Fórum dos Leitores

-

O Estado de S.Paulo

16 Julho 2018 | 03h00

BOLIVARIANISMO

Mortes na Nicarágua

A crise política na Nicarágua, que se arrasta há três meses, já deixou quase 400 mortos em conflitos de rua. O cerco de 12 horas à Universidade Nacional Autônoma da Nicarágua, sitiada e atacada por forças leais ao presidente Daniel Ortega, no final da última semana, terminou com dois estudantes mortos e 16 feridos. O ataque culminou na queda do último bastião da resistência estudantil que se opõe ao governo desde abril. A Comissão Interamericana de Direitos Humanos deveria abrir processo judicial contra o presidente Ortega, que é o responsável pela violenta repressão contra a oposição. E a Organização dos Estados Americanos deveria ativar a cláusula democrática e suspender o país.

LUIZ ROBERTO DA COSTA JR.

lrcostajr@uol.com.br

Campinas

TUCANATO

‘Partido estranho’

Sob o título acima, editorial de sábado (A3) critica a atitude de deputados do PSDB que votaram contra a proibição de reajustes salariais para servidores públicos no ano que vem. O partido liberou a bancada para que cada parlamentar votasse como bem entendesse e, dos 25 deputados, 20 votaram a favor da permissão de aumento para o funcionalismo. A certa altura diz o Estado que “o estranho é que o PSDB queira fazer parte do problema”, referindo-se ao crítico estado das finanças públicas nacionais. Pois para mim não é nada estranho. O PSDB já mostrou que tem o mesmo nível político, ético e moral do resto da cambada dos 30 e tal partidos que envergonham o País, uns um pouco mais do que outros.

MÁRIO RUBENS COSTA

costamar31@terra.com.br

Campinas

Aproveitadores

Quero destacar um trecho do editorial Partido estranho: “O PSDB tem uma história a honrar e, se deseja ter um futuro condizente com a estatura de seus fundadores, não pode se dar ao descalabro de ser irresponsável com o País. Não cabem flertes com o corporativismo e tampouco com o populismo. (...) A submissão gratuita dos 20 deputados tucanos a pressões corporativistas é um fenômeno realmente estranho”. Deve, entendo eu, ser dado a público o nome desses 20 irresponsáveis e de todos os demais dos outros partidos que estão contribuindo para levar o País para o buraco com tal irresponsabilidade fiscal. Os eleitores conscientes saberão escolher na hora de eleição. Fora os irresponsáveis e aproveitadores!

ÉLLIS A. OLIVEIRA

elliscnh@hotmail.com

Cunha

SISTEMA PENAL

Traficante solto

Está na rua o traficante Leomar Oliveira Barbosa, que cumpria pena por chefiar quadrilha internacional de drogas. Leomar, que já foi braço direito de Fernandinho Beira-Mar e é considerado um dos líderes de facção criminosa de âmbito nacional, foi solto de uma penitenciária em Goiás, beneficiado por habeas corpus concedido pelo ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), sob o fundamento de que prisão após condenação em segunda instância é “precipitação” da execução provisória da pena. Essa decisão negligencia jurisprudência firmada pelo pleno do tribunal que permite sua aplicação. Outro episódio de negligência contribuiu para a libertação de Leomar, dessa vez por agentes penitenciários, que não verificaram a existência de outros mandados de prisão, o que impediria o cumprimento da ordem. E assim Leomar, tido como de alta periculosidade, ganhou a liberdade. À população brasileira, indefesa e atemorizada resta assistir, estupefata, à ação dos agentes públicos e se perguntar: até quando?

SERGIO RIDEL

sergiosridel@yahoo.com.br

São Paulo

CRIMINALIDADE

Violência desmedida

A execução de um empresário com um tiro no pescoço ao ser abordado por criminosos num arrastão dentro do Túnel Noel Rosa, no Rio de Janeiro, retrata o caos em que vivemos. Nossas leis foram elaboradas por parlamentares com a visão de que o criminoso é vítima de uma sociedade capitalista selvagem e burguesa. Nas eleições de outubro cada cidadão pode modificar essa situação esdrúxula de proteção aos marginais, com sua única e poderosa arma: o voto.

