Fórum dos Leitores

.

O Estado de S.Paulo

22 Outubro 2018 | 03h00

Um povo desesperançado

O editorial Brasileiro: cético e com medo (20/10, A3) aponta corretamente o ânimo diante do que a Operação Lava Jato revelou até agora e a preocupação que nos aflige toda a vez que saímos de casa por não termos a certeza de voltar incólumes. Eu, que nasci durante a 2.ª Guerra Mundial e sempre acompanhei atentamente a política nacional, jamais assisti a uma esculhambação igual. Claro, sei que a corrupção sempre existiu, porém, durante a era petista, as quadrilhas decididamente assaltaram o erário de maneira épica. E o governo Temer, à exceção da equipe econômica, mostrou-se bisonho com ministros e o próprio presidente às voltas com a Justiça. E, se alguém tinha esperança que as eleições deste mês viriam em nosso socorro, certamente está desiludido. Depois de tantos anos de degradação, nós não temos nenhum político que podemos classificar como estadista, que poderia nos conduzir a dias melhores. Obrigados novamente a escolher o menos pior, agora com nível mais baixo ainda. A escolha se dará na base de nós contra eles. Uns votarão em Bolsonaro com raiva do que o Lula e o PT fizeram. Outros votarão em Haddad por motivo análogo. Para confirmar essa trágica situação, temos o acúmulo de brasileiros que vêm sobrecarregando os consulados do Canadá e de Portugal, para obterem visto para emigrarem para aqueles países, a ponto de o consulado português interromper o atendimento. Emigram na base do salve-se quem puder.

GILBERTO PACINI

benetazzos@bol.com.br

São Paulo 

*

Salve-se quem puder

A foto da capa do Estadão de sábado sobre os hondurenhos conseguiu definir, como nunca, o desespero de pessoas famintas que se arriscam a ser maltratadas num país desconhecido, na tentativa (muitas vezes infrutífera) de reaver sua dignidade.

M. DO CARMO Z. LEME CARDOSO

zaffalon@uol.com.br

Bauru

*

Sob o domínio do medo

O editorial Brasileiro: cético e com medo mostra que, ao descumprir o dever de proteger a vida e a propriedade, nossos últimos governantes desprezaram a democracia, essa mesma de que agora alguns se pretendem paladinos. Só rindo... Quem vai acreditar? Eu, com certeza, não! Fui assaltada cinco vezes nos últimos anos e a cada vez fui aumentando a segurança de meu carro e da minha casa. Tive sorte: não morri e tive condições financeiras para tanto. Sou um grão de areia neste Brasil tão desigual. É chocante a impiedade dos governantes dos últimos anos, seja na indiferença, na corrupção ou em sua leniência, condenando os brasileiros ao terrível sofrimento de perderem seus entes queridos. Eu não consigo respeitar intelectuais estrangeiros e brasileiros que se mostram agora defensores da democracia. Por que não vieram a público defendê-la nos últimos anos, vendo-a ser denegrida pela morte de milhares de brasileiros vítimas da violência? Onde estavam? No conforto de sua mente, criando belas ideias? Assassinato, roubo e corrupção são ações e só se combatem com ações fruto de ideias factíveis, mas não necessariamente belas.

SANDRA MARIA GONÇALVES

sandgon@terra.com.br

São Paulo

*

Democratas de araque

Muitos intelectuais escrevem, agora, manifestos em defesa da “democracia” no Brasil. Dilma, em 2014, mentindo descaradamente sobre a crise que se avizinhava, usou o processo eleitoral, paradigma da democracia, para subvertê-la, apoiada por manifestos dos mesmos intelectuais. O editorial Brasileiro: cético e com medo mostra como os últimos governos desprezaram a democracia ao não cuidar da segurança da população. Portanto, os que falam hoje em escolher entre o ódio e a democracia nunca amaram de verdade a democracia, pois se o fizessem já se teriam pronunciado em defesa dos milhares de brasileiros mortos pela violência. Muita ideologia e pouca compaixão!

