Fórum dos Leitores

Cartas selecionadas para a edição impressa e portal estadao.com.br

O Estado de S.Paulo

04 Outubro 2018 | 03h00

CORRUPÇÃO E POLÍTICA

Só no Brasil

A tomar pelo valor de face o que diz Antônio Palocci em seu depoimento, agora liberado pelo juiz Sergio Moro, tudo o que sabemos sobre o que se passou no curso dos governos do PT parece ser apenas a ponta de um gigantesco iceberg de corrupção. Somente as campanhas de Lula e Dilma teriam tido, segundo Palocci, um custo real de R$ 1,4 bilhão (!), ante R$ 350 milhões declarados, o que, a se confirmar, evidenciaria a nulidade que é a Justiça Eleitoral para fiscalizar e coibir abusos em tempos de eleição. Mas o deboche vai muito além: conta Palocci que, pelo menos desde 2007 Lula sabia da rapinagem na Petrobrás e nada fez para estancá-la, ao contrário, manteve os ratos que ele mesmo instalou em postos-chave da estatal, com o uso da caneta e do Diário Oficial, tudo para mais à frente, com os recursos desviados para os cofres do PT, tornar viável a tal “tomada do poder” (apud José Dirceu), que, enfim, parece ser o plano A desses campeões da democracia. A sangria na Petrobrás não foi trivial: laudo da Polícia Federal estimou em R$ 42,8 bilhões o montante da corrupção na empresa, mas cálculos mais recentes falam em até R$ 88 bilhões que evaporaram dos cofres da estatal. É incrível que, sabendo de tudo isso - pois os dados são públicos -, ainda haja brasileiros que considerem a hipótese de reconduzir o PT ao Planalto. Só no Brasil... 

SILVIO NATAL

silvionatal49@gmail.com

São Paulo

Pesquisa aponta que maioria quer que o Lula continue preso. Outro resultado seria o cúmulo do absurdo.

J. A. MULLER

josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré

PT contesta

Dirigentes do PT criticaram as falas de José Dirceu - “vamos tomar o poder, que é diferente de ganhar a eleição”, e “primeiro deveria tirar todos os poderes do Supremo e ser só Corte Constitucional” -, mas somente pelo momento em que elas foram pronunciadas, e não por seu conteúdo. Lamentável. Muito pior a emenda que o soneto!

ELY WEINSTEIN

elyw@terra.com.br

São Paulo

É engraçado que os petistas também não estão contestando o conteúdo da delação do ex-ministro Antônio Palocci, mas, sim, sua divulgação. Ou seja, partem do pressuposto de que tudo o que foi delatado é verdade...

CARLOS E. BARROS RODRIGUES

ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo

Língua de trapo

Dirceu deu tiro no pé ao dizer do golpe, opa!, da “tomada do poder, que é diferente de ganhar a eleição”. O ‘Mito’ cresceu.

TANIA TAVARES

taniatma@hotmail.com

São Paulo

Falando em ‘Mito’...

O candidato Jair Bolsonaro, mesmo sem grana, sem jatinho, sem tempo no horário gratuito da TV e sem dinheiro - porque o PT pegou tudo “no posto Petrobrás” -, está em primeiro lugar. Imaginem o contrário...

ZUREIA BARUCH

zureiabaruchjr@bol.com.br

São Paulo

Calúnia é crime

Com base em quê Ciro Gomes desqualifica o médico de Bolsonaro, do hospital Albert Einstein, levantando suspeita de que o atestado proibindo sua participação em debate seja falso?

MILTON BULACH

mbulach@gmail.com

Campinas

Muita incompetência

Fernando Haddad, em discurso no Nordeste, disse que vai enquadrar os bancos por cartel e porque cobram juros muito altos do governo. Sabia que ele era incompetente, mas não tanto. Será que o PT agora vai tentar revogar a lei da oferta e da procura? Esse pessoal não entende que o governo paga juros altíssimos para cobrir seu déficit, problema criado por ele mesmo? Isso tudo seria corrigido se o governo gastasse o que tem e não tivesse de tomar dos banqueiros empréstimos para cobrir o que gasta a mais do que tem. Depois dessas asneiras, ficam procurando culpados pela baixa nas pesquisas. O povo já está farto do PT e com essas besteiras os petistas nem precisam de adversários. Acabam se atolando nas próprias asneiras.

