Fórum dos Leitores

Cartas selecionadas para a edição impressa e portal estadao.com.br

Notas e Informações, O Estado de S.Paulo

16 Janeiro 2019 | 03h00

CESARE BATTISTI

Uma fraude

Excelente e extremamente didática a análise feita pelo jurista Wálter Maierovitch sob o título Cesare Battisti, uma fraude ambulante (15/1, A8). Parabéns! Maierovitch explica pormenorizadamente o que aconteceu desde que esse assassino começou sua sinistra trajetória e expõe ao leitor brasileiro, que eventualmente desconhecia muitos detalhes da trágica história, fatos e razões determinantes para formar a própria opinião. Que esta seja depois influenciada ou não por sectarismo partidário é outra coisa... Eu fiquei extremamente feliz ao ver Battisti entrar na penitenciária de Oristano, onde deverá ficar pelo resto de seus dias. E não deixei de me lembrar, além dos quatro mortos, do garoto de 16 anos, promissor jogador de futebol, que Battisti deixou numa cadeira de rodas para toda a vida, por ocasião do assalto à joalheria. Finalmente a justiça foi feita e deixou de me incomodar profundamente ter visto Battisti gozar o sol de Cananeia sem ser molestado por ninguém.

CLAUDIO CARSUGHI

carsughi@osite.com.br

São Paulo

Exemplo de retidão 

Quem merece os maiores elogios no caso Cesare Battisti é o governo italiano, que em 2015 atendeu ao pedido do Brasil de extraditar o então foragido ex-diretor do Banco do Brasil Henrique Pizzolato. A Itália, à época, tinha todo o direito de recusar essa extradição, pelo princípio da reciprocidade, após a patacoada petista, encabeçada pelo ex-presidente Lula, de conceder asilo político a Battisti. Em vez disso, o governo italiano deu um belíssimo exemplo de retidão e ética, o que seguramente influenciou a decisão do presidente Jair Bolsonaro de acenar, antes mesmo de sua posse, com a intenção de extraditar Battisti. 

LUCIANO HARARY

lharary@hotmail.com

São Paulo

Limpeza geral

Battisti voltou para a Itália, Lula foi para a prisão, Dilma teve seu impeachment confirmado nas urnas e Haddad não se elegeu. Agora só falta o Renan...

CARMELA TASSI CHAVES

tassichaves@gmail.com

São Paulo

CORRUPÇÃO

Perseguição

Luiz Marinho, ex-prefeito de São Bernardo, e mais 19 companheiros envolvidos em licitação suspeita e desvio de dinheiro para a construção do Museu do Trabalhador. Mais um petista implicado em desvio de dinheiro público... Isso é uma verdade indubitável ou mera perseguição da mídia conservadora?

J. A. MULLER

josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré

SANTOS-DUMONT

Museu de Cabangu

Diante da triste notícia de 14/1 (A13) sobre o fechamento, em Minas Gerais, do Museu de Cabangu, local de nascimento do grande brasileiro Alberto Santos-Dumont, é de lamentar o descaso quanto à cultura, à História e ao civismo no País. Santos-Dumont nasceu nessa fazenda, à beira da ferrovia que ligaria o Rio de Janeiro a Belo Horizonte, em 1873, e literalmente elevou o nome do Brasil em muitos países, principalmente na França. Não pode, pois, ficar esquecido. Altruísta, inteligentíssimo e patriota, muito beneficiou toda a humanidade. Aqui, em São Paulo, seu acervo histórico está bloqueado dentro do Museu Paulista, no bairro do Ipiranga, fechado há muito tempo e sem previsão de abertura próxima. Também na cidade de São Paulo não estão bem divulgadas a preservada casa de seu irmão, nos Campos Elísios, a chácara que também frequentava na região do Morumbi (hoje uma escola) e o local na Avenida Paulista, atual n.º 2.200, de residência de uma de suas irmãs, onde foi feito o velório, após seu falecimento, no Guarujá. O Museu de Aviação que havia no Ibirapuera também não existe mais. 

