Fórum dos Leitores

Cartas selecionadas para a edição impressa e portal estadao.com.br

O Estado de S.Paulo

20 Junho 2018 | 03h00

TRAGÉDIA DOS IMIGRANTES 

Desumanidade inominável

A que ponto de desumanidade e crueldade chegou o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, para reafirmar a sua política anti-imigratória! Arrancando e separando filhos de suas mães, colocou-os em gaiolas com colchonetes e cobertores de papel-alumínio, com luz acesa 24 horas por dia, numa situação de desespero indescritível para seres vulneráveis, muitos deles bem pequenos e incapazes de se comunicar, perdidos, desamparados, sem saber o que os espera, sem possibilidade de entrar em contato com as mães ou outros familiares. Cenas de cortar o coração, só vistas durante o nazismo. Até Melania Trump tornou público o seu desgosto com a decisão do marido. Laura Bush foi à TV fazer uma declaração enfática de repúdio, bem como o senador McCain. E essa medida cruel não foi respaldada em nenhuma lei, foi uma decisão monocrática de Trump. O mundo não pode aceitar tal atrocidade. Nada, mas nada mesmo, justifica medida tão desumana! Que o repúdio do mundo todo se faça ouvir em alto e bom som. E que pessoas nunca confundam ideologia conservadora com falta de compaixão pelo drama daqueles que buscam a sobrevivência para si e seus filhos em outros países. 

ELIANA FRANÇA LEME

efleme@gmail.com

Campinas

Bolivarianismo

Fugindo de Nicolás Maduro, milhares de venezuelanos invadem países fronteiriços sem que a Unasul tome a menor providência para redistribuí-los equitativamente entre os demais países-membros desse grupo.

SERGIO S. DE OLIVEIRA

ssoliveiramsm@gmail.com

Monte Santo de Minas (MG)

INSEGURANÇA PÚBLICA

Polícia Civil depauperada

O artigo As inquietações da Polícia Civil (19/6, A2), do desembargador aposentado Aloísio de Toledo César, desnuda a incompetência do ex-governador Geraldo Alckmin: o Estado mais rico da Federação, por incrível que pareça, paga os piores salários aos policiais, sem falar na penúria da própria instituição, que não conta sequer com um sistema de radiocomunicação em condições de operação, fora outras deficiências. Não é preciso que a Polícia Civil se faça “representar” pelo delegado-geral ante o governador, pois este tem a obrigação de provê-la com recursos para o eficaz combate ao crime. E se Alckmin atuou tão mal à frente do governo de São Paulo na área da segurança, que dirá no comando da Nação.

LUIZ LEITÃO DA CUNHA

luizmleitao@gmail.com

São Paulo

Segurança da sociedade

Muito bom o artigo do dr. Toledo César sobre a situação da Segurança Pública de São Paulo. É inconcebível que outros Estados tenham melhores condições de trabalho e vencimentos que São Paulo. As Polícias Militar e Civil devem ser reconhecidas não só com elogios, mas também dotadas com equipamento e salários compatíveis com a pujança do Estado.

JORGE PEIXOTO FRISENE

jpfrisene@zipmail.com.br 

São Paulo

Na hora certa

O artigo As inquietações da Polícia Civil vem no momento certo, mostrando ao público a situação em que se encontra a polícia judiciária paulista. E indica caminhos a seguir para melhorar o seu desempenho e, consequentemente, a certeza de punição dos malfeitores, o que reduzirá os índices de criminalidade. Oxalá os candidatos ao governo do Estado se pautem por tais sugestões, para o bem da nossa sociedade, mormente o governador Márcio França, que poderia passar da teoria à prática.

RUYRILLO P. DE MAGALHÃES

ruyrillopedro@gmail.com

Campinas

Lista tríplice

Injustificável a proposta do articulista Aloísio de Toledo César de escolha do chefe da Polícia Civil mediante lista tríplice elaborada por entidade classista dos delegados. Em qualquer governo, de qualquer país, os chefes policiais são agentes de confiança do governante, que os comanda, diferentemente do Ministério Público. Além disso, a Polícia Civil é formada por diversas categorias, além dos delegados, que também teriam de participar da consulta. A diferença é clara: entidades estão preocupadas com seus associados e o governo, com toda a população.

