Fórum dos Leitores

.

Fórum dos Leitores, O Estado de S.Paulo

07 de março de 2019 | 03h00

SINDICALISMO

Resistência à lei

Há no Brasil cerca de 16 mil sindicatos. Nos EUA, terra da oportunidade, existem 130, na Argentina são 91, no Reino Unido há 168 e 16 na Alemanha, todos funcionando mediante contribuição voluntária dos representados. Na verdade, no mundo desenvolvido eles perderam a força que tiveram no passado, em face de legislações mais realistas sancionadas pelos respectivos governos, o que os levou a adotar soluções criativas destinadas a garantir sua sobrevivência, tais como as fusões e o estabelecimento de vínculos mais estreitos entre as lideranças e os filiados. No Brasil, até pouco tempo atrás vigorava o chamado imposto sindical, que retirava compulsoriamente um porcentual dos salários, sistema que transformou as estruturas sindicais, ao longo das décadas, em organizações ricas, que acumularam patrimônios imobiliários e propiciaram grandes benefícios financeiros a seus líderes, catapultando-os eventualmente a cargos políticos, o que criou um afastamento cada vez maior entre o que o sindicalizado esperava e o que vinha realmente obtendo. Com a entrada em vigor da nova lei trabalhista, que, entre outros dispositivos, aboliu a obrigatoriedade da participação, as entidades passaram a sofrer sérias restrições financeiras e estão sendo obrigadas a se reinventar para cumprir sua finalidade imediata, a de representar com mais fidelidade o trabalhador. Todavia há séria resistência ao correto cumprimento da nova legislação, partindo de setores corporativistas, que dificultam a execução das alternativas adequadas. Espera-se que as novas direções sindicais procurem soluções, em vez de insistirem em jurisprudências ultrapassadas.

PAULO ROBERTO GOTAÇ

pgotac@gmail.com

Rio de Janeiro

Reformas

A reforma trabalhista, um dos legados do governo Michel Temer, foi um tiro que atingiu o alvo em cheio. Em 2018 as ações judiciais trabalhistas, em boa parte injustas e mal-intencionadas, despencaram mais de 30%, e a arrecadação dos sindicatos, com o fim da imoral e comodista contribuição obrigatória, caiu 80%. Ou seja, essas duas deturpações da CLT não somente não fizeram a mínima falta, como agregaram qualidade às relações trabalhistas e à atuação dos sindicatos, que foram obrigados se reinventar diante da nova conjuntura. Essa é uma clara demonstração de que, se a reforma previdenciária for discutida com seriedade em todos os seus aspectos, e bem encaminhada, os benefícios certamente virão, para toda a sociedade.

LUCIANO HARARY

lharary@hotmail.com

São Paulo

Corpo mole

Creio que o principal desafio dos sindicatos, patronais e profissionais, é finalmente se aproximarem das pequenas e microempresas e seus trabalhadores, pois faz muito tempo que foram esquecidos, por não renderem resultados positivos para ambos. Mesmo com empresas fechando aos milhares e trabalhadores perdendo o emprego aos milhões, como a contribuição era compulsória, paga sem reclamar, as entidades sindicais faziam corpo mole, apenas fingiam atuar. Agora, ou trabalham para valer ou vão ter o mesmo destino dos milhares de estabelecimentos que quebraram.

PEDRO FORTES

pec.fortes@uol.com.br

São Paulo

Querem dinheiro?

Então, vão trabalhar. Parabéns ao presidente da República pela medida provisória que proíbe o desconto em folha das tais contribuições que só servem para alimentar pelegos que vivem à custa do suor do trabalhador.

