Fórum dos Leitores

-

O Estado de S.Paulo

15 Julho 2018 | 03h00

ESTADO X NAÇÃO

Falta de sorte do eleito

Frase atribuída a Sêneca diz que a sorte acontece quando a oportunidade se encontra com o preparo. O Congresso Nacional votou na quinta-feira a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2019. Observando a farra fiscal do que aprovaram, podem-se concluir quatro coisas. Primeira: aparentemente, para os congressistas o Brasil continua muito rico. Segunda: dada a dicotomia disso com a realidade, seja quem for que vier a ser eleito como nosso próximo presidente já não estará com “sorte” em 2019. Terceira: não faltam hoje nem faltarão no próximo ano oportunidades para os nossos políticos realizarem todos os seus sonhos. Quarta: se o brasileiro quiser mudar a onda de má sorte que assolou o Brasil, e se confiar na velha sabedoria romana, é bom preparar melhor os candidatos a quem confiará seu voto. 

JORGE A. NURKIN

jorge.nurkin@gmail.com

São Paulo

Renovar é preciso

A aprovação da nova Lei de Diretrizes Orçamentária pelo cioso Congresso Nacional é somente mais uma ação dos parlamentares para garantir que o próximo presidente, seja quem for, se torne mais um refém deles se quiser assegurar a governabilidade. Acontece que daqui a menos de três meses teremos eleições e os eleitores podem substituir todos os deputados (513) e dois terços dos senadores (57). É um delírio imaginar que essa possibilidade seja efetivamente alcançada num país em que o voto de cabresto é uma realidade nacional. Mas o voto é a única arma que temos, não custa lembrar e fazer propaganda, para mudar o máximo possível a cara desse Congresso. Pode ser que mais tarde vejamos que de nada adiantou, mas pelo menos sempre é uma esperança.

ABEL PIRES RODRIGUES

abel@knn.com.br

Rio de Janeiro

Quem quer ser presidente?

Eis a grande pergunta: por que algum indivíduo medianamente lúcido e totalmente honesto quereria ser presidente do Brasil? Para enfrentar uma dívida impagável, conviver com um Congresso cujo lema é “farinha pouca, meu pirão primeiro” e com uma Suprema Corte 6 x 5, dividida em duas turmas nitidamente opostas – uma prende, causando uma esperançosa sensação de justiça, enquanto a outra turma solta, estimulando o vergonhoso lodaçal que nos envolve? A resposta, infelizmente, cheira a panelinha. Ou, melhor dizendo, a panelaço.

GERALDO SIFFERT JUNIOR

siffert18140@uol.com.br

Rio de Janeiro

Sabotagem explícita

Quem é o responsável pelo equilíbrio fiscal? O Congresso, por sua maioria, procede como se nada tivesse que ver com isso. O Executivo tem apresentado propostas, ora de redução de gastos, ora com aumento de receitas, tendo em vista que não é possível continuar a produzir déficits primários na casa dos R$ 160 bilhões. Agora, no curso da discussão do Orçamento de 2019, o Congresso aprova uma chamada pauta-bomba que acarretará uma perda líquida de receita da ordem de R$ 100 bilhões. O problema do déficit, que o Congresso de forma irresponsável só faz por manter ou aumentar, não motiva nenhuma medida construtiva para seu controle. Como temos visto, medidas oriundas do Executivo são sabotadas continuamente. 

MARIO HELVIO MIOTTO

mariohmiotto@gmail.com

Piracicaba

Contra o Brasil

Benefícios fiscais a setores específicos, anistia das multas dos caminhoneiros, repasse de R$ 39 bi aos Estados, subsídio ao transporte rodoviário, etc. Congresso irresponsável. Nomeação de parentes e políticos para conselho administrativo de estatais e agências reguladoras. Congresso fisiológico. Reajuste dos servidores em 2019, piorando as contas públicas. Congresso perdulário. Absolvição de políticos pelo conselho de ética (?), num grande “uma mão lava a outra”. Congresso corporativista. Tudo isso na calada da noite, no último minuto do último dia de “trabalho”, apostando no recesso e na memória curta dos que pagarão a conta. E daqui a um mês voltarão, na maior cara de pau, para pedir votos aos que tanto prejudicaram. Congresso covarde!

