Fórum dos Leitores

.

O Estado de S.Paulo

13 Julho 2018 | 04h00

ESTADO DA NAÇÃO

Risco de colapso

Enquanto o Brasil for o País da irresponsabilidade e da leniência, nosso futuro estará comprometido e seremos ad aeternum o país do futuro. Para quem tiver dúvidas, eis algumas notícias de ontem, 12/7. Pauta-bomba do Congresso já supera R$ 100 bilhões; senadores e deputados aprovam uma série de projetos que aumentam gastos ou abrem mão de receitas para beneficiar setores específicos. MP do frete é aprovada com anistia de multas; isso é uma criminosa leniência com os responsáveis pelas catastróficas consequências da paralisação do transporte rodoviário que arruinou o PIB deste ano. O Tribunal de Contas da União rejeitou pedido da área técnica do órgão e decidiu manter acordo de leniência da Odebrecht, empresa corruptora e indigna de respeito de pessoas de bem. Servidores mobilizam-se para novos reajustes, que podem chegar a R$ 17,5 bilhões. Projeto repassa furtos de energia para clientes, ou seja, deputados aprovam cobrar na conta de luz de todos os consumidores o custo de “gatos” no Norte do País. Bastam essas notícias para percebermos quão caótico e inaceitável é o nível de nosso estágio civilizatório e político, que vem decaindo inexoravelmente. Somente uma radical mudança na mentalidade e nas estruturas desta degradada República pode evitar o colapso da Nação.

MÁRIO RUBENS COSTA

costamar31@terra.com.br

Campinas

Pautas-bomba

Está cada vez mais difícil viver neste país. Todos os dias somos bombardeados com notícias desanimadoras, como as de que o Congresso aprova pautas com custo superior a R$ 100 bilhões, derruba veto e libera reajuste de servidores em 2019. E o governo estuda medidas para aumentar a arrecadação e cortar gastos. Desde quando o Congresso mostrou estar preocupado com o País e com a vida dos cidadãos? Nem mesmo em ano de eleições esses picaretas se preocupam com a reação do eleitorado, pois bem sabem que muitos dos eleitores não entendem de política, nem sabem o poder que tem o seu voto. Quantas vezes cobramos dos governos o corte de gastos? Nunca vemos uma medida em que os gastos são cortados de fato, eles simplesmente triplicam. Mas de que adianta reclamar? Essa gente se elege não para representar o povo, mas, sim, o seu bolso.

IZABEL AVALLONE

izabelavallone@gmail.com

São Paulo

Venezuelização do Brasil

Quem vai querer investir num país que não se importa com o equilíbrio fiscal das contas públicas. A mensagem que fica é a seguinte: dane-se o País, eu quero manter meus privilégios, custe o que custar! A venezuelização do Brasil é algo a considerar. E começo a entender aqueles que desejam deixar o nosso país.

ROGÉRIO ARO

rogerioaro@gmail.com

São Paulo

Feridos de morte

Ao desenvolver as chamadas pautas-bomba, os deputados e senadores ferem de morte qualquer projeto do atual e dos próximos governos de realinhar seus gastos e estimular os investimentos de que o País tanto precisa para retomar o crescimento e domar o desemprego. Diante da fratura exposta do Executivo, os parlamentares buscam favorecer setores específicos, passam ao largo do interesse geral da população e, com tais atitudes impatrióticas, visam somente à sua alavancagem eleitoral. Escancaram, assim, mais uma vez a péssima qualidade que prevalece entre os ocupantes de cadeiras nas duas Casas do Congresso, esquecendo a verdade indiscutível de Margaret Thatcher, segundo a qual não existe o dinheiro público pelo qual fingem zelar, mas somente o do cidadão comum que contribui com pesados impostos, sem, no Brasil, a devida contrapartida.

