Fórum dos Leitores

Cartas selecionadas dos leitores

O Estado de S.Paulo

02 Julho 2018 | 03h00

FINANÇAS PÚBLICAS

Colheita do ‘popular’

As contas do País simplesmente não fecham. A dívida bruta governamental atingiu R$ 5,13 trilhões (!) em maio, o correspondente a 77% do produto interno bruto (PIB) brasileiro, ou seja, de toda a riqueza produzida no Brasil ao longo de um ano. A situação é ainda mais dramática ao considerar os seguidos anos de déficit primário - os anos passados e os que ainda estão por vir. Na prática, mesmo desconsiderando os juros da dívida pública, os governos gastam bem mais do que arrecadam e o Estado se endivida ainda mais para acobertar o total desajuste das contas públicas e tentar tocar penosamente as ações de governo. Déficits primários, aumento da dívida, insustentabilidade previdenciária, risco de calote, elevação dos juros... Pouco importa. O que de fato importa são os interesses corporativos, de juízes protestando contra a suspensão do auxílio-moradia, as paralisações de caminhoneiros pelas estradas do País e postergar reformas consideradas “impopulares”. Parece até que um default e a decorrente incapacidade do Estado de pagar a folha do funcionalismo e de prover bens e serviços públicos aos cidadãos contribuintes são muito populares... Porque é isso que estamos plantando. 

ELIAS MENEZES

elias.natal@hotmail.com

Belo Horizonte

Ditadores municipais

Será que alguém ainda acredita que vivemos numa democracia? Está mais para uma ditadura cruel. Em plena crise, vereadores que não representam o povo da cidade de São Paulo criaram um gasto de R$ 16 milhões para os munícipes! Um absurdo, coisa de ditadores! Não são capazes de aprovar uma lei que beneficie o cidadão! Não queremos dívidas, queremos trabalho sério e competente! Basta!

LUIZ CLAUDIO ZABATIERO

zabasim@outlook.com

São Paulo

Ajuda só a privilegiados

Os vereadores aprovaram benefícios para os funcionários do Tribunal de Contas. Já tinham aprovado vantagens para eles próprios. Quando é que farão algo pelos pobres da cidade?

PEDRO PAULO COUTO

pedropaulocouto@terra.com.br

São Paulo

IMPOSTO SINDICAL

Vitória dos trabalhadores

A decisão proferida na sexta-feira pelo pleno do Supremo Tribunal Federal (STF), última instância do Poder Judiciário, é uma vitória para a classe trabalhadora. Tornar compulsória a contribuição sindical após a promulgação da reforma trabalhista não faria o menor sentido. É importante destacar que a existência de sindicatos é indispensável para que as categorias profissionais possam, num ambiente menos desigual, negociar melhorias e reajustes salariais mais justos com os patrões. Acontece, contudo, que atualmente muitos sindicatos se tornaram fantasmas e não oferecem nenhum tipo de benefício que justificasse tal desembolso. A partir deste momento cabe aos sindicatos mostrar serviço e, por consequência, ganhar a confiança de seus representados. A queda na arrecadação dos sindicatos deve servir de lição e de alerta. Os trabalhadores certamente contribuirão, mas é preciso que se mostrem motivos, em benefícios, para tal. Essa é a lógica do mercado. A decisão dos ministros foi uma vitória dos brasileiros.

WILLIAN MARTINS

martins.willian@globo.com

Guararema

A maior bolada!

Foi por 6 votos a 3 que o STF pôs fim ao tal imposto sindical, uma abusiva e bilionária contribuição obrigatória dos trabalhadores para os sindicatos - 17.300 (!) no Brasil - fazerem campanha política, manterem a boa vida e enriquecerem sindicalistas alérgicos ao trabalho, os quais, de ora em diante, terão de trabalhar para viver. Só para os trabalhadores terem uma ideia do que significa esse valor que sustentava a maior quantidade de sindicatos do mundo, daria para construir 17.500 casas populares, no valor de R$ 200 mil cada unidade, todo ano.

 

BENONE AUGUSTO DE PAIVA

benonepaiva@gmail.com

São Paulo

CORRUPÇÃO

Lula, inelegível

Inaceitável. Palavra perfeita usada pelo ministro Luiz Fux. Como pode uma criatura julgada, condenada em segunda instância e presa pretender se candidatar a um cargo público? Mais do que respeito às leis, há que haver um mínimo de bom senso. Inaceitável, provocativo e desrespeitoso. Boa, ministro Fux!

