Fórum dos Leitores

Cartas selecionadas dos leitores

O Estado de S. Paulo

05 Agosto 2018 | 03h00

ELEIÇÕES 2018

A volta do recesso

Dia 1.º de agosto era a data da volta dos parlamentares ao trabalho. Noticiou-se que apenas 8 deputados compareceram. Dos 513 deputados federais, cerca de 90% pretendem se reeleger este ano. Como pode um deputado pretender se reeleger demonstrando tão mau comportamento? E como continuar com o apelo aos “pobres” - presente no discurso demagógico e sem credibilidade de muitos -, se nem ao menos respeitam seus eleitores? Esse discurso já cansou.

IZABEL AVALLONE

izabelavallone@gmail.com

São Paulo

Com os pés atrás

Hoje o Brasil precisa, em primeiro lugar, de gente de autoridade e, segundo, que tope mudar o nosso panorama econômico e político. Para isso, depende de um Congresso Nacional que tenha o mesmo objetivo. Mas quem vai topar enfrentar os verdadeiros problemas, que estão no governo, do federal ao municipal, e nas estatais, com os altos salários e as altas aposentadorias? Tudo sustentado pelo setor privado, que paga altos impostos e juros extorsivos e tem pouca poupança para alavancar os investimentos necessários no setor produtivo e na infraestrutura. Por isso o Brasil está parado e todos estão com os pés atrás quanto a esta eleição. Vê-se, porém, que a sede dos políticos pelo pote continua maior que a preocupação com aquilo que terão de enfrentar.

MIGUEL PELLICCIARI

mptengci@ul.com.br

Jundiaí

Uma eternidade

Quem, em sã consciência, pode considerar razoável a renovação dos políticos representantes do povo a cada quatro ou até oito anos? Além de ser quase utópica, pela baixa probabilidade de existir na realidade, qualquer renovação nesse prazo é uma verdadeira eternidade, dada a velocidade com que os problemas nacionais surgem e evoluem. A lamentável rejeição ao parlamentarismo, de saudável estrutura autolimpante, orquestrada por aqueles políticos que visavam a seus próprios interesses, mediante um plebiscito votado por gente esclarecida e também por um enorme contingente de analfabetos funcionais, incapazes de discernir temas complexos, só poderia dar neste nefasto regime presidencialista tupiniquim, na prática uma monarquia disfarçada, em que fazemos o papel de súditos pagadores de impostos para gáudio dos que vivem em palácios, cercados de fartas mordomias.

PAULO EDUARDO GRIMALDI

pgrimaldi@uol.com.br

Cotia

Tempo de promessas

Tem sido difícil acompanhar e analisar as promessas dos candidatos em todos os escalões, de presidente a deputados. Lembram muito a lâmpada de Aladim: basta esfregar que o gênio surge e cumpre num piscar de olhos todos os seus pedidos. Antes de o Tribunal Superior Eleitoral verificar a ficha do candidato, se limpa ou suja, o povo deverá fazê-lo antecipadamente. Agora é a hora. Existem candidatos incursos em várias improbidades. Seus nomes foram amplamente divulgados nos jornais. Basta pesquisarmos. Não podemos mais ser enganados.

GUNTHER CLAUSSEN

clausseng@yahoo.com.br

São Paulo

As eleições estão chegando e temos boa razão para estarmos desiludidos com quem nos governa, mas não devemos desistir de encontrar a pessoa certa, porque ainda há pessoas sérias em quem confiar. Podemos nos guiar pelos seguintes atributos: alguém que seja íntegro, só podendo ser atacado por meio de fake news; que tenha larga experiência na política e no trato com o Congresso, pois alguns parlamentares têm mostrado que não facilitam uma boa administração, por estarem mais ligados a interesses partidários ou mesmo aos seus próprios (ou a ambos); e, por fim, alguém que tenha boa experiência administrativa. É possível.