PAULO ROBERTO GOTAÇ

pgotac@gmail.com

Rio de Janeiro

Virando o jogo

Muito da alegria se foi com a derrota na Copa, mas o bom senso e a esperança sobrevivem na maioria dos brasileiros. Prova disso é a energia que nos volta com artigo de Sérgio Fausto Ainda dá para virar o jogo (12/7, A2). Não é coisa que se possa resumir, o artigo precisa ser lido na íntegra. Ali está tudo o de que precisamos: fé, esperança e caridade. Fé em nosso potencial, esperança no poder de regeneração brasileiro e caridade com os que nos desagradam politicamente, porque essa é a alma da democracia. Brasil, ainda é tempo de virar o jogo.

LUIZ CARLOS LISBOA, jornalista

llisboa@aol.com

São Paulo

CORRUPÇÃO

A toga infratora

Já é tempo de os tribunais reverem seus regimentos internos, nada democráticos. Atualmente prevalecem procedimentos que prejudicam o pleno funcionamento do Poder Judiciário, com regras contaminadas por firulas que impedem uma ação efetiva contra a toga infratora. Se os pedidos do Ministério Público, nesse sentido, são filtrados, ou melhor, engavetados pela presidência de cada Corte, imaginem um grupo de cidadãos fazer igual solicitação. O incidente solta-prende do último domingo demonstrou que não é só o Congresso que precisa reformular práticas que preservam seus infratores, o Judiciário também.

HONYLDO R. PEREIRA PINTO

honyldo@gmail.com

Ribeirão Preto

Freios e limites

Uma característica que é notada em juízes que em seu passado tiveram íntima relação com partidos políticos é a cara de pau de negar haver motivos de suspeição em decisões que envolvem tais legendas. Isso tem sido visto, de modo claramente abusivo, em juízes que provêm do PT, no julgamento de ações que envolvem Lula e seus associados. Contrariamente ao que recomenda a boa ética, tais juízes nunca se declaram impedidos de julgar essas ações e não raro decidem contra o entendimento majoritário dos tribunais e de seus pares. A situação claramente demanda que o Legislativo examine a situação e imponha freios e limitações a essas decisões, que ferem a isonomia com que a Justiça deve tratar a todos.

WILSON SCARPELLI

wiscar@terra.com.br

Cotia

Honra ao mérito

O editorial Ainda há juízes isentos em Brasília (12/7, A3) exalta o fato de, felizmente, ainda haver magistrados íntegros, referindo-se à pronta intervenção da presidente do Superior Tribunal de Justiça, ministra Laurita Vaz, pondo um ponto final nas pretensões dos aloprados de plantão. Na verdade, muitos juízes são isentos, excluindo, claro, aqueles petistas de carteirinha, sempre em prol do “quanto pior, melhor”. Muda, Brasil!

JÚLIO ROBERTO AYRES BRISOLA

jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

 

PREOCUPAÇÃO COM O ORÇAMENTO

 

A aprovação pelo Congresso de projetos que vão custar mais de R$ 100 bilhões aos cofres públicos leva a um questionamento. O Orçamento federal é elaborado pelo Executivo ou pelos parlamentares. E há entendimento em relação aos encaminhamentos ou estamos diante de um oportunismo às vésperas das eleições nacionais?

 

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos

 

*

 

NOVO GOLPE ARMADO NO CONGRESSO!

 

Pouco antes do recesso parlamentar, a Comissão da Câmara dos deputados aprovou parecer anulando uma lei aprovada em 2016, que impedia “indicações políticas às estatais e agências reguladoras”. O mesmo Congresso na calada da noite propõe anular o que foi aprovado por eles mesmos, provavelmente porque assim exigiam as ruas. Esse descalabro mostra que quando o povo se omite, e volta a dormir em berço esplendido, a “rataiada” volta com tudo. Dá para reeleger alguém desse atual Congresso? Se reeleger é por que gosta de ser roubado e ainda abre as portas dos cofres para facilitar.

 

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

 

*

CAOS ECONÔMICO

 

Incrível, mas o Congresso aprovando esta Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) parece pretender quebrar o Brasil já em 2019. Estes políticos ainda querem se reeleger. Falta um mínimo de vergonha na cara.