OLAVO BRUSCHINI

o.bruschini@terra.com.br

Monte Azul Paulista

Fascismo petista 

Fernando Haddad permite-se alegar fascismo de outros (3/10, A9) para desqualificar partidos que ousam atacar sua candidatura-tampão. Considerando que os extremos se igualam no espectro político, como no fechamento de um círculo, cumpre lembrar o fascismo petista quando Lula e a presidenta do PT, Gleisi Hoffmann, elogiam a ditadura genocida venezuelana de Hugo Chávez e Nicolás Maduro. E, ainda, quando Lula apoia e inveja as piores e mais longevas ditaduras africanas, como a de Angola, onde vive a mulher mais rica da África - que, não por coincidência, é filha do invejado ex-ditador Santos. O “poste”, desesperado para tornar viável a posse do candidato real, o presidiário, tenta pespegar nos demais partidos o mesmo fascismo petista - tentando escondê-lo por trás das costas, como em fábula que ex-ministro da Educação deveria conhecer. 

SUELY MANDELBAUM

suely.m@terra.com.br

São Paulo

JUSTIÇA

‘Superar o anacronismo’

Exemplar o artigo do dr. José Renato Nalini (3/10, A2). Deve ser lido e ponderado pelos integrantes das carreiras jurídicas. A inflação de faculdades de Direito resulta na perda de qualidade do ensino, refletida nas taxas de reprovação nos exames da Ordem dos Advogados.

ALMIR PAZZIANOTTO PINTO

pazzianottopinto@hotmail.com

São Paulo

Abuso desmoralizador

Muito bem comentada a judicialização da política e a grande quantidade de faculdades de Direito no País, entre outros aspectos da vida jurídica. O que faltou dizer é que só haverá uma diminuição da judicialização se for feita profunda reforma do Direito Processual, com suas quase infinitas possibilidades recursais, que entopem o Judiciário e só beneficiam os que podem pagar a advogados, desmoralizando a imagem da Justiça. Um interessante caso é o de José Dirceu, condenado em segundo grau e que, em razão das boas graças de um juiz amigo, aliadas a recursos processuais quase infinitos, está em liberdade e comandando veladamente a campanha eleitoral do PT, num visível abuso desmoralizador de alguém que deveria estar na Papuda.

ULF HERMANN MONDL

hermannxx@yahoo.com.br

São José (SC)

CADAFALSO BRASILEIRO

O Brasil caminha a galope para o cadafalso de um segundo turno que, sem dúvida alguma, incendiará o País, e não permitirá reconciliação a partir de janeiro de 2019. Todos estes que estão aderindo ao radicalismo, seja de direita ou de esquerda, logo adiante terão de assumir suas respectivas responsabilidades se as coisas derem errado. Lembro que o jornalista de ultradireita Carlos Lacerda apoiou o golpe militar de 1964, para pouco tempo depois passar a ser perseguido político. Assim como tantos outros. Se não houver alguma grata surpresa no primeiro turno, vença quem vencer entre Fernando Haddad (PT) e Jair Bolsonaro (PSL), a partir de 29 de outubro eu e a maioria dos brasileiros estaremos na resistência democrática contra qualquer ataque às liberdades individuais e civis, em defesa da lei e da Constituição. O arbítrio não passará. Fica a nota de pesar para as elites econômicas do País que acham estar votando num Trump tupiniquim, arriscando-se a colher um Hugo Chávez de direita. Não poderão contar com o beneplácito de não terem sido amplamente avisados, afinal o pior cego é aquele que vê, mas não enxerga.

Sandro Ferreira

sandroferreira94@hotmail.com

Ponta Grossa (PR)

FINAL DE CORRIDA

Está claro que o crescimento do apoio a Jair Bolsonaro, cuja efetiva bandeira é o antipetismo, ocorre devido à crescente possibilidade de ser eleito já no primeiro turno. É um castigo para o tímido, envergonhado e dividido PSDB, sempre condescendente para com o PT. É bom definir logo o que fazer no caso de esta vitória vir a ocorrer, visto que os maus humores do grande "PerTurbador" serão reativados lá, de Curitiba.

Wilson Scarpelli

wiscar@terra.com.br

Cotia

DUPLO TIRO

As manifestações contra Jair Bolsonaro que aconteceram em todo o País no último sábado foram um duplo tiro no pé. Conseguiram, num só tempo, alavancar a candidatura do deputado do PSL e acelerar a rejeição a Fernando Haddad. Estratégia fatal, impulsiva e mal pensada. O movimento #EleNão está sendo a cereja que faltava no bolo de Jair Bolsonaro. 

Luciano Harary 

lharary@hotmail.com

São Paulo

EFEITO CONTRÁRIO

O movimento #EleNão conseguiu efeito contrário ao pretendido: aumentou o apoio ao candidato Bolsonaro, especialmente entre as mulheres que não se sentiram representadas pelo comportamento das manifestantes. Alguma surpresa?