SERGIO APARECIDO NARDELLI

saparecidonardelli@bol.com.br

São Paulo

Farra fiscal

Nós, o povo brasileiro, gostaríamos de saber dos parlamentares qual a justificativa para a aprovação do projeto que perdoou a dívida tributária dos produtores rurais, que só este ano custaria míseros R$ 13 bilhões. Por questão de justiça, gostaríamos que os nobres parlamentares também aprovassem para o restante da população o perdão de todas as suas dívidas tributárias e, assim, ampliassem a farra fiscal. Ah, nobres parlamentares, a brincadeira está indo longe demais e pode custar-lhes muito caro. Precatem-se!

MARIO MIGUEL

mmlimpeza@terra.com.br

Jundiaí

Inimigo público

Com esse Congresso não precisamos de inimigos externos. Reeleger esses senadores e deputados é criar corvos que comerão nossos olhos, como já devoraram nossa economia. Acabam de legar ao próximo governo rombo de uns R$ 100 bilhões e vão gastar R$ 1,8 bilhão do nosso dinheiro para se reeleger. Votar neles é crime contra o Brasil!

PAULO SÉRGIO ARISI

paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre

Lápide tucana

Srs. caciques tucanos, 20 deputados do PSDB aprovaram pautas-bomba, quatro rejeitaram e um se absteve, sem contar o Aécio Neves. Onde pensam que vivem? No país das maravilhas da Alice? Pensam que o eleitor do PSDB é massa de manobra, como nos partidos de esquerda? Não sabem por que a campanha presidencial do partido não decola? Preciso desenhar para entenderam que só falta colocar a lápide no partido, por falta de ética e coerência pragmática? Avisem aos cabeças-pretas que terão muito trabalho para se reeleger. Como diz o Boris Casoy, esse PSDB é uma vergonha.

MÁRCIO MARCELO PASCHOLATI

marcio.pascholati@gmail.com

São Paulo

*

EM SÃO PAULO

Política, sempre política

Só faltava essa! O sr. Bruno Covas vai coordenar a campanha do sr. Geraldo Alckmin no Estado. A cidade de São Paulo tem graves problemas para resolver: sujeira, enchentes, trânsito ruim, mendicância, viciados espalhados pelos bairros, etc... E o prefeito vai se dedicar a fazer política! Com a maior cara de pau ainda diz que só o fará nos fins de semana. Conversa para boi dormir. Essa gente respira política 24 horas por dia. Que Deus tenha piedade dos paulistanos!

PAULO BOIN

boinpaulo@gmail.com

São Paulo

*

“A falta de firmeza faz Temer ter cada vez menos aliados políticos e cada vez mais inimigos. E o povo, mais uma vez, paga a conta”

MARIA DO CARMO ZAFFALON LEME CARDOSO / BAURU, SOBRE A FARRA COM DINHEIRO PÚBLICO

zaffalon@uol.com.br

*

“Temer tem a obrigação moral e a responsabilidade política de vetar a pauta-bomba. Deixar essa herança para o próximo governo é, no mínimo, maquiavelismo político. E mais um desrespeito ao povo brasileiro!”

ANTONIO CLAUDIO SALCE / INDAIATUBA, IDEM

claudiosalce@papirus.com

*

A CRISE E AS ILHAS DA FANTASIA

É uma afronta à Nação a existência de 18 empresas estatais operando no vermelho, que consumem R$ 18,2 bilhões anuais do Tesouro e, ainda assim, pagam salários médios mensais de R$ 13,4 mil a cada um de seus 73 mil funcionários, quando um trabalhador comum, de carteira assinada, ganha em média R$ 2,2 mil mensais (10/7, B4). As estatais deficitárias vão desde a tecnológica Embrapa até a desnecessária EPL, criada para estudar o frustrado trem-bala. Há, entre elas, dirigentes acusados de corrupção. Todas deveriam ser operadas pela iniciativa privada, com regras do mercado e gerando com seu trabalho os recursos para sua subsistência. Mas, estatais, além de praticar salários supervalorizados, ainda são passíveis de abrigar os batalhões de cabos eleitorais, parentes e até amantes de gente influente, tudo pago pelo Tesouro. Isso precisa acabar. Enquanto não conseguirmos ter o Estado mínimo, só normatizador, licenciador e fiscalizador, o Brasil não terá jeito. Continuará sendo o promissor país do futuro e o carrasco do seu povo no presente.

