Fórum dos Leitores

.

O Estado de S.Paulo

23 Junho 2018 | 03h00

COPA DO MUNDO

Vitória nos acréscimos

Depois de 90 minutos de sofrimento, aos 46 do segundo tempo o Brasil respirou aliviado com a vitória da seleção diante do retrancado time da Costa Rica, devolvendo a esperança para o próximo jogo e até para a Copa. Oxalá o mesmo se dê com o País: que o desencanto destes últimos anos seja abolido nas próximas eleições; que o azedume do eleitor lhe dê forças para, na hora de votar, encontrar entre os concorrentes os que melhor possam trabalhar para conduzir o Brasil para fora do atoleiro político-institucional. “Demonizar a política não faz com que não tenhamos o caos”, diz a ministra Cármen Lúcia. Em vez de virar as costas, votar em branco ou anular o voto, é hora de votar conscientemente nos melhores. Do contrário, os maus continuarão ganhando. Vamos esperar, também, que Michel Temer não se assuste com impopularidade e continue tomando medidas para entregar um governo sustentável ao seu sucessor. 

DIRCEU CARDOSO GONÇALVES

aspomilpm@terra.com.br 

São Paulo

Quase que a nossa seleção, nesse jogo com a Costa Rica, seguiu a Argentina. Dois gols nos últimos minutos, ainda bem. Pelo menos os que só se importam com futebol ficaram contentes, e até os que não muito, uma vez que tanta corrupção e jogo sujo dos nossos políticos, e até mesmo de alguns juízes, estão nos desgostando e levando para um buraco cego.

CARLOS E. DE BARROS RODRIGUES

ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo

Desvario

Depois da “acachapante” vitória sobre a poderosa Costa Rica, obtida nos últimos oito (?) minutos adicionais da partida, o povo brasileiro, inebriado por tal feito desportivo e por sua magnitude sídero-espacial, prostrado de quatro grita, tomado por desvairado ardor cívico-ufanista, elegendo e proclamando o ladravaz contumaz como deus todo-poderoso do universo. Ah, e o Neymar (argh...) como imperador do planeta e Tite como presidente da República. É nóis, mano, só nóis! Vamo que vamo!

RENATO OTTO ORTLEPP

renatotto@hotmail.com

São Paulo

Continuamos no jogo

O que importa é vencer. O sufoco aumenta com o gol que não vem. Hora de paciência dobrada. Sobretudo contra adversário infinitamente inferior, como a Costa Rica. Seguimos firmes e fortes em busca de mais vitórias. A ansiedade não vai parar. Copa do Mundo não tem moleza para ninguém. É guerra de seis jogos. É preciso respeitar todos os adversários. Manter o foco com seriedade. Todos os jogos são diferentes. O Brasil tem a seleção mais qualificada e o melhor treinador. Nada de afobação nem energia negativa. O hexa está a caminho.

VICENTE LIMONGI NETTO

limonginetto@hotmail.com

Brasília

O Brasil será campeão?

Aos 91 minutos saiu no sufoco o primeiro gol do Brasil. Deu saudades da época em que os adversários ficavam na retranca e Rivellino, Zico, Branco, Tostão, Ronaldo, de fora da área, davam uma bomba que nenhum goleiro conseguia pegar. O que vimos foram uns chutinhos tão sem energia que criancinhas fariam melhor. Não adianta. O Brasil não tem mais craques como antigamente porque falta ao time humildade. Viajar em avião de carreira. Menos mordomias, de acordo com a situação econômica do País. Um país em frangalhos só com muito sufoco criará um campeão. Pode até ter feito ontem dois gols, mas amanhã será que terá energia para ganhar dos melhores? A conferir...

BEATRIZ CAMPOS

beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

Neymar cai-cai

O que é o que é: cai deitado e reclama em pé?

MARCELO MELGAÇO

melgacocosta@gmail.com

Goiânia

Faltou futebol

A milionária CBF, que escalou uma seleção com os maiores milionários entre os jogadores do nosso país, pipocou de novo. Está sobrando dinheiro? Porque está faltando futebol!

