Fórum dos Leitores

.

O Estado de S.Paulo

03 Julho 2018 | 03h00

SAÚDE PÚBLICA

A ameaça da poliomielite

Preocupante a reportagem do Estado dando conta de que 312 cidades no Brasil ainda estão sem cobertura contra a poliomielite. Assustador que 44 dessas cidades fiquem em São Paulo, o Estado mais rico da União. A pólio, erradicada no Brasil desde 1990, retorna como um fantasma a ameaçar crianças por uma negligência absurda. Minha geração e a que a precedeu foi duramente atingida por essa grave doença. Lembro-me de duas professoras do ginasial que tinham pólio. Como entender que hoje, pela ausência de uma vacina, fruto das pesquisas de Albert Sabin, representada por uma gotinha, o futuro de nossas crianças possa ser comprometido? Até isso esses anos de PT fizeram com o Brasil?! Preocupados em mostrar um país que não existia, via propagandas enganosas, e assim se perpetuar no poder, nada se fez para conscientizar a população a respeito da importância da vacinação. Cadê o Zé Gotinha, personagem da infância dos meus filhos? Ficou relegado ao abandono enquanto o governo petista exaltava que agora pobre podia andar de avião! E hoje, essa ameaça paira sobre a Nação. Somados ao descaso das autoridades responsáveis, temos ministérios entregues a apaniguados de políticos, em vez de gente da área. E muita gente já esqueceu que éramos exemplo na vacinação infantil. Não permitamos a reeleição dessa gente que, por irresponsabilidade e ganância, deixou que doenças já erradicadas, como sarampo e pólio, voltassem!

ROSÂNGELA DE LIMA GATTI

rosedelimagatti@yahoo.com.br

Indaiatuba

A história vai se repetir?

A vacinação antipólio via oral (vacina Sabin) começou no Brasil em 1962. Como disse o dr. João Baptista Risi Jr. (epidemiologista da Opas), “depois da vacina havia uma epidemia da doença e em seguida uma epidemia de vacinação, pois a vacina chegava atrasada, quando a epidemia já estava em declínio”. Será que isso vai se repetir hoje? Como agravante, adultos com mais de 57 anos não estão protegidos e pode haver uma tragédia.

LUIGI VERCESI

luigiapvercesi@gmail.com

Botucatu

PRIVATIZAÇÕES

Do contra

A ministra Cármen Lúcia recentemente disse não acreditar que ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) tomem decisões partidárias, “até porque isso é terminantemente proibido”. A seu ver, “seria considerar que um juiz está tomando uma decisão contrária ao que é o seu dever constitucional”. Mas não é o que se constata, conforme destaca o editorial Militância antiprivatização (2/7, A3), lembrando que o ministro Ricardo Lewandowski adotou claramente uma posição política ao impedir o leilão da Companhia Energética do Estado de Alagoas e criar restrição à venda de empresas estatais, o que não está previsto pela Constituição da República.

JOSÉ WILSON DE LIMA COSTA

jwlcosta@bol.com.br

São Paulo

Desestatizar é imperativo

Das 157 estatais no segmento federal, pouquíssimas não dão prejuízos à União, além de servirem de cabides de empregos para apadrinhados de políticos de plantão. Assim, as privatizações encerram um verdadeiro estado de necessidade, que retira do diálogo qualquer aspecto ideológico ou de xenofobia. É descartá-las antes que acabem por destruir o Brasil!

JOSÉ CARLOS DE C. CARNEIRO

carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

O cabidão

Levantamentos do funcionalismo revelam que o governo federal tem 23 mil cargos de livre nomeação, sendo 6 mil deles ocupados por pessoas de fora, que deveriam ser especialistas notórios, mas não passam de apadrinhados políticos, cabos eleitorais ou coisas ainda piores. Surpreendentemente, os governos estaduais somam 84 mil desses cargos e os municípios também estão infestados de não concursados. Além disso, existem mais de cem empresas estatais que também são cabides de empregos e pagam salários milionários, além de muitas vantagens. Os conselhos de estatais e de órgãos públicos pagam fortunas por simples reuniões, ao mesmo tempo que o governo negligencia a saúde, a educação, a segurança e outros aspectos básicos de sua obrigação com o povo. A grande reforma de que o País necessita está na privatização de todas as estatais, ficando o governo apenas como normatizador, licenciador e fiscalizador. O Estado brasileiro precisa ser libertado. A produção econômica cabe à iniciativa privada, na qual, diferentemente do meio estatal, tudo o que opera no prejuízo vai à falência... Simples.

