendido, jato particular, para trazer jogadores da Europa. Isso num país onde se morre na fila do SUS, crianças pedem esmola nas ruas e um ex-presidente da CBF está em cana nos EUA. Ficar indiferente é cair na real.

JOÃO ISRAEL NEIVA

jneiva@uol.com.br

São Paulo

A alegria do povo

Ainda a propósito das pesquisas que revelam o surpreendente resultado de que esta Copa desperta o menor interesse dos brasileiros em comparação com as do passado, cabe destacar que “a alegria do povo” não é mais o futebol, mas emprego garantido, geladeira abastecida, contas pagas e boas perspectivas de um futuro seguro, ordeiro e tranquilo. O Brasil mudou!

J. S. DECOL

decoljs@gmail.com

São Paulo

BRASIL HOJE

Por que o País não avança

Vivemos, na prática, um regime monárquico, e dos piores que a História registra. No Brasil a verdadeira República só foi proclamada, mas não levada a efeito. Permanecem os antidemocráticos direitos “adquiridos” pela classe dominante, usurpadora dos direitos republicanos da sociedade “anônima”. Enquanto não sairmos desta nefasta monarquia disfarçada, em que o povo é tratado como súdito para sustentar imperadores/imperatrizes e suas cortes vivendo em “palácios” (literal e ostensivamente), não encontraremos solução para os graves problemas que assolam o País. Não custa lembrar que no regime republicano somos os empregadores e os funcionários públicos, em todas as esferas de poder, são nossos empregados, sem direito a privilégios. Devem, pois, comportar-se como empregados de um empregador exigente, que só estará satisfeito se forem atendidos os seus justos interesses de cidadão. Não vejo outro caminho para que o País avance senão pela instauração do verdadeiro regime republicano. Mas forças “ocultas” lutarão até a morte para manter o status quo.

PAULO EDUARDO GRIMALDI

pgrimaldi@uol.com.br

Cotia

Estamos encrencados 

Com o leilão da semana passada de três blocos do pré-sal o governo arrecadou R$ 3,15 bilhões. Mas essa dinheirama cobre apenas 51 horas e 38 minutos do déficit fiscal do setor público de 2017 – R$ 511,408 bilhões. Deduz-se daí que a cada 51 horas o setor público acrescenta o equivalente a três blocos do pré-sal de dívida nova à sua dívida antiga. Assim, precisaríamos vender 486 blocos para eliminar o déficit de um único ano. Como sair dessa sem mandar às favas os direitos adquiridos? 

MILTON BONASSI

mbonassi@uol.com.br

São Paulo

ENERGIA SOLAR

Eletrobrás

Na Alemanha, cujo inverno é rigoroso, a energia solar nada de braçada. No Brasil, onde faz sol o ano inteiro, políticos corruptos são contra a privatização da falida Eletrobrás. Atenção, candidatos: privatização já da Eletrobrás e uso dos recursos num grande programa brasileiro de energia solar!

LUIZ HENRIQUE PENCHIARI

lpenchiari@gmail.com

Vinhedo 

*

COPA DA RÚSSIA

Começou uma nova disputa de futebol, desta vez na Rússia. Se analisarmos os esportes veremos que só são úteis aos que os praticam e prejudiciais aos viciados em vê-los. O dinheiro gasto em estádios seria mais útil em saúde, educação, etc. Assistir a jogos nos estádios gastando tempo e dinheiro em deslocamentos, entradas e briga entre torcidas é uma burrice, pois poderiam ser vistos na TV, sem gastar nada. A mídia vai deixar de noticiar coisas de interesses coletivo, para focar o futebol.

Mário A. Dente eticototal@gmail.com 

São Paulo

*

NEYMAR E O 7X1

"Se eu estivesse em campo no 7 x 1 o resultado seria diferente", diz Neymar. Sim, faria a diferença, mas não muito. Talvez 10 x 0 para a Alemanha.