ARCÂNGELO SFORCIN FILHO

arcangelosforcin@gmail.com

São Paulo

A visão de dois torcedores

No primeiro tempo acertamos a parte defensiva e a ansiedade, mas pecamos por forçar o jogo demais pela esquerda. No segundo tempo melhoramos com a entrada do Douglas Costa, equilibrando as jogadas pelo lado direito. Mas faltou um pouco de infiltração de jogadores como o Paulinho. Já nos acréscimos, melhoramos com a entrada do Firmino, que fez as infiltrações com maestria, e conseguimos dois gols. Para o jogo com a Sérvia, recomenda-se, desde o começo, repetir os acertos e colocar Douglas Costa, Firmino e Renato Augusto no lugar de William, Paulinho e Gabriel. 

JORGE E MENDEL NURKIN

jorge.nurkin@gmail.com

São Paulo

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

 

TITE, O COMANDANTE!

 

Esta difícil vitória, que veio somente nos acréscimos do segundo tempo, Brasil por 2x0 sobre a Costa Rica, com gols de Philippe Coutinho e Neymar, teve como destaque, na minha modesta opinião, o técnico Tite. Já que, fez uma correta leitura do jogo com a falta de eficiência de nossa seleção! Neste sentido, ousou nas substituições, já no inicio do segundo tempo com Douglas Costa no lugar do William, e principalmente, quando saca o volante Paulinho, e coloca o atacante Firmino. A equipe brasileira voltou a jogar bem, sufocou a Costa Rica, criando muitas oportunidades, e fez por merecer essa importante e salvadora vitória por 2x0! E segue firme para sua classificação às oitavas de final na Copa da Rússia!

 

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

 

*

VITÓRIA BRASILEIRA

 

Foi indiscutível a vitória sobre a Costa Rica, que se disputasse campeonatos aqui seria na série B. Quanto às mudanças, Tite foi cruel com William e Paulinho, como se fossem os responsáveis pela não marcação de gols, esquecido do Neymar que não estava bem e o Gabriel Jesus, que desde o primeiro jogo também está negativo e deveria ser o primeiro a sair para entrar Firmino, mas, creio que o Jô, se convocado cairia como uma luva nesse ataque. Quanto a Douglas Costa, foram 10 minutos daquelas explosões costumeiras que faz em seu time Juventus e só. Não fez falta alguma Danilo, que só ganha do Fagner na altura. Neymar precisa fazer curso de teatro, porque no pênalti reclamado, sua encenação foi péssima, pois bastou sentir o braço adversário encostar em seu corpo ele visivelmente joga-se para trás certo da marcação de falta e no final do jogo, quando marcou seu gol com a partida decidida saiu festejando como se ele fosse o responsável pela vitória, quando  Philippe Coutinho é quem marcou primeiro e matou a Costa Rica. Há, alguém viu uma gota de lágrima em seu showzinho final?

 

Laércio Zanini spettro@uol.com.br

Garça

 

*

CHORORÔ

 

Alguém acredita que aquele choro de Neymar após o término do jogo contra a Costa Rica foi sincero? Chorar no 2.º jogo da Copa? Nunca vi. Cheira a encenação, fingimento.

 

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

 

*

NEYMAR

 

Só quem conhece leitura labial, fica sabendo do linguajar dele.

