Fórum dos Leitores

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

Fórum dos Leitores, O Estado de S.Paulo

16 de dezembro de 2019 | 03h00

COP-25

‘Fóssil colossal’

Esse é o título que o Brasil mereceu na COP-25, a conferência do clima da ONU em Madri. Constam no histórico dos esforços contra as mudanças climáticas que o Brasil, na Rio-92, forjou o sofisma das “responsabilidades diferenciadas”, esquivando-se do Protocolo de Kyoto; na COP-21, em 2015, em Paris, apresentou proposições voluntárias de reduções de emissões de gases-estufa; e agora foi a Madri requerer recursos para conter os desmatamentos. Para isso basta uma política de desmatamento zero já, imposta coercitivamente. O aumento da capacidade de produção do agronegócio dispensa novas áreas de pasto e de cultura. E o desmatamento é criminoso, assim como o extrativismo de madeira e o garimpo.

HARALD HELLMUTH

hhellmuth@uol.com.br

São Paulo  

Lição bizantina

A História mostra que o Império Romano do Oriente caiu nas mãos dos bárbaros porque seus habitantes não se interessaram em defender Constantinopla: ocupados com seus afazeres, não tinham tempo para cuidar desse assunto. A COP-25 nos faz ver que a História se repete. Os líderes políticos que preferem cuidar dos interesses das empresas poluidoras estarão mortos quando as águas invadirem centenas de cidades e o clima tornar intolerável a vida das futuras gerações. Nossos filhos e netos terão um futuro terrível.

ALDO BERTOLUCCI

aldobertolucci@gmail.com

São Paulo  

EDUCAÇÃO 

Docência e decência

O editorial Novas diretrizes para a docência (13/12, A3) aponta mudanças positivas na formação dos professores. Essa é uma forma objetiva e eficaz de melhorar o IDH brasileiro, em que ocupamos a humilhante 79.º posição no ranking da ONU. Poderíamos ter em conta que, além de formar melhor o corpo docente, é importante compreender que pequenas mudanças na grade escolar, como foi feito em países de elevado IDH, surtiriam grande efeito na formação de cidadãos conscientes. Incluir na programação das aulas de Educação Física esportes de contato com a natureza, por exemplo, é uma maneira concreta de desenvolver no futuro cidadão a concepção de que o progresso econômico não pode desconsiderar o impacto ambiental e a sustentabilidade; da mesma forma, substituir jogos competitivos por jogos cooperativos, em que a meta é a colaboração, não a disputa, permite compreender melhor os benefícios da inclusão social; e a confecção de horta comunitária na escola ajuda a conscientizar a criança quanto à boa nutrição, fundamental para a saúde e o desempenho escolar. Enfim, a educação possibilita romper a barreira da desigualdade social, outra chaga que atinge profundamente o nosso debilitado IDH. Acima de tudo, não podemos esquecer que os futuros homens públicos são formados na escola, onde deveriam aprender que a política é um serviço e a corrupção é o crime que mais desedifica a sociedade.

IRENE MARIA DELL’AVANZI

irenedellavanzi@hotmail.com

Itapetininga  

FINANÇAS PÚBLICAS

Natal com fome

Há dois anos uma reportagem ganhou repercussão nacional ao exibir um menino faminto que pedia ao Papai Noel um sanduíche de presunto e queijo. Uma corrente de solidariedade se formou, sensibilizando pessoas de diferentes regiões do Brasil. Alimentos, roupas e brinquedos foram enviados ao menino. O Natal se aproxima. Quantas crianças neste país tão injusto clamam por um prato de comida? Muitas. E seus sonhos se esvaem nos bilhões do fundo eleitoral, no esbanjamento do cardápio dos ministros supremos com finas iguarias e vinhos premiados, nos absurdos vencimentos do TJ pernambucano, nos bilhões da desenfreada corrupção que varreu o País. E na falta de amor no coração dos homens.

