Fórum dos Leitores

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

Fórum dos Leitores, O Estado de S.Paulo

09 de novembro de 2019 | 03h00

CRIME E JUSTIÇA

Morreu

Sim, a esperança ingênua de que o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) decidisse pela prisão após condenação em segunda instância, elevando-se à categoria de grande brasileiro, morreu. Na verdade, era o mais provável. Depois de laudas e mais laudas de autoelogio à alta produtividade do colegiado, ateve-se simplesmente ao que está escrito. Friamente ignorou o anseio da população, que clama pelo fim da impunidade. Democracia que ignora a opinião do povo? Pobre povo... A corrupção comemora. E agradece!

DÉCIO ANTÔNIO DAMIN

deciodamin@terra.com.br

Porto Alegre

*

Vergonha

A manchete de todos os jornais do País após a decisão do STF deveria ter sido Vergonha! A questão da prisão em segunda instância só veio à tona por causa de um único preso, Lula da Silva. Não interessa se condenados por homicídio também serão libertados com a decisão. O importante é soltar Lula, o mentor do maior esquema de corrupção da História montado para desviar dinheiro público. Vergonha. Isso é um tapa na cara da população brasileira. Vergonha.

ELISABETE DARIM PARISOTTO

beteparisotto@gmail.com

São Paulo

*

Ave, STF!

Os que foram, estão sendo e serão roubados pelos “inocentes injustiçados em segunda instância” te saúdam! Institucionalizada a falta de vergonha e firmada jurisprudência com súmula vinculante, ninguém mais se assusta. Será um amplo, geral, irrestrito e recursal Estado Democrático de Direito... à roubalheira cínica, desavergonhada, hipócrita e impune. Afastada a justiça, a lei é inócua e só serve ao poder financeiro. Com controle supremo de qualidade, a bandidagem ostentará, tranquila, o selo da impunidade recursal.

A. FERNANDES

standyball@hotmail.com

São Paulo

*

Nova Lei Fleury

Depois de muito tempo e custo, em 7 de novembro de 2019 foi criada a Lei Lula...

CARLOS GASPAR

carlos-gaspar@uol.com.br

São Paulo

*

História?

Muitos brasileiros usaram as redes sociais e os jornais para pedir que o ministro Dias Toffoli, com seu voto de Minerva, entrasse para a História. Ledo engano. Toffoli não está preocupado com sua história, e sim em ser fiel ao seu senhor.

MAURÍCIO LIMA

mapeli@uol.com.br

São Paulo


*

Retrocesso

Infelizmente, com essa decisão de Toffoli o Brasil regrediu. Nós nunca chegaremos a ter um país com leis de Primeiro Mundo porque sempre alguém arruma uma brecha para beneficiar os que infringem as leis. O Brasil volta à idade das trevas.

JOSÉ CLAUDIO CANATO

jccanato@yahoo.com.br

Porto Ferreira

*

Corações e mentes

Obrigada, ministros Edson Fachin, Luís Roberto Barroso, Alexandre de Moraes, Cármen Lúcia e Luiz Fux! Perdemos uma batalha, mas vamos ganhar a guerra. A luta iniciada por jovens idealistas conquistou mentes e corações nesta terra.

LILIA HOFFMANN

liliahoffmann@yahoo.com.br

São Paulo

*

Sem futuro

Na vida real funciona assim: se o sujeito tem dinheiro e poder, os “homens da lei” agem de acordo com a toga. Os poderosos traficantes comandam de dentro dos presídios suas quadrilhas para patrocinarem a desordem e estabelecerem o conceito do quem manda no pedaço. Os poderosos políticos corruptos comandam de dentro de presídios e gabinetes seus “correligionários” a manipularem as leis e estabelecerem a desordem política e social, dentro do mesmo conceito de quem manda no pedaço, digo, País. A legislação sobre prisão em segunda instância está presente desde 1988. O STF já modificou sua legalidade várias vezes. Como pode um país ter futuro, se os políticos e juízes sempre voltam ao passado? Daí por que o Brasil é o país do futuro que nunca chega!

