Fórum dos Leitores

Cartas selecionadas dos leitores do O Estado de S.Paulo

Notas & Informações, O Estado de S.Paulo

12 Janeiro 2019 | 03h00

BOLIVARIANOS

Terra arrasada

De forma triste e incrédula, o mundo assistiu na quinta-feira à posse de Nicolás Maduro no comando da Venezuela de terra arrasada, apoiado por meia dúzia de líderes que têm na ditadura sua forma bizarra de governo. Como não poderia ser diferente nem surpreendente, a “presidenta” do PT, Gleisi Lula Hoffmann, fez questão de manifestar pessoalmente a posição do seu partido de apoio à legitimidade de uma eleição fraudada, em nome, claro, da democracia, pelo voto. Esse reconhecimento Gleisi Lula Hoffmann não teve nas eleições lícitas e democráticas do seu próprio país, pois, a seu ver, a democracia só é válida quando a esquerda está no poder. Seria difícil entender se não fôssemos escolados no discurso militante dessa senhora. Em sua posse “democrática”, Nicolás Maduro falou em “fechar o Parlamento”, uma menção muito coerente com a tal “democracia” defendida por sua companheira brasileira. Seria hilário se não fosse o prenúncio desafortunado do que está por vir para o povo venezuelano. Depois dessa exposição de Gleisi Lula Hoffmann e da explícita declaração de Nicolás Maduro, espero que muitos dessa esquerda insana do Brasil revejam seus conceitos e finalmente enxerguem os meandros trágicos pelos quais caminhava o nosso país. Do meu ponto de vista, Gleisi, comparecendo à posse em Caracas, prestou um grande serviço de esclarecimento aos brasileiros. Maduro hoje configura uma das mais perversas personagens da História contemporânea.

ANA SILVIA PINHEIRO MACHADO

anasilviappm@gmail.com

São Paulo

*

Esse é O PT

Gleisi Hoffmann, então, foi, com dinheiro público, prestigiar a tumultuada posse de Nicolás Maduro, novamente, como presidente da Venezuela?! Esse governo é responsável pela inflação de mais de 1,3 milhão por cento ao ano que levou a população venezuelana, literalmente, a passar fome. Um governo fanfarrão que é contestado por vários países pelas irregularidades e falsificações na apuração da última eleição. Não obstante, Gleisi foi lá representando a “tigrada” petista, lamentando para o cumpanheiro a ausência do presidiário Lula da Silva na cerimônia. Esse é o PT que a Nação deixou claro nas urnas que não quer!

JÚLIO ROBERTO AYRES BRISOLA

jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

Cenário das trevas

A Venezuela hoje é um país onde a produção de petróleo despencou, na última década, de 3,2 milhões de barris por dia para 1,1 milhão; em que a hiperinflação alcançará inacreditáveis 10 milhões por cento (!) neste ano; de onde mais de 2 milhões de pessoas emigraram e outros 3,1 milhões sairão nos próximos meses em busca de melhores condições de vida. Como se vê, o comparecimento da ex-senadora e deputada eleita (PT-PR) Gleisi Hoffmann à posse do ditador Nicolás Maduro para seu novo mandato de seis intermináveis anos configura o patético encontro dos agonizantes PT e Venezuela no cenário das trevas. Fora, Maduro, fora, PT!

J. S. DECOL

decoljs@gmail.com

São Paulo

*

SAÚDE PÚBLICA

Descompasso no ministério

A reportagem Ministério quer enviar remédio perto de vencer para paciente com hepatite C (11/1, A13) desvenda o descompasso na gestão de suprimentos do Ministério da Saúde nos anos de 2017 e 2018, afetando o atendimento aos pacientes que até hoje aguardam pelas medicações (sofosbuvir e daclatasvir) para iniciarem o seu tratamento - são 15 mil no País, 8 mil só em São Paulo. Enquanto esses pacientes esperam, com ansiedade, o Ministério da Saúde vinha armazenando o sofosbuvir desde a compra, em 2017, no aguardo da compra da outra medicação para complementar o tratamento, o daclatasvir, que somente foi adquirido em novembro do ano passado por “atrasos na licitação e em caráter de pregão emergencial”. Qual a razão desse atraso na licitação? Pelas informações, o daclastavir 30 mg foi adquirido por R$ 39, mas na última compra custou R$ 32,85, cada comprimido. Além do valor pago a mais pelo ministério em razão desse “esquema de emergência”, que acabou caindo, sem razão explícita, os cofres públicos incorrerão ainda em prejuízo de R$ 18 milhões, pela demora e pelo descompasso em atender à demanda dos medicamentos pela população, com alto risco de esses remédios acabarem sendo perdidos por falta de tempo hábil para chegarem aos pacientes dentro do prazo de validade estabelecido. Enfim, quais as razões para a existência de tais “esquemas de emergência”?