LUIZ FELIPE SCHITTINI

fschittini@gmail.com

Rio de Janeiro

TRÂNSITO

O perigo das motos

No caderno Metrópole de 2/7 e em editorial de 11/7 o Estado aborda o relevante tema do descaso com os acidentes e a não fiscalização do tráfego de motos. Trata-se de situação que reflete inação e apequenamento dos responsáveis diante do poder econômico e de interesses políticos, envergonha nossa Engenharia de Tráfego e é desumana. Cerca de metade dos traumas que dão entrada nos hospitais públicos da Região Metropolitana de São Paulo têm origem em acidentes de moto. Isso significa enorme sobrecarga desses hospitais, que são custeados por impostos. Em outras palavras, todos pagamos pelas consequencias. A indústria e as autoridades de trânsito nem se preocupam em promover campanhas educativas. Fiscalização de velocidade e comportamento no trânsito, nem pensar! Interessante pesquisa jornalística seria levantar a carga tributária sobre bicicletas e sobre motos. Sobre bicicletas será maior. Interessante comparar também o custo mensal do financiamento de uma moto e do transporte público. Financiar a moto é mais barato. É o contrassenso do que seria uma política de transporte urbano. Mortes e feridos causados pelas motos não só são custeadas por impostos, também deixam condutores inválidos, enlutam famílias, interrompem vidas produtivas para o País. E provocam graves traumas psicológicos nos envolvidos. Ainda mais, as mortes são muito mais numerosas do que as estatísticas, que medem apenas quem chega morto ao hospital. Quem morre depois não conta. O Denatran tem um plano multiações para o problema, com exigências de dispositivos de segurança para as motos, adaptação no conteúdo dos cursos e exames de habilitação, alterações na legislação e programas de treinamento. O que foi feito? Nada. Por que a indústria não patrocina campanhas educativas?

TELMO GIOLITO PORTO

tgporto@uol.com.br

São Paulo

EM SÃO PAULO

Morrer é complicado

A Prefeitura da capital precisa dar mais atenção ao Serviço Funerário. Os funcionários atendem bem, mas depois de uma espera absurda. Falta gente e as funerárias particulares, de outros municípios, se aproveitam para oferecer facilidades. Sugiro ao prefeito a criação de um Projeto Boa Morte, para dar mais conforto às famílias nessa hora difícil.

MILTON GATTAZ

milton@gattaz.com.br

São Paulo

*

“Plantonista ideológico na Justiça, insuportáveis despesas para o País, candidatos não confiáveis e renovação inviável dos quadros legislativos. Vida de gado, povo feliz...”

JOSÉ CARLOS DE CARVALHO CARNEIRO / RIO CLARO, SOBRE A SITUAÇÃO CAÓTICA DO BRASIL

carneiro.jcc@uol.com.br

*

“Estamos diante de uma Nação imóvel e estagnada à espera do desfecho eleitoral, herança do legado lulopetista”

FRANCISCO JOSÉ SIDOTI / SÃO PAULO, IDEM 

fransidoti@gmail.com

*

COPA DO MUNDO

Encerrada a Copa do Mundo da Rússia, na qual, e merecidamente, ao vencer na grande final a guerreira Croácia por 4 x 2, a seleção da França, leva o segundo título mundial, justo  também é homenagear os jornalistas do “Estadão” pela altíssima qualidade da cobertura deste evento. Eles, durante toda a Copa diariamente produziram o caderno especial “Copa 2018”.   Curtimos ricas matérias sobre o cotidiano russo. Além dos artigos esclarecedores dos jornalistas esportivos e das deliciosas crônicas de personalidades que atuam fora do futebol.  Trabalho jornalístico de fôlego, altura da tradição do nosso “Estadão”!

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

FRANÇA CAMPEÃ

A França mostrou na final da Copa do Mundo tudo aquilo que o Brasil não tem tido nos últimos anos: um técnico que organiza a seleção com visão de conjunto, preparação física e técnica; jogadores preocupados coletivamente em jogar futebol; apenas um capitão na equipe; um craque despontando no cenário mundial e que doa toda a premiação individual para instituições de caridade porque defende princípios como a solidariedade. Além disso, o presidente da França, com visão política de futuro para o próprio país e toda a União Europeia, estava presente para assistir à partida e prestigiar a premiação ao lado da presidente da Croácia.