ARNALDO VIEIRA DA SILVA

arnaldosilva1946@gmail.com

Aracaju

*

Nem tudo está perdido

O STF optou pela interpretação literal da nossa Constituição, proibindo prisão do réu antes de esgotados todos os possíveis recursos, o chamado trânsito em julgado. Acontece que neste nosso Brasil esses recursos se arrastam por décadas, acabando o mais das vezes em impunidade. Muito bom para ricos e seus advogados, mas desastroso para a sociedade. E com certeza não era esse o desejo dos nossos constituintes. Mas nem tudo está perdido, pois essa disposição não consta de cláusula pétrea e pode ser alterada por proposta de emenda constitucional (PEC). Está, portanto, nas mãos do nosso recentemente renovado Legislativo confirmar a prisão após condenação em segunda instância, vital para o combate à corrupção e ao crime organizado. Esse é um dos maiores desejos da sociedade brasileira.

LUIZ ANTONIO RIBEIRO PINTO

larprp@uol.com.br

Ribeirão Preto

*

Bola da vez

Já que Suas Excelências, como exigem ser chamados os ministros do STF, do alto de seu saber jurídico e encastelados em sua ilha da fantasia decidiram pela impunidade – dos mais ricos e poderosos – com a prisão só após o trânsito em julgado, cabe agora aos congressistas honrar seu mandato e os votos recebidos e fazer prevalecer a vontade da imensa maioria da população que os elegeu, aprovando a PEC que autoriza a prisão em segunda instância com a mesma rapidez com que aprovam seus próprios aumentos de salários, benefícios e fundos eleitorais.

CELSO NEVES DACCA

celsodacca@gmail.com

São Paulo

*

Impunidade

Chegou a hora de saber quem são os parlamentares que têm interesse na impunidade. Isso se Rodrigo Maia, na Câmara dos Deputados, e Davi Alcolumbre, no Senado, puserem na pauta para discussão a prisão em segunda instância. A conferir...

LUIZ FRID

luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

Chegou a hora de o Congresso Nacional consertar essa “gambiarra” de parte dos membros do STF. Mãos à obra!

JOSÉ ED. ALMEIDA MACHADO

jecameng@hotmail.com

São Paulo

*

“Como é possível proteger a Constituição de um país desprotegendo toda a população?”

MARCELO GOMES JORGE FERES / RIO DE JANEIRO, SOBRE O TRÂNSITO EM JULGADO

marcelo.gomes.jorge.feres@gmail.com

*

“Seis ministros do STF entregaram aos caros criminalistas as chaves dos cofres ocultos dos corruptos presos. As comemorações serão intensas”

FRANCISCO AZEVEDO FIGUEIREDO / MARÍLIA, IDEM

flaviadabus@gmail.com

*

Éramos seis supremos na contramão, atropelando a Justiça de toda a Nação”

PAULO SERGIO ARISI / PORTO ALEGRE, IDEM

paulo.arisi@gmail.com

QUANDO O CRIME COMPENSA


Votos constrangedores e votos políticos mostraram ao Brasil que o crime compensa (Por 6 a 5, STF muda entendimento e se posiciona contra a prisão em segunda instânciaEstadão, 8/11). Compensa, quando se é rico e se pode pagar poderosíssimos advogados, que garantem a impunidade usando chicanas e mudando a lei sob os olhares de um Congresso adormecido – adormecido por conveniência, é claro. Onde estão os parlamentares que foram eleitos para proteger os brasileiros que pagam esta farra? Na casa da mãe Joana, prevalece o surrado ditado “meu pirão primeiro”, o resto é resto. A camarilha só pensa no próximo mandato e abre mão de seu papel legislador, deixando a quem não tem votos decidir quem a lei deve proteger. O Supremo Tribunal Federal (STF) enterrou a esperança daqueles que clamam por justiça. Brasil, um país de tolos, governado por “expertos”.


Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo


*

2.ª INSTÂNCIA X TRÂNSITO EM JULGADO


O STF, a mais alta instância do Judiciário brasileiro, muda de opinião como quem troca de roupa, enquanto a democracia dos interesses varia de acordo com a maré. Simples assim, o resto é teatro.


Ricardo C. Siqueira ricardocsiqueira@globo.com

Niterói (RJ)


*

SURDOS


Que a Justiça é cega eu já sabia. Só não esperava que fosse também surda ao clamor das ruas. Diante dessa constatação, sugiro que a próxima lista de indicados para preencher vaga no nosso Olimpo seja composta pelos nomes de especialistas no assunto, isto é, médicos otorrinos, já que o tal de “notório saber jurídico” pode significar tudo, menos sensibilidade aos anseios da sociedade.


Paulo Isamu Uehara paulouehara119@gmail.com

São Paulo


*

DECISÃO DO STF


Sete de Novembro de 2019: Dia da Vergonha Nacional.


Robert Haller robelisa1@terra.com.br

São Paulo


*

ACONTECEU


O Brasil amanheceu muito menor do que já era, pois, no dia 7 de novembro de 2019, foi jogado às trevas. A destruição do Brasil aconteceu!


Vanderlei Zanetti zanettiv@gmail.com

São Paulo


*

NOS TRILHOS DA CORRUPÇÃO


Noticiou Fausto Macedo (8/11): “Advogados dizem que Supremo ‘recolocou o País nos trilhos da Constituição’”. Cáspite! Fossem as milionárias bancas de Direito e seus agentes, todos fartamente providos pelo imundo dinheiro do crime, fiéis à ética, à ordem e ao juramento de graduação, sem ganância pecuniária e proselitismos, diriam, alinhados com a sociedade, que o Supremo recolocou o País nos trilhos da corrupção. Quanta cara de pau! STF, vergonha nacional! O Brasil é maior do que toda esta medíocre turba.


Celso David de Oliveira david.celso@gmail.com

Rio de Janeiro


*

O CONTO DO VIGÁRIO


Presunção de inocência, o novo Conto do Vigário.


Marcelo G. Jorge Feres marcelo.gomes.jorge.feres@gmail.com

Rio de Janeiro


*

VIDE ARGENTINA


A derrubada da prisão após condenação em segunda instância, decretada pela Corte Suprema, com a consequente possibilidade de libertação de corruptos que cumpriam penas, como Lula da Silva, e a baixa capacidade de visão do eleitor brasileiro, aliada à sua diminuta memória, já demonstrada em ocasiões anteriores, sugerem que a sociedade brasileira corre sério risco de ver retornar ao poder, talvez já em 2022, um esquema que, ao longo de mais de 13 anos, fracassou ao tentar implantar um projeto de protagonismo partidário de esquerda, estranho à índole do povo e danoso à economia, que, dilacerada, luta hoje por difícil recuperação, diante da magnitude dos desatinos cometidos, tendo de enfrentar sérios obstáculos para retomar um ritmo normal, via adoção de medidas às vezes impopulares visando a minorar o sofrimento de milhões de desempregados que surgiram como resultado. Vide Argentina.


Paulo Roberto Gotaç pgotac@gmail.com

Rio de Janeiro


*

JUSTIÇA DESPREZADA


Com o voto de Minerva do presidente do STF, ministro Dias Toffoli, desempatando o placar de 5 a 5 para 6 a 5, o STF proibiu prisão após 2.ª instância. Tão importante decisão está ocasionando graves consequências, como a que acabou de acontecer ontem mesmo, com o pedido de soltura da prisão do ex-presidente Lula, e outros, como José Dirceu. Esta decisão do Supremo também é vista como derrota da Lava Jato e ainda pode beneficiar 4.895 presos no Brasil, segundo o Conselho Nacional de Justiça. A Corte fundamentou sua decisão, entendendo “que um condenado tem o direito de aguardar em liberdade até o fim de todos os recursos”, isto é, processual-juridicamente falando, até que a decisão transite em julgado. Outro grave resultado importantíssimo, a Corte desesperançou o anseio da maior parte da população, por ver a justiça ser desprezada no presente caso.


