Fórum dos Leitores

Cartas selecionadas para a edição impressa e portal estadao.com.br

O Estado de S.Paulo

25 Julho 2018 | 03h00

CONGRESSO NACIONAL

A bancada dos servidores

Como assinante e leitor, quero cumprimentar o Estadão pela reportagem publicada no domingo sobre os 26% dos deputados federais que são servidores públicos (Servidores têm maior e mais poderosa bancada na Câmara, 22/7, primeira página). O povo deve saber, com isso, por que a reforma da Previdência não foi aprovada e por que a privatização de estatais deficitárias não evolui para o bem do País. No primeiro caso, por causa dos privilégios; e, no segundo caso, em razão dos apadrinhados políticos. Pessoas de bem produzem e pagam impostos, enquanto grande parcela de influentes olha apenas interesses pessoais. Quanto aos interesses do Brasil, que se danem. As eleições vêm aí, atenção, eleitor.

FRANCISCO NAVAS FILHO

franciscinavas@uol.com.br

São Paulo

ELEIÇÕES 2018

Alckmin e o ‘centrão’

Concordo totalmente com o editorial Fazendo o diabo (24/7, A3), sobre a aliança de Geraldo Alckmin com o “centrão”. Fiquei estarrecida com o fato de o pré-candidato à Presidência pelo PSDB ter-se aliado ao que há de mais espúrio e atrasado na política nacional, aceitando suas chantagens em troca de tempo de TV e possivelmente pondo em risco a reforma trabalhista. Se ele acha que vai conseguir negociar e não ceder a essas velhas raposas se assumir o poder, gostaria de lembrá-lo de que não há virgens em bordéis e de que o diabo sempre cobra sua conta.

TEREZA SAYEG

tereza.sayeg@gmail.com

São Paulo

Comemorei quando parecia que o PSDB havia optado pela racionalidade com o candidato à Presidência Geraldo Alckmin prontamente se negando a rever a nova lei trabalhista. Mas essa racionalidade durou apenas um dia. O candidato já se vendeu por merreca. Bye, bye, PSDB.

EDUARDO ROTENBERG

erotenberg53@gmail.com

São Paulo

Contribuição obrigatória

O candidato do PSDB deve esclarecer bem a questão do seu entender sobre a reforma trabalhista. Alckmin sempre afirmou ser a favor de tal reforma e, portanto, totalmente contra a cobrança obrigatória da contribuição sindical. Agora, com a pressão de sindicalistas e/ou políticos a eles ligados, surgem boatos de que ele iria estudar tal assunto. Este pessoal lulopetista nunca votou nem votará no ex-governador paulista, mesmo que ele venha a reexaminar a questão desta excrescência podre que alimentava os bolsos dos pelegos de milhares de sindicatos. Está na hora de o presidenciável Alckmin, assim como os demais candidatos, esclarecer em definitivo seu ponto de vista. Para o bem dos brasileiros (e de sua candidatura), definitivamente diga não à volta da contribuição obrigatória. 

ÉLLIS A. OLIVEIRA

elliscnh@hotmail.com

Cunha

Segundo Dilma Rousseff, em campanha “a gente faz o diabo”. Para nós, eleitores, restava um pouco de esperança, até Geraldo Alckmin sucumbir ao interesseiro Paulinho da Força. Só nos resta lamentar.

MARCOS A. DE M. FREITAS

mmenezesfreitas@uol.com.br

São Paulo

Candidato Geraldo Alckmin, a contribuição sindical nas democracias é livre. Nas ditaduras os sindicatos são pelegos obedientes ao governo. Seja firme e terá o meu voto e o de muitos que pensam como eu.