Aparecida Dileide Gaziolla

aparecidagaziolla@gmail.com

São Caetano do Sul 

MULHERES

Li que Jair Bolsonaro subiu nas intenções de voto do eleitorado feminino, segmento que reivindica espaço, respeito e tudo o mais. Estranhamente, parte o faz pondo os peitos para fora, literalmente, com desculpas pela mão pesada, imagem bastante vista no movimento #EleNão. Procurando quem possa ser um símbolo de uma das mulheres mais bem-sucedidas e respeitadas do mundo nos últimos tempos, nos campos pessoal e profissional, vem Gisele Bündchen à cabeça. Sempre deslumbrante, magnificamente vestida, não precisou apelar. Por outro lado, também me lembro de uma modelo que recentemente adentrou as passarelas - desculpem novamente - com o peito de fora, amamentando seu bebê. Lindo ato, mas, como tudo na vida, tem hora e lugar. Resumindo a ópera, enquanto Gisele continua sendo e sempre será Gisele, qual é o nome da outra, mesmo? Entenderam o porquê de as mulheres estarem se voltando para Jair Bolsonaro? O autorrespeito é lindo e impõe respeito.  

Marcia Meirelles

marciambm@yahoo.com.br

São Paulo

IDEIAS ESTAPAFÚRDIAS

O jornalista Flavio Tavares, no artigo "Só probabilidades matemáticas" ("Estado", 2/10, A2), afirma que "a arrogante petulância com que Lula e o PT nos governaram abriu caminho a que ideias estapafúrdias e violentas de Bolsonaro fossem aceitas de boa-fé em (sic) parte dos eleitores". Sinceramente, nada vejo de estapafúrdio em desejar que crianças e adolescentes sejam poupados de sexualização precoce (a partir de 4 anos!) com a implantação forçada do ensino de ideologia de gênero nas escolas, inclusive com apresentação de "kits gay". Nada vejo de estapafúrdio em almejar que se levem os alunos a respeitarem o princípio da autoridade (não se trata, aqui, de autoritarismo), seja de pais, seja de professores dentro da escola, a fim de que se formem pessoas úteis à sociedade, e não mentes arrogantes e deturpadas. O que há de "violência" em desejar que se reverta o quadro tenebroso de índices alarmantes de assassinatos, acima de 60 mil por ano, com punições exemplares aos criminosos e possibilidade de autodefesa para o cidadão de bem? Ocorre que a sociedade pode estar mesmo preocupada com a falta de opções, uma vez que a realidade das pesquisas nos apresenta apenas dois caminhos: Bolsonaro ou Haddad. Pode-se pensar que estamos com um pé no sabonete e outro numa casca de banana. Mas, francamente, é preferível deslizar para a frente com o sabonete e ver aonde se vai dar com Bolsonaro, a deixar-se ir para trás na casca de banana (esborrachando-nos na lama criada pelo lulopetismo) com Haddad, fantoche de um condenado

Edméa Ramos da Silva

paulameia@terra.com.br

Santos

BOLSONARO RECOLHIDO

As eleições presidenciais no primeiro turno deveriam ser adiadas até que o candidato Jair Bolsonaro estivesse em condições de debater. Sua ausência se justifica, mas como justificar a ausência de Paulo Guedes e Hamilton Mourão dos debates? Isso é negar informação ao povo. Nosso país ainda é majoritariamente televisivo e as pessoas votarão num homem cujas propostas não conhecem.  

Alcides Carlos Pereira

alcidescarlospereira@yahoo.com.br

São Paulo

QUEBRA-CABEÇAS TENEBROSO

Como leitor assíduo do "Estadão", vejo com enorme preocupação o perverso quadro político que ora se afigura. Custa-me a crer que, às vésperas da eleição, o candidato líder nas pesquisas fosse vítima de fogo amigo letal dos principais integrantes de seu staff. O que leva pessoas eruditas, com experiência política e empresarial a cometerem erros tão primários? E que vejo como consequência inexorável a implosão da candidatura do sr. Bolsonaro (de quem não sou eleitor, mas não aprecio manipulações). Vejo isso como uma manobra de todos os partidos para a volta do PT, partido que fechou os olhos para todas as falcatruas, generosamente distribuídas entre os partidos. Com a eventual recondução do PT ao poder, todos os esquemas perversos que quebraram o Brasil voltarão, os políticos sujos ficarão debaixo do foro privilegiado e detonarão sem piedade a Lava Jato (sonho dos corruptos). Não sou afeito a teorias da conspiração, mas, ao juntar as peças, a conclusão final é temerosa. Era o que eu tinha a expor.

Alfredo T. Netto

alfredoterenciano@yahoo.com.br

São Paulo

HAITI?

Muitos pensam que o Brasil pode virar uma Venezuela. Não. Se Haddad for eleito, teremos uma situação assim: o País perde credibilidade internacional, visto que seria comandado por um preso, condenado; os investimentos estrangeiros serão zerados e perderemos acordos comerciais. Aqui, teremos a corrupção completa do Poder Judiciário e, com a insegurança jurídica, empresas param de investir e vão demitir. O desemprego vai aumentar dramaticamente e teremos uma onda de criminalidade e violência quase impossível de conter. Estupros e violência nas escoas públicas. Imprensa sob achaque. Sindicatos de servidores em greve o tempo todo, prejudicando a população. Outras coisas ruins. Seremos o novo Haiti (como diria Caetano Veloso). Por que a esquerda quer destruir o Brasil? Não podemos deixar. 

