Fórum dos Leitores

.

O Estado de S.Paulo

05 Julho 2018 | 03h00

ECONOMIA

Aumento criminoso

Considerando a inflação acumulada, da ordem de um dígito, nos últimos anos, a cobrança extorsiva de um aumento de 15% nas contas de energia da Eletropaulo é um crime contra a economia popular. A desculpa é que repassaram aumentos das empresas geradoras de energia que criaram a bandeira vermelha para cobrir os custos adicionais da geração termoelétrica. E então, subiu também 15% o custo da geração nas hidrelétricas e eólicas? Onde está o Ministério Público para coibir este violento abuso contra milhões de indefesos consumidores?

EDUARDO KUBRIC

ekubric@terra.com.br

São Paulo

Reajuste abusivo

Nada justifica esse reajuste médio abusivo de 15,84% na energia elétrica, autorizado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), nas tarifas da Eletropaulo, que prejudicará milhões de consumidores da Região Metropolitana de São Paulo. Ora, se a inflação acumulada nos últimos 12 meses até maio não ultrapassa os 3%, como é possível que se autorize reajuste cinco vezes maior que o índice inflacionário?! Não pode ser uma decisão séria...

PAULO PANOSSIAN

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

Preços (des)controlados

Como sempre fazem aqui, no Brasil, sem o menor constrangimento deliberam aumentos a bel-prazer, como fez agora a Aneel, aumentando absurdamente em 15% a conta de luz em São Paulo. Ou seja, a população que se dane e se vire para pagar. Da mesma forma agiram os responsáveis de cada área para reajustar o preço dos combustíveis, do gás, da água, etc. Se a intenção desse governo é nos escorchar para nos dizimar, está atingindo plenamente o objetivo. E ainda se dão ao luxo de afirmar, com o maior cinismo e cara de pau, que a inflação para o ano 2018 será de 4,03%. Mas o pior é termos de conviver a cada dia com eles fazendo o que bem entendem, dando-se o direito de cometer outros despropósitos, como aumentar o salário mínimo em 1,81%, ou míseros e ridículos R$ 17 mensais. Fizeram o mesmo com os pobres, massacrados e escorchados aposentados e pensionistas, reajustando seus benefícios em 2,07%. E aí?

ANGELO TONELLI

angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

Custo da vida e da morte

Todos sabemos como é caro sobreviver neste país, onde a inflação é maquiada e os preços, cada vez mais aviltantes. Manter um convênio médico está a cada dia mais inviável, é um luxo para poucos, mormente em função dos seguidos e generosos reajustes concedidos pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), órgão do governo que atua em favor das milionárias operadoras dos planos de saúde. No caso de morte, a situação é praticamente a mesma, embora a “máfia” seja outra. Em São Paulo, por exemplo, o Serviço Funerário da Prefeitura também elitiza os seus preços. Morrer, por aqui, custa caro, muito caro. Um arranjo de flores, por exemplo, chega a custar cerca de R$ 900, quase um salário mínimo, sem contar os enfeites florais no caixão do defunto. Somando outras despesas, mais a cremação, o funeral atinge quase R$ 4 mil, só em itens básicos. As queixas são muitas, mas providências, quase nenhuma. Num momento de fragilidade e dor, constata-se a crueldade de quem só pensa em arrecadar.

ELIAS SKAF

eskaf@hotmail.com

São Paulo

Outro cabidão

As passagens aéreas subiram 7,9% no primeiro trimestre de 2018, segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Mais uma agência que cuida somente dos interesses das empresas, neste caso, as aéreas. Quando liberaram a cobrança da bagagem, alardearam que os preços das tarifas cairiam. Exemplo típico de cabide de empregos apinhado de afilhados de políticos que não servem para nada.

JOSÉ ROBERTO NIERO

jrniero@yahoo.com.br

São Caetano do Sul

Desgraça pouca é bobagem

A greve de caminhoneiros fez a produção industrial cair 10,9%, como aponta o IBGE. Conclusão: o que já era ruim ficou pior.

VIRGÍLIO MELHADO PASSONI

mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

Dívida do BNDES

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) deve R$ 500 bilhões ao Tesouro Nacional. Trata-se de um absurdo. Isso é resultado da posição plenipotenciária de que “basta ter vontade política”, posta em prática por governos ignorantes em economia ou conscientemente criminosos. As Constituições deveriam reservar ao Poder Legislativo a prerrogativa de decidir sobre o patrimônio público, tanto financeiro como material, porque tais recursos pertencem aos cidadãos, à Nação, e não ao Executivo circunstancial.