PAULO MIGUEL DE CAMPOS PETRONI, desembargador do TJSP

pmcpetroni@gmail.com

São Paulo

PREVIDÊNCIA

Corte de privilégios

As discussões iniciais, neste governo, de uma reforma da Previdência, mais do que necessária, leva a um impasse: terá de ser feita de uma forma radical ou quebrará para todos os que dela dependem direta e indiretamente. Por que senão continuará arruinando as finanças dos cofres públicos, obrigados a pagar benefícios absurdos a privilegiados. E todos serão sacrificados. Por essas razões, não há o que discutir, o sucesso ou fracasso da reforma previdenciária dependerá de uma atitude honesta e corajosa no corte de benefícios demais a privilegiados.

LAÉRCIO ZANINI

spettro@uol.com.br

Garça

Militares 

A Constituição da República não faz menção a nenhum regime de previdência para os militares, o que não é uma lacuna, quando uma matéria não é tratada, nem omissão, quando teria o dever de tratar, mas um “silêncio eloquente”, que o ministro Luiz Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal, define que é quando, ao não mencionar, a Carta Magna está se manifestando pela não existência da matéria. Não há déficit, portanto, numa conta previdenciária que não existe, pois os militares são pagos com verbas do Ministério da Defesa destinadas a inativos e seus cônjuges, quando falecem. E até falecerem pagam à União 7,5% do vencimento bruto para a pensão dos cônjuges viúvos e até 3,5% para um fundo de saúde das forças singulares.

PAULO MARCOS GOMES LUSTOZA, capitão de mar e guerra reformado

pmlustoz@gmail.com

Rio de Janeiro

Equidade

Não há nenhuma dúvida de que a carreira militar é diferenciada e deve ter remuneração e benefícios que compensem os sacrifícios e riscos anormais a que se sujeitam os que a compõem, particularmente quando se aposentam. Mas tal não pode constituir justificativa para a manutenção de uma espécie de casta privilegiada suportada por uma população cujas aposentadorias são incapazes de, em termos gerais, lhe garantir uma velhice com dignidade.

JORGE R S ALVES

jorgersalves@gmail.com

Jaú

Cobrança sem sentido

Aproveito a possível reforma da Previdência para sugerir alteração de uma regra descabida. Os aposentados que ainda trabalham são obrigados a pagar contribuição mensal ao INSS, mesmo já não tendo direito a auxílio-doença, auxílio-desemprego, etc. O direito ao atendimento médico já lhes é garantido pela aposentadoria. Então, como se justifica essa cobrança?

HILDEGARD ARNULPHY

arnulphy@escolaaed.com.br

São Paulo

*

O DECRETO DAS ARMAS

O decreto que permite a flexibilização da posse de armas no Brasil foi assinado. Quero lembrar à família Bolsonaro que, se Adélio Bispo estivesse portando uma arma de fogo, o patriarca Jair Messias não estaria presidente. Estaria morto.

Emerson Luiz Cury emersoncury@gmail.com

Itu

*

MAIS DIFÍCIL

Alguém entendeu qual é a posição do atual governo em relação ao direito de ter e portar armas? Pelo que se lê, o decreto que flexibiliza a posse torna ainda mais difícil a aquisição de uma arma de fogo, pois mantém todos os pré-requisitos atualmente em vigor e acrescenta mais um: o de que o interessado resida em município em que ocorram mais de 10 homicídios por 100 mil habitantes. E ainda limita a quatro o número de armas que alguém pode ter. Se soubessem que iria ser assim, os eleitores de Jair Bolsonaro provavelmente teriam votado em qualquer um dos outros candidatos à Presidência da República.

Roberto Dufrayer robertodufrayer@gmail.com

Rio de Janeiro

*

PARA POUCOS

A posse de arma não será possível para todos os brasileiros, em razão do elevado custo previsto: R$ 5 mil, incluindo o custo médio da arma, curso básico para aprender a atirar ou para comprovar capacitação técnica, despesas com documentação e atestado negativo de antecedentes criminais, taxas e atestado de avaliação psicológica. Idade mínima: 25 anos, para ter a posse da arma na residência ou no local de trabalho, para o proprietário ou responsável legal da empresa.

Arcângelo Sforcin Filho arcangelosforcin@gmail.com

São Paulo

*

QUEM GANHA COM ISSO

No Brasil é assim: para o cidadão poder possuir em sua residência uma arma para a sua defesa e a defesa de sua família, deverá mantê-la dentro de um cofre e ainda deixar a chave ou o segredo do cofre em algum outro lugar mais seguro ainda. Ou seja, ninguém ganhará nada com isso, a não ser, como sempre, os políticos, com os impostos, e os burocratas com as taxas, além, é claro, dos ladrões de residências e dos vendedores de armas.