Luiz Roberto Da Costa Jr. lrcostajr@uol.com.br

Campinas

*

VIVA A FRANÇA

Apesar da pressão croata, o time francês conseguiu controlar bem sua ansiedade, marcando dois gols de bola parada. A Croácia tentou reagir com uma bela jogada e conseguiu fazer o seu gol. No segundo tempo, o time francês  voltou melhor e conseguiu em seus contra-ataques realizar dois belos gols explorando falhas do goleiro da Croácia. Na volta, os croatas haviam perdido o fôlego, pois vinham de três prorrogações seguidas, o que lhes pesou. Foi assim que a França se consagrou o campeão de 2018. Nesta Copa, ganharam os times que prestigiaram o coletivo, pois não tivemos craques que se destacassem a ponto de conseguir fazer uma diferença maior do que a de um bom jogo coletivo. França e Inglaterra trouxeram vários jogadores jovens, resultantes de um dedicado trabalho de base. E os mesmos prometem.

Jorge e Mendel Nurkin jorge.nurkin@gmail.com

São Paulo

*

CONQUISTA MERECIDA

Parabéns à França pela merecida conquista invicta do bicampeonato mundial de futebol, na Rússia, em 2018. A taça ficou em boas mãos. França fez a melhor campanha, com seis vitórias e um empate, enfrentou os adversários mais difíceis e goleou a surpreendente Croácia (4x2) na grande final. Com sua terceira final em 20 anos, a França agora está ao lado de Argentina e Uruguai como bicampeões mundiais. Bom para os amantes do futebol.

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

EMOÇÃO

Parabéns à França pela vitória. Mas emoção mesmo foi ver os franceses mandando os argentinos para casa!

Sérgio Eckermann Passos sepassos@yahoo.com.br

Porto Feliz

*

SINAL DOS TEMPOS

Esta Copa trouxe um sinal dos tempos muitíssimo interessante: uma equipe titular europeia, campeã, quase 50% negra.

Marcelo Melgaço melgacocosta@gmail.com

Goiânia

*

PARABÉNS AOS CROATAS

Sinceros parabéns ao povo da Croácia!  Fizeram uma campanha digna de elogios na Copa do Mundo e sua presidente mostrou o que é ser responsável e respeitar os cidadãos contribuintes, pagando as despesas da sua viagem à Rússia com seus próprios recursos. Lamentável que,  certamente, não venha a conseguir que seu gesto sirva de norte para nossos parlamentares e ocupantes do Poder Judiciário que, em sua maioria, somente nos envergonham, chegando ao ponto de terem de se “esconder” do povo em salas especiais de aeroportos!

Arlete Pacheco arlpach@uol.com.br

Itanhaém

*

NOVA ORDEM MUNDIAL

A nova ordem mundial tomou a Fifa para eles. Macron é pupilo deles. Tudo estudado milimetricamente nesta Copa para isto. Croácia foi nossa resistência com o time e com a presidente. O Brasil denunciou para o mundo a corrupção da Fifa em 2014, agora o dinheiro seguirá a biruta. Siga o dinheiro. A chuva foi os céus chorando.

Nelson Pereira Bizerra nepebizerra@hotmail.com

São Paulo

*

INFANTINO INFANTIL

O sr. Infantino, presidente da Fifa veio a público e debochou do nosso craque Neymar. Jogador mais caro do mundo, disputou a Copa no Brasil e foi covardemente tirado por uma entrada desleal e nada aconteceu ao autor. Recém-operado, participou desta Copa, mas esteve mal, seria o temor ainda da cirurgia? Acredito que sim, foi o que mais sofreu faltas, fomos o único país a não ser auxiliado pelo VAR. E as lesões de Neymar? Não teriam ações deste senhor? Machucar gravemente antes de uma Copa? Afinal, o infantil Infantino é italiano e pretende encostar no Brasil em títulos mundiais, e nada foi falado ou feito contra este senhor, eu abriria a boca, Neymar. Aqui estamos todos andando na mesma direção: pra trás.

Julio Jose de Melo Rua Cláudia julinho1952@hotmail.com

Sete Lagoas (MG)

*

O SUMIÇO DE NEYMAR

Antes, durante e até a desclassificação do Brasil na Copa do Mundo, cansava o telespectador a quantidade de propagandas feitas por Neymar.  Agora ele deu sumiço tão grande que impressiona, mas  a explicação é simples: no momento, os anunciantes não querem ver seus produtos associados  com uma figura que na Copa ficou  marcada como um farsante tentando enganar arbitragens, porque poderia  transmitir ao público alvo de seus anúncios a mesma impressão.  

