Fórum dos Leitores

Cartas selecionadas para a edição impressa e portal estadao.com.br

O Estado de S.Paulo

18 Julho 2018 | 03h00

SAÚDE PÚBLICA

‘O SUS contra a ciência’

Oportuno e esclarecedor o artigo O SUS contra a ciência (17/7, A2), que desmascara as pseudociências conhecidas pela estranha denominação de Práticas Integrativas e Complementares, ou “medicina e práticas alternativas”, pelos leigos. É assustador saber que o Sistema Único de Saúde (SUS) despende preciosos recursos com bobagens como acupuntura e homeopatia, que chegam a ser recomendadas por alguns médicos, podendo os gastos com essas práticas serem descontados do Imposto de Renda.

LUIZ MARIO LEITÃO DA CUNHA

luizmleitao@gmail.com

São Paulo

Sobre o artigo O SUS contra a ciência, há diversas revisões sistemáticas e meta-análises de instituições independentes, como o Instituto Cochrane, e revisões publicadas em conceituados periódicos médicos, como o Journal of American Medical Association, que demonstram um efeito benéfico da acupuntura para diversas patologias, tais como cefaleias, fibromialgia e dores crônicas. Um estudo recente publicado nessa revista, de 2012, avaliou quase 18 mil pacientes com diversos tipos de dores e encontrou que a acupuntura tem um efeito analgésico importante, se comparado ao tratamento convencional como exercícios, medicamentos e também em relação ao placebo. A ciência está em constante evolução. A acupuntura, apesar de ser uma terapia milenar chinesa, só nos últimos anos vem sendo avaliada por estudos científicos de maior qualidade, para compreendermos o mecanismo de ação, efeitos biológicos, suas possíveis limitações e quais pacientes poderiam se beneficiar deste tratamento. Estudos dos últimos anos com ressonância magnética funcional mostram que o estímulo nervoso feito pelas agulhas pode ter um efeito de neuromodulação central, ou seja, ativando áreas específicas do cérebro contra a dor. Não sabemos exatamente todos os possíveis efeitos ou mecanismos da acupuntura. Inclusive muitos estudos ainda são inconclusivos, mas é por isso que cientistas devem se atualizar e utilizar de novas pesquisas para mudarmos e atualizarmos nossos conceitos.

HONG JIN PAI, médico clínico do Centro de Dor da Neurologia da USP, professor colaborador do Instituto de Ortopedia e Traumatologia do HCFMUSP

hongpai.spam@gmail.com

São Paulo

O artigo O SUS contra a ciência me causou certa indignação. Afinal, qual a razão para “abrir guerra” contra alternativas mais naturais para a prevenção, alívio da dor ou a cura de doenças, como a terapia pela acupuntura e outras mais naturais? Sabe-se que os medicamentos aprovados pelas agências reguladoras, como a Anvisa no Brasil e FDA nos EUA, têm comprovação de sua eficácia pelos testes clínicos e seguindo os trâmites necessários para a obtenção das patentes com o rigor da lei, que é uma segurança para nós, pacientes, quanto à sua qualidade. Mas praticamente toda droga traz consigo seus efeitos colaterais, muitas vezes maléficos ao organismo. Estou errada? Leiam a bula dos remédios e vejam quantos malefícios algumas drogas podem trazer ao sistema imunológico e à saúde dos pacientes. Não digo que devemos evitar essas drogas, mas o médico de confiança deve prescrever esses medicamentos quando existe a real necessidade para o tratamento medicamentoso. Na minha opinião, cabe ao médico optar pelos tratamentos à sua disposição para a prevenção e cura do paciente, e, se em algum caso o tratamento alternativo pode ajudar, qual a razão de condenar essa prática? 