José Roberto Niero jrniero@yahoo.com.br 

São Caetano do Sul

*

COPA DO MUNDO DE 2026

Esqueceram-se de avisar os representantes da CBF que o PT não está mais no governo é que, possivelmente, nenhuma empreiteira corrupta está "em obras" no Marrocos.

Sérgio Salgado de Oliveira ssoliveiramsm@gmail.com

Monte Santo de Minas (MG)

*

2026: AÍ TEM 

Que vexame, além de envolvimento em corrupção, agora não honramos o combinado. Aí tem. 

Moisés Goldstein mg2448@icloud.com

São Paulo 

*

FILME DE TERROR EM SALVADOR!

Assistir o jogo do Corinthians contra o Bahia foi a mesma coisa que ver um filme de terror categoria B rodado com atores medíocres! 

Laércio Zanini spettro@uol.com.br

Garça

*

LUZ VERMELHA PARA O ESPORTE...

É inacreditável a falta de sensibilidade e inteligência dos nossos políticos e, principalmente, desse presidente e seus ministros. Sempre na contramão do que se prega para o desenvolvimento e crescimento do País. O pouco que se tem para educação, e o esporte faz parte dessa premissa em caráter mais amplo, estão transferindo parte para a segurança. Exatamente o oposto. Se tirassem recursos de outras áreas e aplicassem na educação e no esporte, estariam contribuindo de forma efetiva para que o Brasil se tornasse, em poucos anos, um país com um povo mais culto, educado e feliz. 

Vitor de Jesus vitordejesus@uol.com.br

São Paulo 

*

AUXÍLIO-MORADIA

Leio nos jornais, que depois de conceder uma liminar estendendo a toda a magistratura o auxílio-moradia, o ministro Fux lavou as mãos e repassou o problema a uma tal Câmara de Conciliação, com moderação da Advocacia-Geral da União (AGU). A conciliação é entre os sindicatos dos juízes e quem mesmo? Já é um absurdo este auxílio, particularmente porque é pago ao estrato mais bem remunerado do funcionalismo público (e eu me pergunto para que servem os vencimentos desta turma que tantos por fora recebe) e vai sendo perpetuado com empurrões de barriga. Parece-me, ainda - pura malandragem - que será dado a título de indenização, o que significa sem pagamento de Imposto de Renda! A casta tem mesmo que se encastelar em salas especiais e aviões da FAB, a custa dos impostos dos assalariados!

Paulo Mello Santos policarpo681@yahoo.com.br 

Salvador 

*

O CUSTO DOS PENDURICALHOS

Os penduricalhos infestam as remunerações dos servidores públicos dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário. Vão desde o auxílio-moradia até ajudas de custo para aquisição de livros e até de vestuário. É uma forma deslavada de contornar a Carta Magna e superar o teto, que é a remuneração de um ministro do Supremo Tribunal Federal (STF). Agora, o deputado Rubens Bueno (PPS-PR) apresenta o seu parecer na Comissão Especial, cuja finalidade é o corte das vantagens indevidas, procurando economia sensível para o País. A grande ferida está exposta e totalmente à disposição da população brasileira, cujos cidadãos poderão apreciar a aguerrida luta que se travará para a manutenção dos privilégios dos maiores privilegiados da Nação.

José Carlos de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

*

FIM DOS PRIVILÉGIOS

Segundo matéria publicada pelo "Estadão" (12, A4) o deputado Rubens Bueno (PPS-SP) propõe o fim dos penduricalhos para o funcionalismo público. A economia para a União e Estados seria de algo em torno de R$ 2,3 bilhões ao ano. Em um país cuja faixa salarial da iniciativa privada é extremamente baixa (dois salários mínimos, por exemplo) é afrontoso que servidores públicos, inclusive membros do Poder Judiciário, além de receberem gordos rendimentos salariais ainda tenham direito a auxílios, bonificações e tenham férias de 60 dias. Isso é impraticável em qualquer país verdadeiramente sério, especialmente quando se discute ajustes ficais e reformas estruturais. Já passou da hora de acabar com essa quantidade absurda de benefícios concedidos ao funcionalismo público. O Estado brasileiro gasta demais com isso e não há muita eficiência por parte desses profissionais. Nenhuma empresa na face da Terra é tão generosa quanto o governo brasileiro. A proposta será submetida ao crivo do Congresso Nacional que, esperemos, tenha a sensatez de aprová-lo.

