Fórum dos Leitores

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

Fórum dos Leitores, O Estado de S.Paulo

21 de outubro de 2019 | 03h00

CRISE NO PSL

Sérias ameaças

O que temíamos parece que vai acontecer mesmo, e bem antes do que poderíamos imaginar: a esquerda tomar o poder novamente. O PT e coligados assistem de camarote à briga no PSL, que, pelo andar da carruagem, vai entregar de bandeja a cabeça do presidente da República. O deputado Delegado Waldir (GO) disse que tem uma gravação que poderá implodir o presidente Jair Bolsonaro e em tom desrespeitoso chamou-o de “vagabundo”, mais de uma vez. A ex-líder do governo no Congresso Nacional, Joice Hasselmann, em resposta ao deputado Eduardo Bolsonaro, que a comparou a uma cédula de três reais, disse não temer milícias e que – como no famoso filme – ela sabe muito bem o que eles fizeram no verão passado. São duas ameaças gravíssimas, que devem ser esclarecidas o quanto antes. Afinal, o que é que consta de tão comprometedor na tal gravação, a ponto de detonar o presidente da República? Ou foi só um chilique de ciumeira do deputado Waldir? E a ameaça da deputada Joice? Sabe mesmo de coisas “cabeludas” ou se trata de mais uma de suas fantasias de perseguição vividas no período eleitoral? A única certeza que temos é que esse enredo não tem dia para acabar, pois o script todos os dias recebe fatos novos que poderão mudar o desfecho final da fita. Não sei, não, mas estou achando que a “mina de ouro” vai ficar de novo nas mãos dos bandidos. Aguardemos.

SÉRGIO DAFRÉ

sergio_dafre@hotmail.com

Jundiaí

Indigência política

Enquanto os ministros do governo vão, mal ou bem, aos trancos e barrancos, trabalhando nas suas pastas, o chefe dedica-se a digladiar com membros do seu partido, de modo deprimente e vexatório. O homem é chamado de “vagabundo” e tudo vai ficar por isso mesmo? A que nível chegamos! O Brasil, pela grandeza da sua economia, sobretudo do agronegócio, pela nobreza da sua população, por suas riquezas naturais, não tem a contrapartida esperada na estatura dos seus dirigentes nos três Poderes – Executivo, Legislativo e Judiciário. Vivemos uma indigência gritante dos nossos homens públicos. Poucos são os que se salvam.

ÉDEN A. SANTOS

edensantos@uol.com.br

Barueri

Traição aos eleitores

É impressionante a ignorância política dos militantes do partido do governo (PSL) e do próprio presidente Bolsonaro e seus filhos, que resolveram se digladiar. Nota-se claramente o silêncio dos partidos da esquerda radical, aguardando o desfecho dessa guerra por poder para depois tirarem proveito dos “mortos e feridos”. Esses senhores do PSL estão traindo os seus eleitores, que esperavam o nascimento de um novo Brasil. Pois o que estamos vendo é o nascer de um novo PT com outra sigla. Sr. presidente, governe o nosso país!

ROBERTO LUIZ PINTO E SILVA

robertolpsilva@hotmail.com

São Paulo

Desserviço ao Brasil

Diante do cenário desanimador na economia brasileira, pilar mestre de toda a sociedade, a disputa na cúpula do PSL (A estirpe e as práticas do PSL , 19/10, A3) só agrava ainda mais a situação. Essa disputa pelo controle do partido entre o presidente Bolsonaro, de um lado, o deputado Luciano Bivar (PE), presidente da sigla, e o líder do partido na Câmara, Delegado Waldir, de outro, não está de maneira alguma alinhada com o interesse nacional. Em suma: o poder é fascinante e embriagante e o Brasil “que se exploda”!

EDGARD GOBBI

edgardgobbi@gmail.com

Campinas

Que democracia?

Todos os dias vemos os ditos “representantes do povo” brigando por interesses pessoais, por vaidade, poder, para enriquecer ilicitamente. Esquecem-se do Brasil, do povo, largam à deriva educação, saúde, economia e segurança. Não vejo empenho em apresentarem projetos para melhorar a vida dos brasileiros, recuperar os empregos e acabar com a corrupção. Afinal, isso é mesmo democracia?

LUIZ CLAUDIO ZABATIERO

zabasim@outlook.com

São Paulo

Apocalipse

O nosso país está passando por um mau momento: são queimadas na Amazônia, manchas de óleo por todas as praias do Nordeste, um Congresso que já vai fazer um ano para aprovar um reforma tão importante como a da Previdência, um Supremo Tribunal que se reúne mais uma vez para decidir se pode haver prisão após condenação em segunda instância e um presidente que não consegue governar sem a teimosa ingerência dos seus três filhos. Quantos problemas! Será que Deus desistiu de ser brasileiro? Salve-nos, Santa Dulce dos Pobres!

