Fórum dos Leitores

Cartas selecionadas para a edição impressa e portal estadao.com.br

O Estado de S.Paulo

21 Agosto 2018 | 03h00

ORÇAMENTO

Censo 2020

Falta de recursos federais ameaça próximo censo demográfico do IBGE (Estado, 19/8, B1). Sem provisão orçamentária para realização do Censo Demográfico, que é tradicional e fundamental para políticas públicas, temos o retrato da falência administrativa. 

JOSÉ WILSON GAMBIER COSTA

jwilsonlencois@hotmail.com

Lençóis Paulista

Será que essa falta de recursos é só para o IBGE? E a educação, a segurança, a saúde, estão bem de recursos? Já para as campanhas eleitorais dos partidos, para aumentar os salários dos servidores públicos de alto escalão e para tantas mordomias a que eles acham ter direito parece haver dinheiro sobrando. Até quando o pagador dos impostos mais escorchantes do mundo vai sustentar este Estado balofo?

APARECIDA GAZIOLLA

aparecidagaziolla@gmail.com

São Caetano do Sul

Para o futebol, gastaram-se milhões e milhões, sem resultados; para o IBGE fazer o recenseamento, que é importantíssimo para o País, não tem dinheiro. Acorde, Brasil, até quando vamos suportar este absurdo?

JOSÉ CLAUDIO CANATO 

jccanato@yahoo.com.br

São Paulo

‘Teto ameaçado’

Muito prudente o alerta para o perigo de excluir do teto de gastos da União as despesas de órgãos públicos com a realização de concursos nos quais o candidato paga taxa de inscrição (Estado, 20/8, A3). Isso é só o começo, pois serviços públicos como lixo, iluminação, etc., também são remunerados mediante o pagamento de taxas. Assim, pela mesma razão, poderão também ser excluídos do teto de gastos. Seguindo por este caminho, dentro em pouco teremos a repetição do que está acontecendo com o teto salarial do funcionalismo, que é burlado por meio dos chamados pagamentos indenizatórios (auxílio-moradia, auxílio-transporte, auxílio-paletó, etc.). Lamentavelmente, os brasileiros em geral não sabem que tudo aquilo que o governo paga a alguém ele, primeiro, tirou dos contribuintes, que somos todos nós, principalmente por meio de impostos indiretos, embutidos até no leitinho das crianças.

ADILSON DALLARI

adilsondallari@uol.com.br

São Paulo

BRASIL-VENEZUELA

A revolta de Pacaraima

O confronto do fim de semana em Pacaraima (RR), entre brasileiros e venezuelanos, é o resultado da crônica de uma revolta anunciada. Venezuelanos em fuga da brutal crise de seu país assaltam um comerciante da cidade fronteiriça e se tornam a fagulha que faltava para a explosão da intolerância, incentivada entre outras coisas pela disputa política local. Os governos federal, estadual e municipais têm o dever de se coordenarem para enfrentar o problema de maneira eficaz. Há que pensar nos seres humanos - tanto venezuelanos quanto brasileiros - atingidos pelo problema fronteiriço. A política de espalhar venezuelanos pelo território brasileiro pode não ser a melhor, pois já temos 13 milhões de brasileiros desempregados. Fatalmente, estes imigrantes serão as novas vítimas da crise econômica brasileira. Melhor é socorrê-los no imediato, até que possam retornar ao seu país, sua família e cultura.

DIRCEU CARDOSO GONÇALVES

aspomilpm@terra.com.br 

São Paulo

A falta de capacidade do governo federal para lidar com os venezuelanos refugiados é uma boa amostra de um Estado falido por uma legião de funcionários muito bem pagos, lotados nos gabinetes refrigerados de Brasília, que, como carrapatos, sugam toda a força da Nação.

ULF HERMANN MONDL

hermannxx@yahoo.com.br

São José (SC)

Sem pestanejar

Acho que dá para medir a situação de miséria dos pobres desempregados do Brasil pelo retorno imediato de 1,2 mil imigrantes à Venezuela após os tumultos do fim de semana. Eles preferem passar fome em seu próprio país a serem maltratados por aqui. Uma vergonha para os brasileiros que têm vergonha na cara. Não é o caso de nossos governantes.