Willian Martins martins.willian@globo.com

Guararema

*

CRIAÇÃO DO MINISTÉRIO DA SEGURANÇA

Um dos mitos que existe na cultura nacional, é de que se existe um problema na sociedade, este será resolvido se for criado um novo ministério, com seus funcionários e cargos de confiança bem renumerados, aumentando as despesas do Estado e nada mais. Mais uma medida cosmética a ser limpa pelo sucessor do atual presidente, pois os problemas se começam a resolver, com políticas públicas efetivas no que existe e não com a criação de mais trens da alegria de funcionários públicos. O Ministério da Segurança será mais uma dessas flores inúteis da burrocracia oficial, no apagar das luzes do governo Temer.

Ulf Hermann Mondl hermannxx@yahoo.com.br 

São José (SC)

*

MAIS UM

No Brasil é assim, quando as instituições falham de forma geral, se cria novo ministério para o povo bancar. E mais um malandro para roubar.

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

CONDUÇÃO COERCITIVA

O Supremo vota, pela primeira vez, a decisão sobre a legalidade da condução coercitiva. Primeira vez porque a decisão não será unânime, será contestada em algum momento e mesmo que fosse decidida pela maioria absoluta, se algum dos ministros decidir futuramente que mudou de ideia o assunto volta ao plenário para nova votação. Essa insegurança jurídica só beneficia os criminosos de colarinho branco, pois o pobre coitado da periferia quando é levado para depor, vai por vontade própria ou vai, seja lá como for.

Luiz Ress Erdei gzero@zipmail.com.br

São Paulo 

*

PAUTA DO STF

Infelizmente os ministros que não se atualizam no tempo em que nos encontramos buscam, por meio de leis antigas, brechas que permitem a continuidade de assaltos ao erário. A decisão é lamentável para o povo brasileiro, mas certamente estes ministros não passeiam com a liberdade necessária pelo nosso Brasil, pois serão excomungados pela população conforme já demonstrado por ministros sorridentes de aflição. 

Thomaz Raposo de Almeida Filho thomazraposo@yahoo.com.br

Rio de Janeiro

*

INACEITÁVEL

As ações nos tribunais civis relativas à Operação Lava Jato têm procedimentos diferentes. Da parte do juiz Sérgio Moro, que é da área federal, muita gente já foi condenada. Por outro lado, na área civil até agora os acusados não foram julgados. E num dos casos, os acusados, se condenados, terão de devolver mais de R$ 14 bilhões que foram surrupiados da Petrobrás. Por que essa diferença que por certo, afeta o conceito do Judiciário? É uma situação inaceitável.

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos

*

IMPEACHMENT DE GILMAR MENDES

Cobrado pelos senadores Lasier Martins e Randolfe Rodrigues, sobre os pedidos de impeachment de Gilmar Mendes, Eunício Oliveira, presidente do Senado disse que a matéria foi instruída e encaminhada ao jurídico da Casa para parecer, mas deixou claro que não há prazo. Antes, Eunício precisa se garantir se reelegendo e mantendo o foro privilegiado, pois o STF também não tem a menor vontade de acabar com a excrescência. Assim vamos vendo como funcionam os poderes, uns não decidem esperando para ver se outros tomam decisões que os prejudiquem. Na verdade é uma eterna briga de rato e gato. Com isso, essa republiqueta segue no atraso e na dependência de termos alguém que de um murro na mesa e acabe com a palhaçada. Já foram longe demais! 

