Fórum dos Leitores

Cartas selecionadas para a edição impressa e portal estadao.com.br

O Estado de S.Paulo

07 Agosto 2018 | 03h00

ELEIÇÕES 2018

Chapas formadas

Ficou definido, no fim de semana, o leque dos candidatos à Presidência da República. Muitos são velhos e conhecidos trambiqueiros. Outros não têm a menor chance de vitória e nenhuma experiência de governo. Há um conhecido bom administrador que aceitou se coligar com o que de pior existe na política. E um criminoso preso e condenado (excluído pela Lei da Ficha Limpa, se esta ainda estiver valendo). Não é à toa que 59% dos eleitores ainda não tenham escolhido seu candidato. 

CARLOS E. DE B. RODRIGUES

ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo

Um critério

Sugiro um critério simples para escolher candidato: só votar em quem possamos eliminar completamente pelo voto daqui a quatro anos, se não gostarmos de sua atuação. Líquido e claro. De forma nenhuma permitir a aproximação do poder a quem desconfiemos que vai enfraquecer o processo eleitoral, aparelhar a Justiça ou deitar raízes nefastas à democracia representativa. Só isso basta.

JOÃO CRESTANA

jbat@torrear.com.br

São Paulo

Lula candidato

O que nos mostrou o PT nesse fim de semana foi de estarrecer:

a convenção de um partido seguindo ditatorialmente ordens de seu chefe vindas da cadeia, condenado que está em segunda instância por corrupção. Do lado de fora, bobalhões que recebem ordens e não podem mudar uma vírgula do que o todo-poderoso decreta. Será que é isto o que você, leitor, quer para o seu país? Ser governado de dentro da prisão, como uma facção criminosa? Este, definitivamente, não é o país que quero para mim, meus filhos e netos.

OLAVO BRUSCHINI

o.bruschini@terra.com.br

Monte Azul Paulista 

Se o Brasil fosse um país sério, o PT seria punido pela Justiça Eleitoral por insistir em apresentar como candidato presidencial um cidadão condenado, preso por corrupção e que, pela Lei da Ficha Limpa, tornou-se inelegível. Quando seremos, de fato, um país respeitável?

GODOFREDO SOARES

godofredocaetanosoares@gmail.com

São Paulo

Para quem é contra o PT, é um prato cheio esta decisão do partido de lançar um candidato a presidente inviável. Quando tiverem de trocá-lo, vai ser muito tarde, pois a campanha eleitoral vai estar a todo vapor. Será difícil, então, para o “poste” ganhar visibilidade e vencer a eleição. Lula parece pensar só nele com essa estratégia.

REINNER CARLOS DE OLIVEIRA 

reinnercarlos1970@gmail.com

Araçatuba 

Esta candidatura é, sem dúvida, mais uma tentativa esperta do sr. Lula de enganar seus eleitores e assegurar votos para o seu plano B.

INGRID GOERITZ

ingridgoeritz@gmail.com

São Paulo

“Ave, Lula, os que vão morrer te saúdam.” Assim pode ser resumido o fanatismo desequilibrado e inconsequente dos petistas, ao lançarem uma candidatura impossível, ou seja, um presidiário como candidato à Presidência da República. Equivale a um suicídio em massa. Ora, se nem o senador Renan Calheiros, na condição de presidente do Senado, em dezembro de 2016, poderia assumir aquele posto, mesmo interinamente, pelo simples fato de ser réu em ação penal, conforme decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), quanto mais um condenado em segunda instância e réu em ação penal em vários outros processos! O PT está debochando da sociedade e do Judiciário brasileiro, que, inerte, nada faz – como, por exemplo, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), na noite de 29 de maio, quando fugiu de suas responsabilidades e não deliberou a consulta formulada pelo deputado Marcos Rogério (DEM-RO) a respeito da possibilidade de réus em ações penais assumirem o mandato de presidente da República.

MILTON CÓRDOVA JÚNIOR

milton.cordova@gmail.com

Vicente Pires (DF)