Marcelo Gomes Jorge Feres marcelo.gomes.jorge.feres@gmail.com

Rio de Janeiro

*

BANDIDOS ARMADOS

Perguntar não ofende, me surgiu uma dúvida razoável: será que flexibilizar a compra de armas não vai instrumentalizar mais facilmente os bandidos?

Francisco José Sidoti fransidoti@gmail.com

São Paulo

*

BANGUE-BANGUE

Está aberta a temporada de caça e o livre bangue-bangue com o decreto de flexibilização da posse de armas, a política pública de segurança do novo governo.

Marcos Barbosa micabarbosa@gmail.com

Casa Branca

*

A ARMA VALE MAIS

Mais vale uma arma na mão que artigo de lei que preveja a legítima defesa sem ela.

José Carlos de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

*

ARMA EM CASA

  

Agora, que se volta a falar da arma de fogo para defesa do lar, faz-se oportuna uma palavra de advertência. Três são os aspectos a considerar: a prevenção, o atirador e só então a arma. 1) A prevenção: todo o empenho deve ser dedicado a impedir que se chegue a um confronto com marginais. O ponto mais vulnerável de uma casa é o portão de entrada e saída, portanto, é onde se exige a máxima atenção, pois o cidadão estará exposto, seja a pé, seja dentro do automóvel. 2) O atirador: antes de adquirir uma arma, o cidadão deve certificar-se de que tem o necessário domínio para dispará-la num confronto sem o perigo de atingir familiares ou outras pessoas. O indivíduo nervoso não deve se armar, visto constituir ele próprio um risco em potencial para a família, ao invés de trazer segurança para seu lar. 3) A arma: o calibre não tem importância, desde que a munição seja nova e seca. O bom atirador atira com qualquer arma, ao passo que o mau atirador é incapaz de acertar com nenhuma. Para maior segurança, ao principiante recomenda-se o revólver, em vez da pistola semiautomática. Importante é que a arma em casa seja guardada em local seguro e longe do alcance das crianças, principalmente dos meninos, pois eles são curiosos e fascinados por armas de fogo. A Taurus fabrica um revólver calibre 36, munição de caça que espalha o chumbo, dispensando pontaria mais minuciosa em condições de pouca visibilidade, próprio para combate a curta distância, especialmente para quem não tenha muita firmeza na mão.

John Coningham Netto maria.coningham@gmail.com

Campinas

*

ENTRE MILITARES

Antes de o presidente Jair Bolsonaro se preocupar com a posse de armas por qualquer civil, deve prover uma arrumação a respeito na sua própria área, que é a militar. Apesar de o Estatuto do Desarmamento claramente autorizar o próprio porte de arma particular, para todos os militares, as Forças Armadas impõem dificuldades para compra e porte - e é pior para o pessoal de subtenente para baixo, especialmente na inatividade. O próprio presidente já citou esse fato. Hoje, um soldado do Exército participa de operações de Segurança Pública, quando a posse e o porte são mais necessários ainda. Por outro lado, em face do alto custo de uma arma, de cabo para baixo é difícil sua aquisição.

Heitor Vianna P. Filho lagos@araruama.com.br

Araruama (RJ)

*

VAI QUE...

O foragido Cesare Battisti, que foi capturado pela polícia boliviana, primeiramente seria enviado ao Brasil, para depois seguir "viagem" para a Itália. Porém o governo italiano, temeroso, optou por que o criminoso fosse direto da Bolívia para a Itália. Na verdade, sabiam os italianos que corriam um sério risco na empreitada. Ora, vai que "pai" Gilmar resolvesse soltar o meliante? Seriam 37 anos de buscas escoando pelo ralo. O temor procede!

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

TEMOR

Perguntei aos meus botões: por que será que o avião que conduzia o sr. Cesare Battisti não  fez escala no Brasil, a caminho da Itália. Não encontro outro motivo, se não o temor das autoridades italianas de que algum ministro do STF pudesse conceder um habeas corpus e bloquear a transferência. 