DIRCEU CARDOSO GONÇALVES

aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

EM SÃO PAULO

Terra de ninguém

O editorial Paulista, terra de ninguém (2/7, A3) trouxe-me a sensação de que eu havia redigido o texto na íntegra. Caminhei pela avenida em toda a sua extensão no dia anterior. O sentimento foi de tristeza, frustração, vergonha e raiva. O que fizeram? Uma sequência de titulares da Prefeitura incompetentes que vêm assistindo a essa degradação de forma omissa. Inacreditável... Um horror!

LAMIA ARBX

lamiaarbx@yahoo.com.br

São Paulo

Paradas de ônibus

Oportuno e digno de aplausos o editorial Paulista, terra de ninguém. Nesse mesmo viés, gostaria de externar minha indignação quanto ao caótico trânsito na Paulista. Há alguns anos a Municipalidade entendeu por bem lá construir uma ciclovia, olvidando que a maioria da população utiliza transporte coletivo e deixou de contar com uma faixa exclusiva de ônibus no lado esquerdo da via. Os ônibus que circulam na capital já têm portas de ambos os lados, justamente para utilização eficaz nos corredores exclusivos, por todos aprovados. Na Paulista, como hoje está, vemos – o dia inteiro – veículos de transporte de valores parados ostensivamente na faixa de ônibus localizada no lado direito e, além disso, há o problema da entrada e saída de veículos em todos os prédios. Nesse quadro vemos que não há o mínimo de respeito pelo transporte coletivo, o qual, pela lógica, deveria ter prioridade. As autoridades olham para esse absurdo, mas não enxergam (ou não querem) o que se passa de fato. Assim sendo, entendo que essa ciclovia não pode ser considerada “cláusula pétrea” e deveria ceder o espaço a um corredor exclusivo de ônibus. Solicito, pois, que esta minha humilde ideia de transferir as paradas dos ônibus para o lado esquerdo seja considerada. Se houver bom senso, boa vontade, intenção de beneficiar os usuários de transporte público, podemos, sim, melhorar a fluidez nessa que é a nossa mais paulista das avenidas.

NAZARETH KECHICHIAN NETO

nazareth.kechichian@hotmail.com

São Paulo

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br


BRASIL 2 X 0 MÉXICO


Depois do 2x0 entre Brasil e México, vemos que aos poucos a seleção vai tomando corpo. Não é por acaso. Sob o comando de Tite, em 25 jogos foram: 19 vitórias, 5 empates, 1 derrota, 54 gols e 6 sofridos. Falta pouco para o hexa. Estamos chegando lá.


Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES)


*

QUARTAS DE FINAL


Na próxima sexta-feira o embate entre os canários do reino e belga.


Sergio Salgado de Oliveira ssoliveiramsm@gmail.com

Monte Santo de Minas (MG)


*

BÉLGICA


Por alguns minutos achei que Deus era brasileiro, enquanto estava 2x0 pro Japão.


Moisés Goldstein mg2448@icloud.com

São Paulo


*

HEXA CHEGANDO


Prosseguimos animados com personalidade e objetividade no caminho do hexa. O sentimento é de festa. Corações vibrando com força. Peito estufado de fé e emoção. O Brasil inteiro abraçando e confiando em Neymar e companhia. Não é a toa que somos pentacampeões do mundo. Temos a melhor seleção, o melhor técnico e gestão competente que não deixa faltar nada aos jogadores. O sucesso da seleção certamente abrirá caminhos para um futuro mais saudável e radiante. Que a sensibilidade ilumine os candidatos. O povo exige ações que finalmente beneficiem a coletividade. Basta de sofrimentos e promessas vazias. A união de esforços e a grandeza de atitudes precisam finalmente vencer o ódio, o rancor, o ressentimento e o bate-boca que nada constrói.


Vicente Limongi Netto limonginetto@hotmail.com

Brasília


*

BRASIL DÁ OLÉ NO MÉXICO


Que a torcida mexicana receba a sua seleção eliminada pelo Brasil com o mesmo grito de olé que entoou em campo, num condenável e inconcebível desrespeito à única pentacampeã mundial. O México jogou como nunca e perdeu como sempre. Ri melhor quem dá olé por último. Hexa, Brasil!