STF

Debate sobre aborto

Não é sem motivo que o Estado é considerado o melhor jornal do Brasil. Mais uma vez o comprova o editorial Os excessos do Supremo (5/8, A3). A ministra Rosa Weber, que se posicionou contra a prisão após condenação em 2.ª instância, resguardando-se na Constituição, agora não teve a coerência de reconhecer e resguardar o que ali se tem sobre a inviolabilidade do direito à vida. E, pior, abriu uma discussão que não é de competência do STF. O jornal nos presta, ainda, o serviço de elencar as leis de proteção à vida vigentes em toda a hierarquia do direito positivo do País. Sabemos, porém, aonde o Supremo quer chegar, apesar do discurso falacioso da ministra Cármen Lúcia, pois o ministro Barroso já o indicou quando absolveu os donos de uma clínica de abortos no Rio de Janeiro sob a alegação de que não se pode considerar crime o aborto até a 12.ª semana de gestação, em clara afronta às leis vigentes. Luiz Fux, por sua vez, já declarou que, uma vez investido da toga, não tem de dar satisfação a ninguém. São verdadeiros tiranetes perseguindo seu intento como salvadores da Pátria. O atalho, agora, é uma Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental interposta pelo PSOL, uma manobra maquiavélica que o STF não rejeitou porque compactua com ela. E o PSOL, ao pretender que o tribunal burle as leis vigentes em defesa da vida desde a concepção, legitima a prisão após condenação em 2.ª instância, matéria em que o STF já fez a sua burla.

SUELI CARAMELLO ULIANO

scaramellu@terra.com.br

São Paulo

No artigo Mais um grito pela vida! (3/8, A2), o ex-ministro do STF Eros Grau, com visão técnica jurídica correta – e despido de ativismo ideológico –, posicionou-se a favor da vida. Nestes dias, fomos convidados a assistir no STF a um teatro cujos atores usam a máscara da democracia, mas se autoconstituíram em senhores da supremocracia (e mais, senhores absolutos da vida e da morte, sentenciando a eliminação de embriões humanos). Digo teatro porque as cartas já estão marcadas: é conhecida a posição de alguns destes senhores togados que têm seu nome ligado ao rendoso mercado abortista. Não compete ao STF legislar, muito menos nesta matéria. E, se o faz, usurpa da Câmara e do Senado, onde deveria ser feito o debate e mesmo, se necessário, instituído um plebiscito. Mais de uma vez a voz do povo saiu às ruas para protestar pela democracia, mas esta continua sendo vilipendiada pelo ativismo judicial destes senhores.

REGINA CÉLIA GATTO, médica

reginaceliagatto@gmail.com

Londrina (PR)

LULA, LÁ?

O Partido dos Trabalhadores (PT), com seus líderes insanos, lançou o preso e condenado, Lula, como candidato à Presidência do Brasil. A maioria dos eleitores petistas é de devotos da sigla, independente do candidato. Contudo, muitos adquiriram paixão e cegueira pelo ex-presidente Lula, onde a maioria não consegue enxergar que Lula é socialista nas palavras, e na prática, é um megacapitalista. É só analisar a vida dele e da família (renda e patrimônio) antes e depois da chegada ao poder! Como também amigos/companheiros/etc. que estão associados à corrupção e lavagem de dinheiro, onde muitos estão presos. Enfim, neste vergonhoso caos nacional, eu apoio Lula sempre, no caso, lá em Curitiba, preso! 

Alex Tanner alextanner.sss@hotmail.com  

Sumaré

*

LULA CANDIDATO

Por incrível que pareça, o PT homologou a candidatura do chefão ao Planalto. Assim, teremos um criminoso condenado e preso querendo retornar ao maior cargo deste país. Isso é uma brincadeira de mau gosto, uma ofensa aos brasileiros, mesmo aos idiotas que nele votaram e poderiam ainda votar. Com isso voltamos a ser um país vítima de chacota internacional, é inacreditável. Seus comícios deverão começar nesta segunda, com cinco pessoas de cada vez, é o número exato dos que cabem na cela onde está. 

Carlos Eduardo Barros Rodrigues ceb.rodrigues@hotmail.com 

São Paulo

*

A INÉRCIA DA JUSTIÇA

Com a eterna inércia e demora da Justiça brasileira, o heptarréu Lula da Silva desrespeita, afronta e a coloca em "saia justa". Agora resolveu recorrer a ela para participar do primeiro debate entre os pré-candidatos à Presidência da República. Enquanto isso, magistrados fazem "cara de paisagem" e são colocados "abaixo de traque" pelo demiurgo. Afinal, o debate será na cela da Polícia Federal (PF)? Se for, alguns não sairão mais e farão companhia ao homem mais honesto!

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br 

São Paulo

*

SÓ PODE SER PIADA: LULA NOS DEBATES!

Desanima ver como em nosso país a "politicanalha" manda, desmanda e abusa da justiça, que fica empurrando com a barriga uma solução final que simplesmente é a confirmação da prisão pós-segunda instância, uma medida feita para evitar que criminosos passem anos recorrendo nos penduricalhos safados de nossas leis feitas a capricho para aquele com dinheiro jamais parar na cadeia. Como a justiça foge da solução, passa do momento dos militares dar uma dura no mundo político e da justiça para acabar com essa palhaçada ou poderão fechar tudo. Será que os militares não percebem que a justiça que ampara essa "politicanalha" está quebrando o Brasil não crê numa intervenção militar, por apostar que ainda há um sentimento de culpa pelos anos da última ditadura? Acordem militares, reajam!