JOMAR AVENA BARBOSA

joavena@terra.com.br

Rio de Janeiro  

Mexinflório

Que esse mal-afamado fundo eleitoral só pode ser motivo de repulsa, por se tratar de puro desperdício de recursos escassos, já é consenso entre as pessoas de bem. Um fato interessante interveio, aumentando o lado tristemente pitoresco desse assalto legal. Cedendo aparentemente à insatisfação popular, essa extorsão passa por embelezamento de última hora. Não voltará ao R$ 1,7 bilhão da última campanha, nem ascenderá a escandalosos R$ 3,7 bilhões; de acordo com os prestidigitadores responsáveis, teremos esse presente pela bagatela de R$ 2 bilhões. Para quem conhece a anedota do bode na sala, nenhuma surpresa. A inutilidade mantém-se, a rapina ficou menos cruel. Perguntar como se chegou a tais números seria perda de tempo.

ALEXANDRU SOLOMON

alex101243@gmail.com

São Paulo  

JUIZ DE GARANTIAS

Falência do Estado

Não podemos ter uma boa saúde por falta de recursos públicos. Idem quanto à educação. Agora, o argumento da classe jurídica contra o juiz de garantias é o mesmo: falta de dinheiro público. Em prejuízo do convencimento de sua importância fundamental para garantir a imparcialidade nos juízos penais. Inocentes são condenados e sustentados, com altos dispêndios, pelo Estado que se diz empobrecido e incapaz de enfrentar os seus principais deveres. Mas gasta-se muito mais com prisões indevidas e desnecessárias do que se gastaria com os juízes de garantias. Como se pode ver, o problema não está no caixa, mas na cabeça dos nossos governantes. O inocente mal punido que se lasque, o rebentar da corda do lado mais fraco é do ethos da filosofia política brasileira.

AMADEU R. GARRIDO DE PAULA

amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo  

URBANISMO

Novas ciclovias

Parece que a Prefeitura de São Paulo pretende mesmo substituir os automóveis por bicicletas. Essa é a única explicação para construir uma ciclovia na Avenida Rebouças, uma das vias mais congestionadas do País. Não bastasse, estão permitindo a construção, ali, de megaedifícios comerciais, o que fará os congestionamentos piorarem muito. Um horror. Não temos mais esperança... Meu escritório fica na Rua Benjamin Constant, que liga o Largo de São Francisco à Praça da Sé. Era uma bela rua, com três pistas, trânsito sempre fluindo. Agora, uma das pistas é estacionamento de motos e caminhões que abastecem lojas e escritórios localizados nos calçadões do entorno. A outra se tornou pista dupla de bicicletas, onde passa uma de vez em quando, geralmente um triciclo de entrega. Sobrou uma única pista, cheia de ônibus, sempre congestionada e barulhenta. E vão-se embora a produtividade e a qualidade de vida.

LUIZ AUGUSTO CASSEB NAHUZ

luiz.nahuz@gmail.com

São Paulo

 

“No magnífico artigo 

de dom Odilo P. Scherer 

O mistério do Natal (14/12, A2), lê-se: ‘Ceias de Natal serão momentos 

de alegria compartilhada, em que o mais importante não será a abundância

de comida e bebida, 

mas a experiência da fraternidade e do amor infinito de Deus, que 

reúne a todos numa grande família em torno de 

seu filho nascido para nós’. Para meditar”

  

AFFONSO RENATO MEIRA / SÃO PAULO, SOBRE O SIGNIFICADO 

CRISTÃO DA FESTA NATALINA 

ar.meira@terra.com.br

A INFLAÇÃO DA CARNE  

Com os aumentos absurdos nos preços das carnes bovina e suína, teve aumento substancial a inflação das famílias com renda de até R$ 1.643,78 por mês: 0,54% em novembro, segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. Hoje, o brasileiro, para comer a própria carne produzida no País, tem de hipotecar a casa ou ir ao açougue com avalista dos bens. A disparada no preço da carne bovina tem assustado todos nas últimas semanas, chegando a custar por volta de R$ 50 o quilo. Não se trata de um problema local. A escalada ocorre por causa do aumento das importações chinesas. Agora, cá para nós, é correto exportar um produto tão essencial na alimentação dos brasileiros e deixar o mercado interno desabastecido, fazendo com que o pobre passe a só consumir ovos e frango? Em novembro, o preço da arroba do boi gordo atingiu recorde de R$ 228,80, com alta de 34% no mês. Com isso, a inflação da carne para o consumidor chegou a 8%. Já para os paulistanos a inflação da carne chegou ao patamar de 10,01%, segundo o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Como diria o filósofo, nossa dona de casa, quando vê o busto destes nossos gênios da Economia, diz “bonita cabeça, pena que não tenha cérebro”. Então, um recado ao poderoso que se guia no crescimento da economia à custa da fome do povo: quem matou a sede esquece a fonte. Isso nunca termina bem. Para quem não sabe, a Revolução Francesa começou com Maria Antonieta fazendo chacota com a fome do povo. Perdeu a cabeça, como o rei e a nobreza. Reis e presidentes passam. O povo sempre fica.  