LUIZ ANTONIO AMARO DA SILVA

zulloamaro@hotmail.com

Guarulhos

BOLIVARIANOS

Socialismo lá e cá

De acordo com reportagem no Estadão (4/3), o ditador venezuelano Hugo Chávez considerava que “o capitalismo é mesmo o reino do egoísmo”. Não obstante, sua filha Maria Gabriela teria fortuna estimada em US$ 4 bilhões. A publicação de foto com um leque de notas de dólar pela outra filha, Rosinés, irritou sua mãe, pelo erro de “publicá-la em um meio onde há pessoas ignorantes que não respeitam os outros”. Nicolasito, filho de Nicolás Maduro, foi filmado em 2015 dançando enquanto notas de dólares eram jogadas sobre sua cabeça. Ou seja, os clãs Chávez e Maduro vivem muito bem, obrigado, enquanto venezuelanos são filmados comendo lixo para sobreviver. Os “atributos” desses dois tiranos foram acabar com as instituições democráticas (Legislativo e Judiciário) e socializar a pobreza. Algo parecido aconteceu aqui quando o País foi posto a serviço de Lula da Silva, Dilma Rousseff e PT. Em vez da criação de empregos, do aumento da competitividade e da exportação, optou-se, em nome do combate à fome, pela distribuição de “esmolas” governamentais. Embora lhes tenham garantido votos, esses gastos resultaram, entre outras consequências, na pior recessão em nossa História. Um socialismo moderno, competente, transparente e honesto, no estilo europeu, seria muito bem-vindo. Mas não esse socialismo demagogo, corrupto e incompetente, que visa somente a permanência no poder a qualquer custo!

OMAR EL SEOUD

elseoud.usp@gmail.com

São Paulo

EM SÃO PAULO

Bruno e o Minhocão

Na esteira dos piores prefeitos de São Paulo nos últimos 20 anos, vem agora o sr. Bruno Covas com o seu milionário, inútil e inoportuno jardim suspenso do Minhocão, enquanto a cidade vive os seus piores momentos de abandono, de sujeira, de ruas e avenidas arrebentadas, de calçadas em estado deplorável, de jardins abandonados, de inundações, de semáforos que deixam de funcionar com uma leve brisa, do número crescente e assustador de sem-teto, da decadência e imundície do centro, do caos no trânsito, do eterno crescimento desordenado, de favelização e de viadutos que caem sem manutenção. Incrível como uma das maiores cidades do mundo pode ter tido gestões tão medíocres, incompetentes e inconsequentes. Essa é a “Cidade Linda” em que o sr. Bruno Covas e seu antecessor nos quiseram fazer acreditar.

ARI GIORGI

arigiorgi@hotmail.com

São Paulo

Péssimo prefeito

Infelizmente, tenho de concordar com um número cada vez maior de paulistanos: temos um péssimo prefeito. Um político inexpressivo, sem liderança, despreparado e que se alçou a esse cargo pelo fato de que o seu antecessor foi e ainda é um alpinista político. A cidade está abandonada, suja, cheia de mendigos vivendo pelas ruas. Basta ver a Radial Leste nas proximidades da Estação Belém do Metrô e o próprio entorno do prédio da Prefeitura no Viaduto do Chá.

RICARDO FIORAVANTE LORENZI

ricardo.lorenzi@gmail.com

São Paulo

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br


BOLSONARO NAS REDES SOCIAIS


O presidente Jair Bolsonaro (PSL) publicou no Twitter um vídeo de um episódio de nudez pública de dois homens, em que um deles inclusive urina no outro, e disse “não me sinto confortável em mostrar, mas temos de expor a verdade para a população ter conhecimento e sempre tomar suas prioridades. É isto que tem virado muitos blocos de rua no carnaval brasileiro. Comentem e tirem suas conclusões.” Meu comentário: como pode o presidente de uma das maiores economias do mundo comportar-se como um adolescente de 12 anos? Minha conclusão: o presidente procedeu de modo incompatível com a dignidade, a honra e o decoro do cargo e poderá ser condenado por crime de responsabilidade por improbidade na administração pública.


Cláudio Moschella arquiteto@claudiomoschella.net

São Paulo


*

BOBO DA CORTE


Jair Bolsonaro não se comporta como um presidente da República, mas tão somente como um bobo da corte digital. Que os generais do seu staff o avisem de que já passou da hora dele começar a governar o Brasil. Daqui a pouco as patetices de Bolsonaro poderão fazer até os insaciáveis corruptos do PT despertar saudades, o que seria trágico.


Túllio M. Soares Carvalho tulliocarvalho.advocacia@gmail.com

Belo Horizonte


*

OS FILHOS FAZEM ESCOLA


Influenciado pelas postagens nefastas, grosseiras, melancólicas, patéticas e infelizes dos filhos, Jair Bolsonaro esqueceu a liturgia do cargo e os bons modos. Perdeu as estribeiras, divulgando cenas de vídeo imundo, tentando desmoralizar a beleza e a alegria do carnaval, o maior espetáculo popular do mundo. Um colossal tiro no pé que depõe contra o próprio chefe da Nação. Bolsonaro odeia carnaval. Problema dele. Porém milhões de brasileiros e centenas de turistas, ricos e pobres, adoram. O carnaval é excelente válvula de escape. Durante cinco dias os brasileiros esquecem os problemas e tristezas e caem na folia. 