ADEMIR VALEZI

valezi@uol.com.br

São Paulo

Venezuelanos fogem para Colômbia, Equador, Peru e Brasil. E nós, brasileiros, vamos fugir para onde?

PAULO SÉRGIO ARISI

paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre

DEFESA

Pensamento racional

Em meio a tanta vertigem militarista, saídas de mitografias ressentidas a torto e a direita, as razões de existir das Forças Armadas expostas pelo comandante Eduardo Villas Bôas (Defesa para quê?, 18/8, A2) lembram uma tradição militar brasileira de pensamento racional e no rumo certo.

ÂNGELO PALHARES 

angelo.phylos@gmail.com

São Paulo

ABORTO

Descriminalização

Cumprimento a presidência do conceituado Estadão em virtude do editorial e de matérias publicadas sobre os “excessos” do Supremo Tribunal Federal (STF) e a descriminalização do aborto no País, discussão que não é de competência do Supremo. Com efeito, consoante o asseverado pelo Estado na sua edição de 5/8 (A3), a mais alta Corte da Justiça brasileira não é o “locus” institucional adequado para a discussão da relevantíssima matéria, avançando sobre a seara do Congresso Nacional. Ademais, a inviabilidade do direito à vida é cláusula pétrea da Carta Magna e não pode ser alterada, mesmo por uma eventual Proposta de Emenda à Constituição brasileira. No concernente ao relevante tema, o eminente cardeal dom Odilo Pedro Scherer, arcebispo metropolitano de São Paulo, assevera que: “Os legítimos direitos da mulher e da mãe devem ser assegurados na justa medida, sem suprimir a vida do seu filho, ainda por nascer” (11/8, A2). A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) expediu nota em defesa da vida, condenando qualquer tentativa de liberação e descriminalização da prática do aborto. Espera-se que a Suprema Corte não seja reticente e, como guardiã da Constituição, preserve o direito à vida. A vida começa na concepção. Há a vida humana desde a concepção, pois no zigoto, primeira célula da união entre o espermatozoide e o óvulo, já estão definidas todas as características daquele ser humano, que o acompanharão até a morte. De acordo com o artigo do nosso Código Civil, o nascituro é titular de direitos adquiridos.

LUIZ GONZAGA BERTELLI, diretor presidente da União dos Juristas Católicos de São Paulo

lgbertelli@uol.com.br

São Paulo

INADIMPLÊNCIA

"Brasil tem 'uma Itália' de inadimplentes", diz a capa do caderno de Economia do "Estadão" (20/8, B1). Extinção de cerca de 13 milhões de empregos por uma seita que se autointitula ser dos trabalhadores, reajuste do salário mínimo de 1,89%, juros pagos aos poupadores de 0,6% ao mês, juros do cheque especial e cartões de crédito em média 350%, reajustes de preços "administrados": energia elétrica, 18%; água, 12%; combustíveis, 10%; planos de saúde "controlados" pela incontrolada ANS, 10%; e demais planos de até 60%, reajuste previsto para membros do Supremo Tribunal Federal (STF), 16,5% com efeito cascata de "apenas" R$ 4 bilhões nas contas públicas. Precisa desenhar?

José Roberto Niero jrniero@yahoo.com.br  

São Caetano do Sul

*

ENDIVIDADOS

Desemprego gera inadimplência, afinal, só o aluguel de uma residência familiar consome 40% da renda. Sem contar a conta de luz e seus constantes aumentos, a bandeira vermelha. Em cada casa de família, hoje, há um desempregado, fato. Fruto do lulopetismo e de políticas públicas pífias e maquiadas. Para a inadimplência diminuir só mesmo com emprego e responsabilidade fiscal dos irresponsáveis do Congresso. Que dia, sim e outro também nos envia sinais de descalabro. A política fiscal corroída no macro (Estado) reflete no micro (família). A classe média criada por Lula, tão elogiada por alguns artistas (Mano Brown), hoje cai em queda livre. Espero que nas urnas o povo não cai mais neste "caô" de ascender à classe média por ter um carro ou mesmo um smartphone. A classe média de Lula, hoje, é uma Itália de inadimplentes, "capite"? Um partido dos trabalhadores que gerou 13 milhões de desempregados, que piada. E nem a ONU, tão pouco o papa vão desmentir os fatos. Queremos emprego! Basta de populismo macabro e barato.