RUBENS PAULO GONÇALVES

rupago2@gmail.com

São Paulo

*

‘Fake news’

A notícia TSE abre ação sobre compra de mensagens anti-PT no WhatsApp (20/10) mostra como o PT e puxadinhos se consideram acima do bem e do mal, bem como acima dos adversários, na sua hipócrita ação perante a Justiça Eleitoral. Diante da iminente derrota nas urnas, com caráter plebiscitário, apelam para um vale-tudo, sonhando com um tênue fio de esperança de que a Justiça venha salvá-los. Lembra Hitler em seu bunker nos dias derradeiros, quando delirava com um milagre em que acabaria vitorioso. 

ULF HERMANN MONDL

hermannxx@yahoo.com.br

São José (SC)

*

Useiros e vezeiros

Não ficaria nada surpreso se as investigações sobre fake news levarem ao “bando de aloprados” do PT, da mesma maneira que no episódio de 2006, às vésperas da votação em primeiro turno, quando compraram um dossiê fake contra o candidato José Serra, do PSDB. Eles são notórios na arte da mentira.

VICTOR HUGO A RAPOSO

victor-raposo@uol.com.br

São Paulo

*

Rejeição histórica

As emoções, ideias e intenções determinantes nestas eleições se consubstanciam na indignação dos cidadãos, condensada nas exclamações “fora PT!” e “corruptos na prisão!”. Não há o que discutir a esse respeito. A imprensa ainda não se deu conta disso. Não são as mensagens dos candidatos que decidem.

HARALD HELLMUTH

hhellmuth@uol.com.br

São Paulo

*

Aceitem que dói menos

Essa de o candidato Fernando Haddad querer imitar o Partido Democrata americano quando insinuou que os russos interferiram na eleição do presidente Donald Trump não vai colar aqui, não. Nenhum eleitor de Jair Messias Bolsonaro vai mudar o seu voto por achar que a entrevista de outro jornal contra o presidenciável do PSL é para ser levada a sério. O povo brasileiro já decidiu quem vai ser o próximo presidente do Brasil, com ou sem fake news.

VALDY CALLADO

valdypinto@hotmail.com

São Paulo

*

Valeu a pena

Parabéns ao Estado pela franqueza e transparência ao publicar editorial (Desespero, 19/10, A3) a respeito das denúncias improcedentes de fake news de Bolsonaro contra Haddad. Aí percebi que valeu a pena todos esses anos ter a assinatura do Estadão aqui, na empresa.

ERASMO CARVALHO, analista de sistemas sênior,  programador e webdesigner

erasmao@gmail.com

São Paulo

 

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

A DESMISTIFICAÇÃO DO MITO

Nas prévias eleitorais, quando ainda fazia parte das pesquisas de intenção de votos o ex-presidente Lula, ele aparecia liderando na faixa entre 37% e 42% da preferência dos entrevistados. Isso serviu de argumento aos vários recursos, no Brasil e no exterior, de que sua prisão era um golpe para colocar fora de competição o líder na preferência do eleitorado. Essas pesquisas nunca foram colocadas em dúvida. Essas pesquisas são altamente contestáveis, por uma simples razão: como pode liderar a preferência dos entrevistados alguém que nos últimos meses tinha 61% de rejeição (tinha sido maior antes) e 59% declaravam estar de acordo que o ex-presidente deveria permanecer preso? Lula declarado inelegível, assume a posição de candidato Fernando Haddad, que termina o primeiro turno com 29% dos votos. Os analistas diziam que a transferência de Lula para Haddad fora incompleta, que Haddad não havia conseguido angariar a preferência dos eleitores de Lula. As pesquisas de segundo turno demonstram que as transferências se fizeram muito rapidamente, bem como os votos úteis de primeiro turno, e que a preferência verdadeira de Lula é entre 28% e 32%, aliás, números tradicionais do PT. Se Lula tivesse participado das eleições, o que foi defendido por muita gente, hoje ele estaria sofrendo uma fragorosa derrota e seria a desmistificação do mito.

Walter Sant’Anna Zebinden zebinden@terra.com.br

Campinas


*

CONTAGEM REGRESSIVA

Como estamos entrando num período crítico que antecede o segundo turno das eleições, cabe-me alertar o candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL) sobre o perigo iminente de um segundo atentado, desesperado, visando a inviabilizar sua iminente vitória. Recomendo que reforce sua segurança pessoal até o limite extremo. Intolerância máxima.

Sergio S. de Oliveira ssoliveiramsm@gmail.com

Monte Santo de Minas (MG)

*

SEGURANÇA

Remanejamento da segurança do candidato à Presidência Jair Bolsonaro (“Estadão”, 19/10) demonstra quem está incitando os apoiadores.