SILVIA REBOUÇAS P. DE ALMEIDA

silvia_almeida7@hotmail.com

São Paulo

*

EM SÃO PAULO

Campo de Marte

O governador paulista quer privatizar o Campo de Marte, na cidade de São Paulo. Na verdade, o termo certo é fechar. E ali construir alguma outra coisa. As alegações principais: o crescimento da cidade em torno do Campo de Marte e os acidentes que ali já aconteceram. Ora, fiquei com uma dúvida: onde fica o Aeroporto de Congonhas? Na selva amazônica? Não quero com isso dizer que se deva fechar Congonhas também, apenas gostaria de saber qual a diferença... Até porque os dois grandes acidentes em Congonhas superam em muito todos os desastres que aconteceram no Campo de Marte.

 

LUIZ G. TRESSOLDI SARAIVA

lgtsaraiva@uol.com.br

São Paulo

*

Viaduto quebrado

Como acidentes não acontecem sem causa, gostaria de me manifestar a respeito da ruptura da estrutura do viaduto na Marginal do Pinheiros. O concreto armado, usado há mais de cem anos na construção civil, é basicamente composto de dois elementos: concreto propriamente dito, mistura de cimento e agregados, que trabalha a compressão, e a ferragem, com diversos tipos de aço. A vida útil das estruturas de concreto é incalculável. O viaduto acidentado é uma estrutura de concreto simples, uma longa laje nervurada destinada ao rolamento de veículos, apoiada em pilares trapezoides espaçados de 40 metros aproximadamente. As estruturas de concreto, como todos os corpos, sofrem contração e dilatação. Neste caso, são necessárias juntas de dilatação, espaços que separam as várias partes da estrutura, cujas dimensões são determinadas pelas normas técnicas e pelo calculista. No caso do viaduto acidentado, houve rompimento de um pilar de apoio e, portanto, como acidente deveria ter sido tratado: pode ter sido erro de cálculo ou outra causa a apurar. É estranho que não tenha havido de imediato, após o acidente, uma perícia técnica, retirada de amostras do concreto do pilar rompido. Isso só foi feito após autorizados os serviços de escoramento. Onde anda o Ministério Público?

GILBERT OTHONIEL TONI

famiglianarditoni@gmail.com

São Paulo

*

NOVO MANDATO DE NICOLÁS MADURO

Se Jair Bolsonaro teve a sorte de o lulopetismo boicotar a sua cerimônia de posse, na Venezuela o PT envergonhou o Brasil quando a investigada na Lava Jato e hoje deputada Gleisi Hoffmann decidiu assistir à posse no novo mandato do carrasco, desumano e totalitário presidente Nicolás Maduro. O povo venezuelano não goza hoje de liberdade de expressão e de imprensa, não tem medicamentos nem atendimento hospitalar, não encontra produtos de primeira necessidade nos supermercados e convive com um nível de violência urbana e de corrupção a colocar o Brasil no chinelo. Situação caótica e calamitosa a da Venezuela. E o Brasil estaria no mesmo caminho, não fosse o salvador impeachment de Dilma Rousseff. 

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

SÁBIOS ELEITORES

A ida de Gleisi Hoffmann à Venezuela a fim de prestigiar a posse de Nicolás Maduro, o mais novo ditador das Américas, que conseguiu com muita competência destruir ao mesmo tempo a democracia e a economia de um dos países mais ricos em petróleo do mundo, com o apoio do PT, confirma a sabedoria dos eleitores de rejeitarem o candidato petista nas últimas eleições brasileiras, salvando o País do desastre. Todavia, cabe lembrar que o candidato-poste do presidiário contou com 44% de votos do eleitorado, número considerável, que revela um alto grau de desconhecimento de boa parte dos eleitores em relação aos riscos que o PT representa. Outro dado interessante aponta que o candidato de Lula à Presidência, Fernando Haddad, derrotado por Jair Bolsonaro, venceu as eleições com 82,47% dos votos entre os presos espalhados pelas cadeias do País que puderam participar das eleições, enquanto Jair Bolsonaro atraiu apenas 17,53% dos criminosos. Haddad esmagou Bolsonaro entre a classe carcerária. Resumindo: se o Brasil fosse um grande presídio, o candidato do presidiário seria nosso presidente.

Paulo R. Kherlakian paulokherlakian@uol.com.br

São Paulo

*

OS RESISTENTES

Haddad e Gleisi representam o PT. Um, querendo intrigar os militares; outra, indo à posse de Maduro. Um partido que prejudica o Brasil, estrangeiros em nossa pátria.