Leandro Ferreira ferreiradasilvaleandro73@gmail.com  

São Paulo

*

PREVIDÊNCIA

Depois de ler que um economista - (sr. Rocha) - declara que o déficit da Previdência é apenas contábil, entendo o motivo de o Brasil, com tanto potencial, andar como um caranguejo. Quais são os responsáveis pelo nosso atraso? A meu ver, não escapa nenhum dos Poderes, infelizmente. O egoísmo, a irresponsabilidade, incapacidade, demagogia, e tantos outros adjetivos pejorativos, cabem perfeitamente. O patriotismo termina no momento que ameaça os interesses. Sinto indignação, vergonha e tristeza, além de desanimo, já por décadas. 

Andre Frohnknecht caxumba888@gmail.com  

São Paulo 

*

VENEZUELANOS EM RORAIMA

Em Roraima o ataque a venezuelanos pela população de Pacaraima, após o assalto de criminosos a um comerciante local, mostra a que ponto chegou a anarquia naquela unidade federada (20/8, A14). Como o governo federal deixa entrar refugiados venezuelanos com pouquíssimo apoio material, ficando para os moradores do Estado mais pobre do País, a lidar e sofrer com o problema, tais explosões de ira popular ficarão mais frequentes, pois quando o Estado não resolve os problemas, o povo acaba de modo violento resolver o problema pela solução mais simples, que é expulsar os refugiados para onde vieram.

Ulf Hermann Mondl hermannxx@yahoo.com.br  

São José (SC) 

*

VIOLÊNCIA

Violência contra imigrantes venezuelanos em Roraima. Em breve os brasileiros vão poder comentar com conhecimento de causa, a questão da imigração ilegal que assola vários países e as suas consequências. Já são 500 venezuelanos que chegam por dia esperando por algum acolhimento. E o governo federal não assume sua responsabilidade. Por outro lado, se acolher adequadamente, serão centenas de milhares os que vão cruzar as fronteiras. Não há perspectiva de transição política para breve e desabastecimento é uma palavra menos feia para descrever a grave fome que os leva a fugir de seu país. 

Jorge Alberto Nurkin jorge.nurkin@gmail.com 

São Paulo

*

MIGRAÇÕES

A população de Pacaraima está fazendo o que o governo não faz. Expulsando os venezuelanos fugindo do seu país e que já estão criando problemas para outros governos, como na Colômbia, por exemplo. Não se vê nenhuma iniciativa ou atitude por parte da OEA. O continente Sul-Americano está caminhando para os mesmos problemas que estão ocorrendo na Europa com as migrações do continente africano. 

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com  

Rio de Janeiro 

*

MEDIDAS ENÉRGICAS

Quando o governo brasileiro irá tomar alguma medida enérgica ante o irresponsável governo venezuelano - idolatrado pelos "esquerdopatas" brasileiros -, e sairá dessa inércia e omissão inaceitáveis, para que aquela nação se responsabilize de uma vez por todas por seu próprio povo? É necessário que os venezuelanos que estão no Brasil retornem para sua própria casa, em segurança e em paz, em ação acompanhada e coordenada pela ONU. Por outro lado, cabe à Venezuela (cujo governo já está caindo de Maduro), efetuar o ressarcimento ao Brasil por todas e quaisquer despesas efetuadas até o momento, por problemas causados por eles mesmos.

Milton Córdova Júnior milton.cordova@gmail.com 

Brasília

*

ÊXODO

Milhões de pessoas deixaram a Venezuela nos últimos anos. A inflação acaba de bater em 1.000.000%. Equador e Peru endureceram as regras para recebê-los. E o pau acabou de comer em Roraima, com os brasileiros expulsando os imigrantes. E a "petralhada" insiste em defender o caos do governo Maduro. Sinceramente, não dá pra entender como tem gente que vota nesta corja toda. 

Domingos Cesar Tucci d.ctucci@globo.com  

São Paulo 

*

ATAQUE

Após o ataque ao acampamento de imigrantes venezuelanos em Roraima, o regime de Nicolás Maduro contatou o Ministério das Relações Exteriores do Brasil e pediu respeito à segurança e a integridade física e material de seus cidadãos. O próprio governo da Venezuela desrespeita direitos internacionais e tratados entre nações e, agora, pede ao governo brasileiro o devido respeito à legislação internacional? Pedido contraditório, no mínimo. Devemos, sim, respeitar todos os imigrantes, mas é igualmente importante maior controle e rigor na permissão de entrada desses cidadãos. Além disso, desrespeito à legislação brasileira deveria resultar em extradição imediata.