Moises Goldstein mgoldstein@bol.com.br

São Paulo

*

A BOLA ESTÁ NA CARA DO GOL

Fatos interessantes ocorreram em 2018. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva finalmente foi preso. O ex-governador de Minas Gerais Eduardo Azeredo também foi encarcerado. Dilma Rousseff, Lindbergh Farias, Fernando Pimentel, Vanessa Grazziotin, Romero Jucá, José Sarney, Eunício Oliveira e tantos outros foram excluídos do cenário político pelo voto direto no primeiro turno das eleições. Jair Bolsonaro deverá obter aproximadamente 70 milhões de votos no segundo turno das eleições para presidente da República. O povo fez a sua parte. Agora é hora de os políticos utilizarem bem o dinheiro arrecadado e colocarem o Brasil na rota do crescimento, sem corrupção.

José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br

Belo Horizonte


*

CAMPANHA SUJA

Francamente, é de dar nojo esta última semana que antecede o segundo turno das eleições. O poste da quadrilha, Fernando Haddad, acusa o adversário Jair Bolsonaro de feitos exclusivos da sua turma: o uso de subterrâneos, por sinal não da internet, mas dos palácios do governo, para a produção de dossiês.   Lembram-se?

Aparecida Dileide Gaziolla aparecidagaziolla@gmail.com

São Caetano do Sul

*

NO TAPETÃO

Ao aceitarem como autênticas, e não como supostas, as acusações do jornal “Folha” de que Jair Bolsonaro arregimentou empresários a contratar serviços de distribuição de notícias falsas sobre o PT pelo WhatsApp, os petistas querem puxar o tapete de Bolsonaro covardemente!

Eugênio José Alati eugenioalati13@gmail.com

Campinas

*

CUSTE O QUE CUSTAR

O PT é uma entidade criminosa politicamente organizada, com propósitos ditatoriais hegemônicos, de instalar no Brasil uma disfarçada “ditadura do proletariado tropical”, tal qual a que já existe na Venezuela, querendo, por meio do Judiciário, o capitão Bolsonaro fora das eleições. Lembremos que existem ainda fortes suspeitas sobre a tentativa de assassinato fracassada, supostamente terceirizada por executantes ainda não devidamente identificados.                 

Ulf Hermann Mondl hermannxx@yahoo.com.br

São José (SC)

*

RÉU CONFESSO

Tive um ataque de riso ao ouvir e ver o candidato Haddad anunciar que caixa 2 e formação de quadrilha em campanha eleitoral são crimes. Além de ser réu confesso, a OAB deveria ser comunicada para dar início a processo ético. Fato é que o advogado de Lula também confessou publicamente que seu famoso cliente é criminoso.

José R. de M. Soares Sobrinho joserubens@jrmacedoadv.com.br

São Paulo


*

MEA CULPA LULOPETISTA

Incluindo a roubalheira, o WhatsApp é o único culpado de tudo o que aí está. De resto, são abjetas ilações fake news...

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo


*

FAKE NEWS

Agora Haddad quer ganhar no tapetão?

Silvio Leis silvioleis@hotmail.com

São Paulo


*

HADDAD É LULA

Tem fake news maior que “Haddad é Lula”? Caso não seja fake news, Haddad deveria estar preso em Curitiba.

Milton Córdova Júnior milton.cordova@gmail.com

Vicente Pires (DF)


*

NOVIDADE

Os petistas estão desesperados atrás de um fato novo. Vão ter um em 29/10/2018!

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo


*

ALGUMA DÚVIDA?

Entre votar no candidato que prometeu devolver o terrorista Cesare Battisti para a Itália, onde cumprirá a pena que lhe foi aplicada em processo regular, com ampla oportunidade de defesa, ou no outro, pau mandado que irá tirar Lula da cadeia (ele não negou, simplesmente alegou que o seu mandante não aceita o indulto porque irá provar a sua inocência) e, depois, encastelá-lo em cargo público federal, qual será a escolha do brasileiro de bem, independente, produtivo, contribuinte não envolvido em casos de corrupção? A conferir em breve.