JOSÉ VICENTE DA SILVA FILHO, PM reformado

cel.jvs@gmail.com

São Paulo

CORRUPÇÃO

Devaneios

Realmente, o sr. Lulla consegue surpreender-nos (negativamente, é claro) cada vez que abre a boca. Sua última pérola li no Estadão de domingo, quando ele comenta sobre o cenário político nacional com o governador do Piauí, Wellington Dias: “A situação está piorando tanto que uma hora vão me chamar para arrumar a casa”. Sinceramente, depois dessa declaração espero que esse condenado somente saia da prisão após cumprir integralmente a sua pena.

LUIZ ROBERTO SAVOLDELLI

savoldelli@uol.com.br

São Bernardo do Campo

Devolução

Se a Segunda Turma do STF, da qual fazem parte os ministros Gilmar Mendes, Dias Toffoli e Ricardo Lewandowski, livrar da prisão o encarcerado ex-presidente, condenado a 12 anos e 1 mês, só há uma solução: devolver o Brasil a Portugal. E pedir perdão pelos estragos!

EDUARDO A. DE CAMPOS PIRES

eacpires@gmail.com

São Paulo

ELEIÇÕES

A hora da esperança 

Apenas 8% dos brasileiros em idade de trabalhar são capazes de entender e se expressar por letras e números (Instituto Paulo Montenegro e Ação Educativa, fevereiro/2016). Ou seja, só oito em cada cem podem ler e entender o editorial A hora da esperança (17/6, A3). Acrescente-se a essa massa de analfabetos funcionais a de milhões de funcionários públicos – usufrutuários de benesses inimagináveis pelo cidadão comum – e é fácil inferir que a maioria do eleitorado não mudará o que o editorial classifica apropriadamente de “a absoluta podridão do sistema político”. O Brasil só mudará pelas urnas quando a população tiver amplo acesso à educação. Até lá, nosso Parlamento continuará um circo de horrores.

SERGIO RIDEL

sergiosridel@yahoo.com.br

São Paulo

Sem promessas

Nenhum pré-candidato ao Planalto se comprometeu ainda com propostas. Na verdade, querem o poder pelo poder, as mudanças de que o País precisa ficam para depois. Essa é a politicalha que o Brasil não quer!

JÚLIO ROBERTO AYRES BRISOLA

jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

QUEDA NOS INVESTIMENTOS

O "Estadão" informa (19/6, B1) que uma pesquisa da FIESP aponta possível queda nos investimentos da indústria para este ano, por volta de 0,48 %, o que representa o valor de mais de R$ 500 milhões, segundo informes de 442 empresas consultadas. Resulta dos dados estatísticos que existe o receio de investimentos em razão da situação política nossa e que afeta o nosso desenvolvimento econômico. Assim, segundo inúmeros analistas, somente a partir de agosto/setembro, quando se delinear melhor a competição no segundo turno das eleições, é que os investimentos poderão ocorrer. Até lá, ficaremos em compasso de espera, mas que poderá se transformar em estagnação, caso os extremos de esquerda ou direita vençam as eleições. 

José Carlos de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

*

GLEISI HOFFMANN

Finalmente a petista Gleisi Hoffmann, acusada de receber ilegalmente R$ 1 milhão na campanha de 2010, começa a ser julgada. Há muito tempo cidadãos de bem não suportam assistir os atos de vandalismo cultural da senadora, como, por exemplo, comer quentinhas na mesa do presidente do Senado para impedir a continuação da sessão. A senadora, supostamente corrupta, tornou-se proeminente por meio de seus atos e declarações raivosos, agressivos e hidrófobos estampados nas primeiras páginas da grande imprensa. Ela não apresenta postura e comportamento típico de uma senadora da República de uma sociedade civilizada. Sua condenação será um alívio para aqueles que não suportam assistir cenas de cinismo, de histeria e que esperam uma justiça atuante e imparcial.