Eugênio José Alati eugenioalati13@gmail.com

Campinas

*

A BOA VIAGEM

Muitos criticaram a ida de Gleisi à Venezuela. Melhor fariam se criticassem a volta...

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

GLEISI EM CARACAS

Podia ter ficado lá...

Aldo Bertolucci aldobertolucci@gmail.com

São Paulo

*

A VERBA DO PT

Conforme noticiado, a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, foi prestigiar a posse do presidente da Venezuela. Resta saber se foi por conta própria ou se a viagem foi custeada pelo caixa do Fundo Partidário. Bem que ela poderia ficar por lá!

Adib Hanna adib.hanna@bol.com.br

São Paulo

*

APOIO E SOLIDARIEDADE

Por que no se calla, Gleisi?

Cesar Araujo cesar.40.araujo@gmail.com

São Paulo

*

PROVA

Se alguém tinha alguma dúvida de que o presidente Bolsonaro era muito bom, esta semana foi selado e sacramentado que ele é o melhor presidente desde o início da República. O ditador da Venezuela o chamou de fascista! É a confirmação de que acertamos, graças a Deus. Pela primeira vez este ditador assassino e genocida falou algo útil. Deu ao brasileiro que ainda duvidava a mais absoluta certeza de que estamos bem servidos de governo.

Roberto Moreira da Silva  rrobertoms@uol.com.br 

São Paulo

*

MADURO

Nicolás Maduro, ao assumir o segundo mandato (Venezuela), em seu discurso, empunhando um sabre, ameaçou fechar o Parlamento, dissolvendo a Assembleia Nacional, controlada pela oposição. Os opositores, por sua vez, pediram que militares insatisfeitos derrubem o regime. Mesmo com toda esta ameaça da oposição, ele não se deu por vencido e, corajosamente, provou que, mesmo maduro, não caiu do galho!

Antonio Brandileone abrandileone@uol.com.br

Assis

*

ACAUTELAI-VOS

"Maduro ameaça dissolver Parlamento e oposição pede intervenção militar" ("Estadão", 11/1). O ditador Nicolás Maduro - que foi na sua posse prestigiado por Gleisi Hoffmann, do Partido dos Trabalhadores (PT), e seu séquito - tem grandes apoios internacionais da China e da Rússia, que já colecionam grandes dívidas. Segundo fontes europeias, na exploração de novos campos de petróleo no trecho mediano do Rio Orinoco, em face da incompetência da estatal de petróleo PDVSA, existe a participação da petroleira russa Rosneft. A recente visita de bombardeios nucleares russos mostra que a região está já no alvo de interesses internacionais, exigindo medidas acautelatórias de nossas Forças Armadas.   

                      

Ulf Hermann Mondl hermannxx@yahoo.com.br

São José (SC)

*

'IMPERADOR'

Parabéns pela foto de Nicolás Maduro na capa da edição de 11/1 do "Estado". Parece um "democrata" perfeito!

Luiz Frid  fridluiz@gmail.com

São Paulo

*

NOVO GOVERNO?

Só quem acredita que a Venezuela é uma democracia acredita que Maduro é novo. 

Moises Goldstein mgoldstein@bol.com.br

São Paulo

*

ELEIÇÕES NO CONGRESSO

O voto para a presidência da Câmara dos Deputados e do Senado será secreto, segundo o que diz o Congresso Nacional. Assim também decidiu o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), que, aliás, nem deveria se meter nessa decisão, que cabe ao Legislativo. Uma coisa que os parlamentares parecem não ter entendido foi o recado das urnas. Os eleitores pediram mudanças e transparência nas decisões, mas a deputada federal Bia Kicis (PRP) se posicionou contra o voto aberto. Segundo ela, o voto secreto protege o eleitor. A deputada ainda declarou que votar secretamente não está representando o povo, está escolhendo quem vai ser o presidente da Câmara. Sinceramente, não entendi  como uma votação secreta pode proteger o eleitor. Proteger de que, de saber quem rouba, frauda e manipula as leis? Não basta a ingerência que o senador Renan Calheiros exerce no Senado? Essa raposa velha comanda e dá as cartas ao STF e, pelo visto, se os senadores deixarem, vai continuar. Preocupante!

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

BOLSONARO E A CORRUPÇÃO

Jair Bolsonaro foi eleito presidente da República porque atacou frontalmente Lula e o PT. Os derrotados José Serra, Geraldo Alckmin e Aécio Neves jamais tiveram coragem de se opor a Lula como fez Bolsonaro. Falta, agora, ao novo presidente se opor à corrupção, que não é exclusividade de Lula nem do PT. O Brasil espera que Bolsonaro trate Renan Calheiros da mesma forma que tratou Lula, e que sua pretensão de presidir o Senado seja repelida à bala pelo novo governo. 