 

Sergio Salgado de Oliveira ssoliveiramsm@gmail.com

Monte Santo de Minas (MG)

 

*

EUGÊNIO BUCCI E O VAR

 

Desconheço quantas e quais terão sido e serão as reações dos que leem jornal ao artigo “O árbitro de vídeo como instância recursal” (21/6, A2), do cultuado (por mim, inclusive) Eugênio Bucci: não deve ser coisa pouca. Mais do que estarrecer o azedume com que o professor trata a matéria, surpreende o tom imoderado e irracional com que a aborda: por mais que deteste o futebol (tem esse direito, aliás, espezinhando com o brilho costumeiro as inócuas entrevistas e as frequentes atitudes teatrais dos jogadores), poderia ter colhido a ocasião para, aí sim, criticar o desmedido mercantilismo e a corrupção generalizada que nele predominam. Viés no qual teria se dado melhor. Do alto de sua erudição, preferiu cometer alguns paradoxos raivosos à la Oscar Wilde e atacar as imagens eletrônicas (vá lá, verdadeira praga de nosso tempo) e o VAR, onde, diga-se, pisou em falso: pois em última instância a interpretação do homem continua filtro necessário e imprescindível.

 

Andrea Noceto andreanoceto@gmail.com

São Paulo

 

*

‘O ÁRBITRO DE VÍDEO COMO INSTÂNCIA RECURSAL’

 

Como se sabe, não se discute gosto, política, religião e futebol, mas, ao escrever o artigo “O árbitro de vídeo como instância recursal” (21/6, A2), esculachando com o esporte paixão nacional e mundial em plena Copa do Mundo da Rússia, o jornalista Eugênio Bucci perdeu (mais) uma grande chance de ficar calado. Não será surpresa alguma se estiver torcendo contra o Brasil, pois não?

 

J.S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

 

*

PROTESTO

 

Profundamente grosseiro e infeliz o artigo do senhor Bucci sobre futebol. Ele ofende bilhões de pessoas (e milhões de brasileiros) que amam o futebol, considerado, mundialmente um dos melhores tipos de esportes existentes. Como psiquiatra, sei que o futebol e um raro motivo de diversão de crianças pobres que jogam o futebol de rua.

 

Eneida Matarazzo medocompleto@gmail.com

São Paulo

 

*

COPA DO MUNDO

 

Mais uma vez nossos vizinhos argentinos decepcionaram sua torcida. Não tanto pelos 3x0, e sim pelo fiasco que apresentaram em campo.

 

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

 

*

OS PALHAÇOS QUEM SÃO?

 

Para esclarecimento dos ignaros com  a atenção voltada para a Copa do Mundo, na Rússia, essa turma, não a do Didi Mocó, nem da Mônica. Trata-se da Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF), nesta semana, por unanimidade, a senadora e presidente do PT. Dos cinco integrantes da Segunda Turma, dois votaram para condenar Gleisi e os “três mosquiteiros”, Dias Toffoli, Gilmar Mendes e Lewandowski, absolveram a petista das acusações da Procuradoria-Geral da República (PGR). O PT já deu entrada na “décima segunda instância” de uma petição para libertar Lula da prisão. Com esse Supremo ou Superior que o valha, estejam certos de que o energúmeno concorrerá nas próximas eleições e, certo como dois mais um são três, será eleito o próximo presidente desse “Brasil que eu não quero”.

 

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

 

*

UM PAÍS QUE ANDA PARA TRÁS

 

A presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Cármen Lúcia, criticou a “demonização” da política, em palestra no 2.ª Congresso de Direito Eleitoral de Brasília destacando a necessidade de o brasileiro agir com ética em seu cotidiano. Isso nem deveria estar sendo discutido, pois são valores dos quais jamais deveríamos abrir mão. A ministra criticou o número excessivo de partidos e a falta de objetividade nas propostas. Citou a Lei da Ficha Limpa, iniciativa popular que contribuiu para o aperfeiçoamento das instituições democráticas. Mas de que vale tudo isso se os órgãos responsáveis não barram os partidos e tão pouco lhes aplicam sanções? Vivemos, de fato, uma crise moral, como pode um presidiário ser candidato, tendo sido condenado pela 2.ª instância? Somos brasileiros que não conseguimos dormir em paz, a cada cochilo temos gente que nos governa armando botes, lutamos para que a Constituição seja respeitada, e por que as leis só valem para um lado? Muitos partidos deveriam ser extintos, crimes prescrevem porque a fila não anda, poderosos ganham a liberdade, pois graças aos “amigos”, voltam aos seus cargos, governador se esconde para não ser citado e o excesso de pessoas com foro privilegiado. Eis algumas pendências que fazem esse país andar para trás e a culpa é de quem mesmo?