Vicente Limongi Netto limonginetto@hotmail.com

Brasília


*

DESMORALIZAÇÃO


Em nome da moral, o sr. presidente desmoraliza o cargo que ocupa, desmoraliza o Brasil, desmoraliza e desrespeita os brasileiros. Perde o respeito do povo, dos políticos, dos seus comandados e de todo o mundo. O senhor está no caminho certo do impeachment. Continue nele! Nós não queremos um presidente que desonra o seu país e o seu povo.


Elisa M. Andrade elisa@portuguesemforma.com

São Paulo


*

NONSENSE


Temos um presidente parada dura. Na falta de bom senso, divulga vídeo obsceno ligando-o ao carnaval, em rede social. Pergunta: essa é a função de um presidente? O tempo todo provocar e desestabilizar? Para isso que foi eleito? Vergonhoso e baixo nível!


Elisabeth Migliavacca

São Paulo


*

O DEDO NA FERIDA


Chocante. A besta humana está solta. O post de Bolsonaro apenas divulgou isso. O mensageiro não pode ser mortificado por ser o portador da notícia. Mas o PT, o grande promotor da anomalia comportamental divulgada, critica o presidente pela revelação. Agradeço a ele pela coragem de se expor dessa maneira e pôr o dedo nas feridas. A humanidade está pervertida, ajudada pelo politicamente correto e pelas redes psicossociais que estão acelerando os suicídios e os feminicídios em todo o mundo. O ser humano é um animal que se achava civilizado, mas seus instintos o estão dominando. Quando dentro das igrejas e nos conventos os instintos perderam o controle, é porque o fim está próximo.


Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo


*

CÍNICOS


Quando o presidiário Lula chamou as mulheres do PT de “mulheres do grelo duro”, todos acharam graça, riam feito retardados, não houve críticas e a mídia internacional também nada falou. Agora, com esta postagem do presidente Bolsonaro para mostrar uma cena obscena no carnaval – festa que há muito tempo virou uma obscenidade –, recebe uma avalanche de críticas. Mas é assim mesmo. Os esquerdopatas transformam tudo numa dimensão para desviar o foco. Os que criticam este post não estão nem aí com os 13 milhões de desempregados, com os Estados e municípios quebrados nem com o rombo nas contas públicas. Se esquecem de que este país chegou a este status quo econômico, moral e educacional pelos 13 anos de (des)governo petista. O “mulheres do grelo duro” não é nada. Cínicos.


Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro


*

HISTERIA


Certos jornais e certos jornalistas, no afã de atacar Bolsonaro, descambam para o ridículo, e esta questão do vídeo é só mais um exemplo deste histerismo infantil na imprensa. O carnaval atual é que é uma obscenidade num país cristão, liberando pervertidos de toda sorte para fazerem o que bem entendem em nome da “alegria” – e tome álcool e drogas, nudez e sexo em local público. Bolsonaro, crítico e coerente com o que acredita, só explicitou com provas e com uma coragem que falta aos jornais a decadência desta “fézzzzta” (pobre)!


Paulo Boccato pofboccato@yahoo.com.br

Sao Carlos


*

CARTÕES CORPORATIVOS


O “Estadão” noticiou (6/3, A5) que o governo Bolsonaro aumentou os gastos com cartão corporativo em 16% em dois meses. Sempre achei que gastos excessivos fossem exclusividade de “comunistas” (comunista = qualquer um que não reze a cartilha militar), mas pelo jeito os militares (que são maioria no governo) também apreciaram essa comodidade, não é mesmo?


Lauro Becker bybecker@gmail.com

Indaiatuba


*

PROMESSAS DE CAMPANHA


Os gastos com cartões corporativos da Presidência da República nos dois primeiros meses do governo Jair Messias Bolsonaro aumentaram 16% em relação à média dos últimos quatro anos dos governos anteriores. Como perguntar não é ofensa, presidente para onde foram suas promessas de campanha?


Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)


*

É CARNAVAL!


