Fórum dos Leitores

-

O Estado de S.Paulo

13 Agosto 2018 | 03h00

CONGRESSO NACIONAL

O lava jato da Câmara 

Indignação e incredulidade foram o que senti ao ler sobre o dinheiro gasto com a limpeza dos carros oficiais na Câmara dos Deputados (Coluna do Estadão, 11/8, A4). Como é possível que a lavagem de um único veículo custe por mês R$ 538,00, se um lava jato em Brasília cobra, em média, R$ 30,00 por lavagem? É só fazer a conta. Será que só o povão sabe aritmética básica? 

SÔNIA MANGE

smange@itaca.com.br

São Paulo

*

ECONOMIA

O recado turco

O abalo econômico da última semana, com epicentro em Ancara – e que teve impacto maior em países com déficits cavalares como o Brasil – serve como boa advertência aos nossos presidenciáveis sobre a imprescindibilidade de o Estado nacional levar a cabo reformas profundas e corajosas a partir de janeiro de 2019. Assim como o Brasil, a Turquia vai igualmente mal das pernas em sua gestão fiscal e os agentes econômicos, no mundo globalizado em que vivemos, vendo o “andar da carruagem”, terminam por antecipar movimentos, causando choques como o que acabamos de sentir. Se aconteceu com eles – queda de 30% na cotação da lira turca em poucos dias –, pode perfeitamente acontecer conosco amanhã, caso o novo presidente transmita uma sinalização enviesada aos mercados. Sendo assim, seria de todo conveniente que desde já nossos postulantes à cadeira de presidente da República dissessem em alto e bom som sobre seus planos para a redução do déficit público, a diminuição para valer do tamanho de nosso mastodôntico Leviatã, com medidas que ajustem receitas e despesas e outras no mesmo sentido que tranquilizem os agentes econômicos, gerem confiança nos mercados e atraiam os indispensáveis investimentos privados, nacionais e internacionais, aptos a colocar o Brasil no rumo virtuoso, após a devastadora passagem do lulopetismo pelo poder.

SILVIO NATAL

silvionatal49@gmail.com

São Paulo

*

CONTAS PÚBLICAS

A vez do Ministério Público

MP segue Supremo e aprova aumento (11/8, A10). Dra. Raquel Dodge, com todo respeito e admiração que lhe tenho, a senhora falou em diminuir a desigualdade social elevando seus vencimentos e os de todo o Judiciário? Depois virá também o aumento do Legislativo, sem mencionar o imoral auxílio-moradia pago a juízes e procuradores... E a população trabalhadora e os milhões de desempregados deste país continuam sem segurança pública, sem acesso à saúde e educação de qualidade, sem moradia decente, com transporte público deficiente e sem justiça social. Cada segmento defendendo os seus interesses... 

EMERSON LUIZ CURY 

emersoncury@gmail.com

Itu

Falta bom senso

A cada dia que passa cresce minha convicção de que o Brasil engatou a marcha à ré e afundou o pé no acelerador. É evidente o despreparo destes ministros que ocupam cargos elevados em razão de indicações políticas. Falta mérito, falta formação, falta cultura, falta, no mínimo, bom senso e educação. Que país é este? Será que Cabral explica? Aí depende, de que Cabral estaria eu falando?

ANA S. P. PINHEIRO MACHADO 

anasilviappm@gmail.com

São Paulo 

Sem lenga-lenga

Não assisti à sessão em que os juízes do Supremo aprovaram o aumento de salário de 16,38% para si próprios, mas gostaria de saber se eles fizeram aqueles pronunciamentos longos e enfadonhos que fazem para julgar assuntos de sua responsabilidade, apenas para mostrar uma erudição que não interessa a ninguém. Acho que não. Este assunto deve ter tido aprovação rápida, sem maiores considerações, porque não tem explicação alguma. Este reajuste salarial é uma afronta à Nação, e o Congresso tem o dever de rejeitá-lo, até para melhorar sua imagem.

SEBASTIÃO A. TARTUCI AUN

sebastiao.aun@uol.com.br

São Paulo

Aprovação certa

A aprovação do escandaloso aumento salarial dos ministros do STF pelo Senado é dada como certa e a explicação é de fácil entendimento. Muitos dos nossos senadores estão envolvidos em escândalos e são investigados pela Justiça, e fatalmente vão precisar dela para amenizar seus malfeitos. É um jogo de cartas marcadas, onde imperam o corporativismo, a barganha e o famoso jargão político do toma lá dá cá ou é dando que se recebe. Enquanto os “donos do País” fazem o que bem entendem com o dinheiro do povo, a este pobre habitante da República de bananas sobram a indignação, a desesperança e o desalento.