HARALD HELLMUTH

hhellmuth@uol.com.br

São Paulo

Brasil de outrora

Sou do tempo em que se dizia que o Brasil seria o celeiro do mundo. Só não imaginava, naquela época, que seríamos, na realidade, o país campeão das falcatruas, da corrupção, de políticos ladrões e de empresários corruptores. O nosso eleitorado é comprado, por politiqueiros profissionais, por um punhado de moedas, um pão com mortadela. Para eles, os do poder, os salários são altíssimos e os penduricalhos, incontáveis: é plano de saúde de Primeiro Mundo, extensivo a toda a família, é auxílio-moradia, é verba de gabinete, é carro com motorista 24 horas por dia... Enfim, para eles, tudo, e para o povo nem o básico. E o pior é que nem sequer reclamar podemos, somos obrigados a engolir a nossa Justiça máxima (STF) fazendo parte desse maldito esquema. Tudo implantado lá atrás, por elle, o homem mais honesto do Brasil.

ARNALDO DE ALMEIDA DOTOLI

arnaldodotoli@uol.com.br

São Paulo

ELEIÇÃO NO MÉXICO

Foro de São Paulo

A grande mídia esconde do seu público a verdade sobre o sr. López Obrador, presidente eleito do México, e seu partido, o Morena. Trata-se de uma organização criada pelo próprio, filiada ao Foro de São Paulo, visando a alcançar o poder no México. Não se iludam, pois o caminho por ele trilhado será o mesmo já percorrido, com menos ou mais sucesso, em direção ao castrismo cubano ou à venezuelização maduro-chavista, ainda não abortado, como o foi em outros países, como a Argentina, o Equador e o Brasil. Portanto, fora PT e seus puxadinhos signatários do Foro de São Paulo!

MARCO ANTONIO ESTEVES BALBI

mbalbi69@globo.com

Rio de Janeiro

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

 

ELEIÇÕES 2018

 

A três meses das eleições, o maior porcentual apurado nas pesquisas é o de votos nulos e brancos, que chegam a 42%. Lideram os dois mais extremados postulantes à Presidência – Bolsonaro e Ciro – que somam 30%. Para bater os brancos e nulos, precisaria a ela se somar também as intenções de voto do terceiro e do quarto colocados. O quadro aponta para um desastre eleitoral com o risco do eleito não representar parcela majoritária do eleitorado. O País está saindo da grave crise que viveu nos últimos três anos. O momento requer um governo sério e com credibilidade. Se tivermos na Presidência alguém não confiável, o investidor estrangeiro não enviará o seu dinheiro para cá e até os brasileiros continuarão colocando seus recursos no Paraguai, na China e em outros mercados mais atrativos. É imperativo convencer o eleitor de que a ausência e os votos nulos ou brancos servirão apenas para potencializar a crise e o sofrimento do povo, pois esse protesto não pesa nas eleições. Elas são preparadas para se concretizar apenas com os votos depositados nas urnas, mesmo que sejam minoria em relação ao universo do eleitorado.

 

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

 

*

DIVULGAÇÃO DE PESQUISAS ELEITORAIS

 

Faltando três meses para a eleição, há motivos para se preocupar com a divulgação das pesquisas eleitorais: 1) Há quebra não intenção de voto para presidente porque este será o sexto, na ordem invertida da urna eletrônica, quando se vota por número e não por nome de candidato (sistematicamente o resultado da eleição tem ficado fora da margem de erro da pesquisa de boca de urna); 2) O eleitor não entende que o alto índice de votos nulos e em branco causa diminuição da intenção de voto, mas o efeito estatístico considera apenas a porcentagem de votos válidos que aumenta os índices, quando aqueles são desconsiderados; 3) As pesquisas para o Senado consideram dois votos, embora cerca de metade dos eleitores só descubra isso na véspera da eleição, quando ocorre uma clara distorção do resultado em relação às pesquisas, que não captam o movimento da segunda intenção de voto no fim de semana da eleição; 4) Depois de 15 de agosto, obrigatoriamente todas as pesquisas devem mencionar todos os candidatos registrados para disputar a eleição, sob risco de liminar impedir divulgação de resultado, independentemente do julgamento de impugnação até 17 de setembro, portanto, não podendo haver exclusão de nomes nas pesquisas eleitorais; 5) Pesquisa com substituição de candidato só pode ser registrada após 17 de setembro, quando faltaria menos de três semanas para o pleito, o que mudaria totalmente o cenário político e impactaria o eleitorado; 6) Sem a substituição de candidatura impugnada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), os votos anulados forçariam a convocação do 2.º e 3.º colocados para disputar o segundo turno das eleições.

