Fórum dos leitores

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

Fórum dos leitores, O Estado de S.Paulo

11 de novembro de 2019 | 03h00

CORRUPÇÃO

Velho Pinóquio bravateiro

Após um ano e sete meses preso, Lula está solto. Não livre, como querem alguns. E não por presunção de inocência, mas pelo imbróglio de um Supremo Tribunal Federal (STF) “acovardado”, segundo o próprio, e de um Dias Toffoli muito agradecido. Lula demonstra que todo esse tempo na cadeia não lhe ensinou nada de aproveitável. Continua cínico, arrogante, mentiroso e manipulador. Diz que viu na TV dados do IBGE de que 13,5 milhões de brasileiros estão na extrema pobreza, vivendo com menos de R$ 145 por mês, tentando – e conseguindo para muitos – atribuir essa “façanha” ao atual governo. Com a tradicional falta de escrúpulos, Lula “lembrou de se esquecer” de que os dados do IBGE se referem a 2018 e refletem anos anteriores. E também que o contingente dos extremamente pobres vem aumentando desde 2013, no governo Dilma, que levou a economia a encolher quase 7%, fazendo a taxa de desemprego pular de 6,4% para quase 12% – 13 milhões de trabalhadores. Com a eterna ânsia pelo poder, obviamente nem Lula nem o PT vão admitir que o caos econômico que ora vivemos – e vai se agravar após o desfecho dado pelo STF, evidenciando total falta de segurança jurídica para os investidores – se deve à péssima atuação dos governos petistas.

CARMELA TASSI CHAVES

tassichaves@gmail.com

São Paulo

Milionário

A fortuna arrecadada por Lula enquanto foi presidente do Brasil é incompatível com a presunção de inocência preconizada pela nossa Constituição.

ROBERTO TWIASCHOR

rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

Não aprendeu nada

Lula já saiu fazendo o que sabe melhor: discurso de ódio, acusações e ataques gratuitos a todos os que ousam questioná-lo. Perdeu uma boa oportunidade de aproveitar o tempo que passou em seu retiro de luxo para evoluir como ser humano e, quem sabe, até se transformar num cidadão mais bem-educado.

VERA BERTOLUCCI

veravailati@uol.com.br

São Paulo

Aberração

Peraí! Que país do mundo permitiria que um condenado pela Justiça em duas instâncias, com toda a avaliação das provas esgotada, fosse premiado pelo Poder Judiciário com liberdade por muitos anos, até a prescrição de seus crimes, e ainda, nesse interregno, que o criminoso condenado pudesse sair por aí, sem restrições regulatórias, chamando o juiz que o condenou e o presidente da República, em cadeia nacional de TV, de canalhas e outros xingamentos? Em qualquer país com um mínimo de autorrespeito o delinquente premiado perderia a liberdade imediatamente, além de ter a pena agravada. Essa aberração que presenciamos no Brasil só acontece em sociedades que perderam todos os parâmetros primários de decência e justiça. Isso tudo me dá muita vergonha.

OLIMPIO ALVARES

olimpioa@uol.com.br

São Paulo

Eterna cantilena

Quando acabar de atacar Moro e Bolsonaro o discurso de Lula estará irremediavelmente esvaziado. Enquanto isso teremos de aguentar a cantilena.

SANDRA MARIA GONÇALVES

sandgon46@gmail.com

São Paulo

Multirréu

Afinal, o que o Lula está alardeando tanto? Ora, ele não foi absolvido, foi solto por uma, digamos assim, suprema “maracutaia”. Continua condenado e ainda respondendo por vários crimes de corrupção.

WALTER ROSA DE OLIVEIRA

walterrosaoliveira@gmail.com

São Paulo

O ‘mais honesto’

A decisão do Supremo está confundindo muitos brasileiros. O fato é que a decisão de manter o condenado em liberdade até o trânsito em julgado da sentença não lhe concedeu atestado de honestidade. Lula foi liberado da cadeia por essa esdrúxula decisão, mas continua condenado como o maior corrupto da História do Brasil e um dos maiores do mundo. Continua sendo o político que levou o Brasil à maior crise de que se tem notícia e promoveu o maior aparelhamento do Estado. O povo não é tão ingênuo como o PT acha e está cansado de suas mentiras. Lula está solto, mas continua preso na consciência dos brasileiros de bem.