André Luis Coutinho

arcouti@uol.com.br

Campinas

A HISTÓRIA SE REPETE?

O Brasil será feliz de novo com Fernando Haddad governando "por procuração" de Lula? A resposta é não. Vejamos: o "cara" usou seu primeiro mandato para implantar um sistema de permanência no poder a base de propina em escala nunca vista antes neste país (petrolão e mensalão). Foi também introduzido o conceito malandro de que gastos assistenciais (que garantem votos) são investimento, e não despesa, mesmo sem aumento de produtividade e exportação para cobrir o rombo. Para terminar, conseguiu colocar o primeiro "poste" como sucessora. Dilma Rousseff, supostamente economista, fez vista grossa ao lamaçal em volta e violou todas as "regras douradas" da economia. Foi forçada a sair deixando o País em recessão profunda e com 13 milhões de desempregados. Como mostrou na Prefeitura de São Paulo, o segundo "poste", Haddad, fez o que mandaram fazer. A coisa certa é que vai tentar de tudo para acabar com a Lava Jato, Lula vai para casa e nada vai melhorar. Este conceito de felicidade é muito estranho, não?

Omar El Seoud

elseoud.usp@gmail.com

São Paulo

DESMAME

Para Haddad, "parte da elite brasileira abandonou a social-democracia pelo fascismo". A parte da "zelite" que ainda não abandonou o socialismo-bolivariano-petista são aqueles que ainda conseguem mamar na Lei Rouanet. Tirem esta teta e vejam o que acontece...

José Roberto Niero

jrniero@yahoo.com.br

São Caetano do Sul

AVACALHAÇÃO

As notícias veiculadas na mídia nos surpreendem cada vez mais, revelando os absurdos perpetrados por aqueles que têm o dever de defender a ordem social e as leis num país democrático. O que estamos assistindo em termos de transgressões à legislação em vigor é inédito. Tomemos como exemplo a liberdade que o ex-presidente Lula vem tendo em se expressar e comandar a política nacional, do interior da sua cela nas dependências da Polícia Federal em Curitiba. O candidato à Presidência da República de seu partido se dirige a todo instante a Curitiba para receber as instruções do ex-presidente, líder inconteste do PT. Ora, até onde sei, o ex-presidente está preso por ter sido condenado por corrupção e lavagem de dinheiro. Então, ele teria direito a visitas de acordo com as regras estabelecidas para todos os presos. Portanto, o candidato Haddad visitá-lo ao seu bel prazer já é um ilícito, agravado pelo fato de que ali se dirige para receber instruções sobre a campanha eleitoral, já que, como a própria campanha do PT afirma, "Haddad é Lula". A população está a ponto de escolher entre um deputado federal que não prima pelo comedimento em suas palavras e ações, e com várias fobias, e um candidato real que se encontra preso por ter sido julgado e condenado por corrupção e concorre com um preposto seu. No STF, seus ministros decidem monocraticamente, ou em grupo minoritário, sob a liberdade ou não de presos que foram condenados por terem causado graves prejuízos ao País. E na terça-feira, 2/10, jornalistas respeitados condenam o juiz Sergio Moro por liberar trechos da deleção premiada de Palocci, na semana que antecede a eleição, acusando o ex-presidente de chefe da quadrilha que assaltou o erário. Ora, por qual motivo o juiz deveria aguardar a eleição para liberar um depoimento, que estava sob segredo de Justiça, por interesse do Judiciário e não por outro motivo qualquer? Se tal depoimento interferir na escolha do proposto do ex-presidente, será pelos crimes cometidos por ele, e não por interferência de quem quer que seja. Caso contrário, seria avacalhação demais se calar só para não atrapalhar que o réu continuasse a influir no destino do País. 

Gilberto Pacini 

benetazzos@bol.com.br

São Paulo

AFUGENTANDO OS DEMÔNIOS

Dias difíceis estes que precedem as eleições de outubro. Como não pensar nelas? Como não ter medo dos resultados delas advindos? Conhecemos bem o terreno em que pisamos. É escorregadio e permeado de artimanhas. O nosso futuro nunca esteve tão ameaçado como agora, em que várias instâncias foram cooptadas por um partido, o PT, que de longa data vem arquitetando a tomada definitiva do poder, como afirmou sem rodeios um dos chefões do partido, o desqualificado José Dirceu, condenado a 30 anos de prisão e liberado das grades pelo seu protetor, o ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal - Supremo este que vem perdendo paulatinamente a credibilidade junto à população por recorrentes atos "estranhos", como o acima citado, cometidos pelo mesmo Lewandowski e alguns de seus pares. Como confiar na plena segurança física dos candidatos e das urnas neste pleito, se nem os últimos e tristes acontecimentos relativos a ele foram esclarecidos a contento?