JOSÉ CARLOS PIÇARRA

jcpicarra@hotmail.com

São Paulo

LULA E O STF

Reta final

O Supremo Tribunal Federal (STF) deve julgar nesta semana recurso interposto pelos defensores do ex-presidente hóspede da carceragem da Polícia Federal em Curitiba para que seja libertado e autorizado a disputar as eleições de outubro. O ministro relator do caso, Edson Fachin, ainda pediu celeridade na solução do assunto, liberando a pauta para esta semana e, na sequência, o agendamento do dia para o julgamento em plenário. A intenção é de que o STF defina o imbróglio antes que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) analise os pedidos de candidatura, apresentados até 15 de agosto. No entanto, a esperança dos seguidores da seita lulopetista pode se transformar em pesadelo, uma vez que Fachin deu um prazo de cinco dias para que a defesa diga se o habeas corpus inclui também a questão da inelegibilidade. Se a defesa responder que sim, não vai se dar bem. E, se disser que não, também não. Na primeira hipótese, abre-se a possibilidade de Fachin decidir se Lula pode disputar a eleição - e sabe-se que o plenário dirá não. Na segunda, prejudica-se o argumento de que Lula tem de sair da prisão para participar da campanha. Resumindo: Lula oficialmente fora das eleições o mais breve possível é melhor para o processo eleitoral e para a pacificação geral.

PAULO R. KHERLAKIAN

paulokherlakian@uol.com.br

São Paulo

Patacoada à Brasil

Sobre os pedidos de liberdade de Lula para concorrer à Presidência da República, lei se cumpre, não se discute. Um ser humano condenado em segunda instância por corrupção não pode ser eleito. Assim diz a Lei da Ficha Limpa. Fim. Não tem discussão nem argumentação, menos ainda tentativa de reversão na Justiça. Será que esta impostura, este disparate de tentar “mexer” na lei ocorre em outros países do mundo? Duvido! Está difícil de viver sob a égide do mau-caratismo neste país de meu Deus, com calhordas ocupando diariamente o noticiário.

MYRIAN MACEDO

myrian.macedo@uol.com.br

São Paulo

Fidelidade eterna 

Em entrevistas na TV, Marina Silva e Ciro Gomes lamentaram a prisão de Lula, embora tenham declarado que a lei é para todos (fazer o quê?). Não reconheceram, porém, as consequências trágicas da política dos governos do PT, sempre sob o comando do “cara”. Insistiram, ainda, na tese de aumentar subsídios governamentais, sem dizer de onde virão os recursos, e no controle do Estado sobre a atividade econômica, o que pode levar ao aumento da corrupção e da ineficiência. A fidelidade ao lulopetismo é eterna? Não veem que os tempos são outros?

OMAR EL SEOUD

elseoud.usp@gmail.com

São Paulo

*

DATA DECISIVA PARA AS ELEIÇÕES

Neste domingo, 5 de agosto, ocorre o ponto de corte rumo às eleições. Os partidos terão de formalizar em convenção as coligações e os candidatos. Com a definição dos nomes, que já começou dias atrás, as perspectivas serão mais palpáveis. No dia 16 começa a campanha e em 31 o horário gratuito de rádio e TV. Como grande coadjuvante, cuja força ainda não é totalmente conhecida, estão as redes sociais. A grande pendência é a possibilidade (ou não) de Lula, mesmo preso, poder ser candidato. Isso, a Justiça decidirá. Segundo o IBGE, 138 mil brasileiros possuem esses telefones. Isso revela a força cada dia maior dessa mídia que recentemente já teve papel de destaque nas eleições dos Estados Unidos, México e de outros países. Uma das possíveis utilidades desse canal pessoal é a chance do eleitor pesquisar sobre os candidatos, suas propostas e principalmente sobre seu passado, para depois decidir. Que tudo seja usado para nos dar uma eleição forte e representativa.

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

*

CONVENÇÕES PARTIDÁRIAS

Às vésperas de suas convenções partidárias, os melhores dentre os piores candidatos à Presidência da República definirão seus vices pelo mesmo critério, ou seja, os melhores dentre os piores candidatos. Que absurdo, a que ponto chegamos, não temos ninguém, absolutamente ninguém que nos orgulhe e nos permita  dizer: “Este sim é digno de nos representar. Tem nome limpo, sem mácula e de bom caráter.” Pena, uma pena, e pensar que temos 513 deputados e 81 senadores, dos quais, os que não roubam fazem vista grossa para os que roubam... Ou você já viu algum deputado ou senador acusando algum colega e/ou parceiro?

Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@uol.com.br

São Paulo

*

CHAPA FECHADA

A composição da chapa de Alckmin com a senadora Ana Amélia consolida a força do ex-governador de São Paulo na corrida para as eleições de 2018. O perfil centro-direita que se oficializou com esta dupla, apoiada pelas coligações com o centrão, abre uma esperança para as forças políticas que apontam para o pragmatismo do desenvolvimento econômico, social e ambiental do País. O ódio e a cizânia disseminada pelos radicais de esquerda serão estancados. Ana Amélia era o nome que faltava para dar segurança à Lava Jato e à luta contra a corrupção.

Mário Negrão Borgonovi marionegrao.borgonovi@gmail.com

Rio de Janeiro

*

NOTÍCIA DA SEMANA

A escolha de Ana Amélia não foi algo insípido e inodoro. A meu ver, é a notícia da semana. A senadora tem se destacado muito positivamente, nesta década tão conturbada, atuando em diversas frentes estratégicas com dignidade, sabedoria, competência e energia. Tem demonstrado muita visão, capacidade de compreender os problemas, negociar soluções. Trabalha de modo incansável em prol de nosso país. Vê-la concorrendo pela vice-presidência foi uma das melhores surpresas até o momento.

Jorge Nurkin jorge.nurkin@gmail.com

São Paulo

*

CENTRÃO

Tenho notado que com o apoio do centrão, o ex-governador Geraldo Alckmin está em dificuldade para indicar o seu candidato a vice-presidente. Ora Alckmin! Se já foi feito o apoio com o centrão, por que não indicar um nome dos seus integrantes? Valdemar da Costa Neto, Paulo Pereira da Silva, Roberto Jefferson, Renan Calheiros, José Sarney, seu secretário Paulo Preto e tantos outros nomes que existem na composição do centrão com o PSDB? São todos da sua confiança.

Benone Paiva benonepaiva@gmail.com

São Paulo

*

LULA NÃO PODE E PODE

Lula da Silva, o demiurgo de Garanhuns, não pode ser candidato, porque é ficha suja. Foi condenado em segundo grau pelo Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4), mas parece que vai poder falar, fazer comício e dizer para o mundo que é o mais honesto e que é inocente. Estamos vendo muitos falando, mas ninguém fazendo nada a respeito. Não seria o caso, desde já, de elucidar o povo e os eleitores sobre a sua situação de não poder ser candidato? A quem incumbe impedir que se perpetre o estelionato eleitoral?

José Carlos de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

*

SEM LULA

Às vésperas da importante e histórica decisão do STF sobre a inelegibilidade do condenado Lula, cabe, por oportuno, ressaltar que a lei deve obrigatoriamente obedecer ao princípio da legalidade e não da personalidade de quem está sendo julgado. Como determina a Constituição, no Estado Democrático de Direito todos são absoluta e rigorosamente iguais perante a lei, sem qualquer exceção. O lugar de Lula é na cela da prisão, não na cédula eleitoral.

J.S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

*

RECURSO DE LULA

Como que um condenado a 12 anos e 1 mês de prisão em regime fechado, por duas instâncias da justiça e réu de outros processos que ainda não foram julgados, pode entrar com um pedido de liberdade? Confesso que não consigo entender.

Sergio Salgado de Oliveira ssoliveiramsm@gmail.com

Monte Santo de Minas (MG)

*

ASSUNTO SATURADO

Lula não deve se incomodar, se puder e conseguir se eleger, de alterar o Palácio da Alvorada para um presídio de segurança máxima.

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

SUSPEIÇÃO DE FUX

A audácia dos advogados do PT em pedir a suspeição do Ministro Fux, como indicado pelo “Estadão” em “PT pode pedir suspeição de Fux no caso Lula” (3/8, A4), chega às raias do absurdo pelas declarações embasadas na Lei da Ficha Limpa, que tornam o presidiário de Curitiba inelegível. Chegou a hora de alguém dar um basta neste abuso, por litigância de má-fé da  “entidade criminosa politicamente organizada” (ECPO-PT).

Ulf Hermann Mondl hermannxx@yahoo.com.br

São José (SC)

*

PRÓPRIO UMBIGO

“PT pode pedir suspeição de Fux no caso Lula”. Todo o País sabe que Lula é inelegível, menos os petistas, que só enxergam o próprio umbigo.

José Roberto Nierojrniero@yahoo.com.br 

São Caetano do Sul

*

CHAPADA

Parafraseando ministro Fux, a convenção do PT e chapada.

Moisés Goldstein mg2448@icloud.com

São Paulo

*

COMO FICA O SUPREMO?