 

Luiz Roberto da Costa Jr. lrcostajr@uol.com.br

Campinas

 

*

MAIS PERDIDOS DO QUE...

 

Abre-se as páginas dos jornais, ouve-se nos noticiários das emissoras de rádio e TV e o que mais se nota é a verdadeira balbúrdia partidária para organizar uma chapa minimamente competitiva para concorrer ao cargo máximo da Nação. Assustados e apavorados com a rejeição da opinião pública, que ao que parece vai reagir nas urnas pela abstenção, votos nulos ou branco, os candidatos tentam se articular em alianças  estapafúrdias, inacreditáveis, mesmo. É partido de esquerda tentando atrair gente de direita; é partido de esquerda se dizendo de centro; é partido de esquerda dizendo que nem é tão de esquerda assim. Neste cenário, em que todos batem cabeça, um condenado quer se tornar candidato, mas mira mesmo um poste, de novo (?), mas quem se consolida mesmo como candidato viável é o deputado ex-capitão. Aguardemos o registro das candidaturas em agosto.

 

Marco Antonio Esteves Balbi mbalbi69@globo.com

Rio de Janeiro

 

*

MINISTROS DO STF

 

Parece que alguns ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) não sabem ou não querem exercer suas funções conforme determina a Constituição. Ao contrário, mudam trechos da mesma, avançam sobre competências de outros Poderes. Foi o caso lamentável do ministro Ricardo Lewandowski quando em conluio com o presidente do Senado Renan Calheiros, manteve os direitos políticos da ex-presidente Dilma Rousseff. Em 2017, voltou de licença de saúde no último dia de funcionamento da Corte para interferir em ato exclusivo do Executivo quando manteve aumento de salários para a casta já privilegiada servidores federais. Agora, usurpando mais uma vez uma função que não cabe a ele, adotou uma posição claramente política ao impedir o leilão da Companhia Energética de Alagoas e criou restrições à venda de empresas estatais. Segundo o “Estadão” (2/7, B1) as subsidiárias da Eletrobrás acumulam prejuízos de R$ 22 bilhões. Continuam cabides de empregos bem remunerados com recursos pagos pelos brasileiros. Mesmo privatizadas deixarão esqueletos quase impossíveis de se pagar. Para não ficar só na área econômica, surgem agora os estranhos despachos do ministro Dias Toffoli, do STF. Depois de mandar o presidiário José Dirceu para a casa, ainda cassa as decisões cautelares impostas pelo juiz Sérgio Moro; nos dois casos, sem nem mesmo ser objeto de pedidos por parte dos advogados de Dirceu. Lembrar que Toffoli foi subordinado a José Dirceu no governo petista e só isso já deveria ser motivo de impedimento tanto no mensalão como no petrolão. Uma vergonha.

 

Éllis A. Oliveira elliscnh@hotmail.com

Cunha

 

*

PROTAGONISMO

 

Dizer que os ministros do Supremo Tribunal Federal não tomam decisões políticas é querer tapar o sol com peneira ou, então, muita ingenuidade, que me perdoe a ministra Cármen Lúcia. Como explicar a proibição da venda do controle de estatais sem autorização do Congresso determinada pelo ministro Ricardo Lewandowski? E a atitude de Dias Toffoli, livrando José Dirceu da obrigação do uso de tornozeleiras, sem nem mesmo ser estimulado por um pedido da defesa do réu, como se ainda advogasse para ele e o PT? O que nós podemos esperar quando setembro vier e a Presidência do STF passar de Cármen Lúcia para Toffoli? Justamente num convulsionado ano eleitoral e quando a prisão de Lula está sendo motivo para movimentações jurídicas sem fim por parte da equipe de defesa do ex-presidente, correndo atrás de sua liberdade? Afinal, Toffoli, ex-advogado do Partido dos Trabalhadores, presidirá o STF com toda a falta de isenção que já vem demonstrando nas suas decisões e já contando com o apoio manifestado por Marco Aurélio Mello, que explicitou “confiar no taco” de Dias Toffoli! Convenhamos, nunca em nossa história política o STF desempenhou um protagonismo como hoje, muito mais que os Poderes Legislativo e Executivo juntos! Não conhecemos os nomes de nossos ministros de governo, mas o nome dos 11 ministros do elenco do STF estão na ponta de nossa língua! A minha conclusão é simples: estamos sob uma ditadura do Poder Judiciário, em que alguns de seus membros se arvoram no direito de decisões monocráticas que, no geral, vão de encontro à sensibilidade e a vontade do povo, sem que possamos reagir de forma alguma. Isso não se vê em país democrático algum! Estamos num estado de exceção? O que podemos esperar do futuro com esse Supremo Tribunal Federal?