Neiva Pitta Kadota

npkadota@terra.com.br

São Paulo

HORA DA DECISÃO

Destaca o "Estadão" de 2/10, no brilhante editorial "O prejuízo que o PT causou", os riscos que estamos correndo nesta eleição. E conclui com um alerta oportuno e que deveria servir de balizador para os que ainda estão indecisos ou pensam em anular seu voto. Vale ressaltar a conclusão do "Estadão": "A experiência da Petrobrás sob o jugo do PT deve servir de alerta. O partido de Lula quase destruiu a estatal e remover essa herança maldita vem custando muito dinheiro. Não faz nenhum sentido possibilitar a repetição de escândalos como o da Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, ou o do Comperj, no Rio de Janeiro. O País e a Petrobrás precisam andar para a frente - não para trás". As pesquisas indicam com certeza que o próximo governo será de Jair Bolsonaro ou de Fernando Haddad, eleitos em primeiro turno ou no segundo turno. O que podemos esperar destas duas opções: de um lado, a dúvida levantada principalmente pela grande mídia e pelos adversários de que teremos um governante autoritário, pouco democrático e sem apoio dos políticos. De outro lado, com o PT, não existem dúvidas quanto a um governo que não abrirá nenhuma possibilidade de conciliação com os vencidos e que já tem bandeiras bem definidas como dar força ao Foro de São Paulo para nos tornar uma Venezuela continental, ensino com ideologia de gênero, aparelhamento do Estado para eternizar o conluio com grandes bancos e empreiteiras e afrontar o Judiciário para liberar do cárcere seu líder já condenado (e por isonomia dezenas de empreiteiros, bicheiros e políticos corruptos já condenados em 2.ª instância e cumprindo pena). É chegado o momento de deixarmos de lado purismos e utopias e decidirmos com pragmatismo. Entre a certeza do mal e a possibilidade de algo melhor, devemos todos nos conscientizar do alto risco de retrocesso e votar com pragmatismo para cortar o mal pela raiz já no primeiro turno.      

Francisco Paulo Uras

francisco.uras@uras.com.br

São Paulo

'PRESOS POLÍTICOS'

Segundo o Ministério Público, existem 448.969 presos no Brasil, encarcerados em 1.598 estabelecimentos prisionais, conforme divulgação em junho durante o IV Encontro Nacional do Sistema Prisional. Ou seja, segundo o condenado Lula e sua legião de esquerdopatas, existem (por analogia) 448.969 presos políticos neste país. Maravilhoso é que todos seriam elegíveis, de acordo com a fantástica interpretação dos nobres advogados de Lula.

Milton Córdova Júnior

milton.cordova@gmail.com

Vicente Pires (DF)

PAPÉIS TROCADOS

Na eventualidade de o PT vencer a eleição para a Presidência do Brasil, o Judiciário correrá o risco de ir para a cadeia e José Dirceu, ficar livre e solto. 

Emanoel Cohen

emanoelcohen090@yahoo.com.br

Santo André

PESADELO

Manhã de terça-feira, 1 de janeiro de 2019, o povo de bem acorda e se depara com a posse do novo presidente da República, Fernando Haddad. No púlpito do palácio estão o criminoso Lula da Silva, Dilma Rousseff, José Dirceu, Gleisi Hoffmann, Antonio Palocci, Ciro Gomes, os ministros Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski, Gilmar Mendes, o presidente venezuelano Nicolás Maduro, entre outros da "tigrada". José Dirceu pega o microfone e diz: "Conseguimos tomar o poder". Mesmo depois de 13 anos de "lesa-pátria", a catástrofe se aproxima se os indecisos, os adeptos ao voto em branco ou nulo, resolverem manter essa ideia. Por enquanto, só é um grande pesadelo, mas que poderá se tornar realidade. Que todos votem com convicção. Graças a Deus, ainda é um pesadelo!

Júlio Roberto Ayres Brisola

jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

PERDÃO

Esta história de PT, Haddad e Lula detento terem significativa intenção de voto só confirma a consagrada, ecumênica e histórica frase: "Perdoai, eles não sabem o que fazem!".