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

*

CÁRMEN CONTRA O AJUSTE

É lamentável que a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia tenha pressionado com uma carta enviada aos parlamentares da Câmara, no dia 10 de julho, para que não proibissem o reajuste em 2019, dos servidores públicos. Pressão que também existiu da presidente do Supremo, para que o auxílio-moradia que gera uma despesa anual de R$ 1 bilhão seja incorporado ao salário dos servidores, para os hoje beneficiados com este penduricalho que envergonha a Nação! Como presidente do STF, Cármen Lúcia não pode fazer lobby e se aliar ao corporativismo nocivo que há muito consegue benefícios especiais e vem prejudicando as contas públicas. O País está doente, na UTI, e com um déficit público que poderá levar ao caos econômico e social. Portando, o papel do STF, é de se manifestar somente quando provocado, e não antecipadamente pressionar uma votação no Congresso, como se o nosso Parlamento, não tivesse na forma da Constituição, autonomia para tal! É mais do que evidente, que prospera dentro das nossas instituições o desprezo às contas públicas, e total indiferença ao sofrimento da população! Que perversamente é chamada a pagar a conta desta orgia, infelizmente, protagonizada pelos Três Poderes desta República...

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com 

São Carlos

*

A CONSTITUIÇÃO E OS GASTOS

A Constituição Cidadã, que fala em direitos por volta de cem vezes, e em deveres aproximadamente dez vezes, vem possibilitando a ingovernabilidade do País. Temos um Poder Legislativo perdulário e que pouco se importa com permitir gastos enormes em detrimento da economia da Nação. Desde que haja a satisfação dos interesses dos deputados e senadores, pode o País sofrer as graves consequências com as despesas aprovadas. Na realidade, não há como governar um país submerso no déficit, ficando o Poder Executivo travado e impedido de realizar. Algo precisa ser feito em benefício do Brasil, inclusive sob o aspecto legal, ou não?

José Carlos de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

*

PASSA PEDRO, PASSA PARENTE

O mercado aplaudiu de pé a Lei de Responsabilidade das Estatais, que pretendia profissionalizar as empresas públicas, impondo regras de conformidade e restringindo indicações políticas para diretorias e conselhos destas. Senhoras e senhores, podem se sentar. Estatal-mor, a Petrobrás estaria em boas mãos com Pedro Parente, que entre outras coisas instituiu a quarentena remunerada, segundo a qual seus diretores teriam seis meses sabáticos entre o público e o privado, evitando o vício da chamada “porta giratória”. Embalado pela paralisação dos caminhoneiros, Pedro Parente pediu para sair num dia e no outro foi comandar a BRF, com aval do governo Temer. Não demorou para os deputados aproveitarem a brecha. Ontem suas excelências meteram um jabuti na nova lei geral das agências reguladoras, liberando os trens da alegria das nomeações político-partidárias-parentais. No agro dizem que “passa boi, passa boiada”. No mercado dirão “passa Pedro, passa partido, passa parente”.

Léo Coutinho leo.coutinho@uol.com.br

São Paulo

*

ESTATAIS DEPENDENTES

São 18 empresas no custo de 18,2 bilhões com salário médio mensal de R$ 13.400 mil. Vão roubar no inferno, é caso de polícia, cadeia para os responsáveis. Haja Sérgio Moro. Onde está o Tribunal de Contas da União (TCU), fechado para balanço? Nossos impostos são roubados sistematicamente!

Marius Rathsam mariusrathsam@hotmail.com 

São Paulo

*

QUANDO SETEMBRO VIER

Com o ministro Dias Toffoli na Presidência do Supremo Tribunal Federal (STF) em setembro próximo, as chances de Lula sair da cadeia são enormes. Também a chance de colocar, novamente, em votação no plenário, a matéria sobre a prisão após a segunda instância é quase que certa. Afinal, o ministro “deve” à tigrada petista essas benesses. Já, para o Brasil e ao honesto povo de bem, que se danem!

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

FÉRIAS NA ESCÓCIA

Toffoli de férias na Escócia? Tomara que a Nessie o engula!