 

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

 

*

GASTOS SEM FIM

 

“Pauta-bomba supera R$ 100 bi”. É essa a única serventia do congresso (sempre minúsculo). E sempre em benefício próprio. O Brasil não corre o menor risco de dar certo.

 

Guto Pacheco jam.pacheco@uol.com.br

São Paulo

 

*

REPASSE DA CONTA

 

Parlamentares aprovaram o repasse do furto de energia para a conta de luz, na Região Norte. Por quê? Não deveria haver uma fiscalização para evitar isso? O furto é pago por todos? É justo isso? Os parlamentares, ao aprovarem isso, estão de alguma forma, dizendo que é a sociedade que tem que fiscalizar ou é conivente? Não deveria a distribuidora fiscalizar e efetuar os cortes das ligações clandestinas? É simples transferir este furto para todos. É mais fácil avançar no bolso do cidadão. Por que não aprovaram para que o governo estadual pague? O Estado tem culpa nesta situação e omissão.

 

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

 

*

SEMPRE NÓS

 

Impressionante a cara de pau dos parlamentares brasileiros. Eles sempre se protegem e adoram ferrar o povo brasileiro. Por total incompetência de governos estaduais que não conseguem combater o famoso “gato” de eletricidade (roubo de energia) eles aprovaram uma medida que transfere a perda dos governos para a conta do consumidor brasileiro de norte a sul. O pior de tudo que entra eleição e sai eleição e a maioria dos parlamentares é reeleita.

 

Maurício Lima mapeli@uol.com.br

São Paulo

 

*

CONTAS DE ENERGIA

 

Pela ineficiência das distribuidoras de energia em reprimir os “gatos”, os clientes honestos pagarão a conta...

 

Milton Bulach mbulach@gmail.com

Campinas

 

*

MECENATISMO NÃO OFICIAL

 

Essa da Câmara de socializar os prejuízos dos roubos de energia elétrica me surpreendeu (11/7, B1). Nunca pensei tornar-me um dia um mecenas às avessas ao patrocinar as malas-artes dos tais ladrões de eletricidade. Verdade que há a considerar a séria questão de consciência (e de polícia) de financiar o crime. Mas isso, no País da bandidagem, é de somenos.

 

Joaquim Quintino Filho jqf@terra.com.br

Pirassununga

 

*

GATO E RATO

 

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) acaba de oficializar o furto de energia no País. Em vez de caçar os “ratos” que fazem os “gatos” postes afora, vai cobrar a conta dos cidadãos honestos. A que ponto chegamos!

 

J.S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

 

*

PT JÁ SE COMPARA A TRAFICANTES

 

Gleisi Hoffmann, a “presidenta” do PT já está comparando o “pajé” Lula ao traficante e criminoso Marcinho VP, que pode dar entrevistas, enquanto o heptarréu não pode. Inconformada, não percebeu que, além de criminosos, eles têm uma trajetória semelhante. Um é do Comando Vermelho e o outro é do partido vermelho, mas, a única diferença significativa entre ambos é que um foi obrigado a raspar os cabelos, já Lula, ainda não!

 

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

 

*

LULA E VP

 

“Marcinho VP deu entrevistas, Lula não pode?”, questionou Gleisi. Demorou, mas falou algo puro e verdadeiro. Esta comparação é simplesmente, incomparável!

 

José Roberto Niero jrniero@yahoo.com.br

São Caetano do Sul

 

*

PARTIDO DOS PRESIDIÁRIOS

 

Lula, Rogério 157, Nem e o goleiro Bruno bem que podiam fundar um novo partido político. O partido dos presidiários. Dessa forma, poderiam governar o País de dentro da cadeia, fazer campanha política e todas as outras atividades que um político normalmente faz.