Laércio Zanini zannix813@gmail.com

Garça

*

CONCLUSÕES PÓS-COPA

Terminada a Copa, algumas conclusões se impõem: 1) Não há mais lugar para jogadores brasileiros estrelinhas, os “mimadões”; 2) Não há mais lugar para dirigentes corruptos e incompetentes que passam a mão na cabeça de jogador; 3) Não há mais lugar para comissão técnica doméstica cheia de amigos e parentes, pouco profissional e dependente dos “mimadões” e atletas de confiança; e 4) Acabou a era da arbitragem doméstica, que favorece sempre os mesmos times. O VAR tem que ser implantado no campeonato brasileiro imediatamente. 

Luiz Henrique Penchiari  lpenchiari@gmail.com

Vinhedo

*

BELGAS

A Bélgica é, sem dúvida, a melhor seleção da Copa, e consequentemente a melhor do mundo. Um ataque invejável, de craques e grandes jogadores, com talentos que há muitas copas não se via. E digo mais, se a França não tivesse jogando na retranca, seria a Bélgica a campeã da Copa. Um país com uma educação linda, uma educação que serve de modelo, saúde pública de primeira, bons políticos, sem violência, professores bem pagos. Eles, sim, merecem todos os aplausos, mereciam ganhar a Copa do Mundo. Um belo time, uma grande seleção a melhor do mundo. E na próxima Copa será a campeã, sem dúvida.

Carleones Fonseca carleonesfonseca@bol.com.br

São Paulo

*

TORCIDA

Caso sejam verdadeiras as notícias dando conta de que a presidente, não “presidenta”, da Croácia, Kolinda Grabar-Kitarovic, assistiu a algumas partidas da seleção de seu país, na Copa da Rússia, em meio a torcedores comuns vestindo camiseta caracterizada, pagou sua própria passagem aérea em avião comercial e determinou que suas ausências do posto fossem descontadas do seu salário, serão inevitáveis as comparações com o Brasil, em que tais atitudes por parte de personalidades públicas de alto escalão são impensáveis na atualidade. Dá para imaginar Temer, Rodrigo Maia, Eunício, Gilmar, Lewandowski, Dias Toffoli, Aécio, entre muitas outras atrozes autoridades tupiniquins, agindo de forma semelhante? Nós, de Pindorama, na falta da nossa eliminada seleção, torcemos para que um dia sejamos capazes de testemunhar algo parecido.

Paulo Roberto Gotaç pgotac@gmail.com

Rio de Janeiro

*

MANCHETES PÓS-COPA DO MUNDO

O pior da copa de futebol ter terminado sem o Brasil  disputando a final é que teremos de nos contentar, novamente, com as manchetes sobre juristas, magistrados, ex- comunistas, etc.,  que voltarão a bater na mesma tecla. “O mais inocente dos presidentes continua preso, embora haja 184 pedidos de habeas corpos” ou “Os contêineres mandados para o sítio foram uma tentativa de prova falsa, pois sabiam que o sítio não era da família Lula”. Ou uma mais bombástica: “Os 84 advogados dos presos na Lava Jato solicitam do tribunal de ética da profissão, uma ação contra o Tribunal de Conta da União (TCU) e querem o ressarcimento de honorários, que foram taxados como  acima do limite do teto salarial do governador. Eles justificam que existe enorme diferença na interpretação  jurídica entre salários, proventos, gratificações  e honorários. Caso contrário o governador com seis quinquênios e sexta parte receberia acima do próprio teto”. É isso aí. “Deus salve a América”.

Flávio Prada flavioprada39@gmail.com

São Paulo

*

LULA

Lula é prejudicial ao Brasil estando solto ou preso. Por um lado, solto estaria continuando a enganar o povinho, arrastando-o pelo cabresto do Bolsa Família e penduricalhos, dizendo-se credor da gratidão de iludidos cidadãos, bem calçado pela corriola de corruptos que lhe fazem corte, sedentos de poder. Por outro lado, preso traz incalculável prejuízo aos cofres públicos, pelo custoso e duvidoso aparato carcereiro e pela perda de precioso tempo gasto pela Justiça para mantê-lo preso sob torrencial chuva de habeas corpus, como se não tivesse problemas mais candentes para tratar. Em tempo, não se despreze o Bolsa Família como boa solução para devolver aos favorecidos o que lhes foi roubado durante séculos, não fossem as segundas intenções e, muito menos que Lula não seja mantido preso, desde que a Justiça se una, com bom senso, para evitar tamanho desperdício material e moral, para a Nação.

Elizio Caliman elizio.caliman@yahoo.com.br

Brasília

*

SE EU FOSSE O EX-GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN...