Jose Perin Garcia jperin@uol.com.br

Santo André

*

CASO BATTISTI

O Brasil naturalmente perdeu a oportunidade e o protagonismo na prisão do assassino Cesare Battisti a partir do momento em que anunciou por meio de todo tipo de mídia que iria prendê-lo... Deu no que deu: o meliante-terrorista escapou para terras bolivianas. Mas, menos mal, vai cumprir o resto da vida "in galera".

Artur Lovro artlovro@hotmail.com

São Paulo

*

VITÓRIA DE BOLSONARO

Antes mesmo de assumir a Presidência da República, Bolsonaro já estava influenciando o destino mundial. A vitória contra Lula, via Battisti, é exclusivamente de Bolsonaro. Sinto pena dos esquerdistas inconsoláveis e da imprensa vendida e rendida, refém dos jornalistas vermelhos, mas não só o Brasil vai escorraçar o socialismo moribundo do País, como a América Latina e o mundo. O Brasil volta a impressionar o mundo, mas desta vez é para valer, não como a bobagem do Brics no tempo de Lula. As manchetes da "Folha" e do "Estadão" de ontem evitaram, igualmente, dar a Bolsonaro a vitória e preferem dizer que ele fracassou por não conseguir trazer o criminoso ao Brasil. Bah!

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo

*

PROMESSA CUMPRIDA

Cumprimento o presidente Bolsonaro, que apenas com a promessa de mandar o bandido italiano de volta à Itália conseguiu retirá-lo do esgoto, e, sem ter onde se esconder, foi preso e cumprirá sua pena até que a morte o carregue. O povo brasileiro está mais leve e com a cabeça erguida. O Brasil deixou de ser uma brincadeira e retomou o sentido de nação.

Jorge Peixoto Frisene jpfrisene@zipmail.com.br

São Paulo

*

SERENIDADE E HUMILDADE

A despeito de o mundo ter tido estadistas da envergadura de Winston Churchill, Franklin Roosevelt, John Kennedy, entre tantos outros que influenciaram o curso dos acontecimentos, Jair Messias Bolsonaro, que vem agindo com serenidade e demonstrando preocupação e sensibilidade com assuntos de magna importância que foram relegados a um plano inferior pelos desgovernos mais recentes que desfilaram no palco de nossa história política. E, reconhecendo com senso de humildade que ele próprio não está acima de tudo, o presidente Jair Messias Bolsonaro está prestes a consagra-se no concerto das nações do mundo e entrar para os anais históricos da humanidade. 

José Benigno da Silva Filho josebenignojournalist@hotmail.com

Recife

*

ASSIMETRIA MIDIÁTICA

Alguns setores de comunicação vêm detalhando diariamente os passos da operação que resultou na prisão do assassino terrorista Cesare Battisti, com direito até a uma descrição sucinta, por uma rede de televisão, no noticiário matinal, do complexo carcerário, na Sardenha, onde o criminoso deverá passar o resto da vida. O então ministro da Justiça do governo petista Tarso Genro trabalhou, em 2009, para conceder ao referido bandido a condição de refugiado político, o que lhe garantiu a permanência legal no País, mas executou, em 2007, com suspeita velocidade, a extradição dos atletas cubanos Gullermo Rigondeaux e Erislandy Lara, que haviam abandonado a sua delegação durante os Jogos Pan-americanos no Rio de Janeiro. Poucos brasileiros tomaram conhecimento das etapas da deportação rápida, e muito menos do nome e das particularidades da prisão no paraíso caribenho onde os atletas devem estar presos até hoje. Assimetria midiática.

Paulo Roberto Gotaç pgotac@gmail.com

Rio de Janeiro

*

TERRORISMO

O velho comunista foi preso. O PT e o PSOL ainda apoiam os métodos do terrorista, ou seja, assassinatos para alcançar seus objetivos. No Brasil, os terroristas de ontem atuaram da mesma forma, com o fim de implantar o regime no nosso país. Hoje, recebem uma "ajuda indenizatória" pela trajetória pregressa. Seria o caso de os mencionados partidos sugerirem algo semelhante ao governo italiano, para ajudar o amigo Battisti?