MARIUS ARANTES RATHSAM

mariusrathsam@hotmail.com

São Paulo

Reforma política

Tenho lido neste fórum várias opiniões de leitores recriminando o acordo que Geraldo Alckmin fez com o “centrão”. Ora, todos os candidatos com chances de se eleger disputaram arduamente esse apoio. E, desde Sarney, nenhum presidente governou sem o apoio desta gente. O problema não é Alckmin, que, aliás, considero o melhor candidato entre os que postulam a Presidência. A grande questão está na mãe de todas as reformas que devemos fazer, a reforma política. Sem a cláusula de barreira e sem o voto distrital, qualquer candidato ficará sempre refém do tal “centrão”.

LEÃO MACHADO NETO

lneto@uol.com.br

São Paulo

Acordão

Por que não chamar pelo nome certo este apoio dado a Alckmin/PSDB pelo núcleo duro da perniciosa política do toma lá dá cá? Dar a este escândalo vergonhoso ares de “único caminho para a governabilidade” é um tapa na cara dos eleitores. Temos de assumir a responsabilidade de alertar: só a renovação do Congresso vai permitir que nosso povo sofrido volte a ter um mínimo de dignidade.

PAULO G. P. C. DE CARVALHO

pege@globo.com

Rio de Janeiro

Luta inglória

Centro, centrinho, centrão, direita, esquerda, todos unidos para afundar a Nação. Chegam a ser uma afronta ao cidadão que “democraticamente” será obrigado a comparecer às urnas nas próximas eleições estes conchavos políticos travestidos de apoio, que visam tão somente ao poder. Até quando nossos ministérios, nossas instituições ficarão nas mãos de pessoas incompetentes e usurpadoras, que almejam apenas todas as vertentes possíveis para o desvio de verbas e a aprovação de leis e emendas para deleite de seus próprios umbigos? Inacreditável que os tais candidatos desavergonhadamente se prestem à mesma linha de política suja de sempre. Contestar essa realidade é uma luta inglória que mina a esperança de quem quer e acredita num futuro melhor. O “mais do mesmo” não tem mais lugar num país que quer sair do retrocesso.

ANA SILVIA F. P. P. MACHADO 

anasilviappm@gmail.com

São Paulo

LULA

‘Dia do Volto’

Lula da Silva decidiu comparar-se a dom Pedro I, que criou o “Dia do Fico”. Quer criar o “Dia do Volto”. No fundo, deveria criar o Dia do Fico na Cadeia, pois, além de lhe faltarem anos de pena a cumprir, ainda virão novas condenações. Como diz o provérbio, “cabeça vazia, oficina do diabo”. Fora, Lula!

JÚLIO ROBERTO AYRES BRISOLA

jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

Lula endereçou carta ao presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC em que fala em voltar para “fazer o Brasil feliz de novo”. Se Lula conseguir voltar, depois do mensalão e do petrolão, qual será o próximo “ão”?

J. A. MULLER

josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré

GERALDO ALCKMIN

Geraldo Alckmin (PSDB-SP), ao mudar suas convicções e do PSDB para aceitar as chantagens de Paulinho da Força (SD-SP) e seus comparsas - grupo nada abonador da decência e do bom proceder - demonstra fraqueza, principalmente, por se tratar de um retrocesso vergonhoso. Antes só, com menos tempo de propaganda eleitoral, do que mal acompanhado. Essa aliança com o Centrão não serve para angariar votos, muito pelo contrário. A sua negativa será uma demonstração ao País de seu caráter e uma denúncia de quanto é danosa a atividade desse grupo oportunista. Perca tempo na TV, mas não a dignidade.

José Olinto Olivotto Soares jolintoos@gmail.com  

Bragança Paulista

*

'FAZENDO O DIABO' 

Enquanto o Brasil anseia por um candidato à Presidência da República honesto, genuinamente comprometido com a modernidade administrativa, privatizações, enxugamento da máquina pública e com um vigoroso combate à corrupção, o candidato Alckmin segue os passos de Dilma Rousseff: dá um tapa na cara do eleitor e vende a alma para se eleger. Perfeito o editorial "Fazendo o diabo" (24/7, A3). 