Turíbio Liberatto turibioliberatto@hotmail.com

São Caetano do Sul  

*

SALSICHA NA MESA  

Com a disparada do preço da carne bovina, muito em breve a única carne vermelha na mesa do brasileiro será a salsicha. E olhe lá!  

J. S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo  

*

DICAS PARA O CHURRASCO  

Ainda bem que o brasileiro aprendeu a comer rabada. Agora, que nossos filés de bois estão indo para a China, só nos restou o rabo.  

Márcia Callado marciacallado@bol.com.br

São Paulo  

*

CONCENTRAÇÃO  

O modelo concentrador nas mãos de um cartel fez disparar o preço da carne, fruto de uma liderança conquistada no governo passado e que passou ao largo do Cade para reprimir esse tipo de atividade econômica. Quando o mercado externo baixa o preço, a solução é vender aqui dentro, mas quando a demanda é maior fora a resposta é aumentar maliciosamente o preço da carne no País. E o governo diz que precisa aguardar, pois respeita a liberdade econômica, mas não combate cartel.  

Carlos Henrique Abrao abraoc@uol.com.br

São Paulo  

*

ENQUANTO ISSO, NO STF...  

Nem precisava de agência para, via índice de Desenvolvimento Humano (IDH), informar o desnível social brasileiro. Basta olhar o cardápio autorizado pelo Tribunal de Contas da União (TCU) ao Supremo tribunal Federal (STF) para os comes e bebes de lagosta e vinhos internacionais premiados, quando a maioria da população raramente tem carne em sua mesa.  

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES)  

*

BANQUETE SUPREMO  

O TCU liberou gasto de R$ 1,3 milhão com lagosta e vinho importado para o Supremo, mas com a seguinte ressalva: será necessária a presença de duas ou mais “altas autoridades” para justificar a realização de eventos com os itens estabelecidos na licitação autorizada. Viram só como o TCU, sempre zeloso e cuidadoso com o dinheiro do contribuinte, não permitiu a banalização do banquete? Afinal, não será tarefa das mais simples encontrar duas ou mais “altas autoridades” dispostas a participar do banquete. A menos que – sempre existe um porém –, como não está muito bem definida a altura mínima da referida autoridade, não será difícil de encontrar quem queira sacrificar-se com o oferecido no banquete. Por isso você, aposentado que hoje recebe R$ 998, mas a partir de janeiro receberá R$ 1.031, pare de reclamar e mire-se no exemplo destes sofridos patrícios. Até quando nós, o povo brasileiro, teremos de suportar tamanhas afronta e desfaçatez?


Mario Miguel mmlimpeza@terra.com.br

Jundiaí  

*

O STF ESCARNECE DOS BRASILEIROS  

Dei sugestão a um amigo dono de restaurante de fazer uma rifa de Natal tendo como prêmio uma nababesca refeição com lagosta e vinho francês premiado. Ele gostou da ideia, mas ambos pensamos que quem ganhar vai doá-la a algum mendigo sem teto.  

Luigi Vercesi luigiapvercesi@gmail.com

Botucatu  

*

AS BOLSAS DO GOVERNO  

Bolsa Família para os jovens? Será o Mochila Família? Sugiro a criação, também, do Lagosta Família para os idosos (que incluirá os ministros do STF), Emprego Família para os desempregados e Bônus Família para senadores e deputados que ganham as conhecidas mixarias. Assim, pode começar a festa para a reeleição em todos os níveis.   