ELIAS SKAF

eskaf@hotmail.com

São Paulo

A caravana vai passar

O raciocínio destas autoridades é o seguinte: “Vão reclamar, os jornais publicarão suas críticas, mas o que importa é que no fim do mês o dinheiro estará nos nossos bolsos. O povo que se lixe”. O brasileiro de fato não se mobiliza para impedir desmandos e absurdos como este.

RICARDO FIORAVANTE LORENZI

ricardo.lorenzi@gmail.com

São Paulo

Quando a corda estourar

O Brasil tem para pagar esta conta do reajuste do Judiciário? Claro que não tem. Mas isso é “o de menos”. A questão é que não é apenas o Supremo, mas Brasília inteira que pensa deste jeito, ninguém levando a sério a necessidade de respeitar a racionalidade fiscal. Há bastante tempo temos brincado de acumular a dívida, e tem funcionado muito bem. Até a hora em que vai deixar de funcionar. Aliás, como ocorreu com todos os países que brincaram com o fogo da irresponsabilidade. Assim, ao contrário do que canta Tim Maia, quando o inverno chegar, não quero estar junto a ti, ó, Brasília.

JORGE A. NURKIN 

jorge.nurkin@gmail.com

São Paulo

*

STF

‘Uma possível contradição’

Ao contrário do que defende o editorial intitulado Uma possível contradição (11/8, A3), considero correta a decisão do STF de tornar imprescritíveis as ações de ressarcimento de dinheiro público desviado, especialmente considerando a lentidão que caracteriza nosso Judiciário. O desvio de recursos públicos é um crime hediondo, de lesa-humanidade, que, indiretamente, leva à morte de pessoas por sugar recursos do sistema de saúde pública e das polícias, estas prejudicadas em sua função de prevenir e elucidar crimes. O dever de o criminoso indenizar a sociedade não pode jamais prescrever.

LUIZ MARIO LEITÃO DA CUNHA

luizmleitao@gmail.com

São Paulo

*

“O Brasil é refém do funcionalismo público e vítima de seus privilégios”

  

EUGÊNIO JOSÉ ALATI / CAMPINAS, SOBRE A IRRESPONSABILIDADE COM AS CONTAS PÚBLICAS NOS TRÊS PODERES DA REPÚBLICA

eugenioalati13@gmail.com

*

“E, se alguém contestar, ouvirá: ‘Você sabe com quem está falando?’”

BEATRIZ CAMPOS / SÃO PAULO, IDEM

beatriz.campos@uol.com.br

*

REAJUSTE

O  Supremo Tribunal Federal (STF) é o órgão que deveria ser o mais honesto, ético e dedicado do Judiciário. Depois de muitas decepções: pedidos de vista sem prazo de retorno ­­– visando safar o bandido da pena –, não se declarar impedido de julgar casos em que o réu é amigo ou parente, demora em julgar processos e tem mais tempo perdido em exibicionismos na TV Justiça, férias duplas, recessos, viagens pagas por nós por assuntos não em pauta, etc. E, para terminar, pedem aumento salarial absurdo comparado com o porcentual do salário mínimo. É preciso mudar o sistema de nomeação: de político para por mérito/concurso. 

Mário A. Dente  eticototal@gmail.com

São Paulo

*

AVANTE BRASIL

STF aprova reajuste de 16% para ministros da Corte. Já os aposentados do INSS terão que se conformar com  R$ 1.002 mensais sujeito a desconto de R$ 4. Porém, não podemos nos esquecer de que vivemos em “um país de todos”.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

NINGUÉM AGUENTA

Vendo o povo sem emprego, sem saúde, sem educação, sem segurança e nossos ministros dando a eles mesmos o aumento vergonhoso de 16%, com certeza Deus está pedindo para deixar de ser brasileiro.

Maria Do Carmo Zaffalon Leme Cardoso zaffalon@uol.com.br

Bauru

*

LEWANDOWSKI E A RAINHA

Que os representantes do Judiciário são ignorantes em relação ao país em que vivem já sabemos, mas não imaginava que no grau em que estão atualmente. Sem falar no drama em que vivem os velhinhos aposentados. Lewandowski vai ganhar um Oscar. Que penúria hein? Imagine os aposentados do INSS. Mas sobre isto os ignorantes não têm conhecimento. Se o povão tem fome e não tem pão, que comam brioche, né não “Lewa”? Teu fim será o mesmo da rainha, nós, aposentados do INSS esperamos.