NIVALDO RIBEIRO SANTOS

nivasan1928@gmail.com

São Paulo

Família Bolsonaro

O partido que abrigar a família do presidente da República será protagonista de um próximo capítulo do seriado que os Bolsonaros estão protagonizando: Contra Tudo e Contra Todos.

CECÍLIA CENTURION

ceciliacenturion.g@gmail.com

São Paulo

RECONHECIMENTO

Nossos heróis anônimos

Notícia de primeira página do Estadão de sábado (19/10), Três bombeiros morrem durante incêndio no Rio, me trouxe à memória um triste acontecimento de 22/10/2018, envolvendo esses profissionais. Quase à meia-noite meu marido sofreu um AVC e, diante da negativa dos hospitais de enviarem uma ambulância, o experiente zelador de meu prédio contatou o Corpo de Bombeiros da Rua da Consolação e em pouquíssimos minutos eles já o levavam para o hospital mais próximo, salvando naquele momento a sua vida. A agilidade, a competência e o espírito humanitário desses homens que agem anonimamente a serviço da população me impressionaram de forma profunda. Serei sempre grata a eles por nos socorrerem num momento de extrema angústia como aquele. Por isso, diante da notícia do Estadão, pensei na dor dos familiares que perdem seus entes queridos na busca de salvar a vida de outros. Pensei também no descaso de muitos que, diante desses fatos, não se sensibilizam, porque, segundo eles, essa foi a escolha profissional tanto de bombeiros como também de policiais, estes com os mais altos índices de mortos em serviço em nosso país. Mas será mesmo apenas fatalidade ou seria, talvez, a falta de estrutura que se observa hoje em todas as instâncias públicas, resultado das mazelas praticadas nos últimos tempos por governantes inescrupulosos?

NEIVA PITTA KADOTA

npkadota@terra.com.br

São Paulo



“Presidente Bolsonaro,

os seus apoiadores e parceiros estão mudando de lado. Muitas coisas estão erradas. Desse jeito, com o senhor vão acabar ficando somente os incompetentes dos seus pimpolhos. Pobre Brasil!”

 

EMERSON LUIZ CURY / ITU,

SOBRE A BRIGA COM O PSL

E TANTOS OUTROS DESAFETOS, AMPLIFICADA PELA ATUAÇÃO

DA PROLE PRESIDENCIAL

emersoncury@gmail.com

“Os deputados do PSL

que se opõem a Bolsonaro nem sequer teriam

sido eleitos sem ele!”

 

EUGÊNIO JOSÉ ALATI / CAMPINAS, SOBRE OS PARLAMENTARES QUE HOJE EM DIA ATACAM O PRESIDENTE

eugenioalati13@gmail.com 


*


PESQUISAS


Já estão no ar as pesquisas sobre as eleições de 2020 e 2022. Qual o sentido disso? Candidaturas “plantadas”, postes, exóticas et caterva. De ressaltar que em todas as análises o presidiário de Curitiba é arrolado e os números não lhe são favoráveis. Combinaram com quem essa dissimulação? Para recuperar a credibilidade dos institutos, no recesso do Parlamento e do Judiciário, que tal os pesquisadores saírem às ruas para apurar o índice (de zero a dez) de satisfação da sociedade com o Supremo Tribunal Federal (STF)? Qual ministro deve ser aposentado ad hoc? Com transparência, impõe-se que se apresentem aos entrevistados os nomes dos 11 ministros e a opção “todos”. Seguramente, os números tabulados nos provarão que dois mais dois voltaram a ser quatro em todas as casas do ramo, ratificando que a voz do povo é a voz de Deus. Abrindo o meu sigilo, em nome da República, declaro que minhas respostas serão radicais.


Celso David de Oliveira david.celso@gmail.com

Rio de Janeiro


*

GRATIDÃO


Segundo pesquisa divulgada, Jair Bolsonaro lidera todos os cenários em intenção de votos para a Presidência em 2022. Espera-se, afinal, que demonstre a sua imensa gratidão ao Congresso Nacional e ao STF.


Marcelo G. Jorge Feres marcelo.gomes.jorge.feres@gmail.com

Rio de Janeiro


*

CARNAVAL


Mangueira vai apresentar enredo em 2020 criticando o governo Bolsonaro e, claro, sendo do PSOL o carnavalesco, vai fazer sucesso com a “cumpanheirada”. Só acho que ele, além de ser do PSOL, deveria ser honesto e falar que o presidente da Mangueira foi preso por desvio de verba pública para o carnaval...