Laércio Zanini spettro@uol.com.br 

São Paulo 

*

O RETORNO DO REI

O reinado do PT durou pouco mais de 13 anos, foi marcado pela corrupção e pela prisão de seu líder mor. O retorno do rei só ocorrerá, caso os juízes do Supremo Tribunal Federal (STF) e Tribunal Superior Eleitoral (TSE), integrantes de uma justiça cega, sejam igualmente cegos.

José Alcides Muller josealcidesmuller@hotmail.com 

Avaré

*

SIMBOLISMO DA MÁSCARA

Muito bom o PT ter adotado a máscara para simbolizar Lula. A máscara indica fantasia, que é o que ele nos vendeu, além da dissimulação de alguém que mostra uma coisa, mas é outra. Assaltantes atuam mascarados, mas não só eles como todos os que querem prejudicar sem que saibam quem foi. Máscara é também a marca do carnaval, que é como Lula deixou o País. E a do palhaço, que é como se sentem os seus eleitores. Mas, creio que o mais importante ao escolher a máscara é deixar claro que não há nada mais a contribuir quer com ideias ou ideais além da mesma máscara que não permite que nada mais floresça ao seu redor. Com seu conhecido sorriso para enganar trouxa.

Jorge Alberto Nurkin jorge.nurkin@gmail.com 

São Paulo 

*

ENORME LAMBANÇA

Contrariando a Justiça brasileira, a senadora Gleisi Hoffmann, presidente do Partido dos Trabalhadores, confirmou a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para presidente. Lula está preso em Curitiba, condenado em segunda instância por unanimidade. Lula é réu em diversos processos e se encaixa perfeitamente como ficha suja. A esquerda não quer perder a boquinha de permanecer no poder mais alguns anos, já que se acostumou com as mordomias. Quem nunca comeu melado, quando come se lambuza. Quanta lambança!

José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br 

Belo Horizonte

*

POSSIBILIDADE, CONVENIÊNCIA E VANTAGENS

Chegados à superior e suprema degradação ético-moral-jurídico-eleitoral de presidiários poderem almejar a suprema magistratura da Nação, um eventual postulante do PCC à Presidência, por exemplo, nos pouparia, por motivos óbvios, a visão de sua imagem no horário eleitoral gratuito. E, paradoxalmente, o mais importante: com recursos próprios advindos de assaltos e tráfico, não teríamos a roubalheira institucional de certo fundo partidário, moeda de troca e meio de vida da maioria que aí está.

Ademir Fernandes standyball@hotmail.com 

São Paulo 

*

CRÍTICAS

Qual o motivo desse preso cumprir pena na carceragem da Polícia Federal? No mínimo deveria ser em Pinhais ou outro estabelecimento fora do Estado.

Jonas de Matos jonas@jonasdematos.com.br 

São Paulo

*

TÁ CHOVENDO 'VICE' NO PT

Mais uma vez o PT surpreende. Enquanto todos os demais partidos buscavam desesperadamente por um vice, alguns enfrentando várias negativas, eis que o PT surpreende e, mesmo sem ter ainda indicado o candidato à presidência, apresenta dois candidatos à vice. Haddad e Manoela D'Ávila.

Claudio Juchem cjuchem@gmail.com 

São Paulo

*

PT + PCdoB

Por ordem de Lula (aquele que afirmou ao juiz Moro que não tem mais poder no PT), o vice na chapa será do PCdoB. Até Cuba excluiu o comunismo do seu programa de governo e o PT o adota. O Brasil e a Coreia do Norte são os únicos países, na atualidade, que ainda acreditam em comunismo.

Márcio Cruz mm.cruz23@gmail.com 

São Paulo 

*

SEM FUTURO

Este país não é sério, mesmo, em que lugar do mundo um cara que está preso vive dando declarações de sua candidatura à Presidência da República e, para piorar, apoiado na íntegra por uma corja de petistas que comanda. Quanta tristeza, estamos sem futuro!

Laert Pinto Barbosa laert_barbosa@globo.com 

São Paulo

*

PROCURAÇÃO

Agora só falta o cara dar uma procuração para Haddad representá-lo nos debates. 

Moisés Goldstein mg2448@icloud.com 

São Paulo 

*

QUEM MANDA

Para o PT, o Brasil tem quatro Poderes: Executivo, Legislativo, Judiciário e o poder de Lula, o maior de todos.