Antonio Brandileone abrandileone@uol.com.br

São Paulo


*

PUXADINHO DOS PODEROSOS


O voto de Minerva do presidente do STF, Dias Toffoli, já era esperado, mas não ético. Houve tempo em que o STF era independente. Menos político e mais responsável em cumprir sua missão como guardião da nossa Constituição. Toffoli foi advogado do PT. Amigo intimo do ex-presidente Lula, o mais interessado no fim da prisão em 2.ª instância. Só isso já seria motivo para que ele se manifestasse impedido de votar, coisas que aconteciam no STF do passado. Mas o de hoje mais parece puxadinho dos poderosos corruptos.


Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo


*

DESTAQUE


O STF, depois de várias sessões, decidiu, com o voto de desempate de seu presidente, que os réus não podem ser presos após a condenação em segunda instância, apenas depois do trânsito em julgado. A repercussão disso, como não poderia deixar de ser, dá destaque à libertação do ex-presidente Lula. Assim, de alguma forma a questão política ocupa um espaço que não é muito positivo. O que deve ser levado em consideração, agora, é o direito dos condenados de recorrerem das sentenças até a última instância. E mais: que a tramitação processual seja mais rápida em todas as instâncias.


Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos


*

ELE QUERIA?


Defesa do “cara” já conseguiu que ele seja solto. Mas ele não havia dito que não queria sair da prisão?


Moisés Goldstein mg2448@icloud.com

São Paulo


*

BAZÓFIA


Não esquecer que Lula não foi inocentado. Só não vai ficar preso, o que é uma verdadeira bazófia.


Luiz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo


*

EXPRESSO DA VERGONHA


Parabéns, excelentíssimo presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli. Mediante sua genial posição, teremos solto entre nós o maior responsável por introduzir e induzir a prática da corrupção no Brasil, o ex-presidente Lula da Silva, com a agravante inevitável de aproveitar a deixa para livrar da prisão, junto com ele, mais algumas dezenas de bandidos que embarcarão no mesmo expresso da vergonha.


Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo


*

LIVRES


Fiquei meio desconfiado do quem vem ocorrendo no Brasil. Primeiro, liberam as armas. Depois, permitem libertar o Lula. Será que faltavam os alvos? Que se cuidem quem teme!


José R. de Macedo S. Sobrinho joserubens@jrmacedoadv.com.br

São Paulo


*

O ‘NEM-NEM’ DO JUDICIÁRIO


Showzinho deprimente ver o Dias Toffoli, menino de recado do Lula, fingindo ter um ataque histérico por causa da quantidade de assassinatos impunes no Brasil e culpando o sistema investigativo. O jornalista Carlos Sardenberg não deixou por menos: disse que o que falta é uma Lava Jato dos crimes violentos – “resolve rápido o problema da impunidade”. É isto: nem-nem, nem Lava Jato do combate à corrupção nem Lava Jato do crime violento, graças ao esvaziamento da lei de segurança pública proposta por Sérgio Moro. O problema é que este país tem muita saúva e muito hipócrita miserável à solta.


Olimpio Alvares olimpioa@uol.com.br

Cotia


*

TRISTE ESPETÁCULO


Foi muito triste assistir àquele espetáculo circense que resultará na libertação dos poderosos de colarinho branco da cadeia, começando pelo chefe de todos.