Manoel Mendes de Brito mdebritovoni@gmail.com

Bertioga

*

ESCÁRNIO 

 

Por 7 votos a 4, os ministros do STF decidiram incluir na proposta do orçamento da Corte para o próximo ano, um aumento de 16,38%, no próprio salário – atualmente é de R$ 33,7 mil mensais. Como os proventos dos ministros do Supremo são o teto para os servidores públicos, estes pegarão carona no benefício, o que criará um gasto extra de 4 bilhões no Orçamento da União e dos Estados para 2019. Confrontado por jornalistas pela falta de sensibilidade no momento em que o País passa por severa crise, Ricardo Lewandowski, um dos que mais se empenhou para a obtenção do reajuste, classificou o aumento como “modestíssimo” e, segundo ele, seria compensado pelo R$ 1 bilhão recuperados pela Operação Lava Jato para os cofres da Petrobrás. Como não há notícia que o ministro esteja sofrendo das faculdades mentais e tão pouco possa se supor que tenha um raciocínio tão primário, imagina-se que Lewandowski tenha sido irônico na resposta. Se assim foi, triste saber que, além do prejuízo material causado, Lewandowski,  ainda se ponha a escarnecer da sociedade totalmente indefesa frente a alguém com tanto poder nas mãos.

Sergio Saraiva Ridel sergiosridel@yahoo.com.br 

São Paulo

*

MENOS ESTADO

Com efeito, a história demonstra claramente que o Estado não deve ser empresário, mas funcionário e servidor da população. Na maioria das vezes em que se prestou a empresariar, sem expertise para a empreitada, acabou perdendo o controle do volante, derrapando, saindo da pista e colidindo com o muro. Menos Estado, mais Brasil.

J.S. Decol  decoljs@gmail.com

São Paulo

*

PENDURICALHOS

A informação que a ministra Cármen Lúcia defende o fim dos chamados penduricalhos do salário do Judiciário, é emblemática. Mostra como a categoria está sendo pressionada pela opinião pública quando decide sobre seus pleitos, a ter a mesma postura republicana quando toma decisão sobre os semelhantes pedidos de seus jurisdicionados. Essa realidade é fruto da democracia, que tem na liberdade da imprensa uma forma de se exercitar.

José de Anchieta Nobre de Almeida josedalmeida@globo.com

Rio de Janeiro

*

IRREAL

Senhor general, nós ficamos inconformados por pagar seus privilégios e penduricalhos, pois achamos injustos e republicanamente indevido, assim como certas “autoridades” aumentarem os próprios salários para valores irrealistas para as atuais condições do Brasil.

Itamar Carlos Trevisani itamarcarlostrevisani@gmail.com

Ribeirão Preto

*

SERVIDORES DA JUSTIÇA?

Melhor pensar que eles – STF e Ministério Público Federal (MPF) – estão brincando (uma brincadeira de mau gosto, claro!) do que nos considerarem idiotas! Afinal se aqueles que nós pagamos têm recursos orçamentários que não lhes fazem falta para nos prestar os serviços que são de sua obrigação prestar, esses recursos devem ser transferidos para as áreas que tanto deles necessitam como a saúde, educação e segurança, para não me alongar muito! Utiliza-los para aumentar seus proventos enquanto a população faz sacrifícios para pagar os escorchantes impostos que lhe são cobrados, e o desemprego no setor privado campeia sem solução próxima, é a última coisa que se poderia esperar de servidores que atuam na área da Justiça!

Jorge R. Alves jorgersalves@gmail.com

Jau

*

A HISTÓRIA QUE O PT QUER

Uma mentira que não pode prosseguir. Essa história de que Lula, caso concorresse às eleições presidenciais de outubro  de 2018, sairia vencedor, só tem um objetivo:  tentar  substituir a história verdadeira e emporcalhada que já está escrita, por uma falsa, colocando que o ex-presidente é um preso político e que só foi condenado porque é imbatível. Pura artimanha do Partido dos Trabalhadores. Isso é um desrespeito para com o eleitorado brasileiro. Depois de tanta sujeira que esse senhor aprontou e permitiu que outros também aprontassem com o nosso país, chega a ser repugnante essa tentativa de passar para o mundo que o condenado é o “queridinho do povo brasileiro”. Xô! Vai cantar noutro terreiro. Até as crianças estão sabendo de tudo. Mas não duvidemos de que algum historiador escreva a história que o PT quer.