Francisco José Sidoti

fransidoti@gmail.com

São Paulo

A DELAÇÃO DE PALOCCI

A matéria "Ex-ministro relata propina em cerca de 90% das MPs" ("Estado", 2/10, A6) fala sobre a delação do ex-ministro Antonio Palocci, a respeito da venda de emendas legislativas nos governos Lula e Dilma, e diz que propostas tinham vícios para atender a interesses financeiros. Sobre o texto, tenho muito a criticar, e um dos motivos é que os políticos ou os ex-políticos acabam roubando milhões de dinheiro da sociedade brasileira e falam que não fizeram nada, e, depois de meses, eles acabam entregando os amigos políticos só para ficarem menos tempo na cadeia, e acabam presos em suas mansões, pagas com o dinheiro do povo brasileiro. Para min, se o político rouba, ele tem de ficar preso na cadeia, e mesmo entregando os seus amigos políticos que roubam dinheiro, a pena de prisão não deveria diminuir. A matéria tem para min um ponto positivo: a delação premiada que o ex-ministro Palocci fez contra o governo de Dilma e de Lula. Todos deveriam fazer a delação premiada, mas deveriam continuar com o mesmo tempo de pena de prisão.

Tomás Borin Macedo

tomas.rsys@gmail.com

São Paulo

PROJETO DE PODER                                 

Antonio Palocci, ex-ministro da Fazenda e da Casa Civil do governo Lula, em sua delação premiada mostra a verdadeira cara do PT, um partido com o objetivo de se perpetuar no poder, custe o que custar. Lula encarcerado e o partido atolado em denúncias gravíssimas e, mesmo assim, Fernando Haddad, um ex-ministro da Educação que não teve competência para realizar o Enem, nem para governar a cidade de São Paulo, aparece bem cotado nas pesquisas eleitorais. Nem Freud explica!

José A. Muller

josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré

LAMENTÁVEL

A atitude do juiz Sergio Moro liberando depoimentos de um ex-ocupante de cargos públicos nos governos Lula e Dilma e que atualmente está cumprindo pena merece uma séria reflexão. E a pergunta inicial é por que estes documentos vieram a público a alguns dias das eleições? É uma situação que por certo caracteriza um partidarismo e que afeta o conceito do Poder Judiciário. Um fato lamentável, por certo.

Uriel Villas Boas

urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos

EGO

É de uma desonestidade intelectual sem precedentes a liberação da delação de Palocci pelo juiz Sergio Moro, que vem mostrar o tamanho do ego.

Marcos Barbosa

micabarbosa@gmail.com

Casa Branca

AGORA É PÚBLICO

Liberando a delação de Palocci, o juiz Sergio Moro dá um golpe de mestre ou um tiro de misericórdia no PT?

Eduardo Augusto D. Filho

eadelgadofilho@gmail.com

Campinas

PALOCCI CONTA TUDO

Taca-lhe pau, italiano!

Sérgio Eckermann Passos

sepassos@yahoo.com.br

Porto Feliz 

DELATOR

Imaginem se Palocci não tivesse a língua "plesa".

Joaquim Quintino Filho

jqf@terra.com.br

Pirassununga 

A ÁGUA MOLHA

Agora é oficial: a água molha, o fogo queima, a bosta fede e Lula é o mandante e maior beneficiário dos crimes praticados pelo PT. 

Mário Barilá Filho

mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

DELACAO X ENTREVISTA

A delação de Antonio Palocci é devastadora, porém não surpreende aqueles que acompanham a política e as várias operações da Lava Jato. O que causa espécie é ver que Lula segue com sua narrativa do golpe, de que está preso injustamente - ou seja, continua com sua vitimização. A delação é clara, Lula comandou o esquema e mandou pagar e recebeu propina. Os petistas dizem que divulgar a delação de Palocci às vésperas da eleição é um fato político. Agora, quando a "Folha" é proibida de fazer a entrevista com Lula, ela alega censura. Mas não estaria ela cavando um fato político também? Ou só é errado quando contraria o PT?

Izabel Avallone

izabelavallone@gmail.com

São Paulo

CRISE NO STF

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), errou feio ao se insurgir contra a ordem do ministro Luiz Fux que suspendeu a liminar que concedera para Lula dar entrevistas à imprensa na carceragem da Polícia Federal (PF). A decisão de Fux foi dada durante o período em que respondeu interinamente pela presidência da Casa e tem suporte regimental. Já a reação de Lewandowski, reiterando sua determinação anterior à PF, não tem amparo legal, é tecnicamente primária e fere o decoro por conter ofensas à pessoa de Fux, entre elas a de que este teria agido por motivação "subalterna". Não é a primeira vez que Lewandowski reage agressivamente ao ser contrariado em suas teses, mas desta vez ultrapassou, em muito, o limite do razoável. Agiu com prudência o ministro Dias Toffoli, presidente da Corte, ao desautorizar Lewandowski e manter a ordem de Fux proibindo que Lula seja entrevistado. O País vive um momento político conturbado e não pode ser vítima de uma crise com potencial de abalar a ordem institucional. E é inaceitável que quem a provoque - por motivo de ver suas convicções ou interesses pessoais contrariados - seja um membro da Casa, cuja missão precípua é a de guardiã da Constituição.

