Fórum dos Leitores

Cartas selecionadas dos leitores

O Estado de S.Paulo

19 Agosto 2018 | 03h00

ELEIÇÕES 2018

Interferência da ONU

O Comitê de Direitos Humanos da ONU emitiu um comunicado pedindo que Lula possa participar das eleições deste ano até que seu último recurso seja julgado. Senhoras e senhores que fazem parte desse comitê, acaso está tudo bem na Síria? No Iraque, no Sudão do Sul, na Somália, na Nicarágua, na Venezuela? O comitê não tem o direito de interferir nas eleições do Brasil e o caso do ex-presidente se resolverá no Judiciário brasileiro.

LUIZ RESS ERDEI 

gzero@zipmail.com.br

Osasco

Em defesa do ex

Na ONU também existe uma segunda turma?

MOISES GOLDSTEIN 

mgoldstein@bol.com.br

São Paulo

PT e PSDB unidos?

A recente declaração de Fernando Henrique Cardoso sobre uma eventual união do PSDB com o PT contra Jair Bolsonaro no segundo turno da eleição presidencial vem, mais uma vez, desabonar as opiniões do sr. ex-presidente. Quem assumiu cargo de relevância no País deveria ir além de assumir opiniões partidárias, mas expressar conceitos que possam de fato trazer benefícios à população.

MARTIM AFFONSO SANTA LUCCI

mslucci@uol.com.br

Campo Grande

Uma longa estrada

A corrupção no PSDB, seja FHC, José Serra, Geraldo Alckmin, foi a terraplenagem na construção da estrada para a corrupção do PT, que soube pavimentá-la e asfaltá-la. Refiro-me à prática continuada e permanentemente ocultada e/ou tolerada. Não à responsabilidade pela conduta ilícita, obviamente. Não ignoro que antes mesmo disso havia o PMDB, pai de todos e que perdura até hoje. O silêncio do PSDB em relação às práticas de corrupção ao longo de todo o período do lulopetismo foi muito mais que uma conivência (antes que me critiquem, o termo foi cunhado por André Singer, cientista político pela USP, filho do economista Paul Singer, DNA totalmente petista, portanto). Para usar uma metáfora médica, sempre muito eficiente quanto a assuntos em economia, o PSDB foi o câncer de pele, que causou uma ulceração permanente, sem aprofundar, mas longe de ser saudável. O PT foi o câncer de pele que atingiu os ossos. É incomparavelmente mais grave, mais profundo e mais sofrido. Não se trata de afirmar/sugerir que não houvesse corrupção antes disso, no período do regime militar. Mas de observar que esses partidos e seus líderes surgiram e se afirmaram justamente como opositores a um sistema dado por corrompido, sem transparência, sem legitimidade. A legitimidade do poder do governante na democracia viria, então, pelo voto, pela liberdade plena de imprensa e pela ética moral e pela redução da pobreza e da desigualdade. São 30 anos pós-regime militar. Longe de mim fazer qualquer apologia àquele período e sua ideologia de perseguição, repressão e ignorância. Mas que país herdamos do período PT-PSDB? Gostaria muito que houvesse na nossa imprensa de longo alcance um jornalista-analista que pudesse realizar uma análise próxima ao raciocínio sugerido aqui, para trazer ao grande público essa perspectiva da crítica e da vigilância permanentes, dando de fato nome aos bois, sem adotar uma visão generalizante destes eventos ou pulverizada e diluída, como se as nossas mazelas, derivadas deste estado de corrupção constante e crescente, tivessem caído do céu sobre a nossa cabeça.