Ulisses Nutti Moreira ulissesnutti@uol.com.br

Jundiaí


*

MANIFESTOS

Quando esquerdistas contumazes, cegos às mazelas do PT, incluindo alguns de outros países, promovem manifestos contra o candidato do PSL Jair Bolsonaro, fica reforçada minha decisão pelo décimo sétimo, no dia 28.

Sergio Cortez cortez@lavoremoveis.com.br

São Paulo


*

A HORA É AGORA

Jair Bolsonaro ainda não é o presidente da República, mas vem sofrendo oposição por não se apresentar como um cidadão lúcido que estará à frente dos destinos desta nação. Por dizer não entender de economia, diz que outorgará a tarefa de conduzir o Brasil aos trilhos do desenvolvimento a Paulo Guedes, economista liberal. Entretanto, este falou de certas medidas que vão na contramão do liberalismo, como a recriação do famigerado imposto sobre os cheques. E Bolsonaro vem falando coisas que os investidores desaprovam, como, principalmente, não querer enfrentar de vez, e cirurgicamente, a reforma da Previdência e que não concorda com certas privatizações, como a da Eletrobrás. Bolsonaro está na frente pela disputa do Planalto não por suas ideias liberais, que não são tanto assim liberais, pelo jeito. Está à frente porque assumiu posição frontal ao nefasto PT, ao lulismo e ao vandalismo que a esquerda logrou nos deixar de herança. Após 28 de outubro o atual presidente da República, Michel Temer, abrirá as portas do Palácio para a equipe do vencedor e se propôs a atuar junto do Congresso Nacional para tentar aprovar ainda em 2018 a reforma da Previdência. Senhor Bolsonaro, a hora é agora. Comece seu governo antes de 1.º de janeiro, com empreendedores e desempregados ávidos por investir e trabalhar. Os inimigos e os páreas da Pátria que se lasquem. Estes também serão, como todos os demais brasileiros, governados pelo PSL, com um Legislativo revigorado, embora caótico, mas terão de se conformar e aceitar as novas regras, com um governo lúcido, saudável e responsável, com trocas de ideias e grandes debates no Congresso. Saudações e até logo, logo. Com pronto restabelecimento de sua saúde.

Carlos Leonel Imenes leonelzucaimenes@gmail.com

São Paulo


*

SAÚDE DEBILITADA

O candidato à Presidência da República sr. Jair Messias Bolsonaro afirma que, por problemas de saúde, não poderá comparecer ao debate da Rede Globo. Como perguntar não é ofensa, caso ele seja eleito presidente da República, quem irá assumir a Presidência? Até porque, com a saúde debilitada, não será possível governar.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)


*

INSISTÊNCIA

Se Haddad e o PT insistirem para que Bolsonaro vá a qualquer debate, o candidato petista corre o risco de Bolsonaro humilhá-lo. Parafraseando Cid Gomes, com um sonoro “perdeu, babaca”.

Paulo H. Coimbra de Oliveira ph.coimbraoliveira@gmail.com

Rio de Janeiro


*

DO DEBATE PARA O WHATSAPP

A utilização inadequada de meios de comunicação eletrônica por aliados do candidato Bolsonaro mostra um nível inaceitável de procedimentos para quem pretende governar o Brasil. Um candidato precisa estar sempre disposto ao debate, à discussão de propostas que proporcionem o envolvimento dos mais diferentes segmentos sociais. Mas de forma positiva. Esta é mais uma etapa negativa da atual campanha eleitoral.

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos


*

PONTO FINAL

Se existe algo sem pé nem cabeça é esta onda de rompimentos entre amigos por causa da política. Afinal, no Brasil, nem o mais honesto dos políticos (se há) está preocupado com o povo.

Ricardo C. Siqueira ricardocsiqueira@globo.com

Niterói (RJ)


*

INDULTO DE NATAL

Bolsonaro iniciaria com chave de ouro o seu governo se, com a concordância do presidente Michel Temer, concedesse ao ex-presidente Lula o indulto de Natal.