O que os vereadores de Niterói fizeram de tão relevante para se autoconcederem um aumento salarial de 50%, naturalmente abafado pelos gritos da folia? E o salário mínimo ó...


Ricardo C. Siqueira ricardocsiqueira@globo.com

Niterói (RJ)


*

ATÉ QUANDO?


A gente se acostuma com políticos medíocres, despreparados, mentirosos e corruptos.  A gente se acostuma também com a corrupção, com a impunidade. Na verdade a gente se acostuma com a certeza da impunidade. A gente se acostuma com os assaltos, os bandidos e a total falta de segurança. A gente se acostuma com pessoas jogadas e morrendo nos corredores dos hospitais públicos. A gente até se acostuma com as autoridades, ditas competentes, afirmarem que tudo está sob controle. A gente se acostuma com o País deitado eternamente em berço esplêndido. Mas até quando a gente vai continuar se acostumando com tudo isso?


Mario Miguel mmlimpeza@terra.com.br

Jundiaí


*

COMEÇAR


As férias acabaram. O carnaval se foi. Temos novo governo. A missão é reconstruir o Brasil. Precisamos de responsabilidade no governo. Servidores públicos honestos. Empresários decentes. População atenta, participativa e cuidadosa. Gerar empregos, controlar gastos, investir no desenvolvimento. Trabalhar e estudar  com seriedade. O resto é mimimi.


André Luis Coutinho arcouti@uol.com.br

Campinas


*

DIA ÚTIL


Para fins de pagamento de contas, a quarta-feira de cinzas é dia útil, ou seja, se o vencimento ocorrer nesse dia, claramente terá de se paga nessa data. Ocorre que o depósito das aposentadorias que deviam ser depositadas no segundo dia útil do mês, quarta-feira, será feito hoje, dia 7 de março. Ou seja, o INSS obriga os aposentados a atrasar seus pagamentos de contas e a pagar os acréscimos que serão cobrados. Essa é a qualidade de nosso serviço público. E quem quiser que vá reclamar com o bispo.


Ademir Valezi adevale@gmail.com

São Paulo


*

GOLPE SUJO


Sou aposentado do INSS e recebo meu benefício no segundo dia útil do mês, e em muitos meses o segundo dia útil é o próprio dia 2. Faz anos que quando o dia 2 cai num sábado, como o 2/2/2019, o INSS não espera a segunda-feira para fazer o depósito do benefício e já o faz no próprio sábado (dia 2), e o benefício já fica a disposição do aposentado. Para minha surpresa, o governo Bolsonaro aproveitou o feriado bancário do carnaval e deu um golpe sujo nos aposentados. O INSS não fez o depósito do benefício no dia 2, como costuma fazer, e, pior, inventou que a quarta-feira de cinzas, dia 6, não é um dia útil, quebrando uma regra que existe há anos, ou seja, os benefícios com final 2 e 9 não foram pagos no segundo dia útil do mês (6/3), e sim o serão no terceiro dia útil do mês (7/3). Que feio, presidente Jair Bolsonaro.


Maurício Lima mapeli@uol.com.br

São Paulo


*

‘BOLSONARO E O TESTE DO PIB’


Sobre o editorial “Bolsonaro e o teste do PIB” (5/3, A3), o texto faz uma análise sucinta e ao mesmo tempo documentada por muitos números e comentários lógicos. Há, entretanto, uma palavra “mas”, que gera muita preocupação e alerta aos investidores e leitores atentos.


Geraldo Fonseca Marcondes Jr. gfonsecamarcondes@uol.com.br

Taubaté


*

A TODO VAPOR


Com o fim do carnaval, o País volta aos seus problemas disposto a enfrentá-los, principalmente a aprovação da reforma da Previdência. Que os congressistas tirem suas máscaras de tiranos, sempre contrários ao Brasil, e se envolvam nesse projeto. Aliás, devem largar o “toma lá, dá cá” e que se inteirem das sérias dificuldades que suas bases eleitorais estão enfrentando. Fica a dica!


Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo


*

CARGOS X REFORMA DA PREVIDÊNCIA


Fico assustado com o posicionamento dos nossos “politiqueiros” exigindo cargos em troca da aprovação da reforma da Previdência. Política é uma ciência importante e bela para o povo, e não para o bolso de cada um deles e de seus comparsas. Levantar os anseios da população, estabelecer as prioridades para os mais necessitados e utilizar o dinheiro de nossos impostos com essa intenção é o que significa o termo política. Quase 40% de nossos salários deveriam ser utilizados com esta relevante finalidade, por meio do recolhimento dos tributos. Estes valores têm este intuito. Ainda é tempo de modificar esta péssima postura, pois nas eleições todos prometeram “de pés juntos” que não iriam mais usar esta imoral artimanha. A Nação agradece.


João Coelho Vítola jvitola1@gmail.com

Brasília


*

REPÚBLICA DA CHANTAGEM


O deputado Elmar Nascimento (DEM) afirmou na edição de domingo de “O Estado” (A5) que o governo passou de uma República sindicalista para a República da caserna. Engana-se no nobre deputado que diz reunir 301 colegas. Com sua atitude, voltará a ser, isto sim, a República da chantagem, aliás, prática habitual nas duas Casas do podre Congresso visando apenas aos interesses próprios ao contrário dos do Brasil. Cale-se!


Alcides Ferrari Neto ferrari@afn.eng.br

São Paulo


*

VERDADE SEJA DITA


Atenção, líder do blocão e parlamentares em geral, antes um governo República da caserna do que o que foi durante 16 anos, a República da podridão, da roubalheira, do desrespeito ao povo e da completa corrupção.


José Jair Januzzi de Assis januzzi@adv.oabsp.org.br

São Paulo


*

A CONTRIBUIÇÃO DOS APOSENTADOS


É conhecido o princípio jurídico de Justiça Tributária que recomenda que todo valor (tributo, contribuição, por exemplo) que o Estado exige do cidadão para fazer face às suas despesas – pois ele não cria riqueza – deve seguir uma orientação: a de que o contribuinte se beneficia com sua criação. Ainda que, como na maioria das vezes acontece, indiretamente. Mesmo nas taxas quando o pagador não ocupa o serviço relativo a ela. Mas ele está à sua disposição. Pois bem. A contribuição previdenciária cobrada de quem já está aposentado fere, indiscutivelmente, essa norma. Pois, se ele a pagou durante toda a sua vida de trabalho para se aposentar de acordo com as normas vigentes à época, ele a estaria pagando para quê? Para de novo se aposentar? É claro que não. Então por que é cobrada? Pois continuar pagando uma contribuição previdenciária que nada tem que ver com sua aposentadoria – pois em nada a beneficia – não faz sentido, é injusto e não tem cabimento racional. Fere a cidadania e tange à imoralidade. Agora, se é para completar o Fundo Previdenciário que assegura sua aposentadoria e a dos demais segurados, então outro mecanismo – justo, racional e mais apropriado – deve ser instituído na reforma previdenciária que está para ser discutida. Mas essa contribuição, do jeito que está, não pode subsistir.


José Etuley Barbosa Gonçalves etuley@uol.com.br

Ribeirão Preto


*

AJUDA PARA A VENEZUELA


50 toneladas de alimentos e remédios para a Venezuela? Eu moro em Porto Alegre, a 200 metros do Palácio do Governo do Estado do Rio Grande do Sul, e todos os dias gente miserável me pede comida, um real, alguma roupa ou um litro de leite. Remédios eles nem sabem o nome. E o Brasil envia 50 toneladas de alimentos e remédios para a Venezuela? Enviem-nas para o centro de Porto Alegre, onde centenas de pessoas e crianças moram nas ruas!


Paulo Sergio Arisi paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre


*

OS FILHOS DA ELITE BOLIVARIANA


Sobre a matéria “A boa vida dos filhos da elite bolivariana” (“Estado”, 4/3, A7), é uma crítica injusta aos filhos dos poderosos bolivarianos. Não reconhece que os seus rebentos são todos “Ronaldinho das finanças”.


Marcos Lefevre lefevre.part@hotmail.com

Curitiba


*

A VITÓRIA DA MANCHA VERDE


Parabéns à Mancha Verde pela grande conquista do inédito título de campeã do carnaval paulistano de 2019. O Palmeiras mostra que é campeão no futebol, samba e carnaval. Um clube campeoníssimo e sempre presente nos grandes eventos da cultura popular brasileira.


Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo


*

DESFILES EM SÃO PAULO


Acabou o carnaval. A Vai-Vai não foi...