 

José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br

Belo Horizonte

 

*

ALOPRADOS

 

Os aloprados do PT continuam os mesmos, eles se julgam acima de tudo e de todos, inclusive e principalmente das leis do País. Ainda agora a ministra do Supremo Tribunal de Justiça (STJ), Laurita Vaz, negou simplesmente a bagatela de 143 pedidos do habeas corpus, para soltar o meliante que está preso, inelegível por uma lei que ele mesmo assinou, se tivesse lido provavelmente não assinaria, a não ser que se julgasse acima das leis ou então que ninguém iria descobrir seus ilícitos. Eu acho que essas pesquisas deveriam excluir de vez o nome do condenado, pois não vai poder concorrer. Se ainda existe um restinho de justiça, deveriam enquadrar com severidade esses aloprados, que ficam usando o Senado e os jornais defendendo o indefensável e só querem transformar um País num galinheiro pobre e sujo. Vocês já perceberam que eles são todos inocentes e nunca fizeram nada errado e que o as verbas recebidas são todas legais. Até quando teremos que ficar lendo e ouvindo tantos disparates dessa turma de inúteis? Dizem que a justiça é cega, acho que só para alguns, pois, só funciona a favor de bandidos.

 

José Fernandez Rodriguez rodriguez1941@gmail.com

Santos

 

*

143 HABEAS CORPUS

 

A “petralhada” quer continuar mantendo seu chefão sempre no foco, tentando fazer esse criminoso preso, um injustiçado, um coitado. Agora entraram com mais de uma centena de habeas corpus, no mesmo dia, para perturbar. Felizmente a digna juíza que lá se encontra os indeferiu numa só canetada. Será que isso jamais vai terminar?

 

Carlos Eduardo Barros Rodrigues ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo

 

*

ERRO JURÍDICO

 

A cúpula do PT admitiu que a ação dos três parlamentares, Paulo Pimenta, Paulo Teixeira e Wadih Damous, no habeas corpus do Lula, foi um erro jurídico, apesar de ganho político, o que pode levar a perda do apoio do ministro Dias Toffoli. Essa declaração é uma prova cabal da suspeição do ministro Toffoli. Onde fica a imparcialidade jurídica?

 

José Alcides Muller josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré

 

*

OAB

 

A semana está terminando e eu não vi nenhuma manifestação oficial da Ordem dos Advogados do Brasil a respeito do episódio da soltura do Lula. Ali, envolvidos o “grande ladrão”, os advogados/deputados/militantes/inimigos dos brasileiro-mafiosos e o juiz/militante/inimigo dos brasileiros/mafioso. Os conselhos profissionais estão isentos de defenderem a sociedade em relação aos maus profissionais?

 

Sérgio Barbosa sergiobarbosa19@gmail.com

Batatais

 

*

GOLPE

 

Isso que é golpe: petista libertar um presidiário para participar de uma eleição presidencial da qual o presidiário já está excluído por lei promulgada por ele mesmo.

 

Antonio Carlos Gomes da Silva acarlosgs9@gmail.com

São Paulo

 

*

ADVOGADOS

 

Não sei se já repararam: advogados que são nomeados desembargadores por razões de amizade com “A” ou “B” são os que mais criam problemas no Judiciário. Lá são colocados para prestarem favores a seus padrinhos. Parece-me, que frustrados na sua profissão, pois vivem de bicos, arrumam uma boquinha para conseguir uma aposentadoria e a gente é que paga seus desmandos. Exemplos típicos que a imprensa divulga cito entre outros, Toffoli, Lewandowski, e agora um tal de Favreto. Coincidentemente todos com carteirinha do PT.

 

Paulo H. Coimbra de Oliveira ph.coimbraoliveira@gmail.com

São Paulo

 

*

PERGUNTA DO MILHÃO

 

A pergunta do milhão: de onde estão saindo os milhões que pagam o batalhão de nobres advogados et caterva que querem soltar o pai dos pobres a qualquer custo?

 

Luiz Henrique Penchiari lpenchiari@gmail.com

Vinhedo

 

*

(IN) JUSTIÇA

 

Por que num país com tantos políticos ladrões, um só porque está preso, não pode ser o presidente da República? Ora, isso é mais uma perseguição. O mais “honesto” do País pode muito bem estabelecer a sua equipe de governo no xadrez. Boa parte dela já está lá. O restante, a Justiça pode colaborar, anexando-a ao mesmo “gabinete”.