SILVIA REBOUÇAS P. DE ALMEIDA

silvia_almeida7@hotmail.com

São Paulo

O tempo contra o SUS

Como disse recentemente o dr. Paulo Guedes em entrevista, os grupos humanos têm liberdade de escolher, dentre todas as imagináveis, quais ideias adotarão como verdade. Só que o tempo é implacável. Ele é o juiz final, separando a realidade do devaneio. Que grupos escolham devaneios usando seus próprios recursos e assumindo seu risco, é lamentável, mas não trágico. Tragédia é ter de arcar com a conta de ideólogos dos variados naipes, forçando-nos a pagar por cromoterapia, aromaterapia e presidiário candidato. Inclua-me fora dessa, por favor!

GUILHERME SPINA

guilherme.spina@gmail.com

São Paulo 

CONGRESSO NACIONAL

Reajuste salarial

O líder do grupo que criou o Bebê Trump inflável, Leo Murray, disse a seguinte e brilhante frase: “Para chegar a Trump, você tem de descer ao nível dele e falar-lhe numa linguagem que ele entende: a dos insultos pessoais”. A partir daí deduz-se que o nível dos congressistas brasileiros é ainda mais baixo que o de Trump, porque nem mesmo sendo alvo dos piores insultos eles se contêm, tramando – em meio à maior crise da história do País, com 15 milhões de miseráveis e 14 milhões de desempregados – lançar a R$ 38 mil o teto de seus vencimentos mensais.

MARCELO MELGAÇO

melgacocosta@gmail.com

Goiânia

Nossos senadores e deputados não se emendam mesmo. Querem tirar vantagem em tudo, e dane-se o povo brasileiro. Agora, articulam um aumento do pequeno salário que já recebem por trabalhar só três dias na semana. E isso além dos aspones e do indigesto e imoral auxílio-moradia. Lamentável. Não à reeleição em outubro.

EMERSON LUIZ CURY

emersoncury@gmail.com

Itu

JUSTIÇA

O STF e a Carta Magna

Mais uma vez o Estadão se manifesta de maneira simples, objetiva e precisa. Em editorial (Desrespeito contumaz, 17/7, A3), o jornal chamou à ordem ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) para se aterem aos preceitos legais que estão inseridos na Constituição. O ministro Luís Roberto Barroso decidiu não enviar ao plenário daquela Corte a solicitação de um advogado do Rio de Janeiro para, na próxima eleição, ele se candidatar à Presidência da República sem estar filiado a algum partido. O ministro, sem a menor cerimônia, sugeriu audiência pública para ouvir quem é contra ou a favor desse desvario. Desvario porque, como lembra o jornal, o pedido do interessado subverte-se violentamente contra o que determina a Constituição (art. 14, parágrafo 3.º), que, entre outros preceitos, impede a candidatura sem filiação partidária. A decisão do ministro bate de frente com o estabelecido e claro mandamento constitucional. Absurdo comparável à maracutaia feita pelo então presidente do STF, Ricardo Lewandowski, com o senador Renan Calheiros, deixando de cassar também os direitos políticos da impedida presidente Dilma Rousseff. Mais uma afronta do STF, junto de outros atos insanos e até infantis de certos ministros.

UBIRATAN DE OLIVEIRA

Uboss20@yahoo.com.br

São Paulo

13 MILHÕES

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, assume a Presidência da República. O presidente Michel Temer (MDB-SP) foi para Cabo Verde, Rodrigo Maia (DEM-RJ) para o Chile e Eunício Oliveira (MDB-RJ) para os Estados Unidos. Já os 13 milhões de brasileiros desempregados continuam à procura de emprego.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

STF

Se sou obrigado a votar no Legislativo e no Executivo, alguém pode explicar por que sou proibido de votar no Judiciário?

