Fórum dos Leitores

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

Fórum dos Leitores, O Estado de S.Paulo

23 de outubro de 2019 | 03h00

AMÉRICA LATINA

Eleições na Bolívia

O cenário mais provável aconteceu na Bolívia: o presidente Evo Morales reeleito para o polêmico quarto mandato, após mudar a Constituição e desrespeitar o resultado de referendo. Uma paralisação da apuração propiciou vitória questionável em primeiro turno, ao valer a soma das atas das mesas de votação, e não a contagem manual de votos. Ou seja, evitou-se a recontagem de votos e, assim, o provável segundo turno. O candidato de oposição denunciou manipulação eleitoral ao questionar a legitimidade do resultado. Quem estabelece as regras e o sistema de apuração pode controlar o resultado. Enquanto isso, a comunidade internacional se divide entre respaldar e criticar o que se passa, por questões ideológicas.

LUIZ ROBERTO DA COSTA JR.

lrcostajr@uol.com.br

Campinas

*

Protestos no Chile

Já são 15 mortos e cerca de 1.500 pessoas presas no Chile por causa dos violentos protestos do povo contra o governo, pelo aumento do preço da tarifa do metrô de Santiago. Mesmo o presidente Sebastián Piñera tendo revogado o reajuste e decretado toque de recolher, as manifestações pelo país continuam, com saques em lojas e supermercados, veículos incendiados, etc., eventos que remetem ao pós-fim da ditadura Pinochet (1973-1990). É bom lembrar que, na América do Sul, o Chile é o país com melhor situação econômica. Neste ano deve crescer 2,5%, mais do que o dobro previsto para o Brasil, tem uma inflação de 2% e PIB per capita de US$ 20 mil, ante US$ 10 mil no nosso país. Mas, apesar de seu salário mínimo ser de R$ 1,6 mil (50% maior do que o nosso), o Chile ainda tem um índice de pobreza de 8,6% de sua população, com problemas de acesso aos serviços de saúde e educação.

PAULO PANOSSIAN

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

É visível a infiltração de baderneiros entre os manifestantes no Chile. Dos que protestam, descontentes com medidas e situações naquela nação, parcela considerável é formada por baderneiros profissionais, ávidos por causar destruição e promover a violência. Algo similar ao que se tem visto no Brasil, embora em menor escala, quando baderneiros se infiltram para desorganizar manifestações.

SÉRGIO ECKERMANN PASSOS

sepassos@yahoo.com.br

Porto Feliz

*

Esquerda e direita

Com o PT fora do governo, com o atual presidente da direita radical admirador de Pinochet, com Paulo Guedes e suas reformas econômicas, o Brasil está livre de ser uma nova Venezuela. Mas poderá ser um novo Chile.

PAULO BOIN

boinpaulo@gmail.com

São Paulo

*

SEGUNDA INSTÂNCIA

A força dos caminhoneiros

Há cerca de um século, disse o grande brasileiro Rui Barbosa: “A pior ditadura é a ditadura do Judiciário. Contra ela não há a quem recorrer”. Evidentemente, por ter vivido numa época em que o progresso dava os primeiros passos, Rui Barbosa não conhecia o poder dos caminhoneiros. Portanto, os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) que se acautelem com os caminhoneiros, sua força não pode ser negligenciada.

JOSÉ CARLOS DEGASPARE

degaspare@uol.com.br

São Paulo

*

Inovação

Pelo que se passa no STF a respeito do cumprimento de pena após condenação em segundo grau, chega-se à constatação de que jurisprudência tem prazo de validade...

MARIO HELVIO MIOTTO

mariohmiotto@gmail.com

Piracicaba

*

Círculo vicioso

Esse problema de julgamento em primeira, segunda ou terceira instância, se vai para a prisão ou não, está errado nos três pilares da Nação: Executivo, Legislativo e Judiciário. O Legislativo, porque fez ou faz leis com n possibilidades de recursos. O Executivo, porque não apura corretamente os processos na fase de instrução. E o Judiciário, pela demora nos julgamentos e muitas vezes interpretações errôneas dos magistrados. Assim ficamos numa roda sem fim.

NELSON CEPEDA

fazoka@me.com

São Paulo

*

POLÍTICA

Oxigenação

O eleitor atento e bem informado entendeu bem o recado do editorial A reação dos oportunistas (22/10, A3). Os novos políticos surgidos dos movimentos de renovação mencionados estão, ainda que a duras penas, mostrando ética, conhecimento e responsabilidade, requisitos mínimos e fundamentais para um ambiente democrático e desenvolvido. Que venha 2020.