 

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

 

*

GUARDIÃO?

 

A sociedade gostaria de saber se ministro Ricardo Lewandowski, do STF, órgão que tem por missão guardar a Constituição, se sentiu como um dos seus verdadeiros guardiões quando, ao vivo e a cores para todo o País, em 2016, como presidente da Corte, com a tarefa simultânea de conduzir o processo legítimo que culminou com o impeachment de Dilma Rousseff, decidiu votar separadamente a inabilitação para o exercício de função pública por oito anos, dispositivo embutido na caracterização da pena de afastamento, infringindo, assim, o que estabelece explicitamente o artigo 52 da Carta Magna.

 

Paulo Roberto Gotaç pgotac@gmail.com

Rio de Janeiro

 

*

COITADO

 

O Supremo pode conceder prisão domiciliar para Lula. Ora, em que regime de prisão ele está?

 

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

 

*

JUSTIÇA BRASILEIRA

 

A Justiça brasileira, a cada dia cai em mais descrédito, parcialidade e conluio, basta ver que absolveram a senadora e presidente do PT Gleisi Hoffmann e seu marido o ex-ministro Paulo Bernardo (PT) das acusações de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Como também arquivaram inquérito de caixa 2, contra o ex-ministro Aloísio Mercadante (PT). Para fazer barba e cabelo, agora só falta no dia 26 de junho de 2018 por ocasião do julgamento do habeas corpus do cara (Lula), virem a suspender sua prisão. Vergonha...

 

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

 

*

IMAGEM AFETADA

 

Após absolvição no STF, a petista falastrona, Gleisi Hoffmann exige pedido de desculpa pela desconstrução de sua imagem nestes últimos 4 anos, motivo que, inclusive a fez desistir de concorrer ao Senado, optando pela Câmara Federal. O PT é único e merecedor de aplausos e também do prêmio Nobel por ter em suas fileiras duas figuras exemplares, o homem e a mulher mais honestos do Brasil!

 

José Alcides Muller josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré

 

*

AVISO AOS NAVEGANTES

 

O STF acaba se decidir que neste país se pode transgredir a lei, recebendo caixa 2, ou melhor, recursos não contabilizados durante campanhas eleitorais, não importando a origem do recurso não contabilizado, na dúvida consulte a jurisprudência Gleisi Hoffmann versus Tesouro, ou melhor, nosso imposto.

 

Marcio Pascholati marcio.pascholati@gmail.com

São Paulo

 

*

ESTAVA NA CARA

 

STF absolve Gleisi Hoffmann e Paulo Bernardo na Lava Jato.

 

Robert Haller robelisa1@terra.com.br

São Paulo

 

*

A CRUCIAL PRESERVAÇÃO DO JUDICIÁRIO

 

O jogo bruto da política e do poder expõe o brasileiro ao mau humor que classifica os políticos genericamente como ladrões e questiona tudo aquilo que não vai de encontro às opiniões, arrazoadas ou sem razão alguma, formadas sobre as coisas e fatos. A absolvição da presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, no STF, leva petistas a festejar e sonhar com a libertação de Lula e enseja aos contrários criticar os ministros. Independente do que decidam, o importante é que os próprios magistrados e a sociedade não percam de vista a função da Justiça na busca isenta da verdade e da razoabilidade. Temos de lutar para que jamais se deixe de punir os culpados, mas, de outro lado, nunca se puna os inocentes. É aí que reside a segurança jurídica de todos os indivíduos, acima de ideologia, paixão, raça, nível econômico ou qualquer outra diversidade. Nesses tempos bicudos, todos os brasileiros e, principalmente os membros da própria instituição, têm de preservar o equilíbrio e a independência do Judiciário. Ela é o último bastião a sustentar nossas instituições. Se perder essa condição, o caos estará instalado...