Antonio M. Vasques Gomes amavago@gmail.com

Rio de Janeiro

*

VISITA

Será que a presidente nacional do PT, sra. Gleisi Hoffmann, já tem visita agendada para o novo prisioneiro na Itália? Estranhamente, ninguém do PT reclamou com o companheiro Evo Morales por não ter concedido asilo politico ao sr. Cesare Battisti. Por que será?

Mario Miguel mmlimpeza@terra.com.br

Jundiaí

*

PROTESTO

Só faltava Gleisi Hoffmann ter ido até a Itália para acompanhar a cerimônia de encarceramento de Cesare Battisti.

Carlos E. Barros Rodrigues ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo

*

PRISÃO PERPÉTUA

Lamento não ter estudado, pois, se tivesse feito Direito, iria entender por que alguém condenado à prisão perpétua não poderá ficar mais de 30 anos preso, que é o caso do terrorista Cesare Battisti, condenado na Itália. 

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

BATTISTI & ITÁLIA 

Sou descendente de italianos, mas, ao saber que a Itália gastou a bagatela de 50 milhões de euros nestes 37 anos para capturar um foragido da lei, fiquei decepcionado ao lembrar o pai dos quatro principais pilares das Leis Romanas, Imperador Justiniano, que hoje se chama Código do Processo Civil (CPC). É uma "pena" saber que o país que gerou meus avós paternos perdeu a capacidade de pensar. Se o indivíduo que gerou tanto constrangimento à nação italiana é um mafioso, deveria ser tratado como a própria máfia trata suas vítimas. Bastava um bom atirador de elite gastar apenas uma balinha. Afinal, a Itália desaprendeu a tratar seus pupilos queridos com a mesma elegância que os imperadores tratavam os detratores do império? Leões neles!

Humberto Pozzato Filho ouromildiamantes@gmail.com

Campinas

*

EDITORIAL

À redação do jornal "O Estado de S. Paulo", meus cumprimentos pelo brilhante editorial "O caso Battisti" (15/1, A3).

Sidney Cantilena sidneycantilena@bol.com.br

São Paulo

*

ESCONDE-ESCONDE DE ROSE

Li reportagem numa revista semanal tratando de Rosemary Noronha, que por 19 anos foi amante de Lula, amealhou muitos bens e que, segundo a reportagem, hoje sem dinheiro e prestígio, foge dos oficiais de Justiça como o diabo da cruz. Além de muitos outros sórdidos quesitos, ela responde a três processos na Justiça decorrentes de fraudes cometidas na Operação Porto Seguro, desenvolvida pela Polícia Federal em 2012. Mas não se consegue intimá-la desde 2017 apenas porque ela sai bem cedo de sua residência no Edifício Sagarana, no Paraíso, bairro nobre de São Paulo, e só volta tarde da noite, e os oficiais de Justiça só podem lhe entregar a intimação em horário comercial. Oh, que dificuldade! Pois que fiquem de campana, sigam o bombonzinho de Lula até o lugar onde ela passa o dia e entreguem-lhe a intimação. Até parece que não querem intimá-la! Será? Agora destilo um veneninho a mais, coisa de Eva: Lula afirmou que dona Marisa faleceu pressionada pela Operação Lava Jato, "tudo culpa do juiz Sérgio Moro!". Ela se foi, mas engasgada com este sapo na garganta, pois só imagino o que passou com esse marido sem poder colocar a boca no trombone por tanto tempo. Pronto, falei!

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

CONSULTORIA

Antonio Palocci pretende dar consultoria em boas práticas de gestão. Será que o casal Nardoni não gostaria de abrir uma escola para babás?

Celso Francisco Álvares Leite celso@celsoleite.com.br

Limeira

*

PALOCCI CONSULTOR

A disposição do ex-ministro Antonio Palocci de voltar a trabalhar como consultor, desta vez na área de compliance (boas práticas de gestão empresarial), num primeiro momento pode até parecer debochada e ridícula, mas não é. Não são poucos os casos históricos em que criminosos, após capturados e condenados, passaram a colaborar com as autoridades e com a sociedade no intuito de, com sua experiência, ajudar a prevenir o mesmo tipo de crime que cometeram. Um deles foi o do famoso impostor e falsificador de cheques o norte-americano Frank Abagnale - cujo livro autobiográfico, "Prenda-me se for capaz", virou filme -, que durante o cumprimento da sua pena colaborou com o governo federal e, posteriormente, passou a ser, e é até hoje, consultor de segurança nos EUA. Não haveria nenhum demérito na aceitação, por uma empresa, da proposta de Palocci. É questão meramente pragmática. 