Carlos Gaspar carlos-gaspar@uol.com.br

São Paulo  

*

RENDA BRASIL DE BOLSONARO  

O presidente Jair Bolsonaro, que em seu primeiro ano de mandato não havia apresentado nenhum projeto que contemplasse a agenda social, agora, depois de muitas críticas, pretende mudar até o nome do Bolsa Família, para Renda Brasil. No papel, um projeto muito interessante, que se propõe a dividir o atual Bolsa Família em três: inclui benefício-cidadania, para famílias de baixa renda, à primeira infância, para crianças de 0 a 3 anos, e benefício a crianças e jovens de até 21 anos. Porém, para viabilizar este projeto, o custo hoje de R$ 13 bilhões anuais (Bolsa Família) passaria para R$ 29,5 bilhões. Ou seja, mais R$ 16,5 bilhões, incluindo o benefício do 13.º anunciado. Não há de onde tirar esse valor. Se aprovado este novo Renda Brasil, o máximo que a equipe econômica poderia liberar do Orçamento de 2020 seriam R$ 4 bilhões. Portanto, o Planalto, que somente reagiu para apresentar este projeto porque outros de agenda social estão bem encaminhados, liderados por deputados na Câmara, e não pode ficar fazendo propaganda de projetos e criar expectativas para a camada mais pobre do País sem que consiga viabilizá-los. Ou seja, se governar é o exercício de saber fazer escolhas, que dispenda somente os tais R$ 4 bilhões.  

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos  

*

MUDANÇAS CLIMÁTICAS E O DEBATE GLOBAL  

A jovem ativista em defesa das causas ambientais Greta Thunberg, eleita a pessoa do ano pela revista Time, recebeu críticas dos presidentes dos Estados Unidos e do Brasil. O caso chama a atenção para a importância das redes sociais e o debate virtual em meio à polarização política no mundo. O aquecimento global e os efeitos da mudança climática são cada vez mais claros com eventos catastróficos como incêndios florestais devastadores, enormes inundações, violentos tufões e furacões. As propostas do New Green Deal, nos Estados Unidos, e do European Green Deal podem monopolizar a atenção da mídia digital, durante a década de 2020, em busca de soluções para o clima do planeta.  

Luiz Roberto Da Costa Jr. lrcostajr@uol.com.br

Campinas  

*

FORA  

Mais um fora do presidente Bolsonaro: zombou da jovem ativista sueca Greta Thunberg no mesmo momento em que ela era eleita a “personalidade do ano” por nada menos que a revista Time.    

Jorge de Jesus Longato financeiro@cestadecompras.com.br

Mogi Mirim  

*

DESPREPARADO  

O presidente do Brasil fez alusão irônica em relação à jovem ativista sueca que luta pelas causas ambientais. E, logo em seguida, ela é eleita “personalidade do ano” pela revista Time. Ele também criticou a sugestão de leitura do livro Valsa brasileira, editado pela economista Laura Carvalho. E as edições esgotaram. Atacou, ainda, uma rede de televisão, e a audiência do jornalismo teve aumento sugestivo. São conhecidas, também, suas ameaças a jornais. Até quando vamos conviver com uma pessoa que ocupa o cargo maior da nossa República e dá a entender que não tem o preparo intelectual suficiente para o cargo?  

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos  

*

TRIPUDIANDO  

Nada como inteligência e classe para tripudiar sobre a grossura dos indigentes mentais. Greta Thunberg, com fino humor, devolveu em estilo bumerangue os comentários ressentidos da dupla caipira Trump-Bolsonaro, provando o acerto da revista Time em considerá-la a personalidade do ano de 2019.   

Paulo Sergio Arisi paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre  

*

ILUSTRE QUEM?  

Greta Thunberg... Greta Thunberg... Claro, aquela que, ao ver fotos que expõem toda a sua ferocidade, e tirando a franja, me faz lembrar Annabelle, a noiva de Chucky. Sim, sei quem é!  

Marcia Meirelles marciambm@yahoo.com.br

São Paulo  

*

SAI MARIELLE , ENTRA GRETA  

Marielle, vereadora do PSOL, vítima de estúpido assassinato no Rio de Janeiro em 2018 e, a partir daí, eleita bandeira da esquerda em geral, deve ceder lugar para Greta Thunberg, a mais nova queridinha dos autointitulados “progressistas”. E assim vamos, uma multidão de “cientistas” e jornalistas que ganham a vida como infalíveis arautos do fim dos tempos alimentam as páginas de jornais e revistas e as telas das TVs.

Claro que o interesse pelo planeta Terra propriamente dito é muito menor do que o interesse em criticar os governos desafetos. Trump, nos EUA, e Bolsonaro, no Brasil. Quanto às barbaridades do e no Congresso, do tipo surrupiar R$ 4 bilhões dos nossos impostos, poucas ou nenhuma palavra. E, como diria Ivan Lessa, bate o bumbo!  