LUCIA MENDONÇA

luciamendonca@terra.com.br

São Paulo

Recursos intermináveis

Será que ninguém tem coragem de dar um basta nesses infindáveis recursos diários do PT tentando libertar um réu já condenado que afundou o País, quebrou a Petrobrás, liberou para países bolivarianos, que nunca nos vão pagar, recursos que deveriam ter sido investidos em nosso país, nas áreas de segurança, saúde, educação, infraestrutura, etc. O STF não tem outros processos para deliberar e parar de perder tempo com mais essas tramoias petistas?

LUIZ ROBERTO SAVOLDELLI

savoldelli@uol.com.br

São Bernardo do Campo

Extrapolou

Se todos os criminosos condenados do Brasil fizessem o que o ex-presidente condenado faz, não haveria tribunal suficiente para dar conta do recado.

ULF HERMANN MONDL

hermannxx@yahoo.com.br

São José (SC)

Prisão esportiva

A soltura de delinquentes do colarinho branco por nossa Suprema Corte ensejou um paralelo com a pesca esportiva, modalidade de lazer em que o pescador fisga o peixe, tira foto e o solta. Nessa mesma linha criaram a prisão esportiva: a Polícia Federal prende o corrupto, a imprensa fotografa e o STF solta.

SILVIO NATAL

silvionatal49@gmail.com

São Paulo

Como os planos de saúde

A população brasileira está em dúvida sobre o que é pior no cenário nacional, o STF ou a ANS. Com certeza os dois fazem a população sofrer.

CARLOS ALBERTO DUARTE

carlosadu@yahoo.com.br

São Paulo

CRIMINALIDADE

Violência banalizada

Em 27/6 o filho do prefeito de Ribeirão Preto foi abordado por dois homens armados. Levaram o carro e a jovem que estava com ele teve a bolsa roubada. O prefeito declarou: “Não houve prática de violência”...

MILAN TRSIC

cra612@gmail.com

Ribeirão Preto

RÚSSIA: CAMINHO ACIDENTADO

 

O torcedor que está acompanhando os jogos da Copa do Mundo que ponha as barbas de molho porque a sonhada conquista do “hexa”, pois se vier, acontecerá só após vencidas dificuldades poucas vezes experimentadas pelo time canarinho. Nesta segunda-feira enfrentaremos o México, seleção que venceu a Alemanha e tem nos surpreendido ultimamente. Caso avancemos, tudo faz crer, cruzaremos com a Bélgica de Lukaku, tida até o início das oitavas como o melhor time do certame. Se vencermos (otimismo!) vamos nos defrontar, na semifinal, com o vencedor da disputa entre o Uruguai de Luis Suárez (seleção que despachou Portugal e ama “aprontar” contra nós) e a temível França de Mbappé, o guri velocista que fulminou Messi & cia., deixando claro que quer o “bi” para o time azul.  Superadas todas essas dificuldades, o Brasil enfrentaria outra “pedreira” na final – quem sabe a Inglaterra do goleador Harry Kane ? Confesso ter visto, em outras copas, caminho mais suave para nossa seleção.

 

Silvio Natal silvionatal49@gmail.com

São Paulo

 

*

ESPANHA X RÚSSIA

Um dos piores jogos que vi durante uma Copa do Mundo, foi este Espanha x Rússia!  Parecia um jogo de master de 5ª categoria, ou disputado no túmulo do futebol! Tal a falta de criatividade e coragem na busca do gol, principalmente por parte da toda poderosa Espanha, que pelo jeito subestimou o adversário.  Para envergonhar ainda mais o futebol espanhol, a Rússia, seleção das piores desta Copa, conseguiu se classificar para as quartas de final, eliminando nos pênaltis a Espanha, depois de uma desumana prorrogação. Que sirva de alerta para o Brasil, que além do talento dos nossos atletas, precisa seguir jogando com responsabilidade para chegar a final desta Copa da Rússia.

Paulo Panossian Paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

 

*

NIET

 

Niet Alemanha, niet Argentina, niet Espanha, niet Portugal. Cristiano Ronaldo, Messi, Iniesta e Angela Merkel, Auf Wiedersehn! Brasil vai ganhar Copa por “forfait” dos coleguinhas?