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo

*

TROCA DE FARPAS

Fernando Haddad, o pior prefeito da história paulistana e candidato derrotado nas eleições presidenciais de 2018, amparado por mais de 40 milhões de votos, resolveu assumir o protagonismo do partido mais corrupto do País atacando nas redes sociais o presidente Bolsonaro, chamando-o de "Bozo" e a seu programa de governo de "bozoideias". Já o atual presidente se refere ao "Andrade" como sendo o "marmita de bandido", por suas costumeiras visitas ao presidiário condenado em regime fechado Lula da Silva. Enquanto os dois se digladiam nas redes sociais, 56% dos brasileiros entrevistados pelo Datafolha são otimistas em relação ao novo Congresso, que assumirá a partir de 1.º de fevereiro, e quanto ao futuro do País.

José A. Muller josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré

*

O FIM DO 'TOMA LÁ, DÁ CÁ'

Se o Congresso cruzará os braços "sem uma opção ao toma lá, dá cá" ("Coluna do Estadão", 14/1, A4) , a única opção em que esta gente está viciada e espera é o "toma lá, dá cá". São 30 anos de vícios e, mesmo com 2/3 do Congresso renovado, a maioria continua se elegendo para enriquecer, e não cumprir promessas de campanha. Se a população não se mobilizar e cobrar incansavelmente essas mudanças, em breve o presidente Bolsonaro precisará se curvar à quadrilha para conseguir aprovar reformas, e a chantagem já foi lançada no ar. A população quer mudanças radicais nesta roubalheira, e eles ainda não entenderam. Esqueceram que as redes sociais não dormem?

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

É SIMPLES

Sugestão aos congressistas que pedem um substituto ao "toma lá, dá cá", tão em moda nos últimos governos: não sejam birrentos, não façam chantagem e esqueçam os interesse$ pessoai$ e os dos mai$ amigo$. Façam simplesmente o seguinte: aprovem o que considerarem benéfico para o País e votem contra o que verificarem que irá prejudicar o País. Garantimos que até serão reeleitos nas próximas eleições.

Wilson Scarpelli wiscar@terra.com.br

Cotia

*

COMUNICAÇÃO

O fim do "toma lá, da cá" é o desejo da maioria do povo brasileiro. A forma de substituir o egoísmo dos políticos que não conseguem entender, sentir e se preocupar com a sociedade, inclusive com seus filhos e netos, seria mostrar a eles que, se não aprovarem matérias de interesse da Nação, perderão os votos necessários para se elegerem. Os cidadãos de bem que se interessem pelo País devem se comunicar com o Congresso pelas redes sociais e revelar a eles que seu voto no Legislativo representa a vontade de quem votou neles.

Mário Negrão Borgonovi marionegrao.borgonovi@gmail.com

Rio de Janeiro

*

A VERDADE

A verdade deste país e uma só, em todas as esferas políticas e do serviço público existe algum tipo de caixinha ou propina, como acontece na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). Ninguém investe R$ 10 milhões numa campanha para receber em quatro anos R$ 1,2 milhão bruto em salários. Não existe um político sequer que tenha aprovado algo em benefício do povo! Vejam as periferias de São Paulo: cadê os vereadores, prefeito, as regionais? É duro, mas nossa democracia rouba mais que as ditaduras!

Luiz Claudio Zabatiero zabasim@outlook.com

São Paulo

*

PREVIDÊNCIA, IDADE E CONTRIBUIÇÃO

Na entrevista de Marcos Lisboa publicada no domingo ("'Não dá para confundir previdência e assistência'", 13/1, B6), para justificar a injustiça do modelo atual, ele afirma que a atual previdência beneficia o mais rico. Ele considera como rico o trabalhador formal, com carteira assinada e como trabalhador de baixa renda aquele que não tem carteira assinada. Partindo dessa ideia, ele afirma que os trabalhadores de baixa renda teriam de trabalhar mais para conseguir a aposentadoria. Entretanto, essa constatação está totalmente equivocada, já que os mais ricos não são aqueles que começam a trabalhar com pouca idade. Quem começa a trabalhar cedo com carteira assinada são os pobres e a classe média. A reforma, considerando apenas a idade, sem considerar o tempo de contribuição, irá prejudicar os pobres e a classe média, que começaram a trabalhar muito cedo e que terão trabalhado muito mais ao completar os 65 anos. Ao contrário do que afirma, na reforma que defende, considerando apenas a idade para a aposentadoria, os ricos, que começam a trabalhar mais tarde, terão muito menos tempo de serviço ao se aposentar, se comparados com as classes menos privilegiadas.