OLAVO BRUSCHINI

o.bruschini@terra.com.br

Monte Azul Paulista

Lula me fez chorar

É a terceira vez que Lula me faz chorar. A primeira foi em 1.º de janeiro de 2003, no seu discurso de posse como presidente. Fiquei emocionado com a sua fala, direcionada aos menos favorecidos do nosso país. Até me arrependi de não ter votado nele. A partir daquela data, conforme anunciou, estava decretado o fim da pobreza no Brasil. Fome seria coisa do passado, os pratos na mesa ficariam abarrotados. Estava lançado o plano de segurança alimentar, o Fome Zero. Ficou no discurso. A comida do pobre não aumentou, mas a corrupção cresceu assustadoramente durante os seus dois mandatos. Em 7 de abril de 2018 voltei a chorar copiosamente. Eu via a prisão de um ex-presidente da República condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Dizendo-se o homem mais honesto do mundo, não conseguiu provar sua inocência. A prisão mostrou que não era só ladrão de galinha que ia para a cadeia no Brasil. Finalmente, em 8 de novembro de 2019, ele me fez chorar novamente. Vê-lo solto me abateu muito. Sei que a partir de agora a companheirada vai fazer de tudo para que o governo do presidente Jair Bolsonaro não vá bem. Esse trânsito em julgado vai ser um desastre para os brasileiros que clamam por justiça. Srs. parlamentares, mudem isso. Pensem nas vítimas dos criminosos.

JEOVAH FERREIRA

jeovahbf@yahoo.com.br

Taquari (DF)

Muito errado

Prenderam um morador de rua que furtou uma bicicleta dos serviços de locação e soltaram um larápio que roubou milhões de reais que poderiam ser investidos justamente no cidadão que roubou a bicicleta. Há algo de muito errado no reino lulista.

JOSÉ ROBERTO IGLESIAS

rzeiglezias@gmail.com

São Paulo

Iguais perante a lei?

Já libertaram os poderosos, que pagam fortunas aos advogados com dinheiro roubado do povo. Quando serão libertados os “pés de chinelo” que não roubaram nada mais que uma galinha e não conseguem contratar um advogado que aceite uma coxa ou um peito como honorários?

CARLOS ALBERTO ROXO

roxo.sete@gmail.com

São Paulo

“Se descuidar da Amazônia prejudica nosso comércio exterior, imaginem o que a insegurança jurídica do voto sobre a prisão em segunda instância pode vir a causar!”  

TANIA TAVARES / SÃO PAULO, SOBRE OS PREJUÍZOS

PARA O BRASIL DECORRENTES

DO 6 X 5 NO STF

taniatma@hotmail.com

“Lula solto é pior do que as queimadas na Amazônia e o óleo nas praias”  

ROBERT HALLER / SÃO PAULO, IDEM

robelisa1@terra.com.br

“Ódio e guerra é só o que Lula sabe semear”

SÉRGIO ECKERMANN PASSOS / PORTO FELIZ, IDEM

sepassos@yahoo.com.br

DESALENTO


Este é um país triste! Estou profundamente decepcionada e desalentada com a recente decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que revoga a jurisprudência sobre prisão em segunda instância. Pouco interessam toda a verborragia jurídica e o tempo utilizados para justificar a decisão. Todos os seus membros apresentaram um discurso efusivo e contundente contra a corrupção, mas quando chega a hora de decidir por combatê-la, a coisa muda de figura! Estamos diante de um caso de simples casuísmo? Não é o que se espera da Suprema Corte! Vergonha! Falta à nossa Justiça o compromisso básico com a lógica clássica de Aristóteles e com os princípios do Direito: um réu (não importa quem seja ele), se julgado culpado por duas instâncias, formadas por profissionais idôneos e competentes, não terá direito a recurso, uma vez que as provas foram apresentadas e culminaram com a sua condenação. Este réu não pode mais ser considerado inocente! Falhas processuais não justificam o não cumprimento da prisão, uma vez que a culpabilidade do réu já foi comprovada. O trânsito em julgado é uma excrescência de nosso aparato jurídico que necessita ser revista com urgência por quem de direito.


Ingrid Goeritz ingridgoeritz@gmail.com

Vinhedo


*

SEGUNDA INSTÂNCIA


Até as paredes do Legislativo sabem que uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC) para validação da prisão após condenação em segunda instância do Judiciário não será objeto de aprovação por aquele Poder, graças, obviamente, ao número de parlamentares envolvidos em processos de corrupção e aos que pretendem envolver-se graças à impunidade consagrada.