Candida Almeida almeida.candida@gmail.com

São Paulo

*

SOBRE A ATUAL CLASSE POLÍTICA E JUÍZES DO BRASIL

Ou o Brasil acaba com os políticos corruptos e juízes desonestos ou os políticos corruptos e juízes desonestos acabam com o Brasil. As saúvas nada têm a ver com a atual situação caótica do País.

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

*

VOTO MONOCRÁTICO

A persistir a existência do nefasto voto monocrático nos colegiados, os Tribunais de Justiça serão levados à ininteligibilidade. Ou os tribunais extirpam esse mal ou serão, por ele, extirpados.

Lígia Maria Venturelli Fioravante lmfiora@uol.com.br

São Paulo

*

Após a afoiteza do Janot pretendendo incriminar Temer, resultando na perda da oportunidade de votação da reforma da Previdência. Depois, com a paralisação dos caminhoneiros, que deveriam ter ido cobrar satisfações com a “mulher sapiens”, por incentivar a compra açodada dos seus veículos, mediante subsídio do Bndes, ou seja, com dinheiro público, ocasionando mais oferta que procura para a mão de obra e, agora, com a irresponsabilidade escancarada do Congresso Nacional, aprovando mais gastos e vetando matérias que propõem a redução, será que alguém ainda tem a ingenuidade de atirar pedras no atual presidente da República e dizer que é o pior governo que o País já teve?! Os presidentes, quaisquer que sejam, acabam passando, mas a sociedade fica e tem de arcar com as consequências da demagogia, têm de suportar heranças malditas! Infelizmente, há algo de imundo no reino tupiniquim!

Arlete Pacheco arlpach@uol.com.br

Itanhaém

*

COMISSÃO DE ÉTICA NO CONGRESSO

O nosso - (nosso?) - Congresso ter Comissão de Ética só pode ser história de ficção. Num Congresso em que a grande maioria é de corruptos, falar em ética é o mesmo que dizer que uma mulher que trabalha na casa da mãe Joana é virgem. Conta outra...

Mário A. Dente eticototal@gmail.com

São Paulo

*

CUMPRINDO A PENA EM PAZ

Depois da tentativa fracassada de tirar Lula da cadeia, o PT aposta suas fichas em Dias Toffoli que após demonstrar sua lealdade ao partido foi alçado à condição ministro do STF por Lula. Entre os possíveis caminhos usados para libertar o padrinho presidiário, tem o mais curto que repetiria a estratégia usada pelo desembargador plantonista quando ao assumir o plantão do Supremo na ausência de presidente Cármen Lúcia, ficaria responsável por julgar todos os pedidos protocolados incluindo o de um eventual habeas corpus para Lula. A outra opção é aguardar ate setembro quando assume em definitivo o lugar de Cármen Lúcia abrindo caminho para que o plenário volte a rediscutir a prisão em segunda instância, ou seja, tão logo tenha oportunidade, Toffoli vai tentará tirar Lula da cadeia. Todavia, o que pode dificultar o plano petista de libertação é que eventuais medidas que possam favorecer Lula, terão que ser estendidas aos demais corruptos condenados da Lava Jato e são dezenas de todos os partidos. Com certeza haveria uma libertação geral de condenados em segunda instância colocando o Poder Judiciário em cheque perante a sociedade e os fiadores da Constituição as FFAA. Com mais 25 anos de Supremo pela frente, Toffoli talvez não se arrisque a se indispor com os generais do exército que já demonstraram irritação com a possibilidade de Lula livre e pior, concorrendo ao pleito de 2018. Se tiver juízo, Toffoli deixará o padrinho cumprir sua pena em paz.

Paulo R. Kherlakian paulokherlakian@uol.com.br 

São Paulo

*

TOFFOLI E FAVRETO

Em Brasília, o ministro Dias Toffoli em seu “habeas corpus de ofício” libertou seu ex-patrão, Zé Dirceu, condenado há 30 anos e 9 meses e também o liberou do uso de tornozeleira. Em Porto Alegre o desembargador da TRF da 4ª Região, Rogério Favreto, ex-militante do PT por quase 20 anos, ocupou cargos no governo Lula e outras administrações petistas antes de entrar no TRF, assinou a liberação de Lula por ainda não julgados todos os recursos e também por constrangimento e violação de direitos. Fernando Henrique Cardoso é o culpado disso tudo, pois em 2005 foi uma espécie de defensor público, ao aliviar os transgressores no conhecido mensalão, que serviu de ensaio para aprimoramento de malfeitos postos em prática na Operação Lava Jato, envolvendo dezenas de bilhões de reais, que quase quebrou a Petrobrás. Será aceitável liberar os envolvidos na Lava Jato desde que devolvessem à Petrobrás até os centavos tungados.