J.S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo


*

VALEU, MÉXICO!


México, vocês são os caras, praticamente mandaram a Alemanha pra casa. Fica triste não, vocês perderam para o melhor time do mundo!


Márcia Callado marciacallado@bol.com.br

São Paulo


*

ORGULHO E ALEGRIA


Na semana anterior comentei que a última esperança de trazer paz e alegria ao brasileiro era o time, que representa este país na Copa, atuar com a “garra” que lhe é habitual. Eles já são vitoriosos, pois conseguiram chegar as quartas de final. Agora se espera que as autoridades mantenham os condenados por corrupção atrás das “grades” e incentivem os eleitores a votarem nos candidatos capazes e que sintam orgulho em fazer o Brasil crescer.


José Millei millei.jose@gmail.com

São Paulo


*

POBRE DINAMARCA


Os dinamarqueses devem estar tristes, decepcionados e inconformados com a sua seleção que não se classificou na Copa da Rússia. Devem estar com inveja da nossa alegria, das vuvuzelas berrando sem parar, fogos de artifício, carros buzinando, inveja de um país pentacampeão de futebol. Eu não tenho inveja do povo da Dinamarca, temos algo em comum: a carga tributária, neste quesito sou um cidadão de primeiro mundo.


Luiz Ress Erdei gzero@zipmail.com.br

São Paulo


*

EXEMPLO DE CIDADANIA E ÉTICA


Em meio ao atual contexto tão desalentador, foi emocionante e animador assistir à bela cena em que o jogador Cristiano Ronaldo ajuda seu adversário contundido, o uruguaio Cavani, a retirar-se do campo. Um belo exemplo de cidadania e ética! Esta é uma grande lição a ser extraída da enxurrada de notícias banais que a mídia nos lança diariamente.


Izidoro Blikstein izidoro@blikstein.com

São Paulo


*

GOL CONTRA


Esperaram a copa para aumentar o valor dos planos de saúde. Mais um gol da ANS contra os consumidores.


Alcindo Garcia e-mail alcindogarcia@uol.com.br

São Paulo


*

BRASIL NO CAMINHO DO HEXA


Diferentemente dos corruptos da classe política, e alguns ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), que envergonham a Nação, os jogadores da seleção brasileira, com muita dignidade defendem o País! E no caminho do hexa, demonstrando crescimento dentro da competição na Copa da Rússia, vencem com sobriedade nas oitavas de final o México por 2 x 0! Com Neymar fazendo sua melhor partida, a seleção canarinha já está nas quartas de final. Faltam três jogos! O próximo na sexta- feira será contra a forte Bélgica! E sem esquecer as excrescências praticadas pelos nossos governantes, como protagonistas também do alto desemprego no País, 210 milhões de brasileiros comemoram a produtividade, e competência dos nossos atletas pela possível também, conquista de mais um título mundial...


Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos


*

SELEÇÃO E O SONHO DA 2.ª TURMA


No primeiro tempo tomamos pressão do México e marcamos bem, tanto que eles não chutaram sequer uma vez ao gol. Mas pecamos nos passes para o contra-ataque. Quando o fôlego mexicano passou nos tomamos à iniciativa, mas, pecamos nas finalizações. Já no segundo tempo, fizemos pressão, criamos jogadas e, com uma tabela entre Neymar e William fizemos um belo gol. Depois, com a entrada de Firmino, conseguimos ligar os contra-ataques e Neymar passou a armar o time. Aí, com uma bela arrancada, fizemos o segundo gol. Para o próximo jogo temos que melhorar os passes para o contra-ataque e Firmino tem de entrar logo em campo. Mas o ideal mesmo seria conseguir disputar as quartas na 2.ª Turma.


Jorge Nurkin jorge.nurkin@gmail.com

São Paulo


*

O CADINHO


Cada vez que a seleção de futebol galga mais um degrau e empolga o povo com a possibilidade do País conquistar a taça, mais ameaçadora é a natureza do que provavelmente está a ser preparado no cadinho calcinante do STF, visando a libertar mais criminosos corruptos, sem que a sociedade dedique um mínimo de foco sobre o gradual, mas imperceptível processo de deterioração da justiça brasileira, promovido por ministros suspeitos e engalfinhados com questões político-partidárias que influenciam suas decisões. Que venha logo a final no futebol e que ganhemos o hexa, antes que se concretize com mais solidez o cenário certa vez desenhado pela presidente da Corte, Cármen Lúcia, segundo o qual nenhum brasileiro acredita mais nas instituições.