Nilson Otávio de Oliveira noo@uol.com.br 

Valinhos

*

REFAZENDO O DIABO

Ao aderir ao Centrão, o candidato à Presidência que a meu ver era o menos pior, igualou-se àqueles que vendem a mãe em troca de alguns segundos a mais de propaganda eleitoral. Dilma, quando foi candidata, fez o diabo e agora, pelo visto, o diabo está sendo refeito até por quem não deveria fazê-lo. Lamentável.

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br  

São Paulo

*

BIRUTA DE AEROPORTO

Alckmin parece que não aprende. Na eleição de 2006, o então defensor das privatizações efetuadas pelo governo FHC, da noite para o dia mudou de ideia e apareceu na TV com um jaleco dos Correios. Resultado: perdeu a eleição. Agora se acovardou com um simples gritinho do notório Paulinho da Força e se desdisse quanto ao fim do esbulho sindical obrigatório. Vai perder de novo.

José Severiano Morel Filho zzmorel@icloud.com 

São Paulo 

*

ALCKMIN E A CONTRIBUIÇÃO SINDICAL

Alckmin deve conscientizar-se de que concessões à esquerda não conquistam seus votos, apenas fazem perder os votos da direita. 

Ottfried Kelbert okelbert@outlook.com 

Capão Bonito 

*

ALCKMIN E PAULINHO

Ambos têm em comum a vontade férrea de continuarem sendo pelegos do governo. 

Ariovaldo Batista arioba06@ahotmail.com 

São Bernardo do Campo

*

TE CUIDA, CADIDATO

Geraldo Alckmin, após o apoio do super Centrão, deve ficar de olho no candidato a vice, que os "donos do Congresso" vão enfiar em sua goela. Como uma espada de Dâmocles, o "impeachment" ficará se revolvendo sobre sua cabeça. Picolé de chuchu que se preza fica frio e na geladeira!

Paulo Arisi paulo.arisi@gmail.com 

Porto Alegre

*

NO 'RODA VIVA'

Geraldo Alckmin respondeu todas as perguntas com sinceridade e transparência, e com sua autoridade de ter sido o melhor governador do maior Estado do País. Tenho certeza de que está mais bem preparado para ser o futuro presidente da República!

Arcângelo Sforcin arcangelosforcin@gmail.com 

São Paulo 

*

ALCKMIN E O CENTRÃO

O presidente do PRB, Marcus Pereira, um dos partidos do Centrão, coligado de última hora da campanha de Geraldo Alckmin, disse com todas as letras que "é fundamental que haja não somente um conselho político, mas que os partidos da aliança possam discutir de forma conjunta a construção do plano de governo para os próximos quatro anos. Não queremos que nosso apoio seja meramente eleitoral. Não é esse o objetivo. Se essa fosse a intenção, teríamos outras opções. Queremos sentar à mesa para governar juntos. Diante do exposto, o que se pode esperar de um governo que, se eleito, reunirá as famigeradas figuras de Paulinho da Força, Valdemar Costa Neto, Ciro Nogueira, entre outros? Pobre Brasil...