Mário Negrão Borgonovi marionegrao.borgonovi@gmail.com

Rio de Janeiro

*

JULGAMENTO DE GLEISI 

Finalmente chegou a hora da senadora formalmente "presidenta" do PT, enfrentar um julgamento por seus malfeitos no Supremo Tribunal Federal (STF). Como dirigente formal da "Entidade Criminosa Politicamente Organizada" (ECPO PT), se distanciou muito de um antigo desejo juvenil de tornar-se freira. Ela e seu marido irão compartilhar com o capo Lula, sua condição de condenados por crimes diversos.

Ulf Hermann Mondl hermannxx@yahoo.com.br

São José (SC)

*

POR CORRUPÇÃO

E, então, quando é que a presidenta do PT vai virar detenta?

J.S. Decol decoljs@gmail.com 

São Paulo 

*

PERSPECTIVAS

Vamos ver o que acontece nestas próximas duas semanas de Copa. Esperamos que a 2.ª Turma do STF mantenha o chefão onde está: na prisão. Que Gleisi, "presidanta" do PT seja condenada e presa. Assim teremos alguma coisa para comemorar, mesmo que o Brasil perca essa Copa. Se ganhar, também comemoraremos, claro.

Carlos Eduardo Barros Rodrigues ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo

*

COPA NA CADEIA

Sou totalmente a favor da liberdade de imprensa, bem com o respeito às leis. O ex-diretor de jornalismo de uma TV fechada voltada ao esporte, agora possui um canal no YouTube. Durante Copa do Mundo está recebendo comentários dos jogos do Brasil, por escrito, do presidiário de Curitiba. Cada um entrevista quem quiser. Apenas não me entra na cabeça como este bandido consegue mais este privilégio. Não sou jornalista, mas permita-me sugerir uma pauta: na Papuda, o ex-senador Luiz Estevão também entende de futebol, tanto que já foi dono do Brasiliense.

Guto Pacheco jam.pacheco@uol.com.br

São Paulo 

*

A ELOQUÊNCIA DOS VÍDEOS

Lula diz que não se pode culpar a arbitragem pelo empate no primeiro jogo da seleção. Já em relação a sua prisão, a culpa é integralmente dos juízes. Eu até poderia concordar com ele se não tivesse visto os vídeos sobre ambas as questões. Sinto muito, Lula, você é muito eloquente, mas os vídeos são mais.

Jorge Alberto Nurkin Jorge.nurkin@gmail.com

São Paulo

*

APETITE PELOS LIVROS

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva leu 21 livros em 2 meses de prisão. Após 12 anos, se continuar nesse ritmo, ele terá lido mais de 1.500 livros. Campeão!

José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br

Belo Horizonte

*

PREVISÕES DE BOLEIRO

Chances de acerto, 99,9%: 1.ª) A Rússia já está nas oitavas com todas as honras; 2.ª) O Egito já pode adiantar o expediente para o retorno ao Cairo. PS: Dos quatro gols que vazaram a meta egípcia até agora dois foram "contra". Assim, nem invocando Tutancâmon!

Silvio Natal silvionatal49@gmail.com

São Paulo 

*

NEYMAR X DILMA

O "Estadão" informa que Neymar levou dois cabeleireiros para a Copa do Mundo. Um responsável pelo corte e o outro pela cor do cabelo. A despeito do mau gosto, e gosto não se discute.  Neymar pode fretar um avião seu e levar quem quiser. Com certeza o pagamento dos profissionais será com dinheiro que ele faz jus. Diferente de Dilma, que levava em suas comitivas pessoas pagas com dinheiro da propina da Odebrecht. A indignação é diferente, Neymar deveria se concentrar na Copa e não no seu visual. Já Dilma, além de falar mal e ninguém entender sua linguagem, gastou o que quis e continua gastando o dinheiro suado do trabalhador, simples assim. 