 

Paulo Arisi paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre

 

*

AUMENTOS DO FUNCIONARISMO

 

Acompanhando a movimentação de aumentos na Câmara Municipal de São Paulo, quero dar ciência não só aos paulistanos, mas aos profissionais que fazem essas matérias jornalísticas, de que esses aumentos não alcançam os funcionários municipais concursados e que há mais de 10 anos têm aumento pré-estabelecido de 0,005% ao ano. Esse aumento é tão significativo que o sr. Doria esqueceu de assinar o aumento de 2018. Algum auxiliar nomeado por ele, recebendo no mínimo R$5 mil deve tê-lo lembrado, graças a Deus!

Lydia L.Ebide  lebide@vivointernetdiscada.com.br

São Paulo

 

*

AVANÇO SOBRE O ESPAÇO PÚBLICO

 

Finalmente uma critica a respeito dos “chiqueirinhos” que foram autorizados pelas prefeituras anteriores. Instalados indiscriminadamente na via pública, ocupam espaços reservados a estacionamento de veículos. Causam uma redução na largura da via carroçável e colocam em risco pessoas que ali sentadas ficam expostas a qualquer acidente de transito. Seria bom verificar com que propósito a Prefeitura aceitou esta invasão? Qual é o valor que é cobrado para se obter a permissão dos chamados “parklets”? Pagam IPTU por esta área ocupada?  Independente da forma com que é montado trata-se de uma construção em via pública e como tal deveriam ter legislação própria.

 

Miguel Gross mgross509@gmail.com

São Paulo

 

*

A REDUÇÃO DOS CRIMES EM SÃO PAULO

 

As estatísticas da Secretaria da Segurança Pública revelam que os casos de homicídio doloso no Estado de São Paulo caíram 7,5% do ano passado para este. Os latrocínios diminuíram 40% e também houve queda de 29,5% no roubo de cargas. Na outra ponta, verifica-se a elevação de 10% nos casos de estupro e o aumento dos homicídios na capital no mês passado. Em maio de 2017 foram 45 e em 2018 somaram 64. Mas, em compensação, em  abril foram 76 ocorrências no ano de 2017 e 55 em 2018, que também teve números inferiores em janeiro, fevereiro e março. De janeiro a maio, a Polícia Militar apreendeu 33 mil quilos de entorpecentes e 3.632 armas de fogo. Os estupros, salvo melhor juízo, deveriam fazer parte de outra estatística, pois embora sejam crimes, ocorrem em ambiente privado e até familiar e não há meios de prevenção como ocorre em outros delitos. Embora seja obrigação estatal, a segurança pública depende de todos. O cidadão deve adotar medidas preventivas para não se tornar vítima e, se tiver conhecimento, convém informar, ainda que anonimamente, às autoridades para que estas adotem as providências corretivas. O aparelho policial existe e, quanto mais informações detiver, melhores serviços presta à comunidade.  

 

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br     

São Paulo

 

*

RODOANEL

 

Quer dizer então que Alckmin nada sabia da roubalheira do “Rouboabel”. Conta outra, governador!

 

Orivaldo Tenorio de Vasconcelos professortenorio@uol.com.br

Monte Alto                                                                                                

 

*

PLANOS DE SAÚDE

 

As du­as mo­da­li­da­des de con­vê­ni­os ­­­– co­par­ti­ci­pa­ção e fran­quia – estabelecidas pela nova norma da ANS já são aplicadas há tempo em países do primeiro mundo, com bons resultados. Foram criadas para minimizar duas formas de abuso: de um lado o dos pacientes que exageram na procura de médicos e “exigem” a realização de exames preventivos e, de outra parte, o dos próprios profissionais que relegam para segundo plano a saudável avaliação clínica criteriosa e solicitam intempestivamente inúmeros exames subsidiários. Estas novas medidas já deveriam estar em vigor há muito tempo. 

 

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo

 

*

‘ANS$’

 

A esta altura do campeonato e dos contínuos aumentos abusivos dos planos de saúde, para quem a inflação é um número totalmente desprezível e sem sentido, melhor será chamar a ANS de “Agência Nacional das Seguradoras de Saúde” (ANS$), pois não?!