 

Francisco de Carvalho icasadosenhor@gmail.com

São Paulo

 

*

CAUSÍDICO ALOPRADO

 

Favreto foi afiliado ao PT. Naquele cargo foi colocado, sem concurso. Aproveitou-se daquela posição para, ilegalmente e ardilosamente, tentar livrar um criminoso da cadeia. Ele participou de mais uma malandragem dos seguidores daquele apenado. Riram da justiça e fizeram chacota dos brasileiros. E então, qual será a sua punição?

 

Silvio R. Alves silvio.ralves46@gmail.com

São Paulo

 

*

A PREOCUPAÇÃO DO PT

 

Gleisi Hoffmann comparou Lula a Marcinho VP. Interessante que quando interessa, Lula pode ser comparado a bandido, no mais é a maior liderança do País segundo seus asseclas. Com tantos problemas nesse país, o que vemos são deputados e senadores correndo atrás de um ex-presidente preso por corrupção e lavagem de dinheiro, criticando sua prisão. Ai do juiz, ministro, ou desembargador que decide contra Lula. Vira persona non grata. Por que esses mesmos parlamentares não aproveitam e fazem uma visita ao Complexo de Pedrinhas (MA), onde os massacres são disputados entre quatro facções e até atos de canibalismo foram denunciados? Chamar o spa de Lula de prisão é uma afronta, enquanto a superlotação nos presídios continua com matanças, torturas e drogas correndo solta. Trabalhem pelo país senhores, honrem o salário que lhes é pago por quem se mata de trabalhar.

 

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

 

*

DIAS  TOFFOLI

 

O professor e jurista Modesto Carvalhosa, em mais uma contribuição à democracia, está alertando a Nação sobre a possibilidade de se impedir que o ministro petista Toffoli assuma a Presidência do STF porque não foi eleito como determina o artigo 2.º, parágrafo único, do Regimento Interno do órgão. Basta lê-lo. A Nação brasileira exige que esse Ministro lulista mostre a ata da sessão em que se deu sua eleição!

 

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo

 

*

ASSUNTO: LULA

 

Parece que no Brasil não existem problemas (e quantos?) para serem debatidos, para serem resolvidos. Dia sim, outro também, só aparece o nome do presidiário ex-presidente. Seja para tumultuar as pautas da Justiça, como seus bajuladores fizeram ao impetrar mais de 140 recursos no STJ (todos indeferidos), seja com esdrúxulos pedidos como o de que, o já condenado por um colegiado possa participar de campanha política na prisão. Alguns parlamentares já nem trabalham mais para os brasileiros e milhares de eleitores que os elegeram; vivem só em função do deus Lula. Nem por isso deixaram de receber os salários e vantagens. Assim como parte da população, má informada, visando apenas interesses próprios ou com agindo de má-fé, existem pseudos-intelectuais e pessoas da alta cúpula dos poderes públicos (até na Justiça) enfeitiçados pelo homem. Parece até com os alemães da década de 1930. O Brasil não é só ele, não é só isso.

 

Éllis A. Oliveira elliscnh@hotmail.com

Cunha

 

*

A REVERSÃO DOS IRREVERSÍVEIS

 

O cenário político atual é desanimador, e o prazo para sair do dilema que nos assusta (extrema esquerda X extrema direita) está chegando ao fim, sem que se veja possibilidade de união em torno de um único candidato de centro. Indiferentes à apatia do eleitorado, na ausência de um nome forte na área que chamada “de centro”, os inúmeros pré-candidatos à Presidência consideram sua candidatura irreversível, e seus partidos também pouco se esforçam por essa reunião. Como bem aponta Eliane Cantanhêde em seu comentário sobre como o lançamento de Haddad pelo PT, com o apoio de Lula, vai alterar substancialmente o quadro atual. Ora, Haddad vai aglutinar praticamente todas as esquerdas e por outro lado, vai levar parte do centro-direita a reforçar o já forte Bolsonaro, logo no primeiro turno da eleição e definindo o segundo turno: Haddad X Bolsonaro. Qual a saída, então, para quem não aceita nem um nem outro? A meu ver, só restam duas alternativas: 1) O aparecimento, até o final de julho, de um nome de peso, impoluto, conhecido e respeitado, capaz de entusiasmar o eleitorado, hoje totalmente descrente dos atuais pré-candidatos (alguns exemplos, Joaquim Barbosa. Nelson Jobim, Fernando Henrique Cardoso, Luciano Huck). Neste caso, os “irreversíveis” desistirão de suas candidaturas e seus partidos correrão para uma coligação; e 2) Acompanhar o desenrolar das campanhas e votar no irreversível que apresentar maior viabilidade no primeiro turno. E rezar.