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com 

São Paulo 

*

VISUAL DE NEYMAR

Que o craque Neymar use a cabeça para jogar o bolão que sabe e levar o Brasil à vitória, ao invés de exibir o novo visual em pura jogada de marketing.

Marcos Abrão m.abrao@terra.com.br 

São Paulo 

*

PENTEADOS ESFUZIANTES

O cabeleireiro que está atendendo Neymar é russo ou ele levou o de Paris? Vamos deixar de frescura e jogar futebol. A Copa não é para desfilar.

Ariovaldo J. Geraissate ari.bebidas@terra.com.br

São Paulo

*

VAIDADE

O problema do vaidoso atleta não é o corte nem a tintura de cabelo, mas o exagero no ridículo marketing promocional.

Sergio Salgado de Oliveira ssoliveiramsm@gmail.com

Monte Santo de Minas (MG)

*

'CHATURAS' DA COPA

A parte mais chata da Copa é o povo que tenta misturar tudo e só criticar. Eu quero é me divertir e esquecer essa esbórnia de país cheio de chatos estraga prazeres. Vai, Neymar! Adorei seu cabelo!

Elisabeth Migliavacca 

São Paulo 

*

CADÊ O GOLEIO ALISSON?

Do alto de seu tamanho, houvesse o goleiro Alisson saído naquele cruzamento e agarrado ou socado a bola para o alto e longe da área, não estaríamos discutindo sobre o empurrão no zagueiro Miranda. Em quase todos os jogos que assisti nesta Copa os goleiros saem nos cruzamentos, qualidade que falta a todos os brasileiros desta posição, basta ver como meu time Corinthians sofre gols por esta falha. Tomara nossos goleiros assimilem essa qualidade. 

Laércio Zanini spettro@uol.com.br

Garça

*

ACENO À NAÇÃO CORINTIANA

Bem que o professor Tite poderia fazer um aceno à nação corintiana colocando Cássio e Fagner no próximo duelo (Brasil x Costa Rica). Afinal, um goleiro (Alisson), que fica preso ao gol e não sai da pequena área de sola gritando: "É minha" e um lateral direito (Danilo) roda presa, que faz um "feijão com arroz" básico, muito aquém do antecessor (Daniel Alves) não merecem a titularidade. Quem viu a seleção da Inglaterra com um time 100% nacional sentiu um iceberg de inveja. Aproveitando o gancho da ótima entrevista concedida à "Coluna Direto da Fonte com Sonia Racy", de Flávio de Campos (18/6, C2) a cerca do assunto: nacionalidade. Recomendo.

Leandro Ferreira ferreiradasilvaleandro73@gmail.com

São Paulo 

*

EM BUSCA DO CANECO

Tudo que os brasileiros esperamos é que após o encerramento da Copa do Mundo da Rússia não tenhamos mais um técnico de futebol morando na Arábia Saudita.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com 

Jandaia do Sul (PR)

*

ABSURDO?

O árbitro de vídeo (VAR), como toda inovação, é polêmico nas fases iniciais. Embora bem-vindo, o recurso vai precisar de um tempo de aperfeiçoamento para se tornar realmente útil e diminuir o número de erros hoje cometidos pelos juízes de futebol, desfavorecidos pela grande área de trabalho - ao contrário dos de vôlei e basquete, restritos às quadras - e, portanto, obrigados a se manterem em constante movimento corrido para acompanhar o lance, o que os desgasta fisicamente e os faz, às vezes, perderem o reflexo, aumentando assim a probabilidade de equívocos. É lícito indagar então se, com a evolução tecnológica, não se chegará, daqui a algumas (muitas?) décadas a uma situação em que o VAR deixará de ser assistente e passará a protagonista da arbitragem, com auxiliares humanos, em número a ser determinado pela experiência, fixos em locais estratégicos, fora das quatro linhas, basicamente encarregados de transmitir aos atletas as decisões dele emanadas. Absurdo?