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br 

São Paulo

*

IGUALDADE

Assim como o crime organizado, que manda ordens de dentro dos presídios para seus comandados aqui fora, já tem partido político que aprendeu a lição e administra seus militantes, bem como despacha ordens de dentro da cadeia. Isso que é querer igualdade em tudo.

Antonio Carelli Filho palestrino1949@hotmail.com 

Taubaté

*

'LULA LIVRE'

O sonho de Justiça dos petistas é "Lula livre" e opositores presos.

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com 

São Paulo 

*

DESSERVIÇO

Os jornais prestaram enorme desserviço à população ao noticiar com grande estardalhaço a candidatura de Lula na disputa presidencial. Criminoso, preso, julgado e condenado, Lula não tem o direito de se candidatar à Presidência da República. Quem lê somente as manchetes dos jornais pensa erroneamente que sua candidatura está valendo, isso é a definição de fake news, notícia falsa. 

Mário Barilá mariobarila@yahoo.com.br 

São Paulo

*

PSDB x PT

Ao que tudo indica, a antiga polarização PSDB x PT deve novamente predominar nas eleições de outubro. De um lado, a centro-direita, de outro, a centro-esquerda. No centro de ambas, um País à deriva em mar bravio. Vota certo, Brasil!

J.S. Decol decoljs@gmail.com  

São Paulo 

*

KATIA ABREU RURALISTA

Katia Abreu está para o agronegócio, assim como Carlos Lamarca está para o exército. Dizer que ela representa o agronegócio é uma ofensa para todo setor produtivo.

Frederico d'Avila fredericodavila@srb.org.br 

São Paulo 

*

PERFIL DO PRESIDENTE

A disputa pela liderança da direita nas próximas eleições está restrita aos candidatos Bolsonaro e Alckmin. Ao analisar as suas entrevistas na GloboNews observamos uma diferença fundamental entre os dois: Alckmin domina os números de todas as áreas, em São Paulo e nos demais Estados, enquanto Bolsonaro fala sobre a família, preconceitos sobre negros, homossexuais, feminismo e demais assuntos que distraem a população que não se preocupa com os projetos de recuperação do País. O ex-governador mostrou o seu indubitável conhecimento e preparo. Após as entrevistas, ficaram dirimidas as dúvidas sobre o perfil de um futuro presidente da República.

Mário Negrão Borgonovi marionegrao.borgonovi@gmail.com 

Rio de Janeiro 

*

DESALENTO NAS ELEIÇÕES

Como historiador e sujeito da geração que hoje acompanha a realidade política brasileira há mais de cinco décadas, fico com certa melancolia por perceber o perfil dos candidatos ao cargo majoritário do Brasil. Unindo despreparo, prepotência e outras fragilidades de cunho comportamental, caminhamos para o pleito de outubro com uma desesperança que poucas vezes ocorreu entre nós. Que Deus nos ajude a escolhermos o que melhor que possa existir nesse rol tão anêmico que agora apresentamos.

José de Anchieta Nobre de Almeida josedalmeida@globo.com 

Rio de Janeiro 

*

PAÍS DA PIADA

Somos desorganizados, mil vezes desordenados. Como podemos ter tantos candidatos à Presidência sem tempo igual de propaganda eleitoral entre todos. Além de outro, um ambicionando obcecado querendo governar o Brasil de dentro da prisão? Cada vez mais esse cenário nos envergonha perante as Nações desenvolvidas e nos torna alvo de piadas e gozações.

Yvette Kfouri Abrão abraoc@uol.com.br  

São Paulo 

*

SEM VOTO

Pesquisas realizadas por alguns dos mais importantes institutos apontam que cerca de 30% dos eleitores brasileiros (dos quase 150 milhões) pretendem votar em branco ou nulo na eleição do outubro próximo. Dentro da margem porcentual - para mais ou para menos - bem como pelo que se escuta nas ruas, no trabalho, nos ambientes de descontração, etc., e se analisa nos debates feitos entre "experts" que este índice poderá ser superado. A falta de perspectivas e, principalmente, a insatisfação pela classe política, somada à intolerância aos desvios praticados por ela, ainda devem fazer crescer outro grande sinal de alerta: o das abstenções, muitas das quais quando o eleitor não faz nenhuma questão de dirigir-se a sua seção eleitoral para "cumprir com o dever cívico". Aliás, coisa cada vez mais rara num país onde a malversação de dinheiro público, a cleptocracia, a maneira perdulária de governar, o nepotismo, as vergonhosas benesses aos agregados aos Poderes da República (em todas as esferas) e o antipatriotismo são cada vez maiores. E como o povo, que um dia disse "não saber votar", vem aprendendo direitinho com os professores - presidentes, governadores, prefeitos, senadores, deputados e vereadores - é bem capaz que no dia 7 de outubro a maioria opte em não votar, algo que, em condições normais, teria de ser uma atitude abominável num processo de aprimoramento democrático.