Willian Martins martins.willian@globo.com  

Guararema

*

BARBÁRIE EM RORAIMA

É uma vergonha para nós, brasileiros, a barbárie ocorrida em Pacaraima, Roraima, contra os pobres refugiados venezuelanos. É mais um triste retrato do desgoverno que vive o País sob o comando de Michel Temer (MDB), que vai de retrocesso em retrocesso até o fundo do poço. O que se viu em Roraima foram cenas de covardia, intolerância e violência gratuita contra pessoas inocentes e indefesas que vieram ao Brasil para tentar sobreviver após o caos do governo Maduro na Venezuela. Os "bolsonaros" da vida, inimigos dos direitos humanos, da decência e da dignidade humana, aplaudem a barbárie praticada contra nossos vizinhos venezuelanos por bandidos brasileiros que deveriam estar presos.

Renato Khair renatokhair@uol.com.br  

São Paulo 

*

RESPOSTA AO COMITÊ DA ONU

Liminarmente, deveria proporcionar alimentos e remédios aos flagelados da Venezuela, penalizados duramente por Nicolás Maduro. Ou o Comitê é partidário do bolivarianismo? Lula foi justiçado e os venezuelanos? Que o Comitê meta o nariz onde há necessidade!

José Carlos de Carvalho Carneiro carneiro.jcc@uol.com.br  

Rio Claro 

*

AGILIDADE DE TARTARUGA

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) diz que será muito ágil e implacável nas decisões contra os candidatos "fichas-sujas". Todavia, pelo andar da carruagem, isso poderá demorar mais do que o esperado. Basta ver as insistentes pesquisas de intenção de voto para presidente em que o demiurgo de Garanhuns se mantém em primeiro lugar, mesmo não podendo concorrer. A imediata restrição, principalmente, ao nome de Lula da Silva que, além de "ficha-imunda" é presidiário na cela da Polícia Federal, se faz necessária, pois traz dúvidas aos eleitores pouco informados, dentre eles, a ONU. Para evitar esse estado de coisas, que o TSE seja mais rápido!

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br 

São Paulo

*

PASSO DE TARTARUGA

Por que motivo as instâncias superiores não dão prioridade ao julgamento de Lula? Acabaríamos logo com a irritante farra jurídica que tem dominado o País. O único recurso que Lula tem é protelar seu julgamento, pois é certo que ele vai ser condenado.

Geraldo de Paula e Silva siffert18140@uol.com.br  

Rio de Janeiro 

*

ALERTA

Que todos fiquem alerta. As pesquisas que apresentam o "presodenciável" à frente, não passam de fake news, uma vez que o TSE não as autorizou com o nome dele incluído.

Carlos Eduardo Barros Rodrigues ceb.rodrigues@hotmail.com 

São Paulo

*

ONU, QUAL SUA OPINIÃO?

37% dos eleitores brasileiros apoiam a corrupção! Qual será a opinião da ONU a respeito?

Eugênio José Alati eugenioalati13@gmail.com 

Campinas

*

ONU

Quem diria, a centenária ONU também entrou de gaiata nas colossais aberrações do PT e de petistas. Felizmente está chegando ao fim a interminável, irritante, deplorável e melancólica pantomima "Lula livre". O Brasil não é republiqueta. Muito menos joguete para destrambelhados que por pouco não arruinaram o País. 

Vicente Limongi Netto limonginetto@hotmail.com 

Brasília

*

PT E PSDB

Tem razão o ex-presidente FHC ao nivelar PT e PSDB como farinhas do mesmo saco. A leitora Estela Regina Wonsik (19/8, A2), entretanto, foi mais precisa: "o PSDB é um câncer de pele, enquanto o PT é aquele que atingi as profundidades dos ossos". Está mais do que na hora de acabar com esses cânceres que se revezam atingindo a alma e as esperanças dos brasileiros!