Paulo Roberto Gotaç pgotac@gmail.com

Rio de Janeiro


*

CULPA DO JUIZ


Na Copa do Mundo da 2.ª Turma, o time “STF-Novo País” está perdendo de 3x2 (gols de Lewandowski, Toffoli e Mendes) para a equipe “STF-Velha Ordem”, e Lula poderá ser solto ao som dos fogos de artifício do futebol. A conferir.


Ricardo Siqueira ricardocsiqueira@globo.com

Niterói (RJ)


*

RECURSOS DE LULA


Os caríssimos advogados do chefão, só no processo do triplex, já entraram com 78 recursos, dos mais variados tipos e modelos, até de suspeição de Moro. Como sabemos com qual dinheiro estes causídicos são pagos, essa imensa variedade de petições “a la vontê” deles, chegam de enxurrada. Que absurdo esse funesto indivíduo, mais do que culpado – já provado – ainda ter tanto espaço nessa nossa Justiça. Chega, deve permanecer onde está e aguardar o resultado dos demais processos fazer com que suas penas cheguem a mais de 100 anos, o que, fatalmente acontecerá. Esse é o destino para ele, que os homens de bem do nosso Brasil exigem.


Carlos Eduardo Barros Rodrigues ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo


*

EX-PRESIDENTE CONDENADO


Absurdo escutar nos rádios e ler nos jornais pesquisa eleitoral para presidente, incluindo o nome de um presidiário, que está pagando pelo mal causado ao País. A imprensa escrita, falada, televisada, as redes sociais, etc., que querem o bem do país, não devem citar o nome dessa pessoa que infelizmente foi presidente deste Brasil. Ele não é ficha limpa, logo, não poderá concorrer a nenhum cargo eleitoral. O Brasil precisa crescer, andar pra frente e para cuidar dele tem um carcereiro.


Jorge Peixoto Frisene jpfrisene@zipmail.com.br

São Paulo


*

LEWANDOWSKI


O ministro Lewandowski, cuja principal qualidade é ter sido amigo da família Lula, é especialista em decisões surpresa. Manteve os direitos políticos de Dilma Rousseff contrariando a legislação que trata do impeachment, voltou de um longo período de afastamento para curar uma fratura (que não o impediria de continuar trabalhando) para dar liminar para garantir o reajuste do funcionalismo e, finalmente, deu liminar para retardar a privatização de distribuidoras de energia no último dia antes das – enésimas – férias forenses. É complicado sair do buraco com tanta gente nos empurrando para baixo!


Aldo Bertolucci aldobertolucci@gmail.com

São Paulo


*

‘OS CAPA PRETA’ PIRARAM?


O editorial do Estadão (1/7, A3) colocou o STF abaixo da pata do cavalo do bandido, como se usa dizer. Cá entre nós, ainda foi muito pouco. Coincidência ou não, a imprensa como um todo, especialmente nesse fim de semana “detonou” o Supremo e tudo mais que ali orbita. Só não chamaram os senhores ministros de santos. Estava demorando.


Maria Elisa Amaral marilisa.amaral@bol.com.br

São Paulo


*

‘MILITÂNCIA ANTIPRIVATIZAÇÃO’


Lewandowski e Renan desrespeitaram a Constituição mantendo os direitos políticos da cassada Dilma. Lewandowski desrespeita novamente a Constituição para impedir leilão da Cealc de Alagoas. Renan é senador por Alagoas. Renanzinho é governador de Alagoas. Cealc é cabidão de emprego em véspera de eleições. Isto está cheirando a... STF!


Carlos Roxo roxo.sete@gmail.com

São Paulo


*

A SUPREMACIA DO SUPREMO


A Suprema Corte de Justiça brasileira mostrou sua supremacia libertando inúmeros condenados e, aviltando o Congresso nacional, inclusive, legislando o que não é de sua competência, sem que os poucos mais de 300 picaretas fiquem calados. De fato, Gilmar Mendes tem razão, o Supremo voltou a ser supremo.