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com 

São Paulo 

*

PLANOS DE SAÚDE 

A senhora da ANS, à guisa de "resposta" às queixas de usuários de Planos de Saúde, emprega o velho truque de sair pela tangente. Não é no reajuste dos chamados "Planos Individuais" que reside a ignomínia dos reajustes que estão sendo impostos pelas operadoras. Os reajustes dos "Planos Individuais" - aliás, não mais comercializados ou comercializados com severas restrições pelo sistema - têm o acompanhamento da ANS tendo em vista a inflação dos custos da área médica. O problema gravíssimo está nos chamados "Planos sem Patrocínio", como é o meu caso. Faço parte de um grupo de idosos, constuído em 1981, há, portanto, 37 anos, que hoje estão beirando e ultrapassando os 80 anos. Era um grupo de funcionários que há época, trabalhavam numa multinacional que decidiu trocar para outra operadora. Um grupo de funcionários resolveu continuar com a operadora anterior - a "Golden Cross" - pagando integralmente o beneficio, sem participação da empresa. Ao longo desses 31 anos o grupo foi-se reduzindo e atualmente conta com menos de meia dúzia de pessoas, todas com mais de 80 anos. Como a operadora não pode rescindir o contrato, nos maltrata com aumentos abusivos. 20% em 2017, 36% em 2018, 36% sob as bênçãos dos burocratas da ANS. Formamos o que chamam de grupo sem patrocínio cujo reajuste é de livre arbítrio da operadora. E baseados na perversa legislação e sob o conúbio da ANS, todo o ano os reajustes atingem níveis imorais que nenhuma inflação dos serviços médicos justifica. Todos os anos o governo diz que vai normatizar os aumentos desses planos. Mas os interesses das operadoras têm mais poder até chegar à imoralidade do reajuste de 36% em 2018. Reclamo à operadora, reclamo à ANS e a resposta é um deslavado cinismo. É legal estabelecer o equilíbrio econômico do plano, dizem-me. O mais honesto e justo seria onerar esses planos com a média dos reajustes dos "Planos Coletivos". Todos os planos têm defesa. Os "Planos individuais", cujos reajustes são tutelados pela ANS. Os "Planos Coletivos" com patrocinador que usa seu peso para colocar as coisas em níveis razoáveis. Os de adesão, o emprenho e ameaças de suas associações profissionais de mudança de operadora: OAB, médicos psicólogos, sindicatos, et etc. No meu grupo somos meia dúzia de idosos, com idade superior a 80 anos, sem lenço sem documento... E se pensamos em mudar de operadora tem a chamada carência. Ora somos idosos. Temos naturalmente problemas de saúde. Quando a ANS vai regulamentar os reajustes desses grupos? Monitorá-los, como faz com os "Planos Individuais", impondo freios à ganância das operadoras?

Alexandre de Macedo Marques ammarques@uol.com.br

São Paulo 

*

ANS

A resposta da ANS (Fórum dos leitores, 12/6) de que ainda não tem o porcentual de aumento dos planos individuais e interessante. O Idec estima que os planos coletivos são 70%, sendo assim a ANS só cuida de 30%, ou seja, a agencia cuida do nada! O meu plano coletivo aumentou 15,5% e vou reclamar para quem? Fiz uma pesquisa e todos os principais planos de igual nível, tem preços e condições próximas o que caracteriza quase um cartel. E o que faz a ANS? Nada... Fica sempre com o mesmo discurso das causas do aumento dos preços, insumos, procedimentos etc., e mais uma vez nada de pressionar os planos para ações de redução de custos!

Manuel Monteiro manuel.pires1954@hotmail.com

São Paulo

*

TIME COMPLETO

Parabéns ao juiz que fixou o reajuste dos planos de saúde individuais. O que estranha é insistência da Anvisa em contestar, afinal ela está aí para defender os consumidores ou os planos de saúde. Para isto tem um time completo: Gilberto Occhi, Claudio Lotemberg, José Cechin, Ricardo Barros e Rogério Marinho que querem acabar com os planos individuais e as faixas dos idosos.