Paulo Roberto Gotaç pgotac@gmail.com

Rio de Janeiro

*

VAR

Parece que os árbitros do VAR não têm experiência no jogo que julgam. É sabido que um leve empurrão por trás, o suficiente para impedir que um atleta salte e intercepte uma bola alta. Daí o sueco só deu um empurrãozinho no beque brasileiro e ficou com a bola só para ele. É também sabido que alguém agarrado por trás faz força para sair e, por isso, se for subitamente solto, esse agarrado cai para frente. Isso fez o beque sueco com o Gabriel Jesus. Os dois atos dos suecos foram faltosos, feitos por quem soube fazê-los de forma discreta. O juiz que estava em campo não notou nada errado, mas os do VAR deviam ter notado.

Wilson Scarpelli wiscar@terra.com.br

Cotia

*

VOTO E FUTEBOL

Que o brasileiro não sabe votar é fato, como mostram as pesquisas, mas a novidade é que parece já não entender muito de futebol, haja vista as inúmeras críticas recebidas pela seleção, onde as pessoas não perceberam que o Brasil não jogou contra o vento, mas contra uma seleção que é a 6.ª no ranking da Fifa (o Brasil é o 3.º). Com a globalização do mundo da bola, a maior parte dos jogadores de todas as seleções atua na Europa, fazendo com que tenha havido uma redução da diferença técnica entre as seleções mais tradicionais e as demais, como pode ser comprovado pelos resultados iniciais desta Copa e não seria surpresa se algumas delas não passassem da 1.ª fase, oxalá que não seja o Brasil. 

Celso Neves Dacca celsodacca@gmail.com

São Paulo

*

ESCONDENDO O OURO

A Suíça não escondia apenas o ouro de seu futebol. Agora precisa mostrar os milhões e milhões de dólares roubados de nossa sociedade (trabalhadores e desempregados) por políticos bandidos (PT, PMDB, PSD, PSDB, DEM, PP), servidores públicos corruptos e empresários sonegadores. E tudo isso, com a conivência de nossas autoridades, Supremo Tribunal de Justiça (STJ), STF, Tribunal de Contas da União (TCU), Receita Federal, etc... Seria um verdadeiro golaço. Quase uma Copa do Mundo.

André Luis Coutinho arcouti@uol.com.br 

Campinas

*

ORDEM E PROGRESSO

O brasileiro corajoso que vem enfrentando adversidades no seu dia a dia e que sente que está amordaçado pela politicagem corrupta que assola o País, começa a perder a última esperança, ou seja: não trazer a taça da Copa, que lhe impede de vibrar e cantar o energizante hino nacional, que tem a mensagem de otimismo: Ordem e Progresso que incentivará os eleitores a escolherem melhor os seus representantes.

José Millei millei.jose@gmail.com

São Paulo 

*

SENADORES DA LAVA JATO 

70% dos senadores envolvidos com a Lava Jato tentarão a reeleição, o motivo é muito claro e transparente: medo da cadeia, medo de fazer companhia para o ex-presidente Lula. Não é mesmo, senador Romero Jucá e senador Aécio Neves?

Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@uol.com.br

São Paulo

*

INTERVENÇÃO!

Mais uma vez o STF exorbitou de suas funções, proibindo o voto impresso e as conduções coercitivas, sempre interpretando à sua maneira peculiar a letra da Constituição - que já não é muito consistente além de obviamente gramscista. E cada vez mais fica claro que o que trava o País é esse órgão disfuncional do Estado, que aumenta a entropia do País - o seu estado de confusão. É urgente uma intervenção. Não no governo, nem no Congresso, nem no Estado nem militar. Uma intervenção civil suspendendo todo o órgão e substituindo-o por um dicionário eletrônico qualquer. A cada assunto que esteja na pauta consulte-se o dicionário para interpretar a letra, em português - não juridiquês - da Constituição. Tenho a certeza de que o País começará a melhorar rapidamente, além da economia de bilhões aos cofres públicos...