José Alcides Muller josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré


*

CASA DA SOGRA


Há dois graves perigos que ameaçam os brasileiros. O segundo, é que Lula pensa que a Segunda Turma do STF é a casa da sogra, e, aparentemente, ele tem toda a razão. O primeiro é que o brasileiro acostumou-se a viver na casa da sogra. Contanto que haja cerveja na geladeira e um churrasquinho depois da vitória do Brasil ou do time de cada um, há um desinteresse pelo processo político e pelo bem comum. As TVs, que, sendo concessão pública têm a obrigação moral, e isso é constitucional, de educar o cidadão, são utilizadas para promover esse desinteresse. Se existe um lema em nossa bandeira, vamos utilizá-lo de forma correta: as TVs, cumprindo o que está na Constituição, o brasileiro, saindo da poltrona e o STF fazendo justiça. Se isso não ocorrer, Brasília será considerada a capital da impunidade e o país cada vez mais conhecido mundialmente pela falta de credibilidade, o que é uma catástrofe para nossa sofrida economia.


Irene Dell' Avanzi irenedellavanzi@hotmail.com

Itapetininga


*

‘FUZUÊ ‘


O “Estado” (1/7, A3) analisa o desmantelamento do STF que, por incrível que possa ser, é executado pelos próprios integrantes da Casa. Interpretando a lei de forma esdrúxula, valendo-se de ardis, decidindo ao sabor de seus interesses pessoais – muitas vezes monocraticamente – a maioria dos atuais ministros age de forma a fazer com que o STF assuma “uma natureza escandalosamente autoritária”. O diagnóstico preciso feito pelo jornal expõe a deformidade que paradoxalmente transforma a Suprema Corte, na sua composição atual, em real ameaça à ordem democrática. Mais uma vez, cabe a nós cidadãos – da mesma forma pacífica com que nos manifestamos num passado recente – unirmo-nos para protestar e estancar esse descalabro. Se em julho suas excelências estão em férias, aguardemos agosto e escolhamos um dia para manifestar nosso repúdio ao foro privilegiado; a favor da prisão em segunda instância; e para que o Senado analise os pedidos de impeachment de ministros que dormem na gaveta de seu presidente. A luta por uma justiça limpa e igualitária é dever de todo cidadão.


Sergio Saraiva Ridel sergiosridel@yahoo.com.br

São Paulo


*

DIVERGÊNCIA NO STF


A divergência entre magistrados do Supremo Tribunal Federal sobre réus condenados em segunda instância na Lava Jato vem de encontro de decisão da própria Corte de 2016, que autorizou que uma pena só pode ser executada após o trânsito em julgado, quando todos os recursos da defesa foram esgotados. Mudar essa decisão como querem alguns deles é admitir o retrocesso ao soltar presos condenados, tornando o Brasil o paraíso da impunidade, onde vale a pena roubar, fraudar e aumentar o patrimônio ilegalmente com o dinheiro do contribuinte.


José Wilson de Lima Costa jwlcosta@bol.com.br

São Paulo


*

TOFFOLI


O ministro Toffoli, relator do processo de José Dirceu, e que concedeu ao condenado em segunda instância, liberdade de ofício (apenas por ele mesmo), contrariando o entendimento do colegiado do STF, criando, para tanto, um novo instituto jurídico chamado por ele de “alta plausibilidade jurídica no provimento dos recursos excepcionais”. Ou seja, declarou para todos nós que a turma de desembargadores que confirmou a sentença condenatória de Dirceu nada sabe sobre o Direito e suas minúcias técnicas. Ou teria o ministro demonstrado algo mais?


Marcelo G. Jorge Feres marcelo.gomes.jorge.feres@gmail.com

Rio de Janeiro


*

QUEM DESAFIA A JUSTIÇA


O ministro Luiz Fux disse ser inaceitável um inelegível “provocar” a Justiça para ser candidato. Eu fiquei pensando que, na verdade, quem faz isso são os advogados. Como também são eles que abriram as mais de 15 mil ações que queriam obrigar o pagamento compulsório do imposto sindical. E se eu pensar um pouco mais eu poderia fornecer muitos outros exemplos. Estariam os advogados brasileiros desafiando a própria Justiça que deveriam estar defendendo? Será que não há um limite entre o direito de defesa e o escárnio?


Sandra Maria Gonçalves novosandgon@terra.com.br

São Paulo


*

INVESTIGAÇÃO DO STF


Agora já se sabe que o STF precisa ter um órgão fiscalizador composto por integrantes de todos os poderes da República. A Carta Magna precisa ser alterada para tanto e para a admissão de novos ministros. As medidas são de urgência urgentíssima!