Jose Henrique de Paula Martins henriquedepaula.sp@uol.com.br

Ourinhos

*

GASTOS MILITARES

No "Estadão" de 15 de janeiro, o excelente Roberto Godoy trata do tema, que bem conhece, e do descaso que o assunto tem merecido dos políticos maiores. Dá-se aos militares alguma coisa do que necessitam para a defesa do Brasil, mas apenas o suficiente para acalmá-los. Quando a mídia divulgou, meses atrás, que as Forças Armadas venezuelanas tinham maior poder de combate que as brasileiras, muitos militares tomaram a afirmação como ofensa. Pode ser verdade! Afinal, o Exército da Venezuela sustenta a ditadura daquele país que vive dezenas de anos em pé de guerra com a vizinha Colômbia. Deveríamos tomar a informação como alerta e encetar estudos na Escola Superior de Guerra sobre aquelas afirmações. Estudiosos como Godoy devem ser chamados a contribuir e "trocar calor" com o Corpo Permanente da Escola. Lembremos que o maior civilista brasileiro, Ruy Barbosa, afirmou no passado que "um exército pode passar cem anos sem ser empregado, mas não pode ficar um minuto sem estar preparado". Bem antes dele, Vitória, a rainha com V maiúsculo, em carta a Disraeli, afirmou: "Recebemos uma lição nunca seguida: jamais deixar o exército e a marinha tão sem fundos que sejamos depois obrigados a grandes despesas apressadas. Foi o caso da guerra da Crimeia ... Se vamos nos manter como potência de primeiro nível, do que ninguém duvide, devemos estar continuamente preparados ... A verdadeira economia consiste em estarmos sempre prontos" (Churchill, em "Grandes Homens do Meu Tempo", um livro soberbo - e, se há espaço para uma digressão, o livro é feminista ao extremo. Tem dois capítulos: "A rainha Vitória" é o primeiro, espetacular. O segundo, os "Grandes Homens").

Roberto Maciel dos Santos, general-de-divisão reformado rvms@oi.com.br

Salvador

*

ÓDIO E ASSASSINATO NA POLÔNIA

Durante um concerto anual de caridade para arrecadar fundos para tratamento de crianças em hospitais, na cidade de Gdansk, na Polônia, o prefeito foi atacado a facadas em pleno palco do evento e diante de uma multidão de pessoas. A divulgação de sua morte, no hospital, causou comoção social e um enorme choque político na Polônia. Prefeito por seis mandatos, Pawel Adamowicz era uma voz liberal no país. Ele defendia os imigrantes e apoiava os direitos LGBT. Figura odiada pela extrema-direita, ele tornou-se uma nova vítima do discurso de ódio.

Luiz Roberto Da Costa Jr. lrcostajr@uol.com.br

Campinas

*

IMPRUDENTE GOLPE DE MARKETING

O governador de São Paulo, João Doria, ao anunciar que os policiais militares passarão a utilizar rotineiramente escopetas calibre 12, lança nada mais que um imprudente golpe de marketing. Imprudente, temerário mesmo, porque essas escopetas só devem ser usar por sargentos ou oficiais, já que são extremamente perigosas, uma vez que espalham diversos projéteis de chumbo quando disparadas, que se abrem em leque, podendo atingir transeuntes. Golpe de marketing porque o efetivo da PM se aproxima da casa dos 100 mil policiais, e 5 mil escopetas são uma gota d'água nessa escala de grandeza. 