Nilson Otávio de Oliveira noo@uol.com.br

São Paulo


*

O PT TAMBÉM MUDA

Na ópera “Il Rigoletto”, atribui-se às mulheres uma certa volubilidade na ária que proclama “la donna è mobile qual piuma al vento; muda d’accento e di pensiero”. Então, é atributo feminino mudar facilmente de sotaque e de pensamento? Convenhamos, o PT também exibe esta “característica” nos últimos dias. Na propaganda, a bandeira vermelha sumiu, substituída pela nossa linda bandeira, escamoteada há tantos anos... O juiz Sergio Moro tornou-se, da noite para o dia, “um bom juiz”, como declarou o candidato petista à Presidência. Na mesma ocasião, o petista criticou o outro candidato, que teria sido “rude” com jornalistas, esquecido talvez de que um dos mantras de seu partido sempre foi o “arrolhamento” da imprensa, coisa impensável numa democracia. E onde ficou o provocador gesto do braço erguido, de punho cerrado, característico dos “bravos guerreiros do povo brasileiro”? A “tigrada” agora até assiste à missa em Aparecida do Norte, vejam só... Um tigre pode perder as manchas do pelo, mas será sempre um predador dos mais perigosos. Mister se faz agir com muita cautela.

Regina Maria Noronha reginapena.adv@hotmail.com

São Paulo


*

SÃO PAULO NA MARCA DO PÊNALTI

A luta hercúlea que estamos praticando contra o PT – vide a candidatura Haddad no âmbito nacional –, em razão da conscientização da maioria do povo brasileiro, o candidato da transformação total das políticas praticadas até agora está conseguindo (por absoluta necessidade patriótica e moralizante) mostrar por que nossa preferência para sua candidatura à Presidência da República. Mas não podemos abrir a guarda para o adversário imoral e irresponsável, sua astúcia demoníaca está agora centrada no governo do Estado de São Paulo. Querem por todas as forças eleger seu candidato fantoche que, por desgraça e burrice estratégica, Alckmin escolheu para vice-governador. Nosso Estado, como líder na Nação, não poderá jamais ser comandado por próceres peessebistas mancumunados com o PT. Gostemos ou não de João Doria, o fato é que não podemos dar chances ao esquerdista “camuflado” Marcio França. Nós, paulistas, comandamos, não somos comandados.

Aloisio Arruda De Lucca aloisiodelucca@yahoo.com.br

Limeira


*

ELEIÇÃO EM SÃO PAULO

É lógico que preocupa o empate técnico, como constata pesquisa Ibope/Estadão/Globo, em que o candidato tucano João Doria, nos votos válidos, está com 52% das intenções de voto e Marcio França (PSB), com 48%. Particularmente, acho Doria muito melhor para administrar o governo de São Paulo, porque, no curto período como prefeito da capital, ousou ao, por exemplo, zerar em 90 dias a fila de exames e consultas para quase 500 mil pacientes utilizando hospitais privados, assim como, cumprindo o que prometeu, reduziu bem a falta de vagas nas creches da cidade. Pelo seu dinamismo, também é respeitado pelos investidores. Já o candidato França é soberbo, não tem bom trânsito em todos os partidos e, quando questionado sobre algum assunto não bem avaliado no seu governo, se esquiva dizendo que assumiu sua gestão somente no final de abril. Mas, no seu programa eleitoral no rádio e na TV, coloca como sendo de sua administração a construção de creches, hospitais, estações de metrô, monotrilho, rodoanel, etc. Ou seja, tudo concluído pelo ex-governador Geraldo Alckmin, de quem era vice. Outro agravante contra Marcio França é que, assim como ele, seu partido, o PSB, sempre foi umbilicalmente ligado ao PT, que inclusive agora apoia cegamente o mesmo PT de Fernando Haddad na eleição presidencial. Se vencer este pleito (espero que não), França poderá aparelhar com petistas seu novo mandato. Cruz credo!

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos


*

ELEITOS

Dia 28 de outubro, às 17h45, os paulistas já saberão quem vai ser o presidente e o seu governador. Que Deus os ilumine.

Olavo Fortes Campos Rodrigues olavo_terceiro@hotmail.com

São Paulo


*

JOÃO DE NOVO NÃO

Atenção, paulistas, não caiam no blá, blá, blá do “ex-prefake” João Doria. Assim como deixou precocemente a prefeitura da capital após apenas 15 meses, sem entregar a maioria das promessas feitas na campanha, entre as quais a de cumprir os quatro anos de mandato, não tenham dúvida de que, se eleito governador, usará a gestão como vitrine e plataforma para sair candidato à Presidência da República em 2022. O mais político dos gestores não engana mais ninguém.