Marieta Barugo mbarugo@bol.com.br

São Paulo


*

A GUERRA DO PSL


Jair Bolsonaro é o primeiro presidente da República a exigir transparência financeira contra corrupção em seu próprio partido, o PSL. Embora “traído por alguns”, conseguiu expor todos aqueles desonestos numa tacada apenas, nesta guerra interna do partido. Agora entendo que há anos nosso presidente vem lutando, pode-se dizer, sozinho contra a maior organização criminosa do mundo.


Marcel Frisene marcelfrisene@hotmail.com

Ribeirão Preto


*

BRIGA DE GRUPOS


Os americanos usam com bastante propriedade o termo “pissing contest” para definir essa briga entre grupos do PSL. É um grupo mijando no outro e, quando acaba a briga, mesmo o vencedor sai bastante mijado. Ou seja, todos saem perdendo.


Luiz Rapio lrapio@yahoo.com.br

Rio de Janeiro


*

LAMBANÇAS DO PRESIDENTE


Nosso tempo está pedindo um escritor com a verve de um Érico Veríssimo quando escreveu o maravilhoso Incidente em Antares. A clã Bolsonaro e seus asseclas executam o realismo fantástico ao vivo e em cores. Pobre do “povo brasileiro”, que é obrigado a desempenhar o papel de coadjuvante nesta “comédia de erros” que desde a antiguidade romana (Plauto 205-184 a.C.) debocha e escancara a cupidez, a mediocridade e a imbecilidade de determinados homens públicos.


Marize Carvalho Vilela marizecarvalhovilela@gmail.com

São Paulo


*

EDUARDO BOLSONARO


Presidente de diretório, deputado federal, embaixador em Washington e, agora, líder do governo. Este é o super 03. Será que é tudo junto e misturado?


Celso Neves Dacca celsodacca@gmail.com

São Paulo


*

TENDA DOS HORRORES


O circo político do bolsonarismo está pegando fogo. Esta tenda dos horrores – improvisada e mal armada, repleta de aterradores Pennywises, personagens nefastos que assombram o Brasil – deve, mesmo, ser reduzida às cinzas, para que suma do cenário nacional e nunca mais seja vista. Este fogo deve ser insuflado com ímpeto. E que das cinzas renasça um Brasil que avance na economia, sem desemprego, com justiça social e corruptos na cadeia.


Túllio M. Soares Carvalho tulliocarvalho.advocacia@gmail.com

Belo Horizonte


*

JUSTIÇA E PRISÃO


Na semana que passou, os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), pela quinta vez, se reuniram para começar a decidir sobre a prisão após condenação em segunda instância. O STF votará mais uma vez sobre o mesmo assunto, numa versão moderna da “teia de Penélope”. E, como informa o Estadão, o plenário do Supremo está novamente dividido. Penso que falta à nossa Justiça, ao decidir as contendas que lhe chegam às mãos, o critério do raciocínio lógico. Sendo a guardiã da Constituição, eu, leigo, esperava que os seus ministros corrigissem as eventuais distorções existentes na aplicação da Carta Magna, utilizando tão somente o raciocínio lógico. O primeiro critério, a meu ver, seria propor diretrizes para que um processo, qualquer que fosse ele, transitasse com rapidez, pois a Justiça que tarda não é justa. Numa questão de suma importância para o País, desta vez, ocorrendo empate na votação, caberá ao ministro Dias Toffoli dar o voto de minerva. Ora, na prática, ficará valendo a opinião de um único ministro, qualquer que seja o seu voto, o que, convenhamos, não tem nenhum sentido. O ministro Alexandre de Moraes rechaçou a hipótese de que uma alteração do critério atualmente em vigor serviria como salvo-conduto de criminosos violentos, pois estes ficam presos desde o flagrante. Este é o ponto de que eu discordo, pois aquele que furta dos cofres públicos, com certeza, mata pessoas no atacado, ao privar de hospitais e outros serviços públicos essenciais a população. Não há nenhuma lógica em não considerar tal crime como hediondo. Por fim, cabe ressaltar mais uma vez que a Constituição reza que todos são iguais perante a lei, mas somente os criminosos abastados têm condições de contratar advogados especializados em encontrar brechas na legislação. Tais brechas é que mereciam a atenção redobrada do STF, para estancar esta freta de fuga de criminosos poderosos.