Ademir Valezi valezi@uol.com.br

São Paulo


*

LULA LIBERTO


O cara é o “mais honesto” deste país, tem dezenas de advogados, mas foi mais fácil mudar a lei do que provar sua inocência.


Moisés Goldstein mg2448@icloud.com

São Paulo


*

HAJA!


O Brasil não consegue se livrar de Lula. Agora, haja ouvidos e estômago!


J. S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo


*

O PRIMEIRO ENCONTRO


O ex-ministro José Dirceu se reencontrou com Lula na noite de sexta-feira e disse que é preciso trocar a bandeira do “Lula livre” pela da retomado do poder, deixando claro que eles defendem o socialismo. De todas as perguntas e questões que podem surgir desse singelo fato, realço apenas duas: isso significa retomar a Petrobrás? E, ainda, isso significa a conciliação do socialismo com o capitalismo, porque, se não, então, além de anacrônicos estão mal informados sobre a ciência História.


Marcelo G. Jorge Feres marcelo.gomes.jorge.feres@gmail.com

Rio de Janeiro


*

O CANDIDATO IDEAL


Temos de agradecer ao STF por produzir o candidato ideal para disputar com Jair Bolsonaro as eleições de 2022, no bicentenário da Independência. Lula vai enfrentar um adversário como “nunca teve antes neste paiz (sic)” e conhecerá a verdade. Os eleitores conhecerão o pior de Lula, e o melhor de Bolsonaro e decidirão conscientemente. Viva o STF! Viva o Brasil!


Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo


*

SEIS CONTRA 57 MILHÕES


Os seis ministros que votaram a favor de Lula reverteram o resultado das eleições. Seis contra 57 milhões!


Eugênio José Alati eugenioalati13@gmail.com

Campinas


*

AQUI É ASSIM


O jornal Inconfidência assim publicou: “No Japão, o corrupto se mata; na China, é morto; na Itália, é preso; no Brasil, concorre às eleições”.


Luiz Bianchi luizbianchi@uol.com.br

São Paulo


*

ATENÇÃO!


Atenção, corruptos, ladrões do dinheiro público, não se preocupem, podem roubar à vontade, o STF livrou a barra de vocês.


Fernão Dias de Lima fernaodiaslima@gmail.com

São Paulo


*

VIVA A CORRUPÇÃO!


Meio Supremo e um Toffoli valem mais que uma nação. Liberou geral. O crime compensa, e muito. Viva a corrupção! Cadeia é para trouxa e pobre, que não pode pagar advogado caro e bem relacionado. A casta do camarote de luxo se lixa para a patuleia ignara.

                 

Paulo Sergio Arisi paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre


*

‘DAY AFTER’ NA JUSTIÇA BRASILEIRA


“Corruptos e ladrões do erário, uni-vos!” O caminho foi escancarado, não há mais barreiras, aproveitai, rapinai sem piedade, dai de beber à vossa sede de dinheiro público. Roubai e, se fordes réu, fazei recursos sem conta, clamai por “justiça” até à saciedade e, se “erradamente” fordes condenado, podereis buscar habeas corpus a mancheias, embargos de toda ordem. Não vos preocupeis, sempre obtereis um alvará de soltura se um dia “abusivamente” fordes preso “sem culpa”. Mas, se em futuro incerto e longínquo fordes condenado na última das últimas instâncias, sempre haverá uma dosimetria para reduzir vossa pena, de poucos anos, para um dia. “Rábulas togados de clientes corruptos e ladrões, uni-vos!” Ave, beca!


Paulo M. Beserra de Araujo pmbapb@gmail.com

Rio de Janeiro


*

PRISÃO EM 2.ª INSTÂNCIA


O STF feriu o Brasil de morte. Quem vai julgá-los?


Ricardo C. Siqueira ricardocsiqueira@globo.com

Niterói (RJ)


*

LAGOSTAS E VINHOS


Demos um passo à frente com a reforma da Previdência. Não foi a ideal, mas vai ajudar bem. Em seguida, vem o Supremo Tribunal Federal (STF) e retrocede o País dois passos para trás com a decisão de não permitir a prisão após condenação em segunda instância, favorecendo muitos bandidos, inclusive o preso de honra da Polícia Federal de Curitiba. Após o exaustivo debate sobre a prisão em segunda instância, os ministros devem ter comemorado com um belo jantar regado a lagostas e vinhos premiados.