ESTELA REGINA WONSIK

estelawonsik@uol.com.br

São Paulo

Que dureza

O Brasil vem clamando por novas lideranças na política desde 15/1/1985, com o fim do regime militar. Portanto, há 33 anos estamos procurando novas caras e, no entanto, sempre nos deparamos com os velhos caciques. Este ano não vai ser diferente. Estamos numa encruzilhada, na verdadeira acepção da palavra. Qual caminho tomar, o da esquerda, o da direita ou seguir em frente, no centro, e ver no que vai dar? Vamos apostar em ex-governadores, ex-ministros de Estado, num candidato apoiado por um ex-presidente presidiário ou vamos jogar todas as fichas num político que nunca exerceu cargo executivo? Quem assistiu aos debates na televisão perdeu tempo: perguntas pouco criativas formuladas pelos jornalistas e respondidas com zero de conteúdo pelos candidatos. As velhas promessas de sempre, os mesmos chavões, ou seja, a mesma enganação de todos os pleitos. Só um inovou, prometeu acabar com os nomes sujos na praça, 63 milhões de devedores nos SPCs e Serasas da vida. Quanta hipocrisia! Portanto, não é por acaso que 50% dos eleitores, cerca de 70 milhões, ainda não decidiram em quem votar. 

SÉRGIO DAFRÉ

sergio_dafre@hotmail.com

Jundiaí

Buscando sobreviver

Começa oficialmente a campanha eleitoral mais tutelada da história sob a premissa de que o eleitor é inepto e incapaz. O controle vai aos detalhes no que pode ou não ser feito nas campanhas e na propaganda. As doações são restritas, direciona-se a verba pública, as candidaturas avulsas são proibidas e impõe-se o filtro viciado dos partidos políticos na seleção de candidatos. Tudo para que o sistema político sobreviva a esta coisa desagradável que é consultar o cidadão por meio de eleições.

JOSÉ TADEU GOBBI

tadgobbi@uol.com.br

São Paulo

Declaração de patrimônio

Os presidenciáveis declararam à Justiça Eleitoral seu patrimônio. Fato notório é que os mais ricos, João Amoêdo (R$ 425 milhões) e Henrique Meirelles (R$ 378 milhões), estão na zona de rebaixamento em termos eleitorais. Por outro lado, Lula (R$ 7,9 milhões) omitiu a existência de 320 amigos e Geraldo Alckmin (R$ 1,4 milhão) omitiu o cunhado.

JOSÉ CARLOS DEGASPARE

degaspare@uol.com.br

São Paulo

Se a história recente servir de referência, mais importante que a declaração de patrimônio dos candidatos na eleição é a declaração de patrimônio dos seus melhores amigos.

JORGE A. NURKIN 

jorge.nurkin@gmail.com

São Paulo 

A declaração de patrimônio dos candidatos nesta eleição é, mesmo, “para inglês ver”. É um descalabro o candidato, em seu pedido de registro, declarar aleatoriamente o valor do seu patrimônio. Por que não obrigá-lo a apresentar sua última declaração do Imposto de Renda? Há candidato com tamanha cara de pau que declara simplesmente não ter patrimônio. Será que ele não tem nem um Fusquinha?

WALTER MENEZES

wm-menezes@uol.com.br

São Roque 

*

PT E PSDB

Muito estranha a relação entre dois dos maiores partidos políticos do País, PT e PSDB, encarnados nas figuras dos seus principais líderes históricos, os ex-presidentes Lula e FHC. Fundados nos anos 80 do século passado, os dois partidos desde então se sucedem no comando da política nacional. A conduta de ambos, contudo, é bem diversa. O primeiro grita, bebe e bate, o segundo, escuta, abaixa a cabeça e cala, como se culpa alguma tivesse (talvez até tenha mesmo, quem sabe?). E, de repente, então, quando tudo parecia distante entre os dois, vem FHC dizer que, se houvesse segundo turno na eleição presidencial, votaria no PT. Francamente, esse senhor só pode estar seriamente perturbado com a prisão do companheiro. Melhor é ir visitá-lo logo, né não?

José Jairo Marins josejairomartins7@gmail.com 

São Paulo

*

ESCORREGÃO DE FHC

O respeitado ex-presidente FHC, infelizmente, como tucano que é escorregou feio ao prestar um desserviço à campanha eleitoral do Geraldo Alckmin (PSDB-SP), quando afirma que para derrotar Bolsonaro, Alckmin deve buscar apoio até do PT. Ora, qualquer candidato que demonstre apreço ao PT do presidiário Lula está fadado a ser desmoralizado! Seria um contrassenso se aliar a esta sigla que não respeita as nossas instituições, e ainda todos os dias afronta o nosso Judiciário. No que fez muito bem o candidato Geraldo Alckmin, depois da fala inconveniente de FHC, de gravar um vídeo em que rejeita alianças com radicais... Mesmo porque, a questão é ética! E quem manda e desmanda no PT, é ninguém mais do que o corrupto e formador de quadrilha Lula da Silva...