 

J.S. Decol  decoljs@gmail.com

São Paulo 

 

*

O FIM DA LAVA JATO 

 

Quem melhor descreve a situação atual de decadência moral e funcional do Supremo Tribunal Federal (STF) é Eliane Cantanhêde em sua coluna (29/6, A6). À favor de políticos condenados pela Justiça, a muitos anos de prisão por crimes desavergonhados principalmente de corrupção pessoal, o grupo formado por Gilmar Mendes, Lewandowski, Marco Aurélio Mello e Dias Toffoli decidiu fazer o Brasil retroceder ao tempo em que a Justiça criminal existia apenas para ladrões de galinha ou para furtos de shampoo em supermercados. Políticos e empresários, muito menos empreiteiros sócios da Nação, sempre roubaram sem serem importunados. Advogados caros arrastavam sem dificuldade processos de clientes ricaços até a prescrição, sob os olhares complacentes de magistrados como os mencionados. O Brasil, ora o Brasil. Uma Nação de coitadinhos que tudo suportam estoicamente, sem nem sequer ousar reclamar de coisa alguma, está em vias de prevalecer. A Lava Jato foi apenas uma esperança de mudança. Passará como todas as demais esperanças perdidas. Os 4 cavalheiros acima consideram-se inatingíveis por coisa alguma. Será que realmente o são? O Brasil permitirá isso?

 

Ademir Valezi valezi@uol.com.br

São Paulo 

 

*

DINHEIRO FÁCIL

 

Muito oportuna é correta a condenação da utilização de recursos de contribuintes para o financiamento de partidos com os quais eles não têm afinidade. Os partidos devem ser financiados pelos seus simpatizantes, e deixar de existir se ninguém acreditar neles. Faltou, no entanto, a menção de que existe um único partido, o Partido Novo, que segue esses princípios e não utiliza recursos do fundo eleitoral nem do fundo partidário. O “Estado” presta bom serviço ao levantar essa questão, mas falha ao dar a impressão que todos os partidos se comportam assim. O Partido Novo merece ser citado como saudável exceção.

 

Paulo Serra paulo.martins.serra@gmail.com

Lorena 

 

*

FÉRIAS DO STF

 

Graças a mais um período de “merecida férias” do STF, teremos o imenso prazer de ver por mais tempo os empresários e políticos corruptos presos pela Polícia Federal (PF) e condenados pela Operação Lava Jato na cadeia. É pena que essas férias não sejam definitivas.

 

Valdy Callado valdypinto@hotmail.com

São Paulo

 

*

SORTE DO BRASIL

Com o recesso do Judiciário, responderá pelo plantão do STF, nos casos de urgência, a atual presidente da Corte, Cármen Lúcia. Sorte do Brasil que não será pego de “calças curtas” como em outras ocasiões quando os ministros petistas “deitaram e rolaram” soltando um bando de corruptos. Fora tigrada e ministros petistas!

 

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

 

*

‘VAR’ NO STF

 

Sugiro a inclusão do “VAR”, igual da Copa, nas sessões do Supremo. Eles votam e juristas representantes do povo corrigem mostrando a consulta imediata da Constituição, e assim, exigir a correção do julgamento passo a passo, até a adequação final. Seria uma forma de todos os julgamentos serem considerados constitucionais.

 

Arcangelo Sforcin arcangelosforcin@gmail.com

São Paulo

 

*

PLAUSIBILIDADE

 

Na recente soltura de Dirceu, o ministro Dias Toffoli decidiu, por raciocínio próprio, que era “plausível” de que o recurso de Dirceu ao Supremo Tribunal de Justiça lhe desse a liberdade, e então, por que esperar? Soltou antes seu antigo chefe. Usando o mesmo raciocínio, pela plausibilidade de que, logo que o Brasil retorne aos trilhos, um tribunal da verdade o condenará por cumplicidade a corruptos e bandidos de alta periculosidade que soltou enquanto podia, por que esperar? Vamos prendê-lo antes, e acelerar a recuperação do País!

 

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo

 

*

ATÉ QUANDO CATILINA ABUSARAS DE NOSSA PACIÊNCIA?

 

Esse Cristiano Zanin está abusando dos recurso. Quer acabar com o mínimo de credibilidade que o STF aparenta ter?

 

Antonio Leoncio de Castro Oliveira ant.leoncio@gmail.com

Presidente Prudente

 

*

‘SEJAMOS RADICAIS’

 

Ao ler o artigo de FHC (1/7,A2)  surgiram duas perguntas: “Por que ele não implementou tudo o que afirmou que precisa ser feito enquanto foi presidente?”; e, “Uma vez que reconhece que a Constituição de 88 é a mãe de todo caos instalado no País, por que o seu partido nunca propôs uma nova Constituinte?”. A Constituição de 88 é o excremento-mor do nosso arcabouço jurídico e precisa servir de referência para os futuros legisladores, de tudo o que não deve ser feito. Constituições de países decentes, são curtas, objetivas e claras, não essa coletânea de normas estapafúrdias como a nossa, que faz o país viver já há 30 anos, na “ditadura da desordem”. A democracia se tornou uma “divindade política”, e em nome dela, o Estado perpetra todas as violações contra seu povo – tal como fazia a igreja com os autos-de-fé da Inquisição.