Roberto da C. Manso Vasconcellos vetrobertocmv@uol.com.br

São João da Boa Vista


*

JUSTIÇA NO STF


Se alguém entrar no prédio do Supremo Tribunal Federal (STF) procurando por justiça, certamente entrou no lugar errado.


Mario Miguel mmlimpeza@terra.com.br

Jundiaí


*

CONCLUSÃO


Quando os criminosos ficam contentes, a sociedade fica triste.


Luiz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo


*

ESQUECERAM ‘DI NÓIS’


Firmado o trânsito em julgado, falta agora a jurisprudência que garanta ao cidadão comum grana suficiente para gozar as benesses da tradicional impunidade recursal...


A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo


*

SÓ DEUS


Eu tenho a dizer o seguinte sobre a decisão do Supremo Tribunal Federal de quinta-feira, 7/11/2019, aquele negócio de esperar o trânsito em julgado para que todo corrupto (e analfabeto e irresponsável) queridinho deles, quer dizer, dos seis que votaram contra a prisão depois da segunda instância, possa ser preso, finalmente, ou não. Se até o papa Francisco, ao que parece, está do lado de quem não deveria, eu arremato assim o que eu sempre digo às claras e em alto e bom som: acredito na infalibilidade de Deus, e de mais ninguém.


Luiz Alberto de Godoy Azeredo theokenos@gmail.com

São Bento do Sapucaí


*

O MESMO BRASIL


A gente até tenta, se esforça para acordar num país decente, e aí, então, lê os jornais pela manhã, vê coisas como a decisão do STF e chega à conclusão de que você está mesmo no Brasil!


Paulo Boccato pofboccato@yahoo.com.br

São Carlos


*

LEMBRANÇA


Caminhoneiros, chegou a hora de cumprir a promessa. Nós, B

brasileiros de verdade, confiamos em vocês.


Hamilton Penalva hpenalva@globo.com

São Paulo


*

BRASIL EM GUERRA


A soberba decisão do STF, no mínimo, nos causa vergonha, pela irresponsabilidade da decisão tomada, que nos coloca próximos de uma guerra civil, e isso só atende aos anseios dos separatistas agrupados no atual governo.


Jose Guilherme Santinho msantinho@uol.com.br

Campinas


*

POLARIZAÇÃO E LUCIDEZ


A votação da prisão em 2.ª instância no STF deu espaço a posicionamentos acalorados nas redes sociais. Votada a questão – vedando a prisão antes de esgotados todos os recursos –, os ânimos devem se manter alterados. A polarização na política parece mesmo ter se estabelecido e enraizado na sociedade brasileira. Uma pena! Mas é importante salientar que a polarização não é um mal em si mesma. Polarizar, no sentido de se concentrar em polos opostos, faz parte da natureza, é ato intrínseco à política. Eu tenho uma opinião fundamentada sobre o assunto, mas defendê-la aqui seria uma digressão. O que eu quero pontuar é que o debate é sempre construtivo, mesmo entre posições antagônicas. Não há nada de errado em polarizar, desde que com lucidez, fundamentação e civilidade. É isso que parece faltar aos e-militantes de direita ou de esquerda. Como sempre, o equilíbrio está no meio.


José Roberto Monteiro jm6042645@gmail.com

São Paulo


*

A CEGUEIRA


O escritor português José Saramago escreveu Ensaio sobre a Cegueira, que diz “a escuridão em um único homem propaga-se cegando a todos que dele se aproximam”. Existe no Brasil uma cegueira ideológica, desprovida da visão lógica do progresso e bem-estar. O “falso mito” foi colocado na prisão para extirpar a epidemia, mas a justiça, que é cega, o libertou, e ao sair está cheirando a creolina, pelas ideias antigas e retrógradas. Saramago diz: “Se os céus não veem, que ninguém veja”. A justiça não viu, pois já é cega, que ninguém veja o real, que o mundo seja sempre o da corrupção e impunidade. Quem não está atingindo pela cegueira agora está com dois olhos tristes com a volta ao passado. Não o passado onde as classes C e D tinham casa, carro e geladeira cheia, tornando a esquerda a verdadeira estrela, ou a lagarta sendo borboleta, mas sim a voltar da lagarta, com a Petrobrás afundada em dívidas pela corrupção do governo, o desemprego atingir 16 milhões de brasileiros, o fechamento de várias empresas, entre elas a Xerox, Souza Cruz, Avianca, entre outras. Buscamos valores de uma sociedade ideal, entendendo que a sociedade ideal não é a sociedade perfeita, mas também não seria demasiadamente imperfeita, onde as pessoas são transformadas em “coisas”. É necessário que existam pessoas ideais, buscando o melhor para a sociedade. A esquerda transformou seus simpatizantes em “coisas” ao pregar valores de assistencialismo, como o Bolsa Família, o vale-gás ou o financiamento a juros subsidiados. Mas temos de livrar nosso país destes cegos que se movem na escuridão, buscando o enriquecimento ilícito e tentando transformar o Brasil numa republiqueta repleta de “camaradas e companheiros”.