A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo


*

HOMENAGENS E ACINTES


As escolas de samba do Rio de Janeiro e de São Paulo, neste carnaval de 2019, capricharam nos destaques e escorregaram nos temas escolhidos. A Gaviões da Fiel, em São Paulo, esculachou com o sagrado, jogou no lixo toda uma crença e a fé messiânica em que o mundo cristão acredita e que adotou como princípios espirituais legítimos. Escolas do Rio de Janeiro optaram por homenagear a “heroína” Marielle Franco, esquecendo-se das verdadeiras heroínas deste Brasil apequenado pelas ideologias retrógradas, que vicejam no nosso dia a dia. Se tivessem posto no tema todas as mulheres sofridas, em todas as circunstâncias conhecidas, neste país das incoerências e dos malfeitos, aí, sim, teriam os aplausos do povo brasileiro como um todo, não só os dos presentes no sambódromo carioca.


Aloisio Arruda De Lucca aloisiodelucca@yahoo.com.br

Limeira


*

PERDENDO O BRILHO


A cada ano que passa gosto menos de carnaval. A violência aumenta, a falta de vergonha aumenta, a roubalheira também, idem as agressões, enfim, o que deveria ser apenas uma festa tornou-se um espetáculo muito perigoso e desinteressante, ao menos para mim. Até o bloco “Seu celular é nosso” inventaram... Quanto aos desfiles das escolas de samba, não passam de um “déja vu”. Enfim, cansei-me disso, como muitos que conheço e outros que o declararam nas redes sociais.


Carlos E. Barros Rodrigues ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo


*

AFINAL, O MINISTRO TEM RAZÃO?


O jornal “O Globo” de terça-feira de carnaval trouxe três matérias sobre educação em que o ministro Ricardo Vélez Rodriguez ganha pontos. Primeiro, o reconhecidamente competente Cristovam Buarque, ex-ministro da Educação de Lula – dispensado por telefone – trata do tema ensino superior para todos e se alinha, com cuidado, ao novo ministro: para todos um bom ensino fundamental e médio e, assim, ensino superior para os melhores que competem em iguais condições. Paula Ferreira e Luciana Rangel vão pelo mesmo caminho da ênfase no ensino médio, trazendo substanciais esclarecimentos aos leitores, quiçá à nova gente que habita o MEC. Não pelo sotaque, mas por simples inabilidade em comunicar-se, Vélez Rodriguez choca-se com a imprensa. Falta tato e um bom porta-voz, mas Vélez tem razão.


Paulo Mello Santos policarpo681@yahoo.com.br

Salvador


*

FOCO NA EDUCAÇÃO


“Bolsonaro defende ‘Lava Jato da Educação’ no Twitter” (“Estadão”, 5/3). Realmente, é necessário sacudir a Educação como um todo, pois o produto final, o aluno, está péssimo em todas as avaliações, desde o básico até o médio e o superior. A quantidade dos analfabetos funcionais é alarmante.                         


Ulf Hermann Mondl hermannxx@yahoo.com.br

São José (SC)


*

LAVA JATO DA EDUCAÇÃO


Estimado presidente Jair Bolsonaro, há algo muito errado acontecendo no Brasil desde o seu descobrimento e, principalmente, desde a tomada do poder pelos socialistas e comunistas do PSDB e do PT. Para dar um fim na sangria desta pátria imensa e repleta de riquezas (embora já muito saqueada pelos esquerdistas e demais criminosos) é que uma parcela do povo brasileiro, consciente, o elegeu presidente da República. Depositamos imensas esperanças em que o senhor consiga reafirmar este país nos trilhos corretos da ideologia de direita, contra tudo e todos que fazem o diabo para inviabilizar o seu governo e o País.


Ottfried Kelbert okelbert@outlook.com

Capão Bonito


*

COMPARAÇÃO INVÁLIDA


Considero necessária a verificação de como são gastos os recursos destinados à Educação. Entretanto, acho que a comparação dos gastos, como porcentagem do PIB, com países em desenvolvimento não é válida. É claro que deveríamos compará-los levando em conta o PIB per capita, pois o número de habitantes, e por conseguinte o de estudantes, deveria ser utilizado  para melhor análise desses gastos. É fato que nosso PIB per capita é menos da metade do de países europeus e asiáticos, o que significa que investimos, em valor absoluto, menos da metade do que eles aplicam em Educação. Solução? Fundamental que o nosso PIB cresça bem mais que o aumento populacional, pois só assim teremos valores condizentes com as necessidades do setor.