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo 

*

OS DEZ ANOS DA LEI SECA

Nesta terça-feira (19/6) completou 10 anos a chamada "Lei Seca", que penaliza os motoristas alcoolizados. Ela provocou mais de 1,7 milhão de multas, mas, mesmo assim, ainda encontra-se pelas ruas quem se arriscam a beber e depois dirigir. A iniciativa é louvável, mas o efeito é insuficiente. Num país onde a bebida é largamente consumida e o veículo é símbolo de status, é difícil o controle eficiente. Quando um alcoolizado é pego, centenas de outros estão passando nas outras ruas, pois não há como fiscalizar todas as vias. O mais indicado seria ter e fazer cumprir uma legislação de trânsito mais severa não só para os alcoolizados, mas também para os drogados e todos os que se dispõem a conduzir o veículo. O condutor imperito é tão perigoso quanto o bêbado ou drogado, pois não tem o domínio do veículo. Seu carro é uma arma e deveria render punição criminal, além da responsabilização por danos. Em vez de fiscalizar, o melhor seria responsabilizar e criminalizar pesado para que o motorista seja o principal interessado em bem conduzir e obedecer as leis para não sofrer punições. Ele deveria ser o próprio fiscal, cuidando da própria liberdade e do bolso... 

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo 

*

TERCEIRA DENÚNCIA

Certamente virá a terceira denúncia contra o presidente da República, Michel Temer, por meio da procuradora-geral da República, Raquel Dodge. Na verdade, segundo consta, os indícios são gravíssimos e Temer não tem mais o apoio da politicalha que o já o salvou por duas vezes. Quando "vice", era feliz e não sabia, não é mesmo Temer?

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo 

*

TEMER E A NAVALHA

É impressionante a habilidade de Michel Temer com a navalha, ele corta verbas de programas sociais, educativos e esportivos com uma facilidade impressionante, sem dó nem piedade. A navalha de Temer, no entanto, é incapaz de cortar um centavo da classe política. Desde que assumiu seu mandato tampão Temer não foi capaz de reduzir um ministério, nenhum aspone a menos, nenhuma propina cortada, nenhuma mordomia reduzida. Está na hora do povo voltar às ruas para lembrar Michel Temer que o governo existe para servir o povo e não para se servir dele. 

Mário Barilá mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

CRITICAR TEMER NÃO DÁ VOTO

O pré-candidato ao Planalto, Geraldo Alckmin (PSDB) que em sua entrevista ao "Estadão" (17/6, A4) critica Temer, quando afirma que, "O governo atual tem um grande problema, que é a falta de legitimidade porque não teve um voto", acaba por tabela criticando o atual governador de São Paulo, o Marcio França (PSB)! Já que, se Temer, chegou ao poder como vice de Dilma, por que então seria legítimo o atual governo de França, se também não recebeu um voto como vice de Alckmin?! O ex-governador de São Paulo, que construiu uma elogiável carreira política, principalmente como gestor publico governando por 12 anos o maior Estado da Federação, deve estar infelizmente, mal assessorado para enfrentar a campanha deste ano para o Planalto! Já que, bater num presidente como o Temer, com popularidade no fundo poço, é perda de tempo e não dá voto... 

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com 

São Carlos

*

VOTO

Além do que propõe Fernão Lara Mesquita no artigo "Essa crise econômica eterna é ecológica" (19/6, A2), é imperioso que termine no Brasil a obrigatoriedade do voto. O voto facultativo elevaria substancialmente a qualidade do debate político, pois só votaria quem tivesse, de fato, interesse no assunto. Deixariam de participar dezenas de milhões, para quem votar não passa de um estorvo.

Marcelo Melgaço melgacocosta@gmail.com

Goiânia

*

PREGUIÇA DE SER FELIZ

É de Fernão Lara Mesquita o destampatório mais vitriólico que vi em décadas. Ilumina a cena nacional sem dó. E indica o caminho da cura para a monstruosa putrefação que está carcomendo o tecido nacional. Ele tem indicado esse caminho repetidamente, mas não obtém repercussão nenhuma. Por quê? Será que nós, brasileiros, temos preguiça de tomar as rédeas do Brasil para conduzi-lo a um destino decente? O mínimo que temos que fazer é tentar! Viabilizar esta mudança no sistema eleitoral é muito mais vital, neste momento, que apostar dadinhos nos nomes desses candidatos duvidosos que pululam à nossa frente. Já chega de esperar que algum santo milagroso prometa salvar o País. Cada um de nós, brasileiros, tem o direito, o dever e a faculdade de torná-lo viável!