João Misael Tavares Lantyer misael51@terra.com.br

Salvador


*

O CAIXA DA PETROBRÁS


O governo arrecadou R$ 70 bilhões no leilão do pré-sal, na região marítima da Bacia de Santos. Os blocos vendidos foram Itapu e Búzios. A Petrobrás adquiriu grande parte destes blocos, juntamente com duas empresas chinesas, que entraram no negócio com uma pequena participação. Empresa estatal de economia mista, a Petrobrás está bastante endividada. A petroleira brasileira vai parar de pagar as suas dívidas? Onde a empresa vai arrumar tanto dinheiro? A dívida líquida da Petrobrás está acima dos R$ 370 bilhões. Vamos aguardar a mágica dos números.


José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br

Belo Horizonte


*

DESCULPA DE GUEDES


Não faz sentido que o ministro da Economia, Paulo Guedes, somente agora reclame de que o sistema de partilha é ruim. Ele, que é um empresário bem-sucedido, deveria agir e consultar os possíveis interessados em arrematar esses poços petrolíferos antes da realização destes dois leilões do pré-sal. Já que são negócios que envolvem dezenas de bilhões de reais. Agora é tarde... É lógico que frustrou o Planalto e a nós, brasileiros, a baixa arrecadação nos dois leilões. Da expectativa de arrecadar no leilão de quarta-feira 6/11 R$ 106,5 bilhões, somente R$ 70 bilhões se consumaram. E na quinta-feira 7/11, dos cinco blocos oferecidos, apenas um foi arrematado, por R$ 5,5 bilhões, contra os esperados R$ 7,8 bilhões. Isso porque a Petrobrás participou de todos...


Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos


*

MARIANA, CRIME IMPUNE


No dia 5 de novembro fez quatro anos da catástrofe de Mariana (MG), quando a Barragem do Fundão da mineradora Samarco, leia-se Vale do Rio Doce e uma multinacional, desmoronou, provocando a morte de 19 pessoas e espalhando uma lama mortífera, que percorreu toda a extensão do Rio Doce, destruindo propriedades e modificando para sempre e muito pior a vida de milhares de pessoas. Foi um crime, pois levantamentos efetuados antes naquela barragem indicaram que ela já estava num nível superior ao da margem de segurança. Cabe ressaltar de pronto que as inspeções eram realizadas por conta da empresa, que deveria informar as reais condições do empreendimento. Mas os seus dirigentes não o fizeram e não foram até agora punidos por isso e os habitantes de Minas Gerais e Espírito Santo ainda não foram devidamente ressarcidos. No dia 7/11, o jornal O Globo apontou mais uma barbaridade daqueles dirigentes, agora com o beneplácito das autoridades mineiras. Laudo que está nas mãos da Fundação Renova – criada pela Samarco para resolver a situação – e do governo de Minas Gerais há pelo menos cinco meses atestam que tanto o solo como a poeira atingidas pela lama estão contaminados com metal pesado. Tal fato, porém, não foi divulgado sob a alegação de que o resultado não é conclusivo.  Ora, somente em nosso país, onde a Justiça tarda até que falha, alguém pode ter a petulância de tal afirmação. Como não avisar a população da real situação, se esses metais podem provocar doenças gravíssimas nas pessoas que habitam toda aquela região? E nunca é demais lembrar que, se os engenheiros da Samarco tivessem cumprido o que determina o Código de Ética da nossa profissão, e que vem junto com o diploma, esta tragédia jamais teria ocorrido. Por fim, cumpre ressaltar que a prática temerária do autocontrole aceito pelas autoridades competentes, para evitar a ocorrência de desastres, se mostrou totalmente ineficaz.

Gilberto Pacini benetazzos@bol.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.