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo 

*

VIOLÊNCIA NO CEARÁ

A capital cearense e diversas cidades do Estado estão sofrendo ataques coordenados. E o terror imposto à sociedade procede dos chefões, os criminosos que estão presos e condenados nos presídios. A revolta dos bandidos é porque o secretário de Administração dos Presídios determinou mais rigor nas revistas, especialmente no combate aos celulares, que é a ferramenta mais importante na organização criminosa. Enfim, tem muito bandido que faz dos presídios o escritório/quartel de inúmeros e grandes negócios. Reflexão: a pena de morte é um assunto a ser debatido urgentemente com a sociedade! 

Alex Tanner alextanner.sss@hotmail.com

Sumaré 

*

SEGURANÇA PÚBLICA E O DEMAGOGO

A rebelião no Ceará é muito estranha, pois o sr. Camilo Santana (PT) já governa o Estado há quatro anos. Fui procurar por sua atuação na área de Segurança no Ceará e encontrei um artigo de Thiago Paiva de 19/3/2018 no jornal "O Povo" online (https://www.opovo.com.br > 2018/03 > c), cujo título já é autoexplicativo: "As forças do (não) querer de Camilo Santana". O primeiro parágrafo do autor é muito elucidativo e diz: "Impressiona o discurso retórico do governador Camilo Santana (PT) quando o assunto é segurança pública". "O Estado não vai recuar um milímetro sequer no combate à criminalidade. Muito pelo contrário, para cada ação criminosa, intensificaremos nossas ações de combate. As forças de segurança têm meu apoio irrestrito. O crime não irá nos intimidar". Essa afirmação do governador Camilo ocorreu há dois anos, em 2016, durante onda de ataques registrada no Estado, ordenada de dentro dos presídios. Essas ações foram desencadeadas devido à lei cearense n.º 15.984 (operadoras bloquearem celulares). A proposta descabida foi considerada inconstitucional pelo Supremo Tribunal Federal. O Senado Federal aprovou lei complementar que obriga a instalação de bloqueadores em todos os presídios do País. O artigo ainda diz que a lei, na teoria, foi uma saída para não arcar com o estorvo da interferência na dinâmica das facções. O artigo é muito bom e desmascara o governador que, agora, nas entrevistas dos dias destes atentados, diz que fez tudo para enfrentar o crime. Será?

Tania Tavares taniatma@hotmail.com

São Paulo

*

E AÍ, CIRO?

O Ceará não era um modelo para o Brasil?

Sérgio Eckermann Passos sepassos@yahoo.com.br

Porto Feliz

*

POSSE DE ARMAS

O presidente Jair Bolsonaro vai assinar decreto liberando a posse de armas de fogo, mediante algumas condições específicas, tais como exame psicológico e treinamento de tiro. E a posse e porte de facas e outras armas brancas, que podem ser tão letais quanto as armas de fogo, será controlada por exame psicológico? Assim, poderiam ser evitados ataques como o que sofreu Bolsonaro durante a campanha presidencial.

Cláudio Moschella arquiteto@claudiomoschella.net

São Paulo 

*

A POSSE RESPONSÁVEL DE ARMAS

Bolsonaro deve baixar, a qualquer instante, o decreto que flexibiliza a posse de armas. O recolhimento de revólveres, pistolas e similares no Brasil deu-se por razão mais ideológica do que prática. No referendo, 63,94% da população votaram "não" e 36,06 "sim". Mas o governo decidiu ficar com a minoria, e o fez com toda incompetência. Impediu que o cidadão tenha sua arma, mas não foi capaz de desarmar os criminosos e deu no que deu. A política adotada é tão perversa que levou autoridades e instituições oficiais a aconselhar não reagir e entregar todos os pertences ao assaltante como forma de possível preservação da vida. A exemplo do que ocorre com o automóvel, é indispensável que o usuário tenha recursos para a aquisição da arma, treinamento e licenciamento de manuseio e seja consciente das consequências da má utilização. É preciso voltar ao tempo em que o criminoso tinha temor de a possível vítima estar armada.

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

*

CIÊNCIA E RELIGIÃO

A ciência sem a religião é manca, e a religião sem a ciência é cega (Albert Einstein). Alguém contestou? Se um dia a ciência provar que o Espiritismo está errado, fique com a ciência. Allan Kardec. Alguém provou? Ama teu próximo como a ti mesmo, não fazes a ele o que não gostaria que ele te fizesse (Jesus Cristo). Onde está a religião?

Manoel Braga manoelbraga@mecpar.com

Matão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.