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com 

São Carlos

*

ALIANÇA

Se por um lado o candidato Geraldo Alckmin anda apreensivo com as críticas que vem recebendo pela aliança firmada com o centrão, por outro, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso não parece demonstrar preocupação com o impacto negativo que causaria uma possível aliança do PSDB com o PT sugerida por ele para combater Jair Bolsonaro no segundo turno das eleições. FHC é dono de uma biografia de respeito e confesso ter ficado apreensivo com o término de seu mandato e a inevitável transmissão da faixa presidencial ao recém-eleito Lula da Silva, que após 8 anos de desgoverno, mostrou a que veio, implantando a cleptocracia e a corrupção como método de governo, façanha que acabou lhe rendendo mais de 12 anos de cadeia por corrupção e lavagem de dinheiro. FHC não deveria se esquecer de que, o PT além de arruinar seu legado na área econômica que trouxe estabilidade a moeda, ainda o acusou de ter repassado uma herança maldita. Isso sem falar no dossiê contra a dona Ruth Cardoso que jamais perdoou Dilma Rousseff pelo feito. Está na hora de Fernando Henrique, que é homem gentil e educado, entender que não se trata assim um inimigo político que renova periodicamente suas ameaças com tanta brandura. É por isso que o PSDB nunca é visto como oposição. Deve-se levar em conta sempre que, o PT é o principal inimigo do Brasil e não pode voltar ao poder mesmo por vias indiretas, pois seria o caminho mais curto para a “venezuelização” do Brasil.

Paulo R. Kherlakian paulokherlakian@uol.com.br  

São Paulo

*

DORIA

Não voto para prefeito de São Paulo porque moro em Santo André, mas me decepcionei muito com João Doria. Ele não cumpriu promessas de campanha que dizia que levaria seu mandato até o fim, que iria “prefeitar”. Ele não “prefeitou” e deixou tudo o que começou pela metade. Nem “prefeitou” e agora quer governar. Acho que a intenção dele é “presidênciar”.

Angela Maria de Souza Bichi angela_bichi@hotmail.com 

São Paulo

*

IGUAIS

Doria só não entendeu que ganhou no primeiro turno para Prefeito de São Paulo porque estávamos fartos de políticos iguais ao que ele é agora!

Cecilia Centurion ceciliacenturion.g@gmail.com

São Paulo

*

POLÍTICA RASTAQUERA

Aproveitando-se da confusão na Dersa, o governo Márcio França paralisa todas as maiores obras de São Paulo, com o objetivo claro de prejudicar as candidaturas de Alckmin e Doria, e a conta sobra, é claro, para o contribuinte. Já existem trechos praticamente abandonados no Rodoanel de São Paulo e milhares perderam o emprego no ultimo mês. A necessária apuração de malfeitos não justifica o custo social e material dessas paralisações. Somente a política rastaquera de sempre.

Cássio Moura cmoura40@gmail.com

São Paulo

*

DEBATE AO GOVERNO

Ganhou o debate quem mais conseguiu destruir o adversário. Nada de projetos. Que fase de política que estamos passando... Haja paciência!

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

PESQUISAS

O líder das pesquisas em São Paulo na corrida ao Senado ficou 24 anos no Congresso. O que fez nestes anos por São Paulo? Os Estados de São Paulo e Minas Gerais, maiores colégios eleitorais, não merecem ter na liderança de pesquisas candidatos do partido envolvido em corrupção. Acordem!