Vicky Vogel vogelvick7@gmail.com

Rio de Janeiro


*

CENÁRIO HORRÍVEL

Márcio França parece bem preparado. É cortês e sério. Mas está num partido de esquerda, pró-Dilma, anti-Lava Jato, pró-Foro de São Paulo e, se ganhar, São Paulo servirá de cabide aos derrotados do PT. Por outro lado, Doria é estúpido, egocêntrico, grosso e vive de marketing pessoal. Não dá a mínima para nada nem ninguém. Atropelou até o seu criador. Que cenário horrível!

Sérgio Eckermann Passos sepassos@yahoo.com.br

Porto Feliz


*

VIRADA

É possível, numa leitura, que a subida de Marcio França, de míseros 4% para o segundo turno, esteja marcando uma virada no governo de São Paulo. Assim, quem sabe, um dos maiores engodos criados nos últimos tempos, João Doria, aprenda uma lição: de que é preciso, mesmo dentro de um ambiente tão sórdido quanto a política, ter um mínimo de palavra e gratidão.

Marcos Barbosa micabarbosa@gmail.com

Casa Branca


*

PROPAGANDA MENTIROSA

A propaganda eleitoral de Marcio França faz comentários esdrúxulos sobre empréstimos de R$ 6 milhões dados as empresas de João Doria durante os governos Lula e Dilma. Essa, propaganda feita para enganar a população, subestima a inteligência do povo paulista. Quem não sabe que na área financeira, tomou empréstimo aqui, pagam-se muitos juros ali? Os cartões de crédito que o digam. França vergonhosamente deixou no ar como se as empresas de Doria tivessem recebido uma “doação” de Lula e Dilma, e não um empréstimo cujos altíssimos juros quebram qualquer empresa. Esses empréstimos normalmente são feitos pelo empresário para pagar a folha de pagamento em dia e não deixar os funcionários sem salário. Este papo de político caduco não cola mais, principalmente quando tratam a população paulista como alienada e burra.

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo


*

‘AINDA AS MULTAS DE TRÂNSITO’

Ótimas ponderações do editorial sob o título acima (“Estado”, 19/10, A3), sobre a destinação da arrecadação das multas de trânsito no município de São Paulo, em óbvia distorção da regulamentação legal a respeito. Tal legislação prioriza a educação de trânsito, mas algum sábio de cérebro gelatinoso autorizou pagar com o produto das multas o asfaltamento das ruas em São Paulo. É ilegalidade flagrante. Aliás, a prefeitura paulistana tem mandado intimação ameaçadora de inclusão do valor de multas de trânsito na Dívida Ativa com execução fiscal, além de protesto extrajudicial. A sanha paulistana perdeu os limites.

Ademir Valezi valezi@uol.com.br

São Paulo


*

ARRECADAÇÃO É O QUE INTERESSA

Em época de eleição, não há marronzinhos nas ruas (“Ainda as multas de trânsito”, 19/10, A3). Essa também é uma das razões por que as multas reduziram. Não há nada mais opressor para nós, paulistanos, do que um marronzinho multando sem dó, cumprindo ordens (arrecadação é o que interessa, o resto não tem pressa),  mas, como sempre acontece em épocas de eleições, a prefeitura diminui a presença deles nas vias públicas, por interesse eleitoral.

Arcângelo Sforcin Filho arcangelosforcin@gmail.com

São Paulo


*

CIDADE ABANDONADA

Enquanto o carro CET trafega fazendo testes para aplicar multas de trânsito, a “cidade linda” está praticamente abandonada. Há dias a Avenida 23 de Maio, uma das mais importantes artérias da cidade, está com a iluminação apagada no sentido cidade-bairro, e várias ruas da capital têm as calçadas esburacadas e crateras em trechos importantes. Afora isso, árvores crescidas e córregos alagados, como dias atrás durante uma chuva rápida. Até quando os políticos continuarão a zombar da cidadania e flutuar na cobrança de mais e mais impostos e multas, como se acreditássemos no sorriso maroto que impregnam para mero engano dos eleitores? As urnas darão as respostas.