Ricardo Tannus odracir1947@yahoo.com.br

São Paulo 

*

COLAPSO NO SISTEMA

A ANS, galinheiro vigiado por raposas, deveria se engajar num projeto que fizesse as operadoras de saúde gerir melhor as altas mensalidades que recebem. Um projeto que envolvesse as sociedades de especialidades médicas, para adotar as melhores práticas, sem desperdícios ou procedimentos "em cascata". É claro que a inflação médica não é a inflação oficial (que mal reflete as variações da cesta básica), mas ficar num gabinete representando empresários e acionistas, determinando aumentos que vão levar ao colapso do sistema no médio prazo, é muita barbada.

Flavio Padula flvpadula@gmail.com

São Paulo

*

CARGA TRIBUTÁRIA ESPANHOLA

A carga tributária na Espanha é equivalente à do Brasil, mas como o nível de corrupção e de desperdício de recursos públicos é infinitamente menor do que aqui, meus primos têm custo zero com saúde porque lá tudo é grátis, rápido e de boa qualidade. Uma operação de fêmur, com colocação de prótese, foi realizada em trinta dias para minha tia sem custo nenhum. Aqui, sabemos que não podemos contar com o SUS e nem temos remédios gratuitos como em outros países. Consequentemente, quem ainda consegue pagar, entra em um plano de saúde. No nosso caso, a operadora não aceitava planos individuais e tivemos que entrar pela nossa empresa familiar com custos ainda aceitáveis. Ocorre que, de junho de 2014 a junho de 2018, o custo de nossa família aumentou 145%. Repito, são 145% de aumento. Foram todos índices aprovados pela ANS, sabe-se lá de que forma, que estão nos forçando a mudar de plano ou desistir dessa cobertura. Além disso, pequenas empresas com até trinta beneficiários, declaram imposto de renda pelo lucro presumido e essa despesa cada vez maior não é dedutível na declaração. Parece-me que somos cerca de cinquenta milhões de segurados que, pelo andar da carruagem, teremos que desistir dos planos de saúde. Que vai acontecer com o SUS quando recorreremos ao sistema público?

Aldo Bertolucci aldobertolucci@gmail.com

São Paulo 

*

COITADINHA

Marina Silva, em entrevista concedida à Radio Jornal, afirmou que quer governar com os melhores, independentemente dos partidos, para acabar com o "toma lá, dá cá" e, quanto a ser taxada de coitadinha declarou que foi alfabetizada aos 16 anos, que já contraiu malária cinco vezes, hepatite por três vezes e duas vezes leishmaniose. Sobreviveu a várias doenças, mas a coitadinha não vai resistir aos pouco mais de 300 picaretas do Congresso Nacional.

José Alcides Muller josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré 

*

JULGAMENTO DE BOLSONARO

O STF não julga vários ladrões do erário que roubaram milhões e vai julgar um cidadão honesto por um deslize verbal num momento de debate acalorado.

Níveo Aurélio Villa niveoavilla@terra.com.br 

Atibaia

*

O MAU HUMOR DOS BRASILEIROS 

Realmente temos que reconhecer que Temer veio para tentar fazer o que precisaria ser feito e conseguiu em parte, mas desde que foi descoberto seu lado sombra, afinal "Dillma" sem ele não teria sido eleita e reeleita, nada mais foi feito e ele demonstra que só interessa sua proteção. O Brasil não só parou como piorou, a greve dos caminhoneiros mostrou a falta de pulso e rumo, conduzido por pessoas que só pensam em salvar-se. Desde maio passado ele, o presidente, deveria ter renunciado e convocado novas eleições. 

Cecilia Centurion ceciliacenturion.g@gmail.com

São Paulo

*

CARLOS LUPPI

O delator do caso Sérgio Cabral, Carlos Miranda, no Rio de Janeiro, disse que o ético e nobre presidente do PDT "ex-cumpanheiro" e ministro de Dilma, recebia uma polpuda mesada de R$ 100 mil por mês, ou seja, Ciro Gomes, candidato a presidente por esse partido deveria mostrar todo seu destempero contra isso. Afinal, ele se diz honesto e, claro, nada relacionado com falcatruas. Qual vai ser o fim disso? Brasil sem rumo nem documento.