Gilberto Pacini benetazzos@bol.com.br

São Paulo


*

DESCULPA ANTECIPADA


A declaração de Dias Toffoli – “que fique bem claro que as presentes ações e o presente julgamento não se referem a nenhuma situação particular. Estamos diante de ações abstratas de controle de constitucionalidade” – soa como uma desculpa antecipada para o resultado do julgamento sobre a prisão em segunda instância, pois parece certo que alguns ministros do Supremo já estão acertados para libertar presos famosos e vários outro condenados que jamais irão cumprir sua pena, dada a morosidade do nosso Poder Judiciário.


José Wilson de Lima Costa jwlcosta@bol.com.br

São Paulo


*

SITUAÇÃO PARTICULAR


Parafraseando, julgamento não se refere a situação particular, só partidos de esquerda e o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil têm interesse nisso. Por que será, tem cara pálida ou outro cara?


Moisés Goldstein mg2448@icloud.com

São Paulo


*

QUEM ACREDITA?


Se formos acreditar piamente no ministro Dias Toffoli, o processo para julgamento da constitucionalidade da prisão após condenação em segunda instância não está sendo realizado tendo qualquer processo individual na mente dos ministros. Tem caráter geral. Querem fazer justiça a milhares de criminosos desapadrinhados pelo Brasil afora. Claro! Se não fosse assim, por que mencionar? Acreditamos tanto nisso quanto na qualificação técnica dele para ser juiz de primeira instância no Estado de São Paulo.


Oscar Thompson oscarthompson@hotmail.com

Santana de Parnaíba


*

MALAMANHADOS DE TOGA


O Brasil consolida-se como país subdesenvolvido quando caminha para mais um capítulo de sua turbulenta jurisprudência. Em praticamente todos os países de Primeiro Mundo um condenado já começa a cumprir sua pena antes do fim de todos os recursos, mas o Brasil, com sua inegável lentidão em todas as esferas dos seus Três Poderes, opta pelo caminho oposto. Pudera! Um Supremo que é composto por ministros que não foram juízes de carreira, ex-advogados de legendas envolvidas em corrupção e parentes de ex-políticos cassados, não poderia tomar uma decisão imparcial. Mas o que choca, mesmo, é a quantidade de vezes que uns certos malamanhados de toga colocam essa obscenidade para votar. Fosse esta Corte um local sério, seu atual presidente se declararia impedido de votar qualquer processo envolvendo o seu ex-partido. Ou seria atual?


Thiago Andrade thiagocandrade@gmail.com

Recife


*

ANALOGIA


O posicionamento da professora da FGV-SP Raquel Lima Scalcon (Estadão, 17/10) acerca do dilema interposto ao STF relativo à prisão após julgamento em segunda instância é bem objetivo e peculiar. Parabéns. Ocorre que o caput do art. 5 da nossa Constituição versa que todos temos direito à vida. Muito que bem. Se acompanharmos o raciocínio da luzente professora, fica-nos a impressão de que, tendo-nos o direito supracitado, não poderemos morrer, haja vista termos um direito adquirido. Não sou advogado nem professor, mas sei que em toda regra pode haver exceções. Não podemos abrir mão de “castigar” entes públicos nocivos à nossa sociedade. Pronto, falei.


Edmir de Machado Moura negrinho10@hotmail.com

Caçapava


*

O DEBATE


Democracia e Constituição: duas das palavras mais usadas pela esquerda para paralisar os incautos. Perguntem a qualquer um dos que mais as repetem para descrever suas origens, seu significado e comparar o atual estado no Brasil com os ideais gregos, para a Democracia, e americanos, para a Constituição. Este deveria ser o mais importante debate pelo destino nacional, não se o destino de um indivíduo sem qualquer qualificação, como Lula, deve ser ficar o resto da vida na cadeia ou ser solto para acabar o serviço de depauperação da Pátria amada Brasil, que ele apenas começou. Que democracia? Que Constituição? O próprio fato de que os partidos lulistas conseguem manter o debate pelo segundo dos dois destinos acima, virando as costas para o povo que juram proteger, prova que no Brasil não há Constituição nem democracia. É urgente que se reúnam boas cabeças que saibam descrever a origem, o significado e como as duas palavras se encontram no Brasil, para iniciar urgentemente o debate pelo destino nacional. Quanto ao destino de Lula, que Lula?


Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo


*

PODEROSO


Depois de se comparar a Jesus Cristo, a Tiradentes, de ter-se autoproclamado a “alma mais honesta” entre os brasileiros, assumido a condição de camaleão na política e de “jararaca”, a mais nova fanfarronice do apenado Lula da Silva é dizer que pretende ser a Fernanda Montenegro de Ciro Gomes. Foi mais além, declarando que não aceita nem hora para sair da prisão e que quer todos os processos anulados. O que o STF está esperando para atender ao todo-poderoso Lula da Silva?