João Direnna joao_direnna@hotmail.com  

Quissamã (RJ)

*

DE OLHO NO GATO

A senadora Ana Amélia Lemos preferiu abrir mão de sua candidatura para o Senado para candidatar-se a vice de Geraldo Alckmin. O que ela não poderá esquecer é que "quem tudo quer, nada tem". 

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com  

Jandaia do Sul (PR)

*

CONTA CERTA

Vejo muitos analistas fazerem contas das coligações com base no tempo de televisão. Até 2016 o tempo de televisão foi importante, entretanto, com o alcance da internet e os bilionários fundos públicos de campanha (partidário e eleitoral), a conta é outra. Tempo de TV continua importante, mas virou acessório nas negociações. Vejamos a coligação do PSDB, em simples soma - dois fundos - passa de R$ 1 bilhão somente com dinheiro público. O poder econômico será exageradamente desigual. A renovação que tanto precisamos e lutamos está com risco de ser novamente adiada.

Ronan Botelho ronan@ronanbotelho.com.br 

Londrina (PR)

*

FATOR BOLSONARO

Sinceramente, se for para combater a violência, o atraso, a falta de educação, a indolência, o desrespeito, a roubalheira, as falsas promessas de campanha e a arcaica ideologia comunista estão de bom tamanho, porque viver no Brasil tornou-se um fardo muito além do suportável.

Ricardo Siqueira ricardocsiqueira@globo.com 

Niterói (RJ) 

*

ELEIÇÕES

Para aprovar a Reforma da Previdência é preciso renovar o Congresso, pois os insensíveis deputados e senadores se recusaram a fazê-lo. Infelizmente os partidos priorizam financeiramente a reeleição dos atuais congressistas, daí a dificuldade em renovar, mas não podemos desistir. Para a reforma da Previdência, para o bem do Brasil, renovar é preciso. 

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br  

Vila Velha (ES)

*

POPULISMO

Há maneiras mais inteligentes e objetivas de homenagear a colônia japonesa do que um mero aposto numa estação de metrô. O mérito da questão foi trazer atenção pública ao centro de São Paulo. Os japoneses transformaram um bairro decadente da cidade em área comercial, gastronômica e cultural pulsantes, onde paulistanos e turistas vão buscar alternativas de laser e lá encontram divertimento certo. No passado, não só a força, mas o cemitério do qual sobrou apenas a pequena capela esquecida no fundo de um beco no quarteirão abaixo da praça, marcaram este passado remoto em que a cidade contava 20 mil almas. Hoje habitam nela muitos milhares. Setores do centro da cidade se mantêm decadentes. Antigos, mas bonitos prédios demonstrativos da época da antiga opulência poderiam ser revitalizados, não abandonados vazios. Uma forma para isto acontecer seria a implementação de políticas públicas de incentivo aos proprietários para preservação e atualização de seus imóveis. Com isso, criar-se-ia uma área comercial mais pujante que a atual, com possibilidade de receitas mais altas de impostos, dada a valorização ocasionada. Como não acontece, sem-tetos se apossam de imóveis apoiados por movimentos populares oportunistas. Opta-se pelo atrito social evitável. Administrar não é ver o que esta em frente. É pensar além.

Sergio Holl Lara jrmholl.idt@terra.com.br  

Indaiatuba 

*

PRAÇA DA LIBERDADE

Solidarizo-me com a indignação dos leitores do "Estadão" com a descabida ideia de se mudar o nome da Praça da Liberdade (5/8). Os governantes deveriam encontrar algo melhor com o que se ocupar, a começar pelo conhecimento da história da cidade.

Benedito Toledo bltoledo@uol.com.br 

São Paulo 

*

COINCIDÊNCIAS

Nesta segunda, fez 73 anos do bombardeio nuclear de Hiroshima. Coincidência ou não, alguns leitores do "Estadão" criticaram a mudança de nome da estação Liberdade do Metrô, onde fica o bairro da imigração japonesa de São Paulo. Terríveis coincidências, não?

Marcelo Cioti marcelo.cioti@gmail.com 

Atibaia

*

FELIPÃO NO PALMEIRAS

Que linda demonstração de humildade do Felipão ao declarar "O Palmeiras precisa de mim". Fiquei muito comovido.

Roberto Bruzadin bobbruza@terra.com.br 

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.