Jeovah Batista jeovahbf@yahoo.com.br

Taquari (DF)

*

ECPO PT

A corrupção de um governante é um crime sério, mas o máximo é vender leis aos interessados. Lula, o capo, da entidade criminosa politicamente organizada (ECPO PT) superou tudo que antes existiu, e ainda quer mais uma vez governar o País, para então instalar um governo mais corrupto ainda. Infelizmente há trouxas, desinformados e cúmplices que votam em seu partido. Pobre do Brasil que com tantos problemas, ainda tem de lidar com o que foi produzido por essa escória humana.

Ulf Hermann mondl hermannxx@yahoo.com.br

São José (SC)

*

13 CANDIDATOS

É lamentável ver nosso país com 13 candidatos à Presidência e nenhum deles apresentar capacidade para governar. Nosso futuro é uma verdadeira interrogação!

Laert Pinto Barbosa laert_barbosa@globo.com

São Paulo

*

PRIMEIRO DEBATE NA TV

Frustração foi o que conseguiram os que alimentavam a expectativa de um debate acalorado em que fossem apresentadas soluções ou até mesmo paliativos para os gigantescos problemas sociais e econômicos do País. Por absurdo que pareça, havia um desejo de levar ao debate o encarcerado Lula. É evidente que isso seria obra de petistas xiitas. Ao que tudo indica, os presidenciáveis estão guardando munição para os próximos e derradeiros embates. O pouco ou nenhum interesse do eleitor no debate mostra o ânimo que esta gente tem diante da eleição presidencial em que predomina a quantidade e a quase total ausência de qualidade.

Jair Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

SAÍSMO COMO ENTRAMOS

O debate na Band realmente foi uma roubada para todos, não entendi Boechat entrando nessa. Horário absolutamente inconveniente, que ser que trabalha pode ficar até 2 horas da manhã assistindo aquela inutilidade? Saímos como entramos. A única coisa boa foi ver o “llullicio”, cometido pelo destempero, arrogância e prepotência desse ser que se autodenominou “uma ideia”. Se a mídia parasse de dar espaço para esse ser egoísta e aloprado o Brasil estaria no caminho da recuperação. Não dar espaço ao partido Novo é um erro crasso, como se plantar uma novidade limpa. A Band é uma empresa privada!

Cecilia Centurion ceciliacenturion.g@gmail.com

São Paulo

*

ASSIM FICA  DIFÍCIL!

Quem  ouve os confusos discursos e opiniões dos postulantes ao  cargo de presidente da República chega à inequívoca conclusão de que os indecisos não são os eleitores, mas  os  próprios  candidatos, que  até o presente momento não disseram a que vieram!

Luís Fernando Amaral luffersanto@bol.com.br

Laguna (SC)

*

FUGA ALUCINADA?

A continuar esse verdadeiro êxodo da Venezuela em direção aos países vizinhos, logo o tirano Nicolás Maduro não terá a quem governar. Com ironia, por favor!

Maria Elisa Amaral marilisa.amaral@bol.com.br

São Paulo

*

VIOLÊNCIA

Enquanto predominar essa ideologia de que o criminoso é vítima da sociedade burguesa, concomitante com a defasagem das leis penais, processuais e de execuções, além da não redução da maioridade penal para crimes hediondos e da corrupção policial, a violência jamais será minimizada. E o mais importante: todas as crianças e adolescentes deverão ser matriculados nas escolas, pois, caso contrário, continuarão sendo mão-de-obra para o tráfico de drogas.

Luiz Felipe Schittini fschittini@gmail.com

Rio de Janeiro

*

ÔNIBUS PAULISTANO

Os novos ônibus urbanos de São Paulo são completamente inadequados no que  concerne  sua utilização  pela população. Suas portas de entrada  e seus bancos montados em séries de degraus são impróprios até para atletas que dirá para a população em geral. Se eu tivesse um papagaio ou arara de estimação evitaria deixá-los no coletivo em movimento. A configuração interna destes paquidermes articulados tem uma lógica perversa que deve estar a serviço de alguma causa, certamente escusa. Eles levam pouco mais pessoas que os modelos  convencionais e são incômodos e perigosos. Gostaria de fazer uma viagem com os responsáveis pela sua compra e manutenção como principal fonte de transporte paulistano.

Marize Carvalho Vilela marizecarvalhovilela@gmail.com

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.