 

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

 

*

DESMORALIZAÇÃO DO STF

 

Por que os juízes de primeira e segunda instância cumprem a Constituição Federal, quando deixam de julgar por impedimento ou suspeição pessoa de seu relacionamento e os ministros da Corte não cumprem essas ilegalidades, desmoralizando esta instituição?

 

José Wilson de Lima Costa jwlcosta@bol.com.br

São Paulo

 

*

PROGRAMA PARA A JUSTIÇA

 

Seria de bom alvitre que algum candidato à Presidência da República trouxesse a público o seu programa para as remodelações no Poder Judiciário. Não poderia esquecer-se de que o Supremo Tribunal Federal precisa sofrer sensíveis alterações em sua composição e na forma de admissão dos ministros. Como está não pode ficar, porque os exemplos excluem o modelo. As admissões não podem ficar a critério exclusivo do presidente da República, com uma sabatina acordada do Senado. Membros do Ministério Público, OAB e do próprio Judiciário precisam fazer parte do processo de escolha. Se assim já fosse, muitos dos eleitos não seriam os escolhidos!

 

José Carlos de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

 

*

MORO X TOFFOLI

 

Moro ou Toffoli. Não dá para comparar. Vinho ou água? Trigo ou joio? Um juiz concursado com mestrado, doutorado, pós-doutorando, etc. Outro não passa de um rábula da periferia de São Paulo. Prestou favores a criminosos e por estes foi devidamente recompensado. O máximo que poderia ser no STF é acomodar os ministros em suas cadeiras e servir cafezinho. E com supervisão, senão...

 

Paulo H. Coimbra de Oliveira ph.coimbraoliveira@gmail.com

Rio de Janeiro

 

*

INDECENTE LIBERDADE

 

Como sou leiga no assunto, pois não possuo notável saber jurídico, pensei que qualquer réu, qualquer um julgado e condenado em primeira e segunda instância cumprisse a pena na cadeia.

 

Marisa Bodenstorfer baica53@googlemail.com

Alemanha

 

*

‘VENEZUELIZAÇÃO’ DO STF?

 

Quando vejo as posições tomadas por Toffoli, Lewandowski, Gilmar Mendes e Marco Aurélio, do STF, contra a Lava Jato e em prol de bandidos, vejo como foi importantíssimo o impeachment de Dilma Rousseff. Se eles permanecessem ou voltarem, o nosso, com exceções, STF será “venezuelizado”, tornando-se o Tribunal Supremo de Justiça (Venezuela) que só faz o que Maduro manda. Cruz credo aprendam em quem não votar!

 

Tania Tavares taniatma@hotmail.com

São Paulo

 

*

DIAS TOFFOLI

 

Dispõe o Código de Ética da Magistratura, em seu artigo 1.º: “O exercício da magistratura exige conduta compatível com os preceitos deste Código e do Estatuto da Magistratura, norteando-se pelos princípios da independência, da imparcialidade, do conhecimento e capacitação, da cortesia, da transparência, do segredo profissional, da prudência, da diligência, da integridade profissional e pessoal, da dignidade, da honra e do decoro”. Em decisão monocrática, no dia 1.° de junho, o ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal, negou habeas corpus (HC 143.921 MG) a um homem condenado pelo furto de uma bermuda que custava R$ 10, sob o fundamento de que a jurisprudência do STF impede a aplicação do princípio da insignificância a réus reincidentes, como era o caso. Em 26 de junho, Toffoli concedeu habeas corpus de ofício para o ex-ministro José Dirceu – condenado em 2.ª instância a 30 anos e 9 meses, porque vislumbra “uma grande chance (sic) de a pena do ex-ministro ser reduzida, o que justifica a suspensão dos efeitos de sua condenação até que o caso seja analisado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ)”.

 

Sergio Saraiva Ridel sergiosridel@yahoo.com.br

São Paulo

 

*

PARABÉNS

 

Parabéns! Dias Toffoli, ministro do STF, mostrou a verdade. Com sua falta de capacidade (não passou em concurso para juiz) e mercenarismo, mostrou que o STF é um balcão de negócios. Mostrou que o STJ e TSE não servem para nada bem como o CNJ. Mostrou que a OAB é covarde e não presta para nada. Toffoli mostrou que mesmo os mais brilhantes juristas do País não têm valor diante de seu poder arbitrário. A ditadura da corrupção mostra que é pior que os dias mais sombrios da ditadura militar. Se antes tínhamos o regime de exceção, hoje não temos nenhuma segurança jurídica. O crime venceu a Justiça? Nosso Poder Judiciário é uma vergonha. E suas excelências juízes, promotores, etc. ficarão calados diante dessa iniquidade?