José Carlos de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro


*

OLHO VIVO


Coincidentemente, as manobras na Suprema Corte contra prisão em segunda instância e a Lava Jato avançam com a proximidade do fim do governo Temer, quando tantos estarão sem imunidade parlamentar. Coincidência entre “nós” e “eles”.


José Roberto Sant’Ana jrsantana10@gmail.com

Rio Claro


*

ESTADO X NAÇÃO


Sob “Estado x Nação”, quase todos os pronunciamentos publicados retratam o absurdo que estamos vivendo por conta da atuação do Judiciário. Pior ainda porque há sentenças e acórdãos que fazem nossos professores se revirarem em seus túmulos.


Carlos Arthur Christmann Lavinox@terra.com.br

Itu


*

PESQUISAS ELEITORAIS


A tática do PT e parte da mídia é manter o nome do Lula nas pesquisas até onde der, para depois tentar transferir seus votos a quem for substituí-lo. Os institutos de pesquisa e principalmente o Datafolha se prestam a essa farsa.


José Paulo Cipullo j.cipullo@terra.com.br

São José do Rio Preto


*

ELEIÇÕES


Data vênia, Bolsonaro e Marina não lideram nada, eles estão muito longe de brancos, nulos e abstenções!


Francisco José Sidoti fransidoti@gmail.com

São Paulo


*

DEVERES ELEITORAIS


Os eleitores e os candidatos a presidente deveriam ler as afirmações de Fernando Henrique e Celso Pastore e outros no “OESP” de 1/7. E também assistir a série da Netflix "Designated Survivor".


Carlos Roberto Salimeno profsalimeno@ig.com.br

São Paulo


*

RADICAL


Pois é, sr. FHC, ex-presidente do Brasil, temos que ser radicais, mas quem manda mesmo é o povo? Parece que finalmente nossa democracia chegou a ponto tal que quem vai determinar os rumos do País são os eleitores, os que estão nessa massa amorfa, chamada povo, em que jovens dominam sem a estrutura que a idade impugna aos magistrados, a despeito de Lewandowski, Toffoli e Mendes. A preocupação entre o menos ruim e o pior é o que está por vir, a partir de outubro deste ano 2018. Por quem apostas? Seria possível ouvir de sua boca e letras, que poucos leem que o melhor candidato é o Alckmin? Ou temes enfrentar o Lula “carcerante”, e outros não vacilantes ideológicos, uns aptos e não convincentes e outros inaptos e inconvenientes, que desestruturam o panorama? Saravá, “mermão”, tá na hora de se radicalizar, mesmo!


Carlos Leonel Imenes leonelzucaimenes@gmail.com

São Paulo


*

‘SEJAMOS RADICAIS’


Com a elegância e propriedade com que sempre se conduziu, Fernando Henrique Cardoso (1/7, A2) dá mais uma aula de brasilidade e de bom senso, procurando iluminar os caminhos que se mostram tão nebulosos para a população brasileira, independente de classe social ou nível de cultura. Espero que candidatos como Geraldo Alckmin e Álvaro Dias, no meu entender os mais confiáveis e candidatos perfeitos para uma parceria invencível, compartilhem do que está escrito no “Espaço aberto” de 1.º de julho passado, e que conduzam suas campanhas dentro do mesmo padrão moral e do mesmo espírito de brasilidade.


Carlos Icarahy Gonçalves icarahyrg@uol.com.br

São Paulo


*

POR QUE NÃO TE CALAS?


Enfim uma boa notícia: FHC deixará de publicar sua coluna no período eleitoral. A má notícia: escreve várias platitudes no artigo “Sejamos radicas”, só para pregar a união das esquerdas, desde a fabianista até a mais radical para enfrentar e evitar a vitória do pré-candidato Bolsonaro, nome que ele não tem coragem de citar. Acho que está mais do que na hora de FHC receber aquele conselho: por que não te calas?


Marco Antonio Esteves Balbi mbalbi69@globo.com

Rio de Janeiro


*

VAMOS RADICALIZAR


Falando sete idiomas, membro da Academia Brasileira de Letras, erudito, bem apessoado, rico, se relaciona muito bem com mulheres e outras características que não servem de nada ao País, FHC publicou artigo que é ruim desde o título. Perdeu uma ótima oportunidade de ficar quieto. Qualquer leitor com suas simples cartas produzem relatos milhares de vezes melhor que ele. Não ajudou em nada. Lamentável ver a derrocada de um ser.