Carlos Alberto Duarte carlosadu@yahoo.com.br

São Paulo 

*

SEM FUTURO

Quando um país passa por uma crise profunda no Legislativo, no Executivo e no Judiciário, a economia balança, perigosamente afetada por uma greve insana dos caminhoneiros que provou que não temos legislação sólida o suficiente para enfrentar tal situação nem condições de fazer cumprir a lei, pois as forças de segurança são comandadas por políticos que em ano de eleição preferem ter um policial morto por dia do que 20 "foras da lei", pois polícia que mata tira votos do candidato. A justiça está soltando criminosos condenados porque ainda não ficou clara a situação de condenado em segunda instância, porque ninguém se entende no Judiciário, o que está escrito na Constituição em um parágrafo é desmentido no seguinte e assim vai até chegar à atual situação. Podemos confiar no que está escrito na Constituição? Com certeza, talvez... No Brasil de hoje uma única regra é cumprida à risca: a do jogo do bicho, na pule pode-se ler: "Vale o escrito por três dias". Se o que está escrito na Constituição não se sustenta por um dia, aonde vamos parar? Muda Brasil, enquanto há tempo.

Luiz Ress Erdei gzero@zipmail.com.br 

São Paulo 

*

LADO PETISTA DE TOFFOLI

Este ex-advogado-geral da União, do governo Lula, o ministro Supremo, Dias Toffoli, mesmo tendo recebido duras críticas ao conceder estranhamente habeas corpus ao corrupto José Dirceu (PT), parece desejar indignar ainda mais a sociedade brasileira! Ou seja, assumindo a Presidência do STF, em setembro próximo, Dias Toffoli, como informa o jornalista Lauro Jardim, do jornal "O Globo", está propenso a convidar para área de comunicação da Corte, o ex-ministro de Lula, Franklin Martins! O mesmo Franklin, que estarreceu a classe jornalística, da qual, pertence, que foi autor durante a gestão petista de um projeto excrescente de "Controle Social da Mídia". Que se aprovado pelo Congresso, como assim desejava a tigrada de Lula, hoje, a nossa imprensa estaria sob o regime da censura. E talvez, também, o povo privado da liberdade de expressão... Que país é este?

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com 

São Carlos

*

PRECISAMOS DE MUDANÇAS... 

Temos necessidade premente da mudança de conduta dos atuais representantes dos poderes constituídos, para evitarmos o "caos" e o "desastre" financeiro em todas as áreas. Com raríssimas exceções, uma verdadeira revolução popular urgente. Como sempre privilegiam a si próprios, o mais nítido exemplo está na nossa "cara", todo brasileiro sabe e sente aonde chegaram. São tantas as vantagens que já usufruem... Além dos proventos e mordomias que ultrapassam os exageros e o pior que se prevalecem da corrupção sem limites que se envolvem, roubando "desavergonhadamente o povo brasileiro". A população está representada por verdadeiros desclassificados, nada aprovarão em benefício do "explorado cidadão brasileiro". A começar pelo número de deputados federais e senadores, que não deveria passar de 3 ou 4 deputados federais e 1 ou 2 senadores por Estado, até para facilitar a escolha nas eleições e permitir um maior controle pela população. O que será uma enorme redução das despesas incontroláveis e desnecessárias causadas pelos mesmos. Também precisa ser reduzido o número de deputados estaduais e vereadores. A aprovação pela sociedade aos constantes aumentos de nomeados e servidores que já extrapola o razoável e necessário, só com consulta prévia à população. A máquina Pública é cara demais! As mudanças ou reformas devem ser submetidas sempre ao "referendo popular" para aprovação... Precisamos moralizar os poderes do País, reduzindo custos por demais extravagantes e vergonhosos assumidos pelos brasileiros, a carga tributária é superelevada... Não há quem suporte! 95% da sociedade não se vê e não se sente representada pelos atuais políticos! Os poderes estão infestados de corruptos... Será que alguém se salva?

Luiz Dias lfd.silva1940@gmail.com 

São Paulo

*

CONGRESSO

Cada dia fica mais clara a necessidade de atualização da Constituição, seja por meio de PEC's ou de constituinte. A evidência, para mim, vai desde a irresponsabilidade do Congresso quanto às despesas públicas, seja mantendo uma Previdência que nos afunda (especialmente aos investimentos fundamentais postergados), ou por nomeações no STF, a lista é extensa e triste. Os desaforos são diários e revoltantes. Nós, que já não conseguimos pagar tais contas (vide déficit) exigimos (debalde) seriedade e visão de futuro. Nosso presidente, por diversos motivos, não pode dizê-lo, mas o ministro da Fazenda deveria declarar que este Congresso é irresponsável, pródigo.