 

Luiz Antonio Ribeiro Pinto larprp@uol.com.br

Ribeirão Preto

 

*

AULINHA PRO CIRO

 

Se Ciro Gomes (PDT) quiser chegar à Presidência precisa aprender a falar grosso com o PT. Posso até ensiná-lo.

 

Devanir Amâncio devaniramancio@hotmail.com

São Paulo

 

*

QUE COPA!

 

Numa virada histórica a Croácia derrotou o “English Team” na segunda semifinal da Copa do Mundo da Rússia, encerrando as pretensões dos súditos de S.M.I. Elizabeth II de bordarem mais uma estrelinha em sua camiseta, e apresentando suas credenciais para a finalíssima contra a forte seleção francesa de Griezmann & Mbappé & Cia. Muito equilibrada esta edição da Copa do Mundo, que viu eliminadas prematuramente potências da bola como Argentina, Alemanha e Brasil – para não falarmos de Itália e Holanda, habitués das fases decisivas que sequer participaram do torneio, alijadas já nas eliminatórias. Mesmo equipes que jogaram o “fino da bola” no curso do torneio, casos de Bélgica e Inglaterra, ficaram pelo caminho. Vimos, nesta edição, jogadores mais fortes fisicamente (mais altos e encorpados), e equipes muito bem treinadas, com boa visão tática dos jogos. Foi-se o tempo das goleadas e dos “bobos” no futebol, que está cada vez mais equilibrado. Parabéns a todas as equipes participantes desta edição da Copa do Mundo, seguramente uma das melhores da história e igualmente aos organizadores, que fizeram um torneio irrepreensível. PS: Alô, alô, CBF: adiamos o hexa, mas vale fazer desse limão uma limonada. As derrotas costumam ensinar aos que querem aprender.

 

Silvio Natal silvionatal49@gmail.com

São Paulo

 

*

HUMILDADE E RESPEITO!

 

Em seu artigo “Prepotência” (11/7, G4) o ex-jogador de futebol Alex mostra que foi um craque dentro de campo e continua sendo fora de campo. Analisando com maestria a situação do nosso futebol e dos nossos jogadores, Alex, corajosamente, critica os métodos que usamos para formar os nossos atletas. “Formar cidadãos é mais importante que formar atletas de qualidade”, afirma. E propõe a adoção de um modelo Brasil, com um estatuto cujo primeiro item seja: humildade e respeito! Parabéns, Alex. Golaço!

 

José Roberto de Jesus zerobertodejesus@gmail.com

Capão Bonito

 

*

ALCKMIN

 

Sou apolítico, portanto, menciono com isenção. Porém, tenho visto que todos os detentores do poder alegam não saber de nada quando seu governo é pilhado em atos de corrupção. E assim tem sido Alckmin. Vamos ver quando a Lava Jato chegar nas concessões de rodovias do Estado de São Paulo. Não poderá alegar inocência, pois eu o alertei dezenas de vezes, pessoalmente e por e-mail, das falcatruas dessa concessão. E continuo às ordens tanto do governador como da Lava Jato com documentos e fotos demonstrando condutas espúrias de alguns funcionários da antiga Artesp, então Comissão de Concessões de Rodovias do Estado de São Paulo, de alguns deputado e funcionários de outros órgãos do serviço público que circundam tal concessão.