Frederico Braun d'Avila frederico@fda.agr.br

São Paulo

 

*

FHC

 

Muito bom o artigo de FHC, mas como punir corruptos se no STF há ministros que agem como verdadeiros parceiros e até comparsas dos corruptos? Como mudar a política se os políticos não querem mudar e impedem que a mudança aconteça? Como corrigir o excesso de ganhos e de direitos especialmente do Legislativo e do Judiciário se o primeiro faz as leis e o segundo as interpretam a seu bel prazer e benefícios? Sinceramente, eu não vejo como conseguir mudar esse estado de coisas pelas vias institucionais, pelo contrário, sinto que estão brincando com fogo e nos empurrando celeremente para uma ruptura institucional com apoio de mais de 90% da população.   

 

Milton Bonassi mbonassi@uol.com.br

São Paulo

 

*

FOI ASSIM

 

Nos meses que antecederam a eleição de 1982, também foi assim, FHC: “Se dois de nossos candidatos lá chegarem, tanto melhor: será o povo que dirá qual deles há de conduzir-nos nos próximos anos”. Se esqueceu, entretanto, de nos alertar de que: “Não devemos arriscar, porém. Se for o caso, devemo-nos unir ainda no primeiro turno para evitar que o povo tenha de escolher entre o ruim e o menos pior”. Deu no que deu.

 

Sergio Salgado de Oliveira ssoliveiramsm@gmail.com

Monte Santo de Minas (MG)

 

 

*

BASTA!

 

Sejamos radicais sim, senhor Fernando Henrique Cardoso. Chega desse sistema corrupto que o senhor foi o principal cúmplice. Dessa Constituição Cidadã absurda que inviabilizou o País. Do aumento de impostos a níveis estratosféricos inventado pelo senhor e ampliado pelos seus sócios. Do mandato de oito anos engendrado no submundo da política rasteira praticada pelo senhor. Do MST e demais grupelhos da “esquerdalha” que o senhor incentivou. Do desastrado estatuto do desarmamento que desarmou os cidadãos de bem, mas manteve os bandidos armados. Das ignomínias praticadas por ministros do calibre de um Gilmar Mendes, urdido no porão dos infernos pelo senhor e seus pares. Enfim, chega dessa educação de Paulo Freire que o senhor patrocinou. Realmente, senhor Fernando Henrique Cardoso, sejamos radicais, a sociedade acordou para esse seu discursinho “esquerdopata” que conduziu o país para o desastre. Hoje sabemos perfeitamente o porquê e a quem se destina o seu recado. Realmente basta, o senhor e seu grupelho não enganam a mais ninguém.

 

Alberto Gonçalves albertogoncalves@hotmail.com.br

Ribeirão Preto

 

*

ATRASADO

 

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso está um pouco atrasado em sua colocação, pois “votar no menos pior”, é o que o brasileiro tem feito desde 1994. Já essa eleição é a primeira desde 1989 em que realmente tenho a opção de votar em um bom candidato.

Marco Garcia de Souza marcogsouza@uol.com.br

Três Lagoas (MG)

 

*

PEC Nº 5

 

Em artigo publicada (26/6, A2) o reitor da Unicamp e o presidente da Adunicamp apoiaram a aprovação da PEC nº 5, que elevou o teto salarial do funcionalismo estadual de R$ 22 mil para R$ 30 mil.  Defendem a medida justificando-a com as particularidades das carreiras, dedicação e eventual desestimulo causado pelo teto atual. Alegam também que não haverá impacto orçamentário,  mas insinuam que é preciso aumentar os repasses da Secretaria da Saúde. O aumento na folha de pagamento do funcionalismo público estadual, inclusive universidades, é inevitável. Tão logo o novo teto entre em vigor os sindicatos e associações que representam os funcionários que recebem abaixo do teto iniciarão movimentos reivindicatórios para que a paridade atual seja mantida. Assim, um efeito em cascata elevará os gastos com funcionalismo estadual, sem que haja qualquer melhoria na educação, saúde, segurança, etc.