Andre Frohnknecht caxumba888@gmail.com

São Paulo

*

A CONTA QUE NÃO FECHA

Fazendo uma conta aproximada, baseada em notícias que leio no Brasil de hoje: 21% vivem do Bolsa Família, 14% são aposentados e pensionistas, 10% são dependentes do grupo anterior e 12% estão desempregados. O que dá 57% neste primeiro grupo. Dos 43% que sobram, mais da metade são crianças e jovens que dependem da outra metade que os sustenta. Ou seja: sobram 20% da população para carregar o país nas costas. Sem deduzir entre estes, os que se dedicam a todo tipo de tarefas remuneradas que não geram riqueza. E do que já é gerado, há uma parcela significativa que é desviada pela máquina governamental para negócios escusos ou que é desperdiçado devido à má administração. Deve ser por isso que esta conta não fecha. 

Jorge A. Nurkin jorge.nurkin@gmail.com

São Paulo

*

REAJUSTE DOS SERVIDORES

Alguém me explica por que o atual governo resolveu mencionar o reajuste salarial para os servidores ao elaborar a LDO? Ora, se pelo artigo 37 da Constituição é obrigada uma "revisão geral anual" apenas, sem obrigar reajuste ou aumento, nem fala de índices, porque não deixou a decisão de não reajustar, perfeitamente permitida pelo artigo 37 para a próxima legislatura? A quem interessou levantar a lebre?

Sandra Gonçalves sandgon@terra.com.br

São Paulo 

*

MAILSON DA NÓBREGA

Ouvi entrevista com o economista e ex-ministro da Fazenda, Mailson da Nóbrega que, dentre outros conceitos repetiu um que já é de conhecimento geral, porém que me chamou a atenção pela clareza com que expôs uma verdade que considero importante repetir. Disse ele: "As instituições vigentes fazem com que um presidente possa muito pouco, pois quase nada consegue fazer sem depender da aprovação do Congresso, que todos sabemos como age. Então, quando o povo constata que o presidente não consegue executar as necessárias reformas a que se propunha, o povo volta-se contra o presidente". Faço então, a pergunta: se os candidatos sabem que é assim que funciona (ou não) o sistema, por que se dedicam tanto na busca pelo cargo? Vaidade? Interesse? Ou ambos? É compreensível que o candidato Flávio Rocha (das Lojas Riachuelo) tenha retirado sua candidatura. Questionado, respondeu: "Desisti porque o povo brasileiro ainda não está maduro o suficiente para lutar pelas modificações que poderiam salvar este país". Ele está certo.

Celso C.Cretella cpropano@gmail.com

São Paulo 

*

CREDIBILIDADE ZERO

Os brasileiros e eleitores deste país vivem um processo de não credibilidade nas instituições e em seus representantes. Eis que a corrupção turvou os olhos da quase totalidade de brasileiros. Assim, as eleições serão o maior fiasco democrático que o País já viu, porque o montante de votos nulos e em branco terá como finalidade precípua demonstrar o descontentamento da Nação com todos os Poderes da República. Para convencer os eleitores, há necessidade de algo bem forte, crível e que possa sacudir a vontade patriótica da Nação. Haverá essa possibilidade?

José Carlos de Carvalho Carneiro carneirojcc@uol.com.br

São Paulo

*

SUPLICY E DATENA

Num canto do jornal li que Suplicy queria conversar com Datena, que fez muito barulho durante o jogo político, mas na hora de bater o pênalti, caiu fora! Presume-se que Suplicy procurou o apresentador para ter seu apoio, mas até acho bobagem, pois o eleitorado paulista tem mostrado um analfabetismo político capaz de eleger até uma mula para qualquer cargo! 