J.S. Decol decoljs@gmail.com 

São Paulo 

*

SABATINA DESPERDIÇADA 

Se no programa "Roda Viva", da TV Cultura, o pré-candidato ao Planalto, Geraldo Alckmin até surpreendeu pela desenvoltura, lamento que, o mesmo não se pode dizer dos jornalistas que participaram deste importante evento! Estavam mais preocupados em questionar o acordo (que todos os candidatos tentaram) selado com Centrão, que tem cinco partidos em meio a outros 35 no Congresso, e com as denuncias de corrupção sobre as obras do Rodoanel, que seguem bem investigadas pela Polícia Federal (PF)! Porém, por que, nesta sabatina, não questionaram o Alckmin, pela falta de apresentação do seu programa de governo, que infelizmente nenhum outro postulante ao Planalto teve a coragem também de apresentar faltando pouco mais de 60 dias para o pleito? E, que, tirando o tema educação, e uma questão sobre o setor da saúde formulado pelo médico e professor da USP, Paulo Saldiva, os jornalistas simplesmente passaram batidos sem exigir resposta do tucano, em vencendo a eleição, o que fará para solucionar a caótica situação da infraestrutura no País! Já que, entre outras tantas prioridades, faltam estradas decentes, ferrovias, hidrovias, e saneamento básico para mais de 50 milhões de brasileiros! Também passou em branco o tema insegurança jurídica que permeia a Nação, como deste asqueroso contencioso do tabelamento do frete dos caminhoneiros, dos contratos de concessões, privatizações, etc., que vem preocupando os investidores. Espero que nas próximas sabatinas com outros candidatos, o questionamento seja mais produtivo, para que embase melhor a decisão do eleitor.

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com  

São Carlos

*

BOA NOVA

A intenção do pré-candidato ao Planalto, Alvaro Dias (Podemos) em abrir conversas com o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa - que colocou muitos corruptos na cadeia - é uma boa nova, apesar de difícil concretização. Vamos torcer para que certo! 

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br 

São Paulo

*

POSTURA INADEQUADA

Essa postura da Janaína Paschoal em se aproximar do Bolsonaro é uma decepção, eles não combinam em nada!

Laert Pinto Barbosa laert_barbosa@globo.com 

São Paulo

*

A FAMIGERADA UNIÃO DE ESQUERDA

Há certa dificuldade da esquerda: PCdoB, PDT, PSB, PSOL em entender o quadro político atual. O PT, um partido de esquerda, ganhou a eleição para Presidência da República por 13 anos, a primeira vez na história do Brasil que isso acontece, e realizou um governo que distribuiu renda. Isso incomodou a elite que sempre dominou a política e resolveram afastar, por meio de um golpe claro, a presidente Dilma e prender, sem prova, o candidato (Lula), que tem o apoio da maioria da população. Foram dois golpes. Que união é essa que a esquerda prega? A de um terceiro golpe ou da conciliação com os golpistas? É isso que está colocado. Qualquer eleição sem a presença de Lula não terá legitimidade e será idêntica à de Temer. 

Antonio Negrão de Sá negraosa1@uol.com.br 

Rio de Janeiro

*

ESQUERDA ATRASADA

A esquerda ortodoxa brasileira, sempre na contramão do que acontece no mundo, incluindo o Brasil, demorou a entender - se é que entendeu - que o muro de Berlim caiu e a União Soviética não existe mais, há tempo. A continuar nesta toada, a compreensão de que a nova Constituição cubana, caso seja referendada, não conterá mais referências ao comunismo e reconhecerá o mercado e a propriedade privada, levará uns 30 anos para acontecer. E olhe lá. 

Luciano Harary lharary@hotmail.com 

São Paulo 

*

PUNIÇÃO GERAL

O "lulodilmopetismo" arrasa o País em 13 anos e os candidatos à Presidência pregam a reconciliação nacional em vez de punição geral e irrestrita dos corruptos e o cancelamento imediato do registro do PT como partido político.

Sergio Salgado de Oliveira ssoliveiramsm@gmail.com 

Monte Santo de Minas (MG)

*

DOM LULA

Em carta enviada ao presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, a alma mais honesta do País diz que vai criar o "dia do volto" em referencia ao "Dia do Fico", como fez Dom Pedro quando decidiu ficar no Brasil, em 1822, ao invés de ir para Portugal. A ideia do presidiário de Curitiba tem um lado bom. Se o nosso Dom Lula voltar, poderá trazer de volta duas refinarias doadas à Bolívia; 2,2 bilhões de dólares emprestados Hugo Chávez e à ditadura cubana; R$ 20 bilhões emprestados a Eike Batista e à JBS a fundo perdido; 25 milhões de euros levados pela amiga Rose Noronha para Portugal, isso só para dizer o mínimo. Parafraseando a ministra Cármen Lúcia: no mensalão, se viu que o cinismo venceu o medo, no petrolão "o escárnio venceu o cinismo". Volta, Lula e traga tudo que foi levado do povo brasileiro.