Antonio Jose Gomes Marques a.jose@uol.com.br 

Rio de Janeiro 

*

'UM TERÇO'

A tigrada petista, como sempre, pediu uma "vaquinha" para pagar as contas do Instituto Lula. Pela tradição, alguns colaboradores atenderam ao pedido, todavia, um desavisado advogado argentino enviou "um terço sagrado", para a decepção do PT. Desculpou-se, pois não sabia que era um terço de propinas. Que peninha!

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

O 'CARA' ENVOLVEU ATÉ O PAPA!

A história faraônica inventada e encenada a qual teve como protagonista o "cara" (Lula), sob o título, "Recebi do Papa Francisco um terço abençoado" é ficção, pois foi desmentida pelo próprio Vaticano. A verdade é quem lhe trouxe um terço foi o argentino Juan Grabois, por ser um emissário do Vaticano, abençoado sim pelo papa, como ele faz inúmeras vezes com centenas deles para serem distribuídos aos visitantes sem especificar para quem seja. A intenção do "cara" era outra, a de mandar um recadinho em código para a patotinha do STF, Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski e Luiz Fux, para se prepararem para liberta-lo assim que completar "um terço" da pena de 12 anos e 1 mês. Foi a única maneira por ele encontrada para burlar mais uma vez a população e a Justiça.

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

STF DO PT

Vote em candidatos do Partido dos Trabalhadores, se você gosta da atuação de Cármen Lúcia, Ricardo Lewandowski, Dias Toffoli, Roberto Barroso, Edson Fachin, Luiz Fux e Rosa Weber.

José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br

Belo Horizonte

*

RESPONSÁVEIS

Existem apenas dois responsáveis diretos pela maior crise por que passa o País, desde 1500: A presidente Dilma, por sua incompetência e safadeza, e o dr. Janot, por sua esperteza e safadeza. O resto é conversa de corruptos.

Alcides Ferrari Neto ferrari@afn.eng.br

São Paulo 

*

'PAÍS SEQUESTRADO POR UM CONDENADO PRESO'

O artigo de José Nêumanne "País sequestrado por um condenado preso" (13/6, A2) é leitura obrigatória para todos os que postulam um cargo político de representação, pois mostra como a oposição se enreda em uma trama de perpetuação do poder e de sequestro cívico de uma sociedade ao se vender por alguns trocados. Ao mesmo tempo, o artigo é brilhante ao desfazer de um jeito simples o equívoco da intelligentzia tupiniquim que vive declarando que o brasileiro não tem memória, esclarecendo que memória é pessoal e subjetiva e não necessariamente história. Embora, infelizmente, o texto não desfaça o sequestro civil perpetrado, o que demanda muito esforço e protagonismo de todos para alcançar o entendimento correto de qualquer fato, é por textos como esse que vale a pena continuar assinando o "Estadão". Obrigado!

Airton Reis Júnior areisjr@uol.com.br

São Paulo 

*

CORRUPÇÃO

Lendo o "Estadão" de hoje (14/6) vislumbramos mais e mais notícias sobre corrupção, agora com Blairo e Cunha. Parodiando um velho e chulo dito popular, a corrupção é uma coisa que quanto mais se mexe mais cheira mal…

Carlos Eduardo Barros Rodrigues ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo

*

SUGERIR NÃO OFENDE!