 

André Luis Coutinho arcouti@uol.com.br

Campinas

 

*

REPRIMENDA

 

Já que o ministro do STF Dias Toffoli, não tem mestrado nem doutorado, não tem obra jurídica publicada e não passou em concurso público para a magistratura paulista, ou seja, não tem competência para exercer tal cargo, mas, como foi empregado do PT e de José Dirceu no governo Lula, e agora, age em ato de ofício para libertar o seu ex-patrão e negar o uso da tornozeleira eletrônica, com o claro intuito de no futuro libertar o ex-patrão mor. Está na hora da mamãe Cármen e do titio Celso de Mello darem uma reprimenda no filho novato pelos erros cometidos, sob pena de todos nós brasileiros honestos termos que fazê-lo, colocando este atual STF, aí sim, em verdadeiro descrédito.

 

Darci Trabachin de Barros darci.trabachin@gmail.com

Limeira

 

*

PRESIDÊNCIA

 

Em setembro próximo, sob nova Presidência, o STF vai virar o “Supremo Toffoli Federal”. Dali por diante, será o que Deus e ele quiserem...

 

J.S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

 

*

CORREÇÃO DE RUMO

 

Ao mandar soltar José Dirceu, condenado a 30 anos e 9 meses por corrupção ativa, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro, a 2.ª Turma do STF, composta por Gilmar Mendes, que acaba de afirmar publicamente que a prisão de Lula é absurda, Ricardo Lewandowski, nomeado em 2006, dotado, desde sempre, de postura claramente favorável ao projeto petista de governo, e Dias Toffoli, proponente da soltura, com reduzidas qualificações jurídicas mas com passado de consultoria na CUT e como advogado em campanhas e na liderança do PT, deu mostras inequívocas da existência de influência política nas deliberações do órgão mais importante do Judiciário. A presidente Cármen Lúcia bem que poderia tentar corrigir este rumo, em vez de declarar, sem convencer, que seus comandados não decidem sob tal influência.

 

Paulo Roberto Gotaç pgotac@gmail.com

Rio de Janeiro

 

*

CONDENADO A 30 ANOS É SOLTO NO BRASIL

 

José Dirceu, condenado a 30 anos de prisão foi solto pela 2.ª Turma do STF, e sem o uso de tornozeleira, face aos bons antecedentes de nunca ter fugido, de nunca ter se escondido, de nunca ter se disfarçado de outra pessoa, de não ter sido guerrilheiro para implantar o comunismo no Brasil, sendo, portanto, boa pessoa no entender do STF. Os autores dessa suprema decisão foram os senhores Toffoli, Lewandowski e Gilmar Mendes. O condenado foi solto pelos três ministros por habeas corpus, sem que tal pedido fosse pleiteado pela defesa. Como fica a decisão do pleno do STF de 6 x 5 a favor da prisão em segunda instância? Esses três ministros podem mais do que a maioria?

 

Alpoim da Silva Botelho alpoim.orienta@uol.com.br

São Paulo

 

*

CARA DE PAU

 

Os políticos do Partido dos Trabalhadores, bem como os políticos da esquerda em geral, acusam de maneira vexatória e cansativa o juiz Sérgio Moro de praticar uma justiça parcial em seus julgamentos e perseguir o demiurgo de Garanhuns politicamente, mesmo este juiz tendo condenado políticos de outros partidos (MDB, PP, etc.). O que nós, povo brasileiro podemos acusar o ministro do STF, Dias Toffoli, que mesmo sendo ex-assessor da Casa Cível quando Zé Dirceu era ministro do PT e também por ter sido por longo período advogado do PT, não se considerou impedido de julgar um habeas corpus inexistente para soltar o seu ex-chefe da cadeia e ainda o beneficiar pelo não uso da tornozeleira eletrônica. Esta atitude do ministro Dias Toffoli foi um verdadeiro desprezo pelo trabalho incansável da Lava Jato e pela luta hercúlea do povo brasileiro contra a corrupção e mau uso do dinheiro público. E dá-lhe Copa do Mundo!