Sergio Ridel

sergiosridel@yahoo.com.br

São Paulo

SUPREMO EM CHAMAS

Incrível. Até ministros tradicionalmente petistas se estranhando no STF? Realmente, o País está virado de cabeça para baixo, principalmente quando Ricardo Lewandowski ameaça denunciar companheiros do STF, tudo para autorizar entrevista com o delinquente preso ao jornal mais vermelho do País. Nós, democratas, imaginávamos tudo, menos briga entre dois ministros petistas. Realmente, o Brasil precisa ser conduzido com mais seriedade, e não golpes, porque nós, brasileiros, sabemos o que não queremos. Queremos alternância de poder, porque isso faz parte da democracia. O PT já mostrou que esta esquerda caviar, nunca mais.

Beatriz Campos

beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

A INSISTÊNCIA DE LEWANDOWSKI

Parece que o ministro Ricardo Lewandowski desconhece o teor do artigo 142, caput, da Carta Magna, que determina que às Forças Armadas estão destinados elevados e espinhosos encargos, sendo a garantia dos poderes constitucionais um deles. A insistência absolutamente parcial deste ministro em privilegiar a candidatura petista, desequilibrando as eleições brasileiras ao reiterar a autorização de entrevista do condenado Lula a um veículo de imprensa, já passou dos limites e beira ao deboche. É inconcebível que um ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) preste-se a esse papel, agindo com elevada imprudência em momento tão grave que vive o Brasil. Essa decisão produz, como consequência, a erosão dos poderes constitucionais - abrindo caminho, em tese, para medidas efetivas, entre as quais a hipótese do artigo 142, que restaurem a garantia do funcionamento dos Poderes. A conduta do referido ministro incide claramente no artigo 39, inciso 1 da Lei 1.079/1950 (crime de responsabilidade de ministro do STF), podendo sofrer processo de impeachment.

Milton Cordova Junior

milton.cordova@gmail.com

Vicente Pires

DÁ OU NÃO DÁ ENTREVISTA

Lewandowski diz que dá, Fux diz que não dá, Lewandowski insiste que dá, Fux reafirma que não dá e, finalmente, Toffoli bate o martelo e diz que não dá. Não é incrível?

Sergio S. de Oliveira

ssoliveiramsm@gmail.com

Monte Santo de Minas (MG)

AUTORIZAÇÃO PARA ENTREVISTA

De um "Supremo acovardado" não se esperaria outra coisa...

A.Fernandes

standyball@hotmail.com

São Paulo

INACREDITÁVEL

Este leigo acredita que os pareceres razoáveis que o ministro Lewandowski emite partem de sua assessoria. Quando saem de sua cabeça, ferem a Constituição e o bom sendo.

André C. Frohnknecht

caxumba888@gmail.com

São Paulo

EXAGERO

Até Dias Toffoli achou que Ricardo Lewandowski exagerou em tentar ajudar Lula e o PT, sem nenhum constrangimento. 

Luiz Frid 

luiz.frid@globomail.com

São Paulo

DESCOMPASSO

Manifesto assinado por "notáveis" e encabeçado por Fernando Henrique Cardoso, num pretenso apoio a Geraldo Alckmin, candidato à Presidência do PSDB, pede um compromisso radical com a democracia. O apoio a Alckmin veio tarde demais, já era! E este manifesto também está bem atrasado, pois deveria ter sido escrito há muito tempo, em outras ocasiões, como, por exemplo, quando Dilma Rousseff convidou Lula para ser ministro da Casa Civil. Pelo visto, para FHC, tudo parecia democrático naquela ocasião. Só que não! Os tucanos estão sempre em descompasso com a realidade.

Mara Montezuma Assaf

montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

GRETA GARBO, QUEM DIRIA...

A exemplo da diva do cinema Greta Garbo, que, retratada de forma satírica no texto teatral de Fernando Melo, "quem diria, foi parar no Irajá", pode-se afirmar que destino metaforicamente semelhante coube ao PSDB, outrora um partido que representava de maneira dissimulada uma prática política de centro, pois, na verdade, sempre contou em seus quadros com apóstolos da esquerda que estrebucha no resto do mundo, embora por aqui resista com sintomas de esquizofrenia. Seu maior ícone, Fernando Henrique Cardoso, não conseguiu esconder nos últimos tempos sua real natureza, apesar de tentar disfarçá-la por meio de manifestações ziguezagueantes na imprensa, o que esgotou sua capacidade de persuasão, sendo um dos principais causadores da debacle que deixou como consequência a figura de Geraldo Alckmin segurando a brocha sem escada pela segunda vez - a primeira foi em 2006, quando os cardeais do partido o abandonaram apesar de surpreendentemente ter chegado ao segundo turno contra Lula. Pobre PSDB!