Ariovaldo Marques arimarques.sp@gmail.com

São Paulo


*

TREVAS


stf (minúsculas, mesmo)  acaba de jogar nosso país nas trevas da impunidade, da insensatez e da discórdia e nos embates entre a verdade (mesmo desenhada) e a mentira recitada milhares de vezes, aguardando que seja finalmente engolida como uma verdade absoluta. O País está de luto: a escuridão prevista pela inconsequente decisão do sr. Dias Toffoli, na qual a abstração andou solta, além da comparação entre homicídio x lavagem de dinheiro, justiça no andar de cágado x corrupção oficial sistêmica e outras comparações esdrúxulas, nunca entrando no cerne da questão que levou o stf (minúsculas, mesmo) a pautar mais uma vez o assunto: a liberdade do chefe maior da petezada, dos esquerdopatas socialistas e dos dinossauros comunistas. Agora é esperar e rezar, porque este “elemento” solto (ainda que condenado) vai incentivar seus adeptos à vingança, que para eles é realmente a “cláusula pétrea”. Deus salve nossa Pátria!


Aloísio Arruda De Lucca aloisiodelucca@yahoo.com.br

Limeira


*

MESMICE RIMADA


Após o enfadonho e costumeiro latinório, a confirmação com jurisprudência: quem tem grana não vai em cana...


A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo


*

GRATIDÃO


A gratidão é uma das mais nobres e raras virtudes humanas. A história está repleta de casos de criaturas voltando-se contra seus criadores. Brutus assassinando César é um dos clássicos dessa realidade. Podem-se questionar os cabedais jurídicos do ministro Dias Toffoli, duas vezes reprovado em concursos para a magistratura de São Paulo, mas justiça lhe seja feita por sua gratidão, retribuindo a José Dirceu e companhia tudo o que lhe foi dado.


Hélio de Lima Carvalho hlc.consult@uol.com.br

São Paulo


*

MORTE ANUNCIADA


Penso que ninguém se surpreendeu com o decantado fim do julgamento no STF, a não ser alguém que tenha vivo o DNA da famosa personagem, a velhinha de Taubaté. Ontem ouvi numa rádio um comentário que não deixa de ser curioso: “O voto como pagamento da toga”. Forte isso, não? Analisando os fatos concretos por outro ângulo, também me perguntei o que aconteceu com o instituto da suspeição. Sim, porque parece ter sido morto e enterrado por determinadas excelências, há algum tempo. Morte anunciada, não nos enganemos. E descem as cortinas.


Ana Luisa Godinho Ariolli analuariolli@hotmail.com

São Paulo


*

VITÓRIA DE PIRRO


Sobre a matéria Lula já vai pedir liberdade, publicada no Estadão em 8/11, mais uma vez o Supremo votou no espírito do “pro latro semprer”, o que deve ter mostrado que os ministros nomeados pelo PT e os garantistas tinham um compromisso oculto e suposto, de libertar Lula numa hora “h”. Todavia, apesar dos litros de cachaça tomados em comemoração, isso foi uma vitória de Pirro, pois todos os processos contra continuarão tramitando, fora do que virá em acréscimo. Agora também haverá espírito no Legislativo para emendas à Constituição que tirarão o gás argumentativo dos ministros(as) comprometidos(as) com a bandidagem comum e política, em nome de princípios abstratos, distantes e fora da realidade social. Nunca se pode excluir também que, a partir de hoje, haverá clima para instauração de processos de impeachment no Senado de ministros que exorbitaram muito e abusaram de suas competências, transformando a corte constitucional em algo assemelhado a um simples e reles juizado de porta de cadeia da baixa politicagem.

                         

Ulf Hermann Mondl hermannxx@yahoo.com.br

São José (SC)


*

NEM TUDO ESTÁ PERDIDO


Se você pensa que foi o fim do mundo a recente decisão do STF, está enganado. Afinal, as excelências um dia se aposentam.