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br 

Vila Velha (ES)

*

A CONTAMINAÇÃO DO JUDICIÁRIO

Os episódios todos de “solta” e “prende” do ex-presidente Lula, seguidos de mais de um cento de habeas corpus impetrados por populares, demonstram como pode ser nociva a politização da Justiça. Quanto à ordem de soltura de Lula, toda articulada por um juiz petista, importa dizer que a imparcialidade é certamente o primeiro requisito do juiz natural, garantido pela Constituição Federal. De outro lado, a banalização de um instituto tão importante como o habeas corpus, assinado em cópias idênticas por “pessoas do povo”, é um acinte ao Poder Judiciário, que demonstrou sua repulsa a tais impetrações, na corrente decisão da ministra presidente do Superior Tribunal de Justiça. O único norte do Judiciário é a lei, atento à sua hierarquia validada na carta primeira, a Constituição Federal.

Andrea Metne Arnaut andreaarnaut@uol.com.br

São Paulo

*

PODER DO JUDICIÁRIO

Um fato interessante, oportuno e extremamente necessário, está ocorrendo neste país. O Judiciário está tomando consciência de seu poder e compromisso, com a normalização dos direitos e deveres dos cidadãos. A Carta Magna foi omissa, em vários quesitos. Os últimos acontecimentos estão demonstrando claramente isto. Mormente o lado feminino do Judiciário, que não tem nada a ver, com o chavão de sexo fraco.

Ulysses Fernandes Nunes Junior ulyssesfn@terra.com.br

São Paulo

*

GOLPE FRUSTRADO

Técnicas de guerrilha típicas utilizadas no domingo passado, do pretenso golpe. Surpresa, planejamento meticuloso e rapidez. Um final de semana, clima de Copa, férias, recessos, ou descanso de juízes, aparelhamento, um juiz plantonista comprometido com a “causa”. Quem iria esperar um ataque? Estava tudo preparado, inclusive as comemorações. Isso mostra o quanto a atenção, prontidão e a guarda não podem baixar. A tática de guerrilha está sempre alerta a qualquer oportunidade. Parece que está tudo normal, mas a realidade é que não está. Tempos estranhos.

Luiz A. Bernardi luizbernardi51@gmail.com 

São Paulo

*

LULA

A vergonhosa tentativa de libertar Lula, feita por um “desembargador” petista de carteirinha, mostra de forma cristalina a fragilidade da justiça brasileira. Definitivamente, falta muito para sairmos do atoleiro.

Luciano Nogueira Marmontel automatmg@gmail.com

Pouso Alegre

*

JUSTIÇA E SEGURANÇA JURÍDICA

Que justiça é essa que, em nome da segurança jurídica, torna inseguras as vidas dos mais necessitados, que padecem por falta dos recursos públicos criminosamente desviados? Que direito é esse que, em nome da legalidade, liberta criminosos que se apropriaram de tantos milhões do dinheiro público? Que país é esse que, em nome das liberdades democráticas, dá voz a tantos que repetidamente mentem, enganam e ludibriam?

Marcelo G. Jorge Feres marcelo.gomes.jorge.feres@gmail.com 

Rio de Janeiro

*

MILITÂNCIA PETISTA DENTRO DO JUDICIÁRIO

As cenas ridículas patrocinadas por um juiz de plantão no TRF-4 mostram-nos o grau de aparelhamento dos órgãos públicos a que chegamos. Aumentam também nossas preocupações com relação ao STF, onde um juiz de histórico semelhante está prestes a assumir a Presidência.