Laércio Zanini spettro@uol.com.br 

Garça 

*

SUPERFATURAMENTO NO RODOANEL

Declarou o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin sobre a construção do Rodoanel: "Não sei de nada sobre o superfaturamento dessas obras". R$ 130 milhões com o seu secretário Paulo Preto, preso e sendo investigado e mais os R$ 600 milhões que eu quero que a justiça apure. Se um governador de Estado não tem competência para saber de tamanhas falcatruas, como ele quer ser presidente? Está parecendo Lula da Silva que não sabia de nada quando o País ficou quebrado com a administração petista. Ele também diz não saber de nada.

Benone Paiva benonepaiva@gmail.com

São Paulo 

*

RISCO À ORDEM PÚBLICA

A liberação de José Dirceu de fato contraria todo o bom senso jurídico. Réu reincidente e condenado em 1.ª instância pelo mensalão seguiu delinquindo no caso do petrolão, onde segue como réu, aguardando sentença próxima em 2.ª instância. Seu papel como reconhecido mentor intelectual do PT, articulador junto à grupos terroristas e a países que tem declaradamente apoiam esse tipo de ação, agora livre, sem tornozeleira eletrônica conforme já havia sido recomendado, posta sem temor convicções que visivelmente pretendem tumultuar nosso democrático processo eleitoral. Basta frequentar as redes sociais para constatar. Se a prisão preventiva justifica-se diante do risco do réu fomentar o risco à ordem pública, que o Ministério Público Federal (STF) tome providências para retorná-lo a cadeia.

Carlos de Oliveira Ávila gardjota@gmail.com

São Paulo

*

GALÁXIA DA CORRUPÇÃO

Carlos Gabas; Fernando Pimentel; Edison Lobão; Gleisi Hoffmann; Mario Negromonte; Paulo Bernardo; Antonio Palocci; José Dirceu; Erenice Guerra; José Carlos Bumlai; Delcídio Amaral; João Santana; Delúbio Soares; Gim Argello; Paulo Okamoto; Silvio Pereira; João Vaccari, Ricardo Berzoini, Jaques Wagner, Aloisio Mercadante, Edinho Silva e Fernando Bittar são alguns que compõe a "galáxia da corrupção", orquestrada pela dupla "Lulla" e "Dillma" e que agora, estão muito preocupados com a decisão do Supremo Tribunal Federal que autoriza a prisão, após condenação pela Segunda Instância. Pobre da tigrada petista! 

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

PRESO POLÍTICO OU POLITÍCO PRESO?

Dilma Rousseff e Gleisi Hoffmann disseram em sua passagem pela democrática Cuba onde predomina um partido único há quase 60 anos com centenas de presos políticos, que Lula foi vítima de prisão política. Na verdade, Lula foi só mais um político preso por corrupção e lavagem de dinheiro, a exemplo dos demais presos pela Lava Jato. Simples assim.

Paulo R. Kherlakian paulokherlakian@uol.com.br 

São Paulo

*

LULA

O magistral livro de George Orwell "A revolução dos bichos", uma crítica ao totalitarismo de esquerda, pode ser assim resumido: porcos quadrúpedes lideram revolução em uma fazenda contra a opressão dos humanos bípedes e, uma vez no poder, também se tornam bípedes opressores. Orwell vaticinou o que acontece hoje nas miseráveis e violentas Venezuela e Nicarágua. Se Lula ou qualquer pau-mandado seu ocupar a Presidência da República, o terrível vaticínio orwelliano se estenderá ao Brasil.

Túllio Carvalho tulliocarvalho.advocacia@gmail.com

Belo Horizonte

*

ATOS E FATOS

No país do carnaval e do futebol, nossa seleção nos decepcionou num momento que o Brasil, como país, está em frangalhos. Tite destoou do espírito esportivo, sem fair play, saiu de fininho sem felicitar o técnico belga. Pior foi, ao arrepio da lei, um desembargador petista de carteirinha, quase soltou Lula, o detento hexa réu, mas os nossos "valorosos" deputados e senadores, descompromissados com o Brasil fizeram pior, quando a tônica era de contensão de despesas, ampliaram, e muito, o gigantesco déficit orçamentário. Daí a explicação de 62% dos jovens brasileiros, esperança de um futuro alvissareiro, almejam ir para o exterior.