Yvette Kfouri Abrao

abraoc@uol.com.br

São Paulo


*

PMS NA MEDIAÇÃO DE CONFLITOS SOCIAIS

Desde o último dia 16, quando foi assinado o convênio entre o Tribunal de Justiça, a Secretaria da Segurança Pública e a Polícia Militar, São Paulo está apto a resolver pequenos conflitos através de mediação por policiais militares. Os policiais militares agora são credenciados a buscar e promover soluções pacíficas, rápidas e definitivas de conflitos familiares de menor potencial ofensivo, desentendimentos entre vizinhos e direitos patrimoniais. E o termo resultante tem valor de título executivo judicial, podendo ser executado no caso de descumprimento de alguma das obrigações assumidas pelas partes. Com isso, os litígios não terão mais de aguardar demorados processos para uma decisão. O trabalho começou por Aralatuba, que já o executa desde o mês passado, e se estenderá por todo o Estado. O protocolo foi firmado pelo presidente do tribunal, desembargador Manoel Pereira Calças, o secretário de Segurança Pública Mágino Alves e pelo comandante da PM, coronel Marcelo Vieira Salles. É mais uma importante missão assumida pela corporação militar.

Dirceu Cardoso Gonçalves

aspomilpm@terra.com.br

São Paulo


*

TREM EXCLUSIVO PARA RICOS

Em Paris é normal um rico andar de trem. A estrutura física do trem em serviço no Brasil sem dúvida é bem melhor do que a do trem de Paris, da Argentina e de alguns outros países. Porém, em Paris, o trem é para todos; aqui, em São Paulo, é para os pobres que moram na periferia. E a cada dia que passa percebo como as coisas boas estão para os ricos e as de péssima qualidade, para pobres, trabalhadores operacionais e para quem acorda cedo. A minha justificativa é baseada no simples fato de que o governo empregou muito dinheiro na linha que conecta Guarulhos a São Paulo, porém este meio de ligação acredito que em nenhum momento foi pensado no trabalhador que poderia usar o trem para se locomover com mais rapidez ao seu trabalho. Digo isso pelo fato de que fui conferir o trajeto, porém o horário ofertado do trem conect aeroporto x Estação da Luz não corresponde com o horário de entrada da maioria da classe trabalhadora, sendo cinco horários por dia, o primeiro às 9h da manhã, quando a maioria dos trabalhadores já está com o ponto de trabalho registrado. Agora, como pode um governo dizer que fiscaliza e governa para todos? Isso é mentira, como é uma grande mentira que um passageiro vai chegar e usar o trem em horário de pico. Não vai, porque quando chega para fazer a integração o trem na estação Eng. Goulart está abarrotado de tanta gente, que merece o mínimo de respeito. E vou além: acredito que a CPTM cria situações que favorecem o abuso sexual. Agora, nos horários ofertados, na linha expressa, sem dúvida com o trem vazio, o rico pode ir desfrutando da nossa riqueza.

Michel Lopes

lopesmichew@hotmail.com

São Paulo


*

CAMELÔS NO METRÔ

Até quando teremos de aguentar a permanência insuportável de camelôs dentro do Metrô, gritando como desequilibrados mentais, oferecendo as suas mercadorias? Será que o futuro governador de São Paulo terá forças para retirá-los dali?

Sidney Cantilena

sidneycantilena@bol.com.br

São Paulo


*

RECEITA FEDERAL

Semana passada, pela manhã, no noticiário de uma grande rede televisiva foi noticiado que uma fiscal está sendo investigada pois, de 2011 a 2015, descobriram que ela tem 46 imóveis, 76 contas bancárias ativas, sua filha de 21 anos tem 46 contas ativas e um saldo bancário de mais de R$ 5 milhões, e que sua mãe aposentada com um salário mínimo também tem um saldo bancário de mais de R$ 5 milhões. Será que a Receita Federal demorou quatro anos para descobrir isso? Certamente, é por ela ser fiscal, pois se fosse uma reles mortal, como nós, seria autuada na malha fina no primeiro deslize. Sempre tive certeza de que determinados CPFs não são monitorados pela malha fina (principalmente os de políticos), e, após saber deste caso, a certeza ficou mais evidenciada ainda.