Paulo Tarso J. Santos ptjsantos@yahoo.com.br

São Paulo


*

SEQUELAS


Para iniciar o que quero falar, todos os ministros de Justiça deveriam ser juízes de carreira, no mínimo.  Na minha opinião, os culpados do acontecimento de quinta-feira não são os ministros do STF. A culpa é de quem os colocou lá! Sim! Ainda o Brasil sente as sequelas do governo PT, pois a maioria dos que estão lá no STF foi indicada por Dilma e Lula. Ainda estamos sentindo sequelas do governo que teve início em 2003.


Marcel Frisene marcelfrisene@hotmail.com

Ribeirão Preto


*

DO SOFÁ


Acordem, brasileiros acomodados, antes que a venezuelização e a cubanização cheguem ao Brasil! Saiam do sofá e vamos exigir a moralização deste país, do STF, do Senado e da Câmara federal, carunchados e carcomidos pela corrupção. Vamos às ruas enquanto há tempo. Não podemos deixar os comunistas levarem o que é nosso. Eles que vão trabalhar.


Benone Augusto de Paiva benonepaiva@gmail.com

São Paulo


*

INDIGNAÇÃO


Tal como o traidor Joaquim Silvério dos Reis, fazendeiro e proprietário de minas que, diante da possibilidade de ter suas dívidas perdoadas pela Coroa, resolveu delatar os inconfidentes, deixando como mártir da Inconfidência Tiradentes, assim também nos dias de hoje juízes pouco idôneos do STF, mirando seus próprios interesses pessoais, financeiros e/ou políticos, venderam a toga, deixando como mártir principal Sérgio Moro e a Operação Lava Jato, e mais toda uma nação ultrajada e atônita diante da ousadia e do poder dos corruptos. Soltam-se milhares de criminosos, capitaneados pelo capo que inspirou o teor desta sentença ultrajante: “Lularápio” da Silva. E nós vamos neste sábado, dia 9/11, às ruas deste país, com chuva ou sol, gritar nossa indignação. É o que nos resta diante da perspectiva de domínio do Foro de São Paulo em toda a América Latina. Resiliência e coragem não nos faltam!


Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo


*

TAPA NA CARA


Baixaria no programa Pânico, da Rádio Jovem Pan: o falso jornalista e receptador de áudios criminosos de hackers – que estão presos – Gleen Greenwald, que teve também ajuda da deputada Manoela D’Ávila (PSOL-RS), durante entrevista no programa Pânico, ofendeu o renomado jornalista Augusto Nunes, chamando-o de “covarde” por cinco vezes. Sentindo-se ofendido, sem outra opção, Nunes desferiu em Greenwald um bom tapa na cara, talvez com menos força com que boa parte do povo brasileiro gostaria de fazê-lo. O diretor do site The Intercept Brasil, muito amigo do PT, divulgou, mancomunado com os petistas, os áudios cujo conteúdo ele supõe que integrantes da força-tarefa da Operação Lava Jato tinham como objetivo prejudicar o ex-presidente Lula.


Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos


*

‘PÂNICO’


Covarde é o sr. Greenwald, que, junto com criminosos do PT, conspira contra o bem de nossa nação e patrocina, por meio das atividades obscuras e escusas do Intercept, atividades ilícitas contra autoridades.


Sérgio Eckermann Passos sepassos@yahoo.com.br

Porto Feliz


*

O POVO EM PÂNICO


Quando jornalistas se agridem fisicamente por causa das porfias ideológicas (abaixo o termo fla-flu!) – Augusto Nunes versus Glenn Greenwald, dois machões –, o povo fica em “pânico” e com receio de ser “interceptado”!


Ney José Pereira neyjosepereira@yahoo.com.br

São Paulo


*

TROCA


Não troco meia sola de sapato de Glenn Greenwald por uma sapataria inteira de Augusto Nunes.


Vicente Limongi Netto limonginetto@hotmail.com

Brasília

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.