 

Antonio Carelli Filho palestrino1949@hotmail.com

Taubaté

 

*

LEI DE EXECUÇÕES PENAIS E OS PRESOS DE GRIFE

 

É no mínimo estranho que pessoas sentenciadas após um justo e exaustivo processo legal possam ir ao twitter, redes sociais e até mesmo comentar jogos de futebol em canal de TV usando destes meios de comunicação para protestar contra suas sentenças, dizendo que são injustas, culpando juízes e promotores e espalhando inverdades! José Dirceu e Lula fazem isto todos os dias e as favas a Lei e Execuções Penais que, ao me consta, não faz exceções a “presos de grife”. Alguém está errando (e feio) nas liberdades concedidas a estes dois apenados e provavelmente é o Ministério Público de forma omissa ou ainda, algum juiz, permissivamente! Ou a Lei e Execuções Penais é igual para todos ou não é lei.

 

Paulo Boccato pofboccato@yahoo.com.br

São Paulo

 

*

‘A ESQUERDA E A CORRUPÇÃO’

 

A articulista Vera Magalhães (4/7, A6) fala da esquerda e a corrupção, não querendo enxergar que o PT já nasceu podre desde o começo nos tempos do ABC paulista, sendo seu discurso mera retórica vazia para fins de propaganda, pura demagogia e hipocrisia. O assassinato de Celso Daniel já no início, mostra que para se chegar ao poder e depois ficar nele, sempre foi a grande preocupação, ou seja: “o poder pelo poder”, seguido de incontáveis atos de corrupção e crimes de sangue que se vai hoje gradativamente descobrindo.

 

Ulf Hermann Mondl hermannxx@yahoo.com.br

São José (SC)

 

*

VÊ SE PODE

 

Vê se pode! Desde quando condenado escolhe quem julgar o recurso que possa beneficiá-lo? Escolher o advogado pode, mas escolher o juiz não. Os advogados de Lula, num dos inúmeros recursos em curto espaço de tempo, recorreram ao STF e que o ministro Fachin vai submeter ao pleno. Insatisfeitos, mesmo ainda não analisado pelo pleno, os advogados de Lula entraram com outro recurso do mesmo teor, querendo que seja apreciado pela Segunda Turma, mas especificamente sob a liderança de Lewandowski, Gilmar Mendes ou Celso de Mello ou Dias Toffoli. O STF tem obrigação de mostrar independência, o dever de demonstrar brio, julgar com transparência e imparcialidade respeitando a fila dos demais processos.

 

Humberto Schuwartz Soares

Vila Velha (ES)

 

*

SEMELHANÇAS

 

Lula critica STF e diz que não há razões para acreditar que terá Justiça. Ditadorzinho, que quer todos os outros poderes girem em torno dele e que não o contrariem. Qualquer semelhança com os bolivarianos Maduro e Evo, os “manos” Castro, não é mera coincidência.

 

José Roberto Niero jrniero@yahoo.com.br

São Paulo

 

*

NOVA SENTENÇA

 

Segundo consta, o juiz Sérgio Moro poderá sentenciar o processo do heptarréu Lula da Silva, no caso do sitio de Atibaia, até outubro próximo. Que se preparem os tribunais, desta vez, certamente, serão muito mais do que singelos 78 recursos – interpostos no caso do triplex –, caso haja condenação, o que é praticamente certo!

 

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

 

*

MENSAGEIRO

 

Com Lula convidando Fernando Haddad como seu mais novo advogado e, portanto tendo acesso às dependências da Polícia Federal onde está preso, (não entendo por que lá), fazendo um escritório eleitoral. Isto pode, também?

 

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

 

*

CAUSÍDICO TRIO DE ADVOGADOS

 

Com o renomado trio de criminalistas formado por Cristiano Zanin Martins, chicaneiro, Sepúlveda Pertence, advogado de porta de STF e Fernando Haddad, rábula, atuando na defesa jurídica de Lula, muito provavelmente o ex-presidente desta República jamais obterá êxito (ou vitória) na sua criminal causa. Ou seja, Lula continuará no xilindró. O advogado “criminalistíssimo” Márcio Thomaz Bastos, certamente, conseguiria uma prisão domiciliar para Lula. Mas o ex-ministro da Justiça de Lula não aguentou tanto crime da companheirada. E morreu.