 

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

 

*

POR QUE O STF ABSOLVEU GLEISI?

 

O Brasil é realmente um país surreal. Basta ver as decisões falaciosas e tendenciosas do STF, onde parece não imperar a racionalidade. Veja-se a absolvição de Gleisi Hoffmann da acusação de corrupção passiva, por falta de provas, mas excesso de delações... É a confusão que esse órgão faz dos crimes comuns com os crimes de colarinho branco. Nos crimes comuns existem provas materiais. Um assassinato, por exemplo, é concreto: há um morto. Alguém o matou. Deve haver uma arma. Deve haver um motivo específico, etc. Já na corrupção dificilmente há algo concreto, quando muito uma pilha de dinheiro anônimo. Arma usada: poder político. Motivo: ganhar dinheiro para aumentar o poder político, para ganhar mais dinheiro. Provas materiais da corrupção: invisíveis e abstratas, quase sempre destruídas facilmente e eficazmente. Mas a corrupção se faz por conversas. E muitos participantes. Conversas. Conversas que fazem sentido, envolvendo conhecimento, negociações, valores, datas, fatos, ocorrências, coincidências, e delações! Delações de comparsas cujos crimes já foram provados e comprovados. Delações que preenchem lacunas, analisadas com inteligência, lógica, etc. O caso Gleisi, com o resultado favorável a ela, servirá de incentivo para muitos outros, graças à suprema incompreensão das diferenças entre alhos e bugalhos. Mas há um ponto positivo: esse caso é a prova de que o STF está disfuncional e prejudicando a Justiça devendo, das duas uma, ser extinto ou reformado de cabo a rabo! Constituinte Exclusiva já!

 

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo

 

*

‘SUPREMÃO’

 

Torcemos tanto para o Brasil melhorar que em 2018 a torcida da Copa ficou até em segundo plano. Torcemos como nunca antes em nossa história para ver a corrupção ser contida, para ver a Justiça sendo feita e a impunidade debelada. Mas nosso ânimo esfria a cada vez que vemos uma decisão do STF favorecendo corruptos, baseado sabe-se lá em que argumentos já que, ineditamente, a sessão no STF não foi televisionada (mas argumentos não faltam quando querem livrar a cara de alguém), deixando agora sem punição um casal de políticos, que comprovadamente recebeu propina, usou caixa 2, tendo o marido lesado até aposentados endividados através de uma organização criminosa que arrecadou R$ 100 milhões usados para irrigar as contas de agentes públicos e do PT, segundo dados levantados pela Operação Custo Brasil. Pois bem, graças à “providencial” decisão do ministro Fachin de enviar esta ação para a 2.ª turma do STF, sabidamente simpatizantes do PT, Gleisi Hoffmann e Paulo Bernardo se safaram. Já tivemos o Mensalão, o Petrolão, e agora se agiganta, para nosso desespero, o “Supremão”. Dia 26 poderão, com seu poder aparentemente ilimitado, colocar Lula em liberdade! Vamos nos mobilizar!

 

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

 

*

FICHA IMUNDA

 

Em pesquisa, 32% dos eleitores entendem que o “ficha imunda” Lula da Silva é o mais indicado para tirar o País da draga que “elle” mesmo colocou. Apesar da total desinformação desses eleitores há que se considerar que com a plêiade dos pré-candidatos que até agora apareceram, a disputa será pelo menos pior. Muda, Brasil!

 

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

 

*

MAIS CHICANAS!

 

Os advogados do condenado e preso em 2.ª instância, Luiz Inácio Lula da Silva, querem por meio de constrangimentos ao STF, em especial ao ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato, usar força coativa contratando um ex-ministro do STF, sr. Sepúlveda Pertence, não para usar do seu saber jurídico, pois se assim o fizesse não estaria defendendo o indefensável e pedindo liberdade no STF e no STJ, para que as Cortes suspendam os efeitos da condenação de Lula, e colocando os juízes do Tribunal Federal da 4.ª Região (TRF-4), que já rejeitaram a concessão de efeito suspensivo do caso, em suspeição. Então não há necessidade de outros tribunais, pois tudo que for julgado é anulado, achincalhado? Gostaria muito de saber realmente o que o sr. Sepúlveda exigiu, digo, conversou na audiência com o sr. Fachin, a ponto de ele marcar julgamento para este novo pedido usando só a 2.ª Turma, onde sabidamente há três ministros comprometidos com o PT, e que nunca se colocam em suspeição em caso envolvendo este partido!