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br 

Vila Velha (ES)

*

LIÇÃO AOS NOSSOS BADERNEIROS

Oitocentos mil croatas festejam o vice com alegria e ordem. Festa de campeão. Parabéns!

Roberto Hungria cardosohungria@gmail.com

Itapetininga

*

NEYMAR

Após a Copa, o valor de mercado de Neymar e Messi despenca. E de Mbappé sobe 44%. A imprensa britânica critica Neymar: "Mimado, resmungão, dramático e trapaceiro". Precisa desenhar?

José Roberto Niero jrniero@yahoo.com.br 

São Caetano do Sul

*

O FUTURO

Se for convocado para a próxima Copa, espero que esse jogador entenda que foi para jogar futebol e brilhar junto com o time brasileiro. Se for para querer aparecer, fazer palhaçada e encenação, melhor que não seja chamado, pois já virou piada no mundo e nada produziu de objetivo em campo.

Carlos Eduardo Barros Rodrigues ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo

*

DEODORO PRECIPITOU-SE

Se Marechal Deodoro da Fonseca tivesse poder de premonição, por certo, naquele 15 de novembro de 1889 estaria numa poltrona lendo as últimas notícias do definhamento da monarquia lusitana. O caos em que se encontra o País demonstra que ninguém manda nada e todos mandam. Menos de 20 horas depois que a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) editou regras para os clientes dos planos de saúde, onde estava o Ministério da Saúde? A ministra Cármen Lúcia suspendeu a resolução, enquanto o Legislativo e Executivo estavam a ver a Copa na Rússia. 

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com 

Vassouras (RJ)

*

ABUSO E EXTORSÃO INIMAGINÁVEIS

Além do governo não nos oferecer absolutamente nada em termos de saúde, nos deparamos com uma ridícula, absurda e abusiva resolução da ineficiente e incapaz ANS, que prevê, entre outras regras, que operadoras de saúde poderão cobrar de seus clientes até 40% do valor de cada procedimento. Felizmente, esta resolução foi suspensa na segunda-feira (16/7), pela presidente do STF, onde deduzimos e concluímos, levando-nos a crer que para aprovar algo tão repugnante, indecente, e mal intencionado, desrespeitando e tratando a população de todas as formas desrespeitosas, negativas, pejorativas imagináveis, menos como ser humano. Que com certeza absoluta, nesse meio responsável por ditar tal norma, só podem existir pessoas com interesses em obter vantagens e benefícios para si próprios ou até mesmo proprietários de planos de saúde formando um cartel.

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo 

*

'OS DONOS DA BOLA'

O "Estadão" estampou na capa (17/7) a foto emblemática dos donos da bola. Uma bola da Copa foi tudo o que Trump ganhou no encontro com Putin. Chutou a esmo e fez gol contra! Foi vaiado por democratas e republicanos. O mundo é a bola da vez, que os dois pernas de pau tratam muito mal! Um dono de cassinos e outro da KGB controlam o mundo num jogo de cartas marcadas.

Paulo Arisi paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre

*

O HOMEM É DE MARTE

Trump desculpa Putin. Temer viaja para África. A ministra Cármen Lúcia é presidente por uns dias. O Congresso brasileiro promove farra com dinheiro público. Invadem o Ministério do Trabalho. Cadê a segurança? Ninguém sabe, ninguém viu. Talvez fosse melhor perguntar para Cristiane Brasil. O dólar sobe, tarifas bancarias também. Planos de saúde querem seu quinhão. Caminhoneiros roubam a carga que diziam transportar. José Dirceu vira burguês e tem patrimônio leiloado. Dilma discursa em Cuba sobre o problema do "strip tease". Temos eleição sem candidatos definidos, mas entre os postulantes destaca-se na mídia a novela do presidiário que quer por que quer se candidatar a presidente. E finalmente, no Éden local, onde jovens sonham em emigrar, aqueles que não podem, sujeitam-se a enfrentar filas quilométricas em busca de emprego. O homem e de Marte ou de morte?