Tania Tavares taniatma@hotmail.com

São Paulo

*

BANDA MUDA

A banda “muda” petista, sem demonstrar, festejou em silêncio quando o ministro Luis Roberto Barroso foi confirmado como relator do pedido do demiurgo de Garanhuns, para concorrer nas próximas eleições. Contrários ao posicionamento do condenado entendem que o “chefão” deveria parar de fazer de sua cela, um palanque, cair na real e “largar o osso”. Na verdade, nem mesmo a própria tigrada petista se entende. Fora PT, Gleisi, Lula e cia!

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

PERGUNTAS FUNDAMENTAIS

Por que 70% dos brasileiros não votariam em Lula? O fato de haver 13 milhões de desempregados é culpa de Temer? Como a Dilma, depois de ter quebrado o Brasil e aproveitando-se da ingenuidade dos mineiros, tem a cara-de-pau de se candidatar ao Senado?

Geraldo de Paula e Silva siffert18140@uol.com.br

Rio de Janeiro

*

HADDAD É ET?

Lula já se comparou a Tiradentes, a Jesus, a Mandela e agora vem Fernando Haddad e diz: “Estão querendo impedir que um dos maiores estadistas vivos do mundo concorra à Presidência”. Perguntar não ofende: estadista? Acho que Haddad dormiu e esqueceu-se de acordar.

Alvaro Salvi alvarosalvi@hotmail.com

Santo André

*

ONU MUY AMIGA

A ONU recomenda aos brasileiros elegerem Lula, Eduardo Cunha, Sérgio Cabral, Geddel Vieira Lima, Antônio Palocci, Paulo Maluf, Paulo Roberto Costa, Pedro Barusco e Fernandinho Beira-Mar!

Paulo Sérgio Arisi paulo.arisi@gmail.com 

São Paulo

*

ONU E SUA INSIGNIFICÂNCIA

Todo o planeta (ou quase todo) via na criação da Organização das Nações Unidas, um libelo de finalmente ter-se uma instituição de garantia da paz para todas as nações. Porém, tristemente se assiste já há um bom tempo uma crescente debilidade de suas ações. Depois da segunda guerra mundial pipocaram em várias partes do mundo conflitos, genocídios e todo tipo de violações à humanidade, sem que ela fizesse algo para impedir. Não bastasse toda essa inoperância ela tem causado muitos vexames. No que nos diz respeito, um veículo de respeitável credibilidade nos informa que essa organização, por meio de um de seus departamentos, simplesmente se arvora em paladina dos direitos humanos ao se imiscuir em assuntos claramente das nossas instituições, sugerindo direitos de criminoso condenado a poder ser candidato a presidente da República. Um condenado que teve todas as oportunidades para provar sua inocência. Eles sugerem eleições livres em Cuba, Venezuela e outras nações, cuja liberdade, lá sim, está totalmente escoimada.

Éden A. Santos edensantos@uol.com.br 

São Paulo

*

AUTORIDADES

Não tem neste país uma autoridade competente pra dar um murro na mesa e falar: “Chega” ao PT? Até quando vão abusar da nossa paciência? Cada dia uma invenção! Cada dia uma nova investida! Basta!

Celita Rodrigues celitar@icloud.com

Avaré

*

MARCHA LENTA

Embora em marcha lenta, o próximo governo encontrará a economia em recuperação. Agora, prezados leitores, aos 70 anos cansei de ouvir em toda transição de governo e olha que já assisti muitas, a mesma frase sempre dita em alto e bom som: “eita herança maldita a gestão anterior me deixou”.

Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@uol.com.br

São Paulo

*

ARETHA FRANKLIN

Um minuto de respeitoso silêncio em homenagem à “Rainha do Soul”, Aretha Franklin, cuja singularidade da voz, da interpretação e do carisma continuará ecoando em nossos ouvidos e corações para sempre. Viva Aretha!

J.S. Decol decoljs@gmail.com 

São Paulo

*

CONVOCAÇÃO

Permaneço confiando no trabalho de Tite. A nova convocação é o recomeço em busca do hexa. O torcedor precisa manter acesa a chama da esperança. Precisamos aprimorar o coletivo e rejuvenescer os convocados. A conquista da Copa América, em 2019, será fundamental para o trabalho do treinador.

Vicente Limongi Netto limonginetto@hotmail.com

Brasília

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.