Inês Levis ineslevis@hotmail.com

Jundiaí 

*

O DESASTRE DE CHERNOBYL

A reportagem publicada hoje no "Estadão" (17/6) sobre o desastre nuclear de Chernobyl, Ucrânia, em 1986, que causou precipitação radioativa no mundo todo, principalmente naquele país e na Bielo Rússia. Mais de 30 anos depois, as vacas ainda produzem leite com perigosos níveis de radiação em aldeias distante da usina até 225 quilômetros. As pessoas ainda estão proibidas de morar em uma zona de exclusão de 2,6 mil km². Chernobyl foi inaugurada em 1977, quando ainda existia a União Soviética e o governo soviético, com sede em Moscou, escolheu um local então pouco habitado, na República da Ucrânia, para a sua construção. Em face dessa realidade, fico imaginando o que acontecerá se um dia desastre semelhante acontecer nas nossas usinas de Angra dos Reis, localizadas próxima à cidade do Rio de Janeiro e o Vale do Paraíba. A nuvem radioativa chegaria a São Paulo em 40 minutos e em muito menos tempo no Rio de Janeiro e nas cidades do Vale do Paraíba. Diante dessa possibilidade, de um quadro tão dantesco, não encontro nenhum motivo, no mínimo razoável, para o governo militar da época, ter escolhido região tão populosa e de suma importância para a nossa economia, para a construção das duas usinas tão perigosas. Naquela época imperava uma censura rigorosa. Menos razão ainda teve o governo Lula em construir mais uma usina naquele local, em plena democracia. Porém, a prisão pela Operação Lava Jato, do almirante e presidente da Nuclebrás, por corrupção, responde à pergunta. Diante de um quadro tão dantesco, aqueles que ainda pensam que um presidente militar seria melhor para o nosso País, enganam-se. Claro que poderíamos ter um presidente militar da reserva, ou um civil de qualquer profissão, ideologia, etc. O que ele deve ser é honesto e tenha o perfil de um estadista. O futuro presidente e seus sucessores terão a espinhosa tarefa de desativar aquelas usinas e reativar o nosso desenvolvimento. O restante é conversa mole para boi dormir.

Gilberto Pacini benetazzos@bol.com.br

São Paulo 

*

PCC

É correta a afirmação de que há leniência de agentes do Estado quanto ao crescimento do PCC, mas não se pode omitir o papel dos maus advogados que com certeza têm um papel fundamental como carteiros de gravata.  A OAB precisa encontrar respostas para este problema recorrente no País.

Euclides Santos euclides_santos@icloud.com 

São Paulo

*

ELIEZER BATISTA

Eliezer Batista, ex-presidente da Vale, morre no Rio de Janeiro (19/6, B9). Pena que o talento do "Engenheiro do Brasil" não tenha sido hereditário.

Fausto Ferraz faustoferraz15@gmail.com

São Paulo 

*

ASFALTO NOVO

Rua Tabapuã, por que parou?

Robert Haller robelisa1@terra.com.br 

São Paulo 

*

MULTA PARA PORTÕES AUTOMÁTICOS

Se não houvesse pessoas morando em calçadas (!), como acontece, por exemplo, em uma das avenidas mais importantes e movimentadas de São Paulo, a Radial Leste, seria exagerado, mas ao menos aceitável essa nova lei que multa moradores que tem os portões de suas residências invadindo a calçada enquanto abrem e fecham. Mais uma lei inócua de um prefeito totalmente alienado das necessidades mais imediatas de uma das maiores cidades do mundo. Lamentável.

Antonio Perez antonioperezjr83@gmail.com

São Paulo

                                                                                                                 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.