 

Tania Tavares taniatma@hotmail.com

São Paulo

 

*

A INCANSÁVEL FAMÍLIA ‘LULLA’ DA SILVA

 

Realmente esta família não para de surpreender-nos negativamente. Já não bastassem as infindáveis falcatruas do heptarréu, vi hoje numa revista de grande circulação, que uma de suas noras, a sra. Marlene Araújo Lula da Silva, era funcionária fantasma do Sesi e acaba de ser condenada pelo Tribunal de Contas da União (TCU) a devolver o valor de R$ 173 mil, pois não conseguiu provar que prestou serviços naquela instituição. Vimos que “Lulla” para tentar sensibilizar sua curriola, inventou ter recebido um terço do Papa Francisco, é o fim da picada.

 

Luiz Roberto Savoldelli savoldelli@uol.com.br

São Bernardo do Campo

 

*

CASTAS

 

Realmente nosso país está perdido com esse tipo de políticos e funcionalismo público que temos. Nestes últimos 50 anos, criamos duas castas de favorecidos no País a dos políticos e a dos funcionários públicos. A classe política que infelizmente somente nos decepciona com roubos, leis inúteis (exemplo a nova lei de portão para cidade SP) e “burrocracia”. E a dos funcionários públicos que somente estão interessados em defender seus direitos (salário, aposentadoria integral, benefícios, cursos, auxílios etc.), fazer greve e entregar a população um serviço péssima qualidade, ou melhor, não entregar. Além disso, temos uma lei que diz que o funcionário não pode ser desacatado pelo cidadão, mas este pode ser ríspido e por muitas vezes tratar mal o cidadão. O Brasil precisa realmente de uma mudança muito grande e com apoio de todos os cidadãos do setor privado, incluindo empregados e empregadores para que isto mude definitivamente. Desculpe o desabafo e me perdoem as execuções (alguns bons políticos e os bons empregados públicos, que não incluo nesta lista).

 

Marcelo Monaco Guilger marcelo@guilger.com.br

São Paulo

 

*

PRISÃO LAVA JATO

 

Mais um da estrita confiança de Geraldo Alckmin preso hoje pela Lava Jato de São Paulo. Eu sempre disse que Alckmin não rouba pra ele, mas entrega a alma ao diabo pra chegar ao poder, ou seja, faz vista grossa àqueles ao seu redor para se locupletarem do bem público.

 

Orivaldo Tenorio de Vasconcelos professortenorio@uol.com.br

Monte Alto

 

*

TRUMP NÃO DESISTE

 

O presidente americano Donald Trump não desistiu de sua luta contra os imigrantes e refugiados, ele apenas recuou um pouco ao rever a decisão desumana de separar os filhos de seus pais nos campos de concentração americanos. A luta de Trump para livrar a América do que ele considera como “seres inferiores” está longe de acabar. A repercussão e desaprovação maciça nas redes sociais dessas medidas brutais provocou o recuo, mas a luta de Trump pela imposição da supremacia da raça ariana está apenas começando. O mundo já assistiu várias guerras em nome da limpeza étnica, o holocausto dos judeus e o massacre dos armênios são exemplos recentes dessas ações bárbaras cometidas em nome da pureza de alguma raça em relação às outras. O mundo civilizado deve se unir para conter os avanços desse novo faxineiro ético que surgiu na América e o povo americano deve se organizar para impedir os avanços desumanos de seu presidente contra os fracos e oprimidos.

 

Mário Barilá mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.