 

Rui Mattioli ruimattioli@bol.com.br

Araraquara

 

*

ESCULHAMBAÇÃO NA LOTERIA FEDERAL

 

Esculhambaram com a loteria federal brasileira. O governo esta à deriva, precisa arrecadar dinheiro, não pode criar impostos, mas criou mais uma fonte de azar para os sonhadores de apostas “dia da sorte”. Nos sorteios do dia 22, sábado, a Mega Sena teve quatro ganhadores, que acertaram os seguintes números sorteados 50,51,56,57,58 e 59. Você acredita nessa  probabilidade em loterias de azar? A Lotofácil já começou o sorteio com o  nº 5, quina, com finais com números coincidentes, todos nesse sábado. A vistoria nos aparelhos e nas bolinhas são feitas rigorosamente? Peso, tamanho, etc... Eu sugiro, eletroímãs, aparelho eletrônico e, após o sorteio, cortar essas bolinhas em partes. Têm chips? Ou outra forma que desconhecemos. A PF poderia investigar quem ganhou e como ganhou. Essas pessoas têm tanto cacife para apostar. Parem de jogar ou serão sempre enganados. Já basta as urnas eletrônicas, que podem ser manipuladas eletronicamente. Imaginem vocês, 96 extrações da Mega Sena por ano. Acredito que 60% vai para o governo por meio de testas de ferro e os outros 40% vão para o povão. Isso alimenta o caixa dos partidos políticos para eleição para pagar advogados de crimes políticos e por aí vai a ilusão, o sonho tão esperado dos pobres brasileiros.

 

Wagner Gatti  gatti.wagner@gmail.com

Indaiatuba

 

*

‘FÓRUM DOS LEITORES’

 

Quando abro o “Estadão” pelas manhãs vou direto ao “Fórum dos Leitores”. Cada leitor que se dá ao trabalho de escrever a um jornal mostra seu desespero, sua revolta, seu nojo, sua desesperança com políticos e/ou autoridades deste país. E como são coerentes e bem informados acabam cada qual escrevendo pequenos editoriais. Verdadeiros e justos.  Será possível que essas excelências todas – vereadores, deputados, senadores, presidentes, ministros do Supremo – não percebem o grau de revolta desses leitores, gente de primeira, gente honrada, gente que sabe das coisas? Será que não têm sensibilidade para compreender que são objeto de asco de milhares de brasileiros? Será que não sentem estarem provocando indignação? Não sabem que ofendem, injuriam, agridem esses brasileiros, fazem até que adoeçam de desespero pela malversação do dinheiro público, pela roubalheira, pela incompetência, pela burrice, pelo cinismo exacerbado que têm mostrado? Por mais que a Lava Jato aponte, processe, condene, continuam, impávidos, a fazer das suas? Não têm medo da Justiça? Não respeitam o povo que os paga? Não estão nem aí para nós todos? O que  acontece com essa gente desclassificada  que não cria vergonha na cara? Cada vez que leio o “Fórum dos Leitores” tenho vontade de escrever a cada um dos autores desses pequenos e sofridos editoriais para dizer que concordo, assino embaixo, aplaudo, sou mais uma! Alguns  desses leitores/missivistas não se cansam de  expressar sua  indignação. É uma válvula de escape. Escrevem sempre, prova de desespero, cansados de agressão. Todos dizem as verdades mais comezinhas. E não tem adiantado, essas excelências não têm juízo, nem decência. Decência, sei, é pedir demais. Mais poderiam ter juízo em seu próprio benefício, na esperança de serem reeleitos e/ou menos odiados. Será que nas eleições que se aproximam poderemos nos livrar de alguns desses borra-botas safados?  

 

Regina Helena de Paiva Ramos reginahpaiva@uol.com.br

 São Paulo

 

*

DIA DO BOMBEIRO

 

E meio às noticias sobre os atuais e variados desmandos políticos, permitam-me reservar um espaço sobre algo de extrema relevância.

Pouca gente sabe, mas dia 2 de julho é o do bombeiro. Que tal, nessa data, prestarmos as merecidas homenagens a esses heróis abnegados, divulgando a verdadeira importância deles aos jovens e às crianças? Nessa ocasião seria bom lembrar, sobretudo, que um número incontável de pessoas e animais já foram socorridas e salvas por esses profissionais em situações de alto risco, como incêndios, afogamentos, desabamentos e outros  eventos trágicos. Por essa razão, merecem eles nossos merecidos aplausos e toda a admiração. Que tal?

EURICO BUZAGLO eurico_buzaglo@uol.com.br

São Paulo 

Mais conteúdo sobre:
Fórum dos Leitores Imposto Sindical

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.