Sugere-se aos caminhoneiros de boa-fé que façam suas concentrações e protestos na porta de Dilma Rousseff e Guido Mantega, permanecendo o tempo que for preciso, até que os apontados senhores, ex-presidente da República e seu ex-ministro da Fazenda, tenham a hombridade de admitir que os problemas agora enfrentados são de responsabilidade de ambos, pois permitiram e estimularam a compra alucinada de caminhões, desovando os estoques dos respectivos fabricantes, gerando excesso de caminhões sem a contrapartida de fretes em igual quantidade! Portanto, Michel Temer está sendo crucificado por tentar resolver um problema que ele não criou! Sugere-se, igualmente, que o povo deixe de acreditar em pesquisas de credibilidade duvidosa e deixe de dar ouvidos aos veículos da imprensa que pregam ser o atual presidente fraco e o mais rejeitado da história do País, agindo como papagaios adestrados, fazendo o jogo dos oportunistas de plantão. 

Arlete Pacheco arlpach@uol.com.br

Itanhaém

*

LIÇÕES DO INFERNO BOLIVARIANO

Parece não ter fim o abismo em que o chavismo lançou a Venezuela após quase duas décadas de reinado. Só no Brasil o número de refugiados é de 50 mil. Na Colômbia esse número ganha proporções bíblicas de "êxodo" chegando a mais de 1 milhão (14/6, A14) que fogem do inferno bolivariano responsável por uma crise que causou a falta de alimentos remédios e impôs um autoritarismo que já ceifou a vida de milhares de manifestantes que foram as ruas por melhores condições de vida, além de uma inflação que beira insanos 24 mil% nos últimos 12 meses. Uma verdadeira catástrofe sem fim agravada por uma vitória provavelmente fraudada de Maduro nas ultimas eleições, levando-o a mais seis anos de tirania e o desmonte do Estado Democrático assaltado por uma casta cleptocratica que levou um dos maiores produtores de petróleo do planeta a uma situação de falência. Com uma esquerda repleta de simpatizantes desse regime no Brasil, cujo líder máximo se tornou hospede da carceragem da PF em Curitiba que chegou a classificar a ditadura vizinha como um regime com excesso de democracia, todo cautela é pouca antes dos eleitores escolherem o próximo presidente, especialmente os populistas que falsamente se classificam como democráticos, salvadores da Pátria e pai dos pobres.

Paulo R. Kherlakian paulokherlakian@uol.com.br 

São Paulo

*

SINAL DE ALERTA

O sistema Cantareira passou este início de ano recebendo menos água que o início de 2013, quando tivemos a pior crise hídrica dos últimos tempos. O regime de chuvas deste ano está trazendo de volta um problema que já conhecemos, mas por que só agora se noticia o "sinal de alerta"? Tinha que se estar avisando para economizar água durante o período que se tem chuvas e não esperar acabar a água dos reservatórios para se alertar da necessidade de economizar água.

Marina Orlandi Junqueira Netto jonjunq@gmail.com

São Paulo

*

DIA DE SANTO ANTÔNIO

O dia 13 de junho, dia de Santo Antônio, considerado pelas festas juninas e também pela crença dos seus devotos como arranjador de casamentos e, portanto, tido e havido pela alcunha de "santo casamenteiro", muito procurado principalmente pelo sexo feminino, e ainda como meu xará, não poderia, pela devoção que lhe dedico deixar passar em branca nuvem esse festivo dia, sem prestar ao meu devoto santo, a minha humilde e sincera homenagem, o que faço agora, externando meu sentimento religioso para com ele. 

Antônio Brandi Leone abrandileone@uol.com.br 

Assis

*

FALTA DE RESPEITO

Robert De Niro faltou com o devido respeito para com o presidente Trump. Certamente o fez porque percebeu que não haverá uma Lei Rouanet para a Hollywood decadente.

Dilermando Wiegmann Sanches cataro22@yahoo.com.br 

Curitiba

*

CANUDOS E SACOLINHAS

Quer dizer que as sacolinhas são vendidas em São Paulo, pois poluem; o canudinho será feito de metal ou de papel no Rio de Janeiro, mas no Brasil todos podem pendurar milhões de toneladas de fitas plásticas para decorar as ruas durante a Copa do Mundo e depois virar lixo nos rios e mares?

Luiz Claudio Zabatiero zabasim@outlook.com 

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.