Níveo Aurélio Villa niveoavilla@terra.com.br 

Atibaia

*

NUNCA MAIS

Um país onde o Executivo e o Legislativo vivem se debatendo em encontrões de desorientação e o Poder Judiciário - que se caracteriza por efetivar uma justiça que após a condenação apela para embargos, instâncias e recursos sem fim até prescrever - é uma arena na qual juízes se digladiam em desonrosas competições, não está perdendo apenas nas competições esportivas, como o futebol e o vôlei. Com milhões de desempregados, de analfabetos e de moradias insalubres, o Brasil e sua gente são os grandes perdedores para essa máfia corrupta e sanguinolenta que se alojou nos Três Poderes com tenacidade e devoção. A última bravata do bravateiro, que já estava com as malas prontas para sair impune de seus muitos crimes, demonstra que andamos na corda bamba da ética e da segurança institucional, perigando o Estado de Direito e a democracia. Todo o desenrolar da cena nacional nos leva a crer que não é apenas o povão que não lê jornais; políticos em geral e juízes em particular também não leem, senão saberiam que não estamos indo às ruas, mas estamos mobilizados em favor da Lava Jato e de sua continuidade. O fim dessa tralha todas que está no comando é só uma questão de tempo. E já passou da hora do mais honesto acordar do seu sonho: Lula nunca mais!

Carmela Tassi Chaves tassichaves@gmail.com

São Paulo

*

ELEIÇÃO 2018

Chegou a hora da verdade para o eleitor, isto é, escolher os seus representantes no Congresso e no Palácio do Planalto e faltam aproximadamente 80 dias para ele usar o seu voto, como a ultima cartada para que o Brasil cresça ou vá definitivamente para “brejo”. Os candidatos, sabemos que são de primeira, segunda e terceira classe, porém o brasileiro é talentoso, inteligente e trabalhador e saberá separar o joio do trigo, a fim de garantir um futuro melhor para seus filhos e netos. Só um aviso: cuidado com os marqueteiros!

José Millei millei.jose@gmail.com

São Paulo

*

COLLOR

Collor volta a falar que é candidato ao Planalto e diz que Lula sofre injustiça. O roto falando do rasgado. Quem defende marginal é advogado, ou marginal, ou outros que são fãs assumidos de criminosos.

José Roberto Niero jrniero@yahoo.com.br

São Caetano do Sul

*

REFORMA POLÍTICA PARA REGENERAR O BRASIL

Discutir política nas redes sociais é fácil. O desafio é conversar com o povo. As pessoas estão muito revoltadas com a classe política. O semblante é de desesperança. A reforma política é muito importante, o primeiro passo para a regeneração do Brasil.

Devanir Amâncio devaniramancio@hotmail.com

São Paulo

*

CROÁCIA, CAMPEÃ DE ÉTICA E HONESTIDADE EM MOSCOU

Antes mesmo da grande disputa na final da Copa do Mundo, a Croácia já conquistou um título de campeã de ética e honestidade pela sua presidente Kolinda Kitarovic, que viajou de Zagreb pagando sua passagem aérea em voo comercial, e os dias que estiver com a seleção em Moscou serão descontados do seu salário de presidente. Ela e saiu da tribuna de honra para comemorar com seu povo. Em tempos difíceis, a presidente conquistou milhões de simpatizantes nas redes sociais, mentes e corações pela sua ética e honestidade como presidente da jovem República da Croácia, tão difícil de acharmos hoje governantes ao redor do mundo. Como mau exemplo citamos no Brasil, um ex-presidente preso e condenado, Dilma organizadora da copa de 2014, apeada do poder por impeachment e pelo petrolão, o presidente atual, Michel Temer, foi denunciado duas vezes pelo Ministério Público, por organização criminosa e obstrução de justiça, e se vangloria da impopularidade de 92%, o povo sofre com 13 milhões de desempregados, e nossa seleção veio antes para casa. Parabéns a presidente Kolinda que ganha todos os títulos fora do campo, dentro de campo torceremos pela Croácia pelo bicampeonato num só torneio.

Jose Pedro Naisser jpnaisser@hotmail.com

São Paulo

*

COPA

De cambalhota em cambalhota, o futebol brasileiro vai deixando de ser referência no futebol mundial!

Francisco José Sidoti fransidoti@gmail.com

São Paulo

*

PRECONCEITO

Vejo com muita frequência uma classificação para uma atriz americana com envolvimento com o presidente Trump, ela é chamada de atriz pornô. Pelo visto ninguém percebe que isso é discriminação e preconceito. No máximo poderia se dizer que ela, como outras, é atriz de apenas um tipo de papel.

Marcos Rothen marcosrothen@hotmail.com

Goiânia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.