 

Ney José Pereira neyjosepereira@yahoo.com.br

São Paulo

 

*

ARRUMANDO AS MALAS

 

Eu estou perdendo a esperança de ter o Brasil que eu e milhões de outros brasileiros queremos. Se pudéssemos fazer mudanças em todos os poderes, sem dúvida alguma poderíamos conseguir êxito. Mas por intermédio do voto, só podemos mexer em dois. Quando vejo encarcerados condenados pela Lava Jato, arrumando as malas para fazerem o caminho de volta, ou seja, conseguindo liberdade plena, fico indignado. Vejo cair por terra o dito “vence a maioria”. É estarrecedor ver o que uma meia dúzia de autoridades vem fazendo. No frigir dos ovos, é muito provável que o juiz Sérgio Moro seja condenado. Acorda Brasil. Essa apatia não é aceitável. Os valores estão sendo invertidos e isso é lamentável.

 

Jeovah Batista jeovahbf@yahoo.com.br

Taquari (DF)

 

*

ESPERANÇA, APESAR DA CRISE

 

Apesar da grande crise ética, política e econômica que vivenciamos, não podemos deixar de ter esperanças que possamos superar o atual momento crítico que vivemos. Os processos judiciais que estão sofrendo parte de nossas lideranças da gestão pública e da iniciativa privada são sintomas de que nem tudo está perdido entre nós. Urge assim, que no próximo pleito eleitoral que se aproxima, tenhamos cuidadosas escolhas no sentido de elegermos novos e ilibados candidatos aos cargos de todos os escalões dos poderes do País.

 

José de Anchieta Nobre de Almeida josedalmeida@globo.com

Rio de Janeiro

 

*

CONTAS  DEFICITÁRIAS

 

O maior gasto dos governos são as folhas de pagamento dos servidores públicos, adendos e aposentados. Enquanto os desgovernos do PT causaram desemprego de mais de 12 milhões de funcionários de empresas privadas – queda no faturamento e nos lucros, aumento na dispensa de funcionários, questão lógica – os governos não demitiram ninguém, após vários anos de contas negativas. Enquanto os administradores forem políticos, vai continuar a péssima administração. Não confio na próxima eleição devido à qualidade ética dos candidatos, das urnas eletrônicas e do preparo analítico dos eleitores.

 

Mário A. Dente eticototal@gmail.com

São Paulo

 

*

POLÔNIA E O JUDICIÁRIO

 

Governo polonês faz expurgo de magistrados da Suprema Corte para controlar o Judiciário.  Perguntar não ofende: o ministro Lewandowski está nessa relação?

 

Victor Hugo A. Raposo victor-raposo@uol.com.br

São Paulo

 

*

NOSSA IMAGEM NO MUNDO

 

Enquanto o governo brasileiro se ilude e tenta blefar iludindo também a população, que mesmo com 13 milhões de desempregados, afirmando que o País melhora dia adia e está caminhando para um final feliz. Não é esta a real impressão e visão dos investidores estrangeiros que munidos de pesquisas e informações, possuem uma perspectiva completamente negativa a nosso respeito. Tanto isso é verdadeiro, que só no primeiro semestre do ano, retiraram nada menos de R$ 9,9 bilhões do Brasil, maior volume para o período da série histórica, iniciada em 2004.

 

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

 

*

VIDA FÁCIL

 

Pelo andar da carruagem, em breve os governos federal, estaduais e municipais terão vida mais fácil, pois só terão que administrar uma imensa folha de pagamento de 40% do PIB para pagar funcionários públicos e aposentados. Dessa forma, poderão extinguir todos os ministérios já que não haverá o que fazer além de pagar aquelas corporações e economizarão o dinheiro da educação, saúde, infraestrutura, etc.

 

Aldo Bertolucci aldobertolucci@gmail.com

São Paulo

 

*

PAÍS ERRADO

 

O Brasil é tão errado que grande parte dos auditores fiscais estaduais e federais são engenheiros. Ou seja, os indivíduos mais importantes para a “geração” de impostos os estão “coletando”.

 

Gumo Silva gumosilva@bol.com.br

Goiânia

 

*

BRASIL X BÉLGICA

 

Há um grande erro quando se tenta fazer de nossos jogadores ídolos e símbolos. De fato, eles sabem jogar bem futebol, mas, muitas vezes, é só isso. O coitado do Neymar fica se esforçando, à toa, para simbolizar o Brasil: “deitado eternamente” frente às câmeras. Mas nem isso lhe cai com naturalidade. O que não significa que não se devam aprender lições filosóficas do que ocorre em campo. Por exemplo: o Brasil toma um gol e fica desesperado. A Bélgica leva dois e consegue se levantar. Que lição se tira disso? Que ou abrimos uma grande vantagem logo de início ou teremos de aprender da resiliência do nosso adversário. Afinal, catabolismo é a arte de produzir energia ou, como dizia Carol, a pensadora: “a arte de catar bolas”.