Depois da lavada de 85% dos votantes na convenção do MDB, que elegeu Henrique Meirelles candidato do partido à Presidência da República, apesar dos ataques de fúria do senador Renan Calheiros, melhor faria o parlamentar se saísse de fininho do cenário político e se recolhesse à sua insignificância em Alagoas, aguardando, em silêncio obsequioso, o julgamento das ações judiciais que contra ele correm no Supremo Tribunal Federal. Aliás, é de se indagar quais motivos estão impedindo, há anos, aquele órgão de decidir essas questões, ou será que esperam a consumação da prescrição? Quem viver, verá!

Arlete Pacheco arlpach@uol.com.br

Itanhaém

*

ONTEM E HOJE

Ontem: “ou o Brasil acaba com a saúva, ou a saúva acaba com o Brasil”. Hoje: “ou o Brasil acaba com a corrupção, ou a corrupção acaba com o Brasil”. Com veneno adequado a saúva está sob controle, mas a corrupção nos Três Poderes sem prisão perpétua e confisco de bens, é difícil controlar, pois tem muitos defensores e muitas frentes a combater.

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br 

Vila Velha (ES)

*

‘O SINTOMA BOLSONARO E DOIS LIMITES DA DEMOCRACIA’

Por que insistir em rotular de ditadura aquilo que foi um regime militar e economicamente pujante para o País durante 21 anos? Ditadura sim, e do proletariado, foi a tentativa daqueles que o povo tirou do poder em 1964, em aclamação uníssona! A pedido da sociedade, os militares entraram legitimamente, e entregaram o poder espontaneamente em 1985, sempre claramente defendendo o País e seu povo contra notórios terroristas de esquerda, alguns infelizmente ainda presentes na vida pública nacional, tão nocivos como antes… Petistas são curiosos, ainda tendem a negar a realidade, apesar das colossais evidências. Acordem, o Brasil está mudando!

Antonio C. de S. Queiroz Cardoso acardoso@acardoso.com

São Paulo

*

SEM LUZ NO FIM DO TÚNEL

Muito triste ver tanto extremismo. Não tem uma voz conciliadora. É triste ver tantas pessoas nos extremos. Ou é pau ou é pedra. O Brasil está num corredor profundamente escuro e sem uma luz pra correr em sua direção.

Elisabeth Migliavacca

São Paulo

*

ONDE A ESQUERDA ERRA?

A história revela que essa separação entre o que é pessoal e o que é social e nacional tem sido a causa de muitas divergências nas esquerdas. Esse processo eleitoral de 2018 acaba de produzir dois exemplos bem distintos, até agora. A direita intriga nesses casos. Ciro Gomes quis levar sua candidatura na marra pela esquerda, mesmo com currículo pobre nessa direção. O verdadeiro líder das esquerdas, aprovado e comprovado pelo povo foi preso exatamente por ocupar essa posição que Ciro queria. É um direito, mas politicamente errou devido a vaidade. O primeiro passo seria lutar e defender a liberdade de Lula e depois aguardar o desfecho. Não. Atacou e justificou a prisão. Inviabilizou-se pela esquerda num primeiro turno. Marília Arraes, líder do PT em Pernambuco, disse: “A nossa candidatura resgata a esquerda em Pernambuco”. É verdade, mas inviabiliza o País e a soltura de Lula. É correta a posição? “O Globo” aplaude.

Antonio Negrão de Sá negraosa1@uol.com.br

Rio de Janeiro

*

FIM DA PICADA

Um país onde temos centenas de obras inacabadas, mais de 13 milhões de desempregados, parlamentares que despacham durante o dia e à noite voltam para a prisão, um país em que ladrões furtam remédios de hospitais, pessoas ocupam vagas de idosos nos estacionamentos dos supermercados e de larápios furtando medalhas de quem suou para conquistá-la, algo urgente precisa ser feito, visto que se tudo continuar como está chegará o momento que nada mais poderá ser feito.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

FIGURA PATERNA

O já famoso mea-culpa comercial de Neymar alimenta suspeitas quase unânimes: o jogador precisa mais de um pai (figura paterna) do que de um pai-empresário, mais de equilíbrio emocional do que de dinheiro, mais de futebol do que de propaganda, e por aí vai...

Ricardo Siqueira ricardocsiqueira@globo.com

Niterói (RJ) 

Mais conteúdo sobre:
Fórum dos Leitores

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.