Paulo R. Kherlakianpaulokherlakian@uol.com.br  

São Paulo

*

'DIA DO VOLTO'

Em carta, Lula diz que vai criar o "dia do volto". Dia do volto. Volto para Garanhuns e não volto nunca mais!

José Roberto Niero jrniero@yahoo.com.br   

São Caetano do Sul

*

FESTIVAL LULA LIVRE 

Vi a relação dos artistas que estarão no festival no Rio pela libertação de Lula. É gente que já foi esquecida e tenta ressurgir das cinzas e gente mais nova que busca aparecer. Coitados. Sacrifício em vão. Os esquecidos não ressurgirão, os novos não aparecerão e Lula continuará na prisão. Bom seria que os familiares daqueles que já estão ouvindo "penico" e entendendo "Tonico", os impedissem dessa exposição. Aos mais novos, afirmo que essa não é a melhor maneira de ganhar notoriedade. O tiro pode sair pela culatra. Não sejam "Maria vai com as outras". 

Jeovah Ferreira jeovahbf@yahoo.com.br 

Taquari (DF)

*

ELEITOR É DETALHE

O cardápio de candidatos para as eleições de outubro serve para definir o papel do eleitor na hora de votar, é um simples instrumento na mão dos partidos políticos que impõe candidatos de qualidade duvidosa. Precisamos escolher o menos pior, é como fim de feira, a hora da "xepa". As coligações e as tentativas de incluir famosos ou grandes empresários na chapa presidencial servem para dar um ar de seriedade aos candidatos, mas é quase impossível e acaba piorando ainda mais a já desgastada imagem dos políticos brasileiros. O voto obrigatório nas regiões mais pobres do País produz o pior resultado das eleições que é o vencedor com voto comprado ou pior, sob coação. Só o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) não enxerga o óbvio, falta qualidade para animar e dar esperança aos eleitores.

Luiz Ress Erdei gzero@zipmail.com.br 

São Paulo 

*

OS PATRIARCAS

Em "Casa Grande & Senzala", Gilberto Freyre apresenta o patriarca proprietário da terra, no texto de Rubens Barbosa (24/7, A2) do "Estadão" de hoje, somos apresentados aos patriarcas da burocracia, tão poderoso quanto o primeiro, observadas as diferenças temporais.

Andrea Metne Arnaut andreaarnaut@uol.com.br 

São Paulo

*

DINHEIRO PÚBLICO EM GOIÁS

Aqui em Goiás, que parece, mas não é a Noruega brasileira, o governador, o presidente da assembleia e o presidente do tribunal de justiça se reuniram e decidiram convocar extraordinariamente os deputados nesse fim de mês para aprovar a licença prêmio retroativa para juízes e desembargadores. Talvez, pensando que aqui é o Vaticano, lugar de milagres, o governador disse que com isso vai diminuir os custos com o Judiciário. Mas na verdade este é um Estado brasileiro.

Marcos Rothen marcosrothen@hotmail.com 

Goiânia 

*

LOBBY DOS SERVIDORES

Em resposta à carta de Mirna Gleich ("Fórum Estadão" 24/7, A2) e pesquisando no site estadao.com.br/e/servidor, o número de deputados federais de São Paulo que, mantendo o corporativismo próprio e dos donos do Congresso, estão ajudando a levar o Brasil para a insolvência (quebra como a Grécia). São eles: Arnaldo Faria de Sá (articulador do grupo) e os servidores de carreira: Ana Perugini, Arlindo Chinaglia, Carlos Zaratini (PT); Antonio Thame (PV); Capitão Augusto (PR); Carlos Sampaio, Floriano Pesaro, Vitor Lippi (PSDB); Dr. Sinval Malheiros, Marcelo Ortiz (PODEMOS); Eduardo Bolsonaro, Major Olímpio (PSL), Gilberto Nascimento (PSC) e Luíza Erundina (PSOL). Entre outros, estes são em quem não devemos votar.