João Paulo de O. Lepper jp@seculovinteum.com.br

Rio de Janeiro  

*

OS INCOMODADOS  

Não é à toa que a garotinha Greta incomoda tanta gente: o presidente Trump dá subsídios e facilidades para as grandes empresas de petróleo e impõe barreiras e dificuldades contra o crescimento das empresas de energia limpa. O presidente Bolsonaro acha que o meio ambiente é uma pauta da esquerda e pretende desmatar a Amazônia para alimentar os porcos chineses. Trump e Bolsonaro, num ato de covardia inominável, não se cansam de atacar, xingar e desqualificar uma menininha de 16 anos que ousou levar a bandeira da defesa do meio ambiente. Dois poderosos marmanjos batendo numa menininha indefesa, e o mundo assiste a isso calado. Espero que o prêmio de personalidade do ano dê forças para a garotinha continuar na sua luta.  

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo  

*

OS PRÊMIOS DOS RICARDOS  

Enquanto Ricardo Galvão é escolhido uma das dez personalidades da ciência pela Nature, Ricardo Salles (ministro do Meio Ambiente do governo Bolsonaro e filiado suspenso do Partido Novo) vai receber o prêmio “fóssil colossal”, concedido ao Brasil na Conferência do Clima (COP). Enfim, sucesso é para quem pode, não para quem quer. Parabéns, Ricardo Galvão.  

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana  

*

SACO DE PANCADA  

Enquanto o PT foi governo no Brasil, o País navegava sob céu de brigadeiro na mídia internacional. Hoje, apesar dos números favoráveis em muitas áreas, no exterior só nos enxergam como poluidores e destruidores da Floresta Amazônica. E a esquerda manipuladora excelente coloca uma adolescente como massa de manobra socialista na mídia, uma garota sueca de olhar feroz como arauto da defesa do clima, que bem sabe que é o Hemisfério Norte, a parte mais fria do mundo, que esquenta o planeta. Mas isso não interessa. O que importa é que o Brasil de Bolsonaro é o saco de pancada do Primeiro Mundo.  

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo  

*

PARASITAS DE PLANTÃO  

O cidadão brasileiro deve sentir orgulho dos parasitas que coloca no poder. Eles fazem péssimas gestões, não são fiscalizados, votam de acordo com seus interesses e ao povo dão uma banana. Desta vez, os vereadores de São Bernardo do Campo decidiram aumentar os próprios salários, um aumento de 26,5%, e mais, aprovaram o pagamento do 13.º salário sob a alegação de que é um direito assegurado pelo Supremo. Uma audácia, um desrespeito diante do desemprego num país onde o andar de baixo tem de apertar os cintos para pagar a conta dos irresponsáveis gestores. Pergunto: receber tratamento digno de saúde, receber precatórios há anos na fila, reajustar salários das categorias menos favorecidas que passam anos sem um mísero centavo, não são direitos assegurados pelo Supremo? Ou vivemos num país onde alguns são mais iguais que outros? Certamente, a ideia maravilhosa destes vereadores contaminará os demais, é só uma questão de tempo. Ao povo só resta uma resposta: as urnas.  

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo  

*

FLAMENGO 2019  

Que ano maravilhoso está tendo o Flamengo! Depois de conquistar o Campeonato Brasileiro e a Copa Libertadores da América, o rubro negro poderá contar em Doha, no Catar, com a torcida TCU – Todos Companheiros do Urubu. Esta viagem dos auditores que, “casualmente”, coincidiu com o torneio é um verdadeiro deboche! Me enganem, pois eu adoro.  

Jomar Avena Barbosa joavena@terra.com.br

Rio de Janeiro  

*

MUNDIAL DE CLUBES  

O jogo é jogado, lambari é pescado. Missão difícil, mas não impossível, a do Flamengo vencer o forte e entrosado Liverpool, no Qatar. Precisará jogar com personalidade. Mostrando que é time grande. Ousado.  Encarando firme o adversário. Sem errar passes no meio-campo, setor em que o jogo costuma ser decidido.   

Vicente Limongi Netto limonginetto@hotmail.com

Brasília

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.