 

Jorge A. Nurkin jorge.nurkin@gmail.com

São Paulo

 

*

ÓTIMO JOGADOR, MAS PÉSSIMO ATOR

 

Contra o México,  Neymar levou realmente um “pisão” maldoso fora de campo e gemeu, careteou e rolou tanto, que parecia ter havido fratura em algum dedo do pé, mas foi apenas teatro (mau) porque voltou todo lampeiro para jogar como se nada tivesse acontecido. Esse comportamento leva cada vez mais os juízes a duvidarem quando leva faltas de verdade. Que Neymar é um “fora de série” é indiscutível, como é também Messi e Cristiano Ronaldo, mas seu comportamento irrita o pessoal do mundo do futebol, porque gosta demais de aparecer, de humilhar adversários, jogar para a torcida e por isso apanha bem mais que seus dois maiores concorrentes, porque esses respeitam seus adversários. Ele não precisa disso, mas seu ego embala tal comportamento.

 

Laércio Zanini spettro@uol.com.br

Garça

 

*

SALÁRIO VIP

 

Se para ser campeão dessa Copa depender exclusivamente do salário do técnico, desta vez o Brasil traz o caneco.

 

Virgilio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

 

*

COPA DO MUNDO

 

Ao ver o jogo entre Inglaterra e Colômbia (3/7), entende-se por que os times ingleses compram tantos jogadores de outros países. Futebol pífio, sem a mínima criatividade e com falta de técnica. Se é esse o esporte que os ingleses inventaram, devem muito aos brasileiros a recriação do verdadeiro futebol.

 

Delpino Verissimo da Costa dcverissimo@gmail.com

São Paulo

 

*

KANE E BRASIL

 

O badaladíssimo astro inglês, Harry Kane, artilheiro da Copa do Mundo da Rússia até aqui com 6 gols, fez 3 de pênalti, 2 em rebotes dentro da pequena área e 1 sem querer. As estatísticas que me perdoem, mas o futebol dele é bem pequenininho. Enquanto isso, um comentarista super sincero diria que, a partir de agora (salvo desastre monumental), o Brasil só tem dois adversários nesta Copa do Mundo: a França e ele mesmo.

 

Ricardo Siqueira ricardocsiqueira@globo.com

Niterói (RJ)

 

*

‘PROPOSTA DE UM PROGRAMA TRIBUTÁRIO’

 

Com relação ao artigo “Proposta de um programa tributário” (7/7, A2) especificamente na sugestão da tributação dos recursos da empresa transferidos para seus sócios pessoa física, fica notado que os proponentes que abordaram o tema não consideraram a hipótese de os sócios passarem a usar a própria empresa para seus objetivos de gastos pessoais tais como suas viagens com a família, reservas de hotéis, compra de carros, de imóveis, planos de saúde, pagamento de faculdades, combustíveis, cartões de crédito, etc, principalmente se a empresa estiver enquadrada no sistema de apuração de lucro presumido, conseguindo desta forma reduzir drasticamente suas retiradas de valor da empresa e consequentemente pagar o menor imposto possível. Ou se não quiser usar a própria empresa para seus gastos, poderá abrir uma holding para receber os dividendos daquela empresa e dentro dessa holding investir e gastar seu dinheiro sem ter que transferir para sua pessoa física. Portanto, existe uma complexidade a ser considerada.

 

Alberto Vitor Ferrarezi avferrarezi@yahoo.com.br

Campinas

 

*

CONHECIMENTO

 

Nos dias atuais diplomas ou nível superior não significam conhecimento ou inteligência. Infelizmente, há anos, a maioria dos estudantes tem pouco interesse em aprender, e normalmente os pais são ausentes, e o sistema educacional público é (...). Pois bem, aos domingos no programa Silvio Santos tem o jogo das 3 pistas, onde o Silvio faz a pergunta para dois convidados. E os participantes são diversificados; atores, cantores, jornalistas, apresentadores, youtubers, etc. E perguntas simples como; capital do Peru, quem foi solto no lugar de Jesus, quais são os pontos cardeais, etc. Os convidados não sabem ou erram! Mas nada se compara com a falta de conhecimento das youtubers, pois são sempre as piores! Duro é saber que elas têm milhares de seguidores! Enfim, não tenho dúvidas que a sabedoria ou conhecimento no futuro será artificial!

 

Alex Tanner alextanner.sss@hotmail.com

Sumaré

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.