Paulo Roberto Gotaç

pgotac@gmail.com

Rio de Janeiro

CABOS ELEITORAIS

É irônico pensar que os principais cabos eleitorais de Bolsonaro são o ex-presidente Lula e Geraldo Alckmin. Lula, porque chefe de um partido que corrompeu as instituições do Brasil aparelhando tudo com seus asseclas, é responsável pela maior crise da nossa história e aperfeiçoou muito a corrupção, que já existia desde o descobrimento. Alckmin, porque não entendeu que os tempos mudaram e que não são minutos a mais na TV, mas são propostas corajosas que recoloquem nosso país no caminho da redenção de nossa população abandonada que os eleitores querem ouvir. Bolsonaro é uma incógnita? Certamente! Os outros dois já conhecemos e, cada um à sua maneira, são responsáveis pela decadência que nos legaram.

Aldo Bertolucci

aldobertolucci@gmail.com

São Paulo

GERALDO ALCKMIN

Eu lamento, enquanto brasileiro e paulista, que um homem que foi governador de São Paulo hoje se preste a este papel servil de "escada" para o PT, e nisso Geraldo Alkmin é o único culpado, por não ter tido a necessária sensibilidade para compreender o momento político e a natureza do eleitorado paulista, conservador em sua maioria, ainda mais aqui, no interior. Sua candidatura derrete por falta de carisma e de um bom governo (que não fez), porém mais ainda por seus ataques a Jair Bolsonaro numa estratégia burra que não nega o destino do PSDB em ser eternamente o servil priminho cor-de-rosa do vermelhão PT. O povo acordou.

Paulo Boccato

pofboccato@yahoo.com.br

Sao Carlos

PSDB

Pessoal, não vamos colocar a culpa em Geraldo, junto com Hartung, os dois melhores governadores. Vamos nos lembrar de FHC, que não liderou o impeachment de Lula no mensalão, fazendo o PSDB se apequenar, os cabeças pretas votando pauta-bomba e contra a Previdência, Eduardo Azeredo preso em Minas Gerais e Aécio Neves com empréstimo entre "cavalheiros". Será preciso desenhar para o PSDB entender que não está atendendo às expectativas dos eleitores?

Márcio Marcelo Pascholati

marcio.pascholati@gmail.com

São Paulo

PONTO FORA DO BRASIL

Como podem moradores de Minas Gerais eleger uma senadora que foi tirada do poder por incompetência, falta de responsabilidade e por ser comprovadamente ineficiente? Basta ver o que Dilma Rousseff foi e o que continua sendo. Se isso é o que mineiros escolhem para representá-los no Senado, que tipo de futuro esperam para o seu Estado? Pobre Minas Gerais. 

 

Jose Pedro Vilardi

vilardijp@ig.com.br

São Paulo

LUTA CONTRA O CÂNCER

A matéria "Terapia anticâncer leva Nobel de Medicina" ("Estado", 2/10, A17), de Giovanna Girardi, relata um novo método, chamado imunoterapia, que ativa o sistema imune contra tumores, o que levou ao Prêmio Nobel pela grande eficácia e tecnologia no processo, mostrando o poder da ciência básica. Concluo que este assunto é muito importante de ser retratado na atualidade: novas descobertas que ajudam a vida de pessoas que estão enfrentado o câncer. A imunoterapia é uma alternativa diferente das comuns, como cirurgias, radioterapia e quimioterapia, e está sendo estudada desde o fim do século 19, mas só depois de um tempo teve real eficácia em pessoas com tumores, que já são privilegiadas por estarem participando da pesquisa que ganhou um Prêmio Nobel de Medicina, uma grande oportunidade.

Beatriz Dorne

bia.dorne@hotmail.com

Ribeirão Preto

TERAPIA ANTICÂNCER

"Terapia anticâncer leva Nobel de Medicina" trata de um japonês e um americano que pesquisam sobre uma solução para ativar o sistema imune contra tumores. Acho importante esse tipo de texto. Ele pode reacender a esperança nas pessoas com câncer, é um grande avanço para a ciência, de fato, e pode ajudar em alguma pesquisa de outra pessoa, o mais importante é construir aos poucos as escadas até o descobrimento da cura do câncer.

Thalles Etchebehere G. Martins

thallesoptimus@gmail.com

Ribeirão Preto

DOENÇAS CRÔNICAS

Li a matéria "Sete a cada dez brasileiros com mais de 50 anos têm alguma doença crônica", de Lígia Formenti (2/10, A15), em que se diz que 30% dos idosos brasileiros de hoje estão com duas ou mais doenças crônicas e que a catarata é uma das que mais os afeta. Entendemos que o nosso modo de viver, que são as coisas que fazemos e o que ingerimos, etc., está cada vez se degradando mais, pois não estamos nos cuidando direito e não pensamos o quanto isso pode prejudicar a próxima geração, que podem ser nossos próprios filhos

Carlos Augusto Silva Dias

elsangelaasdias@gmail.com

Ribeirão Preto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.