MARIA LUCIA RUHNKE JORGE

mlucia.rjorge@gmail.com

Piracicaba

*

Caciquismo

O editorial mostra muitos aspectos da maioria dos partidos, que sofrem de caciquismo explícito. A meu ver, só faltou citar o luminoso exemplo do PT (entidade criminosa politicamente organizada), que, mais que cacique, tem um verdadeiro capo que o comanda com mão de ferro.

ULF HERMANN MONDL

hermannxx@yahoo.com.br

São José (SC)

*

MORDOMIAS ABSURDAS

Carona para parentes

Em vez de patrulharem fronteiras e o conjunto do território nacional em busca de traficantes, desmatamentos, queimadas, e agora o oceano para detectar vazamentos de óleo, é isso que os aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) e suas tripulações farão? Isto é, transportar parentes de membros do primeiro escalão do governo, como se fossem motoristas particulares? E os srs. ministros que não gostam da classe econômica que paguem do próprio bolso a executiva nos voos comerciais! Esse é o governo que alardeou que ia acabar com as mordomias?

LUIGI VERCESI

luigiapvercesi@gmail.com

Botucatu

*

EM SÃO PAULO

Tintas eleitoreiras

Já começaram as ações para a reeleição do prefeito de São Paulo. Guias e postes estão sendo pintados de branco e está acirrada a busca por fazer caixa com cobrança de impostos atrasados, multa abusiva e ameaça de cadastro negativo. Em contrapartida, buracos nas ruas seguem com cones de sinalização e semáforos piscando ou apagados têm, quando possível, um policial ajudando o trânsito. De resto está tudo igual, exceto o IPTU sempre mais caro a cada ano sem eleição.

CARLOS GASPAR

carlos-gaspar@uol.com.br

São Paulo

*

“O STF deveria fazer como os caminhoneiros: eles nunca engatam a ré subindo ladeiras...”

A. FERNANDES / SÃO PAULO, SOBRE A DECISÃO ACERCA DA PRISÃO APÓS CONDENAÇÃO EM SEGUNDA INSTÂNCIA

standyball@hotmail.com

*

“Do jeito que a Justiça é lerda, é prisão após segunda instância ou prisão após... nunca!”

EUCLIDES ROSSIGNOLI / OURINHOS, IDEM

clidesrossi@gmail.com

*

“Para o STF: ‘Lei é a razão livre de paixão’ (Aristóteles)”

LOURDES MIGLIAVACCA / SÃO PAULO, IDEM

DESASTRE NO NORDESTE


São inexplicáveis e inadmissíveis a passividade e a tranquilidade do governo brasileiro diante do desastre que acontece nas praias do Brasil contaminadas brutalmente com uma incalculável quantidade de óleo derramado em alto mar. Até o momento, o governo não teve a capacidade de apontar de onde surgiu e quem são os responsáveis pela tragédia, limitando-se a mandar limpar as praias, recorrendo, para isso, inclusive ao Exército. Com uma infinidade de satélites pertencentes às grandes potências mundiais girando em torno da Terra e enviando imagens diuturnamente, por que não solicitar apoio aos detentores destes equipamentos de alto padrão e precisão para nos auxiliar? Seria vergonha, orgulho ou falta total de bom senso?


Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo


*

FILHO FEIO NÃO TEM PAI


É lamentável o acidente marítimo, a nefasta oleosa poluição no litoral nordestino. O turismo será seriamente afetado na área atingida e é admirável o esforço até de voluntários, todos os dias, na limpeza das praias e recifes, diante do incessante reaparecimento de óleo. A tendência é de que os resquícios de óleo perdurem por alguns dias, talvez meses ou anos. No Brasil em crise, o irreparável dano ambiental e o gigantesco prejuízo financeiro agravarão a situação. O causador, seja país, embarcação ou petroleira, que não se identificou, continua anônimo e será difícil de ser conhecido. Como filho feio não tem pai, ainda não se sabe quem é o responsável, mas vale a pena insistir na investigação, agravada pelo fato de o culpado não assumir o malfeito, pois tamanho malefício não pode ficar impune.


Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES)


*

O INVERSO


O presidente Jair Bolsonaro tentou acabar com o Ministério do Meio Ambiente e, na prática, ele está alcançando esse objetivo com o brutal desmonte promovido na pasta. Os mecanismos para conter o derrame de óleo no mar não foram acionados e nada foi feito para conter o lento avanço do óleo, que se desloca no ritmo das marés. O Brasil precisa fazer exatamente o inverso de tudo o que foi feito na pasta do Meio Ambiente na gestão Bolsonaro: aumentar muito a fiscalização e as punições ao desmatamento e ao garimpo ilegal na Amazônia e investir pesado na prevenção de derrames de petróleo no mar. Este derrame que está devastando o Nordeste não é nada comparado a um derramamento de grandes proporções nas tantas plataformas de petróleo que operam em águas territoriais brasileiras.


Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo


*

‘BOLSONÓLEO’


Um óleo muito mais nefasto do que aquele que polui o litoral nordestino tomou conta do Brasil e está tirando a vitalidade de tudo o que ele alcança – pessoas, instituições e economia. Urge despoluir o País do “bolsonóleo”.


Túllio M. Soares Carvalho tulliocarvalho.advocacia@gmail.com

Belo Horizonte


*

MUTIRÃO NAS PRAIAS


Às bravas formiguinhas, resta usar sua nobreza e força, arregaçar as mangas e se empenhar em mais este trabalho, que está parecendo enxugamento de gelo, enquanto cigarras de todos os lados, em brigas de discursos, disputam a cena no palco da ideologia. Deus salve o povo brasileiro! Dá orgulho deste povo e aflição de ver isso.


Hélio Alves Ferreira hafstruct@hotmail.com

São Paulo


*

EIS O EX-FUTURO EMBAIXADOR


O ora deputado Eduardo Bolsonaro, depois de muitas grosserias, foi confirmado na liderança da legenda do PSL e, ato contínuo, destituiu uma dúzia de vice-líderes da sigla. Segundo as más línguas, ele foi confirmado na liderança para “passar despercebido” pela (certa) desaprovação do seu nome para ser vizinho do amigão Donald Trump. Pensando bem, seria uma bênção se ele fosse para os EUA e deixasse de tumultuar o nosso país. Quem viver verá!


Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo


*

ACABOU PARA O FRITADOR DE HAMBÚRGUER


Foi um sonho. Acabou no outubro rosa. O capitão caiu em si. Melhor do que cair do décimo andar, saudaria Machado de Assis. Ares do Japão fizeram bem a Jair Bolsonaro. Desistiu de insistir em tornar o rebento fritador de hambúrguer em embaixador nos Estados Unidos. Não se sabe, ainda, se o sisudo Trump continuará amigo dele. Senadores do “novo Senado” terão de inventar outra maneira de bajular Bolsonaro. Entraram em depressão coletiva. Coitadinhos. Votar pela candidatura de Eduardo era um troféu. Ficariam orgulhosos como notáveis carimbadores dos devaneios do chefe da Nação. A demanda viria depois. Viria?


Vicente Limongi Netto limonginetto@hotmail.com

Brasília


*

MISSÃO DIFÍCIL


Na sua viagem a países asiáticos e do Golfo, não vai ser fácil “vender” a imagem do Brasil com sua estagnada economia, altos e inaceitáveis índices de desemprego e violência, seu uso descontrolado/condenado da região amazônica, suas instabilidades jurídica, porque seu Judiciário não se entende, e política, provocada pelo ele mesmo e seus filhos. Boa sorte, presidente!


Omar El Seoud elseoud.usp@gmail.com

São Paulo


*

PRIORIDADE NÃO É O BRASIL


O País assiste estarrecido a mais esta briga desnecessária e infantil do presidente, de querer se apoderar do partido que o elegeu, o PSL. Trava, também, uma briga rasteira na destituição do líder do partido na Câmara, Delegado Waldir (PSL-GO), só para entregar o cargo ao seu inapto filho deputado Eduardo Bolsonaro – o mesmo que deseja ser embaixador do Brasil nos EUA, envergonhando a reconhecida tradição do nosso Itamaraty. Portanto, passados dez meses de mandato, infelizmente Jair Bolsonaro continua decepcionando. Mas deve estar muito feliz com a visibilidade que lhe oferece o poder da República. No lugar de governar, demonstra claramente que essa não é, ou jamais será, infelizmente, sua praia. Bolsonaro dispende a maioria do seu tempo do Planalto criando crises perigosas internas e externas, regadas a mesquinharias, que só vêm prejudicando o País. E mesmo não sendo o Brasil sua prioridade, Bolsonaro já se articula pensando na sua reeleição.


Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos


*

HORROR


Realmente, é inacreditável o show de horrores a que os brasileiros estão sendo submetidos pela família Bolsonaro. Depois de, em praça pública, todo o despreparo da “família real” ser escancarado, o pai, presidente do Brasil, diz que é o 03 quem decide se quer ou não ser embaixador dos Estados Unidos.


Cecilia Centurion ceciliacenturion.g@gmail.com

São Paulo


*

SÓ NO BRASIL


Os eleitores elegem um presidente e, quando ele toma posse, percebem que eles são quatro, o presidente e seus três filhos.