 

Orivaldo Tenorio de Vasconcelos professortenorio@uol.com.br

Monte Alto

 

*

LARGANDO A PREFEITURA

 

Pela segunda vez em poucos meses vejo um mandatário da prefeitura de São Paulo, que foi eleito por quatro anos, dividir o tempo para fazer algo alheio ao cargo – coordenar campanha política de outro candidato. São Paulo é uma cidade que precisa de atenção 24 horas, 7 dias por semana, não faz sentido Bruno Covas acumular função na campanha de Geraldo Alckmin. Onde vai arrumar tempo para isso? Só posso concluir que a cidade estará largada pelos próximos meses. Quando fui candidato pelo Novo a vereador de São Paulo, em 2016, larguei tudo para me dedicar ao pleito. Não acumulei função. O absurdo virou lugar comum. O que o PSDB acha disso? O que o povo que o elegeu acha já sabemos: vamos renovar tudo esse ano, nas urnas!

 

Júlio Sérgio Camucé Lopes juliolopes@me.com

São Paulo

 

*

A REFORMA DA POLÍCIA PAULISTA

 

A estrutura policial de São Paulo deve passar por profundas transformações. O grupo de trabalho criado pelo governador Márcio França prepara a passagem da Polícia Civil para a Secretaria de Justiça e Cidadania. A ideia é que, na nova pasta, os titulares da polícia judiciária terão melhores condições de trabalho e rendimento. Com isso, a Secretaria da Segurança Pública será inteiramente composta pela Policia Militar sendo, inclusive, ocupada por um oficial da corporação. Ganhará também a Polícia Militar, pois o seu comandante, hoje encarregado da representação institucional e da ação operacional, ficará apenas com a operacional, já que a parte política será do secretário. A mudança mexe numa estrutura centenária e depende de alterações legais. De concreto, o governador tem cinco meses para realizá-la. Se for reeleito, então, serão quatro anos. Além dos aspectos operacionais e até salariais, o grande clamor das polícias paulistas – diz o delegado-geral da Polícia Civil, Paulo Afonso Bicudo – está na efetividade da punição aos criminosos. Todo policial se sente desestimulado quando, ao final de grandes trabalhos, vê os criminosos que retirou de circulação, muitas vezes com o risco da própria vida, libertos quase de imediato e voltarem a cometer os mesmos delitos. A mudança de estrutura deve ser entendida como primeiro passo de uma grande caminhada. Esse passo e necessário e, concretizado, estimulará outras iniciativas também importantes...

 

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

 

*

VERBO ‘BIBLIOTECAR’

 

A Biblioteca Paulistana do Espaço Parque Villa-Lobos (12/7, A14) é um ótimo exemplo que o conhecimento está na pluralidade dos atos e das identidades. O neologismo “bibliotecar” quer dizer vivenciar as oportunidades de leituras, reflexões, projetos e encontros. Lembro-me da obra “A Livraria Mágica de Paris” de Nina George que afirma que as pessoas não escolhem os livros, mas eles que aparecem no necessário momento de leitura para elas. Tomando esse exemplo, o espaço paulistano convida as pessoas à diversidade. Contudo, a sociedade, por muitas vezes, não consegue “bibliotecar”, pois não existem espaços e oportunidades de acesso e conhecimento.

 

Cleber Mapeli Serrador cleberserrador2012@gmail.com

Leme

 

*

SOB O SIGNO DE ESCORPIÃO

 

Sem embargo da sua lentidão natural, o cágado ganha do Brasil no quesito governabilidade do País. Em pleno século 21, com o homem pesquisando a possibilidade futura de habitar outro planeta do nosso sistema solar, neste planeta Terra, o Brasil insiste em retroceder aos tempos dos reis da novela “Deus salve o Rei”. Hospitais no Brasil, muitos deles não possuem o antídoto contra os peçonhentos como o veneno do escorpião. A vacinação obrigatória tornou-se negligenciada por parte do povo, fazendo com que o sarampo se espalhe entre a população infantil. A corrupção atingiu pesado o Ministério da Saúde, competindo com outros ministérios. Os Três Poderes da República deveriam ser infestados de peçonhentos e só assim poderíamos nos livrar dessa geração se políticos que contavam com a conquista da Copa da Rússia para anestesiar o povo. Sobrou o epíteto de país do carnaval e de belas mulheres.