Luiz Roberto Savoldelli

savoldelli@uol.com.br

São Bernardo do Campo


*

CONTA DE LUZ

Por mais esforço que você faça, cortando aqui e ali, todo mês, quando você recebe sua conta de luz, sempre toma um baita susto. É impressionante o crescimento do valor da conta mês a mês. Nossa conta de luz está no padrão da inflação venezuelana, e a seguir assim, daqui a pouco vamos voltar para a época da lamparina. Todo brasileiro pensante tem a chance de mudar isso e, no dia 28/10, sepultar de vez este Estado ladrão que implantaram por aqui.

Maurício Lima mapeli@uol.com.br

São Paulo


*

TARIFA MÍNIMA

Gostaria de alertar o Ministério Público, a Senacon, o Prodecon e o Legislativo, pois é urgente que se adotem medidas contra a cobrança da tarifa mínima de consumo de água e luz. Essa imoralidade e ilegalidade ocorre em todo o País. A cobrança é indecente, pois cobra pela disponibilidade do serviço, mesmo não havendo consumo ou com consumo bem abaixo do patamar mínimo. É, também, enriquecimento ilícito, pois a distribuidora recebe pelo que não forneceu e não foi consumido e não paga a geradora. Que incentivo temos de economizar luz e água, se pagamos mesmo sem consumir? A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), em normativo, ao arrepio das leis, inclusive do Código de Defesa do Consumidor, autoriza a cobrança mínima de 100 quilowatts!  No caso de Brasília, a Caesb cobra o mínimo de dez metros cúbicos de água, chegando a R$ 59 por mês. A CEB, para residências trifásicas, chega a R$ 67! Mas a imoralidade e o roubo ao consumidor são que o que é cobrado não é compensado em contas futuras. Vale lembrar que na composição das tarifas já se incluem remuneração para investimentos e manutenção da rede, ou seja, mesmo tecnicamente, não existe razoabilidade na cobrança. É inaceitável que tal exploração e ilegalidade esteja impune sob a omissão de tanta gente. Vale, também, recomendar aos consumidores que atentem para a leitura de água e luz, pois muitas malandragens vêm sendo feitas, como leituras a menor (dentro do intervalo de tarifa mínima) para cobrar a mais no mês seguinte. Desanimador a Justiça tirar essas empresas do âmbito do Juizado Especial, incentivando e materializando a impunidade. Até quando vamos ser explorados por tanta imoralidade e ilegalidade?

Helio Campos hcampagnucio@hotmail.com

Brasília


*

ENGODO DA VIVO

A empresa Vivo te liga e diz que tem um novo plano, que te fará pagar bem menos. Você ainda receberá três notebooks e não terá de pagar nada por eles. Você recusa os computadores, mas a Vivo insiste e reitera que você não pagará nada por eles. Aceitei... Só não dizem que você terá de pagar mensalmente pela “Soluciona TI” R$ 300, nem dizem que o plano é de 36 meses e que, se quiser cancelar, terá de pagar todos os meses restantes à vista (com desconto de 30%). Como não percebi nos primeiros três meses o engodo, pois minha conta está no débito automático, a Vivo me ligou mais várias vezes, mesmo sem eu nem ter aberto os invólucros dos notebooks, para me “empurrar” mais três computadores e, assim, me cobrar ainda mais. É fácil! Finalmente, se recusam a me enviar o contrato, que não assinei, mas dizem que “ouviram que eu aceitei todas as condições”. É lamentável que uma empresa do porte da Vivo tenha de se valer de um engodo para aumentar seu faturamento. Não caiam nele!

Alberto A. Gabbai aagabbai@gmail.com

São Paulo


*

DESRESPEITO DO PALMEIRAS

Sou palmeirense e gostaria de protestar contra a atitude lamentável da S.E. Palmeiras na venda de ingressos para jogos do clube. Fiquei meia hora na fila nas bilheterias do Pacaembu para comprar 3 ingressos para o jogo Palmeiras x Ceará, no domingo (21/10). Um deles era meia-entrada, para o meu filho de 11 anos, e apresentei a cédula de identidade (RG) dele. Para minha total surpresa e perplexidade, não foi aceita. Disseram que teria de apresentar também um comprovante de escola. Chamei a gerente, tentei argumentar, mas não teve jeito. Numa mistura de burocracia, burrice e má-fé, o clube perdeu R$ 300 meus só neste jogo e vai demorar muito tempo para eu voltar a ir a algum jogo do Palmeiras. Senti-me desrespeitado como torcedor, pai e cidadão. Vergonhoso.

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.