Maurício Lima mapeli@uol.com.br

São Paulo


*

FORÇA NOCIVA


Presidente, afaste seus filhos do Planalto antes que eles causem a implosão completa de seu governo!


Sérgio Eckermann Passos sepassos@yahoo.com.br

Porto Feliz


*

NADA MUDOU


Fundo partidário de bilhões de reais, centenas de milhares de reais pagos a gráficas para produção de santinhos na semana das eleições, candidatos fantasmas recebendo outros milhares de reais, e vêm falar, calorosamente, patrioticamente, em constitucionalidades e legalidades em favor de corruptos e criminosos, sim, este é o grande Brasil, o eterno país do futuro e o mesmo país de todos os passados mentirosos, falsos e demagogos.


Marcelo G. Jorge Feres marcelo.gomes.jorge.feres@gmail.com

Rio de Janeiro


*

FRATURA EXPOSTA


As brigas internas relativas aos partidos políticos já eram esperadas pela divisão dos valores elevados dos fundos partidários. As soluções, são no curto prazo, a reforma partidária com redução para seis partidos e a drástica redução do dinheiro público em mãos dos políticos, alternativas que cessarão os donos dos partidos com a obrigação de não se tornar uma grande família e ter revezamento na direção.


Yvette Kfouri Abrao abraoc@uol.com.br

São Paulo


*

EIS A DIFERENÇA


Há um ditado que diz “cachorro que late não morde”. Já na política tem gente calada, mas que quer morder o fundo partidário.


Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)


*

O PSL E SUA BRIGA


Estou procurando interesse público nesta briga e fragmentação do PSL, mas ainda não encontrei.


Luiz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo


*

CRISES PARTIDÁRIAS


Parece-me que os podres dos partidos políticos estão mais à tona (vide PSL). Menos hipocrisias vigoram agora, portanto? Vinte e oito anos de Jair Bolsonaro como deputado o levaram a saber que baixo clero e hipocrisia são complementares? Mas há ainda muitos recalcitrantes, como Fausto Pinato e Paulinho da Força.


Carlos Leonel Imenes leonelzucaimenes@gmail.com

São Paulo


*

É NATAL


Está se aproximando o Natal. Bolsonaro já liberou o FGTS e vai devolver antes do fim do ano os R$ 9,1 milhões retidos indevidamente na malha fina. Ele acredita no Papai Noel.


Pedro Prada Carciofi ppcarciofi@gmail.com

São Paulo


*

MERRECAS PARA LEVANTAR O PIB


O Ministério da Economia determinou que o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) vai liberar mais R$ 12 bilhões. Essa antecipação vai injetar R$ 40 bilhões na economia. As retiradas de R$ 500 não passam de panaceia que, para o correntista, não irá aliviar problemas econômicos, quando a Economia depende de consumo da sociedade. Enquanto persistirem o desemprego e um salário mínimo com rédeas retesadas, o pibinho brasileiro estará capengando, num país onde campeia a desigualdade salarial, bastando uma análise estatística de como a pirâmide de salários é tão madrasta que parece visualizar um país de nababos ou de uma sociedade de brâmanes xátrias e sudras, com sua enorme base constituída de desigualdades, que os torna intocáveis.


Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)


*

PLANO GUEDES


Paulo Guedes, como bom discípulo da Escola Liberal de Chicago e bem-sucedido banqueiro de investimentos, como demonstrado no Banco Pactual, planeja transferir a administração dos bilionários fundos da Previdência reformada e do FGTS para os bancos privados de investimento.


Paulo Sergio Arisi paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre


*

OPORTUNIDADE


Sobre o artigo A grande oportunidade brasileira do século 21  (Estadão, 22/10, B2), seria importante, toda vez que se fala da população mundial para estimativa de consumo, investimentos, etc., que também se considerasse a população de pets, estimada em cerca de 58% da população humana, o que, somados, já dá mais de 10 bilhões atualmente. Afinal de contas, cada pet equivale a uma criança, em termos de consumo (alimentos, remédios, vacinas, etc.).


Albino Bonomi acbonomi@yahoo.com.br

Ribeirão Preto


*

PRIVATIZAÇÃO


Alvissareira a notícia de que a Eletrobrás está pronta para a privatização. Mas a pergunta que sempre me fiz é se não há empresas ditas estatais que não podem simplesmente ser extintas. Quem sabe não surgem aqui, no jornal, respostas inteligentes e oportunas para ajudar o erário e o nosso bolso, reduzindo gastos.