 

Jair Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

 

*

SÍRIA, ISRAEL, IRÃ E RÚSSIA

 

Nas conversações ocorridas entre Netanyahu e Putin, nesta quarta-feira, 11/7, em Moscou, Israel colocou na mesa a possibilidade real de uma guerra para impedir que o Irã permaneça na Síria. O problema é que o tempo está se esgotando e, apesar de diversas operações aéreas de Israel, tropas e armas do Irã, Hizbollah e seus aliados continuam fluindo maciçamente para a fronteira com Israel. Fará Putin algo para tentar impedir que o pior aconteça? Conseguirá?

 

Jorge A. Nurkin jorge.nurkin@gmail.com

São Paulo

 

*

‘A LIGAÇÃO’

 

Com a crônica “A ligação” (12/7, C6) no “Estadão”, Veríssimo parece desafiar sua própria inteligência. Todos, menos um argumento, são verdadeiros e estão corretamente analisados. Mas ao mencionar os “denunciados por corrupção” e o “maior líder popular do País”, esquece que os males do governo Temer devem ser debitados também ao partido daquele líder e ao próprio líder, pois Temer foi eleito na mesma chapa do PT, cujos governos levaram o País ao estado em que está hoje. Temer é consequência, não causa. Lamentável.

 

Paulo Mario B. de Araujo pmbapb@gmail.com

Rio de Janeiro

 

*

VERÍSSIMO

 

Sr. Veríssimo, quero refrescar sua memória sobre os governos militares, pois é público e notório sua tendência petista, apesar dos danos causados ao País pelos governos Lula e Dilma. João Havelange, quando presidia a FIFA, quis trazer a disputa da Copa do Mundo para o Brasil, o que foi de imediato, recusado pelo presidente militar da época. Este afirmou, categoricamente, ter a Nação problemas mais urgentes e importantes a resolver. No entanto, Lula no afã de se tornar popular e obter vantagens com a construção e reformas de estádios, na maioria hoje verdadeiros elefantes brancos, não se furtou em favorecer economicamente dirigentes do futebol e trouxe a disputa em 2014. Deu no que deu, obras superfaturadas, roubalheiras e de sobra 7 X 1. O senhor não se cansa de falar sobre as torturas do regime, como se os seus queridos guerrilheiros fossem santinhos. Quantas pessoas inocentes foram sacrificadas pelos “Lamarcas” da vida?

 

José Olinto Olivotto Soares jolintoos@gmail.com

Bragança Paulista

 

*

ESQUECIMENTO

 

Uma pena que Veríssimo esqueceu-se de louvar também o magnífico Favreto em seus comentários!

 

Jorge Dib jorgedib@hotmail.com

São Paulo

 

*

DAMA DAS CAMÉLIAS

 

Muito bom o artigo de Paulo Delgado (11/7, A2). O terceiro parágrafo que termina assim “..., levam a magistratura a contribuir para a radicalização política aceitando petições atravessadas por poderosos como se a toga fosse traje de bordel sem alvará”, diz tudo.

 

Tania Tavares taniatma@hotmail.com

São Paulo

 

*

‘A CROÁCIA E O NAZISMO’

 

A fúria comunista também perseguiu judeus, ciganos e homossexuais e todos os cantos do mundo onde se manifestou. Na Rússia, ainda hoje são perseguidos e homossexuais despachados para campos de concentração na Chechênia, entre outras barbaridades. Putin nunca reconheceu a limpeza étnica promovida pelos Sérvios – apesar do massacre de Srebrenica ter sido muito bem documentado e seus mandantes condenados. Esperar que o mundo se reinvente [APENAS]com a reinvenção do amor, como sugere Horvat, parece não fazer parte das agendas de Rússia e Croácia. Mas quem poderia prever uma final de Copa do Mundo como essa, onde a França, finalista, é um mero detalhe? Infelizmente, a esquerda continua imbatível no quesito messianismo.

 

Luigi Dias Diretor de Filmes

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.