José A. Muller josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré


*

A SEMANA


Brasil na “Semana do Lixo Zero”, que começou na sexta-feira. Brasília na semana da política do luxo ao lixo.


Paulo Sergio Arisi paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre

   

*

SANGUE ESPANHOL


Ultimamente, os congressistas de Brasília não estão saindo do lugar, muita fala e pouca ação. O eleitor está cada vez mais confuso, pois o STF está legislando e a Câmara, apostando nas arengas do centrão e buscando meios de se livrar da Operação Lava Jato. O que falta à nossa raça de políticos é fazer uma transfusão de sangue com os catalães, que atuam vigorosamente pelos seus ideais. Um dia chegaremos a ser um país com representantes mais guerreiros.


Jose Millei millei.jose@gmail.com

São Paulo


*

TEMPOS BICUDOS


Vivemos tempos bicudos. A Venezuela, país amigo, entrou em colapso, parte da população da fronteira se aloja em Roraima, que divide com os refugiados o pouco que aquela população possui. Ouvimos, todos os anos, sobre as queimadas gigantescas na Amazônia, o mundo as abomina e critica o País e seu governo, pela forma com que cuida do problema. E há algumas semanas a imprensa divulga outra tragédia: o vazamento de óleo no mar do Nordeste, matando a fauna marinha, sustento do povo nordestino, sujando as belas praias e afugentando o turismo da região. Como as coisas não estão tão ruins que não possam piorar, na semana que passou a imprensa divulgou números alarmantes (meio bilhão) sobre a mortandade de abelhas no Sul do Brasil, provocada por nova geração de pesticidas e agrotóxicos. Os técnicos e o governo que aprovaram esses defensivos sabem o que estão fazendo? O perigo que causam ao ser vivo, humanos e animais? As abençoadas abelhas são nossas fiéis escudeiras, pois realizam a polinização das plantas e da lavoura, garantido a alimentação, garantindo a vida. Precisam de carinho e de condições para continuarem seu sublime trabalho de fertilização.


José Perin Garcia jperin@uol.com.br

Santo André


*

ÓLEO NAS PRAIAS


Tantos que clamaram pela defesa da Amazônia permanecem em silêncio quanto ao vazamento de óleo de origem venezuelana, irresponsável ou criminosamente vazado no litoral brasileiro. Este desastre ambiental agride o verdadeiro pulmão da Terra. Não consigo entender o silêncio dos governadores nordestinos! Teriam engasgado com tanto óleo? Que omissão é essa?


Jomar Avena Barbosa joavena@terra.com.br

Rio de Janeiro


*

MEIO AMBIENTE


É lamentável que o governo federal fique inerte diante da poluição causada pelo petróleo nas praias e rios do Nordeste, inclusive deixando de acionar planos de emergência que visam a reduzir estes danos. Mais uma vez, está provando que é um governo contra a preservação do meio ambiente.


Darci Trabachin de Barros darci.trabachin@gmail.com

Limeira


*

FAZENDO JUSTIÇA


Antes tarde do que nunca para reconhecer algo que há anos vem sendo cobrado por pessoas idosas e mulheres, em especial aquelas com criança de colo e grávidas. Estatísticas mostram que em São Paulo mulheres, idosos e pessoas com deficiências são um grupo suscetível ao ataque de criminosos, principalmente durante o período da noite e da madrugada. Todos os dias, São Paulo registra 33 estupros, crime que cresceu 7% entre 2017 e 2019, uma realidade assustadora para as mulheres, só comparado ao que acontece em Nova Délhi, na Índia. No ano passado, foram registrados 263.115 roubos, aproximadamente 700 por dia. E os crimes contra pessoas consideradas vulneráveis aumentaram 14,3% em todo o Estado, com 8,6 mil casos no ano passado. Diante dessa realidade estarrecedora, foi proposto projeto de lei (PL) que permitira às pessoas consideradas mais vulneráveis desembarcar fora dos pontos regulares de parada no transporte metropolitano de baixa e média capacidades na região metropolitana de São Paulo. Fazendo justiça, o PL 240/2019 foi aprovado no final de setembro pela Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), e logo depois sancionado pelo governador João Doria, o que foi uma imensa vitória da cidadania em tempo recorde. Antes tarde do que nunca para enxergar o óbvio e mudar o que sempre esteve errado.


Turíbio Liberatto turibioliberatto@hotmail.com

São Caetano do Sul

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.