Nilson Otávio de Oliveira noo@uol.com.br 

São Paulo 

*

ALCKMIN NO PARÁ

Alckmin em campanha no Pará: "Tomou cerveja em copo de plástico, tirou os sapatos sociais e as meias finas para, com dona Lu, colocar os pés nas águas do Rio Tapajós", informou o "Estadão" (20/8, A8). Tudo bem, mas cuidado com as piranhas do centrão!

Paulo Arisi paulo.arisi@gmail.com 

Porto Alegre

*

O BRASIL MERECE MELHOR

O debate entre presidenciáveis, veiculado pela Rede TV, mostrou uma polarização muito interessante: de um lado, um candidato populista conservador de extrema direita que tenta atrair votos da população tão conversadora quanto ele com a promessa de impor ordem e moral na sociedade e na política, segundo regras rígidas pré-estabelecidas e, de outro, uma candidata evangélica que, embora reconhecendo que o Estado brasileiro seja laico, não hesita em evocar versos da bíblia para respaldar suas ponderações como se nela estivessem contidas todas as soluções para os problemas nacionais. Estas duas visões podem ser boas para Jair Bolsonaro e Marina Silva, e seus respectivos seguidores, mas o Brasil precisa e merece coisa melhor. 

Luciano Harary lharary@hotmail.com 

São Paulo

*

BOLSONARO NO POSTO IPIRANGA

Pelas entrevistas dadas e pelos debates na TV, forma-se a preocupante e perturbadora impressão de que, se ocorrer a calamidade de Jair Bolsonaro ser eleito (toc-toc-toc), todas as respostas de como irá governar o País deverão ser procuradas no "Posto Ipiranga". Vota certo, Brasil!

J.S. Decol decoljs@gmail.com  

São Paulo 

*

NADA NOVO

É irracional votar em Dilma Rousseff, Geraldo Alckmin, Jair Bolsonaro, Ciro Gomes, Marina Silva, Gleisi Hoffmann, Lindbergh Farias, Henrique Meirelles, Romário, Antônio Anastasia e tantas outras raposas velhas da política brasileira. Já não basta o estrago feito pelos políticos nos últimos anos? A intenção é falir de vez o País?

José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br  

Belo Horizonte 

*

TRÁGICO

Enquanto o investimento em educação continuar a ser um blefe, políticos populistas e oportunistas continuarão tomando conta do Brasil. É trágico e não cômico!

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com   

São Paulo 

*

DOBRADINHA

O texto de autoria do embaixador Celso Lafer, "Insegurança Internacional" (20/8, A2), imbrica com perfeição com o claro, preciso, conciso e objetivo do General Villas Bôas, "Defesa para quê" (20/8, A2), no qual alerta sobre a necessidade de manutenção de um Estado mínimo de prontidão das Forças Armadas. Meus cumprimentos aos dois e ao "Estadão" por trazer a público tão relevante assunto, normalmente olvidado pela imensa maioria da sociedade brasileira.

Marco Balbi mbalbi69@globo.com  

Rio de Janeiro 

*

RESPOSTA DO GOVERNO

Com relação à carta "Política rastaquera", que faz alusão a um suposto abandono de obras, o governo do Estado esclarece que todos os contratos das obras do Rodoanel estão em vigor, com média de 87% do empreendimento pronto. Os lotes 2, 4 e 5 estão acima dos 90% - com 92%, 94% e 96%, com entrega prevista para 2019. O governo continua avançando na execução de 65 obras viárias, totalizando mais de R$ 6,5 bilhões em investimento, além da entrega de obras prioritárias como 36 mil moradias, dois novos hospitais e 10 estações de metrô.

Felipe Pinheiro fepinheiro@sp.gov.br 

Subsecretário de comunicação do governo do Estado de São Paulo

*

RESPOSTA DA SABESP

Em resposta à carta do leitor José Geraldo da Silva, referente a um vazamento d'água na rua Mieres, a Sabesp informa que vistoriou o local no último dia 15, e confirmou que a ocorrência não está relacionada às redes operadas pela empresa. A Companhia também realizou testes de qualidade da água em amostras coletadas na via indicada e constatou que a água não é proveniente da rede de abastecimento da Sabesp. Em junho, técnicos estiveram no local e também constataram que o vazamento não era decorrente das tubulações da empresa, conforme vistoria e resultado da análise realizada na amostra coletada na data.

Bianca Ruiz Beltrame bbeltrame.cdn@sabesp.com.br   

SABESP/BR

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.