Marco Antonio Esteves Balbi mbalbi69@globo.com

Rio de Janeiro


*

MENSALINHO FLUMINENSE


A Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) mandou soltar alguns dos seus corruptos. No Rio, 5 bandidos a mais ou 5 a menos não farão a menor diferença...


A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo


*

CAIXA-PRETA


O corporativismo sem limites na Alerj é um convite à corrupção. Aliás, tudo o que se passa ali é absolutamente sem limite. Até quando?


Ricardo C. Siqueira ricardocsiqueira@globo.com

Niterói (RJ)


*

A SEMANA NO SUPREMO


A pretexto de defender a Constituição, o dissimulado ministro Dias Toffoli colocou em pauta no Supremo Tribunal Federal (STF) o julgamento da prisão após condenação em segunda instância, apenas para beneficiar o biltre de São Bernardo. Não é possível que a Suprema Corte deste país, pela ação de alguns membros desconectados da realidade, se curve a corruptos, corruptores e ao Estado bandido. Não tenho dúvida em afirmar que o Supremo, se não mudar a postura latrinária dos senhores Gilmar Mendes, Marco Aurélio Mello, Ricardo Lewandowski e Dias Toffoli, é a única ameaça que temos em nosso país para a manutenção do nosso equilíbrio constitucional. Que o povo e as Forças Armadas estejam prontos para revidar a este ato execrável contra a nação brasileira perpetrado por quem deveria ser o guardião da ordem e das leis.


Moacyr Rodrigues Nogueira moaca14@hotmail.com

Salvador


*

CHILE SOB ATAQUE


Há um mês o presidente chileno, Sebástian Piñera, classificou seu país como o “oásis da paz” e levantou-se em defesa das acusações levianas contra o governo Bolsonaro proferidas na ONU pela ex-presidente socialista do Chile Michelle Bachelet, que de quebra ainda criticou o presidente Bolsonaro pelas queimadas criminosas na Amazônia. Lamentavelmente, agora mesmo o Chile vive uma escalada de violência sem precedentes, com muitos pontos ardendo em chamas e algumas cidades vivendo sob a atmosfera de uma selvageria sem controle. Com certeza, Piñera está amargando o veneno mortífero que os comuno-socialistas do Chile e da América Latina destilam contra seu governo, sob o silêncio cúmplice de Bachelet, que se restringiu a criticar a ação da polícia diante de violência de um grupo que usa táticas semelhantes às de guerrilheiros urbanos. É incalculável o tamanho do prejuízo que o Estado chileno terá de arcar para recuperar os estragos causados pelos criminosos, em sua maioria da esquerda. No Brasil, o senador petista Humberto Costa acusa, nas redes sociais, o governo de direita pelo caos no Chile, advertindo que em breve o governo Bolsonaro deve passar pela experiência chilena, enquanto na Venezuela o ditador Maduro elogia as ações do Foro de São Paulo afirmando que saíram melhores do que a encomenda. A esquerda, que vêm perdendo terreno na América Latina, anda raivosa, tentando conquistar o território perdido aplicando a política de terra arrasada.


Paulo R. Kherlakian  Paulokherlakian@uol.com.br

São Paulo


*

O BRASIL AMANHÃ?


As manifestações populares no Chile têm como base o reajuste de passagens de transporte coletivo e, também, do regime previdenciário, que foi implementado levando em conta a capitalização. Cabe, então, uma reflexão, ou seja, pesquisas apontam que o nível social no Brasil é preocupante. E o projeto do governo sobre a Previdência por certo terá efeitos negativos, com reflexos nos rendimentos dos futuros aposentados. É uma situação que precisa de uma avaliação sobre as formas de superar um problema de tal magnitude. Para evitar uma crise que, por certo, tende a acontecer.


Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos


*

COMPARAÇÃO


Comparem o Brasil com a situação na qual se encontram o Chile, o Peru, a Venezuela, a Argentina, o México, Barcelona, Hong Kong e a Inglaterra com o Brexit.


Eugênio José Alati eugenioalati13@gmail.com

Campinas


*

CHILE


Os povos equatoriano, chileno e boliviano estão de parabéns por enfrentarem o retrocesso social-econômico-político ao século 19. Enquanto outros continuam aplaudindo a perda de seus direitos de cidadãos. O modelo “liberal” fracassou na Argentina, fracassou no Chile e fracassa no Equador.


Tibor Rabóczkay trabocka@iq.usp.br

São Paulo


*

BULLYING


O que o tal MC Gui fez com a menina no trem da Disney é absolutamente normal para o tipo de indivíduo que eu chamo de “desclassificado”. É gente estúpida, baixa, que não teve educação em casa.


Marcelo Melgaço melgacocosta@gmail.com

Goiânia 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.