Luiz Mario Leitão da Cunha luizmleitao@gmail.com

São Paulo

*

BIZARRO

O governador Doria negocia conectar CPTM com Cumbica e torna oficial que o paulista, ainda que pouco informado, já considerava bizarro o fato de a empresa que administra o Aeroporto de Cumbica ter prerrogativa sobre aquele equipamento público, que lhe permitiu vetar a construção da linha da CPTM que serve aquele aeroporto, para acessar todos os terminais daquele aeroporto. Como foi noticiado, a estação da linha da CPTM que atende ao Aeroporto de Cumbica não pode ser construída por completo, mas tão somente nas proximidades do terminal 1. Para os demais terminais, os passageiros são obrigados a embarcar em ônibus "fornecidos gratuitamente" pela concessionária, como se fosse uma operação simples transportar as suas bagagens de uma condução para outra. Ora, é evidente que o edital que regeu a licitação para a operação daquele equipamento público não poderia ignorar as condições para que a linha da CPTM, já projetada ou não, atendesse aos interesses da população, e não o do concessionário. Em minha opinião, o governador não deve somente negociar com a concessionária a reversão desse absurdo inaceitável. Tem de acionar a Polícia Federal e o Ministério Público para investigar por qual motivo os responsáveis pelo edital cometeram tal disparate. Não dá para acreditar em erro ou equívoco por ignorância dos responsáveis. Tinham a obrigação de atender a todas as determinações da Lei n.º 8.666/1993, que rege as licitações públicas e alterações posteriores, e deverão ressarcir o erário pelo eventual prejuízo sofrido, como determina a legislação.

Gilberto Pacini benetazzos@bol.com.br

São Paulo

*

ÔNIBUS MAIS CAROS

Seria ótimo se o aumento das tarifas dos ônibus fosse para melhorar os serviços, e não só para corrigir os custos...

Luiz Frid fridluiz@gmail.com

São Paulo

*

IPTU EM SÃO CAETANO

Gostaria de saber o que pretende o digníssimo prefeito de São Caetano do Sul: estamos já na metade do mês de janeiro e ainda não recebemos o IPTU. Ouvi dizer que os valores estão disponíveis no site da prefeitura.  Ocorre que existem "n" passos para conseguir acessar a página correspondente. Se pessoas com mais informações têm dificuldade, o que dizer das pessoas idosas, uma grande maioria dos munícipes? Este é o segundo ano que este fato ocorre: no ano passado recebemos o carnê depois do vencimento, com direito ao pagamento em parcela única com o mísero desconto a que temos direito, e a primeira parcela já vencida, de forma a gerar multa. Como ficamos, senhor prefeito?

Aparecida Dileide Gaziolla aparecidagaziolla@gmail.com

São Caetano do Sul 

*

UNIMED

O atendimento no seu local de origem é satisfatório. Porém, quando em viajem, se precisar, é algo terrível. Precisei da Unimed da Praia Grande, tendo ficado ao telefone das 11 horas até as 16 horas. Nesse período, foram me passando números de telefone, num total de 15, tendo realizado aproximadamente 40 ligações no tempo mencionado acima. Informações desencontradas fizeram-me desistir e procurar outro rumo para resolver meu problema de Síndrome do Carpo, algo extremamente dolorido.

Orivaldo Tenório Vasconcelos professortenorio@uol.com.br

Monte Alto

*

MAIS MÉDICOS

Sobre o Programa Mais Médicos, fica a pergunta: por que não preencher as vagas que restam com médicos egressos das faculdades públicas? Trabalhariam por um tempo a ser definido e seria uma forma mais justa de retribuição à população que pagou pelos seus estudos, em vez de abater a dívida dos alunos que financiaram seu curso pelo Fies e que, ao pagarem suas dívidas, estão proporcionando o financiamento de outros alunos.

José Marcos Carbonari, médico jmarcoscarbonari@gmail.com

Campinas

*

MUSEU CABANGU - SANTOS-DUMONT

Profundamente lamentável a notícia de que o Museu de Cabangu, que funciona desde 1973 na casa onde nasceu o "pai da aviação" Santos-Dumont, em 1873, no município que leva seu nome, em Minas Gerais, será fechado e desativado em razão da falta de recursos. O melhor a fazer é levar o acervo, composto de cartas, fotografias, documentos, roupas e móveis, para uma grande capital, para que seja visto e preservada a memória deste grande inventor brasileiro. Sugestão: Aeroporto Santos-Dumont, no Rio de Janeiro.

J. S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

Mais conteúdo sobre:
Cesare BattistiMuseu de Cabangu

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.