Eu assumiria com todas as letras as reformas que o País tanto precisa! Eu assumiria as privatizações de todas as estatais que dão prejuízos e são cabides de empregos. Eu assumiria e mostraria quem eu tenho do meu lado. Nada mais, nada menos do que os srs. Pérsio Arida e Edmar Bacha. Por favor, senhor Geraldo Alckmin, o senhor é um homem sério e é isso que nosso País está precisando!

Cleo Aidar cleoaidar@hotmail.com

São Paulo

*

CONTROLE DE NATALIDADE DE POMBOS

Com a explosão da miséria, o controle de natalidade é mais urgente do que a fracassada e, para muitos, comovente lei de extermínio de pombos – da Prefeitura de São Paulo – pela fome. Uma das políticas corretas para a população de rua é iniciar já uma campanha solidária de cirurgia de vasectomia na Praça da Sé e cortiços. A cidade de São Paulo já conta com cerca de 30 mil pessoas morando na rua, e mais crianças nascendo e crescendo ao relento. Outra questão de saúde pública é o aborto clandestino praticado por mulheres sem-teto.

Devanir Amâncio devaniramancio@hotmail.com

São Paulo

*

CRIVELLA

Acho bom o prefeito do Rio de Janeiro, o bispo Crivella, ficar esperto, pois como diz o velho e certeiro ditado popular: “onde há fumaça, há fogo”. Fazer reunião com pastores e líderes de igrejas evangélicas no palácio da cidade é no mínimo ilegal e/ou abuso de autoridade ou será que não, senhor prefeito?

Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@uol.com.br

São Paulo

*

ROTA 1,5 BI

O governo lança programa automotivo “Rota 2030” com incentivo anual de R$1,5 bi a montadoras. Este lobby funciona. Muda o nome “Inovar-auto” do PT. O resultado será aumento de lucros, que depois será repassado como remessa de lucro, para as matrizes estrangeiras. Nada de inovação, pois continuará faltando, competição.

Ulysses Fernandes Nunes Junior ulyssesfn@terra.com.br

São Paulo

*

A VOLTA DO SARAMPO E POLIOMIELITE

Há anos, a campanha da gotinha que salva e as vacinações anuais eram divulgadas para alertar a população a respeito da saúde de seus filhos. Já faz tempo que essas campanhas não se fazem mais e acabamos de descobrir que nem as vacinas também não são feitas e que metade da população não foi vacinada. É mais um sinal da falência do poder público e de nossa decadência. 

Aldo Bertolucci aldobertolucci@gmail.com

São Paulo 

*

RENOVAÇÃO DA VALE

Para que a mineradora Vale consiga a renovação das concessões das ferrovias usadas para escoar minério de ferro, acertou com o governo realizar duas obras no Centro-Oeste e no Sudeste, as quais servirão para escoamento de grãos. Previamente fora combinada a realização de investimentos em ferrovias no Pará e Espírito Santo. A não concretização desses projetos despertou a ira dos respectivos governadores e o imbróglio está formado. Isso me faz lembrar uma piada antiga dos tempos da extinta União Soviética. Numa fazenda coletiva, chega uma comissão de inspeção do Partido. Perguntam ao responsável: “Como vocês alimentam as galinhas?” Resposta: “Grãos de trigo”.  Isso suscita a ira patriótica do inspetor. “Trigo! Com o povo precisando de pão. Isso é um crime passível de ser punido com uma ida (sem volta) à Sibéria. Na próxima inspeção esperamos não encontrar mais essa anomalia”.

Meses depois, nova inspeção, mesma pergunta e uma resposta diferente: “Nós damos grãos de milho”. “Milho! Com o povo precisando de polenta! Se não corrigirem isso... Sibéria”. E eis que, decorrido mais algum tempo chegam novamente os inspetores. “Vejamos! Com o que alimentam as galinhas?” Resposta: “Nós damos a cada uma dois rublos e elas que comprem o que quiserem”. No caso da Vale a melhor solução parece ser a mesma: entregar o valor correspondente aos investimentos ao governo e ele que se vire. Outros tempos, mesma farsa.

Alexandru Solomon alex101243@gmail.com

São Paulo

*

VERISSIMO

O brilhante cronista deste jornal, continua na sua saga de defesa do prisioneiro de Curitiba Agora ele lista os corruptos soltos em Brasília, mas lamenta que o maior líder do País, na opinião dele, esteja preso. A velhinha de Taubaté acredita?

Sergio Cortez cortez@lavoremoveis.com

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.