Paulo H. Coimbra de Oliveira ph.coimbraoliveira@gmail.com

Rio de Janeiro


*

SERÁ?


Lendo o artigo de Carlos Alberto Di Franco “O Brasil pode dar certo” (2/7, A2) penso se não é uma expectativa otimista demais. Num país onde o Poder mais confiável é o Judiciário, que não tem seus integrantes oriundos de sufrágio, do contrário, têm sua cúpula composta por 11 intelectuais envaidecidos e nem sempre imparciais, não consigo apegar-me aos dados trazidos pelo colunista para me animar. Olho para um povo muito mal educado (por culpa da falência da educação nacional), doentes sem tratamento (sem um sistema de saúde funcional), e crianças, adultos e policiais assassinados (demonstrando a deterioração da Segurança Pública), e não sou convencida por Di Franco.


Andrea Metne Arnaut andreaarnaut@uol.com.br

São Paulo


*

POUPATEMPO E A ESPERANÇA


Que tristeza! Em um país onde grandes criminosos contam com o beneplácito de supremos juízes para permanecerem impunes e continuarem roubando o povo, devemos ficar felizes e esperançosos porque temos um programa/sistema que reduz o tempo gasto com burocracia que só existe em países subdesenvolvidos. Qualquer país decente dispensa a necessidade de um poupa tempo justamente porque em tais países não existem jabuticabas como nota fiscal, título de eleitor, carteira de identidade e carteira de habilitação, dentre outras.


Celso Francisco Alvares Leite celso@celsoleite.com.br

Limeira


*

POUPATEMPO


Gostaria de agradecer o reconhecimento ao serviço Poupatempo, feito pelo professor Carlos Alberto Di Franco, no artigo “O Brasil pode dar certo” (2/7, A2). A citação do Poupatempo como exemplo de um serviço público eficiente mostra que estamos no caminho certo. Vamos continuar trabalhando para aprimorar esse programa em prol das pessoas, da economia e de uma boa gestão de recursos públicos.


José Valter da Silva Jr.,

Coordenador de Serviços ao Cidadão, Coordenador Tecnologia da Informação e Comunicação


*

O BRASIL QUE DÁ CERTO


Em nome dos 13 mil colaboradores das 72 unidades do Poupatempo, incluindo os terceirizados, gostaria de agradecer as palavras do professor Carlos Alberto Di Franco no artigo “O Brasil pode dar certo”. Para nós é uma enorme satisfação o destaque dado ao programa criado há 20 anos pelo então governador Mário Covas para desburocratizar e facilitar a vida do cidadão. Nesta terça-feira, vamos colocar em pré-operação mais uma unidade do Poupatempo, agora no município de São Vicente, e estamos espalhando totens de autoatendimento do Poupatempo em supermercados, shoppings, estações do Metrô e da CPTM. Com novas tecnologias, no futuro queremos resolver tudo de forma ainda mais fácil, sem que os usuários precisem se deslocar até o Poupatempo.


Ilídio Machado,

Diretor de Serviços ao Cidadão da Prodesp, empresa responsável pela gestão do Programa Poupatempo


*

A DÍVIDA DO BRASIL


A dívida trilionária do Brasil poderia ser paga se fossem tomadas algumas medidas simples: extinção do fundo eleitoral, taxação do lucro das igrejas, desapropriação e confisco dos bens das empresas, empresários e políticos condenados por crimes de corrupção, venda de todas as empresas estatais, confisco e repatriação do caixa 2 dos políticos e dos partidos.


Mário Barila mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo


*

PRESIDENTE DO MÉXICO


Andrés Manuel López Obrador foi o vencedor do pleito para presidente do México. Advogado de causas indígenas, quando jovem, e prefeito da capital, há uma década, López Obrador construiu reputação de austero. A plataforma anticorrupção foi fundamental para a vitória, frente ao fracasso político do Partido Revolucionário Institucional (PRI) nos últimos seis anos. Entretanto, não há mudança por ato de vontade sem reformas estruturais para erradicar os altos níveis de corrupção e, ao mesmo tempo, defender aumento dos gastos sociais. O enorme índice de violência urbana e a guerra às drogas são temas que também desafiam o futuro governo.


Luiz Roberto da Costa Jr lrcostajr@uol.com.br

Campinas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.