Éllis A. Oliveira elliscnh@hotmail.com 

Cunha

*

GOVERNO FAZ ECONOMIA DE R$ 10 BILHÕES!

O governo federal acaba de fazer uma economia de R$ 10 bilhões, apenas por fiscalizar o Bolsa Família, aposentadorias no INSS, etc. Identificaram como participantes do Bolsa Família empresários, funcionários públicos, parentes de políticos que jamais tiveram o perfil para receber esse benefício. Aposentados por invalidez permanente que nunca estiveram doentes. Afastados temporariamente por doença recebendo o benefício e que já estavam trabalhando em outros estabelecimentos. Com esse valor elevadíssimo, chegamos a conclusão de que não são apenas políticos que vendem a alma ao diabo, mas grande parte dos brasileiros também. Um povo corrupto não pode reclamar de corrupção. Se não consertarmos a base, será como enxugar gelo. Os cofres públicos continuarão sendo vilipendiados e assaltos pela classe política brasileira. Eles sabem onde tocar o coração - $$$ - de seus eleitores. 

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br  

São Paulo 

*

MARUN INVENTA

Só a velhinha de Taubaté poderia acreditar que a tal Corte Constitucional teria credibilidade! Seria formada por santos? Que ridículo!

Sandra Maria Gonçalves sandgon@terra.com.br  

São Paulo

*

CORRUPÇÃO

A contínua apuração pelas operações judiciais ora em andamento, de atos de corrupção tanto de gestores públicos como de lideranças da iniciativa privada entre nós, é emblemática. Prova que ditas posturas antiéticas, que elas são generalizadas em nossa sociedade, urgindo assim que combatamos tais desvios comportamentais, para que possamos construir a grande nação civilizada, que tanto sonhamos e temos condições de ser.

José de Anchieta Nobre de Almeida josedalmeida@globo.com 

Rio de Janeiro 

*

'FARSA PRESIDENCIAL'

O nonagenário cronista gaulês do "Estadão" na Europa, que em matérias anteriores teve tantos elogios ao novato ocupante do Palácio do Eliseu em Paris, agora manifesta seu desapontamento com o jovem Macron, que ainda tem que prover para o que veio (24/7, A9). O jornalista que sempre foi crítico com políticos mais antigos da União Europeia, principalmente com a sra. Merkel com longa vivência no setor, terá que engolir sua pena ferina e irresponsável. O tempo ainda é o melhor critério para julgamento de políticos e não modismos ainda não comprovados, que separem "joios" jovens do trigo bom. 

Ulf Hermann Mondl hermannxx@yahoo.com.br  

São José (SC) 

*

MARTA INDICADA PELA 14.ª VEZ

Marta é candidata, pela 14.ª vez, ao prêmio de melhor jogadora do mundo, troféu que já recebeu cinco vezes. Ela faz um rabo de cavalo e joga muito. A seleção masculina vive no salão de beleza e joga pouco.

Marcelo Melgaço melgacocosta@gmail.com  

Goiânia

*

MELHOR DO FUTEBOL

D'us realmente cansou do Brasil! Nem entre os 10 melhores temos jogador. 

Moisés Goldstein mg2448@icloud.com  

São Paulo

*

TOP 10

Neymar seria indicado ao Top 10 na categoria "se jogar" e não na "jogar".

Aparecida Gaziolla aparecidagaziolla@gmail.com  

São Caetano do Sul

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.