Márcio da Cruz Leite marcio.leite@terra.com.br

Itu


*

‘UMA LUZ NO COMBATE ÀS DROGAS’


Sobre o artigo “Uma luz no combate às drogas” (4/3, A2), o Estado de São Paulo vai desenvolver nas escolas conscientização dos jovens sobre os riscos das drogas. Finalmente! Não se esqueçam de incluir cigarro e bebidas alcoólicas.


Luigi Vercesi luigiapvercesi@gmail.com

Botucatu


*

BATE-BOLA JUSTICEIRO


Preso desde 19 de novembro em Tóquio, por fraude fiscal e uso de verbas do grupo para uso próprio, Carlos Ghosn, ex-presidente da aliança Renault (tem Renan aí?)-Nissan-Mitsubishi, foi solto ontem, quarta-feira (6/3), pelo tribunal japonês, após pagar fiança de 1 bilhão de ienes (R$ 33,8 milhões). Não me surpreenderia saber que nesta folia houve injunção do libertador “workaholic” ministro Gilmar Mendes, na face de um dissimulado papangu, praticando a (in)justiça dos criminosos “bate-bolas”!


Celso David de Oliveira david.celso@gmail.com

Rio de Janeiro


*

MINHA CASA, MINHA VIDA


O governo Temer fechou, em novembro de 2018, o financiamento do programa Minha Casa, Minha Vida pela Caixa Econômica Federal (CEF). O presidente Bolsonaro prometeu reabri-lo em março de 2019. Importante que o faça, pois se fechou uma porta justamente para a classe mais necessitada da população, e agravou o já difícil déficit habitacional do setor.


Maria Ignez Aulicino Andrade aulicino.andrade@uol.com.br

São Paulo


*

HOLOFOTES ACESOS NA ALESP


O governador João Doria tudo fará para que o presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) seja do seu partido e assim possa manipular o voto dos deputados daquela Casa como se faz há mais de 20 anos. Ocorre que agora chegou o PSL, a maior bancada e cuja estrela, Janaína Paschoal, foi a deputada mais votada da história. A deputada também vai concorrer à eleição para presidente da Alesp. Seus conhecimentos jurídicos  são a ferramenta de que ela dispõe para levantar as fraudes praticadas, além, é claro, de sua vontade de moralizar a Assembleia Legislativa. Certamente, encontrará resistências, a começar pelo governador, que vai pagar a fatura dos doadores da campanha do deputado Cauê Macris. São 92 agentes fiscais de rendas que pleiteiam aumento. E como Doria pretende assumir esse aumento? Usando o dinheiro proveniente das autuações feitas por esses agentes, ou seja, a indústria das multas tão combatidas no trânsito engrossam a fila da prática imoral e costumeira dos governos. Interessante notar que o MP e a Justiça Eleitoral têm uma dificuldade incrível para multar candidatos. Já para autuar o pagador de impostos o caminho é livre. É por isso que a chegada de Janaína à Alesp está causando tanto tremor. Combatem muito as redes sociais, mas elas exercem um papel superimportante na fiscalização dessas práticas. Parlamentar comprometido com seu eleitor fiscaliza, denuncia e acende a luz onde se torce pela escuridão. Liguem seus holofotes na Alesp. 


Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo


*

AMEAÇA?


“A ameaça das redes sociais exige da TV aberta um novo conteúdo de programação” – parte do texto de autoria do radialista Francisco Paes de Barros, publicado na edição do “Estadão” de 5/3/2019 (página A2). Nada a opor quanto à melhoria da qualidade da TV aberta, pois ela é fundamental para a democratização da informação. Mas por que tachar a influência das redes sociais como ameaça? Será que a angústia detectada nas colocações de alguns profissionais da chamada mídia tradicional, em relação a elas, reside no fato de ainda não terem eles percebido que não detêm mais o poder de constituir a única janela para enxergar o mundo? É claro que há exageros, pois em muitos aspectos não se sabe ainda como lidar com o novo padrão com o qual se deve conviver, a fim de produzir o que mais se aproxima da imparcialidade, da qual – constata-se hoje, graças em parte às redes sociais – muitos dos agentes tradicionais vêm se afastando.


Paulo Roberto Gotaç pgotac@gmail.com

Rio de Janeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.