Sergio Holl Lara jrmholl.idt@terra.com.br 

Indaiatuba

*

REUNIÃO TRUMP E PUTIN

O encontro é o primeiro passo ao retorno da antiga guerra fria. Os dois estão dizendo ao mundo que quem manda são eles, porque possuem armas prontas para fazer valer a vontade de qualquer um dos dois. Os afagos mútuos são meras mentiras de maritacas que apenas desempenham um papel. A Coreia não foi calada, apenas foi colocada na sua completa inexpressividade, era de fato um laboratório para a Rússia e China desenvolverem seus apetrechos bélicos, e parece que Trump deu seu recado a Putin, fica na tua que eu fico na minha. A Rússia (ex-URSS) já foi calada uma vez, poderá ser de novo! Estamos às vésperas do final infeliz do fim da guerra fria, que instalou no mundo os "direitos sem deveres" que também está fazendo água.

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

CAMPANHA A FAVOR DO BREXIT 

Por mais que burocratas queiram inibir atividades anti-Brexit com multas, os eventos políticos observados mostram que ao se chegar na hora "H" e a saída não foi ainda devidamente equacionada, poderá se reforçar uma rejeição popular mais forte à saída da União Europeia. Depois da muita louça quebrada pelo elefante Trump, em visita na loja britânica, onde fez declarações consideradas insultantes, a posição política dos apoiadores do Brexit se está enfraquecendo gradativamente, podendo haver um "Exit in the Brexit".

Ulf Hermann Mondl hermannxx@yahoo.com.br

São José (SC)

*

'A ESPANHOLINHA E O PRÍNCIPE GURDJIEFF' 

Em artigo publicado no "Caderno 2" do "Estadão" (16/7, C3), o Prêmio Nobel da Literatura, Mario Vargas Llosa encanta os seus leitores com uma fábula moderna "A espanholinha e o Príncipe Gurdjieff". Pena que ele alude injustamente ao verdadeiro Georges Ivanovitch Gurdjieff como sendo um "canalha bêbado". Para aqueles leitores como eu de suas obras geniais e do inesquecível relato do seu principal discípulo P.D. Ouspensky "Fragmentos de mm Ensinamento Desconhecido" em primorosa tradução para o português da Eleonora Leitão de Carvalho, Editora Pensamento, podemos verificar o quão errado está o mestre de Lima. Lamentável.

John Mcnaughton john@mcnaughton.com.br

São Paulo 

*

PARA TODO DIA MELODIA

Poeta e intérprete dos invisíveis, Luiz Melodia é reconhecido pelo seu lirismo misturado a uma boa dose de realidade. Críticas bem construídas sobre não amar, não sentir e não governar. Negro gato, pois observou como a realidade faz chorar e cobra atitudes. Declarações de amor compõem Pérola Negra e outros sucessos. Luiz Melodia encantava a todos com versos ímpares e seu olhar fotográfico. Suas composições serão eternas para aqueles que apreciam Música com M maiúsculo de melodia e métrica. Para apreciar seu ritmo e seus sentimentos, "Congênito" nos alerta - se a gente falasse menos, talvez compreendesse mais. Como na música "Gerações", que tenhamos uma geração do B, uma geração do A, uma geração geral - plural, igual e de Melodia, todo dia. 

Cléber Mapeli Serrador cleberserrador2012@gmail.com

São Paulo

*

RETIFICAÇÃO

Na minha carta titulada "prevaricação" publicada ontem no do "Fórum dos Leitores" do "Estadão" (17/7), peço com a devida vênia, que seja retificada a expressão "deveria" pela expressão "houve por bem" pedir ao Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4) para abrir inquérito contra o desembargador Rogério Favreto, por crime de prevaricação, eis que, quando enviei aludida carta, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge já havia tomado tal providência. Eu somente louvei a iniciativa da digna procuradora. Fico grato ao "Estadão" pela publicação deste pedido de retificação.

Antonio Brandileone abrandileone@uol.com.br 

Assis

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.